Jump to content
Forum Cinema em Cena
Nacka

O Que Você Anda Vendo e Comentando?

Recommended Posts

 

2/4

 

O mote de O Trem de carne da Meia Noite é de primeira - pessoas começam a desaparecer nos trens do metrô de Nova York e isso desperta em um fotógrafo mórbido uma curiosidade que' date=' depois, vira obsessão - mas o resultado é regular. A foto é boa, tem um belo uso de filtros e os enquadramentos são interessantes.

 

Sou fã do material original que deu origem ao filme, tanto que releio meus exemplares dos Livros de Sangue com alguma regularidade. Grande Clive Barker!

 
[/quote']

 

se ce nao gostou desse filme, q achei ate mediano, entao passe longe dos Livros de Sangue, o filme.. esse é uma bosta total.. e olha q tb tenho a colecao do C. Barker..

 

book_of_blood.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

DEAD_AND_BURIED07.jpg

 

Os Mortos Vivos  (Dead and Buried)

 

Se esse não é o melhor filme de zumbis que vi, é um dos. Não tem como falar na essência da trama sem desvendar os segredos do filme. Talvez o próprio nome nacional "Os Mortos Vivos" já seja por si só, um spoiler. Muito suspense e mistério no lugar dos milhares de corpos pútridos andando pelas ruas e nada de ambientação caótica ou apocalíptica. Bom pra caralho!
Leandro Merce2010-06-10 23:06:58

Share this post


Link to post
Share on other sites

Green Zone (Paul Greengrass, 2010)

 

Realmente não está no nível

dos Bourne e o Greengrass devia tentar fazer algo um pouco diferente,

sem tantos tremores de câmera, além de o tema já ter cansado um pouco.

De qualquer forma, a cena da perseguição ao iraquiano no final é coisa

finíssima, melhor cena de ação do ano até agora. Tensa, empurrada por

ótima trilha, bem editada e filmada. Só pena que termina de forma meio

brochante e óbvia.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu lembro de ter achado a invasão da Casa Branca uma coisa espetacular no cinema... mas depois que revi acheio meio nhé.

 

E no embalo do Sapo,

 

 

Salomão Kane

 

solomonkaneposter.jpg

 

É bem bagaceira mesmo e quase um insulto pensar em SDA vendo isso, ok Sapo?

A trama entra numa de sem pé nem cabeça na parte final que é de lascar.

Fraco... no nível de Outlander06
Renato2010-06-10 23:36:21

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Caixa

 

...

 

O suspense do filme é relativo visto que já sabemos o argumento

principal e ficamos só no aguardo das possíveis consequências deste ato

(toda escolha tem consequências, como tudo na vida). Cameron Dias até se

sai bem como Norma Lewis tentando encontrar uma fórmula para dar uma

melhor condição financeira para sua família e um futuro promissor para

seu filho. A canastrice de James Marsden interpretado Arthur o marido de

Norma incomoda um pouco pelas caras e bocas exageradas. Não entendi a

razão da necessidade do filme ser tão longo e gostei, sobretudo, da

trilha sonora que elevava muito mais o clima de suspense que faltava nas

imagens ou nas interpretações. A produção caprichou na reconstituição

de época, figurino e tudo mais, mas, deixou de lado a questão moral,

ética e psicológica dos personagens que ficaram relegados a segundo

plano. Afinal, esta questão de matar uma pessoa, mesmo que desconhecida,

para levar vantagem ficou muito tênue. O final do filme deixou claro

que mensagem “moral ou ética” poderia se esperar de alguém que faz

aquele tipo de escolha (apertar o botão). Não conheço a versão original

que deu origem ao roteiro cinematográfico, mas achei exagerada toda

àquela explicação sobre raio, planeta Marte e alienígenas dando show de

moral e ética na raça humana.

 

...

 

Texto na íntegra no meu blog.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
A Caixa
...

A produção caprichou na reconstituição de época' date=' figurino e tudo mais, mas, deixou de lado a questão moral, ética e psicológica dos personagens que ficaram relegados a segundo plano. Afinal, esta questão de matar uma pessoa, mesmo que desconhecida, para levar vantagem ficou muito tênue.

[/quote']

É.

Tipo pessoas "de bem" que optam por matar alguém  (ainda que anonimo) por dinheiro e isso nem parece  um dilema tão importante no filme...

Talvez pq o diretor quis recheiá-lo com "N" outros assuntos paralelos mais, dai nem Langella deu conta de salvar algo... aff!

Não me lembro de nenhuma cena tensa p/ valer... mas a fotografia  e reconstituição são boas, sim.

Anyway, o episódio de "Twilight Zone" embora mais curto é muito mais tenso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

9029ctz_aol.jpg

O Ultimo Matador (1996) - 5/5 - baseado no roteito escrito por Akira Kurosawa - Yojimbo - segue uma trama nos anos 30, no vilarejo de Jericho, no Texas, quase uma cidade fantasma, lembrando o velho oeste, onde a briga entre duas gangues rivais espantaram muitos moradores. Willis interpreta John Smith, um pistoleiro fugindo da lei, passa pela cidade e vê uma boa oportunidade de ganhar dinheiro prestando serviço para as duas quadrilhas....caraca, o sangue e a violencia rola solto ate literalmente nao sobrar mais ninguem na trama...o diretor Walter Hill filma num tom meio sépia aumentando ainda mais o incomodo naquele lugar seco e poeirento.....um dois melhores de Willis, Walter Hill e Christopher Walken, aqui assustador como o vilao...
crazy2010-06-11 22:05:56

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Dia dos Mortos (Day of the Dead, George Romero, 1985) - Dessa vez mostra um lado interessante dos zumbis e parece haver esperança na tentativa de humanizar os mortos vivos. Claro que é pouco considerando a quantidade de zumbis na terra, mas é um começo. A trama é num abrigo subterrâneo e Romero coloca mais tensão entre os sobreviventes, com conflitos entre eles mesmos. Alguns zumbis estão na região subterrânea controlada e servem como cobaia para experimentos. Comparando com os anteriores, as mutilações estão mais reais e explícitas, a produção foi bem competente e deixou as cenas dos ataques mais pesadas. Gostei, mas é mais fraco que os anteriores.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A Caixa

...

 

A produção caprichou na reconstituição de época' date=' figurino e tudo mais, mas, deixou de lado a questão moral, ética e psicológica dos personagens que ficaram relegados a segundo plano. Afinal, esta questão de matar uma pessoa, mesmo que desconhecida, para levar vantagem ficou muito tênue.

 

[/quote']

É.

Tipo pessoas "de bem" que optam por matar alguém  (ainda que anonimo) por dinheiro e isso nem parece  um dilema tão importante no filme...

Talvez pq o diretor quis recheiá-lo com "N" outros assuntos paralelos mais, dai nem Langella deu conta de salvar algo... aff!

Não me lembro de nenhuma cena tensa p/ valer... mas a fotografia  e reconstituição são boas, sim.

Anyway, o episódio de "Twilight Zone" embora mais curto é muito mais tenso.

 

Eu gostei demais do filme. Apesar do diretor-roteirista colocar pela enésima vez a quarta dimensão, efeitos especiais nada-a-ver e outras firulas, ele consegue, no fundo, fazer um filme sobre o amor pela família, e também como é importante amar as pessoas que não são da família. Todo o trabalho que o marido tem para fazer a prótese para a esposa, a luta dela para o filho continuar na escola, entre outros gestos, tudo isso é mostrado de maneira efetiva - pelo menos fiquei comovido com essas sutilezas.

 

Junto com isso, vem a caixa (mais a tentação de ganhar dinehro suficiente para a família realizar seus sonhos) e todas aquelas situações bizarras que acabam mostrando aos pais que não dá para uma família se amar se ela não ama quem é de fora dela (como o Langella falou numa parte do filme, se todos agirem assim, a humanidade vai acabar). O filme mostra uma dicotomia entre o amor familiar e o amor ao próximo (próximo esse que não precisa ser da família). A tensão no filme cresce a tal ponto que, no final, a dicotomia some e vira uma unidade, a do amor sacrificial.

 

E o que torna A Caixa especial para mim é essa jornada em que os pais amadurecem seus conceitos sobre o amor. A fraqueza aparente dos dois no final é vista por mim como a maior expressão de força deles - e do filme.

 

Não sei se tem mais alguém no fórum que gostou do filme (não, não estou defendendo uma bomba 06), mas creio que ele possa subir numa revisão futura para quem não gostou.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Acho besta colocar metade do texto aqui e apontar para um blog ou o diabo que seja. 

 

Não vejo problema algum. Segundo me consta não é proibido pelas normas do fórum. Além do mais, a propaganda é a alma do negócio.

 

A síntese do que eu queria dizer sobre o filme A Caixa está no texto que eu postei. Quem tiver interesse em conhecer um pouco mais sobre minhas impressão é só ler no blog. Nada de mais. Caso não queira, não precisa aparecer por lá e desconsiderar a propaganda. Simples.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
A Caixa
...

A produção caprichou na reconstituição de época' date=' figurino e tudo mais, mas, deixou de lado a questão moral, ética e psicológica dos personagens que ficaram relegados a segundo plano. Afinal, esta questão de matar uma pessoa, mesmo que desconhecida, para levar vantagem ficou muito tênue.

[/quote']

É.

Tipo pessoas "de bem" que optam por matar alguém  (ainda que anonimo) por dinheiro e isso nem parece  um dilema tão importante no filme...

Talvez pq o diretor quis recheiá-lo com "N" outros assuntos paralelos mais, dai nem Langella deu conta de salvar algo... aff!

Não me lembro de nenhuma cena tensa p/ valer... mas a fotografia  e reconstituição são boas, sim.

Anyway, o episódio de "Twilight Zone" embora mais curto é muito mais tenso.


Eu gostei demais do filme. Apesar do diretor-roteirista colocar pela enésima vez a quarta dimensão, efeitos especiais nada-a-ver e outras firulas, ele consegue, no fundo, fazer um filme sobre o amor pela família, e também como é importante amar as pessoas que não são da família. Todo o trabalho que o marido tem para fazer a prótese para a esposa, a luta dela para o filho continuar na escola, entre outros gestos, tudo isso é mostrado de maneira efetiva - pelo menos fiquei comovido com essas sutilezas.

Junto com isso, vem a caixa (mais a tentação de ganhar dinehro suficiente para a família realizar seus sonhos) e todas aquelas situações bizarras que acabam mostrando aos pais que não dá para uma família se amar se ela não ama quem é de fora dela (como o Langella falou numa parte do filme, se todos agirem assim, a humanidade vai acabar). O filme mostra uma dicotomia entre o amor familiar e o amor ao próximo (próximo esse que não precisa ser da família). A tensão no filme cresce a tal ponto que, no final, a dicotomia some e vira uma unidade, a do amor sacrificial.

E o que torna A Caixa especial para mim é essa jornada em que os pais amadurecem seus conceitos sobre o amor. A fraqueza aparente dos dois no final é vista por mim como a maior expressão de força deles - e do filme.

Não sei se tem mais alguém no fórum que gostou do filme (não, não estou defendendo uma bomba 06), mas creio que ele possa subir numa revisão futura para quem não gostou.

Aqui a desculpa pode ser o amor pela família, mas a caixa será oferecida a outra pessoa que achará que o seu motivo será tão ou mais justificável qto.
Nisso o filme até ganha, já que explora o que justificaria tu vaticinar a morte de alguém por grana.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Não vejo problema algum. Segundo me consta não é proibido pelas normas do fórum. Além do mais' date=' a propaganda é a alma do negócio.

 

A síntese do que eu queria dizer sobre o filme A Caixa está no texto que eu postei. Quem tiver interesse em conhecer um pouco mais sobre minhas impressão é só ler no blog. Nada de mais. Caso não queira, não precisa aparecer por lá e desconsiderar a propaganda. Simples.

 

[/quote']

 

Nem tudo que está "nas regras" é necessariamente bom. Eu acho isso besta e falei o que eu acho. Só isso.

 

E é claro que eu não fui no blog.06

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Aqui a desculpa pode ser o amor pela família, mas a caixa será oferecida a outra pessoa que achará que o seu motivo será tão ou mais justificável qto.
Nisso o filme até ganha, já que explora o que justificaria tu vaticinar a morte de alguém por grana.[/quote']

 

E, em todos os casos, a pessoa escolhe fazer um gesto de amor a si mesma, mesmo que esteja "desamando" outra pessoa que não conhece.

 

Por tudo isso e mutio mais, acho que o filme é um (ótimo) tratado sobre as diversas formas de amor [/PRONTOFALEI 06]

Agente Smith2010-06-12 21:02:08

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead, Zack Snyder, 2004) - O pior filme do gênero que vi até agora, incrível como praticamente tudo está errado. Fica a dúvida de qual era a intenção do diretor por que o filme não assusta, não tem suspense, a ação é fraquíssima e os diálogos são estúpidos. Os sobreviventes no shopping agem como se nada estivesse acontecendo, adoram falar palavrão, fazer piadinhas e ironias idiotas. É o tipo de filme que praticamente tudo é previsível. Pra variar os "zumbis" estão turbinados e nem assim o filme consegue criar uma única cena interessante de ação. Enfim, uma porcaria.

 

Terra dos Mortos (Land of the Dead, George A. Romero, 2005) - Bem movimentado com boas cenas de ação. Dessa vez eles estão mais espertos. Vale pela nova postura dos zumbis na história. Gostei das atuações e do clima sombrio.

 

Diário dos Mortos (Diary of the Dead, George A. Romero, 2007) - Seria apenas mais um filme sobre mortos vivos, mas Romero segue a linha de filmes estilo Bruxa de Blair - na perspectiva do cinegrafista amador - e o resultado foi muito bom. São poucas cenas de ataques e investe mais em cenas de tensão, os diálogos e atuações são boas. É um bom filme com ótimas cenas de suspense, em alguns momentos até lembra o primeiro.
-THX-2010-06-13 18:37:58

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead' date=' Zack Snyder, 2004) - O pior filme do gênero que vi até agora, incrível como praticamente tudo está errado. Fica a dúvida de qual era a intenção do diretor por que o filme não assusta, não tem suspense, a ação é fraquíssima e os diálogos são estúpidos. Os sobreviventes no shopping agem como se nada estivesse acontecendo, adoram falar palavrão, fazer piadinhas e ironias idiotas. É o tipo de filme que praticamente tudo é previsível. Pra variar os "zumbis" estão turbinados e nem assim o filme consegue criar uma única cena interessante de ação. Enfim, uma porcaria.

 
[/quote']

 

Esse filme é sensacional, mas não acredito que você não tenha gostado pelo menos dos minutos iniciais...a camera passeando ao redor quando ela sai para o quintal da casa....a fuga....

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Eu tambem adoro Madrugada dos Mortos, um grande filme. So aquela introdução ao som de When the Man Comes Around do Johnny Cash ja valeria uma assistida. Mas o filme tem bem mais do que isso.

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vistos:

The Great Alligator (Il fiume del grande caimano, Sergio Martino, 1979)

 

Rip-off

italiano de Jaws que diverte e muito pela vagabundice. É interessante

notar que esse martino não é um estúpido completo. Aparentemente ele tem

nada de grana e apenas entrega o que dá pra fazer. Vale também pela

Barbara Bach.

 

 

Unthinkable (Gregor Jordan, 2010)

 

Quem me conhece sabe que

aprecio forma sobre conteúdo. Mensagens e discussões pra mim são

periféricos pro cinema. Às vezes, entretanto, sou apresentado a alguns

filmes fortemente calcados em questões/idéias que me deixam estremamente

satisfeito. Esse aqui é um deles. O tema é tortura. O filme é ótimo.

Vejam.

 

Revisto:

 

Transformers: Revenge of the Fallen (Michael Bay, 2009)

 

Se o Bay

não estivesse preocupado com as bolas alheias, com piadas sobre

cachorros e robôs fodendo pernas, com fios dentais em atores decadentes,

se ele tivesse cérebro e tals, teria feito algo menos ofensivo.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead' date=' Zack Snyder, 2004) - O pior filme do gênero que vi até agora, incrível como praticamente tudo está errado. Fica a dúvida de qual era a intenção do diretor por que o filme não assusta, não tem suspense, a ação é fraquíssima e os diálogos são estúpidos. Os sobreviventes no shopping agem como se nada estivesse acontecendo, adoram falar palavrão, fazer piadinhas e ironias idiotas. É o tipo de filme que praticamente tudo é previsível. Pra variar os "zumbis" estão turbinados e nem assim o filme consegue criar uma única cena interessante de ação. Enfim, uma porcaria.

[/quote']

Esse filme é sensacional, mas não acredito que você não tenha gostado pelo menos dos minutos iniciais...a camera passeando ao redor quando ela sai para o quintal da casa....a fuga....

Eu concordo com a THX. O comentário dela é como a opinição que eu dei sobre o filme na CMJ, só que mais elaborada.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×
×
  • Create New...