Jump to content
Forum Cinema em Cena

The Dark Knight Rises (#2)


Big One
 Share

O Bane vai quebrar a coluna do Batman?  

45 members have voted

  1. 1. O Bane vai quebrar a coluna do Batman?

    • Sim
      20
    • Não
      25


Recommended Posts

Ao contrário... conforme vou ficando mais velho, mais convicto fico de que a subjetividade é uma prostituta usada ao bel prazer da conveniência...

Ao contrário... conforme vou ficando mais velho, mais convicto fico de que a subjetividade é uma prostituta usada ao bel prazer da conveniência...

 

UAiAUAUI

 

O problema não é a subjetividade, é reconhece-la, ai tudo pronto, acaba se tornando uma caverna ao invés de ser um incentivo a sair dela.

Link to comment
Share on other sites

Ao contrário... conforme vou ficando mais velho, mais convicto fico de que a subjetividade é uma prostituta usada ao bel prazer da conveniência...

 

Não menospreze essa prostituta, já que volta e meia todos somos obrigados a pelo menos dar uma rapidinha nela. Você incluso.

Link to comment
Share on other sites

Sério mesmo que só eu vou fugir da estreia e do hype? Fui na estreia dos outros dois, mas sei lá. Muita nerdice pra quem trabalha o dia inteiro. Estou puto também com a crescente falta de educação do povo nos cinemas: é casalsinho discutindo a relação e zé graça fazendo piada o tempo inteiro. Fora que volta e meia tem um nerd virgem que se acha o máximo porque leu o filme inteiro na wikipedia e fica contando em voz alta no meio da fila. Duro vai ser escapar dos spoilers que vão pipocar pelo FB, mas tudo bem, é só ficar distante. Ódio desses eventos mega-hypados que prejudicam quem realmente gosta de um bom cinema.

Link to comment
Share on other sites

UAiAUAUI

 

O problema não é a subjetividade, é reconhece-la, ai tudo pronto, acaba se tornando uma caverna ao invés de ser um incentivo a sair dela.

 

Gostei do símile que você inventou (ou sugeriu, pois posso ter interpretado errado). A subjetividade é uma caverna. Todos vemos as coisas ao nosso modo, único e individual, aprisionados às nossas limitações; uns com mais ou menos intensidade que os outros, dependendo da luz projetada a partir da fogueira no meio da caverna, a qual projeta as sombras que avistamos nas paredes.

 

Sair dessa caverna é ver a luz, não mais as sombras.

 

Ou, para abandonar os gregos e lembrar outro grande povo, mais visionário: deixar de ver por um espelho para então ver face a face.

Link to comment
Share on other sites

Acabei de voltar da sessão do Batman... e antes de citar qualquer coisa, eis meu top com suas notas:

 

O Cavaleiro das Trevas - 8,5

O Cavaleiro das Trevas Ressurge - 7

Batman Begins - 7

 

Sim, isso mesmo, coloquei TDKR no mesmo patamar de Begins, o filme é bom, mas tem mtas coisas q não me agradaram, a começar com a dublagem do Bane q achei ridicula, todas as vezes q falava me dava raiva, ainda tem alguns dialogos chesse presente, como "você é o mal em pessoa."... a edição sem ritmo ainda está lá presente... desacelerada no momento errado e corrida no momento errado... acelera alguns fats importantes para concentrar uma subtrama q não acrescenta nada ao filme, que por falar nelas, tem umas 3 ou 4 subtramas q poderiam ser limadas.. e a Hathaway não é essa brastemp toda q falam não...

 

Podem me acusar de ter visto o filme para procurar erros, e em certo ponto isso é correto, mas ele tb tem pontos positivos, tem uma ótima história e bons momentos de tensão...

 

Amanhã comentarei melhor sobre o filme...

Link to comment
Share on other sites

Cara, acabo de voltar da sessão! Puts, Nolan, você é meu herói!

 

Agora eu entendo o que ele quis dizer quando falou que assumiu certos risco. Entregou o filme para os fãs! Trilogia perfeita. Não tem como comparar com os outros dois filmes.

 

NOLAN, OBRIGADO!

 

Bane é f*da!

Link to comment
Share on other sites

O filme é muito bom, mas não é essa "coca-cola" toda que andam pregando, não.

 

(SEM SPOILERS)

 

Costumo dizer que não sou marvete e nem dcnauta, mas sou batmaníaco. E ainda assim reconheço que o filme, apesar de oferecer uma experiência fantástica, tem muuuitas falhas, mais do que nos dois longas anteriores da franquia. E não se deixem enganar, a euforia causada pelos últimos 5 minutos do filme provocam uma falsa sensação de que o filme é melhor do que ele realmente é.

 

Aspectos Negativos:

 

- Pra começar, não gostei do plano do Bane. Poderia ter resumido 5 meses em um simples "click" (ok, mas aí não teria filme).

 

- O excesso de clichês foi o que mais me irritou: Batman aparecendo no lugar certo, na hora certa, várias vezes, de forma muito forçada; vilões explicando o plano detalhadamente; personagem proferindo discurso nos momentos de agonia antes da morte, de forma ridícula; entre outras coisas (e não me venham com aquela babaquice de "homenagem à série dos anos 60")

 

- O excesso de personagens não é um problema em si, mas sim a consequência que deixa personagens-chave de escanteio, como Lucius Fox e Alfred, que estão apagadíssimos no filme (apesar do Michael Caine fazer valer cada segundo na tela).

 

- Pouca ação para um filme tão longo e pouco tempo de Batman na tela, o que torna o filme meio arrastado em certos momentos.

 

- Frases constrangedoras (aqui sim) como "você é o mal em pessoa"... "você é enorme" ... ou quando numa situação totalmente tensa, um personagem diz para Selina: "me liga" (numa 'piada' deslocada).

 

Acho curioso como o Nolan, nos três filmes, tenta fazer "alívio cômico" com apenas uma frase isolada, ao invés de criar uma micro-situação engraçada (como aquela do Coringa fazendo o truque com o lápis ou desolado com a falha inicial da explosão do hospital). Por isso falha nesse sentido em 80% das vezes. Em Begins só ri uma vez, com a manchete de jornal "Bilinário bêbado põe fogo na mansão", e nesse novo filme ri muuuito após uma conversa do Batman com a Mulher-Gato num telhado (a melhor piada da trilogia. rs!), mas foi só isso.

 

- Por fim, não gostei tanto assim do tão aclamado terceiro ato. O confronto entre a polícia e a gangue do Bane não é enfocada, cedendo 97% do espaço para a lutra entre Batman e Bane. E tem o clichêzão da bomba com um enorme display digital, que é a forma mais besta de se tentar criar "tensão crescente" num filme.

 

Aspectos Positivos:

 

- Bane! Muito bom. Lembra o Darth Vader, inclusive na hora de lhe dar com seus subalternos. Interessante como o baixinho Tom Hardy ficou gigante no filme.

- Mulher-Gato. Hathaway interpreta muito bem uma ótima versão da ladra, mas infelizmente não transmite a sensualidade característica da personagem.

- John Blake (Gordon Levitt). Dos novos personagens, é o melhor explorado, e com boa razão para isso.

- As cenas de ação estão ótimas e nas cenas de luta não percebi os cortes rápidos que tanto incomodaram em Begins.

- The Bat tá muito [email protected]! =)

- A primeira luta entre Batman e Bane é antológica!

 

Enfim, respondendo às perguntas clássicas que muitos têm medo de responder:

Na minha humilde opinião:

- Não, TDKR não é melhor do que TDK.

- Não, Bane/Hardy não é melhor do que o Coringa/Ledger.

- Confesso que me diverti mais com Os Vingadores, mas esse tipo de filme mais "pé na realidade", "denso", "tenso", "dark" me agrada mais, por isso considero TDKR melhor do que Os Vingadores.

 

Minhas notas para a trilogia:

*Batman Begins: 8,0

*The Dark Knight: 10,0

*The Dark Knight Rises: 8,0

 

AGORA VOU DISCUTIR OS SPOILERS:

 

Negativos:

 

Talia foi extremamente mal aproveitada na trama. Poderíamos ver pelo menos um confronto físico entre ela e o Batman, o que não ocorre. A morte dela foi constrangedora.

 

Bane morreu??? Lembremos que ele usa um mega colete. Se morreu, a morte dele foi muito simples e sem impacto emocional. Além disso, era para o Batman derrotar definitivamente o Bane, e não a Mulher-Gato, e de forma tão fácil.

 

Onde diabos ficava aquela prisão onde o Wayne estava preso? Como ele viajou até Gotham? Como ele furou o cerco da cidade???

 

 

Positivos:

 

Apesar de acompanhar muitos detalhes da produção e ler muitas teorias e boatos, não pensei que o Bane fosse quebrar a coluna do Batman. Quase melei as calças. Aplaudi sozinho a cena numa reação involuntária. E como os caras do Omelete comentaram, a cena é seca e brutal. Se o Schumacher fosse o diretor, iria mostra a cena de vários ângulos e em câmera lenta.

 

John Blake ser o Robin foi o spoiler do qual valeu a pena passar longe. :) Tenho certeza que se o Nolan optasse por chamá-lo de "Dick Graysson" ou "Tim Drake", metade do cinema não entenderia, por isso compreendo sua decisão de batizá-lo de "Robin". Fico imaginando se ele assumirá o manto do morcego ou a identidade do Asa Noturna. Prefiro vê-lo como o Asa, num "spin-off" (ou seria sequência???) ao lado de personagens como Caçadora, Bat-Girl, Azrael, combatendo os fugitivos de Black Gate (sim, ficou essa enorme pendência no final do filme).

 

 

E por fim... o polêmico final

 

Em nenhum momento eu cogitei a possibilidade do Alfred estar fantasiando o Bruce com a Selina ali em Florença. Me espantei ao me deparar com essa teoria no vídeo do Omelete e na crítica do Pablo Villaça. E essa teoria vai por água abaixo diante do conserto do Bat-sinal, do GPS deixado pro Blake (não dava para fazer tudo isso correndo contra o relógio) e do fato que o Bruce consertou o Piloto Automático do The Bat. (Só não entendi se o The Bat que aparece no final é o mesmo que "explodiu" ou se seria um sobressalente (o que seria mais coerente)). Além disso, como o Omelete apontou, Alfred não sabia da ligação entre Bruce e Selina, então não teria porque fantasiar os dois juntos.

Mas acho que foi uma atitude covarde deixar o Batman vivo, porém remete ao final da Graphic Novel O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller, então, de certa forma, não ficou ruim. rs! ;)

 

E aí, o que acharam? ;)

 

E já abri um novo tópico para discutir o futuro do Batman no cinema:

 

http://forum.cinemaemcena.com.br/index.php?/topic/4967-batman-depois-da-era-nolan/

Link to comment
Share on other sites

Não menospreze essa prostituta, já que volta e meia todos somos obrigados a pelo menos dar uma rapidinha nela. Você incluso.

 

Eu não a menosprezo, apenas reconheço o que ela realmente é ao contrário de tantos outros que dão uma rapidinha achando que ela é a mulher dos nossos sonhos e acabam se apaixonando por ela.

Link to comment
Share on other sites

Se já pensava como eu, então eu realmente não entendi o propósito da sua acusação.

 

Digamos que a "acusação", como você a chama, foi ao antigo Dook. Você mesmo reconheceu que mudou um pouco quanto ao assunto; lembre-se que até então eu não sabia disso.

 

 

O problema nunca foi a subjetividade, mas o uso que fazem dela.

 

Assino embaixo.

Link to comment
Share on other sites

Vi hoje, na sessão de 00:01...

 

Simplesmente maravilhoso. Do início ao fim o filme te deixa preso na cadeira, com uma ação acachapante. Por falar nisso, a primeira luta entre Bane e Batman é algo de surreal, extremamente visceral. E a escolha do Nolan de simplesmente retirar a trilha sonora daquela cena foi algo de estupendo. E, por falar em Bane, que trabalho excelente de Tom Hardy. Limitado pela máscara, ele faz uso da voz a todo instante, falando em tom pausado, questionador e debochado. Só excede em uma cena na qual exagera nos olhos arregalados, mas nada de mais.

 

Vi algumas pessoas reclamando de que Morgan Freeman e Michael Caine foram desperdiçados e tal, mas desde o início eles sempre foram coadjuvantes com papel de importância e assim continuaram nesse terceiro filme, nada além disso...

 

Hathaway como Selina Kyle serviu apenas para inserir uma personagem dos quadrinhos no filme, mas não trouxe grandes contribuições ao mesmo... Reduzida a ladra, o que, realmente, é o que ela sempre foi e achei isso muito bacana da parte do Nolan, em não engrandecê-la...

 

Agora, que trabalho de Bale... Vestindo pela última vez o personagem complexo de Bruce/Batman ele nos entrega um trabalho magistral... No início entregue completamente, acabado fisicamente (como doeu vê-lo necessitando de uma bengala para se locomover) e até o desenvolvimento de recursos para voltar à ativa e se restaurando fisicamente. Nesse terceiro filme temos um Batman com 40 anos... Além disso, o cuidado da produção, que sempre foi característico em toda a franquia, em retratar de forma bem clara o impacto do Batman e de todo o combate sobre o físico de Wayne... Cirurgia nos rins foi algo que eu nunca imaginei... O corpo marcado por diversas cicatrizes... As cartilagens praticamente inexistentes. Um esgotamente que é pouco possível de imaginar e para ficar ainda mais real, só faltou mostrá-lo tomando analgésicos em algum momento desse terceiro filme (algo que, se não me falha a memória, é mostrado apenas no primeiro filme da franquia)...

 

Para mim, Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge, de forma geral é superior ao segundo filme. Pode não trazer uma interpretação tão icônica quanto a de Ledger no segundo filme, mas de forma geral, considero esse terceiro melhor que o segundo filme, fechando a trilogia de uma maneira perfeita!

Link to comment
Share on other sites

Parece que o filme vai dividir mesmo. Dois chegando aqui não achando essa Coca toda, e dois chegando deslumbrados.

 

Diferente de Homem Aranha que uns idolatram e outros detestam, esse vai ser meio Vingadores mesmo, é bom, mas o quanto é bom que vai ser a discussão.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...