Jump to content
Forum Cinema em Cena
Rob Gordon

Francis Ford Coppola

Qual o seu melhor filme?  

28 members have voted

  1. 1. Qual o seu melhor filme?

    • O Poderoso Chefão: Parte I (1972)
      13
    • O Poderoso Chefão: Parte II (1974)
      5
    • A Conversação (1974)
      0
    • Apocalypse Now (1979)
      6
    • Vidas Sem Rumo (1983)
      0
    • O Selvagem da Motocicleta (1983)
      0
    • Cotton Club (1984)
      1
    • Peggy Sue, Seu Passado a Espera (1986)
      0
    • Tucker: Um Homem e Seu Sonho (1988)
      0
    • O Poderoso Chefão: Parte III (1990)
      0
    • Drácula de Bram Stoker (1992)
      4
    • O Homem Que Fazia Chover (1997)
      0


Recommended Posts

 Finalizando a trilogia do chefão com O PODEROSO CHEFÃO PARTE 3(THE GODFATHER PART 3)

poderoso-chefao-3-poster02.jpg

 

 A trama se passa no fim dos anos 70, mais de 20 anos depois do fim da PARTE 2. Michael Corleone(Al Pacino) começa a sentir o peso da idade, e entra em uma fase de contemplação.

 Decidido a se redimir dos seus crimes passados, Michael dá inicio a um audacioso negocio, q tem como meta cumprir a antiga promessa de legalizar os negocios da familia. Ao mesmo tempo, ele tenta reatar seu romance com a ex mulher Kay(Diane Keaton), e guiar seu novo pupilo, Vincent Mancini(Andy Garcia) q é seu sobrinho bastardo e quer entrar na organização.

 

 O PODEROSO CHEFÃO PARTE 3 encerra de forma magnifica a trilogia iniciada em 1972. Quase toda a equipe esta de volta para esse ultimo capitulo, a excesão é Robert Duvall, q não entrou em um acordo para voltar a interpretar o advogado da familia, então é dito simplesmente q seu personagem morreu.

 Assim como o 2º filme havia ligado a saga da familia Corleone a um fato historico, a tomada de Cuba por Fidel Castro, nesse 3º filme isso volta a acontecer de forma ainda mais profunda, dessa vez a questão é a eleição do papa João Paulo I, seguida de sua suspeita morte.

 O filme tem uma sequencia memoravel, q é a q se passa em uma casa de Opera, na Sicilia.

 O final do filme, com certeza esta entre os mais melancolicos q eu já ví.

 

 Muito se criticou Sofia Copolla, filha do diretor, q interpreta Mary Corleone, filha de Michael. Tudo bem, Sofia Copolla não é uma boa atriz, mas de forma alguma compromete o filme.

 Andy Garcia defende muito bem o seu personagem. Vincent Mancini é o principal responsavel das cenas de ação do filme, mas tem momentos q pelo menos eu o achei meio deslocado. O jeito como ele rapidamente ascende na organização é meio forçado, e seu romance com Mary não cativa, talvez dai, as criticas a interpretação de Sofia Copolla.

 

 Mas é claro q quem brilha é Al Pacino, que mostra perfeitamente a culpa que corroi Michael Corleone e o anseio q este tem de redenção.

 

 Otima essa PARTE 3, a trilogia do chefão com certeza esta entre as melhores franquias que o cinema já teve. Apesar d ser uma historia unica, cada filme tem uma identidade, Grande obra de Copolla.

Valeu16

 

 

 

 
Questão2009-02-03 23:00:34

Share this post


Link to post
Share on other sites

Veja as primeiras fotos do novo filme de Francis Ford Coppola

O próprio cineasta apresenta Tetro em vídeo

26/02/2009

Tetro, o próximo filme de Francis Ford Coppola, ganhou um site oficial já cheio de novidades. A principal delas - que você pode conferir clicando na mariposa - é um vídeo em que o próprio Coppola se filma para apresentar o projeto.

O diretor comenta que Tetro é seu primeiro roteiro original desde A Conversação, diz que muita coisa que está no texto sobre rivalidade de irmãos é inspirada em histórias da sua infância, ainda que ficcionalizada. Além do vídeo, as primeiras fotos do filme também saíram - veja na galeria (o fato de estarem em preto e branco não significa que o filme também o seja).

O filme se passa em Buenos Aires, para onde o caçula de uma família, Bennie (vivido pelo novato Alden Ehrenreich), viaja para encontrar Tetro (Vincent Gallo), seu irmão mais velho. Maribel Verdú (O Labirinto do Fauno) faz a namorada de Tetro, Miranda. Klaus Maria Brandauer e Carmen Maura também estão no elenco, entre outros.

O cineasta de O Poderoso Chefão e Apocalipse Now, que não filmava nada desde O Homem Que Fazia Chover (1997), lançou ano passado nos EUA Youth Without Youth, filme sem previsão de estreia no Brasil.

tetro_01.jpg

 

tetro_02.jpg

 

tetro_03.jpg

 

tetro_04.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Francis Ford Coppola é homenageado em festival de São Francisco

Cineasta receberá prêmio Founder's Directing Award, por seu trabalho.
Mostra reunirá trechos de filmes antigos e trailer do inédito 'Tetro'.

Do G1

 Foto:%20AP

A San Francisco Film Society (Sociedade de Cinema de São Francisco) vai homenagear Francis Ford Coppola com o prêmio Founder's Directing Award, na 52ª edição do Festival Internacional de Cinema de São Francisco, que acontece de 23 de abril a 7 de maio.

A premiação acontecerá em noite de gala, programada para 30 de abril. Nessa noite, Robert Redford também será homenageado por seu trabalho como ator e James Tobakc por seu como roteirista.

O festival ainda promoverá, no dia 1º de maio, “Uma noite com Francis Ford Coppola & Amigos”, que incluirá um debate com o cineasta e seus principais amigos e colaboradores, além da exibição de trechos de filmes do diretor e o trailer de seu novo longa, “Tetro”.

”Tetro” é o primeiro filme de Coppola com roteiro próprio desde “A conversação”, feito em 1974. A nova produção traz Vincent Gallo, Maribel Verdu, Klaus Maria Brandauer, Carmen Maura e Alden Ehrenreich na história de dois irmãos em uma família italiana que viva na Argentina. A previsão é que a estreia seja em junho. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não acho Coppola superestimado, e bom em quase todos os filmes que roda mas e impossível manter a qualidade e se manter impecável, rodou obras menores a qual eu gosto e muito Cotthon Club,Tucker,O Selvagem da Motocicleta e Peggy Sue que podem não ser filmes memoraveis, mas que mantém o toque do cineasta.

Agora sobre o Youth Without não sei dizer pois não assisti, para dizer se uma bomba.

Share this post


Link to post
Share on other sites

>

>

Fazendo O poderoso Chefao qualquer um ficaria superestimado.....

é uma obra prima.......

 

 

Quando é comentado seu nome quase sempre é relacionado a trilogia...... (embora tenha outras 2 ou 3 obras otimas)

 

por isso o superestimado Francis Ford Poderoso Chefao Coppola

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Jack realmente é fraco, mas Coppola está longe de ser apenas um cineasta superestimado. Só ao citar (além dos Chefão) Apocalypse Now, Drácula, Tucker, A Conversação, O Selvagem da Motocicleta, O Homem Que Fazia Chover já se nota que sua carreira passa longe de ser taxado de homem de  um sucesso só (Trilogia Chefão).

 

Youth Without Youth estou buscando ver para poder avaliar.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Francis Ford Coppola faz 70 anos prestes a estrear novo filme

Cineasta brilhou com a trilogia 'O poderoso chefão'.
Mas também enfrentou fracassos ao longo de sua carreira.

Da EFE

Foto:%20Divulgação/Divulgação

O cineasta Francis Ford Coppola completa 70 anos nesta terça-feira (7) 

O cineasta que presenteou o mundo com a trilogia de "O poderoso chefão" e "Apocalypse now", Francis Ford Coppola, completa nesta terça-feira (7) 70 anos, com cinco prêmios Oscar em sua carreira e muita vontade de seguir fazendo cinema, como demonstra seu filme mais recente, "Tetro", a ponto de estrear.

Com grandes sucessos e enormes fracassos, Coppola soube passar por cima de tudo e, entre filmes sob encomenda e projetos personalíssimos, construiu uma das trajetórias mais ecléticas e interessantes de Hollywood.

Nascido em Detroit, no dia 7 de abril de 1939, em uma família de origem italiana, é filho de Italia Pennino e do compositor e diretor de orquestra Carmine Coppola, que colaborou em algumas das trilhas sonoras de seus filmes.

Transferida a família para Nova York, Coppola passou sua infância no Queens e, aos nove anos, contraiu poliomielite (paralisia infantil), doença que lhe manteve um ano na cama, período no qual se distrairia criando peças com marionetes e filmes familiares em Super 8 (câmera da época).

Em 1960, Coppola se graduou na Universidade Hofstra e, em seguida, fez especialização em direção cinematográfica na Escola de Cinema da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

 

Foto:%20Divulgação 

Cena de 'O poderoso chefão', de Francis Ford Coppola

Joia do cinema

Embora já tivesse realizado diversos trabalhos como diretor, sua estreia em longas-metragens foi com "Demência 13" (1969), da qual foi diretor e roteirista, função que desempenhou tanto para suas próprias produções quanto para as de outros. Após alguns trabalhos nos quais não chamou especialmente a atenção, chegou "O poderoso chefão", de 1972, uma joia do cinema, que marcou um "antes" e um "depois" nos filmes sobre a máfia e que é considerado o segundo melhor longa da história pelo Instituto de Cinema Americano, superado apenas por "Cidadão Kane" (1941), de Orson Welles.

Coppola não estava convencido de levar à grande tela o best-seller de Mario Puzzo, mas finalmente embarcou em um projeto que lhe lançou ele e Al Pacino ao estrelato e que se transformou em uma dos filmes de maior bilheteria de todos os tempos. Ele já tinha ganhado um Oscar como roteirista de "Patton: rebelde ou herói?" (1970), e "O poderoso chefão" lhe proporcionou o segundo, também pelo roteiro -assim como o de melhor ator para Marlon Brando e o de fotografia-, além de todo o reconhecimento que pudesse desejar.

Isso lhe permitiu rodar "A conversação" (1974), uma mudança radical de gênero, que foi seu primeiro grande fracasso comercial, mas que foi bem recebido pela crítica, ganhando a Palma de Ouro no Festival de Cannes e que, com a passagem dos anos, passou a ser considerado um de seus melhores filmes.

Também em 1974, filmou a segunda parte de "O poderoso chefão", que apesar de arrecadar muito menos do que a primeira, conseguiu três prêmios Oscar (o primeiro de Coppola como diretor, assim como os de melhor filme e roteiro) e lhe permitiu iniciar em um projeto que iria acabar sendo um autêntico pesadelo.

 

Todos os problemas no mesmo filme

A filmagem de "Apocalypse now", adaptação do complexo romance "O coração das trevas", de Joseph Conrad, foi um inferno, e Coppola teve de enfrentar todos os tipos de problemas: técnicos, econômicos, pessoais e climatológicos.

Foto:%20Divulgação

Martin Sheen protagonizou ''Apocalypse now'' ao lado de Marlon Brando 

 

O orçamento disparou, o protagonista, Martin Sheen, sofreu um infarto, os cenários foram destruídos por uma tempestade tropical, a filmagem se eternizou e os trabalhos de pós-produção não ficaram atrás, tanto que ele só foi lançado cinco anos depois de "O poderoso chefão 2", em 1979.

O resultado é um filme obscuro e complexo, com interpretações impressionantes, especialmente de Marlon Brando, fotografia e música espetaculares, que foi imediatamente considerado uma obra prima e ganhou a Palma de Ouro em Cannes.

Após esse processo, porém, Coppola começou outro projeto que não seria menos complicado e que iria mudar sua trajetória profissional: "O fundo do coração" (1982), um musical que foi um gigantesco fracasso comercial. Coppola perdeu seus estúdios, sua casa e seu patrimônio e teve que aceitar trabalhos sob encomenda para poder pagar as dívidas, como "Cotton clube" (1984) e "Peggy Sue - Seu passado a espera" (1986).

 

Crise econômica

Mesmo assim, o cineasta ainda teve tempo para rodar filmes estupendos como "O selvagem da motocicleta" e "Vidas sem rumo", lançados em 1983. Ainda sem sair da crise econômica, decidiu fazer a terceira parte de "O poderoso chefão" (1990), muito menor do que as duas primeiras quanto à qualidade e às ambições.

"Drácula de Bram Stoker" (1992), "Jack" (1996) e "O homem que fazia chover" (1997) foram alguns de seus seguintes trabalhos, nos quais seguiu mostrando talento, mas sem encantar como fizera anteriormente.

Agora, à espera do estreia de "Tetro", ele dedica-se também à produção, como, por exemplo dos filmes de sua filha Sophia Coppola, que também despontou como diretora.

No entanto, Francis Ford Coppola, mantém claras suas prioridades. "Amo o cinema; gosto de outras coisas, como o vinho e a comida, mas o cinema é mágico e eterno. Sempre aprendo coisas boas".

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Jack realmente é fraco' date=' mas Coppola está longe de ser apenas um cineasta superestimado. Só ao citar (além dos Chefão) Apocalypse Now, Drácula, Tucker, A Conversação, O Selvagem da Motocicleta, O Homem Que Fazia Chover já se nota que sua carreira passa longe de ser taxado de homem de  um sucesso só (Trilogia Chefão).

 

Youth Without Youth estou buscando ver para poder avaliar.

 

[/quote']

 

até porque se fosse só a trilogia, não poderia ser "homem de um filme só". desculpe, não pude deixar passar. 06

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Jack realmente é fraco' date=' mas Coppola está longe de ser apenas um cineasta superestimado. Só ao citar (além dos Chefão) Apocalypse Now, Drácula, Tucker, A Conversação, O Selvagem da Motocicleta, O Homem Que Fazia Chover já se nota que sua carreira passa longe de ser taxado de homem de  um sucesso só (Trilogia Chefão).

 

Youth Without Youth estou buscando ver para poder avaliar.

 

[/quote']

 

até porque se fosse só a trilogia, não poderia ser "homem de um filme só". desculpe, não pude deixar passar. 06

 

Valew, Bat...06

Mas eu explico...eu sempre analiso a Trilogia Chefão como um filme só...faço isso tb com BTTF e SdA...não costumo separar mto...apenas isso. 06

 

E sim, parabéns ao Coppola...que sempre será um grande cineasta, pois quem já foi rei, nunca perderá a majestade (mesmo que faça alguns filmes meia boca pelo caminho). 16

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jack realmente é fraco' date=' mas Coppola está longe de ser apenas um cineasta superestimado. Só ao citar (além dos Chefão) Apocalypse Now, Drácula, Tucker, A Conversação, O Selvagem da Motocicleta, O Homem Que Fazia Chover já se nota que sua carreira passa longe de ser taxado de homem de  um sucesso só (Trilogia Chefão).

Youth Without Youth estou buscando ver para poder avaliar.
[/quote']

até porque se fosse só a trilogia, não poderia ser "homem de um filme só". desculpe, não pude deixar passar. 06


Valew, Bat...06
Mas eu explico...eu sempre analiso a Trilogia Chefão como um filme só...faço isso tb com BTTF e SdA...não costumo separar mto...apenas isso. 06

E sim, parabéns ao Coppola...que sempre será um grande cineasta, pois quem já foi rei, nunca perderá a majestade (mesmo que faça alguns filmes meia boca pelo caminho). 16



 

Poderoso chefão são três filmes diferentes. Agora SDA sim é um filme só, dividido em três partes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

27/04/2009

A doce vingança de Coppola

02.27.2009-TETRO-NOTICIA.gif

Em 1968, quando os evenements de Mai chegaram com toda força a Cannes, cineastas invadiram o Palais em fúria, exigindo novas idéias e novas posturas do que já era um veterano festival. O resultado imediato desse surto libertário foi a criação da Quinzena dos Realizadores que, apesar de ocupar o mesmo espaço e tempo do Festival - as mesmas duas semanas no mesmo ameno balneário da Riviera - vive num universo estético e criativo bastante diferente, com outros programadores, outras salas, outros títulos que nada tem a ver com o que se passa no Palais.

E foi aí mesmo, na Quinzena, que Francis Ford Coppola emplacou seu novo filme, o experimental Tetro, rodado na Argentina e  rejeitado para competição no Festival... Não apenas aceito, mas com destaque, abrindo a Quinzena.

Coppola começou como um jovem diretor experimental. É fascinante vê-lo, na maturidade, retomar suas raízes com tanta naturalidade - e audácia.

Também na Quinzena, bacana: um curta brasileiro,Superbarroco, de Renata Pinheiro; I Love You Philip Morris, de John Requa, um tour de force de Jim Carrey que já deu o que falar em Sundance; e o bonito de co-produções abraçando o mundo todo, como Canadá-Singapura ou França-Japão.

Por Ana Maria Bahiana às 00h39

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

 

considerar Chefão uma saga é algo óbvio, agora dizer que é como SDA (independente de juízo de valor) é, no mínimo, burrice. SDA é uma coisa só dividida em três pedaços, os Chefões são três coisas diferentes, sobre o mesmo universo - não um filme só dividido em três, como Matrix Reloaded e Revolutions, Kill Bill vol. 1 e 2, e o já citado SDA.

 

sem essa de "pra mim é assim bla bla", porque tá errado, ué.

batgody2009-04-28 13:47:47

Share this post


Link to post
Share on other sites

Expectativa enorme pra esse... Nem tanto pelo antigo Coppola, mas por parecer bem diferentão mesmo. E ainda com o Vincent Gallo, depois que vi Arizona Dream fiquei curioso pra conhecer mais dele (Brown Bunny tá na minha lista de locação...).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

×
×
  • Create New...