Jump to content
Forum Cinema em Cena

Batman V Superman: Dawn of Justice


Recommended Posts

Ok...vamos lá...

 

"Como assim não entendeu? É uma afirmação simples. Em primeira instância, acho o caminho da Marvel mais adequado, o que não significa que eu ache que a DC TENHA que seguir o mesmo caminho. Tanto é que pra mim não é um problema introduzir este novo Batman dentro do filme do Superman. Acredito que haja sim outras formas diferentes da Marvel que possam dar certo."

 

Agora eu entendi.

 

"E outra coisa, ninguém aqui esta defendendo que o Batman ou a Mulher Maravilha tenha que ganhar um filme solo, que é o que você parece afirmar em seus argumentos. A discussão não é sobre isso. Se você leu isso nas entrelinhas, leu errado. Pelo menos no que diz respeito a mim."

 

É...com certeza eu estou enxergando coisas a mais...

Mas, tudo bem, você pode dizer sobre você (e eu aliás, não mencionei nome algum, pra existir a necessidade de auto-defesa)...meus argumentos não foram direcionados.

 

"com o que parece ser a proposta do filme."

(grifo meu). Bem colocado.

 

"Não. Por que até onde sabemos, o filme não é sobre a formação da Liga da justiça, é?"

Você que está dizendo...

Pelo que estamos observando em relação a contratações e rumores, há possibilidade desse filme ser exatamente sobre isso.

 

"Ainda usando os X men como exemplo, você acha que a proposta de equipe dos X men é a mesma dos Vingadores? Repare que não estou falando nem dos filmes, mas sim da proposta básica das duas criações de Stan Lee. Eu diria que não. E por que? Todos os X men vivem em um contexto parecido, e vivem vidas parecidas, enfrentando preconceito e o escambau. Todos são mutantes. Suas habilidades são diferentes, mas são mutantes. Tudo que os X men enfrentam separados, eles também enfrentam sozinhos.

 

 Os Vingadores já é diferente. Temos um deus, um Super soldado, um cara numa armadura, um gigante radioativo, espiões e por ai vai. Eles vivem em contextos diferentes, e ao lado dos Vingadores, cada um deles enfrenta coisas que geralmente não enfrentam em suas histórias solo. O divertido não é apenas ver estes herois atuando em conjunto, mas ver o Thor enfrentando coisas que geralmente não enfrentaria em suas aventuras solo, o Capitão America enfrentando coisas que ele geralmente não enfrentaria em suas aventuras solo, e por ai vai.

 

 Com a Liga da Justiça é a mesma coisa, por isso, não acho que a comparação com a gangue de Danny Ocean seja a mais adequada É possivel reunir cinco ou seis herois em um só filme sem introdução previa? É sim.

 

 Mas não da pra comparar com ONZE HOMENS E UM SEGREDO ou mesmo X MEN, pois estamos falando de reunir um alienigena, um vigilante urbano, uma amazona, um heroi meta humano que ganhou poderes em um acidente, e um policial intergalactico. Todos eles com naturezas bastante distintas, o que torna reuni-los em uma trama coerente uma tarefa bem mais dificil do que nos exemplos citados acima."

 

É bastante coisa...mas vou tentar ser conciso ao máximo.

 

É claro que cada grupo possui suas razões de ser e especificidades. Mas percebe que isso é o roteiro quem define?

O roteirista é quem "cria" as relações entre os personagens e dá aos personagens características próprias.

 

A qualidade da obra não depende da quantidade de personagens existentes. Pois independente de ser 1.000 ou 2, haverão as relações e as características de cada um.

 

A cereja do bolo é o roteirista conseguir amarrar e utilizar todas as características em prol da história. Mas o que eu, o PRIMO e a LIV (dessa vez acho que não precisarei das entrelinhas...espero...rsrsrs) estavamos argumentando é isso... o que fará diferença não é a quantidade e sim o uso que se faz desses personagens (Mulher-Gato era uma só e foi um filme péssimo...).

 

Resumindo e agora falando sério:

Eu não vejo problema das pessoas estarem com medo do que a Warner pode fazer, porque também tenho essa pontinha de medo...rsrsrs... mas, tenho começado a olhar as coisas com menos fantasia de fã (mais uma vez..isso não é direcionado a ninguém)

 

Respeito as opiniões. Mas precisamos levantar mais argumentos pra que esses receios se tornem mais contundentes.

Link to post
Share on other sites
  • Replies 4.1k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

O FILME MAIS ESPERADO DE 2006 SUPERMAN SERÁ MESMO MELHOR Q O BATMAN BEGINS????   EU PESSOALMENTE ACHO SUPERMAN MUITO RIDICULO PRA SER SINCERO/// EH TAO ULTRAPASSADO AQUELA ROUPA DELE OCULOS ETD

E pra que criar outro Batman??? É só usar os princípios do Batman do Nolan.

Batman e Superman | Filme pode ser anunciado hoje na Comic-Con 2013 Longa seria lançado depois de O Homem de Aço 2 Natália Bridi20 de Julho de 2013       Apesar dos rumores sobre um novo fil

OK Cir-El, aí vai + 01: 

 

 

Lenda Urbana: “Homem de Aço” foi produzido por uma obrigação legal

Postado em 09/12/2013, por Morcelli
Em: Destaque , Especiais , Lenda Urbana
 

 

 

 

 

Lenda Urbana: “Homem de Aço” foi produzido por uma obrigação legal
Situação: Basicamente verdadeira

Muitos processos e recursos foram usados durante as décadas de disputa entre a família de Jerry Siegel e a DC Comics/Warner Bros. pela propriedade e pelo uso do Superman. Dentre estes processos, uma das principais discussões era sobre quanto dinheiro a DC Comics devia ao autor pela parceria pré-estabelecida com ele. A partir daí surgiu uma outra discussão: quanto a DC Comics recebia de sua empresa mãe, a Warner Bros., pelas adaptações cinematográficas do personagem.

wb-dune-mos.jpeg

A família de Siegel alegou que poderia pedir dinheiro diretamente à Warner, já que a DC oferecia o personagem por valores incompatíveis com sua importância. Os juízes decidiram em favor das empresas, mas houve uma situação em que os herdeiros do cocriador do Superman puderam ao menos tentar ganhar alguma coisa.

Como o último filme do Homem de Aço, “Superman – O Retorno” de 2006 foi o primeiro feito desde os anos 1980, a corte enxergou que a DC não estava se esforçando para otimizar a propriedade do personagem. Sendo assim, os herdeiros de Siegel ganharam o direito de processar e obter uma boa quantia financeira da Warner caso o estúdio não iniciasse a produção de um novo filme do Superman até 2011. Com medo de se afundar ainda mais na disputa legal a Warner acelerou a produção de “Homem de Aço”, lançado neste ano.

Claro, a Warner, depois da fundação da DC Entertainment, produziria um filme do personagem de qualquer forma em algum momento, mas a criação de “Homem de Aço” foi acelerada graças a estas disputas com os herdeiros de Jerry Siegel.

Link to post
Share on other sites

Engraçado Gustavo, eu no início fiquei a mil na expectativa dessa sequência ! Afinal primeiro MOS é como Batman begins como o próprio Goyer já falou. Então teríamos o Grande Superman se consolidando de uma vez por tdas nessa sequência" Certo?

Ultimamente não estou tão certo assim, na realidade to com o pé atrás. Primeiro que deixar o Goyer sozinho escrevendo é um perigo, e ainda por cima Snyder , que é ótimo diretor de imagens e não diretor de grandes idéias de roteiro, ajudando na história ?!! Xiiiiii. Sinceramente não confio. Nolan ali, mesmo que fazendo quase nd seria de vital importância .

introdução do Lex , desenvolvimento do romance com a Lois, Batman na parada, asa noturna, mulher maravilha e o diabo a quatro...Desculpem não há roteiro de 2 horas e pouco que desenvolva de forma FORTE ,SÓLIDA um personagem como super.

Ele invariavelmente , por melhor que o roteiro seja , terá dividido as atenções , falas, dramas, ações com outros personagens!

 

Portanto em se tratando de heróis, mesmo que o personagem tenha a devida atenção, com certeza ficaremos lembrando tb de todos os outros e o que fizeram de heróico na história !

 

Este , era pra ser exclusivamente o GRANDE filme do super ! E não uma mini liga da justiça em que o personagem principal é o super!

 

Até acho que Synder deixou de ser Snyder no ultimo filme, mesmo este sendo muito bom. Amei o filme e comprei o blu ray.

Faltou sua marca registrada em nos deixar ver as cenas!

Sem falar que não vi o Super voar de verdade...Vi cenas cheias de adrenalinas de voos rápidos pra lá e pra cá , que tb gostei demais , mas , pra mim, mesmo que em pequeníssima dose ,faltou o voo poético do Super, se é quem alguém me entende.

Engraçado mais uma vez, o que sobrou em Returns faltou em MOS e vice versa.

Quem viu a Lenda dos guardiões que Snyder dirigiu e viu o que ele fez com simples corujas, as deixou imponentes e seus voos foram magnificos tanto os voos mais apressados e rápidos como os voos emocionais e marcantes.

Alguém concorda?

 

Bom, espero que na sequência ele faça isso.

Nem pro Zimmer o mané do Snyder ligou ainda?

 

Mas vamos aguardar...só terei 100 % de ceretza da minha opinião quando ver o filme , rsrsr

Espero queimar a lingua!

Link to post
Share on other sites

 

OK Cir-El, aí vai + 01: 

 

 

Lenda Urbana: “Homem de Aço” foi produzido por uma obrigação legal

Postado em 09/12/2013, por Morcelli

Em: Destaque , Especiais , Lenda Urbana

 

 

 

 

 

 

 

Lenda Urbana: “Homem de Aço” foi produzido por uma obrigação legal

Situação: Basicamente verdadeira

Muitos processos e recursos foram usados durante as décadas de disputa entre a família de Jerry Siegel e a DC Comics/Warner Bros. pela propriedade e pelo uso do Superman. Dentre estes processos, uma das principais discussões era sobre quanto dinheiro a DC Comics devia ao autor pela parceria pré-estabelecida com ele. A partir daí surgiu uma outra discussão: quanto a DC Comics recebia de sua empresa mãe, a Warner Bros., pelas adaptações cinematográficas do personagem.

wb-dune-mos.jpeg

A família de Siegel alegou que poderia pedir dinheiro diretamente à Warner, já que a DC oferecia o personagem por valores incompatíveis com sua importância. Os juízes decidiram em favor das empresas, mas houve uma situação em que os herdeiros do cocriador do Superman puderam ao menos tentar ganhar alguma coisa.

Como o último filme do Homem de Aço, “Superman – O Retorno” de 2006 foi o primeiro feito desde os anos 1980, a corte enxergou que a DC não estava se esforçando para otimizar a propriedade do personagem. Sendo assim, os herdeiros de Siegel ganharam o direito de processar e obter uma boa quantia financeira da Warner caso o estúdio não iniciasse a produção de um novo filme do Superman até 2011. Com medo de se afundar ainda mais na disputa legal a Warner acelerou a produção de “Homem de Aço”, lançado neste ano.

Claro, a Warner, depois da fundação da DC Entertainment, produziria um filme do personagem de qualquer forma em algum momento, mas a criação de “Homem de Aço” foi acelerada graças a estas disputas com os herdeiros de Jerry Siegel.

 

 

Eu lembro dessa história...falaram até que a Warner não poderia usar alguns nomes como Krypton, e tal...

Mas se no próprio título tá escrito "Lenda urbana" e "Basicamente verdadeiro", não sei onde essa informação entra na história que estamos discutindo...

Link to post
Share on other sites

 

Pelo que estamos observando em relação a contratações e rumores, há possibilidade desse filme ser exatamente sobre isso.

 

 

 Mas então por que não chamar logo o filme de LIGA DA JUSTIÇA? Questão comercial? Talvez. O mesmo pode se dizerdo logo oficial do filme ser os simbolos de Batman e Superman justapostos, e não o simbolo da Liga.

 

 Mas ai entra o que o JAILCANTE disse, e destaco em negrito O principal é o Snyder decidir se vai fazer uma sequel do MoS (com o Batman) ou se o foco é a união dos heróis.

 

O bom filme precisa de foco. Se Snyder tentar abordar as consequências de MOS na vida pessoal do Super, aprofundar o inicio de sua relação com o Batman, aprofundar o inicio de sua rivalidade com o Luthor, e ainda tem que contar sobre a formação da Liga? Não é impossivel, mas se essa é a proposta, é bem dificil que o resultado seja satisfatório.

 

 

É claro que cada grupo possui suas razões de ser e especificidades. Mas percebe que isso é o roteiro quem define?

 

 

 

 Nem tudo. Não superestime a função do roteiro. Ele sequer é o principio da criação da historia, já que antes vem o argumento, ideia e conceito. O conceito por exemplo é uma coisa pronta, o roteirista não pode mudar O que ele é, só a forma de usa-lo. Peguemos de novos os conceitos básicos que formam os X men e os Vingadores. Os conceitos dele são muito diferentes. O roteirista simplesmente não pode tentar trata-los da mesma forma, por que os conceitos não são a mesma coisa.

 

 

Respeito as opiniões. Mas precisamos levantar mais argumentos pra que esses receios se tornem mais contundentes.

 

 A questão é que você fala como se o fato isolado de "Ter muitos personagens" fosse o motivo da reclamação. O problema é o fato dentro do contexto em que ele se encontra. Pelo que se sabe do filme até então, a profusão desses personagens e suas naturezas (repetindo, acrescentar Cat Grant ou Dan Turpin na trama não é a mesma coisa que acrescentar Mulher Maravilha e Asa Noturna) não parece ser um prognostico positivo dentro do que se sabe do filme até então. É uma questão de fato + contexto, e não simplesmente fato.

 

 Exemplificando. O fato de O ESPETACULAR HOMEM ARANHA 2 ter três vilões não parece ser um problema no meu prognóstico do filme. Em HOMEM ARANHA 3, eu sentia que ia dar problema (como de fato deu), mas não sinto a mesma coisa com esse. O novo filme do teioso pode ter outros problemas (pessoalmente eu achei o 1º filme insosso), mas eu acho que o numero grande de personagens não será um problema. Já no caso do novo do Snyder, me parece que vai sim ser um problema.

Link to post
Share on other sites

"Nem tudo. Não superestime a função do roteiro. Ele sequer é o principio da criação da historia, já que antes vem o argumento, ideia e conceito. O conceito por exemplo é uma coisa pronta, o roteirista não pode mudar O que ele é, só a forma de usa-lo. Peguemos de novos os conceitos básicos que formam os X men e os Vingadores. Os conceitos dele são muito diferentes. O roteirista simplesmente não pode tentar trata-los da mesma forma, por que os conceitos não são a mesma coisa."

 

Então, mas na prática as coisas não são tão separadinhas assim. O conceito existe em qualquer coisa que se crie, mas o roteiro externaliza isso. E quem inventou essa regra de que o conceito é algo pronto? É uma discussão complexa que envolve significado, significância, linguagem e por aí vai...não vou entrar no mérito...Mas o roteirista pode criar sim concepções próprias sobre algo e expressar isso em sua própria linguagem.

 

"A questão é que você fala como se o fato isolado de "Ter muitos personagens" fosse o motivo da reclamação. O problema é o fato dentro do contexto em que ele se encontra. Pelo que se sabe do filme até então, a profusão desses personagens e suas naturezas (repetindo, acrescentar Cat Grant ou Dan Turpin na trama não é a mesma coisa que acrescentar Mulher Maravilha e Asa Noturna) não parece ser um prognostico positivo dentro do que se sabe do filme até então. É uma questão de fato + contexto, e não simplesmente fato.

 

 Exemplificando. O fato de O ESPETACULAR HOMEM ARANHA 2 ter três vilões não parece ser um problema no meu prognóstico do filme. Em HOMEM ARANHA 3, eu sentia que ia dar problema (como de fato deu), mas não sinto a mesma coisa com esse. O novo filme do teioso pode ter outros problemas (pessoalmente eu achei o 1º filme insosso), mas eu acho que o numero grande de personagens não será um problema. Já no caso do novo do Snyder, me parece que vai sim ser um problema."

 

Então qual é o motivo real? O Snyder pura e simplesmente?

O que faz HOMEM ARANHA 3 dar problema e O ESPETACULAR HOMEM ARANHA 2, não?

 

 "Mas ai entra o que o JAILCANTE disse, e destaco em negrito O principal é o Snyder decidir se vai fazer uma sequel do MoS (com o Batman) ou se o foco é a união dos heróis."

Qual o problema de ser as duas coisas?

Link to post
Share on other sites

 E quem inventou essa regra de que o conceito é algo pronto? É uma discussão complexa que envolve significado, significância, linguagem e por aí vai...não vou entrar no mérito...Mas o roteirista pode criar sim concepções próprias sobre algo e expressar isso em sua própria linguagem.

 

  Não é uma discussão tão complicada. Na verdade, ela é relativamente simples.Ué, depois que o conceito é criado, ele passa a ser algo pronto sim. O roteiro não muda o conceito com que se dispõe a trabalhar. Pode molda-lo em variadas formas (não infinit, mas não mudar o conceito.

 

 Quando eu usei como exemplo os X men e os Vingadores, você me respondeu que era claro que cada grupo possui a sua especificidade, mas quem definia isso era o roteiro. Mas eu discordo completamente disso. Muitas das especificidades estão no conceito e não no roteiro.

 

 Chegamos a este tema por que eu (ou outra pessoa, já não lembro) apontou que certas comparações não cabiam. Fazer um filme sobre os X men é bem diferente de fazer um filme sobre os Vingadores. Acredito que nenhum roteiro pode mudar isso. Por que uma das diferenças primoridais esta no conceito.

 

 Quando expus as diferenças básicas, usei o conceito das duas equipes. Não vou me repetir citando tais diferenças de novo, mas eu não precisei contar nenhuma história para apontar essas diferenças. Se não há história, não há roteiro. Mas um conceito não precisa de uma história. Em resumo, nem todas as especificidades são definidas pelo roteiro.

 

Então qual é o motivo real? O Snyder pura e simplesmente?

 

 Não. Isso não tem nada a ver com o Snyder. O motivo real já foi explicado no post anterior. Leia-o de novo.

 

O que faz HOMEM ARANHA 3 dar problema e O ESPETACULAR HOMEM ARANHA 2, não?

 

 Antes de começar, só quero ressaltar que estamos falando de prognósticos. Não posso afirmar que o grande numero de personagens em O ESPETACULAR HA 2 não foi um problema, pois não vi o filme.

 

 Mas falando dos prognósticos, há dois problemas essenciais. O filme do Raimi colocava três situações distintas acontecendo ao mesmo tempo, vingança de Harry Osborn como Duende Verde, surgimento da ameaça do Homem Areia e a queda de um parasita alienígena do céu. Não tinha nada a ver uma coisa com a outra, abusando assim da tolerância do publico as coincidências. Além disso, o filme nunca definia um vilão principal. Sem um antagonista principal, o filme simplesmente ficou sem foco algum. E a lição que tiramos disso é: Não se pode abraçar o mundo.

 

 Já o novo filme do aranha colocou a Oscorp como fonte de origem dos três vilões do filme, Electro, Rhino e Duende Verde. Assim sendo, esses vilões não estão aparecendo do nada. Não tá pulando cada um de um canto, parece haver uma razão de ser. Parece haver coesão. Além disso, o filme define Electro como o vilão principal, inclusive tendo o seu nome no subtítulo. Ou seja, o filme tem um foco.

 

Qual o problema de ser as duas coisas?

 

 Também já tinha respondido isso no post anterior, e respondo de novo, mas de forma mais sucinta. Não dá pra abraçar o mundo. Um filme precisa de foco. Um filme precisa saber que historia quer contar, por que não dá pra contar duas ao mesmo tempo. Um filme que tenta ir pro norte e pro sul é um filme ruim.

Link to post
Share on other sites

"Mas ai entra o que o JAILCANTE disse, e destaco em negrito O principal é o Snyder decidir se vai fazer uma sequel do MoS (com o Batman) ou se o foco é a união dos heróis."

Qual o problema de ser as duas coisas?

 

Questão, Cir-El e Jailcante, mais uma vez me vem à cabeça a palavra "condicionamento". 

 

1.Sequência de "O homem de aço".

2.União dos heróis.

3.Outra coisa.

 

Veja que pode ser essa outra coisa. Não é porque foi anunciada a "sequência" propriamente dita de "O homem de aço" que a proposta não pode mudar, neh verdade? Todos sabemos. E parece ter mudado.

Veja que "Os Vingadores" foi algo novo, um conceito novo para o cinema. O novo filme do Snyder pode ser também algo novo. E o que pode ser esse novo? Acredito que seremos apresentados a um universo onde muitas relações já estão estabelecidas, como em "Watchmen". Obs.: Repare que estou comparando com "Watchmen", aqui, apenas no quesito "relações pré-estabelecidas".

 

O filme pode começar mostrando o status das relações de Bruce com o ex-parceiro Dick e com o também empresário Lex. Veja: assim como a relação entre Loki e Thor se desenvolveu aos poucos na Fase 1, a relação entre Lex e Superman não precisa alcançar o status clássico ao fim desse filme e nem precisa chegar ao mesmo nível de construção da relação entre Loki e Thor ao fim do filme "Thor". Outra: Lex não precisa chegar ao fim do filme sendo visto por Batman e Superman como um vilão (não que tenham sugerido isso, mas apenas relacionando ao argumento anterior).

 

Teríamos então em "Batman vs Superman" (ou seja lá qual nome escolherem) dois mundos se encontrando:

1.Clark, Perry, Martha e Lois.

2.Bruce, Dick e Lex.

 

Digo "se encontrando", pois acredito que o principal plot deveria ser a motivação para o encontro (o lance do receio governamental à presença alienígena) e o relacionamento entre os dois heróis. Lex seria o vilão aos olhos do público, e pode ser a mente por trás do "chefão de fase", ameaça física principal. Ao fim, Diana dá as caras e fornece um cliffhanger para a continuação.

Link to post
Share on other sites

 Muito bem colocado, PRIMO. Estamos "condicionados" aos precedentes. E não podemos ser culpados disso. Afinal, analises e projeções são feitas com fatos passados.

 

 Pode mesmo ser um conceito novo mesmo, PRIMO. Mas mesmo que seja, por enquanto não tenho razões para apostar neste conceito. Até por que não falam de Diana como uma "participação no final". Na verdade, os fatores apontam para um papel ativo dentro da trama.

 

 Por hora, faço minhas as palavras do BIG.

Link to post
Share on other sites

Acho que será um fato novo, primeiro porque tem muitos heróis e alguns deles aparecem pela primeira vez na telona, segundo porque Snyder não está sob a batuta do Nolan, então pelo menos com o mesmo tom, mas diferente de MoS. Só resta saber se diferente pra melhor ou pior. Por enquanto a barra está para baixo.

 

>>> + uma notícia que caracteriza o "jeitinho Warner de ser":

 

 

Paul Dini afirma que estúdios só querem animações para homens

Postado em 16/12/2013, por Morcelli

Em: Destaque , Notícias , TV e Games

 

 

 

 

 

O lendário roteirista e produtor Paul Dini foi entrevistado pelo autor e cineasta Kevin Smith na semana passada em seu podcast “Fat Man of Batman” e uma parte do bate-papo entre os lendários escritores deu o que falar na internet. Segundo Paul Dini, animações como “Young Justice” e “Green Lantern: The Animated Series” acabaram canceladas porque o público estava muito diversificado – aparentemente os estúdios estavam infelizes com o fato de garotas e seus pais também assistirem aos desenhos, desejando que apenas o público masculino fizesse isso.

 

Young-Justice-S02-720p-WEB-DL-AVC-AAC-Re

Dini explicou a Smith que a grande dificuldade de se produzir animações valiosas para as crianças hoje é a insistência dos estúdios em segregar suas audiências. Segundo o autor, estas empresas querem que os produtos sejam criados para “garotos que curtam um humor bobo” pois são eles que vão comprar brinquedos e outros colecionáveis. Smith perguntou a Dini se os estúdios eram cegos o suficiente para não perceberem que poderiam criar outros produtos para o público feminino, como roupas e acessórios, e Dini confirmou o fato. “Os estúdios querem que tudo seja para os meninos. ‘Não queremos as meninas.’, eles dizem. Eles não estavam interessados no público mais velho que assistia à ‘Young Justice’“, afirmou um sincero Paul Dini.

O escritor ainda viria a afirmar ao final da entrevista que mesmo quando um programa está com audiência, se ela não for o que os produtores querem em termos de produção de merchandising, ele pode ser cancelado sem perdão pelo estúdio.

Link to post
Share on other sites
Joaquin Phoenix como Lex Luthor? Ator seria o favorito do estúdio para viver o vilão principal do filme
Natália Bridi
18 de Dezembro de 2013
3
 
Joaquin.jpg
 

Warner Bros. quer Joaquin Phoenix no filme que unirá Batman e Superman. Segundo a Variety, o estúdio estaria interessado no ator para o papel do principal vilão, que possivelmente será Lex Luthor.

site ressalta que o processo de negociações está apenas no início e que não há qualquer indicação de que o ator, conhecido por filmes menos comerciais, aceitará o papel.

Phoenix atualmente pode ser visto nos cinemas dos EUA em Elade Spike Jonze, papel que lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro 2014, e participa das filmagens de Vício Inerente, de Paul Thomas Anderson. O ator também é cotado para o elenco de Sea of Trees, de Gus Van Sant.

No próximo longa da DC, Ben Affleck será o Homem-Morcego e Henry Cavill volta ao papel de Homem de Aço. Gal Gadot será a Mulher-Maravilha. Amy AdamsLaurence Fishburne eDiane Lane  também retornam. Continuam as buscas por um ator para viver Robin/Asa Noturna e vilão Apocalypse  pode fazer parte da trama - leia maisJason Momoa e Callan Mulvey também foram mencionados entre as negociações de elenco do filme - leia mais.

David Goyer e Zack Snyder escrevem o roteiro, que Snyder dirigirá. O filme chega aos cinemas em 17 de julho de 2015. Veja as primeiras imagens do set. No OmeleTV, discutimos o que gostaríamos de ver no filme de Batman/Superman:

 

http://omelete.uol.com.br/batman/cinema/batmansuperman-warner-bros-quer-joaquin-phoenix-como-lex-luthor/#.UrIYBNJDsVA

Link to post
Share on other sites
Roteirista de ARGO é confirmado em SUPERMAN VS. BATMAN
19/12/13 - 10h37
por Luísa Gomes
 

_1375065189.jpg

O roteiro de David Goyer (trilogia O Cavaleiro das Trevas) para Superman VsBatman terá que ser reescrito. Segundo o site The Hollywood Reporter, o escolhido para a tarefa é Chris Terrio, que recentemente recebeu o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por Argo. Não foi divulgado o motivo específico para o roteiro ter que ser refeito.

A continuação de O Homem de Aço vai reunir Superman (Henry Cavill), Batman (Ben Affleck) e Mulher-Maravilha (Gal Gadot) e tem a direção de Zack Snyder (300). O filme chega aos cinemas brasileiros em julho de 2015.

Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

Announcements


×
×
  • Create New...