Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2012: Previsões


Oberon
 Share

Recommended Posts

  • Replies 4k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

O menor Gotham Awards rolando agora.

Ja duas baitas surpresas:

1. THE BEGINNERS bateu THE DESCENDANTS, MARGIN CALL e MARTHA MARCY MAY MARLENE e TAKE SHELTER na categoria de Elenco.

2. Felicity Jones (LIKE CRAZY) bateu Elizabeth Olsen (MARTHA MARCY MAY MARLENE) e Shailenne Woodley (THE DESCENDANTS) na categoria de Revelação do ano.

 

 

Acabou agora a homenagem ao Gary Oldman, ovacionado de pé.

 

Ao vivo: http://www.altfg.com/blog/movie/watch-gotham-awards-live-streaming-online/

Link to comment
Share on other sites

A Arvore da Vida e Beginners empatados no Gotham Awards. Melhores filmes do ano. 16

 

1303439178_470x353_movie-the-tree-of-life-wallpaper.jpg

 

 

Best Feature (TIE!): The Tree of Life and Beginners
Best Documentary: Better This World
Best Ensemble: Beginners!
Breakthrough Actor: Felicity Jones, Like Crazy
Breakthrough Director: Dee Rees for Pariah
Audience Award: Girlfriend
Best Film Not Playing at a Theater Near You: Scenes of a Crime

 

 

______

 

Dois "prêmios" pra ARVORE DA VIDA hoje. Que seja presságio de uma award season justa.
Link to comment
Share on other sites

 

 

 

calma galera, isso aqui não é um ring de vale tudo 06

 

.

.

.

 

ronny, qt ao soldado ryan, o q vc se refere a encheção de linguiça?

 

eu não lembro de ter visto nada ali com o intuito de aumentar o tamanho da fita, mas sim o grupo demora tanto p/ achar o verdadeiro ryan, pq estavam num território grande p/ c******* (dentro de um país), no meio de uma guerra, com milhares de alemães e americanos entre eles, com falhas de uma comunicação mais precisa (estamos falando da década de 40), onde as pessoas se deslocam constantemente sem avisar onde estão indo, e pior, fazendo isso tudo a pé!

 

a demora p/ encontrar ele veio tb justamente p/ acentuar a crescente angústia do grupo de soldados q estavam se questionando cada vez mais a respeito do sentido da missão, de sua verdadeira importância frente os riscos cada vez maiores a medida q avançavam terreno

 

má construção nos personagens?

 

acho q o filme teve um bom tempo p/ desenvolver o personagem do hanks  e do jeremy davies. isso ao menos p/ mim bastou, tendo em vista q filmes de guerra de ação, vc escolhe 1 ou 2 personagens p/ focar e contar a estória sob a ótica deles, vide além da linha vermelha, nascido p/ matar e platoon

 

ufanismo barato?

 

filmes de guerra com exceção do cartas com iwo jima sempre vão enaltecer o lado q interessa (nesse caso, o americano)

 

vc queria q o filme de certa forma tentasse mostrar as motivações alemãs e o porquê deles quererem criar uma única raça, a ariana?

 

falha histórica?

 

ok, realmente esse fato histórico nunca existiu, mas vc deve saber q isso foi proposital, isto é, a estória principal do filme é uma ficção dentro de um evento histórico real

 

curioso é saber q aquele episódio do cara encostando na parede, dela caindo, e os americanos e alemães apontando suas armas uns p/ os outros, aquilo existiu! (com outro grupo de soldados). a da cena do vin diesel segurando a criança e tentando levar ela com eles p/ oferecer uma segurança maior e depois ser alvejando por um franco-atirador, aquele episódio tb ocorreu! isto é, o filme fez um apanhado de vários eventos históricos e colocou todos juntos naquele grupo de resgate

 

e ai no final ficticio, o roteiro resolve matar todos os personagens e deixar apenas o ryan e + 1 ou 2 vivos p/ ressaltar justamente a idéia central, o dilema da missão, isto é, valeu apena passarmos por toda essa m**** p/ salvar um fedelho metido a valentão q mal saiu das fraldas?

 

ai se parar p/ analisar vc pensa:

 

1- bom, se eles não estivessem nessa missão suicida, eles estariam em alguma outra

 

2- ao passar por tantos pontos criticos, eles despacharam um franco-atirador, destruiram uma emboscada no meio de um campo aberto, tomaram um ponto critico no meio de uma cidade semi-destruida, etc, isto é, ajudaram eles mesmos, os americanos a vencer a guerra

 

3- e p/ compensar tantas perdas por "culpa" dele, o ryan aproveita cada minuto de sua vida pós-guerra, se transforma num coelho e aumenta a prole, fazendo crescer significativamente a demografia de sua familia 06

 

até tinha esquecido q o saldo tinha sido tão positivo frente a toda adversidade enfrentada 06

 

.

.

.

 

sabia q ana maria baiana tinha sido precipitada. tá parecendo até com um certo user aqui 06

 

mas ela dizer q the descendants vinha com tudo p/ a grande noite (ok, ela assistiu o filme e viu sua grande potencialidade), mas descartar outros peso-pesados dos predictors como: war horse e extremely loud and incredibly close sem nem ter visto ambos ...

 

.

.

.

 

2. Felicity Jones (LIKE CRAZY) bateu Elizabeth Olsen (MARTHA MARCY MAY MARLENE) e Shailenne Woodley (THE DESCENDANTS) na categoria de Revelação do ano.  12

 

 

 

 

 

D4rk Schn31d3r2011-11-29 00:49:53

Link to comment
Share on other sites

Encheção de linguiça não ocorre apenas por extensão excessiva do tempo de projeção, D4rk Schn31d3r. Ao meu ver o termo adquire sua real dimensão depreciativa quando se trata de mal utilização deste tempo.

A jornada em si daqueles soldados é muito mal justificada e desenvolvida. Que estrategista de guerra, dos piores que fosse, destacaria meia dúzia de seus homens, durante uma guerra que ainda não acenava para o seu fim, para resgatar um soldado porque sua mamãe chorava em casa pela perda de outro ente querido? Spielberg sequer disfarça o seu deliberado libelo à superioridade americana. O efeito daquela missão, o horror visto e enfrentado, tudo isso é pontual, nunca utilizado para sublinhar os personagens, mas sim para ressaltar uma idéia maior de dignidade do homem americano. É imperdoável que no tempo da fita Spielberg e seu roteirista não tenham abordado e questionado a legitimidade daquele conflito e daquela missão. Tudo é preto no branco: Os bons são bons; os maus são maus e não importa background ou fundamentação psicologica alguma. Os personagens estão ali para resgatar um soldado,  e essa missão não passa de alegoria para ufanismo barato.

 

No mesmo ano Malick propôs uma visão aterradora dos efeitos da guerra no homem. O que de fato implicava estar ali, no meio de uma das maiores chacinas ja perpetradas pelo homem, nas mãos de Spielberg virou um melodrama sobre homens despidos de ambiguidades, relevos psiquicos ou percepções próprias. O amor pela bandeira estava acima de medos, temores e tudo o mais.

 

A grande ironia? A meia hora inicial condena todo o resto, atesta o superficialismo de tal abordagem.

 

Parece coisa de amador, na boa.
Link to comment
Share on other sites

Ronny, compartilho a mesma opinião que vc sobre Ryan (e sobre muitas coisas)... e vc a justifica muitíssimo bem.

 

 

 

Só acho isto muito desnecessário:

 

 

 

"Na boa? Voce é uma piada aqui e é uma piada no fórum do awardsdaily, onde frequentemente é ridicularizado por opinioes cretinas e gostos patéticos. Se acalma um pouco, mede um tantinho o que posta, porque ignorantes da tua estirpe só sonham, mas nao podem de fato alçar maiores vôos. Conversados? Passar bem."

 

 

 

Só eu que achei isso pesado?

 

 

 

É uma tamanha falta de respeito e de sensibilidade com o outro. Estamos num espaço de discussão, não de ofensas. Aproveitando que fui ver "Um bonde chamado desejo" este final de semana, tem uma frase de Blanche que é assim: "Crueldade intencional é imperdoável".

 

 

 

Enfim... minha simpatia para o Cremildo que não é nenhuma piada para mim, pelo menos.

 

 

 

-------

 

 

 

Isabelle Huppert é mesmo sensacional. Sua Blanche Dubois é completamente diferente de tudo que poderia imaginar. Entrega absoluta e sem o mínimo pudor. A adaptação da peça é extremamente moderna e tecnológica. O diretor parece que tentou mostrar o que se passa no interior de Blanche. Muito gente não gostou, mas eu achei bem bacana!

 

 

 

 

 

 

 

Leleo2011-11-29 06:54:01

Link to comment
Share on other sites

Definitivamente essa Lone Scherfig não faz parte do grupo de mulheres cineastas que mexem com minha cabeça (Denis, Coppola, Martel...). Ontem vi aquele One Day, que diferentemente de An Education não é simplesmente um filme insosso, desinteressante; esse de agora é um lixo absoluto mesmo! Anne Hathaway, ora fazendo um sotaque inglês que nunca permite que você esqueça que ela é, de fato, americana, ora esquecendo de fazer o sotaque...personagens completamente apáticos e antipáticos, ao mesmo tempo...montagem INSUPORTÁVEL...que isso, essa mulher é uma picareta de marca maior! Esse filme é uma prova irrefutável que como esse jogo de previsão pode parecer uma piada de mau gosto, dependendo do nível dos participantes - e da participação.

 

Leleo, não bastava estar em Paris (motivo suficiente para gerar a inveja no amiguinho), ainda vai ver Isabelle Huppert no teatro, sendo Blanche? Paia...

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

Prenda-me Se For Capaz pra mim é um dos filmes mais geniais que Spielberg já fez. Tem uma leveza tão cativante e personagens tão críveis. E ouso dizer que até hoje não senti Leonardo DiCaprio tão confortável num papel quanto neste aqui. É sensacional.

 

 

 

Já na disputa entre Shakespeare e Soldado Ryan eu fico com Terence Mallick. 06.gif

 

Ah sim, eu só fiz um paralelo entre os dois!

 

...

 

Ronildo, vc se altera demais menino! Calma! Se vai discutir sobre esse filme do Spielberg especificamente, é só pegar a storyline do mesmo e perguntar logo depois: Oi? 060606

 

 

 

FeCamargo2011-11-29 11:42:41

Link to comment
Share on other sites

Exato, a disputa no ano foi entre os dois.  O filme do Mallick foi o estraga festa.  Mesmo sabendo que TODOS os Oscars de Shakespeare e do filme do Benigni foram literalmente comprados, não se pode de dizer que a vitória do primeiro em melhor filme tenha sido injusta.  Eu prefiro Ryan, mas Shakespeare é um belo filme.  Sobre o Benigni (fiz um voto que nunca mais falaria disso, de tanto que já falei sobre isso), o único Oscar que o filme mereceu foi o de trilha sonora, belíssima!  O filme é ótimo, mas nem encosta na unha encravada de Central.  Mas eles queriam mesmo era ver alguém pulando feito perereca, fazendo o bobo da corte.  E ter visto os quatro indicados perder melhor ator (ele está bem, mas é ele por ele mesmo, o cara comprovou isso ali mesmo na entrega dos prêmios) e principalmente porque o melhor mesmo, Carrey, tomou um cuspe na cara, foi lastimável!

 

 

Link to comment
Share on other sites

Leleo... Você não pode fazer isso com a gente.Tudo bem que ao ler que a montagem foi tecnológica me dá um frio na espinha... Mas penso em Isabelle como Blanch... Nuh.Igual Cate Blanchett. Que dizem que era soberba!

 

 

 

 

 

 

(Sei que é off topic, mas pra quem gosta de teatro e da Huppert pode interessar...)

 

 

 

A montagem de Krzyztof Warlikowski (não me perguntem como pronuncia isso) faz uso de muitos "efeitos especiais", de captação da imagem em tempo real e projeção, cenário que se movimenta continuamente, enfim bem modernosa mesmo. E a trilha sonora é dominada pelo rock. A intenção dele era retratar o universo psicológico de Blanche. O ideia é super interessante. O texto da peça está quase todo lá, apesar dele ter incluído trechos de outros textos consagrados. No início eu tava esperando o jazz do Alex North entrar como no filme de 1951, vício de quem ama o filme. Mas é algo completamente diferente.

 

 

 

Enfim, Huppert constrói uma Blanche neurótica, compulsiva, decadente... impressionante como ela desconstrói a elegância que é tão natural nela. Eu senti um frio na barriga danado quando ela entrou em cena, coisa de fan. E o espetáculo é bem pesado. As velhinhas que estavam perto de mim, ficaram meio escandalizadas. Não sei se daria um bom filme. Só não gostei do Stanley... bem fraquinho, Huppert engole ele em cena.

 

 

 

Também daria tudo para ver Blanchett interpretando Blanche, uma refilmagem com ela seria bem-vinda.

 

 

 

-----

 

 

 

Vcs sabiam que Mélanie Laurent está estreando como diretora? O filme se chama "Les adoptés" e tá recebendo elogios. Vai ter a pré-estreia com ela, mas não sei se poderei ir.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Analisando os últimos 6 prêmios do NYFCC nota-se que eles acertam, em média, 2 dos 4 oscars de atuação. Teve ano que não acertou nenhum, assim com oteve ano que acertou 3.

 

 

 

Estou curioso pela briga de atriz e pela de ator.

 

E já pensou se pinta um David Fincher e o Dragon Tatoo?

Link to comment
Share on other sites

 

E já pensou se pinta um David Fincher e o Dragon Tatoo?
Não duvido. Acho que dá esse ou Os Descendentes.

 

 

 

É o favorito, sem dúvidas.

 

 

 

Mas, por tudo que foi dito e pelos trailer, parece que não é um filme muito "de crítico". Crítico é, normalmente, uma pessoa amarga e fria, logo, gosta de filmes menos "bonitinhos". Por isso acho que Descendentes pode perder, abrindo espaço para algo menos feliz. 06.gif

Link to comment
Share on other sites

Estava torcendo por ela! É a quinta vez que o NYFCC premia uma Atriz Coadjuvante por múltiplos trabalhos em um ano - as outras foram Meryl Streep, Jennifer Jason Leigh, Judy Davis e Miranda Richardson, em 79, 90, 91 e 92, respectivamente. Oberon2011-11-29 13:10:15

Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...