Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2012: Previsões


Oberon
 Share

Recommended Posts

  • Replies 4k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Alguém sabe se já há previsão de quando We Need to Talk About Kevin estreia nos EUA e aqui? Comecei a ler o livro e estou adorando. Realmente o material é poderoso, em especial, claro, para Tilda Swinton.

 

E que eu saiba o My Week with Marilyn também será distribuído pela Weinstein Company. Será que desistiram da Michelle Williams e querem tentar com Streep ou vão tentar emplacar as duas mesmo?
Link to comment
Share on other sites

Sobre essa notícia do Woody Allen, sei não, viu. Pra mim, ele tá devendo um filme bom há muito tempo, e toda vez a mídia faz essa pequena celeuma, mas o resultado é, na melhor das hipóteses, pífio.

Mesmo Match Point - que eu considero um bom filme, e só - não deixa de ser uma derivação inferior dele próprio em Crimes e Pecados.
Link to comment
Share on other sites

Semprei achei que Match Point destoava muito do estilo dele, mas realmente tem alguns elementos ali que já haviam aparecido antes. Talvez seja a adoração ao Dostoiévski.

 

 

 

Minha previsão para Cannes, às cegas:

 

Ator: Sean Penn | This Must Be the Place

 

Atriz: Hafsia Herzi (ela está em dois filmes selecionados)| L'apollonide (Souvenirs de la maison close)

 

Diretor: Naomi Kawase | Hanezu no tsuki

 

Prêmio do Juri: We Need to Talk About Kevin | Lynne Ramsey

 

Melhor Roteiro: The Tree of Life | Terrence Malick

 

Palma de Ouro: Pater | Alain Cavalier

 

 

 

E a babação em cima dos Dardenne realmente existe, então talvez role um prêmio especial pra algum coadjuvante, como teve para a Irma P. Hall em Matadores de Velhinha.

Link to comment
Share on other sites

Pra quem ainda não viu, trailer do novo dos Dardenne:

 

 

--------

 

Sobre o Allen,  gosto bastante de vários dos recentes dele. Match Point é o melhor, mas também curto Vicky Cristina Barcelona e até O Sonho de Cassandra, que é bem desgostado por aí. Poucos são os filmes dele que me deixam com um gosto amargo mesmo, como foi o caso do "You'll meet a tall dark stranger".

 

Match Point inclusive coloco num top 5 do cara (junto com A Rosa Púrpura do Cairo, Manhattan, o próprio Crimes e Pecados, etc...)

 

------

 

Link to comment
Share on other sites

Eu também adoro a babação nos Dardenne. O Filho, A Criança, O Silêncio de Lorna e Rosetta são, no minimo, espetaculares (o mais inferior é o Lorna, mas o final é tão incrível que praticamente o eleva ao nivel dos outros). E esse O Garoto de Bicicleta é mais um deles com o Jeremie Renier, parceria que vem se revelando magnifica. O cara é muito subestimado.

 

Link to comment
Share on other sites

Eu sou fãzóide irracional dos irmãos Dardenne. Poucos cineastas pra mim conseguem manter o excepcional nível de suas produções. Rosetta, A Promessa, O Filho e A Criança são das obras mais geniais que eu ja vi, até O Silencio de Lorna, que achei um pouco inferior, ainda é mais interessante que 90% das produções que assisto.

Link to comment
Share on other sites

 

Imitando o Ronny, só que a partir da cobertura de amigos sobre We Need To Talk About Kevin:

 

"o que

sobressai é a mão pesada de Ramsay, que parece não conseguir conter seu

irritante desejo de interferir na cena." - Ursula Rösele, Filmes Polvo

 

 

 

"algo que vai dominar a primeira meia

hora do filme ao ponto da exasperação: uma necessidade de criar

planos sempre enormemente belos e “emocionantes” de uma maneira

que faria Wong Kar-wai parecer um cineasta descuidado da imagem.

Por outro, o tipo de significação rasteira e fácil através de

elementos de linguagem, como o uso nas raias do absurdo da cor

vermelha ao longo de todo filme." Eduardo Valente - Cinética

 

Thico2011-05-14 12:13:34

Link to comment
Share on other sites

 

Li uma crítica do KMF muito positiva ao novo deles. Passou hj em Cannes.

 

O Filho continua meu favorito dos Dardenne. É de uma força absolutista que me tira o fôlego toda vez que vejo! O roteiro é uma sacada de mestre e a linguagem de câmera só amplia o impacto. Gênios.

 

Esse foi o filme que mudou minha forma de escrever e pensar o cinema na realidade. Um marco na minha vidinha! 06

 

 

 

FeCamargo2011-05-14 17:23:00

Link to comment
Share on other sites

Guy Lodge, do InContention, está em Cannes e assistiu a Return.

 

Ele diz que Linda Cardellini (E.R., Scooby Doo, Brokeback Mountain) pode começar a preparar sua campanha pro Oscar.

 

----------------------------

 

E Martha Marcy May Marlene continua angariando reações mais-que-positivas na web:

 

Mike D'Angelo found his favourite at last:

 

 

 

Quote:

 

Martha Marcy May Marlene (Durkin): 82. One of the best pure ideas 4 a

movie anyone has ever had. That it's so well executed is almost gravy.

 

And Aurelius:

 

 

 

Quote:

 

Martha Marcy May Marlene Magnificent.

 

And Guy Lodge:

 

 

 

Quote:

 

I've just seen a heavyweight candidate for my year-end Top Ten.

 

And Cédric:

 

 

 

Quote:

 

So have I but are we talking about the same film? MMMM.

 

And Ioncinema:

 

 

 

Quote:

 

Look for 3 back to back interviews shortly... in honour of my

favourite film of the year Martha Marcy May Marlene and its UCR Cannes

debut.

 

And Guy again:

 

 

 

 

Quote:

 

 

 

 

MARTHA MARCY MAY MARLENE (A-) Forces rethink of what we call horror:

searching, driftwood-shaped film settles upon you like a slow strangle.

 

 

 

If Fox Searchlight can't get the extraordinary Elizabeth Olsen (yes, The

Other Sister) onto the 2011 awards trail, people should get sacked.

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

É por isso que eu amo os Dardenne... Cineastas que retratam tudo oq eu acredito no cinema. Essa declaração deles resume muito bem o que eu penso que é o fazer cinema:

 

"Jean-Pierre conta que os ensaios são intensos. "Não podemos chegar no

primeiro dia de filmagem e já saber o que queremos; somos incapazes

disso. E também não conseguimos fazer um filme pensando numa mensagem que queremos passar. Isso simplesmente não funciona."

 

Aí vem neguinho ver o filme e começa a punhetar sobre ser uma metáfora para a sociedade atual ou um paralelo para a realidade B ou ainda um ensaio voltado para X... Muito bem Dardennes, cinema é isso, simples, sem paralelos, palavras difíceis e mensagens subliminares. 06 O que ele vai causar em cada um, aí é com cada um mesmo, afinal, quando o filme estréia ele deixa de ser seu. 01

 

Estou doido pelo O Garoto da Bicicleta. Resta esperar a Mostra de São Paulo...

 

 

FeCamargo2011-05-15 15:09:23

Link to comment
Share on other sites

 

Como é sempre melhor deixar as coisas claras, para evitar mais mals entendidos como aquele da Ana Maria Bahiana sobre Melissa Leo, os Dardenne disseram isso, quando comparados com Clint Eastwood, com quem a protagonista do filme deles, Cecile de France, havia atuado antes:

 

the team "worked in a more simple way... we were more relaxed than usual, we

rehearsed an enormous amount and became a tightly knit team."

"If we don't (rehearse), we're incapable of turning up on filming day and knowing what we want, so we rehearse a lot."

 

Ou seja, outra frase erradamente traduzida. Eles quiseram dizer que ensaiam muito para poder chegar no primeiro dia de filmagem sabendo o que querem.

 

E cinema pode ser, sim, repleto de paralelos, mensagens subliminares e tantas outras coisas. Isso também está nos olhos de quem vê.

 

Thico2011-05-15 20:56:42

Link to comment
Share on other sites

 

A Árvore da Vida já foi exibido em Cannes e, como não poderia deixar de ser em se tratando de Malick, não houve uma adoração unânime de imediato. Alguns que viram acharam simplesmente magnífico, outros pretensioso e alguns outros preferiram nem comentar porque precisam 'digerir' melhor a obra.

 

 

 

 

 

Rope of Silicon:

 

 

 

 

 

Tree of Life starts out on the right track, but derails and turns into a bunch of disjointed mumbo-jumbo about 30 minutes in

 

Total Film: The Tree Of Life: utterly mesmerising first hour, slightly listless

second, generally unmissable...visually breathtaking and technically

masterful, but excruciatingly drawn out and annoyingly pretentious.

 

 

ICSfilm: A deeply affecting poem about all of us. The Tree Of Life exceeds expectations.

 

The Hollywood Reporter: A unique film that will split opinions every which way, which Fox

Searchlight can only hope will oblige people to see it for themselves.

 

Variety: Few American filmmakers are as alive to the splendor of the natural

world as Terrence Malick, but even by his standards, "The Tree of Life"

represents something extraordinary. The iconoclastic director's

long-awaited fifth feature is in many ways his simplest yet most

challenging work, a transfixing odyssey through time and memory that

melds a young boy's 1950s upbringing with a magisterial rumination on

the Earth's origins. Result is pure-grade art cinema destined primarily

for the delectation of Malick partisans and adventurous arthouse-goers,

but with its cast names and see-it-to-believe-it stature, this

inescapably divisive picture could captivate the zeitgeist for a spell.

 

The Playlist: Firstly, “The Tree Of Life” is not the cinema-changing, soul-shattering

masterpiece it has been built up into. That said, it’s a hugely

ambitious and occasionally brilliant undertaking that finds the director

using the story of a fractured relationship between a father and his

children to ask the question of ages: where is God?

 

Guy Lodge (InContention) - The Tree of Life (***)

 

http://incontention.com/2011/05/16/r...-tree-of-life/

 

 

 

 

 

 

 

Peter Bradshaw (The Guardian) loves TTOL. 5 out of 5 stars.

 

No fórum do site Awards Daily (alguns membros estão em Cannes), dizem que Penn aparece bem pouco, Pitt está forte e Chastain discreta. Não creem muito em indicações para o elenco.

 

A aguardar a recepção nos EUA.

 

Cremildo2011-05-16 11:05:59

Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...