Jump to content
Forum Cinema em Cena
Lucy in the Sky

Você compra DVDs piratas?

Recommended Posts

Wesker... Sinceramente, confesso que ri demais da conta lendo todo o seu post... Fiz questão, pois, confesso², estou com saudade dos papos ridículos de estudanteszinhos revoltados contra a sociedade que aí ficam colocando a culpa de tudo no capital, chamando as empresas de "mafiosos" e por aí vai... Sinceramente², uma parte do seu post só mostra que vc se encaixa exatamente nesse perfil de "pseudo-intelectuais-comunas"... Você ladra e ladra contra o mercado, contra o capital e por aí vai e depois comenta que está vendendo seus box's de seriados... Juro, isso foi hilário, de tão ridículo... É incrível como a inclusão digital vem trazendo pessoas ridículas para a internet... E, aí, auxiliados pelo "pseudo-anonimato" que um fórum de discussão traz, elas se acham no direito de invadir os tópicos com post's infantilóides... Sinceramente³, ridículo... Hilário e ridículo...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nao compro. Nao dou dinheiro pra camelo nem que a vaca tussa. Nao so pq acho que esse tipo de gente é parasita, mas principalmente pq nao sei pra onde vai o meu dinheiro. depois q ele entra no "mercado informal".

 

Eu baixo muito filme. Se eu gosto eu compro.

 

Enquanto a Amazon.com continuar enviando blu-rays pro Brasil eu sigo feliz da vida.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Você ladra e ladra contra o mercado' date=' contra o capital e por aí vai e depois comenta que está vendendo seus box's de seriados...[/quote']Talvez porque um dia eu acreditei numa ideologia antiquada e preferi, ingenuamente, indulgir as vontades da mesma? Eu já não compro mais nada há uns bons anos, e por essas (e outras razões) que estou vendendo o que comprei. Logo, seu raciocínio/ironia são falhos.

 

Eu acredito que o tópico se preste a discutir (contra) as ideologias torpes do sistema (capitalista burocrático imperialista), como o Direito Autoral na sua instância atual (de super-direitos, formação de conglomerados com preços "tabelados" - que vai contra a ideologia do livre comércio de fato imposto pelo mercantilismo).

 

Não se está discutindo quem viola a lei ou não, mas que a lei é errada, tanto ideologicamente, como na prática. A lei é boa sim, mas pras corporações do Grande Capital, pras multinacionais (já que as mesmas impuseram na marra ou compraram os políticos pra votar suas "leis de aluguel"), mas não pra grande sociedade.

 

Lanço aqui uma pergunta: essas leis de Direito Autoral, sejam as de 1998, sejam as de 2003, foram discutidas amplamente por toda a sociedade brasileira e depois aprovadas amplamente pela maioria simples da sociedade (50%+1), através de plebiscito antes de serem promulgadas?

 

Me respondam isso! 01

 

Se não foram, qual a moral das mesmas? Qual a sua validade real? Validade moral?

 

Afinal, o que é o conceito de valoridade moral? Quando você assina um contrato, você previamente lê todas as cláusulas dele, seus direitos e deveres, e assina embaixo concordando. Isso é validade moral.

 

Todas as leis deveriam ter, ou seja, o povo discutir (contrato) elas e depois votar pra que sejam aprovadas ou não, através de plebiscito (assinatura do contrato - aqui o mesmo é a tal da "lei"), dizendo se aceitam a maioria ou não.

 

Isso aconteceu? 17

 

Se não, como numa suposta, romanceada e propagandeada "democracia", eles podem dizer que é lei porque é "pela vontade do povo", para o bem do povo e da sociedade? Tem leis que não são vontade do povo. São de uma minoria, a burguesia, que controla o governo e a mídia. Aliás, controlam tudo, menos o livre arbítrio e a opinião da sociedade.

 

Então não comecem a desvirtuar as coisas, o assunto aqui não é esse: "quem pirateia", "quem pirateia mais", "quem não cumpre a lei". Existem dezenas de sites, fóruns e comunidades no Orkut com esse teor panfletário e didático sobre a pirataria.

 

Quero acreditar que nessas rodas de discussão pelo menos uma parte das pessoas se reunam desgostosas de como as coisas "são", com as leis, com o sistema e os grupos de poder que comandam os políticos. E não aceitam sua imposição seca e ideologia unilateral.

 

O que é bom pra eles tem que ser bom pra nós. Se é bom pra eles vender suas quinquilharias, também deveria ser bom pra nós as comprar. Isso é a lei da reciprocidade, base de uma sociedade justa e pacífica.

 

Agora, quando o salário é baixo e um produto é muito caro, absurdo, óbvio que as pessoas podem optar pelo mais barato que encontrarem, e o mais barato pode não ser necessariamente aqueles "aconselhados" pelos grupos d epoder na sociedade. É a lei da oferta e da procura e do mercantilismo.

 

Leva quem oferecer mais por menos. Isso jamais vai mudar, anotem aí. Deus deu o Livre-Arbítrio à suas criaturas, de modo que a tirania e a vilania jamais vencerão o Livre-Arbítrio. Podem se vingar, certamente. Mas vencer é outra coisa.

 

Nota: Eu comprava meus DVDs de filmes todos originais! Mas também não pagava (mesmo naquele tempo) o "preço tabelado" (imposto pelas máfias do Cartel), comprava até um valor X (que geralmente era 1/3 do preço tabelado), em promoções das lojas ou usados de locadoras). Isso porque tinha como conseguir, senão nem compraria o original ou teria o produto.

 

A "lei" na verdade referencia a "censura do capital" à sociedade, socialmente excluindo a população (dizendo quem pode ter acesso à cultura e entretenimento e quem não pode - e quem não puder, dane-se), criando-se um aparthaid social legal instituído pelo "governo" (já que é empregado do capital).

 

E falando em ironia: artist

 

- Sabiam que vários personagens da Disney são recriações de lendas e obras de domínio público? Robin Hood, Cinderela, Peter Pan, Pinóquio, Alice no País das Maravilhas, 101 Dálmatas, Branca de Neve, A Bela Adormecida, A Dama e o Vagabundo, etc.

 

Será que Walt Disney teria sido o gênio que foi sem o domínio público?

 

Pois é, vindo da mesma Disney que em 1998 fez seu $$$$$ lobby $$$$$ e conseguiu prorrogar nos EUA a expiração desses mesmos direitos de 75 pra 95 anos, mesmo sem registro do autor, só porque o Mickey cairia em domínio público (em 2003).

 

- Que 94% dos filmes, livros e músicas produzidos entre as décadas de 20 e 40 não estão disponíveis comercialmente? Os autores nem estão vivos pra impedir ou autorizar, mas sempre haverá alguma editora picareta de plantão pra processar quem fizer sem pedir autorização, impedindo que se publique, traduza ou readapte.

 

Aonde há justiça real nisso tudo? 01

 

É tudo vilania e tirania institucionalizados (legalizados).

 

Procurem saber mais sobre a história do direito autoral, de como a mesma foi criminosa e malandramente prolongada durante os últimos 2 séculos e depois voltem aqui...

 

OBS: Sobre "nada justificar a pirataria", veja uma modesta pesquisa que confirma exatamente o contrário do que os dinossauros imaginam:

http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL1188413-6174,00.html

Na época que tive acesso aos downloads conheci muita coisa que nunca imaginava, comprei como nunca antes produtos originais (num ritmo muito maior), quando ainda tinham alguma qualidade e custavam bem mais que hoje (que não sai mais nada também que interesse ou valha a pena, ao menos no Brasil).

 

Com a diferença que agora o velho modelo de negócios desse pessoal está sendo cada vez mais rejeitado. Choramingam contra a revolução tecnológica (não só da internet). E não reconhecem que pararam no tempo. 03

 

Poderia dar mil exemplos aqui, mas vou dar um mais prático (a imagem diz tudo). Não seria mais inteligente, ao invés de perseguir os usuários, tentar aproveitar e ganhar, ainda que menos, com a tecnologia?

 

Já deram o primeiro passo pra isso:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u676501.shtml

 

Não é preferível que algo assim seja aprovado do que uma lei inócua querendo punir quem faz downloads?

 

 

series-mais-baixadas.jpg

 

 

Sobre o salário ser 500 reais, vejam que até alguém que deve ganhar bem como o William Bonner, reclama do preço dos Blu-rays daqui:

 

 

bonner_2Dblu_2Dray_small.jpg

Wesker2010-01-12 14:55:52

Share this post


Link to post
Share on other sites

A questão do povo votar todas as leis... Acho q vc não conhece o regime político vigente no Brasil... É uma democracia representativa... O povo vota em pessoas q ele considera aptas para legislarem em seu benefício... O problema é q o povo brasileiro não reinvindica porra nenhuma... E ainda por cima ainda coloca alguns filhos da puta canalhas como Fernando Collor de Mello de volta no poder, e mantém desgraçados nepotistas como Sarney no Senado...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nossa, de divertido, o tópico começa a ficar chato... Ele não foi criado com o fito de discutir direitos autorais, viabilidade e aplicabilidade da lei, pelamordedeus...

DVD pirata tem qualidade inferior aos DVDs originais. PONTO. E só isso já é razão suficiente para se fugir deles.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Não confunda as coisas caro "comuna"...

 

Eu continuo sendo da turma do "Eu sou contra... É isso... É aquilo..."

 

Nada justifica a pirataria...

 

Caro sunderhus

 

Não estou confundindo nada, sei que você é da turma de lá... (Ahhhh)

Porém aquilo que você escreveu sobre sobre os preços, eu concordo que é um dos caminhos (não o único) que deveria ser seguido pelas distribuidoras.

 

Quanto ao "comuna" não sou comunista, embora viva em cidade operária e o sindicato tem uma grande influência na região.

E..., também as lutas da sociedade hoje são outras, já não existem mais as grandes bandeiras para que tenhamos que travar as velhas e antigas lutas, hoje as bandeiras são diferentes, hoje lutamos pelo direito de Ir e Vir, pelo direito do Vale Transporte, pela não Poluição, etc.

As lutas de hoje realmente são bem diferentes das antigas, pois antes viviamos em uma Ditadura Militar, faziamos greves, passeatas, etc...

Embora as greves alardeavam que que lutavamos por melhores salários, no fundo os mais politizados sabiam que, o que queriamos mesmo era minar a Ditadura, tirar os Militares do Poder, os Torturadores daqueles que divergiam de suas idéias.

Hoje vivemos numa Democracia, as antigas lutas, hoje em dia não fazem mais sentido, mas nem por isso devemos deixar de ler e estudar:

Karl Heinrich Marx

Frederik Engels

Karl Kautski (mais importante intérprete de Karl Marx.)

Ferdinand Lassalle (Alemão)

Rosa Luxemburgo

Eduard Bernstein

Leon Trótski

Stalin

Até mesmo Adolph Hitler.

E outros os quais não me lembro agora.

Como não podemos também deixar de ler sobre alguns líderes da América:

Che Guevara, Fidel, Kennedy, Hugo Chávez, Evo Morales, Lula (Brasil), isto não nos torna comuna (como você disse), quando citamos algum fato ocorrido com os grandes vultos, isto são apenas citações históricas.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Nossa' date=' de divertido, o tópico começa a ficar chato... Ele não foi criado com o fito de discutir direitos autorais, viabilidade e aplicabilidade da lei, pelamordedeus...

DVD pirata tem qualidade inferior aos DVDs originais. PONTO. E só isso já é razão suficiente para se fugir deles.
[/quote']

 

Particularmente, eu já acho q o tópico se prestar apenas a essas questões de qualidade menor e coisa e tal faz com que tudo fique muito superficial... Acho que podemos sim aprofundar a discussão e trazer vários assuntos mais densos à baila da discussão...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Pior que tem. Ou mesmo compra usado' date=' ganha e paga parcelado. Enfim com muito custo mais tem, mas ostentar um acervo de DVD é outra história. Pois é caro sim do ponto de vista das pessoas de baixa renda. E a comparação com os indivíduos  daqui que ganham acima de 1000 reais por mês não é justa e é tão descabida quanto o que postei.  <?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Acho que o valor que falei é próximo do mínimo e não é o valor correto do mínimo.  É tem tanta diferença? Uma diferença de dez reais anula o que postei? E você não respondeu a problemática apresentada deixa de enrolar.

 

E sim boa parte da população recebe isto mesmo ou até menos. E estes indivíduos sim compram DVD pirata. Falo com conhecimento de causa, pois trabalho com pesquisa que avalia o rendimento médio do brasileiro.

 

Se eu sou recordista de perder a chance de ficar com o bico fechado e você é recordista de deixar a tampa da latrina aberta.

[/quote']

 

Se tem, está tirando dinheiro do sustento da família para prazeres que são dispensáveis (e falo isso com dor no coração pois sou viciado em assistir filmes), portanto merecem passar sufoco com dinheiro e serem "obrigados" a comprar DVDs piratas.

 

A problemática que vc apontou é meramente retórica. R$ 12,90 num disco digital com autoração impecável para o formato, som digital multicanal e imagem digital é barato, sendo irrelevante a perspectiva do povo de baixa renda, uma vez que a única perspectiva que importa é o preço de mercado cobrado por aquele produto. Isto é fato, não adianta vc ficar relinchando como um menino mimado, dando uma de poser que acha que o governo é mal, tergiversando a conversa para outro campo.

 

Seu trabalho de pesquisa não tem servido pra nada pelo visto, já que ele tem falhado miseravelmente em te apontar o cerne da questão: as pessoas de baixa renda escolhem comprar DVDs piratas. Elas não são obrigadas a isso. O lazer não está restrito a assistir filmes em formato digital. Conheço gente que não tem dinheiro pra gastar com DVDs e ainda assiste seus filmes gravados na TV no bom e velho VHS.

 

Quanto à latrina, a verdade costuma feder... e muito, principalmente para idiotas como você que insistem em viver num mundinho paralelo onde a idéia da anarquia resolve todos os problemas intrínsecos e extrínsecos da humanidade. Portanto, permanecerei com a tampa aberta sempre que você estiver por perto, cappicce?

 

03

 

Não disse o que são obrigados a comprar DVDs piratas e sim que são mais acessíveis e viáveis do que as promoções de 12,90. Enquanto você compra um DVD por apenas 12,90 em uma loja americana da vida o mesmo indivíduo compra três em um shopping popular .  E sim é claro que isto não o impede de comprar um original de 12,90 se possível. Contudo, isto vai depender do orçamento. E se o indivíduo não tiver um décimo terceiro da vida ou outro meio de reduzir os gastos? Talvez até deixa de comprar até mesmo o pirata, porém o que impediria ele de comprar um filme pirata do que o original?

Outro erro grotesco é dizer que a perspectiva deles é nula ou irrelevante. Discordo veemente, já ao modo deles, nos é que estamos errados. Afinal que louco gasta entorno de aproximadamente 250 reais para comprar produtos originais? Não tem o mesmo valor de estima e isto conta sim senhor. Eles não poderiam e nem querem pagar caro por uma coisa que pagam barato e logo é descartado por eles. Nos que somos cinéfilos por outro lado até pagaríamos mais dependendo do produto. Um exemplo disto é o DVD do Akira, logo que saiu aqui em 2007 com a versão original em fullscreen e a restaurada em wide junto com a camiseta e com um pôster, tudo ficou em torno de quase 200 reais. Eu comprei. Já que adoro a obra de Katsuhiro Otomo, mas eu sou um dos poucos. Acho que até mesmo os cinéfilos mais chatos não pagam dois DVDs por um mesmo filme.  Mas como sou fã assumido desta obra achei que o preço valeria e valeu.

 Isto é o meu ponto de vista do que acho que devo fazer com o meu dinheiro, para a minha satisfação. Nem todos aqui pagariam para ter o Episódio II de Star Wars, Dokan. Ou eu estou enganado? E isto conta com relação à pirataria discutida aqui.  Uma vez que nem todos amam de verdade o cinema, vivemos em uma sociedade consumista sem freios. Você pagaria pelos seus amados filmes, mas o outro não. Você talvez não acharia justo e não pagaria por uma roupa da Calvin Klain, mas o outro sim.  A boa parte do sucesso de vendas da Coca Cola tem seu poder no mundo todo não é por fazer uma guerra besta com as outras marcas e desmoralizar os consumidores chaves e sim em mostra seu encanto com o seu produto. Em suma é o valor de estima bem divulgado conquista o público, para o DVD conquistar o público como vocês gostariam seria preciso investir em um bom marketing e não em propagandas e posições violentas de opinião criminalizando o seu público alvo. Isto só favorece e reforça mais ainda a força do mercado paralelo e a perda do público.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Você ladra e ladra contra o mercado, contra o capital e por aí vai e depois comenta que está vendendo seus box's de seriados...
Talvez porque um dia eu acreditei numa ideologia antiquada e preferi, ingenuamente, indulgir as vontades da mesma? Eu já não compro mais nada há uns bons anos, e por essas (e outras razões) que estou vendendo o que comprei. Logo, seu raciocínio/ironia são falhos.

Eu acredito que o tópico se preste a discutir (contra) as ideologias torpes do sistema (capitalista burocrático imperialista), como o Direito Autoral na sua instância atual (de super-direitos, formação de conglomerados com preços "tabelados" - que vai contra a ideologia do livre comércio de fato imposto pelo mercantilismo).

Não se está discutindo quem viola a lei ou não, mas que a lei é errada, tanto ideologicamente, como na prática. A lei é boa sim, mas pras corporações do Grande Capital, pras multinacionais (já que as mesmas impuseram na marra ou compraram os políticos pra votar suas "leis de aluguel"), mas não pra grande sociedade.

Lanço aqui uma pergunta: essas leis de Direito Autoral, sejam as de 1998, sejam as de 2003, foram discutidas amplamente por toda a sociedade brasileira e depois aprovadas amplamente pela maioria simples da sociedade (50%+1), através de plebiscito antes de serem promulgadas?

Me respondam isso! 01

Se não foram, qual a moral das mesmas? Qual a sua validade real? Validade moral?

Afinal, o que é o conceito de valoridade moral? Quando você assina um contrato, você previamente lê todas as cláusulas dele, seus direitos e deveres, e assina embaixo concordando. Isso é validade moral.

Todas as leis deveriam ter, ou seja, o povo discutir (contrato) elas e depois votar pra que sejam aprovadas ou não, através de plebiscito (assinatura do contrato - aqui o mesmo é a tal da "lei"), dizendo se aceitam a maioria ou não.

Isso aconteceu? 17

Se não, como numa suposta, romanceada e propagandeada "democracia", eles podem dizer que é lei porque é "pela vontade do povo", para o bem do povo e da sociedade? Tem leis que não são vontade do povo. São de uma minoria, a burguesia, que controla o governo e a mídia. Aliás, controlam tudo, menos o livre arbítrio e a opinião da sociedade.

Então não comecem a desvirtuar as coisas, o assunto aqui não é esse: "quem pirateia", "quem pirateia mais", "quem não cumpre a lei". Existem dezenas de sites, fóruns e comunidades no Orkut com esse teor panfletário e didático sobre a pirataria.

Quero acreditar que nessas rodas de discussão pelo menos uma parte das pessoas se reunam desgostosas de como as coisas "são", com as leis, com o sistema e os grupos de poder que comandam os políticos. E não aceitam sua imposição seca e ideologia unilateral.

O que é bom pra eles tem que ser bom pra nós. Se é bom pra eles vender suas quinquilharias, também deveria ser bom pra nós as comprar. Isso é a lei da reciprocidade, base de uma sociedade justa e pacífica.

Agora, quando o salário é baixo e um produto é muito caro, absurdo, óbvio que as pessoas podem optar pelo mais barato que encontrarem, e o mais barato pode não ser necessariamente aqueles "aconselhados" pelos grupos d epoder na sociedade. É a lei da oferta e da procura e do mercantilismo.

Leva quem oferecer mais por menos. Isso jamais vai mudar, anotem aí. Deus deu o Livre-Arbítrio à suas criaturas, de modo que a tirania e a vilania jamais vencerão o Livre-Arbítrio. Podem se vingar, certamente. Mas vencer é outra coisa.

Nota: Eu comprava meus DVDs de filmes todos originais! Mas também não pagava (mesmo naquele tempo) o "preço tabelado" (imposto pelas máfias do Cartel), comprava até um valor X (que geralmente era 1/3 do preço tabelado), em promoções das lojas ou usados de locadoras). Isso porque tinha como conseguir, senão nem compraria o original ou teria o produto.

A "lei" na verdade referencia a "censura do capital" à sociedade, socialmente excluindo a população (dizendo quem pode ter acesso à cultura e entretenimento e quem não pode - e quem não puder, dane-se), criando-se um aparthaid social legal instituído pelo "governo" (já que é empregado do capital).

E falando em ironia: artist

- Sabiam que vários personagens da Disney são recriações de lendas e obras de domínio público? Robin Hood, Cinderela, Peter Pan, Pinóquio, Alice no País das Maravilhas, 101 Dálmatas, Branca de Neve, A Bela Adormecida, A Dama e o Vagabundo, etc.

Será que Walt Disney teria sido o gênio que foi sem o domínio público?

Pois é, vindo da mesma Disney que em 1998 fez seu $$$$$ lobby $$$$$ e conseguiu prorrogar nos EUA a expiração desses mesmos direitos de 75 pra 95 anos, mesmo sem registro do autor, só porque o Mickey cairia em domínio público (em 2003).

- Que 94% dos filmes, livros e músicas produzidos entre as décadas de 20 e 40 não estão disponíveis comercialmente? Os autores nem estão vivos pra impedir ou autorizar, mas sempre haverá alguma editora picareta de plantão pra processar quem fizer sem pedir autorização, impedindo que se publique, traduza ou readapte.

Aonde há justiça real nisso tudo? 01

É tudo vilania e tirania institucionalizados (legalizados).

Procurem saber mais sobre a história do direito autoral, de como a mesma foi criminosa e malandramente prolongada durante os últimos 2 séculos e depois voltem aqui...

OBS: Sobre "nada justificar a pirataria", veja uma modesta pesquisa que confirma exatamente o contrário do que os dinossauros imaginam:
http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL1188413-6174,00.html

Na época que tive acesso aos downloads conheci muita coisa que nunca imaginava, comprei como nunca antes produtos originais (num ritmo muito maior), quando ainda tinham alguma qualidade e custavam bem mais que hoje (que não sai mais nada também que interesse ou valha a pena, ao menos no Brasil).

Com a diferença que agora o velho modelo de negócios desse pessoal está sendo cada vez mais rejeitado. Choramingam contra a revolução tecnológica (não só da internet). E não reconhecem que pararam no tempo. 03

Poderia dar mil exemplos aqui, mas vou dar um mais prático (a imagem diz tudo). Não seria mais inteligente, ao invés de perseguir os usuários, tentar aproveitar e ganhar, ainda que menos, com a tecnologia?

Já deram o primeiro passo pra isso:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u676501.shtml

Não é preferível que algo assim seja aprovado do que uma lei inócua querendo punir quem faz downloads?


series-mais-baixadas.jpg


Sobre o salário ser 500 reais, vejam que até alguém que deve ganhar bem como o William Bonner, reclama do preço dos Blu-rays daqui:


bonner_2Dblu_2Dray_small.jpg

 

Assino em baixo.  O que mais incomoda não é a ilegalidade e sim o livre acesso a informação, tanto que na França se não me engano foi aprovada a lei que impede o livre acesso a internet assinada pela Carla Brunni, que impede baixar conteúdos não pagos.  Isto só é o começo de uma mentalidade conservadora, que avança alavancada de uma Europa cada vez mais segregada. É obvio não percebe quem não quer. Acha que as elites querem um populacho com acesso a todo o tipo de informação? Não, para que. Para em um futuro todos os homens livres saberem que tem mais poder como massa do que poderiam imaginar. O conhecimento ao longo da história sempre foi abominado, justamente por ser um caminho para criar mentalidades que questionam o poder que os governam.

<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Tecnologia > Parlamento francês aprova polêmica lei antipirataria

Extraído de Reuters - 3 meses atrás (22 de setembro de 2009 às 15:04 hs.)

Por Emile Picy

PARIS (Reuters) - A polêmica lei antipirataria da França que prevê a suspensão, pelas autoridades, da conexão de internautas que fizerem download ilegal foi ratificada no parlamento nesta terça-feira. No entanto, a oposição anunciou que contestará a lei na Justiça.

O Partido Socialista, da oposição, que já tinha levado a primeira versão da chamada lei "Hadopi" à Justiça, afirmou que irá formalizar uma nova contestação.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, não mediu esforços para incentivar a aprovação do projeto, e contou com o apoio das indústrias de música e cinema, que alegam um prejuízo de milhões de euros devido a downloads ilegais na Internet.

Mas a lei, que criará um novo órgão regulador com poderes de investigação sobre internautas suspeitos e de fazer recomendações de medidas a serem tomadas, tem sido muito criticada por grupos de proteção ao consumidor e da oposição.

Os críticos afirmam que a lei não será eficaz no combate a piratas específicos, e apenas irá impor punições desnecessariamente severas sobre o internauta comum.

A versão anterior da lei foi bastante amenizada.

O ministro da Cultura, Frederic Mitterrand, afirmou que espera que o principal efeito da lei seja de dissuadir o download ilegal de conteúdo.

Leia a notícia completa aqui

 

Leia mais

·      Parlamento francês aprova lei antipirataria

·      Parlamento francês aprova legislação antipirataria

·      Parlamento francês adia votação de lei contra pirataria online

·      Tribunal francês limita polêmica legislação antipirataria

·      Lei antipirataria entra em vigor nos Estados Unidos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não disse o que são obrigados a comprar DVDs piratas e sim que são mais acessíveis e viáveis do que as promoções de 12' date='90. Enquanto você compra um DVD por apenas 12,90 em uma loja americana da vida o mesmo indivíduo compra três em um shopping popular .  E sim é claro que isto não o impede de comprar um original de 12,90 se possível. Contudo, isto vai depender do orçamento. E se o indivíduo não tiver um décimo terceiro da vida ou outro meio de reduzir os gastos? Talvez até deixa de comprar até mesmo o pirata, porém o que impediria ele de comprar um filme pirata do que o original?[/quote']

Compra três DVDs o quê? Originais ou piratas?

 

E não vai depender do orçamento coisa alguma... vai depender do quanto o cara quer gastar com esse tipo de coisa.

 

Outro erro grotesco é dizer que a perspectiva deles é nula ou irrelevante. Discordo veemente' date=' já ao modo deles, nos é que estamos errados. Afinal que louco gasta entorno de aproximadamente 250 reais para comprar produtos originais? Não tem o mesmo valor de estima e isto conta sim senhor. Eles não poderiam e nem querem pagar caro por uma coisa que pagam barato e logo é descartado por eles. Nos que somos cinéfilos por outro lado até pagaríamos mais dependendo do produto. Um exemplo disto é o DVD do Akira, logo que saiu aqui em 2007 com a versão original em fullscreen e a restaurada em wide junto com a camiseta e com um pôster, tudo ficou em torno de quase 200 reais. Eu comprei. Já que adoro a obra de Katsuhiro Otomo, mas eu sou um dos poucos. Acho que até mesmo os cinéfilos mais chatos não pagam dois DVDs por um mesmo filme.  Mas como sou fã assumido desta obra achei que o preço valeria e valeu.[/quote']

É nula e irrelevante dentro do contexto que estamos discutindo. O preço de um produto é avaliado de acordo com os custos que foram gerados pela sua produção/fabricação e não de acordo com quanto o cara que quer comprá-lo ganha por mês. Hoje é absurdo que um DVD duplo custe R$ 60,00, pois o custo de fabricação dos discos caiu muito com o passar dos anos. Por isso, quando vejo este preço num DVD duplo lançamento, fujo correndo, pois sei que o preço está supervalorizado... E isto não tem absolutamente nada a ver com quanto eu ganho, já que eu, pessoalmente, tenho condiçõe$ de pagar R$ 60,00 num DVD duplo. Não o faço pq não quero. Simples assim.

 

E as pessoas de baixa renda não tem motivo algum para dizer que, "ao modo deles" (sic), estamos errados. Estamos errados porquê?

 

E a sua análise continua trôpega... eles podem pagar mais barato por algo ORIGINAL, se quiserem... Basta ir a qualquer Americanas, como já foi dito. Optar por pagar mais barato por algo PIRATA é escolha por algo que transgride as leis e, portanto, é injustificável. Quem ganha pouco não pode se dar ao luxo de ter prazeres que seu dinheiro não consegue bancar de forma lícita. Esta é a lei da vida. Eu adoraria fazer cruzeiros uma vez a cada 3 meses e viajar de avião pelo menos uma vez por mês. Mas não tenho dinheiro pra isso, logo, me abstenho de tentar "jeitinhos" só pq eu tenho direito a um pouco de lazer.

 

Isto é o meu ponto de vista do que acho que devo fazer com o meu dinheiro' date=' para a minha satisfação. Nem todos aqui pagariam para ter o Episódio II de Star Wars, Dokan. Ou eu estou enganado? E isto conta com relação à pirataria discutida aqui.  Uma vez que nem todos amam de verdade o cinema, vivemos em uma sociedade consumista sem freios. Você pagaria pelos seus amados filmes, mas o outro não. Você talvez não acharia justo e não pagaria por uma roupa da Calvin Klain, mas o outro sim.  A boa parte do sucesso de vendas da Coca Cola tem seu poder no mundo todo não é por fazer uma guerra besta com as outras marcas e desmoralizar os consumidores chaves e sim em mostra seu encanto com o seu produto. Em suma é o valor de estima bem divulgado conquista o público, para o DVD conquistar o público como vocês gostariam seria preciso investir em um bom marketing e não em propagandas e posições violentas de opinião criminalizando o seu público alvo. Isto só favorece e reforça mais ainda a força do mercado paralelo e a perda do público. [/quote']

 

As pessoas só não comprariam Episódio II hoje pq consideram o filme ruim. Caro, ele não está de jeito nenhum.

 

Quanto ao restante do post, vc começa a querer chegar onde já estamos faz teeeeeempo... As pessoas que compram DVDs piratas não amam o cinema como nós amamos. DVD pirata é um produto inferior ao original (fato) e as pessoas que optam por ele sabem disso (ou deveriam saber). Portanto, botar a culpa no mercado é prosopopéia flácida para acalentar bovinos.

 

Quanto ao Calvin Klein, não compro por causa do preço alto. Mas não vou correr atrás de uma Calvin Klein pirata. Comprarei uma calça de marca mais barata.  

Share this post


Link to post
Share on other sites
Um exemplo disto é o DVD do Akira' date=' logo que saiu aqui em 2007 com a versão original em fullscreen e a restaurada em wide junto com a camiseta e com um pôster, tudo ficou em torno de quase 200 reais. Eu comprei. Já que adoro a obra de Katsuhiro Otomo, mas eu sou um dos poucos. Acho que até mesmo os cinéfilos mais chatos não pagam dois DVDs por um mesmo filme.  Mas como sou fã assumido desta obra achei que o preço valeria e valeu.[/quote']

 

À nível de informação, o DVD do Akira, que você se refere, é a edição especial limitada, em lata e com camisa? Não me recordo o preço de lançamento, mas não foi nem perto de R$200,00. lembro-me que esgotou muito rapidamente. Foi lançada, então, uma segunda leva e esgotou novamente. Chegou a custar por volta de R$59,90 na Saraiva.

 

Hoje, você ainda encontra no Mercado Livre. Mas nem lá está custando os R$200,00 que você mencionou: R$120,00, ou seja, 40% menos do valor que você disse ter pago.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

As pessoas que compram DVDs piratas não amam o cinema como nós amamos.

 

Não, elas podem amar mais ou menos do que vocês. O amor ao cinema não tem nada a ver com isso.

 

Tem gente que ama o cinema loucamente e não gosta de colecionar DVD´s.

 

O que eu faço é o seguinte. Vejo o filme no cinema ou baixo em 720p. Se não gosto ou não vou querer rever, deleto. Se gosto razoavelmente, gravo o arquivo em mídia. Se gosto extremamente, compro o BD.

 

É ilegal? Foda-se.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Foi isso que eu quis dizer, tá lá escrito... O resto é punheta mental sua... comportamento recente e estranho vindo de ti que, sabe-se lá pq, tá virando hábito já... Dr. Calvin2010-01-13 11:25:10

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

esta cada vez mais engraçado isso aqui.....

 

O cara se porta como um "comuna"' date=' como diz o sunder, se indigna com o mundo capitalista e usa o exemplo do W. Bonner...

 

06060606060606060606060606060606060606060606060606

 

 

[/quote']

 

Então... Mais "pseudo-comuna" impossível...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

OBS: Sobre "nada justificar a pirataria"' date=' veja uma modesta pesquisa que confirma exatamente o contrário do que os dinossauros imaginam:
http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL1188413-6174,00.html
[/quote']

Pesquisa que não reflete o gosto do povo brasileiro por exemplo. Veja qual é a explicação para o "fenômeno":

 

"Segundo BianRosa, isso ocorre porque, além dos altos preços cobrados pela versão online, os consumidores avaliam o valor agregado ao produto offline, que conta com itens especiais como edições caprichadas para colecionadores, com caixas e extras que não costumam acompanhar o conteúdo oferecido online. "

 

Basta ver como são as edições brasileiras para rir dessa matéria, além é claro, de considerar que grande parte do consumidor não é tão exigente assim. Muitos querem apenas "ver o filme" e não estão nem aí para extras, luvas, formato de tela, etc. Sem falar do preço dessas edições especiais, se até as edições comuns já acham caro..

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vale a pena reforçar que assistir filmes de maneira diferente da que é adotada pelos geeks do cinema não significa não gostar de filmes de verdade. Eu tenho uma paixão pelo cinema desde os 14 anos, e inicialmente assistia filmes na TV, mesmo havendo a opção menos ruim, que era o VHS. Eu ficava acordada até de madrugada assistindo filmes. Dormi mal durante uma semana, por causa de um especial com filmes de Hitchcock no Corujão.

 

Além de ter feito cadastro em várias locadoras, inclusive longe da minha casa, e ter alugado filmes toda semana, ou até duas vezes por semana, quando eu tive tempo. E eu acompanhava a SET, que no início era minha única fonte de informação sobre o cinema. É óbvio que tudo isso junto é uma atitude de quem adora o cinema.

 

Não dá pra resumir o amor pelo cinema ao comportamento de certas pessoas. Existem diferentes comportamentos dentro daquele mundo onde as pessoas amam o cinema. Algumas vivem buscando notícias, outras não. Algumas detêm conhecimentos técnicos, outras não. Algumas conhecem bem a obra dos diretores medalhões, outras não... Mesmo assim todas elas podem ser apaixonadas pelo cinema.

 

 

Isto é o meu ponto de vista do que acho que devo fazer com o meu dinheiro' date=' para a minha satisfação. Nem todos aqui pagariam para ter o Episódio II de Star Wars, Dokan. Ou eu estou enganado? E isto conta com relação à pirataria discutida aqui.  Uma vez que nem todos amam de verdade o cinema, vivemos em uma sociedade consumista sem freios. Você pagaria pelos seus amados filmes, mas o outro não. Você talvez não acharia justo e não pagaria por uma roupa da Calvin Klain, mas o outro sim.  A boa parte do sucesso de vendas da Coca Cola tem seu poder no mundo todo não é por fazer uma guerra besta com as outras marcas e desmoralizar os consumidores chaves e sim em mostra seu encanto com o seu produto. Em suma é o valor de estima bem divulgado conquista o público, para o DVD conquistar o público como vocês gostariam seria preciso investir em um bom marketing e não em propagandas e posições violentas de opinião criminalizando o seu público alvo. Isto só favorece e reforça mais ainda a força do mercado paralelo e a perda do público. [/quote']

As pessoas só não comprariam Episódio II hoje pq consideram o filme ruim. Caro' date=' ele não está de jeito nenhum.

 

Quanto ao restante do post, vc começa a querer chegar onde já estamos faz teeeeeempo... As pessoas que compram DVDs piratas não amam o cinema como nós amamos. DVD pirata é um produto inferior ao original (fato) e as pessoas que optam por ele sabem disso (ou deveriam saber). Portanto, botar a culpa no mercado é prosopopéia flácida para acalentar bovinos.

 

Quanto ao Calvin Klein, não compro por causa do preço alto. Mas não vou correr atrás de uma Calvin Klein pirata. Comprarei uma calça de marca mais barata.  
[/quote']

O que o Pluto quis dizer com o exemplo da calça é que as prioridades das pessoas são diferentes. Elas acham importante pagar caro por uma coisa e não por outra. Aí entra a crítica sobre a forma como o problema é abordado. Daria mais resultado usar uma linguagem sedutora, buscando alcançar as pessoas que podem pagar por DVDs originais, e convencê-las de que elas precisam deles, o que a propaganda tem o poder de fazer.

 

Será que as pessoas comprariam tanta Coca Cola se fossem agredidas pelas propagandas? Comprar Pepsi não é o mesmo que comprar DVD pirata. Não é ilegal nem pode ser considerado imoral, mas não importa, porque ninguém gosta de ser agredido, então não são propagandas ofensivas que vão mudar a atitude de quem prefere comprar DVD pirata ou baixar filmes.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas, olha só... Td bein... Eu me recuso a pagar mais do q 50 reais em uma calça... Blza... Mas, isso não vai me levar a comprar uma "calça pirata"... Eu simplesmente vou pegar e comprar uma calça mais barata, não necessariamente que tenha menor qualidade, uma vez que na questão de roupas, muitas vezes se paga mais o preço da marca do que a qualidade do tecido em si... Já quando o assunto são os "dvd's piratas", as coisas são bem diferentes... Só não enxerga isso, quem não quer...

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Vale a pena reforçar que assistir filmes de maneira diferente da que é adotada pelos geeks do cinema não significa não gostar de filmes de verdade. Eu tenho uma paixão pelo cinema desde os 14 anos' date=' e inicialmente assistia filmes na TV, mesmo havendo a opção menos ruim, que era o VHS. Eu ficava acordada até de madrugada assistindo filmes. Dormi mal durante uma semana, por causa de um especial com filmes de Hitchcock no Corujão. [/quote']

 

Assistir filmes na TV tem um quê de coisa familiar... Além do mais, há 15 anos, vc só tinha três opções para ver filmes: cinema, VHS (o pior de todos, em relação à variedade de filmes) e televisão (na época, a melhor pedida).

 

Era um outro momento, um outro contexto... Nem se compara com hoje.


Não dá pra resumir o amor pelo cinema ao comportamento de certas pessoas. Existem diferentes comportamentos dentro daquele mundo onde as pessoas amam o cinema. Algumas vivem buscando notícias' date=' outras não. Algumas detêm conhecimentos técnicos, outras não. Algumas conhecem bem a obra dos diretores medalhões, outras não... Mesmo assim todas elas podem ser apaixonadas pelo cinema.[/quote']

 

Vocês estão querendo fragmentar algo que não tem como fragmentar... DVDs piratas tem imagem inferior, som inferior, TUDO inferior... Posso até gostar de filmes (se não gostasse, não gastaria dinheiro comprando nem DVD pirata), mas até que ponto vai esse relacionamento? Você é um daqueles que acha que filme são duas horas de diversão, pronto acabou? Se sim, desculpe... vc é um ENTUSIASTA de cinema, mas não ADORA, AMA o cinema.



O que o Pluto quis dizer com o exemplo da calça é que as prioridades das pessoas são diferentes. Elas acham importante pagar caro por uma coisa e não por outra. Aí entra a crítica sobre a forma como o problema é abordado. Daria mais resultado usar uma linguagem sedutora' date=' buscando alcançar as pessoas que podem pagar por DVDs originais, e convencê-las de que elas precisam deles, o que a propaganda tem o poder de fazer.
[/quote']

Aí está parte da solução e do problema... Concordo com o lance da prioridade, isso é claro. Porém, o fato de eu não ter como prioridade bancar o preço da uma Calvin Klein, isto não significa (nem justifica) eu ir atrás de uma Calvin fake, mais barata.

Por outro lado, a solução escapa de vocês e vocês voltam ao problema... As produtoras não precisam investir numa propaganda de que as pessoas precisam de DVDs originais... Basta apenas que essas pessoas ponham um DVD original no seu aparelho, comparem com um DVD pirata e vejam a diferença.


Será que as pessoas comprariam tanta Coca Cola se fossem agredidas pelas propagandas? Comprar Pepsi não é o mesmo que comprar DVD pirata. Não é ilegal nem pode ser considerado imoral' date=' mas não importa, porque ninguém gosta de ser agredido, então não são propagandas ofensivas que vão mudar a atitude de quem prefere comprar DVD pirata ou baixar filmes.
[/quote']

 

Vocês continuam saindo do foco do negócio... Propaganda anti-pirataria não instiga ninguém a continuar comprando coisa pirata.

 

Eu baixo filmes... filmes que não foram ou não serão lançados aqui ou foram lançados de forma porca. A propaganda anti-download e todo rubbish sobre o assunto não me instigam de forma alguma a baixar mais filmes por causa disso. Pararei de baixar filmes quando as distribuidoras deste país quintal pararem de nos fazer de otários e lançarem os filmes como eles devem ser lançados.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lembro agora de uma fala do ratinho Remy da OP Ratattouille que é oportuna para a controvérsia "quem compra DVD pirata também ama cinema":

"Se você é aquilo que você come, então eu só quero comer coisas boas"

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

×
×
  • Create New...