Jump to content
Forum Cinema em Cena
Questão

Stuart Gordon

Recommended Posts

Um bom diretor do gênero fantástico, que trabalha de forma bastante eficiente tramas de horror com uma pitada de humor negro. Ví quatro trabalhos desse cineasta.

 

RE-ANIMATOR é o melhor dele que ví até então. Uma excelente adaptação de uma historia do mestre do horror H.P Lovecraft. Uma mistura de historias de zumbi, com uma leve influencia do classico FRANKENSTEIN. Vale a pena a conferida, e Jeffrey Combs, parceiro habitual do diretor, rouba a cena com o seu cinetista louco, Herbert West.

 

DO ALEM é outra otima adaptação de Lovecraft, mais uma vez estrelada por Jeffey Combs. É uma trama mais sissuda e sombria, que mistura metafisica, psicologia, e uma pancada de criaturas bizarras que só poderiam ter saido da mente de Lovecraft, e que ganham vida de otima forma através da camera de Gordon.

 

BONECAS MACABRAS é uma divertidissima fábula de horror e humor negro. A historia é contada praticamente do ponto de vista de uma criança. Esta longe de ser tão bom quanto as adaptações de Lovecraft, mas ainda sim vale a pena pela forma eficiente com que o diretor trabalha o mórbido humor da trama.

 

Por fim, A FORTALEZA é um bom filme de ação estrelado por Christopher Lambert, um daqueles filmes de futuro distópico tão comuns no fim da década de 80 e começo da década de 90. Achei o menos interessante dos filmes do Gordon, mas não é ruim não.

 

Então, o que acham do trabalho desse cara?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Visto O CASTELO MALDITO

 

castle+freak+1.jpg

 

Na trama, John Reilly (Jeffrey Combs) herda um castelo no interior da Itália, para onde leva a esposa Susan (Barbara Crampton) e a filha cega Rebecca (Jessica Dollarhide) para que possam preparar a venda do local. Mas o que a família Reilly desconhece é que uma criatura viveu presa durante quarenta anos nas masmorras daquele castelo, e agora acaba de se libertar, pronta pra liberar seus impulsos mais bestiais.

 

Nesta terceira adaptação de H.P Lovecraft dirigida por Stuart Gordon, o diretor volta a se reunir com Jeffrey Combs e Barbara Crampton, que trabalharam nas outras duas adaptações de Lovecraft dirigidas por ele, RE-ANIMATOR e DO ALÉM. Em O CASTELO MALDITO, a historia do assassino a solta no castelo é somente o pano de fundo para a propria desestruturação da familia Reilly, abalada pelo recente acidente que matou o filho caçula do casal, e deixou a garota cega.

 

O roteiro de Dennis Paoli (que tambem trabalhou com Gordon nas duas adaptações anteriores de Lovecraft) trabalha de forma bastante interessante a crise vivida pelo casal principal. A primeira metade do filme tr retrata ao publico com sutileza o modo como a esposa claramente culpa o marido alcoolatra pelo acidente. Uma pena, que mais pra frente o filme acabe abordando o assunto de forma mais didática.

 

Alem de lidar bem com o lado drámatico da historia proporcionado pelo roteiro, o diretor vale-se muito bem do cênario do castelo, dando um interessante tom clássico ao filme, ao mesmo tempo que transforma aquele ambiente em um labirinto para os personagens a medida que o perigo do ser do castelo vai se aproximando da familia.

 

Enfim, O CASTELO MALDITO esta longe de ser tão divertido quanto RE-ANIMATOR ou tão psicologicamente bizarro quanto DO ALÉM, mas ainda sim é um bom filme de horror, com boas atuações e efeitos, e que trabalha de forma competente os conflitos de seus personagens.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Visto DAGON

 

dagon-poster-stuart-gordon.jpg

 

Na trama, dois casais estão navegando pela costa da Espanha, até que o barco acaba batendo em um rochedo. Paul Marsh (Ezra Godden) e a namorada Barbara (Raquel Merono) vão até uma cidade proxima do local do acidente em busca de socorro. Mas a pequena cidade de Imboca esconde segredos terriveis que pode reservar um destino pior do que a morte para os forasteiros.

 

Gordon retorna ao universo Lovecraftiano nesta adaptação da novela "A Sombra Sobre Innsmouth" (e não do conto homonimo, como o titulo dá a entender). Mais uma vez escrito por Dennis Paoli, o roteiro de DAGON é bastante simples, mas nem por isso menos envolvente. O cineasta sabe construir de maneira bastante competente o clima insâno e bizarro da pequena cidade. Ficamos tão perdidos e confusos quanto o personagem principal, e avídos para saber o segredo que se esconde por trás dos monstruosos cidadãos daquela cidadezinha.

 

Ezra Godden (que coincidentemente ou não, é a cara de Jeffrey Combs) confere carissma necessario para o nerdzão Paul, que parece ser uma versão mais ingênua e menos ciníca de Herbert West de RE-ANIMATOR. Francisco Rabal em seu ultimo papel no cinema interpreta o velho Ezequiel de maneira tragicômica, dando o ar certo para o classico "velho louco que alerta os personagens do perigo". Já Raquel Moreno não tem muito o que fazer com sua Barbara a não ser se apavorar e ter seu belo corpo exibido em um sacrifício pagão. Mas isso ela faz muito bem, hehehe. Por fim, Macarena Gomez, com sua beleza exotica, transforma a macabra Uxia em uma verdadeira femme fatale Lovecraftiana.

 

Os efeitos do filme são bem feitos na maior parte do tempo, mas confesso que curtia bem mais os efeitos 100% artesanais e animatrônicos utilizados por Gordon em seus filmes anteriores. Mas ainda sim vale em mais esta investida de Suart Gordon no mundo de H.P Lovecraft, já que desta vez ele finalmente encara de frente o mais popular nicho da bibliografia do escritor, os Mythos Cthulhu.

 

Valeu!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eita, só vou poder ver os filmes semana que vem :(

 

Mas estou quase colocando esse DAGON na frente porque Cthulhu é um dos contos mais aclamados e foi um grande marco porque depois de Lovecraft muitos outros autores trabalharam em cima desse ser mitológico que ele criou!

Eu estou com o livro aqui, inclusive, mas vou ler só mais pra frente.

 

E estava vendo as fotos do Ezra Godden nesse filme e realmente ele está parecidíssimo com o Combs, com direito a carinha insana e tudo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só pra esclarecer que Cthulhu não aparece no filme (embora seja citado), e sim a criatura que dá título ao filme, que faz parte dos Mythos Chtulhu, que seria um panteão de criaturas extra dimensionais (das quais Dagon faz parte) e da qual Chtulhu seria o mais poderoso. Sei que essas criaaturas aparecem em varias historias de Lovecraft, e que uma das mais populares é a obra que você citou, TICA.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não conhecia o Do Além até pouco tempo atrás. Gostei bastante! É um filme bem freak e bem diferente.

Pena ele só ter se destacado com o Do Além e o Re-Animator. Ele tem um estilo interessante!

 

Estou vendo aqui e bateu vontade de ver o episódio que ele fez para a série Masters of Horror, O Sonho na Casa da Bruxa, um outro conto do Lovecraft!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Castle Freak visto.

 

A história em si é boa e o Combs realmente fica mais interessante quando faz papéis nos quais ele é o personagem insano da trama. Assim, preferi ele na segunda parte do filme, porque na 1ª ele parece ser um marido dedicado e nada mais que isso, apesar de carregar a culpa e tal.

 

Como o Questão disse, o filme está longe de atingir o humor negro de Re-Animator, mas fica claro que o Stuart tem um apego incontestável por sexo oral em seus filmes. O problema é que nesse não teve o mesmo efeito de Re-Animator, apesar de ser um filme com o foco diferente, que no caso é o horror puramente falando.

Mesmo não tendo gostado muito do filme em si, porque esperava mais dele, o drama funcionou bem por conta da destruição total da família de forma trágica paraceu ser a maldição e herança dos duques...

 

Nota : 3/5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nçao tinha reparado nisso TICA, mas é verdade. Os dois filmes tem sequencias de sexo oral. Deve ser alguma tara do Stuart. Hehehe. ,as de fato CASTLE FREAK tem um enfoque bem diferente do de RE-ANIMATOR. CASTLE é mais seco. Eu diria inclusive que é o filme mais melancólico do Gordon. Pelo menos dos que eu vi.

 

Você chegou a ler o conto do Lovecraft que deu origem ao filme, TICA ? Eu não cheguei a ler, mas tenho curiosidade. Pelo que eu saiba, no conto, a historia é contada do ponto de vista da criatura e não da família.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu também achei que o filme tinha esse ar melancólico e tal. Chega um momento em que começamos até a sentir pena da criatura, eu ao menos senti. Principalmente naquela cena que ele está com a foto de quando era criança e mostra pra menina cega lá...Acho que foi uma das poucas pertes em que a "criatura" aparece como "humana".

 

Questão, infelizmente ainda não li esse conto do Lovecraft. Aliás, estou com vários do Lovecraft aqui parados esperando uma chance! :rolleyes:

 

O nome é homônimo? Quero procurar! Acho que a coisa fica mais interessante e insana se a história é contada do ponto de vista da criatura. Eu amo como ele escreve, é surreal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A verdade é que se formos pensar bem, a criatura é (quase) tão vitima quanto a família Reilly. Giorgio não pediu pra ter a vida miseravel que teve. Ele com certeza é digno de pena, sim. Alias, pra mim essa é uma das boas sacadas do filme. A grande vilã da historia, na verdade morre nos primeiros minutos do filme.

 

TICA, o titulo não é homonimo. Por aqui, o conto se chama O INTRUSO (The Outsider, no original).

 

Sei como se sente em relação a livros. Eu estou com INSÔNIA do King me chamando há uns dois meses aqui, mas não tive tempo de ler ainda por causa da facul e tudo mais.

 

Mas me diga TICA, qual a proxima obra do Gordon que pretende conferir? Se eu pudesse indicar alguma, indicaria DO ALEM (From Beyond) pra você fechar a trilogia das parcerias entre o trio Stuart Gordon/Jeffrey Combs e Barbara Crampton.

 

Grande Abraço!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Poxa, Questão, não achei 'O Intruso' pra comprar :( E falando sobre o King, assim que eu acabar de ler a trilogia de LoTR (já estou no fim do 2º), vou começar a ler Torre Negra que comprei em uma promoção linda!

 

Sobre o Gordon, todos os filmes dele que indicou estão baixados aqui :rolleyes: , mas como recomendou, vou ver se assisto 'From Beyond' nesse final de semana. Não posso garantir assistir porque aqui em SP teremos o Saturday Wars e a Expo Lug http://expo.lugbrasil.com/ (duas coisas que amo :wub: ) daí vai ser corrido!

 

 

A grande vilã da historia, na verdade morre nos primeiros minutos do filme.

 

Sabe, eu arriscaria até a lançar uma idéia do Victor Hugo aqui (no Corcunda de Notre Dame): "Quem é o Monstro e o Homem quem é?"

 

Porque se formos analisar que o Giorgio cresceu tendo uma vida de maus tratos e sem contato humano (insira a sociologia aqui), o seu comportamento é previsível. Afinal, o máximo que ele conseguiu desenvolver foram seus instintos mais primitivos.

 

Vemos isso nitidamente quando ele tenta reproduzir o que viu com a prostituta...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vi From Beyond semana retrasada (estava meio sem tempo e sumi daqui). Infelizmente não gostei muito do filme, a história, claro, é fascinante. Todo o clima também é bem propício, nisso o Stuart Gordon dificilmente erra a mão, mas achei que mesmo para um filme com a cara dele, teve muito exagero. Não sei se exagero seria, necessariamente, a palavra correta, mas os eventos sobrenaturais eram muito alegóricos.

Não vi aquele humor negro bem dosado de Re-animator ou aquela questão sexual nojenta que vimos em Castle Freak (Como não teve sexo oral, quase não lembrei que era um filme do Gordon.... :lol:).

 

Não sei também se foi o sono que não me deixou aproveitar o máximo, mas não rolou. Já a história em si é intrigante (ah, Lovecraft!) e gostaria de ver uma adaptação melhor dela -_-

Share this post


Link to post
Share on other sites

Você chegou a ler o conto que originou o filme, TICA? Sei lá, mas pessoalmente gostei mais do filme do que do conto.

 

Uma coisa que não entendi. O que você quis dizer com "os eventos sobrenaturais eram muito alegóricos." Acha que faltou sutileza?

 

Sei lá, depois de RE-ANIMATOR é o meu preferido do Gordon. Adoro a questão do Combs e da psiquiatra serem cada vez mais afetados pela maquina, e acho o final rimado, onde a doutora é encontrada da mesma forma que o Combs, brilhante.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então, não li o conto porque não achei pra comprar! :(

 

O que quis dizer com alegórico foi, que eles foram forçados de certa forma. Não sei dizer ao certo, mas acho que muita coisa não funcionou.

 

Aquela parte em que o Pretorius pega ela e diz que estava sendo "tocada" por um outro ser, ou algo do tipo, poderia ser melhor trabalhada. Tipo, pra ficar no nível do sexo oral de Re-Animator e tals. E a parte em que ela vira uma safadjênha lá e se veste toda sexy eu também achei muito artificial, não sei se foi a atriz mesmo, ou o conjunto da obra.

 

Parece que estou sendo muito ácida, mas é que gostei bastante da história e esperava algo mais. Já a loucura dela em querer saber o resultado da máquina ficou muito legal, eu adorei. Assim como o Combs no final lutando contra o Pretorius etc...

 

Sei lá, quero ler o conto! ^_^

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Edição de colecionador de Re-Animator em Blu-ray na Espanha para agosto

Foi anunciada na Espanha uma edição em Blu-ray de Re-Animator, o cultuado filme de terror e ficção científica, baseado na obra de H.P. Lovecraft.

reanimator1-409x600.jpg

Serão cinco discos: o Blu-ray com o filme, um DVD com o filme, mais dois DVDs de extras e um CD com a trilha sonora. Entre os extras, há comentários em áudio, cenas estendidas, cenas excluídas, entrevistas e trailers. Há também o documentário inédito Re-Animator Resurrectus. E como brindes, um livreto de 32 páginas com informações da produção, além de 5 fotogramas originais do filme.

reanimator2-600x428.jpg

A edição não terá opções de dublagem ou legendas em português e provavelmente será travada para região B. Está em pré-venda, com lançamento previsto para 27 de agosto e preço de 24,90 Euros (ou 20 Euros com o desconto do VAT).

[Via: Blu-ray.com / Mubis]

Link para a pré-venda na Amazon.es:

reanimator1-409x600.jpg

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um bom diretor do gênero fantástico, que trabalha de forma bastante eficiente tramas de horror com uma pitada de humor negro. Ví quatro trabalhos desse cineasta.

 

RE-ANIMATOR é o melhor dele que ví até então. Uma excelente adaptação de uma historia do mestre do horror H.P Lovecraft. Uma mistura de historias de zumbi, com uma leve influencia do classico FRANKENSTEIN. Vale a pena a conferida, e Jeffrey Combs, parceiro habitual do diretor, rouba a cena com o seu cinetista louco, Herbert West.

 

DO ALEM é outra otima adaptação de Lovecraft, mais uma vez estrelada por Jeffey Combs. É uma trama mais sissuda e sombria, que mistura metafisica, psicologia, e uma pancada de criaturas bizarras que só poderiam ter saido da mente de Lovecraft, e que ganham vida de otima forma através da camera de Gordon.

 

BONECAS MACABRAS é uma divertidissima fábula de horror e humor negro. A historia é contada praticamente do ponto de vista de uma criança. Esta longe de ser tão bom quanto as adaptações de Lovecraft, mas ainda sim vale a pena pela forma eficiente com que o diretor trabalha o mórbido humor da trama.

 

Por fim, A FORTALEZA é um bom filme de ação estrelado por Christopher Lambert, um daqueles filmes de futuro distópico tão comuns no fim da década de 80 e começo da década de 90. Achei o menos interessante dos filmes do Gordon, mas não é ruim não.

 

Então, o que acham do trabalho desse cara?

 

apesar de ser reconehcido por esses trabalhos, Gordon fez um otimo e agoniante filme em 2008, "Stuck", q nos moldes de "Misery", fala dos limites da maldade humana em prol dos proprios interesses. O filme foi lançado aqui como "Em Rota de Colisão" e ja passou algumas vezes no SBT. E é igualmetne muito bom.

 

2el4bqx.jpg

 

cx134511.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Visto SONHOS NA CASA DA BRUXA

 

 Sonhos-Na-Casa-Da-Bruxa.jpg

 

  Na trama, Walter Gilman (Ezra Godden) é um jovem estudante de física, que aluga um quarto em uma velha pensão. Mas logo, Walter começa a sofrer com terríveis pesadelos envolvendo um rato com rosto humano (Tevgen Voronin) e uma terrível bruxa (Susanna Uchatius). Percebendo que estes não são sonhos comuns, Walter descobre com a ajuda de um antigo morador da pensão (Campbell Lane) que a bruxa e seu servo roedor pretendem sacrificar o bebê da jovem Frances (Chelah Horsdal) para o demônio, usando o próprio Walter para este fim.

 

  SONHOS NA CASA DA BRUXA é a quinta adaptação de Gordon da obra de H.P Lovecrafr, então o diretor esta em casa. Mesmo sendo um filme enxuto de 61 minutos produzido direto para TV, o cineasta ainda consegue mergulhar o publico no perturbador universo criado por Lovecraft, sem deixar que o formato televisivo o limite tecnicamente ou narrativamente.

 

  O roteiro escrito a quatro mãos pelo diretor e Dennis Paoli, colaborador de longa dada de Gordon é bastante competente em trazer a história para os dias atuais, e tornar o protagonista muito mais simpático do que ele era no material base (pessoalmente, não acho SONHOS NA CASA DA BRUXA um dos melhores trabalhos de Lovecraft, e curti bem mais a adaptação). Além disso, pela curta duração, o roteiro elimina aspectos do conto que realmente tornariam o filme mais enfadonho, como o passado da bruxa do título, e a ligação da trama com os Chtullu Mythos.

 

  Tecnicamente, o filme é muto bem feito. O rato com rosto humano consegue ser mais assustador do que a própria bruxa, sua introdução, em que ele surge correndo de um buraco da parede, e sobe na cama de Walter até chegar ao seu peito, ficando cara a cara com o protagonista, é extremamente enervante. O filme também reserva uma pequena quantidade de gore, nada exagerado, mas o suficiente para causar a agonia do publico, mais uma vez envolvendo o maldito rato.

 

  Tendo um final ainda mais pessimista do que o do conto original, SONHOS NA CASA DA BRUXA é uma boa pedida para quem procura uma rápida e delirante história de horror. Vale a conferida, assim como todas as adaptações de Lovecraft realizadas por Stuart Gordon.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

×
×
  • Create New...