UA-130521384-1 Jump to content
Forum Cinema em Cena
Sign in to follow this  
-felipe-

Oscar 2010: Indicados e Previsões

Recommended Posts

Eu só tenho uma coisa a dizer. The Hurt Locker ganhar quando tem um Bastardos Inglórios indicado é piada de criança. O filme da Bingelow é repetitivo' date=' em alguns momentos constrangedor e possui um final clichezento, que só demonstra a falta de tato da diretora ao não saber terminar o filme na hora relevante. Não, ela tem que explicar tintim por tintim... Enquanto isso o Tarantino lá, destruindo o mundo naquele filme, aperfeiçoando finalmente suas piadinhas com dramaturgia séria, controlando ritmo interno com perfeição... enfim.

Mas, uma mulher tem que vencer né... 09
[/quote']

 

 

FeCamargo, vc é cineasta ou realizador?

 

 


Sou realizador. Cineasta eu vou me considerar quando fizer meu primeiro longa.06 Daqui uns 60 anos, pq neste país de merda... To finalizando meu segundo curta ainda, que por sinal vai estrear em Los Angeles. O primeiro passa no Canal Brasil, se quiser conferir, chamado Noite Fria com a Paola Oliveira (momento marketing pessoal! 06) 03

Não tenho canal Brasil. Poxa, é tão difícil assistir a um curta aqui. 12
Tem outra fonte, Fe? 
É bem legal prestigiar o trabalho dos colegas de fórum. 16

 

Posso te emprestar o filme, Scofa. Assim podemos aproveitar, marcar mais um encontro para falar mal de todo mundo desse lugar! 16

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Assisti O Segredo de Seus Olhos, do mesmo diretor do ótimo O Filho da Noiva. Muito bom esse argentino. Muito bom! Que roteiro! Direção segura.

 

Fui descobrir pesquisando sobre que o cara, que ele dirige vários episódios de House e Law And Order SPV e um de 30 Rock. Tá explicado pq ele é bom! 06

 

FeCamargo2010-03-01 23:02:11

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Eu só tenho uma coisa a dizer. The Hurt Locker ganhar quando tem um Bastardos Inglórios indicado é piada de criança. O filme da Bingelow é repetitivo' date=' em alguns momentos constrangedor e possui um final clichezento, que só demonstra a falta de tato da diretora ao não saber terminar o filme na hora relevante. Não, ela tem que explicar tintim por tintim... Enquanto isso o Tarantino lá, destruindo o mundo naquele filme, aperfeiçoando finalmente suas piadinhas com dramaturgia séria, controlando ritmo interno com perfeição... enfim.

 

Mas, uma mulher tem que vencer né... 09

[/quote']

 

 

FeCamargo, vc é cineasta ou realizador?

 

 

 

Sou realizador. Cineasta eu vou me considerar quando fizer meu primeiro longa.06 Daqui uns 60 anos, pq neste país de merda... To finalizando meu segundo curta ainda, que por sinal vai estrear em Los Angeles. O primeiro passa no Canal Brasil, se quiser conferir, chamado Noite Fria com a Paola Oliveira (momento marketing pessoal! 06) 03

Não tenho canal Brasil. Poxa, é tão difícil assistir a um curta aqui. 12

Tem outra fonte, Fe?  É bem legal prestigiar o trabalho dos colegas de fórum. 16

 

Posso te emprestar o filme, Scofa. Assim podemos aproveitar, marcar mais um encontro para falar mal de todo mundo desse lugar! 16

 

Ei, ei, ei... que putaria é essa??? 06 Tenho contrato de exclusividade com o Canal Brasil ow!!! Quer me fuder??? 06

 

Ok, não devia ter perguntado isso... e lembrando, como o Sr. tem cópia do Noite??? Eu te dei??? Não lembro P.!!!! 06

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Claro que eu tenho uma cópia' date=' seu doente. Você me enviou pelo correio. Lembra não? Vi antes de viajar e depois de novo, no festival...[/quote']

 

Tinha esquecido, vc sabe como é minha memória... 06

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Quando Mo'Nique vencer o Oscar no dia 8' date=' teremos testemunhado a maior sandice desde que Judi Dench levou o seu por 2 minutos em cena (e mesmo assim, 2 minutos muito melhores que qualquer segundo dela ou do filme inteiro).[/quote']

Judi Dench aparece 8 minutos em Shakespeare Apaixonado, 2 a mais que a Beatrice Straight em Network, se não me engano. Esse negócio de tempo em cena acho bobagem, o Anthony Hopkins é coadjuvante em Silêncio dos Inocentes... E veja que atuação incendiária.

E concordo com o Scofield, Mo'Nique está bem apesar do papel caricato.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não quis dizer exatamente que o fator tempo é o que afetou Dench. O problema é que ela não tinha o que fazer, é apenas uma ponta que não lhe oferece absolutamente nada para trabalhar.

 

Sabe uma atriz que esteve brilhante apenas com uns 5 minutos em cena? Vanessa Redgrave, em Atonement.
Lumière2010-03-01 23:47:18

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu concordo que Mo'Nique, apesar de todos os pesares (e são tantos), merece o prêmio, levando-se em conta a concorrência.

 

E concordo que tempo em cena não quer dizer coisa nenhuma, e o exemplo do Anthony Hopkins é perfeito para isso.

 

Só discordo do Luiz ao citar a Redgrave. Não sei se é justamente por a personagem dela desgraçar ainda mais o que já era terrível que eu não curto a atuação, mas tenho a impressão que é somente uma velha chata, choramingando um arrependimento. Nada mais,

Share this post


Link to post
Share on other sites

A graça da piada só vale na primeira vez. hahahaha

 

Mas Luiz, eu sempre aviso que meu caso esse filme é muito específico. Não curto ficar comparando o filme com o livro do qual ele foi adaptado, mas no caso de Atonement é um trabalho impossível, simplesmente porque a obra escrita é sobre uma coisa extremamente ligada à literatura, algo que seria bastante difícil de ser transposta para o cinema, uma outra linguagem. Não deveriam ter nem tentado, mas já que o fizeram, que tivessem sido dignos. Eles não foram e simplesmente deixaram de lado o que era o cerne do livro e transformaram num filme sobre um amor de guerra, dos mais melosos, por sinal. Aí, no final, me vem Vanessa Redgrave choramingando, tentando fazer com quem a Briony fosse minimamente interessante (coisa que ela não foi em nenhum momento d filme), fazendo uma velha chata arrependida, o contrário absoluto da tenebrosa e trágica personagem do livro, a miserável e terrível Briony Tallis que assinou a página 418 daquela obra prima. Foi demais para minha curta paciência.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quando Mo'Nique vencer o Oscar no dia 8' date=' teremos testemunhado a maior sandice desde que Judi Dench levou o seu por 2 minutos em cena (e mesmo assim, 2 minutos muito melhores que qualquer segundo dela ou do filme inteiro).
[/quote']
Ah, Luizz, exagerou, né? 06
A mulher está muito bem no papel, dá vontade de matá-la realmente. Sei que o filme é apelativo, brega, uma desgraça atrás da outra e seria um desastre ganhar o Oscar de melhor filme, mas a Mo'Nique tá ok.

 

Eu também acho. Mo'Nique é a melhor coisa do filme. Ela está muito boa no papel. Merece a vitória.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mas Luiz' date=' eu sempre aviso que meu caso esse filme é muito específico. Não curto ficar comparando o filme com o livro do qual ele foi adaptado, mas no caso de Atonement é um trabalho impossível, simplesmente porque a obra escrita é sobre uma coisa extremamente ligada à literatura, algo que seria bastante difícil de ser transposta para o cinema, uma outra linguagem. Não deveriam ter nem tentado, mas já que o fizeram, que tivessem sido dignos. Eles não foram e simplesmente deixaram de lado o que era o cerne do livro e transformaram num filme sobre um amor de guerra, dos mais melosos, por sinal. Aí, no final, me vem Vanessa Redgrave choramingando, tentando fazer com quem a Briony fosse minimamente interessante (coisa que ela não foi em nenhum momento d filme), fazendo uma velha chata arrependida, o contrário absoluto da tenebrosa e trágica personagem do livro, a miserável e terrível Briony Tallis que assinou a página 418 daquela obra prima. Foi demais para minha curta paciência.[/quote']

 

 

Pois é, não li o livro mas achei Atonement bem morno. O documentário nacional Santiago foi bem mais feliz em sua proposta (apesar de ser do tipo torturante que me causa muito sono).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não quis dizer exatamente que o fator tempo é o que afetou Dench. O problema é que ela não tinha o que fazer' date=' é apenas uma ponta que não lhe oferece absolutamente nada para trabalhar.

 
[/quote']

 

Luiz, não quero implicar nem nada mas também não vejo problemas na atuação de Dench, aliás sou do time que vê um certo charme em Shakespeare Apaixonado. Ela realmente não tem muito tempo pra desenvolver a personagem (e o Oscar provavelmente foi pra pagar uma dívida), mas a rainha dela é uma figura, e o inglês da Dench é tão delicioso (em quase todas as suas atuações), tem aquele ar esnobe, mas com muita personalidade por trás.

Share this post


Link to post
Share on other sites


Fiquei meio chocado como o filme caiu no cinema pra mim... Nossa... arrastado' date=' roteiro com episódios cansativos e repetitivos, motivação de personagem ridícula, dramalhão... fiquei completamente sem paciência. Câmera na mão para disfarçar a fragilidade da linguagem... e o pior de tudo, no torrent o final estava cortado!!! Ele acabava no supermecado, oque me deixou feliz pacas, pensando caramba, ela soube terminar o filme muitíssimo bem! Quando fui pro cinema, BINGO! (06), vi que tinha um brinde surpresa incluso após o supermecado...

[/quote']

 

A coisa mais OVER que já li nesse fórum...

Thico, concordo com vc.

 

Sobre Mo'nique:

ainda não vi Preciosa, vi o trailer e pelo que parece ela merece o prêmio mesmo. Não vi outras atuações de destaque assim em coadjuvante (exceto, claro, o Waltz em Bastardos). Quem já viu uma bafafá familiar na periferia/bairros carentes sabe que é daquele jeito mesmo. Ou alguém acha que o tipo de personagem que ela interpreta senta, cruza as pernas, olha de soslaio, levanta e caminha pela sala, lança um longo olhar pela janela, fala de maneira calma/pausada e com rosto tranquilo e inexpressivo?? 06 Fala sério...

 

Pegando carona nessa coisa de atuações, ao contrário da maioria eu gosto de Anna Kendrik em Amor sem Escalas. Não sei definir bem se gosto é do personagem ou da atuação mas enfim... qdo ela sai de cena, fica faltando alguma coisa sei lá (junto com o fato de que Up in the Air ameaça derrapar feio na sua segunda metade. Ainda bem q isso não acontece).

 

Falam que ela foi caricata demais, mas não vejo assim. Eu já acho que foi uma escolha da direção mesmo fazer desse jeito. Era óbvio q ela era uma pessoa que tentava APARENTAR ser o que não era. E nessas situações perde-se a naturalidade e a espontâneidade. Por isso ela sempre meio artificial/deslocada... em comparação com os "naturais/bem à vontade" personagens confiantes de Clooney e Farmiga.

Vejo dessa forma e gostei dela ser indicada.

 

PS: Farmiga não faz nada mais do que ser a coroa sexy, descolada e inteligente, em minha opinião. Nela q não vi nada demais, exceto aquela pagação de cofrinho muito BOA 06)

 

 
Sall2010-03-02 01:05:16

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Pois é' date=' não li o livro mas achei Atonement bem morno. O documentário nacional Santiago foi bem mais feliz em sua proposta (apesar de ser do tipo torturante que me causa muito sono).[/quote']

 

Finalmente alguém que, assim como eu, acha que Santiago tem o sumo que Desejo e reparação adoraria ter mas não consegue. Foi a primeira comparação que me veio à cabeça, quando o assisti, chegando até mesmo a colocá-la na mensagem de abertura do tópico do filme, no saudoso cCc. A diferença entre nós é que ele não funcionou como um sonífero em mim. Mas fico contente ao saber dessa impressão compartilhada, de verdade.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

... Só discordo do Luiz ao citar a Redgrave. Não sei se é justamente por a personagem dela desgraçar ainda mais o que já era terrível que eu não curto a atuação' date=' mas tenho a impressão que é somente uma velha chata, choramingando um arrependimento. Nada mais,
[/quote']

 

Gosto de Atonement. Inclusive achei merecida sua indicação.

 

Normal não gostar do filme, da adaptação e/ou da personagem. Mas Redgrave MANDA VER naquele cena. A expressão do rosto, dos olhos...

 

Apesar de que eu tb não curto muito esse lance de alguém ser indicado ou premiado por apenas 2 ou 5 minutos na tela. A não ser que a coisa seja muito foda.

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Um exemplo: gosto de Guerra ao Terror pelo que ele écomo foi realizado. 

  

 

Pensando por esse lado então Avatar foi bem melhor.

 

Aí é questão de gosto pessoal' date=' sobre quem fez melhor ou não. Mas pensando por esse lado... não deixa de ser notável como uma produção de ridículos 11 milhões de dólares (para os padrões de Hollywood) alcança um nível de qualidade tão bom em todos seus quesitos (vejo cada filme bizarro por aí e levo até um susto qdo fico sabendo que custaram 60, 80 milhões ou mais). Tudo é relativo.

 

Eu sinceramente quando assisto não levo em consideração os nomes envolvidos (diretores, roteiristas, etc) pra não deturpar a impressão que tenho sobre o filme. Pra avaliar de acordo com o que ele é, e não DE QUEM é. Só pq to vendo algo de Fincher, Tarantino, Scorcese... vou amar tudo o que tá passando na tela? Não é por aí.

 

 
[/quote']

 

Avatar é um filme inovador no que refere a filmes em 3D assim como Matrix em 1999 também foi inovador e Star Wars também foi em 1977. Já The Hurt Locker nada mais é do que mais um filme de guerra que na verdade não se trata de ser um filme DE guerra mas um filme COM guerra. Avatar é melhor no sentido de ser inovador, coisa que The Hurt Locker não é.

 

Na minha opinião, The Hurt Locker é um filme meio sem sentido, não tem uma história enxuta e te dá a impressão de que você está assistindo um documentário pois o filme vive apenas de situações e além disso o final do filme é lamentável. Eu não indicaria o filme para Melhor Roteiro.

 

Porém, gosto é gosto. Entre Avatar e The Hurt Locker prefiro Bastardos 06

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
A graça da piada só vale na primeira vez. hahahaha

 

Mas Luiz' date=' eu sempre aviso que meu caso esse filme é muito específico. Não curto ficar comparando o filme com o livro do qual ele foi adaptado, mas no caso de Atonement é um trabalho impossível, simplesmente porque a obra escrita é sobre uma coisa extremamente ligada à literatura, algo que seria bastante difícil de ser transposta para o cinema, uma outra linguagem. Não deveriam ter nem tentado, mas já que o fizeram, que tivessem sido dignos. Eles não foram e simplesmente deixaram de lado o que era o cerne do livro e transformaram num filme sobre um amor de guerra, dos mais melosos, por sinal. Aí, no final, me vem Vanessa Redgrave choramingando, tentando fazer com quem a Briony fosse minimamente interessante (coisa que ela não foi em nenhum momento d filme), fazendo uma velha chata arrependida, o contrário absoluto da tenebrosa e trágica personagem do livro, a miserável e terrível Briony Tallis que assinou a página 418 daquela obra prima. Foi demais para minha curta paciência.
[/quote']

 

Cara, eu discordo, acho que Atonement é primeiramente um filme da Briony. Ele pode até se focar ocasionalmente no casal, mas enxergamos tudo aos seus olhos. Acho que a atuação da Redgrave é fenomenal ao transmitir toda a culpa e remorso que a personagem sente frente ao seu ato, ao mesmo tempo em que indica que Briony é uma criatura vazia a ponto de torturar-se por todos aqueles anos na minúscula possibilidade de ter atrapalhado o amor da irmã pelo Robbie.

 

Dito isso, poderiam ter escalado uma atriz melhor que a Romola Garai, passa o filme inteiro com a expressão vazia.06

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não quis dizer exatamente que o fator tempo é o que afetou Dench. O problema é que ela não tinha o que fazer' date=' é apenas uma ponta que não lhe oferece absolutamente nada para trabalhar.

 
[/quote']

 

Luiz, não quero implicar nem nada mas também não vejo problemas na atuação de Dench, aliás sou do time que vê um certo charme em Shakespeare Apaixonado. Ela realmente não tem muito tempo pra desenvolver a personagem (e o Oscar provavelmente foi pra pagar uma dívida), mas a rainha dela é uma figura, e o inglês da Dench é tão delicioso (em quase todas as suas atuações), tem aquele ar esnobe, mas com muita personalidade por trás.

 

Não enxergo como implicância não, hehe.


Concordo com o que vc disse sobre a Dench, até a atuação dela em Mrs. Henderson Presents (que é uma de suas mais preguiçosas) é um deleite. Mas a rainha de Shakespeare In Love eu realmente não vi isso dela e atribuo a falta de tempo e material, pois talento todos sabemos que ela tem pra dar e vender. Enfim.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Atonement é mais um daqueles casos (que infelizmente vêm se tornando frequentes) de filmes que começam espetaculares e no meio você já está pedindo a morte para que tudo se acabe.06

Mr. Scofield2010-03-02 07:17:52

Share this post


Link to post
Share on other sites

O primeiro ato de Atonement é muito bom mesmo. Mas depois o filme fica meio monótono, por exceção de algumas cenas. Achei bonzinho só, tinha potencial pra ser melhor.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Dito isso' date=' poderiam ter escalado uma atriz melhor que a Romola Garai, passa o filme inteiro com a expressão vazia.06[/quote']

Eu gostei bastante de Romola Garai e o que ela confere ao personagem. Já estava quase cochilando quando ela apareceu e tornou o filme interessante novamente.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

×