Jump to content
Forum Cinema em Cena
Nacka

O Que Você Anda Vendo e Comentando?

Recommended Posts

London River

A estoria dos opostos q se unem em prol de um objetivo comum ja rendeu trocentos filmes, mas este aqui vale a visita por relembrar os ataques terroristas em Londres, de 2005. Misto de Missing e As Torres Gemeas. Muculmano africano e protestante francesa ranzinza se unem pra buscar seus filhos, q nao deram mais noticias apos os ataques. A busca por eles vai gerar descobertas e colocara a duvida se foram seus filhos ou nao eles os reponsaveis pelo dito cujo, ate o final. A transdformacao da velhota racista prende o interesse. 9-10

 

LondonRiverPoster.jpg
Jorge Soto2011-01-21 14:50:43

Share this post


Link to post
Share on other sites

Luz de Inverno (Winter Light) - Ingmar Bergman, 1962

 

Primeiro filme do Bergman visto que vejo. E gostei muito: uma grande direção, ótima fotografia e boas atuações. E é um filme para se refletir muito nas possibilidade que ele oferece.

 

4/5

 

 

Disque M Para Matar (Dial M For Murder) - Alfred Hitchcock, 1954

 

Outro ótimo filme do Hitchcock, prende a atenção do início ao fim. Mas no fim fica aquela sensação de que Hitchcock já fez ou iria fazer coisa melhor.

 

4/5

Share this post


Link to post
Share on other sites
Depois do Tarantino' date=' eu acho que eles são os que mais sabem criar personagens:

Dude (Lebowski)
Barton Fink
Jesus (Lebowski)
Charlie Meadows (Barton Fink)
Marge (Fargo)
Anton Chigurh (No Country)
Chad (Queime Depois de Ler)

etc

O Sall ta de brincadeira.[/quote']

 

Quando eu digo que as pessoas pegam trechos que convém...

 

No post esta bem claro que estou PERGUNTANDO aos que já viram a filmografia dos caras se procede algumas queixas que andei lendo sobre os personagens dos ÚLTIMOS filmes deles... ainda fiz questão de dizer que só tinha visto 2 dos filmes... Bom, mais claro que aquilo...

 

Mas aí alguém passa o olho, vê o que um outro falou e toma certos trechos como afirmação...  sendo que eu fiz uma pergunta!!09 Estão ótimos esses interpretadores de textos.

 

PS: Não, não tava de brincadeira. Apenas fiz uma PERGUNTA sincera sobre algo que não conhecia (a filmografia Coen). Mas em vez de alguém responder ou ignorar (ninguem é obrigado a responder nada) achou mais bacana dar eco a ironia inútil de outro usuário03

 

De qualquer maneira valeu... 

 

 

Sall, as suas impressões a cerca dos personagens dos irmãos Coen estão equivocadas assim como daqueles que lhe disseram isso. Os personagens dos filmes dos Coen são extremamente carismáticos. Só pra ficar em dois exemplos, sugiro que você veja "Arizona Nunca Mais" e "O Grande Lebowski". Se você assistir estes 2 filmes e continuar com esta mesma impressão, aí sim é caso de internação... 06

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Pagamento Final (Carlito's Way) - Brian De Palma, 1993 (revisto)

 

Filmes como esse me fazem lembrar como é maravilhoso estar viciado nesse negócio chamado cinema. Chega a ser absurdo o nível que o De Palma alcança aqui: cada cena, cada enquadramento, cada corte, nada é desperdiçado. Daí surge momentos bem tensos (ex: a entrega do dinheiro) e momentos bem lindos (ex: o reencontro de Carlito e Gail). Sem contar todo o resto e etc e tal. De Palma é muito, mas muito, mas muito gênio.

 

5/5

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Olhar Invisivel

Filmao argentino q mostra uma escola pra traduzir a repressao (fisica e sexual) q a Argentina passou durate a ditadura no inicio dos 80. Na trama, jovem professora anula sua vida (tipo Vestigios do Dia e A Vida dos Outros) em prol do rigoroso ensino do estabelecimento, e passa a ficar de tocaia dentro dos banheiros masculinos afim de flagrar algum aluno fumando. Mas logo a atividade torna-se viciante a pto de tornar-se obsessivo.. A atriz ta perfeita e mistura um mix de ingenuidade virginal qdo a paisana sendo explosiva e autoritaria durante o cumprimento de sua funcao. Uma nova forma de falar sobre a estupida paranoia autoritaria. Cenas antologicas.. a do estupro e a da dita cuja tentando mijar no sanitario masculino. 10-10

 

Jorge Soto2011-01-21 07:29:29

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Fahrenheit 11/9 + Tiros em Columbine, (2004;2002)

             otimos documentarios do Michael Moore,que ainda nao tinha tido  tempo pra ver.
           

Os Sete Samurai Belissimo  classico obrigatorio do Kurosawa -- porem DIFICILIMO de se assistir porcausa das 3 horas e meia de duraçao
          

Triangle (2009) Puta filme, Montagem impecavel! porem achei que a historia ficou mal finalizada... o filme é QUASE foda, mas é legal.
       

Scott Pilgrim vs world bem massinha, divertido vale a pena até.

 

289ge37.jpg
Calvin2011-01-21 15:05:10

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Premonição 3 (Final Destination 3, 2006)  - Meio Trash 80's até que divertido e garante algumas risadas. É o tipo de filme para isso mesmo, rir das mortes toscas. Não tem nenhuma no nível da antológica cena do menino do dentista no primeiro ou segundo filme, mas a cena da academia já vale o ingresso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Triangle (2009) Puta filme' date=' Montagem impecavel! porem achei que a historia ficou mal finalizada... o filme é QUASE foda, mas é legal.
       
[/quote']

 

mais um para o clube...16

Share this post


Link to post
Share on other sites

QUANTO DURA O AMOR? - 4/10 - Trata-se de um drama frágil e superficial que flerta com o fetiche e um grupo de estereótipos, mas sem final feliz. Infelizmente o roteiro do diretor Roberto Moreira e Anna Muylaert não vai muito além do que é estabelecido pela premissa, além do que conta com uma série de personagens desinteressantes a começar pela protagonista Marina, dona de uma ingenuidade irritante, interpretada de maneira preguiçosa por Silvia Lourenço (uma jovem atriz ruim interpretando um jovem atriz ruim). O triângulo amoroso estabelecido entre Marina, Justine e Nuno só possui um certo apelo porque Paulo Vilhena se esforça um pouco para conferir credibilidade ao seu personagem sub-aproveitado enquanto que Danni Carlos possui a presença de cena necessária para a sua hipnótica personagem, mas infelizmente nunca conseguimos compreender a sua verdadeira natureza, tornando-se um clichê ambulante. O núcleo que possui o arco dramático mais coeso envolve Suzana e Gil, interpretado com carisma por Gustavo Machado. A atriz Maria Clara Spinelli demonstra uma clara limitação artística, mas essa condição acaba favorecendo e muito a sua personagem que guarda um segredo, sendo a única capaz de despertar algum tipo de empatia do espectador. O outro núcleo envolvendo a relação entre um escritor e uma prostituta nunca recebe um tratamento digno de menção. O filme acaba sendo mais um espaço para fetiches do que propriamente investigar a natureza melancólica dos corações solitários paulistanos. Essa era a idéia e ficou só no papel mesmo. No final das contas, a pergunta quanto dura o amor acaba se transformando em uma espécie de quanto tempo dura o filme?

Thiago Lucio2011-01-22 05:56:19

Share this post


Link to post
Share on other sites

Let Me In (Matt Reeves, 2010)

 

É impossível para mim não ficar com

a pulga atrás da orelha quando americanos anunciam um remake de um

filme de dois anos atrás. Além, claro, de extrema vagabundice do povo

que tem preguiça de ver filmes legendados. Mas porra, esse remaque é

muito, muito bom. O Reeves, que só tinha um filme em POV no curriculum,

convence como diretor em terceira pessoa, não faz uma cópia, injeta

estilo, acerta aqui, erra ali. A cena da piscina bem piorada e o CGI

toscão são erros. A trilha e a forma que filma a mão do guri são

acertos. No geral, ótimo filme.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Disque M Para Matar (Dial M For Murder) - Alfred Hitchcock' date=' 1954

 

Outro ótimo filme do Hitchcock, prende a atenção do início ao fim. Mas no fim fica aquela sensação de que Hitchcock já fez ou iria fazer coisa melhor.

 

4/5
[/quote']

 

É mais ou menos o que rola aqui tb...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nascido Para Matar - Stanley Kubrik - 10

 

 

 

Os melhores 40 minutos iniciais da história do cinema , sem mais e a segunda parte do longa não deve nada para Apocalypse. Triste saber que esse é o penúltimo filme do mestre.

 

 

 

Todo Mundo Quase Morto , de Edgar Wright - 9,5

 

 

 

Sincera mente, eu adoro o Wright, ele é divertido e sabe até dá emoção na hora certa. Podem falar que o filme tem muitos clichês ( Principalmente porque o objetivo dele é brincar com estes). Mas nada, nada, me fez rir mais do que umZumbi jogando videogame ao som de Queen. Esses britânicos!

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

127 Hours (Danny Boyle, 2010)

 

 

 

Esqueceram de mostrar a degradação física que o Aron apresentaria depois de 5 dias preso, mas o filme se concentra na angústia e cansaço mental dele. Gostei dos delírios, do climax até o final e especialmente da cena chave do filme. Muito bom.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Let Me In (Matt Reeves' date=' 2010)

 

É impossível para mim não ficar com

a pulga atrás da orelha quando americanos anunciam um remake de um

filme de dois anos atrás. Além, claro, de extrema vagabundice do povo

que tem preguiça de ver filmes legendados. Mas porra, esse remaque é

muito, muito bom. O Reeves, que só tinha um filme em POV no curriculum,

convence como diretor em terceira pessoa, não faz uma cópia, injeta

estilo, acerta aqui, erra ali. A cena da piscina bem piorada e o CGI

toscão são erros. A trilha e a forma que filma a mão do guri são

acertos. No geral, ótimo filme.

 

 

[/quote']

 

Pois é, baixei o 720p também, mas to aqui em dúvida porque o filme entra em cartaz sexta que vem. Não sei se vejo em casa ou deixo a primeira impressão pro cinema...

Agora, venhamos e convenhamos, Cloverfield é muito, mas muito mais do que "um filme em POV" né...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Predadores (Predators, Nimród Antal, 2010) 2/5

 

O filme não mata de tédio, mas a confusão, a pressão e o perigo de estar preso num lugar estranho e sendo caçado poderiam formar um resultado mais tenso. Os predadores são mais assustadores fora de cena, quando existe um mistério, que só não é maior porque nós sabemos como eles são. Alice Braga não é muito convincente, mas não atrapalha. E eu não sei o que aconteceu com a voz de Adrien Brody.

 

 

 

A Rede (The Net, Irwin Winkler, 1995) 3/5

Mais um da época em que eu passava as noites da Globo... O filme é eficiente. Uma história mirabolante que traz uma organização, tão poderosa que só falta fazer chover, destruindo a vida de alguém. O início cria o interesse necessário pela personagem principal. E depois o diretor consegue sustentar a perseguição que ela sofre (os 17 minutos antes do epílogo são bastante nervosos). Sandra Bullock faz bem a sua parte.

 

Lucy fer2011-01-22 21:36:29

Share this post


Link to post
Share on other sites

Amores Possiveis-Graça de filme.Bonitinho,tres historias interessantes e só.Na primeira meia hora é esquecido.

 

Maridos e Esposas-Sou meio suspeita pra falar pois Woody Allen é meu diretor preferido.São poucos os caras que tem a experiencia dele e que escreve e dirige.São poucos os diretores e roteristas que compreendem tão bem a alma do ser humano e que é perfeito em retratar nossas imperfeições e falhas.Pois é justamente sobre isso que trata Maridos e Esposas.È extremamente angustiante do inicio ao fim acompanhar personagens tão covardes,tão resistentes em mudar e tão solitarios.Mas o mais dificil é admitir que cada personagem pode facilmente ser identificado comigo,com voce e qq um que tiver assistido ou irá assistir.Sublime.10/10.

 

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
A ORIGEM - 10/10 - REVISTO - Christopher Nolan realiza um filme de guerra onde o campo de batalha é a mente humana. Uma guerra entre razão e emoção, uma guerra entre sonho e realidade. Através do arco dramático de seu personagem central, Nolan também insere a ilusão do cinema dentro da mente do espectador em níveis cada vez mais profundos e intensos. Ele compartilha a experiência cinematográfica dentro de um universo de possibilidades de coerência narrativa exuberante e dramaticidade palpável. Razão x Emoção. Sonho x Realidade. É sempre um prazer embarcar em uma viagem através de um filme, um prazer tão viciante que às vezes a vontade que se dá é de não se libertar do limbo, permanecer lá. Razão x Emoção. Sonho x Realidade. Porém, nada melhor do que saborear os prazeres reais produzidos por esta pequena obra de cinema exemplar. Thiago Lucio2011-01-23 00:19:59

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Pois é' date=' baixei o 720p também, mas to aqui em dúvida porque o filme entra em cartaz sexta que vem. Não sei se vejo em casa ou deixo a primeira impressão pro cinema...

Agora, venhamos e convenhamos, Cloverfield é muito, mas muito mais do que "um filme em POV" né...

[/quote']

 

Sei lá, para mim não existe essa dúvida. Entre 720p e cinema, sempre vou no 720p, hehe.

 

Com relação ao Cloverfield, eu tenho várias restrições com ele, embora goste e tenha o blu-ray. Mas o que eu quis dizer realmente é que eu fiquei cabreiro quando soube que seria o Reeves à refilmar porque ele saiu de uma câmera inevitavelmente frenética (POV) para fazer um filme onde é essencial que não seja frenético. Foi uma grata surpresa.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Revisto:

 

Ratatouille (Brad Bird, Jan Pinkava, 2007)

 

Olha, eu fico

imaginando como vai repercutir quando algum filme da Pixar não foi bom.

Por enquanto ela mantém 100% de aproveitamento. Claro que alguns são

geniais como esse aqui e outros apenas bons como Cars, mas simplesmente

não há nenhum ruim. Impressionante. É foda, sempre que revejo esse, na

cena em que o crítico (Ego) prova o Ratatouille, uma lágrima desce. Uma

bosta isso, já que sou MACHO e macho não chora.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
The Town, de Ben Affleck - Isso é o shot-for-shot remake não-autorizado ou o plágio na cara dura mesmo de Heat? Não é só um lance de roteiro, toda a lógica visual do Mann foi copiada. Se não ficou ruim, faltou dignidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um Quarto em Roma - filme erótico de grife, que tenta ser profundo o tempo todo, mas só consegue em uns poucos momentos. Mas não é ruim.

 

 

 

O Mágico - visualmente bonito, mas se contenta em ser uma ode ao Tati, tornando-se menos interessante.

Share this post


Link to post
Share on other sites

   

As Viagens de Gulliver,2010,Rob Letterman - Confesso que estava curioso. Letterman já tinha feito duas animações das quais gosto muito e a idéia de ver Gulliver "refeito" com os recursos de hoje em dia me pareceu boa.Tudo bem que havia o fator Jack Black (que às vezes funciona) mas resolvi encarar.Dancei.Tudo que se vê é um pano de fundo para que Black interprete mais uma vez a mesma personagem de sempre,com as mesmas caretas e mesmos vícios das comédias anteriores do rapaz (será que algum dia ele vai nos brindar em não ter que ver aquela pança?),tem até dancinha no final.Até os efeitos visuais são apenas corretos,e olhe lá. Desperdício total da lenda de Gulliver. Nota 2,0/10.
Dado2011-01-23 13:42:10

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Let Me In (Matt Reeves' date=' 2010)

 

É impossível para mim não ficar com

a pulga atrás da orelha quando americanos anunciam um remake de um

filme de dois anos atrás. Além, claro, de extrema vagabundice do povo

que tem preguiça de ver filmes legendados. Mas porra, esse remaque é

muito, muito bom. O Reeves, que só tinha um filme em POV no curriculum,

convence como diretor em terceira pessoa, não faz uma cópia, injeta

estilo, acerta aqui, erra ali. A cena da piscina bem piorada e o CGI

toscão são erros. A trilha e a forma que filma a mão do guri são

acertos. No geral, ótimo filme.

 

 

[/quote']

 

Na verdade, o Cloverfield foi o segundo filme para cinema do Matt Reeves...ninguém lembra, mas o primeiro filme dele (de 1996) é uma comédia simples com o David Ross Schwimmer, a Gwyneth e a Toni Collette...06

Ah sim, o filme é produzido pelo Abrams, por isso ele dirige...06

 

O Primeiro Amor de um Homem

pallbearer.jpg

 

Até é um filme bem simpático, apesar de não ser nada mto marcante...

Rob Gordon2011-01-23 15:47:18

Share this post


Link to post
Share on other sites

2001 Uma Odisséia no Espaço de Stanley Kubrick

 

Simplimente um clássico, onde tudo funciona perfeitamente da musica erodita aos brilhantes efeitos visuais e a visão autentica e magitral do Kubrick que criou sua obra prima que ainda vai fascinar muita gerações

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×
×
  • Create New...