Jump to content
Forum Cinema em Cena

Cineclube Light


Mr. Scofield
 Share

Recommended Posts

 

 

Mas se ele quiser construir argumentos... ter referências

 

 

Pois é' date=' essas razões que não me convencem. É a utilização do cinema como um meio para se poder discutir/entender cinema. É como se eu me acabasse de ver filmes somente pra vir postar aqui e não postasse aqui como consequência de ter visto muitos filmes. Tá errado isso pra mim.

 

Quando um cara assiste um filme "obrigatório" com esses objetivos, a tendência é que ele se force a gostar, para se adequar ao meio. Não gosto disso.

 

 

[/quote']

 

Eu não penso nisso dessa forma (sei que teu post não foi pra mim, só to aproveitando). Não é questão de usar um filme pra poder falar sobre ele. Em primeiro lugar, vem o gosto pelo cinema. Isso me trouxe até o fórum, e ao ter contato com opiniões variadas, fiquei curioso por alguns filmes. E sabia que, ao vê-los, poderia participar de alguma conversa potencialmente muito interessante, tanto aqui, quanto no msn ou na mesa do bar. Acho que a questão é simples, e tá se construindo todo esse redemoinho sobre ela pq todo mundo aqui tá condicionado a achar que precisa desmoralizar a opinião contrária.

 

O que eu identifico por questão simples é: em primeiro lugar, deve estar a vontade e a curiosidade de descobrir um filme novo, pelo prazer de ver filmes. Depois disso, a avaliação pessoal sobre o que achou do filme. E só então vem a possibilidade de compartilhar opiniões com os outros. Talvez o fórum bagunce demais os estágios, pelo menos para alguns, mas não acho que seja difícil perceber as diferenças. Basta querer.

 

Link to comment
Share on other sites

Vou citar um exemplo prático e partimos daí:

 

- Eu tenho uma tendência a não gostar de musicais.

- Essa tendência me faz não ter interesse em assistir musicais.

- Cantando na Chuva entra nessa lista de "filmes obrigatórios".

 

De acordo com a teoria do Rike, eu deveria assistir Cantando na Chuva mesmo sem estar a fim de fazê-lo, simplesmente porque com isso adquiriria a bagagem tão comentada aqui. Não concordo com isso nem fodendo. Pra que me forçar a ver algo que não tenho interesse no momento?

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

E um filme chato não pode ser bom? Por quê? Chato é argumento?

 

Acho Sonhos, do Kurosawa, um PORRE. Mas reconheço que é bom já que conta com uma direção de arte primorosa, uma direção precisa e consistente, e aspectos artísticos de qualidade. Não me agrada, acho enfadonho, mas do ponto de vista artístico e estético é um bom filme.

 

Vamos parar de levar tudo às últimas consequências também, né?

 

Obrigatório, para mim, é uma maneira hiperbólica de se dizer recomendável. Exemplificando... O Poderoso Chefão se revela um filme obrigatório para interessados em filmes de gângsters. Simples: tem referência, venceu Oscar, é comentado. Por que não seria obrigatório para quem gosta do gênero? É melhor dizer que é apenas recomendável?

 

 

Link to comment
Share on other sites

OPA OPA OPA. Pera lá, Sapo. Eu não disse em momento algum que você deve assistir sem estar interessado. Pelo contrário.. Até afirmei que se você já vai com um preconceito estabelecido a chance de você apreciar é bem menor.

 

E o que eu estou tentando sustentar é justamente o contrário. Para quem É fã de musicais, Cantando na Chuva é um filme obrigatório! Assim como disse que para quem gosta de cinema experimental e essencialmente sensorial, Anticristo é obrigatório.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Acho Sonhos' date=' do Kurosawa, um PORRE. Mas reconheço que é bom já que conta com uma direção de arte primorosa, uma direção precisa e consistente, e aspectos artísticos de qualidade. Não me agrada, acho enfadonho, mas do ponto de vista artístico e estético é um bom filme.

 

[/quote']

 

Aff, se tu realmente achasse a direção precisa e consistente, não iria achar o filme um porre. E aí caímos no lance de não ficar mal com a galera...07

 

Link to comment
Share on other sites

o Jack tá falando é algo diferente do que o Rike vem afirmando, isso tá claro em muitas páginas. não é questão de desmoralizar a opinião dele, já que o próprio já fez isso inúmeras vezes. ainda não entendi bem o que o Jack quer. 06

 

exceto se tu me disser que é possível tu achar um filme bom e chato ao mesmo tempo.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

E um filme chato não pode ser bom? Por quê? Chato é argumento?

 

Acho Sonhos' date=' do Kurosawa, um PORRE. Mas reconheço que é bom já que conta com uma direção de arte primorosa, uma direção precisa e consistente, e aspectos artísticos de qualidade. Não me agrada, acho enfadonho, mas do ponto de vista artístico e estético é um bom filme.

 

Vamos parar de levar tudo às últimas consequências também, né?

 

Obrigatório, para mim, é uma maneira hiperbólica de se dizer recomendável. Exemplificando... O Poderoso Chefão se revela um filme obrigatório para interessados em filmes de gângsters. Simples: tem referência, venceu Oscar, é comentado. Por que não seria obrigatório para quem gosta do gênero? É melhor dizer que é apenas recomendável?

 

[/quote']

 

ninguém disse que chato é argumento. argumento são os motivos que te levam a afirmar que um filme é chato.

 

sobre o negrito: sim.

batgody2009-09-25 15:21:07

Link to comment
Share on other sites

 

Acho Sonhos' date=' do Kurosawa, um PORRE. Mas reconheço que é bom já que conta com uma direção de arte primorosa, uma direção precisa e consistente, e aspectos artísticos de qualidade. Não me agrada, acho enfadonho, mas do ponto de vista artístico e estético é um bom filme.

 

[/quote']

 

Aff, se tu realmente achasse a direção precisa e consistente, não iria achar o filme um porre. E aí caímos no lance de não ficar mal com a galera...07

Então aquele tópico "Clássicos que não me servem" é um absurdo. Li usuários afirmando que não gostam de Janela Indiscreta. Ou seja, se eles não gostam, a direção do Hitchcock é uma merda? Reflita.

 

Link to comment
Share on other sites

 

Vou citar um exemplo prático e partimos daí:

 

- Eu tenho uma tendência a não gostar de musicais.

- Essa tendência me faz não ter interesse em assistir musicais.

- Cantando na Chuva entra nessa lista de "filmes obrigatórios".

 

De acordo com a teoria do Rike' date=' eu deveria assistir Cantando na Chuva mesmo sem estar a fim de fazê-lo, simplesmente porque com isso adquiriria a bagagem tão comentada aqui. Não concordo com isso nem fodendo. Pra que me forçar a ver algo que não tenho interesse no momento?

 

 

 

[/quote']

 

Cara, na tua situação, eu avaliaria em quais musicais eu me baseio pra dizer que não gosto. Agora, se tu realmente não tem nenhuma vontade de ver, concordo que não deves ver mesmo. Se um dia teu interesse aparecer, tu vê, se não tem muitas outras coisas boas pra ver no lugar dele.

 

Apesar de que eu acho um filmaço, hehehe.

 

Link to comment
Share on other sites

 

Acho Sonhos' date=' do Kurosawa, um PORRE. Mas reconheço que é bom já que conta com uma direção de arte primorosa, uma direção precisa e consistente, e aspectos artísticos de qualidade. Não me agrada, acho enfadonho, mas do ponto de vista artístico e estético é um bom filme.

 

[/quote']

 

Aff, se tu realmente achasse a direção precisa e consistente, não iria achar o filme um porre. E aí caímos no lance de não ficar mal com a galera...07

Então aquele tópico "Clássicos que não me servem" é um absurdo. Li usuários afirmando que não gostam de Janela Indiscreta. Ou seja, se eles não gostam, a direção do Hitchcock é uma merda? Reflita.

 

óbvio ululante. o cara é um louco, mas é tão óbvio que sim, que chega a ser engraçado. 06 é só pegar o tensor como exemplo, ele não odeia o Hitch, mas não gosta das conclusões pré-tensão que o gordinho adotava, e daí? é opinião, zé.

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

Então aquele tópico "Clássicos que não me servem" é um absurdo. Li usuários afirmando que não gostam de Janela Indiscreta. Ou seja' date=' se eles não gostam, a direção do Hitchcock é uma merda? Reflita.

[/quote']

 

Óbvio que PARA ELES é uma merda. Não existe verdade universal no cinema. Aparentemente você pensa o contrário.

 

Meu Deus, essa doeu de ler...

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

o Jack tá falando é algo diferente do que o Rike vem afirmando' date=' isso tá claro em muitas páginas. não é questão de desmoralizar a opinião dele, já que o próprio já fez isso inúmeras vezes. ainda não entendi bem o que o Jack quer. 06

 

exceto se tu me disser que é possível tu achar um filme bom e chato ao mesmo tempo.

 

[/quote']

 

O que eu quero é participar do debate, deu vontade. Não me incluo em nenhum dos lados que estão discutindo, mas acho que mereço espaço assim mesmo. Em outras palavras, parem de tentar dividir o tópico entre dois extremos, hahaha.

 

Depende do que tu tá chamando de chato. Se chato for no sentido de parado, e isso for proporcional pra transmitir pra mim uma condição que os personagens estão sentindo, acho válido. Até comentei uma coisa parecido com o Tensor ontem, que é a questão do telefone que fica tocando e ninguém atende. Às vezes, é encheção de linguiça, mas às vezes é exatamente pra enervar o espectador, criar o clima pro que vem a seguir. Aí eu acho legal.

 

Agora, se o "chato" no caso for de o filme ser ruim mesmo, aí não tem como, concordo com vcs. Se eu não gostei, eu não gostei.

 

Link to comment
Share on other sites

Impressionante que qualquer discussão nesse fórum - ainda  - é motivo de ofensas pessoais. Isso chega a ser engraçado.

 

Bat. Faz um favor. Pergunta pro Tensor se ele acha a direção do Hitchcock uma merda. Gostar de um filme envolve N fatores, assim como desgostar também.

 

Eu sei reconhecer quando um filme é bom ou ruim. Agora, ele me agradar é outra história. Mais exemplos? A Dama de Shangai, do Welles. Acho um p-o-r-r-e, enfadonho, a narrativa (para mim) não funciona. Mas a direção é impecável, a montagem é incrível, a fotografia dispensa comentários. É um filme importante, bom, mas que não me agrada.

 

 

Link to comment
Share on other sites

onde o rike foi ofendido?

 

velho, SDA é uma merda, não interessa se a direção de arte é boa no meio daquele samba do crioulo doido fode tudo junto, e o filme continua sendo ruim.

 

o plano sequência de atonement é bonito? é. e grandes merda, o filme continua sendo vazio. ou seja, uma merda com um belo plano sequencia. dã.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Grackcold, eu até entendo tu avaliar individualmente aspectos do filme, o mais normal é tu ter algumas coisas boas e outras nem tanto. Por outro lado, aplicar reducionismo sobre o teu próprio gosto eu acho furada. "O filme tal é bom pq a média ponderada das notas de cada critério é alta, mas eu não gostei"? Isso significa o que? Ninguém pode te dizer o que é bom, tu tem que criar em ti mesmo a liberdade pra dizer "achei uma merda" pra qualquer filme que tu não gostar.

 

Link to comment
Share on other sites

E um filme chato não pode ser bom? Por quê? Chato é argumento?

Acho Sonhos' date=' do Kurosawa, um PORRE. Mas reconheço que é bom já que conta com uma direção de arte primorosa, uma direção precisa e consistente, e aspectos artísticos de qualidade. Não me agrada, acho enfadonho, mas do ponto de vista artístico e estético é um bom filme.

Vamos parar de levar tudo às últimas consequências também, né?

Obrigatório, para mim, é uma maneira hiperbólica de se dizer recomendável. Exemplificando... O Poderoso Chefão se revela um filme obrigatório para interessados em filmes de gângsters. Simples: tem referência, venceu Oscar, é comentado. Por que não seria obrigatório para quem gosta do gênero? É melhor dizer que é apenas recomendável?
[/quote']

 

Recomendar um filme e taxa-lo de obrigatorio sao duas coisas COMPLETAMENTE diferentes.
Link to comment
Share on other sites

Jack. Não é essa questão.

 

Eu acho que falta discernimento. E aí entra a questão da função de consumir arte. Eu não extraio só o fator "não me agradou" dos filmes. É importante você avaliá-lo sob variados conceitos, entendeu? Não para tentar extrair algo bom e comprovar que é um clássico, mas para satisfação pessoal mesmo. Acho que todo filme fornece alguma base, algo a se extrair. 

 

E, para exemplificar que não tento exatrir algo bom do filme só porque é consagrado, cito O Silêncio do Bergman. De longe, é a sua pior direção: insegura, óbvia, nada ousada como os seus outros filmes. E o roteiro também é frágil: ele retratou a relação feminina com  muito mais profundidade em Persona, por exemplo. Os personagens não são bem desenvolvidos, etc, etc, etc. É um filme, no meu ponto de vista, totalmente irregular, e considerado clássico.

 

Acredito que toda obra te forneça bagagem (negativa ou positiva)

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

o plano sequência de atonement é bonito? é. e grandes merda' date=' o filme continua sendo vazio. ou seja, uma merda com um belo plano sequencia. dã.

 

[/quote']

 

Pois é, eu gosto pra carai de Atonment, não só pelo plano sequência. E sim, o filme é vazio.

 

Só disse isso porque não dói discordar. Não tem problema ir contra a opinião da maioria.

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...