Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2013: Previsões


Nightcrawler
 Share

Recommended Posts

Acabo de ver "Lincoln". Estou eufórico. Que sensação ambígua e dilacerante deve ser aquela que se apresenta como produto de um impulso natural enérgico. O mesmo que coloca o indivíduo rendido, subordinado ao seu comando, e que o empurra para mover-se numa direção, sem alternativa de mover-se por outras, oferecendo em troca lançar luz sobre uma verdade irresistível e inegável numa humanidade de escuridão, contudo ao custo de sujar-se até a alma.
 
É evidente que Spielberg, com seus roteiristas, serviu-se dos fatos históricos usando da licença poética que lhe é permitida na sua condição de artista. Mas com que outra finalidade senão a de furar camadas a fundo na alma humana para revelar mais essa porção do rodamoinho existencial do homem? Está lá para quem quiser ver.
 
Colocando isso de parte, ainda aposto que a grande experiência entre os indicados se dará com Zero Dark Thirty, que vou ver a seguir.

 
 
Link to comment
Share on other sites

É tão empolgante ver vocês falando de Amour que fico até triste de não partilhar a euforia. Vi com altas expectativas, gostei, mas não vi isso tudo que alardeiam. A atuação de Riva, essa sim, é magistral. Duvido que qualquer outra atuação que verei esse ano consiga superá-la.

Link to comment
Share on other sites

 Visto "The Impossible".  Como registro de uma tragédia histórica, é válido. Os efeitos são, inegavelmente, ótimos. O roteiro segue a história real de uma família, mas os diálogos não necessariamente precisavam ser tão pobres, tão cotidianos, tão realísticos no sentido desprezível do termo.  Mas o maior problema do filme é , de fato, o etnocentrismo. Quando li essa palavra na crítica americana eu achei que fosse exagero, mas não é. Os tailandeses - e asiáticos , de uma maneira geral - fazem uma pequena "participação especial' no filme. Parece uma tragédia europeia. Só mostra a dor de suecos, italianos, americanos. Sério, não tenho absolutamente nada contra os Estados Unidos, a Europa, qualquer país ou continente, mas realmente pegou muito mal. Ficou parecendo que a tragédia só abateu os turistas dos resorts. Em suma, a crítica que eu tinha achado exagerada revelou-se procedente.

 

 Naomi Watts está bem. Será uma atuação, ou uma "performance"? Porque mais que tudo é uma entrega física. E este é mais um filme a explorar seu corpo. Os seios dela já são quase matéria-prima de Hollywood - como uma câmera, um microfone - estão pavorosamente se "coisificando".  Amo a Naomi em "21 Gramas", e acho que ela está maravilhosa em "King Kong", esperei por anos a fio uma segunda indicação pra ela, mas não por algo assim. Bom, como em 2014 ela provavelmente será indicada novamente, a torcida fica adiada. Gostei, aí sim, da atuação do garoto Tom Holland.

Link to comment
Share on other sites

Concordo sobre O Impossível.

Beckin (e os outros), vcs chegaram a ver um filme chamado "Apenas o Vento"? Vi na Mostra e até agora é um dos meus preferidos do ano passado, tenho impressão que vcs irão gostar. ;)

 

Hoje foi a vez de ver O Lado Bom da Vida. Em primeiro lugar, não importa se mereceu indicação ou não, isso não afeta minha admiração pelo David O. Russell. O homem tem um talento natural pra ver coisas por ângulos inusitados e isso faz muita diferença em seus filmes. Quando na primeira cena vi aquela câmera próxima quase encostada no nariz do Bradley Cooper, querendo compreender aquele homem, já baixei a guarda. Acabei aproveitando boa parte da projeção até a cena da aposta, que considero a não tão atípica "virada rom-com". Levou tudo que havia visto até então para o lugar-comum. Ainda assim, não achei ruim. Não torcerei pela Jennifer Lawrence, tenho a forte impressão que o Oscar pode abruptamente ferrar a carreira precoce dela, a indicação já está de ótimo tamanho. De Niro praticamente repete o que vem fazendo em comédias nos últimos anos, mas com uma ceninha de choro a mais. Dos 5 coadjuvantes, é o único que não gostaria que vencesse, não porque esteja ruim, mas os outros 4 (principalmente PSH e CW) estão em outro patamar.

Link to comment
Share on other sites

E Sergio, só uma observação pentelha, odeio a frase da sua assinatura, foi o que estragou Na Natureza Selvagem para mim. Lembro bem das aulas de Ioga, onde me sentia feliz não importa se estivesse sozinho ou acompanhado... Acho ela extremamente equivocada, embora não seja totalmente mentira. Alguns momentos são bons compartilhados, outros não.

 

Enfim...  :P

Link to comment
Share on other sites

Stradivarius, "Into the Wild" é meu filme favorito (não é o melhor que já vi, é pelo o que o filme evoca em mim)! Acho que ele foi roubado em muitas categorias naquele ano, notadamente Trilha Sonora, ridiculamente inelegível. A frase virou uma síntese do filme e  talvez seja mais bonita em inglês.  Eu a uso como assinatura porque há anos eu me recusava a participar de redes de relacionamento e ultimamente venho tentando me expor, tentando compartilhar ideias na rede, e tal (ainda que não tenha chegado ao Facebook). Não sei se você sabe mas o Cris da vida real passou 122 dias no Alasca, sozinho, sem falar com ninguém. Escrever essa frase em um livro de Tolstói - que pregava a boa vida familiar - é uma conclusão bastante forte pra quem efetivamente ficou sozinho e naquelas condições. Aquela cena me dilacerou. Chorei baldes no cinema. A minha sessão como um todo virou um rio. Foi um dia marcante hehe! :)

 

 Hoje à noite vejo "Indomável Sonhadora". Tô bem atrasado com relação a vocês. O que me faz pensar : se eu que sou Oscarmaníaco, que falo disso o ano todo, não consegui ver ainda todos os filmes, quiçá a maioria dos votantes. É difícil para todos assistir a todos. Por isso o fator marketing é determinante. Ele encaminha o interesse.

 

Queria ver o filme da Noruega, alguém já viu?

Link to comment
Share on other sites

Stradivarius, "Into the Wild" é meu filme favorito (não é o melhor que já vi, é pelo o que o filme evoca em mim)! Acho que ele foi roubado em muitas categorias naquele ano, notadamente Trilha Sonora, ridiculamente inelegível. A frase virou uma síntese do filme e  talvez seja mais bonita em inglês.  Eu a uso como assinatura porque há anos eu me recusava a participar de redes de relacionamento e ultimamente venho tentando me expor, tentando compartilhar ideias na rede, e tal (ainda que não tenha chegado ao Facebook). Não sei se você sabe mas o Cris da vida real passou 122 dias no Alasca, sozinho, sem falar com ninguém. Escrever essa frase em um livro de Tolstói - que pregava a boa vida familiar - é uma conclusão bastante forte pra quem efetivamente ficou sozinho e naquelas condições. Aquela cena me dilacerou. Chorei baldes no cinema. A minha sessão como um todo virou um rio. Foi um dia marcante hehe! :)

 

 Hoje à noite vejo "Indomável Sonhadora". Tô bem atrasado com relação a vocês. O que me faz pensar : se eu que sou Oscarmaníaco, que falo disso o ano todo, não consegui ver ainda todos os filmes, quiçá a maioria dos votantes. É difícil para todos assistir a todos. Por isso o fator marketing é determinante. Ele encaminha o interesse.

 

Queria ver o filme da Noruega, alguém já viu?

 

Amigo, esse livro provocou a mesma sensação em mim e eu gosto dessa frase simplesmente pq na minha filosofia de vida e profissional nós como primatas vivemos em bando e precisamos compartilhar as coisas não o tempo todo, mas não conseguimos viver solitários como o Cris tentou. E ve se tu volta pro twitter pq curtia tuas postagens.

 

Eu acho que fui o único aqui que gostou de indomável sonhadora né? Gostei das mensagens do filme, da pra eu incorporar muitas coisas dele nas minhas aulas. Depois posta o que achou.

Link to comment
Share on other sites

Queria ver o filme da Noruega, alguém já viu?

Eu vi, e gostei. É um bom filme, talvez um pouco formuláico demais, mas tem uma história bem interessante. Dos 4 que vi, no entanto, seria o mais fraco. Meu ranking (falta No):

 

1. A royal affair

2. Amour

3. War witch

4. Kon-Tiki

Link to comment
Share on other sites

Eu vi, e gostei. É um bom filme, talvez um pouco formuláico demais, mas tem uma história bem interessante. Dos 4 que vi, no entanto, seria o mais fraco. Meu ranking (falta No):

 

1. A royal affair

2. Amour

3. War witch

4. Kon-Tiki

Cara, achei No incrível. Ainda preciso assistir Kon-Tiki e War Witch esse último é bom?

Link to comment
Share on other sites

Eu vi, e gostei. É um bom filme, talvez um pouco formuláico demais, mas tem uma história bem interessante. Dos 4 que vi, no entanto, seria o mais fraco. Meu ranking (falta No):

 

1. A royal affair

2. Amour

3. War witch

4. Kon-Tiki

 

Concordo com o Felipe, é um bom filme, mas é comum em sua narrativa. Não vi No e Rebelle, então pra mim: Amour > A Royal Affair > Kon-Tiki.

Link to comment
Share on other sites

Cara, achei No incrível. Ainda preciso assistir Kon-Tiki e War Witch esse último é bom?

Eu gostei bastante de War Witch. Assisti com o pé atrás, alguns filmes do tipo costumam cair bastante no lugar comum, mas achei esse bem cativante, cru sem ficar demasiadamente apelativo e, em diversos momentos consegue desfazer suas expectativas e tomar rumos inesperados.

Link to comment
Share on other sites

O que dizer de "Beasts of the Southern Wild"? Menos que "Já vimos isso antes", né? Muito original, com frescor, diferente, estranho... Mas fiquei feliz de ver algo incomum, num cenário incomum, com um tema incomum, com um tratamento incomum. Gente criativa como esse diretor Benh Zeitlin não tem apego ao padrão, enquanto conservadores são intolerantes ao erro.  Por ser "fora da caixa", eu gostei.  Agora, convenhamos, "nem tanto ao mar, nem tanto à terra". Não me emocionei como prometiam desde Sundance, nem consigo defender com unhas e dentes nenhuma indicação das 4 que o filme levou. O que eu mais gostei foi da fotografia e esta passou batido. A "atuação" (?) da menina Quvenzhané Wallis é caso para se discutir em Filosofia da Arte. Não sei se é algo instintivo, talento nato, apenas reação mimética à comandos objetivos, se é nosso olho de adulto que projeta admiração excessiva...Eu realmente vou deixar de comentar a justeza da indicação dela. Não sei se é de fato uma "interpretação". Vou deixar em suspenso.

 

Como cinema é espelho social também, é legal ver um filme retratar a vida em áreas de invasão. Como podem haver partidos políticos e outras organizações que defendam e incentivem as pessoas a viverem nas beiras de estradas, em fazendas de gado, nos perímetros de barragens, em prédios abandonados, etc?  É expor os mais indefesos - as crianças - à pobreza, à falta de educação formal, à doenças, à brutalidade dos adultos...Só faltou uma bandeira vermelha  tremulando na "banheira". E algum universitário de 38 anos, representando a UNE, condenando em frente às câmeras a retirada "violenta" promovida pelo Estado. Narrativa mitificadora de cunho social não é só Benh Zeitlin que sabe fazer.

 

 Dinhow, saudade dos seus tweets também! :)

Link to comment
Share on other sites

 

Visto o ótimo Argo.

 

Agora meu ranking de indicados fica assim:

 

  1. Indomável Sonhadora: 10
  2. A Hora Mais Escura: 9
  3. Os Miseráveis: 9
  4. O Lado Bom da Vida: 8
  5. Argo: 8

 

 

Também vi hoje SLP e achei ótimo, apesar de estar em último lugar

 

Amor

Django

Argo

Les Mis

Pi

SLP

Link to comment
Share on other sites

Finalizei todos os indicados às principais categorias. Após o arrastado e entediante THE MASTER. Não consigo gostar de nenhuma obra de Paul Thomas Anderson, impressionante. Já vi MAGNOLIA, THERE WILL BE BLOOD e agora THE MASTER. Não chego a odiar, mas fico rezando tanto pra acabar o filme e fico longe de admirar e enaltecer. Mas uma coisa é certa, todas entregam atuações memoráveis.

 

Vai a minha lista de favoritos / semi-favoritos em cada categoria:

 

Filme - AMOUR / ARGO

Diretor - Michael Haneke, AMOUR / Ang Lee, LIFE OF PI

Ator - Joaquin Phoenix, THE MASTER / Daniel Day-Lewis, LINCOLN

Atriz - Emanuelle Riva, AMOUR / Jessica Chastain, ZERO DARK THIRTY

Ator Coadjuvante - Philip Seymour Hoffman, THE MASTER / Tommy Lee Jones, LINCOLN

Atriz Coadjuvante - Helen Hunt, THE SESSIONS / Sally Field, LINCOLN

Roteiro Original - ZERO DARK THIRTY / AMOUR

Roteiro Adaptado - ARGO / LIFE OF PI

Link to comment
Share on other sites

Top Oscar até o momento:

 

1 - Lincoln

2 - Os Miseráveis

3 - Argo

4 - Django

5 - O Lado Bom da Vida

6 - Pi

 

Todos ótimos pra mim e não tenho torcida ferrenha por nenhum. Só me espantei mesmo de ter gostado tanto de Os Miseráveis, já que não sou adepto de musicais. Confesso que me surpreendi e chorei feito uma criança...  :lol:

Link to comment
Share on other sites

Filmes em competição no Festival de Berlim 2013:

 

Camille Claudel 1915", de Bruno Dumont (França)

"A long and happy life", Boris Khlebnikov (Rússia)

"Prince avalanche", David Gordon Green (EUA)

"Side effects", de Steven Soderbergh (EUA)

"Promised land" (Terra Prometida), de Gus Van Sant (EUA)

"Elle s'en va", de Emmanuelle Bercot (França)

"An episode in the life of an iron picker", de Danis Tanovic (Bósnia-Herzegovina)

"The necessary death of Charlie Countryman", Fredrik Bond (EUA)

"Gloria", de Sebastián Lelio (Chile/Espanha)

"Gold", de Thomas Arslan (Alemanha)

"Layla Furie", de Pia Marais (Alemanha/África do Sul)

"Nobody's daughter Haewon", de Hong Sangsoo (Coreia do Sul)

"Paradise: hope", Ulrich Seidl (Áustria)

"Closed curtain" (Cortina Fechada), Jafar Panahi, Kamoziya Partovi (Irã)

"Child's pose", de Calin Peter Netzer (Romênia)

"La religieuse", de Guillaume Nicloux (França)

"Harmony lessons", de Emir Baigazin (Cazaquistão/Alemanha)

"Vic et Flo ont vu un ours", de Denis Côté (Canadá)

"In the name of", de Malgoska Szumowska (Polônia)

 

--- x ---

 

Muita coisa interessante aí no meio. E o Ulrich Seidl conseguiu colocar cada filme de sua trilogia do paraíso em um dos 3 principais festivais. Paradise:Love foi pra Cannes e Paradise:Faith foi pra Veneza no ano passado.

Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

×
×
  • Create New...