Jump to content
Forum Cinema em Cena

Distrito 9


Nostromo
 Share

Recommended Posts

Um grande filme!

 

que não só retrata o etnocentrismo humano, mas o antropocentrismo, ou a forma de camarão e o jeito "animalesco" dos mesmos não nos dá a impressão de serem seres inferiores, e assim passveis de experimentos em prol do nosso bem maior? Ou os donos da márfia mutilando os camarões para com seus pedaços fazerem rituais no intuito de obter seus poderes não é uma clara referência aos cultos tribais em que se matam animais para utilizar de seus poderes místicos? E não acaba tendo a mesma raiz das experimentações, cujo o intuito é obter um conhecimento, uma substância, ou uma técnica que seja um poder a nosso favor? Matar um tigre para obter a sua alma, e fazer testes com um tigre para saber se um remédio tem efeito e quais efeitos tem, podem ser comportamento grotescamente diferentes, mas sustentam-se na mesma raiz. E o que pensamos dos povos de nossa favela? o que falamos deles? basta ver vocês mesmo o que vós falam ao assistir o video de um pai ensinando um filho a sequestrar, certamente seus julgamentos recorrerão a falta de humanidade do tutelo, da ausência de sentimentos, da ignorancia do povo da favela, e por ai vai...

 

O filme é escancarado realmente, bem literal, mas funciona muito bem, a metáfora  do aparthaid, da segunda guerra, estão ali, escancaradas, mas há também ali a nossa mais indigesta natureza, que nos levou e nos leva a cometer atrocidades como o Aparthaid e a Segunda Guerra.

 

 

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 259
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Gostei muito do filme.

 

A história por si só já é bem interessante. O melhor de tudo é que o filme tenta ser levado a sério, evitando descambar para o pipocão descerebrado.

 

E o que dizer dos efeitos visuais? Não há um grão de areia na tela que faça a gente dizer: "que coisa mais fake". Muito bom, mesmo.

 

O maior defeito do filme, para mim, é a câmera excessivamente tremida. Por mais que a idéia fosse uma espécie de documentário, tinha muitas cenas ali que não representavam a perspectiva de nenhuma câmera subjetiva, então nessas cenas não havia a necessidade de se tremer tanto. Saí do cinema com os olhos doloridos (sem exagero algum).

 

E o final do Wikus achei fantástico. Qualquer outro roteiro se entregaria ao clichê da "cura".

 

Curioso foi ver algumas traduções na legenda como BOPE e Caveirão. rs!! =D
Link to comment
Share on other sites

E aqui é um fórum de cinéfilos' date=' natural esmiuçarmos os filmes. Por isso nos separo do "público médio", que não é tão analítico e crítico, por isso acho que o filme funcionou, entreteu e fez pensar quem está acostumado a receber informações apenas de forma mastigada. Pareço arrogante? 06[/quote']

Claro que não, ow!

Faço parte do público médio e as vezes isso é bom pq tu se maravilha com tudo! giggle.gif

 

Um grande filme!

que não só retrata o etnocentrismo humano' date=' mas o antropocentrismo, ou a forma de camarão e o jeito "animalesco" dos mesmos não nos dá a impressão de serem seres inferiores, e assim passveis de experimentos em prol do nosso bem maior? ...

O filme é escancarado realmente, bem literal, mas funciona muito bem, a metáfora  do aparthaid, da segunda guerra, estão ali, escancaradas, mas há também ali a nossa mais indigesta natureza, que nos levou e nos leva a cometer atrocidades como o Aparthaid e a Segunda Guerra.
[/quote']

Exato!!! 101010

É por tudo isso que tu citou que faz de "Distrito 9" um ótimo filme.

Daí que os detalhes técnicos "falhos" as vezes é (quase) relevante diante de tudo que funciona no filme.

 

By the way, acho que dentre os filmes de ficção sobre aliens aqui este é o que mais se aproxima do real, de como nos comportaríamos perante tal situação.

 

Não consigo imaginar a história de Wikus e Christopher e tudo, contada de outra maneira.
Link to comment
Share on other sites

 

Bem, muito tem-se falado dos clichês, mas cá entre nós, 99% dos filmes de terror, suspense, ação e mais já partem da proposta clichê, até mesmo a trilogia do jack sparrow já banha-se de técnicas de sucesso no meio.

 

Mas o que esse filme traz é algo novo, em um enredo clichê, o mal dele é, por exemplo, usar uma fórmula já utilizada, do inicio em que o enredo se utiliza da formula até o fim, por outro filme, como a Mosca. A grande diferença entre um e outro é que na Mosca trata-se da desumanização do protagonista, no Distrito 9 trata-se da humanização das criaturas, e ai reside um abismo de diferença nas propostas, deixando claramente os confrontos das mesmas, que se baseam em idéias opositoras. Uma exalta a vida humana, o humanismo, como o poder mágico em que o cientísta vai perdendo a partir do momento em que se transforma em mosca, já no Distrito 9 é o contrário, nós vamos conhecendo a "humanidade" das criaturas em questão a partir do momento em que o Wikus começa a se transformar em "camarão".

 

  O filmes tem clichês, tem um simbolismo aberto e já bem explorado, até mesmo pelo show do Pink Floyd - The wall, tem situações de apelo emotivo(como no momento em que o Christopher está olhando em profundo desampar pra um de seus especimes destroçado pela pesquisa e rapidamente, ao ouvir o Wikus falar do seu filho, sai do momento de transe e volta a si, o que acaba sendo um simbolo forçoso da ação dos próximos(parentes, amigos, integrantes da etnia) dos que sofreram com as experimentações humanas no holocausto. Mas o motor do filme desenvolve sobre uma questão profunda de nossa humanidade, fazendo desses problemas conseqüências diretas dessas questões, e não somente um implante do diretor para tocar o espectador.

 

Gustavo Adler2009-10-22 08:34:39

Link to comment
Share on other sites

 

A transformação do wikus é interessante na sugestão inerente: "a única coisa que nos separa de um pobre refugiado são as circunstâncias", circunstâncias essas que escapam sempre ao nosso controlo.

 

Os momentos de maior humanidade do filme parecem-me ser aqueles que envolvem o ET que pretende regressar a casa e o seu filho. Existe ali um laço emocional que contrasta em absoluto com o abandono de wikus pela sua família.

 

Excelente filme sci-fi e pena é que haja tão poucos capazes de significar alguma coisa para além da parafernália de efeitos especiais.

 

quiescente2009-10-22 09:33:20

Link to comment
Share on other sites

É estranho que num filme de ficção o que menos chama a atenção seja efeitos especiais fodásticos.
Eles quase se resumem a
nave pairando no céu da África e é claro o tal "transformer"... aff!

Achei que o filme focou mais na relação humano & alien  e não  só humano x alien, como na maioria de filmes tais.
Wikus  é visto como um dos seus pelos camarões, como hibrido pelos humanos, mas é um humano ( a famigerada rosa que o diga) e o único que acabase  conscientizando disso é Chris.

 

Aqui os camarões tb se preocupam com os seus, tb enganam, barganham, negociam... igualzinhos aos humanos.

Não somos tão diferentes deles, só na casca.
MariaShy2009-10-22 10:12:11
Link to comment
Share on other sites

Sabe o que?!

Cada vez mais se tem esmiuçado filmes, separando partes positivas de negativas, boas de ruins, o que funcionou  e não...aff!

Sei lá, bom é ver um filme como um todo sem se preocupar com partes técnicas.
[/quote']

 

Acho que esmiuçar um filme é sempre necessário, pois dessa forma podemos analisá-lo de forma mais profunda... Contudo, o todo do filme, o conjunto da obra, também deve ser levado em conta...

 

O filme tem falhas em partes pontuais, mas no conjunto da obra é um filme bem bacana...

 

PS.: Acho q esse comentário meu não contribuiu em nada, mas vou deixar, pois, quem sabe, alguém pensa o contrário...
Link to comment
Share on other sites

Vi ontem na sessão das 10, achei ótimo, e com tudo que foi dito nesse fórum faltou especular pela continuação.

O Camarão-pai e camarãozinho-filho vão voltar?

Porque só eles são inteligentes de verdade e conhecem as tecnologias?

Seriam todos os outros apenas operários da mesma espécie? Ou foram capturados em outras civilizações de intelecto e tecnologia inferior e transformados em Camarão pelo fluido milagroso para servirem de operários/escravos?

O Camarão Cristofer, será que é bem intencionado mesmo?

 

Pra mim, esse filme precisa obrigatóriamente de continuação...

 

 

Link to comment
Share on other sites

hum.

 

Tava repensando ele aqui, e juro que fiquei na dúvida se a forma que ele usou pra passar tudo não foi proposital, pq não é possível. 

 

Ou ele questiona e muito a capacidade do público em entender qualquer coisa que não esteja carimbada na tela, ou ele é quem tem uma incapacidade colossal em sujestionar seja o que for sem precisar criar outdoors luminosos explicando cada frame do filme. Qualquer uma das respostas não pode ser boa.

 

E se eu fosse resumir o filme em uma frase diria que é uma martelada na testa. E com certeza não falo isso no bom sentido.
Tensor2009-10-22 13:19:12
Link to comment
Share on other sites

Para mim, este didatismo que está sendo criticado é fruto da imaturidade do público para com filmes de ficção científica.

 

Na minha opinião, é um gênero que não atrai tanto (com exceção de franquias) o público convencional.

 

Neil Blomkamp quis que o gênero se tornasse acessível e muito mais abrangente. E, sinceramente? Ele atingiu um objetivo crucial: se comunicar com a massa, sem deixar de ser inteligente ou ofender a mentalidade do espectador.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

O alien construindo a flor ofende minha inteligencia.

 

Tem razão, mas só porque você não percebeu que não é um Alien, mas o próprio Wikus já totalmente em forma de Camarão, metamorfose completa.

 

Mas tem razão, até certo ponto, porque esses Aliens eram bem burrinhos senão pelo Cristofer e seu filho.

 

Se prestar um pouco de atenção, fica mais fácil de entender o que é possível entender, pelo menos 03

 

Link to comment
Share on other sites

Fazendo um apanhado geral:

 

 

 

1 - Shy, tem uma diferença crucial entre medir um filme pela soma de

suas partes e "dissecá-lo" após assistir. O caso do Tensor, da Lolla e

o meu, por exemplo, nós saímos da sessão sabendo que não tínhamos

achado o filme tudo isso. Depois nós chegamos às conclusões do que

faltou pra cada um de nós, quais as falhas que a gente via e que nos

impediram de curtir mais a experiência de assisti-lo.

 

2 - Depois o pessoal acusa quem posta no Cineclube de arrogante,

hehehe. Estar no Cineclube, no CeC, no cCc, etc. não torna ninguém

elite, intelectual de cinema ou coisa que o valha.

3 - Quanto mais eu penso, mais me incomoda o exagero das tais metáforas. Se era pro povão entender, o diretor realmente não tem fé nenhuma na humanidade. E o pior é que ele pode estar certo. Mas foda-se a humanidade, pra mim, ficou ruim, por isso reclamo.

4 - Não acredito que alguém explicou o final. Bá, não tinha como ser mais desenhado. Peruca, senta e chora, tchê, hahaha.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Grack' date=' olhe o post do acima do seu e tente não me dar razão...06

[/quote']

 

Oh oh, pelo visto agora você entendeu, eu pensei que estava óbvio até demais, mas nunca se sabe como as pessoas conseguem se perder.

Quem mais poderia fazer uma flor senão um humano?

"Alien fazendo flor" tsc tsc... essa foi boa.

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...