Jump to content
Forum Cinema em Cena

Crise Financeira Mundial


Dook
 Share

Recommended Posts

  • Replies 119
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Se o próprio sistema fosse tão impactado ' date=' refletiria diretamente no social . Sem chances de acontecer o contrário
[/quote']

 

Bom, não sendo a economia uma ciência exata acho temerário prever as repercussões de uma crise de forma absoluta e igualmente exata. Mas você é o perito, então deve saber do que fala...

 

Porque em sua esmagadora maioria ' date=' as pessoas são honestas e na primeira oportunidade pagam suas dívidas . Um sujeito que ganha pouco só tem um patrimônio : Seu crédito limpo . E os juros exorbitantes cobrados delas mais que compensam o tempo que ficaram sem receber .
[/quote']

 

Não poderia discordar mais. Trabalho com inadimplentes o tempo todo (a esmagadora maioria dos meus clientes são inadimplentes com todo mundo - inclusive comigo) e chega um momento da vida deles em que o "crédito limpo" se torna uma ficção e algo totalmente dispensável.
Link to comment
Share on other sites

 

Eu acredito que o Estado deva invervir apenas quando não existe mais nenhum solução(como está).Ou seja' date='ele deve ser a ultima alternativa. [/quote']

 

E se o Estado não consegue cobrir o rombo?

Se ele não consegue cobrir o rombo,está claro que ninguém mais conseguiria.Aí,não há nada o que fazer.

O que não pode ocorrer é o Estado ficar controlando tudo o que acontece no mercado.

 

Link to comment
Share on other sites

03/10/2008 - 10h41

Bolsa opera em alta acentuada, após tombo de 7,34% ontem

Da Redação
Em São Paulo

DEshow('180x150',5,8);

1x1.gif

Texto atualizado às 12h25

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta nesta sexta-feira, ultimo dia de uma semana marcada por forte volatilidade. O mercado de ações despencou 9,36% na segunda-feira, reagiu no dia seguinte com um salto de 7,63%, fechou na quarta-feira com leve alta de 0,52%, e recuou 7,34% no último pregão.

Às 12h25, o Ibovespa, principal indicador de ações brasileiro, subia 3,5%, a 47.760,91 pontos (acompanhe gráfico da Bovespa) com atualização constante).


O dólar comercial que subiu ao longo da manhã inverteu o movimento. A moeda americana perdia 0,49%, negociada a R$ 2,011 na venda (veja quadro com a cotação do dólar atualizada).

O pacote de medidas para socorrer o setor financeiro - principal preocupação dos investidores nos últimos dias - começou a ser discutido na Câmara dos Estados Unidos nesta manhã. A votação está prevista para começar às 16h (horário de Brasília).

O setor financeiro americano recebeu nesta sexta a notícia de que o banco Wachovia, em crise, será comprado pelo Wells Fargo por US$ 15,1 bilhões.

Ainda nos Estados Unidos, o Departamento do Trabalho divulgou pesquisa mostrando que a taxa de desemprego manteve-se em 6,1% em setembro, conforme o esperado por analistas. No entanto, a economia americana fechou 159 mil postos de trabalho no mês. A previsão dos especialistas era que a queda no número de vagas ficasse em torno de 100 mil.

No Brasil, o Banco Central resolveu aliviar as regras de depósitos compulsórios e liberou até US$ 23,5 bilhões ao mercado.

O Banco Central Europeu, em meio à crise de liquidez no sistema financeiro da região, injetou mais US$ 50 bilhões no mercado, um pouco abaixo dos pedidos dos bancos (de mais de US$ 80 bilhões).

(Com informações de AFP, Efe e Reuters)
Link to comment
Share on other sites

 

Porque em sua esmagadora maioria ' date=' as pessoas são honestas e na primeira oportunidade pagam suas dívidas . Um sujeito que ganha pouco só tem um patrimônio : Seu crédito limpo . E os juros exorbitantes cobrados delas mais que compensam o tempo que ficaram sem receber .
[/quote']

 

Não poderia discordar mais. Trabalho com inadimplentes o tempo todo (a esmagadora maioria dos meus clientes são inadimplentes com todo mundo - inclusive comigo) e chega um momento da vida deles em que o "crédito limpo" se torna uma ficção e algo totalmente dispensável.

 

Eu falei esmagadora maioria , não totalidade . E quem diz isso não sou eu e sim o Serasa , SPC e o Bacen.  
Link to comment
Share on other sites

 

Eu falei esmagadora maioria ' date=' não totalidade . E quem diz isso não sou eu e sim o Serasa , SPC e o Bacen.  
[/quote']

 

Eu trabalho com a esmagadora maioria Marko... Em momento algum falei de totalidade. Quanto ao que diz o SERASA e o SPC, discordo de novo. Basta dar uma olhadinha nos bancos de dados deles, aos quais não sei se você tem acesso, mas eu tenho, acessando-os com frequência religiosa.
Link to comment
Share on other sites

 

É mesmo? Só se for aqui' date=' pq nos EUA não tem não... E se tiver, por favor, ilumine-nos com a sapiência economista que a questão exige, vinda de um cara da área de informática.[/quote']

Hum.....agora estamos pesando areas de atuação para determinar se alguém é capaz ou não de falar sobre determinada questão?Acho melhor pararmos de ir pro tópico de religião...ninguém lá é teólogo.....

Sim,existe no Brasil e estava me referindo à ele quando postei aquilo.

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

Eu falei esmagadora maioria ' date=' não totalidade . E quem diz isso não sou eu e sim o Serasa , SPC e o Bacen.  
[/quote']

 

Eu trabalho com a esmagadora maioria Marko... Em momento algum falei de totalidade. Quanto ao que diz o SERASA e o SPC, discordo de novo. Basta dar uma olhadinha nos bancos de dados deles, aos quais não sei se você tem acesso, mas eu tenho, acessando-os com frequência religiosa.

A procura de clientes em potencial?06

 

Link to comment
Share on other sites

Hum.....agora estamos pesando areas de atuação para determinar se alguém é capaz ou não de falar sobre determinada questão?Acho melhor pararmos de ir pro tópico de religião...ninguém lá é teólogo.....
Sim' date='existe no Brasil e estava me referindo à ele quando postei aquilo.
[/quote']

Eu estou prestes a ter formação em teologia, logo posso ir no tópico religião quando bem me apetece.

 

Eu não falei do Brasil, falei dos EUA. O bicho tá pegando por lá...

 

 
Dr. Calvin2008-10-03 12:46:20
Link to comment
Share on other sites

Eu estou prestes a ter formação em teologia' date=' logo posso ir no tópico religião quando bem me apetece.

 

Eu não falei do Brasil, falei dos EUA. O bicho tá pegando por lá...

[/quote']

Quem bom,bom para você.

 

Sim,lá nos EUA não existe este tipo de ferramente,pelo que eu sei.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Eu falei esmagadora maioria ' date=' não totalidade . E quem diz isso não sou eu e sim o Serasa , SPC e o Bacen.  
[/quote']

 

Eu trabalho com a esmagadora maioria Marko... Em momento algum falei de totalidade. Quanto ao que diz o SERASA e o SPC, discordo de novo. Basta dar uma olhadinha nos bancos de dados deles, aos quais não sei se você tem acesso, mas eu tenho, acessando-os com frequência religiosa.

 

Bom , eu não trabalho com eles ( Serasa , SPC etc....) Estou apenas repassando informações oriundas desses mesmos orgãos . De qualquer maneira , e isso não é informação lida e sim fato , toda intituição financeira trabalha com uma provisão de 3% em seu balanço para estes casos . É a chamada "Provisão Para Devedores Duvidosos " . Provavelmente a inadimplência não chegue a  este índice . Vou tentar buscar números reais de inadinplência para postar aqui .

 

 
Link to comment
Share on other sites

Tem uma reportagem da revista The Economist de 9 de junho de 1988 dizendo que em 2018 seria implantado o Phoenix, uma moeda corrente mundial sem cash, todas as transações em Phoenix seriam feitas através de transações bancárias. Esta reportagem tá na web pra quem quiser ler.

O primeiro passo para a moeda global são as moedas regionais como o Euro, assim será criada a NAU (North American Union) e o Amero sua respectiva moeda. Pra isto o dolar terá que ser aposentado e um cidadão americano terá a mesma cidadania que um mexicano, ou seja, a constituição americana vai pro lixo.

 

Haverá sangue, nãp pela socialização dos prejuísos e privatização dos lucros, mas pela supressao de direitos fundamentais, como a liberdade de expressao (1st Amendment).

 

Eu gostaria de já ter morrido, mas não tem vaga pra mim no mundo dos mortos.
Link to comment
Share on other sites

Agora eu estou quase convicto que os velhinhos fanáticos da minha igreja tem razão: a iminência de uma moeda global é um dos sinais do anti-cristo!!!

 

13

Até tu Calvin?06

E a crise segue com toda força....Daqui a pouco Dóllar volta à R$3,00.....e,o Euro esta caindo....


 
Link to comment
Share on other sites

E o bicho tá pegando:

 

06/10/2008 - 12h34

Dólar dispara com crise externa e queda da Bovespa

Da Redação
Em São Paulo

DEshow('180x150',5,8);

1x1.gif

Texto atualizado às 12h59

As Bolsas de Valores da Europa e da Ásia fecharam em forte baixa nesta segunda-feira, refletindo a preocupação dos investidores de todo o mundo com o agravamento da crise financeira dos Estados Unidos.

Às 12h50, a moeda americana avançava 4,94%, a R$ 2,147 na venda (veja quadro com a cotação do dólar atualizada).

Momentos de incerteza no setor financeiro têm provocado a alta do dólar nos últimos dias. Investidores vendem papéis de maior risco, como ações, trocando-os por dólares, para se refugiarem em aplicações mais seguras, como os títulos do Tesouro americano, considerados o investimento mais seguro do mundo.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) já teve seu pregão interrompido duas vezes nesta segunda. Primeiro, quando a queda alcançou 10%, os negócios pararam por meia hora. Depois, a Bolsa continuou caindo até atingir a marca de 15%, o que levou a uma interrupção por mais uma hora.

A preocupação dos investidores é com o possível efeito dominó na crise financeira iniciada nos Estados Unidos. Bancos europeus têm apresentado dificuldade, o que gera temor de que os problemas americanos se espalhem pela Europa
Link to comment
Share on other sites

E a queda continua... será que existe o fundo do abismo?

 

 

06/10/2008 - 13h06

Após parar 2 vezes no dia, Bovespa vai caindo mais de 10%

Da Redação
Em São Paulo

DEshow('180x150',5,8);

1x1.gif

Texto atualizado às 13h50

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a funcionar depois da segunda interrupção do pregão nesta segunda-feira.

O ritmo de perda estava se reduzindo, mas a queda ainda era superior a 10%. Quando a sessão parou pela segunda vez, a redução passava de 15%.

Por volta das 13h50, o Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, despencava 12,2%, aos 39.084,13 pontos (acompanhe gráfico com atualização constante).

A primeira parada do dia foi de meia hora, entre 10h18 e 10h48. A segunda interrupção aconteceu das 11h44 às 12h44.


Essas paralisações acontecem automaticamente quando a Bolsa cai demais. O sistema é chamado "circuit breaker" e é acionado para tentar acalmar o mercado.

Pelas regras, a primeira parada ocorre quando a queda é superior a 10% e dura meia hora. Depois, se continuar a cair, a Bolsa pára de novo quando perde mais de 15%, com uma suspensão maior, de uma hora.

Após a segunda parada, não há mais limite de queda. A decisão de uma nova suspensão depende do diretor do pregão.

A sessão havia sido interrompida na primeira vez às 10h18, após o Ibovespa (principal índice de ações) atingir 10,09% de queda.

A segunda parada ocorreu num momento em que a Bovespa caía 15,06%, aos 37.814 pontos. A maior queda da Bovespa foi de 22,26% em 21 de março de 1990, segunda a assessoria de imprensa da instituição.

O mercado está com medo do efeito dominó da crise financeira sobre a Europa, o que afeta mercados no mundo todo.

BOLSAS DESABAM NO MUNDO

Moscou

-19,1%

Paris

- 9,04%

Londres

- 7,85%

Frankfurt

- 7,07%

Cingapura

- 5,61%

Xangai

- 5,23%

Hong Kong

- 4,97%

Seul

- 4,3%

Tóquio

- 4,25%

Taiwan

- 4,12%

É a terceira vez em uma semana que o sistema de parada da Bovespa é acionado. Na segunda-feira passada, dia 29 de setembro, houve o mesmo problema, mas com apenas uma parada no dia.

Cotação do dólar
O dólar comercial operava em forte alta de 4,94%, cotado a R$ 2,147 para venda (veja quadro com a cotação do dólar atualizada).

Embora o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush tenha sancionado na última sexta-feira a lei que autoriza o pacote de US$ 700 bilhões para socorrer os bancos norte-americanos em crise, o mercado não se convenceu e seguiu sem otimismo.

As Bolsas asiáticas, por exemplo, afundaram nesta segunda-feira com os investidores temerosos quanto a eficácia das medidas dos governos norte-americano e europeus para acalmar as tensões nos mercados financeiros.

Noticiário
O Bank of America anunciou que está disposto a gastar até US$ 8,4 bilhões para reestruturar os empréstimos hipotecários dos clientes de sua nova filial Countrywide, adquirida em julho quando estava à beira da falência.

O maior banco dos Estados Unidos afirmou que está pronto para revisar as taxas aplicadas ou renegociar para baixo os empréstimos hipotecários de quase 400.000 clientes do Countrywide, segundo um comunicado divulgado pela empresa.

O governo e os bancos da Alemanha fecharam um acordo neste domingo para a criação de um plano de 50 bilhões de euros para evitar a quebra do Hypo Real Estate (HRE), no mesmo dia do anúncio de que o governo garantirá correntistas e poupadores particulares.

O banco americano Wells Fargo anunciou no domingo à noite que conseguiu anular, com um recurso de apelação, a decisão do juiz de Nova York que ordenava o congelamento da fusão com o Wachovia.

O Banco Central Europeu (BCE) injetou nesta segunda-feira US$ 50 bilhões com vencimento amanhã e a uma taxa de juros marginal de 4% em uma operação extraordinária para colocar liquidez no mercado.

Brasil
O mercado financeiro reduziu a estimativa para o crescimento da economia brasileira em 2009 pela segunda vez seguida, mas também espera inflação mais moderada no próximo ano.

De acordo com levantamento do Banco Central divulgado nesta segunda-feira, o país deve crescer 3,5% em 2009, levemente abaixo dos 3,55% estimados na semana anterior. Para a inflação, a estimativa é de que o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) alcance 4,85% em 2009, pouco abaixo dos 4,9% estimados anteriormente.

(Com informações de AFP, Reuters e Valor Online)
Link to comment
Share on other sites

 

Dr. Calvin, você esqueceu dessa pérola recente? 06

Lula critica pacote de ajuda dos EUA e diz que "eles" têm que resolver crise

27/09/2008

 

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado que a

responsabilidade por resolver a crise econômica mundial é

"exclusivamente" dos EUA e fez críticas ao plano de US$ 700 bilhões para ajudar as instituições financeiras americanas.

 

"Quando eles [os EUA] ganham muito dinheiro, o dinheiro fica só com

eles. Agora, quando eles têm um prejuízo, eles querem repartir [o

problema] com o povo pobre do resto do mundo. Eu não tenho culpa se

eles fizeram da economia deles um jogo de cassino. Agora, eles têm mais

que resolver a crise deles e não deixar que isso chegue ao Brasil",

disse ele, durante participação em comício para a campanha do PT à

prefeitura de Guarulhos (Grande São Paulo).

O presidente condenou também a proposta de ajuda financeira, em

discussão no Congresso americano. Segundo Lula, essa ajuda é injusta

para com as famílias que ficaram sem suas casas. "Eles querem ajudar os

bancos e não querem ajudar os pobres. Muitas pessoas ficaram sem as

suas casas com essa crise. Isso tudo foi culpa de um sistema que

resolveu especular com o setor imobiliário", afirmou.

 

Para evitar que a crise atinja o Brasil, Lula afirmou que o país tem

reservas em caixa de US$ 200 bilhões. Ele também afirmou que outra

saída é investir em exportações para a América Latina, o Oriente Médio

e a África, de modo a reduzir a dependência econômica com os EUA.

 

Rayden2008-10-06 15:34:40
Link to comment
Share on other sites

 

 

Como eu disse lá no outro tópico. Até quando o GIverno vai esperar negar um pacote anti-crise?

 

O governo brasileiro têm planos de injetar  USS 1,2 bi,Acho que é esse o valor...

Além de ter criado uma linha de crédito em dólar e ampliar linha de BNDES.

Rafal2008-10-06 17:06:50

Link to comment
Share on other sites

Começou tenso:

 

07/10/2008 - 09h39

Dólar comercial opera em alta; mercado segue nervoso

Da Redação
Em São Paulo

DEshow('180x150',5,8);

1x1.gif

Atualizado às 9h59

O dólar comercial abriu os negócios desta terça-feira em alta, após ter subido 7,53% na sessão anterior e alcançado o maior salto diário desde 1999.

Por volta de 9h55, a moeda avançava 3%, cotada a R$ 2,26 na venda (veja quadro com a cotação do dólar atualizada).

Depois da segunda-feira trágica, em que os mercados mundiais despencaram e no Brasil, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) interrompeu as negociações por duas vezes devido a fortes baixas, os investidores tentam reagir e encontrar um foco de ânimo em meio à crise.

Ontem, o Banco Central e o Ministério da Fazenda anunciaram ações para evitar que os problemas financeiros norte-americanos reflitam no Brasil. Entre as medidas, está o aumento do limite da dedução de compulsórios para R$ 300 milhões, disponibilização de R$ 24 bilhões exclusivos para a compra de carteira de bancos menores e ampliação da linha de crédito para exportações em R$ 5 bilhões.

Outras ações coordenadas para vencer a crise também estão sendo tomadas pelos demais países. O Banco Central da Austrália anunciou o corte na taxa de juros do país em um ponto percentual, para 6% ao ano, para reagir à piora das previsões de crescimento econômico mundial e ao aumento dos custos de financiamento das sociedades bancárias.

A União Européia decidiu elevar a garantia dos depósitos bancários no grupo de 20 mil euros para 50 mil euros.A expectativa é de que esse patamar chegue, por meio de um novo acordo, a 100 mil euros.

O governo britânico discute com instituições financeiras a possibilidade de uma injeção de recursos públicos. Fontes dizem que três grandes bancos, Royal Bank of Scotland, Lloyds TSB e Barclays, estavam em busca de 15 bilhões de libras (US$ 26 bilhões) cada para ajudá-los a enfrentar a crise global.

Mercados
A decisão do banco central australiano de reduzir a taxa de juros animou os mercados asiáticos, cuja maioria fechou em alta. A expectativa é que outros países adotem a mesma medida.

A bolsa de Sydney subiu 1,72%, recuperando-se do pior nível em 3 anos, enquanto o índice Straits Times de Cingapura avançou 0,43%. O índice KOSPI, da Coréia do Sul, subiu 0,54%, enquanto Taiwan teve valorização de 0,34%.

Na contramão, o índice Nikkei de Tóquio terminou em queda de 3%, a 10.155 pontos, patamar mais baixo em cinco anos., enquanto Xangai perdeu 0,73%.
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...