Jump to content
Forum Cinema em Cena

A Casa da Mãe Joana


tigo
 Share

Recommended Posts

  • Replies 3.9k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

E acabei de ouvir a música do U2. Me deu a mesma impressão do álbum: o baixista e o baterista são fracos' date=' só o The Edge parece mostrar um pouco de talento. Mas acho que ouvirei esse The Joshua Tree.

[/quote']

 

é exatamente isso... o baixo e o batera fazem só o básico e deixam o guitar se esbaldar...

 

O Strokes faz mesma coisa06

 

Mas a diferença é que o baterista e o baixista do Strokes tocam bem demais.
Link to comment
Share on other sites

 

Estrôncio/Luizz/whoever' date=' achei que podia acabar sem a morte do escritor. Falhei no português, o filme foi frio sim, mas um tanto quanto forte. Como o próprio fantasma falou: "você sabe que isso não vai levar a nada, né?" (claro que ainda pensando que Lang teria ligação direta com a CIA) e cansou de falar que não ligava para a política. Ou seja, se o filme acabasse com ele indo embora simplesmente, não seria problema. Não vejo porque ele se politizaria e lutaria por algo a partir dali, simplesmente levou os manuscritos embora como prova, talvez pudesse dar a Ry (acho que era isso), mas ficava a critério da imaginação.[/quote']

 

SPOILERS

 

 

 

 

 

Eu não tenho problema nenhum com o final. Lembro que na hora levei um susto quando isso ocorreu, até achei um pouco abrupto a morte dele, mas a forma IMPECÁVEL como a cena foi conduzida me fez esquecer qualquer sentimento negativo que eu tinha sobre ele.

 

Link to comment
Share on other sites

 

Vcs são muito ishpertos' date=' conseguem até avaliar baixo e bateria em uma música. Eu nem sei como é o som de um baixo. [/quote']

 

o Lumi é o típico público rasteiro...

Eu que já fui baixista sei o que é isso... o baixista é aquele que "toca uma guitarra grande"06

 

06

 

E baixo é uma das coisas que mais gosto na música. Mais que guitarra, por vezes, inclusive.

 

Link to comment
Share on other sites

E acabei de ouvir a música do U2. Me deu a mesma impressão do álbum: o baixista e o baterista são fracos' date=' só o The Edge parece mostrar um pouco de talento. Mas acho que ouvirei esse The Joshua Tree.

[/quote']

 

é exatamente isso... o baixo e o batera fazem só o básico e deixam o guitar se esbaldar...

 

O Strokes faz mesma coisa06

 

Mas a diferença é que o baterista e o baixista do Strokes tocam bem demais.

 

não sei... dentro do que se propõe, sim... igual ao U2.

O baixo do Strokes, a maioria é cabeça de nota... e a batera sem grandes invenções, sempre reta.

 

Eu curto muito esse estilo, valoriza mais a canção.
Link to comment
Share on other sites

 

Muito bom na tensão' date=' nem senti o filme passar. A ideia hitchockiana de jogar um personagem aleatório no meio do rolo compressor de suspense e discussão entre pessoas do alto escalão é oportunamente aproveitada. O final-final que foi o problema, preferia algo mais frio e que deixasse aberto ao espectador; ou, ainda, um filme maior com um possível desenrolar do que ocorrera imediatamente antes.[/quote']

 

 

Eu adorei o Hitchcock factor ali. Na verdade acho que é meu filme predileto do ano passado junto com Death Proof, até por achar que ninguém deu muita bola.

 

Agora, o final é bem frio, não? 06

 

SPOILERS

 

 

 

 

 

Nossa, o final é absolutamente incrível. E o que o faz ser nem é a revelação (que todo mundo já sabia qual era), mas a forma como ele faz, com o bilhete passando de mão em mão, que é de pôr o coração pra fora. E as páginas voando? FOOOOOOOOOODA!!!!

 

 

Tem um Qzão de Michael Clayton ali, né? Muito bom.

 

E sério que o Sopa vai me fazer ficar voltando praquela página até ele editar? 06

 

Michael Clayton? Em qual das duas partes?

 

Link to comment
Share on other sites

Lumi, o baixo é o instrmento que dá as notas graves... o que faz a "cama" da música.

 

Geralmente ele mais sentido do que escutado... você pode até não identificar, mas se a música não tem baixo você sente que fica faltando alguma coisa... justamente o grave....a alma06
Link to comment
Share on other sites

Estrôncio/Luizz/whoever' date=' achei que podia acabar sem a morte do escritor. Falhei no português, o filme foi frio sim, mas um tanto quanto forte. Como o próprio fantasma falou: "você sabe que isso não vai levar a nada, né?" (claro que ainda pensando que Lang teria ligação direta com a CIA) e cansou de falar que não ligava para a política. Ou seja, se o filme acabasse com ele indo embora simplesmente, não seria problema. Não vejo porque ele se politizaria e lutaria por algo a partir dali, simplesmente levou os manuscritos embora como prova, talvez pudesse dar a Ry (acho que era isso), mas ficava a critério da imaginação.[/quote']

SPOILERS





Eu não tenho problema nenhum com o final. Lembro que na hora levei um susto quando isso ocorreu, até achei um pouco abrupto a morte dele, mas a forma IMPECÁVEL como a cena foi conduzida me fez esquecer qualquer sentimento negativo que eu tinha sobre ele.

 

 

Putz, pra mim essa coisa dele levar ou não adiante não acrescentaria em nada. Já aquele plano final, Luishh falou tudo: This is Polanski.
Link to comment
Share on other sites

 

Eu falando da maravilhosa banda falecida chamada Audioslave e ninguém deu bola...bando sem cultura 06

 

Não ouvi nenhum álbum deles' date=' mas já ouvi Soundgarden (e adorei demais). Serve? 06
[/quote']

 

 

Não. Eles só tem três cd's e todos são obrigatórios. 06

Soundgarden é mto bom, mas é ooooutra banda. 06

 

Link to comment
Share on other sites

E acabei de ouvir a música do U2. Me deu a mesma impressão do álbum: o baixista e o baterista são fracos' date=' só o The Edge parece mostrar um pouco de talento. Mas acho que ouvirei esse The Joshua Tree.

[/quote']

 

é exatamente isso... o baixo e o batera fazem só o básico e deixam o guitar se esbaldar...

 

O Strokes faz mesma coisa06

 

Mas a diferença é que o baterista e o baixista do Strokes tocam bem demais.

 

não sei... dentro do que se propõe, sim... igual ao U2.

O baixo do Strokes, a maioria é cabeça de nota... e a batera sem grandes invenções, sempre reta.

 

Eu curto muito esse estilo, valoriza mais a canção.

 

É, aqui as guitarras falam mais alto, mas o baixo e a bateria são meio que a linha para as músicas. E nesse exemplo os Strokes são muito bem sucedidos.

 

E antes que me perguntem: não sei tocar nenhum instrumento, mas tô com uma puta vontade de tocar guitarra. 06
Link to comment
Share on other sites

Muito bom na tensão' date=' nem senti o filme passar. A ideia hitchockiana de jogar um personagem aleatório no meio do rolo compressor de suspense e discussão entre pessoas do alto escalão é oportunamente aproveitada. O final-final que foi o problema, preferia algo mais frio e que deixasse aberto ao espectador; ou, ainda, um filme maior com um possível desenrolar do que ocorrera imediatamente antes.[/quote']

 

 

Eu adorei o Hitchcock factor ali. Na verdade acho que é meu filme predileto do ano passado junto com Death Proof, até por achar que ninguém deu muita bola.

 

Agora, o final é bem frio, não? 06


SPOILERS





Nossa, o final é absolutamente incrível. E o que o faz ser nem é a revelação (que todo mundo já sabia qual era), mas a forma como ele faz, com o bilhete passando de mão em mão, que é de pôr o coração pra fora. E as páginas voando? FOOOOOOOOOODA!!!!

 

 

Tem um Qzão de Michael Clayton ali, né? Muito bom.

 

E sério que o Sopa vai me fazer ficar voltando praquela página até ele editar? 06


Michael Clayton? Em qual das duas partes?

 

 

Nossa, tu não achou não? Esse lance do protagonista ter um acerto de contas via documentos com a "vilã fria" no final. Me lembrou muito.
Link to comment
Share on other sites

 

Estrôncio/Luizz/whoever' date=' achei que podia acabar sem a morte do escritor. Falhei no português, o filme foi frio sim, mas um tanto quanto forte. Como o próprio fantasma falou: "você sabe que isso não vai levar a nada, né?" (claro que ainda pensando que Lang teria ligação direta com a CIA) e cansou de falar que não ligava para a política. Ou seja, se o filme acabasse com ele indo embora simplesmente, não seria problema. Não vejo porque ele se politizaria e lutaria por algo a partir dali, simplesmente levou os manuscritos embora como prova, talvez pudesse dar a Ry (acho que era isso), mas ficava a critério da imaginação.[/quote']

 

SPOILERS

 

 

 

 

 

Eu não tenho problema nenhum com o final. Lembro que na hora levei um susto quando isso ocorreu, até achei um pouco abrupto a morte dele, mas a forma IMPECÁVEL como a cena foi conduzida me fez esquecer qualquer sentimento negativo que eu tinha sobre ele.

 

 

Putz, pra mim essa coisa dele levar ou não adiante não acrescentaria em nada. Já aquele plano final, Luishh falou tudo: This is Polanski.

 

A trama do filme é relativamente comum. Mas a direção do Polanski é algo de outro mundo. Lembro de ficar super-hiper-nervoso quando o McGregor faz a pesquisa no google.

 

E a cena do avião? 16

 

Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...