Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2011: Indicados e Previsões


Recommended Posts

 

Rabbit Hole visto. Um bom pequeno filme, mas é um filme de uma nota só... não decola. O elenco é bem eficiente, todos estão bem.

 

Nicole Kidman está muito bem sim. Continuo a achando interessante, apesar da boca estranha.  Ela é uma atriz que atua muito com o olhar, gosto da sensibilidade dela. Agora... que burrada ela foi fazer, não precisava de botox! Mas poderia ser bem pior: ela poderia ficar igual a Meg Ryan.

 

O melhor p mim foi rever Dianne Wiest, tão fofa, saudade dela nos filmes do Wood Allen. Fiquei com muita vontade de rever Tiros na Brodway

Leleo2011-01-11 19:39:51

Link to post
Share on other sites
  • Replies 2.6k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Hoje começo a minha peregrinação pelos filmes do Oscar.

 

O primeiro será, claro, A Rede Social.

 

 

 

É sempre tenso assistir o filme pelo qual torço na temporada de premiações. Há sempre a chance de eu não gostar tanto do filme, a magia acabar e a graça toda de torçer pelo filme ir pro espaço.

 

 

 

Aconteceu com Os Infitlrados. (Que depois eu revi e gostei).

 

 

 

Pode acontecer hoje com A Rede Social. De madrugada retorno informando. 06.gif

Link to post
Share on other sites

Sempre faço isso pantalaimon. Torço às cegas sem ter visto o filme. É justamente essa a graça. 06.gif Escolho um filme lá por outubro e pronto.

 

 

 

No final das contas sempre acabo gostando do filme pré-selecionado, mas nem sempre corresponde as expectativas (que sempre são altíssimas).

Link to post
Share on other sites

Sempre faço isso pantalaimon. Torço às cegas sem ter visto o filme. É justamente essa a graça. smileys/06.gif" align="middle" /> Escolho um filme lá por outubro e pronto.

 

 

 

No final das contas sempre acabo gostando do filme pré-selecionado' date=' mas nem sempre corresponde as expectativas (que sempre são altíssimas). [/quote']

 

 

 

Fiz isso com Black Swan, assistir e não me decepcionei.

Link to post
Share on other sites

Apostas para o 16th Annual Critics' Choice Movie Awards

BEST PICTURE

The Social Network

BEST ACTOR

Colin Firth - "The King's Speech"

BEST ACTRESS

Natalie Portman - "Black Swan"

BEST SUPPORTING ACTOR

Christian Bale - "The Fighter"

BEST SUPPORTING ACTRESS

Melissa Leo - "The Fighter"

BEST YOUNG ACTOR/ACTRESS

Jennifer Lawrence - "Winter's Bone"

BEST ACTING ENSEMBLE

The Social Network

BEST DIRECTOR

David Fincher - "The Social Network"

BEST ORIGINAL SCREENPLAY

"Inception" - Christopher Nolan

BEST ADAPTED SCREENPLAY

"The Social Network" - Aaron Sorkin

BEST CINEMATOGRAPHY

"True Grit" - Roger Deakins

BEST ART DIRECTION

"Inception" - Guy Hendrix Dyas and Larry Dias & Doug Mowat

BEST EDITING

"The Social Network" - Angus Wall and Kirk Baxter

BEST COSTUME DESIGN

"Black Swan" - Amy Westcott, Kate Mulleavy and Laura Mulleavy

BEST MAKEUP

Alice in Wonderland

BEST VISUAL EFFECTS

Inception

BEST SOUND

Inception

BEST ANIMATED FEATURE

Toy Story 3

BEST ACTION MOVIE

Inception

BEST COMEDY

Easy A

BEST FOREIGN LANGUAGE FILM

Biutiful

BEST DOCUMENTARY FEATURE

Exit Through the Gift Shop

BEST SONG

"Shine" - performed and written by John Legend - Waiting for Superman

BEST SCORE

"Inception" - Hans ZimmerNelson Gadelha2011-01-12 20:17:37
Link to post
Share on other sites

Seguem aqui as previsões para o Golden Globe, nas categorias de cinema. São chutes mesmo, já que eu vi basicamente só os favoritos para as duas categorias de filme (isso se The Social Network realmente ganhar).

 

FILME DRAMA

The King's Speech (é a cara deles, esse ou o The Fighter e não duvido que aconteça como anda sempre rolando por lá, na categoria de drama; o campeão deles perde o Oscar)

 

ATOR DRAMA

Colin Firth - The King's Speech

 

ATRIZ DRAMA

Natalie Portman - Black Swan

 

FILME COMÉDIA/MUSICAL

The Kids Are Allright

 

ATOR COMÉDIA/MUSICAL

Paul Giamatti - Barney's Version (mas pode ser o Kevin Spacey também)

 

ATRIZ COMÉDIA/MUSICAL

Annette Bening - The Kids Are Allright

 

ATOR COADJUVANTE

Christian Bale - The Fighter

 

ATRIZ COADJUVANTE

Melissa Leo - The Fighter

 

DIREÇÃO

David Fincher - The Social Network

 

ROTEIRO

Aaron Sorkin - The Social Network (acho até que Inception é tão favorito quanto, mas me parece pouco provável que o filme do Fincher ganhe só um prêmio)

 

ANIMAÇÃO

Toy Story 3

 

FILME ESTRANGEIRO

Biutiful

 

TRILHA SONORA

Alexandre Desplat - The King's Speech (com The Social Network na cola)

 

CANÇÃO

Have no idea...vou chutar a do Burlesque, da Dianne Warren, por ser dela.

 

 

Agora, as categorias de TV, como eu vi quase tudo, não vou chutar; vou dar os meus votos (e realmente espero que eles aconteçam):

 

SÉRIE DRAMA

Boardwalk Empire (todas boas séries e com boas temporadas, mas cá pra nós: não tem como não premiar BE, que está a uns 5 degraus de diferença das outras. JUNTAS)

 

ATRIZ DRAMA

Julianna Marguiles - The Good Wife (sem nem pensar meia vez)

 

ATOR DRAMA

Bryan Cranston - Breaking Bad (que ganhou três Emmys seguidos e o Golden Globe só indicou esse ano...umas mulas mesmo)

 

SÉRIE COMÉDIA

Modern Family (easy...)

 

ATOR COMÉDIA

Jim Parsons - The Big Bang Theory (se eles não repetirem o Emmy, será uma burrada enorme. Nenhum outro chega ao menos perto do brilhantismo de Parsons, que elevou o Sheldon ao patamar dos melhores personagens da comédia americana EVER)

 

ATRIZ COMÉDIA

Edie Falco - Nurse Jackie (ela ganhou o Emmy e ficou impressionada, pois diz não ser engraçada. Acontece que a mulher que fez Carmela Soprano pode fazer toda e qualquer coisa. Mas eles também podem premiar a Laura Linney, que está numa série nova e eles curtem isso)

 

MINI-SÉRIE

Carlos (quem ganhar do Assayas, deveria ter vergonha)

 

ATOR MINI-SÉRIE

Edgar Ramirez - Carlos (me perdoe, Pacino, mas quem ganhar do Ramirez deveria ter vergonha)

 

ATRIZ MINI-SÉRIE

Claire Danes - Temple Gradin

 

ATOR COADJUVANTE

Eric Stonestreet - Modern Family (cadê o Michael Shannon, o Michael Pitt, o Michael Stuhlbarg????)

 

ATRIZ COADJUVANTE

Kelly Macdonald - Boardwalk Empire (será um prêmio bem merecido, mas não entendo a ausência da Archie Panjabi, campeã do Emmy)

 

 

 

Link to post
Share on other sites

Eu vou fazer que nem o Thico e postar meus votos na tv. Não vou nem comentar as ausências, porque a barbeiragem que fizeram na parte de cinema, também fizeram na de televisão.

 

DRAMA: The Good Wife. Embora Mad Men seja maior que a vida, The Good Wife é quase tão boa quanto e o fato de ser feita na TV aberta e manter esse nível por mais de 20 episódios por temporada a torna ainda mais louvável.

 

COMÉDIA: The Big C. É uma série maravilhosa (não por ser engraçada, mas pelos seus momentos dramáticos) e nenhuma das outras teve um ano bom, apesar de 30 Rock estar se recuperando nesta temporada.

 

ATRIZ DRAMA: Kyra Sedgwick. Mas qualquer uma (menos Perabo) pode vencer que será justo.

 

ATOR DRAMA: Jon Hamm ou Bryan Cranston. Os dois tem praticamente o mesmo nível.

 

ATRIZ COMÉDIA: Laura Linney. A melhor, de longe.

 

ATOR COMÉDIA: Steve Carell.

 

ATOR COADJUVANTE: Eric Stonestreet. Todos são ruins ou não fazem nada demais (não vi Temple Grandin, though). Mas Stonestreet tem um ou outro momento em Modern Family, pelo menos.

 

ATRIZ COADJUVANTE: Kelly MacDonald.

 

Link to post
Share on other sites

É bem capaz que The King's Speech leve o Globo de Ouro. Mas o prêmio mais importante do final de semana é o Critic's Choice na sexta. Será que dá para assistir pela internet?

 

 

 

-------------------------------------------------------

 

 

 

Por motivos alheios acabei assistindo primeiro o CISNE NEGRO.

 

 

 

E, meu deus, Natalie Portman arrebenta no filme!!! Como alguém, em sã consciência, pode assistir ao filme e não achar que ela vai levar o Oscar, e com todos os méritos? Você fica completamente envolvido com o filme justamente por causa da atuação quase doentia dela.

 

 

 

E que filme perturbador! Me estranha estar indo bem nos EUA, pq acho que o filme é para poucos. Tem um clima super tenso, mas super envovente. Uma história que vai ficando cada vez mais maluca e intrigante.

 

 

 

Não sei, as vezes me lembrava De Olhos Bem Fechados do Kubrick ou até mesmo O Iluminado, do mesmo Kubrick. 13.gif

 

 

 

E olha que eu não sou fã do tal Darren Aronofski (não apreendi escrever o nome dele ainda).

Link to post
Share on other sites

Tem sim. Nos dois últimos anos assisti o critics choice por streaming, acho que inclusive no site do próprio VH1. O tarantino vai ser honorado lá amanha, inclusive, sendo o primeiro a receber o que chamam de Critics’ Choice Music+Film Award  (created to honor filmmakers who have proven their value in storytelling by entertaining and inspiring moviegoers with their narratives, and who has also proven to have a keen talent for the exemplary use of music and songs in soundtracks for their films. ). Talvez teje bacana...
--------------

 


236su1.png

EM BREVE

Beckin2011-01-13 19:20:43
Link to post
Share on other sites

Valeu pelas dicas Nelson.  Esse comentário abaixo é de um amigo meu e achei no mínimo interessantíssimo e um ponto de vista inteligente, por mais que se discorde (eu concordo):


"Um ator tem de fazer o que o personagem exige, e pode chegar no resultado de N maneiras. Técnicas de interpretação vão do teatro grego a Constantin Stanislavski. Os que seguem o método que Marlon Brando projetou para o mundo tem a necessidade de "sentir" o personagem na pele para compô-lo. Por isso Nicolas Cage se enfiava em botecos e bebia até cair para se preparar para "Despedida em Las Vegas". Em alguns casos, como Hilary Swank em "Menina de Ouro", a incorporação literal do personagem pelo ator é mais que opção - é necessidade para torná-lo crível aos olhos do público. Por outro lado, atores do calibre de Laurence Olivier, Anthony Hopkins e Isabelle Huppert "interpretam" no sentido literal da palavra, desferindo emoções com que não tiveram contato.

Não há sentido em diminuir uma abordagem frente à outra - leia-se, louvar o trabalho de Portman porque ele teria exigido maior preparação e dedicação que o das concorrentes. Natalie poderia dominar o ballet ao ponto de dispensar a dublê que a substituiu em algumas cenas: se não tivesse um bom entendimento da personagem, o esforço seria em vão e o filme teria sido fracassado. Ela funciona em tudo, mas a dedicação física está longe de ser um diferencial. Era apenas um requisito básico para fazer o trabalho dela, e nem por isso a coloca em vantagem sobre Bening, Kidman ou qualquer outra atriz que não tenha sido obrigada a calçar as sapatilhas por quatro horas diárias."
Link to post
Share on other sites

 

 

Valeu pelas dicas Nelson.  Esse comentário abaixo é de um amigo meu e achei no mínimo interessantíssimo e um ponto de vista inteligente' date=' por mais que se discorde (eu concordo):

"Um ator tem de fazer o que o personagem exige, e pode chegar no resultado de N maneiras. Técnicas de interpretação vão do teatro grego a Constantin Stanislavski. Os que seguem o método que Marlon Brando projetou para o mundo tem a necessidade de "sentir" o personagem na pele para compô-lo. Por isso Nicolas Cage se enfiava em botecos e bebia até cair para se preparar para "Despedida em Las Vegas". Em alguns casos, como Hilary Swank em "Menina de Ouro", a incorporação literal do personagem pelo ator é mais que opção - é necessidade para torná-lo crível aos olhos do público. Por outro lado, atores do calibre de Laurence Olivier, Anthony Hopkins e Isabelle Huppert "interpretam" no sentido literal da palavra, desferindo emoções com que não tiveram contato.

 

Não há sentido em diminuir uma abordagem frente à outra - leia-se, louvar o trabalho de Portman porque ele teria exigido maior preparação e dedicação que o das concorrentes. Natalie poderia dominar o ballet ao ponto de dispensar a dublê que a substituiu em algumas cenas: se não tivesse um bom entendimento da personagem, o esforço seria em vão e o filme teria sido fracassado. Ela funciona em tudo, mas a dedicação física está longe de ser um diferencial. Era apenas um requisito básico para fazer o trabalho dela, e nem por isso a coloca em vantagem sobre Bening, Kidman ou qualquer outra atriz que não tenha sido obrigada a calçar as sapatilhas por quatro horas diárias."

[/quote']

 

Interessante sim, guidon. Acredito que o mais importante seja o resultado da composição. Para quem quiser ver o embate de dois métodos de atuações completamente diferentes, veja Uma Rua Chamada Pecado (1951), em que temos a teatralidade de Vivien Leigh (na minha opinião uma das melhores atuações femininas de todos os tempos) e o realismo de Marlon Brando. Atuações brilhantes, num confronto único na história do cinema.

 

 

Leleo2011-01-13 20:51:32

Link to post
Share on other sites
Valeu pelas dicas Nelson.  Esse comentário abaixo é de um amigo meu e achei no mínimo interessantíssimo e um ponto de vista inteligente' date=' por mais que se discorde (eu concordo):


"Um ator tem de fazer o que o personagem exige, e pode chegar no resultado de N maneiras. Técnicas de interpretação vão do teatro grego a Constantin Stanislavski. Os que seguem o método que Marlon Brando projetou para o mundo tem a necessidade de "sentir" o personagem na pele para compô-lo. Por isso Nicolas Cage se enfiava em botecos e bebia até cair para se preparar para "Despedida em Las Vegas". Em alguns casos, como Hilary Swank em "Menina de Ouro", a incorporação literal do personagem pelo ator é mais que opção - é necessidade para torná-lo crível aos olhos do público. Por outro lado, atores do calibre de Laurence Olivier, Anthony Hopkins e Isabelle Huppert "interpretam" no sentido literal da palavra, desferindo emoções com que não tiveram contato.

Não há sentido em diminuir uma abordagem frente à outra - leia-se, louvar o trabalho de Portman porque ele teria exigido maior preparação e dedicação que o das concorrentes. Natalie poderia dominar o ballet ao ponto de dispensar a dublê que a substituiu em algumas cenas: se não tivesse um bom entendimento da personagem, o esforço seria em vão e o filme teria sido fracassado. Ela funciona em tudo, mas a dedicação física está longe de ser um diferencial. Era apenas um requisito básico para fazer o trabalho dela, e nem por isso a coloca em vantagem sobre Bening, Kidman ou qualquer outra atriz que não tenha sido obrigada a calçar as sapatilhas por quatro horas diárias."
[/quote']

 

se dedicação física faz parte da composição do personagem, sendo um dos itens dessa "construção", ela também pode ser considerada um diferencial... pq não?

 

mas concordo com o restante do texto.

 

 

 

 

 
Link to post
Share on other sites

Analisando friamente, de fato, o esforço físico de Natalie com o balé não deve ser levado em consideração para afirmar que seu trabalho tenha sido espetacular.

 

 

 

O mesmo deve ser dito quando atores emagrecem, engordam, envelhecem ou se enfeiam para interpretar seus personagens. Mas isso fazendo uma análise fria e técnica.

 

 

 

Mas, acho, que também devemos olhar para esses aspectos externos sim. Ainda mais, quando estamos falando de entregar ou não um prêmio para o ator.

 

 

 

Um funcionário que se esforça para realizar um trabalho não deve ser melhor recompensado do que outro que fez o mesmo trabalho, mas sem a mesma dedicação?

Link to post
Share on other sites

 

 

Analisando friamente' date=' de fato, o esforço físico de Natalie com o balé não deve ser levado em consideração para afirmar que seu trabalho tenha sido espetacular.

 

 

 

O mesmo deve ser dito quando atores emagrecem, engordam, envelhecem ou se enfeiam para interpretar seus personagens. Mas isso fazendo uma análise fria e técnica.

 

 

 

Mas, acho, que também devemos olhar para esses aspectos externos sim. Ainda mais, quando estamos falando de entregar ou não um prêmio para o ator.

 

 

 

Um funcionário que se esforça para realizar um trabalho não deve ser melhor recompensado do que outro que fez o mesmo trabalho, mas sem a mesma dedicação?[/quote']

 

Acredito que toda e qualquer transformação ativa do intérprete (que contribua p o personagem e p a história) deva ser considerada, incluindo emagrecer, aprender boxe, balé... É mérito sim da composição, assim como fazer um sotaque, mudanças de postura, de voz. Por exemplo, foi mérito da Hilary Swank ter ficado musculosa e aprendido boxe o suficiente para convencer, não se pode desmerecer o trabalho que ela teve com isso. Foi mérito da Charlize ter conseguido engordar, para fazer Monster. Agora, o que acontece muitas vezes é do ator usar uma transformação como muleta e esquecer de atuar. Como o Whalberg em The fighter, mas no caso dele talvez pq ele n saiba mesmo. A maquiagem também pode ser uma muleta bem poderosa.

 

Mas, no fundo, eu acho q sempre haverá um "q" de injustiça em toda premiação, na maioria das vezes não há como comparar atuações e atores tão diferentes. Acho que a maneira mais justa seria se todos os atores fizessem o mesmo personagem. rs      

 

 

Leleo2011-01-13 23:26:28

Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

Announcements


×
×
  • Create New...