Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2010 : Comentando a Festa do Oscar


Beckin
 Share

Recommended Posts

Estou com preguiça de ler essas 80 páginas, mas achei algo do Gago que exprime exatamente o que eu penso:

 

Agora me digam: pra que raios a deselegância de cortar com a musiquinha o discurso de agradecimento das pessoas que eles mesmos se propõem a premiar quando' date=' na mesma noite, inserem coisas como aquelas apresentações claudicantes de melhor ator/atriz e as danças que em nada rimavam com as trilhas sonoras?

Quanto aos prêmios, não comentarei de um em um porque não tenho saco nem tempo. Mas gostei do fato de A fita branca não ter levado filme estrangeiro e Avatar ter saído com relativamente pouco. Foi legal ver Guerra ao terror como o grande vencedor da noite, apesar de particularmente não ser mesmo o meu preferido. E apesar de extremamente previsível, fiquei satisfeitíssimo com os prêmios de Up, é claro.
[/quote']

 

Isso.

 

No mais, aprecio muito sua boa vontade ao tentar enriquecer a discussão, Deadman, mas o texto desse senhor, Luiz Bolognesi, foi a coisa mais bisonha que eu já vi em matéria de cinema em um bom tempo. Avatar, um filme de esquerda? De ESQUERDAGuerra ao Terror, ufanista e glorificador da guerra? O que diabos é isso que ele está falando?

 
Link to comment
Share on other sites

 

Gostei da premiaçãol. Eis os pontos altos e baixos da noite:

 

- Cenário fabuloso' date=' provavelmente o melhor de todas as edições;

- Ótimo discurso dos atores ganhadores (o da Sandra foi ótimo, aliás, era para mim a mais bela da noite, gostei do jeito que ela deixou o cabelo);

- Ótima sacada de colocar o James Taylor cantando. O cara é naturalmente fossa e foda;

- A cortada que deram nos caras que venceram o melhor documentário. Pô, fazer aquela propaganda deslavada foi estúpido;

- Esquema de apresentação dos coadjuvantes foi inovadora e muito boa (além do fato de passarem bem mais cenas dos indicados);

- Meryl Streep finalmente bem vestida (o que me deu uma certa dor no coração pois parece que ela se produziu tanto com a expectativa de subir ao palco);

- A dupla Martin-Bardwin, apesar de aparecer pouco e ser um tanto austera, foi muito boa;

- Início com os atores indicados no palco (achei genial, aliás, alguém tem o vídeo?);

 

- Cortar a apresentação das canções e colocar no ar aquele esquema medíocre de exposição das trilhas sonoras;

- O esquema de apresentação dos roteiros, apesar de ser ótimo (mesmo repetindo a fórmula do ano passado) errou ao repetir a Tinna Fey na apresentação do mesmo. ELA É GENIAL E EU A ADORO, mas repetí-la foi de uma falta de criatividade estúpida;

- O que foi aquilo de colocar alguns filmes que de horror não tem nada, nesta categoria?

- A apresentação dos atores principais foi ridícula ao tentar repetir a fórmula (genial) do ano passado, porém apenas com colegas;

- Sean Penn filho da puta no anúncio das atrizes. É óbvio que gente muito boa foi esnobada, mas acima de tudo é de uma falta de educação inigualável dizer isso na frente das indicadas (sinceramente, cheguei a ficar com pena da Bullock, ela parecia não crer no que ouvia além de estar visivelmente envergonhada na hora). Aliás, esse discurso justiceiro não condiz em nada com sua presença sempre confirmada na cerimômia. Um baba-ovo hipócrita, mesmo;

- O roteiro para Preciosa entra para os anais mais sujos da história do Oscar. Se o filme é a podridão que é, tudo se deve ao seu roteiro medíocre, estúpido e apelador ao extremo;

- O anúncio do Tom Hanks foi patético, na hora pensei até que tinha dado pau na minha net, mas depois, ao constatar que ele apenas cuspira o vencedor, vi toda a mediocridade da sua apresentação.

 

 cagp274.jpg

 Personalizando o careca

 

Ps.: Será que a ausência da Farrah não se deve ao fato desta ser mais vista como uma atriz de TV?

 

 
[/quote']

 

hahahaha, os caras dão o Oscar de melhor filme a um filme com uma puta cara de TV.

 

Foi uma falta de respeito do k7, principalmente o que fizeram com o casal lá, aplausos, mas aplaudindo quem? acorda camera!, acorda camera!

 

Como REF já disse, esse Oscar foi uma bela merda.

 

Link to comment
Share on other sites

 

Pesando sobre essa discussão' date=' tenho que discordar veementemente do cara que escreveu o texto. Guerra ao Terror não tem intenção alguma de reforçar a disputa entre apaches e herois da cavalaria ou realçar o heroismo dos soldados. O filme mostra guerra como ela é. E aí chego a discordar sobre alguns usuários que não gostaram do filme (principalmente o FeCamargo), que disse que o filme é uma cena repitida durante duas horas. Aqulio é que os soldados que desarmam bombas têm que enfrentar quase todos os dias, uma tensão constante e latente. Quem viu o filme como patriótico e anti-belicista não entendeu o filme.

 

Sobre a vitória de Guerra ao Terror no Oscar, um jornalista disse: a vitória do filme mostra que o cinema feito de forma convencional ou independente pode ser tão interessante que o cinema em 3-D de meio bilhão de dólares. Concordo com essa afirmação.
[/quote']

 

Falam como se tivesse filmes como Avatar a rodo por aí.

 

Mas sério, a academia gospe no prato que come, eles ainda vão se arrepender, já bastou ano passado ridicularizarem Hollywod premiando aquele Caminhos das Indias em pelicula, agora praticamente ridiculariza o que é a salvação de Hollywood que é o cinema em 3D.

 

NÃO PERCA TEMPO DANDO DINHEIRO PARA OS ESTÚDIOS, FIQUE EM CASA E ASSISTA TUDO EM SUA TV DE 60".

 

Já foi a MGM, New Line, quase a FOX (JC salvou por um tempo), vai precisar de quantos estúdios falirem para eles se tocarem e mudar o disco.

 

 

Link to comment
Share on other sites

O que eu entendo de filme para TV são aqueles longas com roteiros vendidos a granel, onde a câmera filma todos de perto, como nos seriados. Mas devo estar boiando, já que não coloco The Hurt Locker nesta categoria.

Aliás, o simples comentário de que a guerra vicia já coloca o filme da Bigelow bem a frente na leva de 2009.
Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

 

Deadman' date=' enquanto pessoas vierem aqui dizer que Hurt Locker glorifica a guerra, eu vou vir dizer que a pessoa não entendeu o filme, porque não entendeu. Não gosto desse argumento, pois acho que nível de entendimento é algo particular, mas não consigo resistir quando as pessoas fazem o que estão fazendo. E quase a totalidade das pessoas que criticam o filme o fazem por dois motivos:

 

1) Dor de cotovelo porque Avatar perdeu.

2) Anti-americanismo preconceituoso. As pessoas automaticamente associam qualquer coisa que se passe na guerra do Iraque como algo puramente político.

 

E esses motivos são incrivelmente chulos...

 

 

 

 

[/quote']

Sim, então se você não gosta de Avatar e não é um antiamericano preconceituoso você OBRIGATORIAMENTE tem que gostar do filme de Bigelow...e de que ganhe o Oscar, claro.

 

Eu vi coisas absolutamente decepcionantes nessa discussão, gente usando aquela de "você não entendeu e eu sim", dentre outras. Sinceramente, achei que tínhamos passado dessa fase e compreendido que cinema é arte subjetiva. Se nem o diretor de um filme tem autonomia sobre o que transmite a um  espectador...imagine pessoas que nada tiveram a ver com a produção ou o processo criativo.

Mr. Scofield2010-03-09 20:19:05

Link to comment
Share on other sites

 

 

Scofa, você grifa a porra do texto e aparentemente não lê. Quase a totalidade é diferente da totalidade. A matemática prova isso.

 

E desculpa, mas se alguém acha que o filme da Bigelow incentiva a guerra ou coisa parecida, não entendeu. Eu adoraria usar um termo de viado (ou politicamente correto) pra isso, mas não consigo encontrar...

 

Eu to de saco cheio desses malas que ficam policiando os textos em busca de coisas politicamente incorretas e não apresentam nenhum argumento minimamente aceitável pra contra-argumentar. Chororô da porra.

 

 

 

 

 

Perucatorta2010-03-09 20:22:42

Link to comment
Share on other sites

Porque? Se eu grifar o resto você seria menos generalista?

Minha crítica é sobre você tentar achar que entende a cabeça de pessoas e resumi-las a grupos. E pior, de achar que entende as coisas melhores que outros. Um filme é o que é para a pessoa que está vendo, essa é minha opinião. Arte é subjetiva e multifacetada. É por isso que o cinema é belo como é.

Ninguém precisa apresentar argumentos para ver o quanto é prepotente tentar entender o que os outros pensam e resumir em duas frases.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

É isso aí' date=' Perucatorta. Somos uns preconceituosos com dor de cotovelo. 06.gif[/quote']

Sim, e também fazemos chororô apesar de que o post descontrolado chamando todo mundo de mala e falando que está de saco cheio e blábláblá não ser nosso. 06

Impressive, como diz o Dook. 06

Ah, deixa eu ir ali preencher meu currículo com essas novas características que descobri. 06

 

 

Mr. Scofield2010-03-09 20:32:28

Link to comment
Share on other sites

 

Porque? Se eu grifar o resto você seria menos generalista?

Minha crítica é sobre você tentar achar que entende a cabeça de pessoas e resumi-las a grupos. E pior, de achar que entende as coisas melhores que outros. Um filme é o que é para a pessoa que está vendo, essa é minha opinião. Arte é subjetiva e multifacetada. É por isso que o cinema é belo como é.

Ninguém precisa apresentar argumentos para ver o quanto é prepotente tentar entender o que os outros pensam e resumir em duas frases.

 

[/quote']

 

Sério, pqp maluco. Esse lance da subjetividade (que eu defendo sempre) não pode ser elevado ao ad infinitum. Se nego chegar aqui e falar que filme da xuxa trata de física quantica tenho que aceitar numa boa? Para com isso Scofa, eu achava que você já tinha passado dessa fase...06

 

Cara, isso é muito chato. Eu tenho que engolir qualquer merda que postam porque senão vem o coroinha mala encher meu saco de aguá santa...

 

 

Link to comment
Share on other sites

hummm.

 

 

Também acho absurdo alguém falar que existe algum incentivo a guerra em THL.

 

Mas por outro lado também acho absurdo quando falam que Crash é um filme racista. É só um filme imbecil. Mas tem quem veja assim.

 

Ou até outro caso, do carica, que é o cara que eu acho que mais manja aqui, e que certa vez escreveu que o Haneke em Violência Gratuita tem como um dos objetivos mostrar que tu é um escroto se conseguir assistir o filme até o final.

 

São três interpretações que eu de forma alguma conseguiria ver, que quando relembro o filme me vem logo um "wtf?" na cabeça. Mas não fazer sentido algum pra mim não significa necessariamente que não faça sentido, já que praquela pessoa fez, algo no filme fez com que ela despertasse aquele pensamento. Alguma imagem que eu interpretei de outra forma, tu dessa, e ele daquela. Mas são imagens, elas permitem isso, tu nunca vai achar a definição certa ou errada pra isso.

 

Uma vez quando a gente falava de subjetividade, e eu tentei dar um meio termo pra isso, de que talvez nem tudo seja tão subjetivo assim (não penso mais dessa forma), e o peruca me deu um toque lá de que eu poderia ficar meio refém nisso, e é totalmente verdade. Mas enfim, tu ta citando casos extremos agora com esse da xuxa da mesma forma que eu citei naquela discussão pra tentar me sair bem. Mas como eu disse, essa do Crash é extrema pra mim, quando tu saiu do cCc tu saiu no meio de uma discussão sobre Violência Gratuitas onde o Dan e o Bat tinha uma visão pro filme totalmente diferente da tua, e inclusive ridicularizam a tua própria.

 

Ou seja, tu não entendeu o filme? Eles não entenderam? Tem como avaliar mesmo se alguém não entendeu? Até pq eu não conseguiria encontrar esse limite aí.

 

Tu queria fugir dessas discussõezinhas politicamente corretas, mas no momento que tu coloca de forma tão forte que a visão de outro ta errada,  é pedir demais pra que elas não ocorram.
Link to comment
Share on other sites

 

 

quando tu saiu do cCc tu saiu no meio de uma discussão sobre Violência Gratuitas onde o Dan e o Bat tinha uma visão pro filme totalmente diferente da tua' date=' e inclusive ridicularizam a tua própria.

 

Ou seja, tu não entendeu o filme? Eles não entenderam? Tem como avaliar mesmo se alguém não entendeu? Até pq eu não conseguiria encontrar esse limite aí.

 

Tu queria fugir dessas discussõezinhas politicamente corretas, mas no momento que tu coloca de forma tão forte que a visão de outro ta errada,  é pedir demais pra que elas não ocorram.
[/quote']

 

Opa, peraí Tensor. A minha forma de analisar Vilolencia Gratuita poderia não ser a deles, mas não era absurda. Nesse caso o paralelo com a Xuxa existe. É meio factual que o filme não tem esse objetivo.

 

Se formos tolerar qualquer tipo de argumentação, independente da sensatez, vamos nos nivelar por baixo.

 

O Raziel vem aqui e posta 10 linhas dizendo que não gostou do filme PORQUE ele exalta a guerra do Iraque. Sinceramente não consigo pensar em outra designação senão a falta de entendimento. E pior, contra argumentação se torna impossível...

 

 

 

 

 

 

Perucatorta2010-03-09 21:32:24

Link to comment
Share on other sites

Por isso é que filmes são o que são + o que nós somos... sempre vai existir um filme diferente que passa dentro da nossa cabeça... um mesmo filme nunca será o mesmo para todos os espectadores. Isso ultrapassa a técnica, a teoria e tudo o mais ...

 

Por falar nisso.... por onde anda o saudoso usuário Serge Hall????
Thiago Lucio2010-03-09 21:32:50
Link to comment
Share on other sites

Essa discussão de The Hurt Locker passa longe demais de uma que envolva qualquer aspecto de Funny Games. O filme da Bigelow marreta por duas horas consecutivas um discurso claramente anti-conflito. (Me desculpem, mas acho que relativizar esse claramente é se limitar demais ao campo teórico).

Aí um cara, aparentemente esclarecido como o roteirista que assinou aquele texto, distorce as coisas dessa maneira? Tava relendo aquilo ali e, putz, não dá. Não tem "Cada um enxerga o que quer" que melhore.
Zanile2010-03-09 21:41:12
Link to comment
Share on other sites

fui ler esse negócio aí então, pra ver o quanto extremo é

 

"que pretendia fazer um filme sobre os viciados em guerra no Iraque, eu pesquisei o assunto durante alguns meses. Tudo muito parecido com o filme de Bigelow, exceto por um detalhe. O detalhe é que os soldados americanos que se tornam dependentes da adrenalina da guerra tornam-se assassinos compulsórios e não salvadores de vidas. O sintoma dos viciados em guerra é atirar em qualquer coisa que se mexa, tratar a realidade como videogame e lidar com armas e balas de verdade como um brinquedo erótico. Se Guerra ao Terror representasse nas telas essa dimensão da realidade, seria um filme sensacional, mas não teria levado o Oscar, podem apostar."

 

ok, calma aí. Então Guerra ao Terror não representa o que ele crítica o filme por representar? Eu realmente não entendi esse sujeito.

 

Mas sobre a discussão, beleza. Eu só escrevi aquilo pq agora posso dizer sem culpa alguma que todos vcs que acham Crash um filme racista na verdade não entenderam merda nenhuma. den.gif
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...