Jump to content
Forum Cinema em Cena
Nacka

O Que Você Anda Vendo e Comentando?

Recommended Posts

Sei lá como Dumont fez aqui' date=' mas tu meio que passa a vislumbrar qual é a dos  fanáticos religiosos, homens-bombas e tals. No caso de Celine é a insatisfação perene, não com Deus, com sua fé não saciada, a angústia da não-realização plena desse seu amor, devotamento, não aliviado nem pelos jejuns e orações.
As cenas são longas e silenciosas e o ritmo é lento, aqui não incomodou nada.
Essa Julie Sokolowsk nem é atriz e no entanto tu fica com os olhos presos a ela em toda e qquer cena que ela apareça!

Hadewijch” – 8,0/10,0<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 
[/quote']

Celine era uma jovem burguesa q tinha td, exceto um amor q a preenchesse. Amor q encontrou em Jesus e q sempre seria platonico, em tds os sentidos. Mas como ela queria q esse amor chegasse ao ponto do carnal, descobriu q o cristianismo nunca iria lhe preencher esse vazio. Dai q viu q o mais proximo q ela poderia chegar ate Jesus seria mediante os ideais radicais islamicos, e q seu sacrificio lhe proporcionaria uma vida proxima Dele..

PS: essa atriz nunca tinha feito filme antes desse, ate entao atendente de restaureante

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só acho que ela não sabia como extravasar essa fé.

Se ela tivesse topado com uma seita autoflageladora ela teria embarcado.

 

By the way, ela disse que não quer ser atriz.
MariaShy2011-01-12 19:46:57

Share this post


Link to post
Share on other sites
VOCÊ VAI CONHECER O HOMEM DOS SEUS SONHOS - 4.5/10 - Woddy Allen realiza uma colcha de retalhos pouco criativa e mal costurada através de uma narrativa que demora para mostrar ao que veio, dá pequenos indícios de desenvolvimento, mas nunca engrena, nunca decola, o filme definitivamente não sai do lugar. Ironicamente ou não, pela narração em "off" é como se fosse o objetivo do filme, mas a sensação na verdade é que Allen pegou uns 2, 3 roteiros seus que estavam inacabados e tentou transformá-los em um único filme com alguma eventual ligação entre uma história e outra, mas tudo acaba sendo corriqueiro e descuidado de mais. Apesar do ótimo elenco, ninguém se destaca (o Josh Brolin, um pouco, talvez) e o filme funciona por algumas pequenas partes, mas nunca pelo seu todo. Uma pena, decepção. Thiago Lucio2011-01-12 20:57:05

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje eu assisti um filme que entrou pro meu top 10 de todos os tempos: Sob o Domínio do Medo, do Peckimpah.

 

 

 

E os 30 minutos finais são os melhores 30 minutos finais que assisti em todos os tempos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Hoje eu assisti um filme que entrou pro meu top 10 de todos os tempos: Sob o Domínio do Medo' date=' do Peckimpah.

 

 

 

E os 30 minutos finais são os melhores 30 minutos finais que assisti em todos os tempos.[/quote']

 

Se tu não tiver visto ainda, pega depois O Casal Osterman. Biscoito fino, saiu uma edição desse, num dvd duplo baratinho cheio de extras, vendia aos baldes nas Americanas por 9,90...

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

http://www.nextmovie.com/wp-content/uploads/2010/10/easy_a_500x300.jpg

A Mentira (Easy A, Will Gluck, 2010)

Uma comédia que lembra bastante "Meninas Malvadas", com uma boa protagonista, uma narração em off, um bom final clichê e a demonstração do que adolescentes são capazes de fazer pra se enturmarem. Mas ainda bem que não é só isso, tem boas referencias aos filmes de John Hughes, não só em citações. Gostei bastante da Emma Stone, apesar de achar um exagero terem colocado ela pra viver uma menina de 17 anos, isso nem tem importância, ela tá ótima no papel.

 

PS- A Amanda Bynes também participa, não era ela quem tinha se "aposentado" outro dia? Achei ela diferente até, mais cheinha...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Hoje eu assisti um filme que entrou pro meu top 10 de todos os tempos: Sob o Domínio do Medo' date=' do Peckimpah.

 

 

 

E os 30 minutos finais são os melhores 30 minutos finais que assisti em todos os tempos.[/quote']<font face="Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif" size="2">Se tu não tiver visto ainda, pega depois O Casal Osterman. Biscoito fino, saiu uma edição desse, num dvd duplo baratinho cheio de extras, vendia aos baldes nas Americanas por 9,90...

 

 

 

Baseado numa obra do Ludlum, o autor da trilogia Bourne. 16.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

Janela Secreta (Secret Window, David Koepp, 2004) 2/5

 

Gostei de Johnny Depp quase normal. O caipira convence como um maluco perigoso, mas a sensação de perseguição provoca pouco efeito. A reviravolta antes do clímax não surpreende e é decepcionante. Logo depois ela mostra que não é tão ruim. Suspenses assim costumam terminar do mesmo jeito, mas a conclusão de Janela Secreta tem uma diferença que a torna mais satisfatória do que a média.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Hoje eu assisti um filme que entrou pro meu top 10 de todos os tempos: Sob o Domínio do Medo' date=' do Peckimpah.

 

 

 

E os 30 minutos finais são os melhores 30 minutos finais que assisti em todos os tempos.[/quote']<font face="Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif" size="2">Se tu não tiver visto ainda, pega depois O Casal Osterman. Biscoito fino, saiu uma edição desse, num dvd duplo baratinho cheio de extras, vendia aos baldes nas Americanas por 9,90...

 

 

 

Baseado numa obra do Ludlum, o autor da trilogia Bourne. 16.gif

 

 

 

E é um filmaço mesmo.

 

 

 

E sobre "Sob Domínio do Medo": para mim é o melhor do Peckinpah, sem dúvidas (e olha que gosto muito de todos dele que assisti). Apesar da meia hora final ser avassaladora, eu fico ainda com a cena-chave do filme: o estupro. O modo visceral como ela é filmada é sensacional. Sem falar da maneira que o Bloddy Sam a utiliza logo depois, na cena da igreja.

 

 

 

Putz, cada vez que lembro do filme surge uma vontade imensa de reassití-lo... 16.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vou baixar sim, agora aos poucos quero ver tudo do cara. Ainda vi pouca coisa, mas já ta virando um dos meus diretores preferidos.

 

 

 

01. Sob Domínio do Medo

 

02. Meu Ódio Será Sua Herança

 

03. Tragam-me a Cabeça de Alfredo Garcia

 

04. Pistoleiros do Entardecer

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 rabbitholdsmaller.jpg

 

Abordagem interessante de superação da perda.
Um casal em crise, tentando superá-la e... falhando estupendamente!
Cada um reagindo a perda a sua maneira, conflitando com a do outro.
Estão afogados nessa dor que quase os suplanta, quase mais importante que os dois juntos. Não há espaço p/ a consolação mútua.
Aqui o foco é nos efeitos e não na causa.
By the way, cogitam Kidman  p/ melhor atriz
( o botox me distraiu um pouco),
mas esse Eckhart...aff! Estupendamente intenso!

Rabbit Hole” – 9,0/10,0<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

Share this post


Link to post
Share on other sites

Get Low

Fabula simpatica q fala dum velho rabugento q resolve preparar uma cidade inteira pro seu funeral ainda em vida, apenas pra saber o q os demais irao falar dele. O tema morbido desses ganha ares liricos q sao fortemente favorecidos pela otima atuacao do Robert Duvall, cadenciado por momentos bem humorados, levados pelo Murray. Vale uma visita. 9;10

get-low-poster-02.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Rabbit Hole

 

 

 

Gostei mais do que imaginava. Atuações muito acima da média. Destaque para a grande Dianne Wiest, a cheia de sensibilidade ( e botox)Nicole Kidman e o intenso Eckhart.

 

 

 

Muito boa a fotografia do filme também cheia de enquadramentos que refletem a dor dos protagonistas.

 

 

 

Nota:8,5

Share this post


Link to post
Share on other sites

"O Casal Osterman", assim como "Comboio", já traz um Peckinpah meio decadente - apesar de nenhum filme dele ser ruim, acho que esses já são mais fracos.

Pro Tensor que conhece esses quatro, recomendo Pat Garrett & Billy The Kid (um dos melhores Westerns já feitos - mesmo sendo um filme sobre o fim do western), Junior Bonner (o preferido do Peckinpah e totalmente subestimado - é uma obra-prima) e Cruz de Ferro (um dos melhores filmes de guerra já feitos).

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Once Upon a Time in Mexico (Robert Rodriguez, 2003)

 

Eu tenho

raiva desse filme. Para mim é o pior do Rodriguez. Me irrita ele ter

mijado no seu (ótimo) Desperado com essa bobagem estúpida. Se em

Desperado ele tinha alcançado o limite exato entre exagero e bobagem,

aqui ele ultrapassa completamente, criando um aborto cinematográfico da

pior espécie.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Homens que encaravam cabras (2009)

cabras2.jpg

O non-sense é algo que pode ser perigoso de ser levado para as telas, mas nas mãos de pessoas que sabem, pode dar um trabalho até interessante e divertido, ainda mais quando temos um elenco como o desse filme... George Clooney, Ewan McGregor, Jeff Bridges e Kevin Spacey se esforçam ao máximo para fazer esse filme não se transformar na bomba que poderia ter sido... E, por pouco, não se transforma mesmo... Só poderia ter sido menos arrastado, a bem da verdade...

Classificação: 4/5

127 horas (2010)

james-franco-as-aron-ralston-in-127-hours-427897391.jpg

Me respondam com sinceridade... Alguém, em sã consciência, conseguiria apostar, há dez anos atrás, que o astro de Correndo Atrás, hoje seria o franco favorito para ganhar o Oscar? Então... E merecidamente... Franco sustenta como ninguém esse filme... É só ele em cena, e como dá gosto de vê-lo em cena...

Classificação: 5/5

Faces da Verdade (2008)

 

verdade2.jpg

 

Confesso que quando sentei na cadeira para ver esse filme, não esperava grandes coisas dele... Beckinsale tentando mostrar que é atrz? Matt Dillon como promotor? De bom... Alda e Vera Farmiga... E, bom... Não é que o filme é impressionante... Para aqueles que gostam de uma história investigativa e que prende, esse filme é o ideal... Uma repórter que faz de tudo para preservar sua fonte, ficando, inclusive, presa por um longo tempo... Beckinsale mostrou, pelo menos para mim, que está envelhecendo bem como atriz... E, Dillon, faz sempre o mesmo tipo, mas a voz dele, é algo de incrível! Mas, o melhor do filme, Noah Wyle, o eterno Dr. John Carter de E.R., que dá um show... O filme peca por trazer David Schwimmer em um papel que, sinceramente, poderia ter entregue pra um ator que não fosse tão marcado por um personagem (ele não dá conta de se desvincular do Ross, como Wyle consegue de Carter)...

 

Classificação: 4,5/5

 

Balanço dos filmes vistos em 2011 até agora:

Kick-Ass - 3/5
Acima de qualquer suspeita - 1/5
Lunar - 5/5
Wall Street - Poder e Cobiça - 4/5
Homens em Fúria - 4,5/5
Conviction - 4/5
Homens que encaravam cabras - 4/5
127 Horas - 5/5

Faces da Verdade - 4,5/5
sunderhus2011-01-14 13:13:42

Share this post


Link to post
Share on other sites
Homens que encaravam cabras (2009) 

 

achei esse aqui inssoso.

 

the last one's:

 

 

accvtj.jpg

 

 

1.       The Virgin Suicides : massinha' date=' assisti "na bruxa", sem procurar nada a respeito. Achei legal o filme de estreia da sofia, ousadia e originalidade.Esperava um drama com pegada menos teenager mas é bem legal, gostei muito<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

2.       Ponyo : Muuuuito bom achei que é tipo uma mistura perfeita de Tumulo dos vagalumes [Hotaru no haka,1988'] com " Tampopo - Os Brutos Também Comem Spaghetti,1985 "

3.       Poltergeist : Claaasssssico. Tive uma impressao mais forte porque eu tava vidrado na interpretação de Carol Anne e soube que ela morreu apenas 6 anos após o filme porcausa de um problema de saúde.Foda

4.       Doomsday 2008 : uma pegada “Anjos da Noite” [underworld] porem sem a mesma qualidade e com um humor bem idiota nas cenas de açao

 

Calvin2011-01-14 13:36:04

Share this post


Link to post
Share on other sites

Paris, Texas (idem) - Wim Wenders, 1984 (revisto)

Melancólico, mas lindíssimo. Difícil não se emocionar com aquela penúltima cena.

 

4,5/5

 

 

O Bebê de Rosemary (Rosemary's Baby) - Roman Polanski, 1968

 

Desconfortavelmente genial. (não sei de onde tirei esse comentário, mas enfim, o filme é obra-prima).

 

5/5

 

 

Carrie, A Estranha (Carrie) - Brian De Palma, 1976 (revisto)

 

De Palma conseguiu fazer com que uma história sem muito potencial se tornasse em uma obra-prima, equilibrando perfeitamente terror sobrenatural com filme para adolescentes. E tem que ser muito louco pra não achar que todo aquele segmento no baile é um dos grandes momentos do cinema.

 

5/5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Paris' date=' Texas (idem) - Wim Wenders, 1984 (revisto)

Melancólico, mas lindíssimo. Difícil não se emocionar com aquela penúltima cena.

  

[/quote']

 

 

É a do espelho, né? Outra que bate lindamente é a das imagens em super 8.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Paris' date=' Texas (idem) - Wim Wenders, 1984 (revisto)

Melancólico, mas lindíssimo. Difícil não se emocionar com aquela penúltima cena.

  

[/quote']

 

 

É a do espelho, né? Outra que bate lindamente é a das imagens em super 8.

 

Sim. E essa outra é de encher os olhos mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

No cinema, Unstoppable (Tony Scott), um grande filme de ação cujas retóricas para embalagem em circuito comercial (a inserção das filhas, subtrama mulher/filho, diálogo chefe da empresa x condutor) dão uma puxada pra baixo. Não fosse por eles, teríamos quase um "Hurt Locker" versão de trens (mas aí, provavelmente não teríamos distribuição do mesmo por aqui, etc). Ainda assim, vale muito por ser um filme que se sustenta inteiro pela ação (a própria apresentação dos personagens é feita por essa via, tal qual no filme da Bigelow). E belos planos - pena que a edição por vezes é muito frenética, o que se não atrapalha necessariamente o ritmo, dificulta na apreciação das imagens. Um filme a ser visto no cinema, em película.

Também no cinema Hereafter (Clint Eastwood), que tenho de confessar, a primeira vista não entregou tudo que esperava do Clintão. Ainda que tratada de forma dura, sem muita afetação, a matéria (ops) em dados momentos beira o cafona. Por outro lado, o cruzamento de três histórias diferentes, de personagens completamente distintos (o que é sempre um perigo e, na maioria dos casos, resulta em cagada) é feito de forma segura e bem amarrada (alguém citou acertadamente numa comparação com o "Coeurs" do Resnais - apesar deste ser uma obra-prima). Talvez cresça numa revisão, veremos...Schonfelder2011-01-14 21:49:28

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×
×
  • Create New...