Jump to content
Forum Cinema em Cena

Melhor Diretor da Série


Na sua opinião, qual foi o melhor diretor da série Harry Potter?  

42 members have voted

  1. 1. Na sua opinião, qual foi o melhor diretor da série Harry Potter?

    • Chris Columbus
      19
    • Alfonso Cuarón
      48
    • Mike Newell
      15


Recommended Posts

Meu voto para o melhor vai ara o David. Incrível! O cara só trabalhou em novelas e conseguiu fazer um espetáculo de filme, lógico com algumas falhas, mas tudo bem as pessoas que assistiram o filme (e não leram o livro) e comentaram comigo, conseguiram entende-lo sem muitas perguntas; depois vem Alfonso, que apesar de cortar algumas partes colocou outras ainda atrativas; depois Columbus que, me encantou em A Pedra Filosofal não ficando munto atrás em A Câmara e por último e menos importante fico com Mikes, que na minha opinião estragou o filme O Cálice de fogo, que com sidero a melhor história-livro.

Então em ordem de melhor:  5, 3, 1, 2, 4.
Link to post
Share on other sites
  • Replies 143
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

David Yates. Seguido de perto por Mike Newell. Foram os unicos que conseguiram dar um ritmo de thriller para a serie.

 

O problema com Cuaron foi que o filme destoava muito dos de Chris Columbus. Mudar todo o terreno de Hogwarts foi arriscado. O filme pode ter ficado com um visual mais rico, mas nao se pode ignorar completamente o que ja foi feito antes. E o que dizer daquela caveira/macumba do Noitibus?
Link to post
Share on other sites
  • 5 months later...

Eu sou revoltado com o Prisioneiro de Azkaban até hoje!!!

Não sei se é porque é o livro que mais curto e esperei MUITO do filme ou sei la... não não desce! Não gostei do terceiro filme

 

Muitas coisas foram mudadas! Desde quando a Hermione era daquela maneira (o uníco diretor que seguiu a descrição física dos personagens direito foi o Columbs),

 

Preferi o David Yates! A Ordem é o maior livro da saga e por conseguencia o mais desafiador para ser adaptado para o cinema e acho que ele consegui passar tudo o que o livro representou. A revolta do Harry, o sentimento de medo das pessoas por Voldemort ter voltado e tal, e aquelas partes que apareciam as noticias no profeta diário foi uma grande sacada para mostrar o que aconteceu sem cortar e alongar muito.

Tudo bem que tiveram um MONTE de cortes, queria muito ter visto a sala dos cérebros e tal, mais ainda sim é o meu filme preferido.

 

 

 

 

Link to post
Share on other sites

 

David Yates. Seguido de perto por Mike Newell. Foram os unicos que conseguiram dar um ritmo de thriller para a serie.

 

O problema com Cuaron foi que o filme destoava muito dos de Chris

Columbus. Mudar todo o terreno de Hogwarts foi arriscado. O filme pode

ter ficado com um visual mais rico, mas nao se pode ignorar

completamente o que ja foi feito antes. E o que dizer daquela

caveira/macumba do Noitibus?

 

 

 

----------------------

 

concordo com tigo "Indiana Jones"!!!!

Aquela caveira de macumba no noitebus foi o pior de tudo!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...
  • 6 months later...
  • 2 months later...
  • 1 month later...
  • 1 month later...

Eu so muito mais o Chris, ele não mudou muita coisa do livro, foi bem fiel, o 1º e o 2º filme pra mim foram os melhores.

O Cuarón foi bom tbm, mas mudou muuuuiita coisa do livro, como o 3 Vassouras não permitir menores entrarem lá, aquelas cabecinhas penduradas, o Harry sói ganhar a Firebolt no fim do filme...mas ele foi foda16, gostei muito do filme e as partes Ron/Hermione nesse filme foram lindas 08

O Newell não foi ruim, mas não foi o meu preferido tbm, tá em cima do muro.
Link to post
Share on other sites
  • 5 months later...
  • 1 month later...

Antes eu diria sem pestanejar que era o Cuarón...disparado...mas depois deste sexto filme, e da grande evolução que Yates mostrou em relação ao quinto filme, devo dizer que pelo menos ele igualou o grandioso trabalho do Cuarón...mas como não li os livros, não saberia dizer qual diretor transpôs melhor o livro para a tela e qual soube diferenciar melhor as coisas, afinal, literatura é literatura e cinema é cinema, as linguagens são completamente diferentes. Sendo assim, voto aqui nos dois e na enquete no Cuarón, já que Yates está fora de lá. 

 

Link to post
Share on other sites
  • 3 months later...

Columbus foi fantástico em iniciar com chave de ouro o projeto que antecederia o sucesso de bilheteria que hoje tornou-se Harry Potter. Facinante. Gostei muuuuuuuuuitíssimo da continuação de Cuarón, que lançou um feitiço Fidelius ao livro. Contudo decepcionei-me com Mike, que não teve punho para tornar criativo o filme que tinha o livro mais criativo que tem o Torneio Tribuxo e que iniciaria a fase do encontro cara-a-cara Potter- Voldemort xx.

Link to post
Share on other sites
  • 1 year later...

Apenas agora, no fim de 2010, eu decidi me inteirar da franquia Harry Potter. Em parte, isso teve a ver com meus alunos, muitos dos quais são fãs. Em parte, com a proximidade do fim da saga. Eu já tinha visto, no cinema, O Enigma do Príncipe - é, eu sei, é estranho começar do 6, só fui ver por causa da minha namorada da época.

 

 

 

Os dois primeiros filmes captam bem o tom infantil que a estória teria que ter, com um mundo novo se descortinando na frente dos personagens, um lugar onde as regras são diferentes e as possibilidades, aos olhos de uma criança, infinitas. Portanto, acho que o trabalho do Columbus, embora não impressionante, é competente.

 

 

 

O Prisioneiro de Azkaban é o mais irregular de todos. Começa muito fraco, com elementos de comédia pastelão que não me atraíram em nada. Aos poucos, passa a se aventurar através de ideias e visuais ousados, culminando no que é, até agora, o melhor final da série.

 

 

 

O Cálice de Fogo tem um tom episódico que me incomodou. Por mais que tente se inserir no quadro geral da franquia, isso só acontece mesmo no final. Apesar de ser divertida a ideia da competição dos magos, o filme não tem a urgência necessária para capturar.

 

 

 

A Ordem da Fênix é o mais fraco dos filmes, sem dúvida. Ao inserir os personagens no mundo adulto, o diretor perde a mão, e aparecem coisas patéticas como a "vilã" Umbridge. O treinamento dos alunos é interessante, e o final é emocionante, mas não sustentam o filme.

 

 

 

Talvez por esperar algo tolo, me surpreendi com o tom sombrio e pesado de Enigma, e gostei bastante. O que faltou de maturidade no anterior apareceu aqui. Os dilemas são sérios, não representações exageradas das características do mundo real. É a partir desse, tb, que as atuações do elenco jovem se tornam notáveis, o que se estende, para Relíquias parte 1 (comentado no tópico).

 

 

 

A meu ver, os melhores trabalhos são do Cuarón e do Yates, um com a desvantagem de ter feito um filme que começa mal e cresce, o outro de ter feito um filme todo que não fica a contento mas depois ter feito dois dos três melhores da franquia até aqui. Como o Yates não tá na enquete, voto pro Cuarón.

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Os três primeiros filmes, especialmente os dois primeiros, não tinham a pretensão de conterem grandes dramas, dilemas morais e etc, por não serem tão pretensiosos conseguiram tratar as coisas de maneira mais bem-sucedida. Já o quarto e o quinto têm a pretensão de serem grandiosos, assumem esse compromisso e acabam sendo banais. O segundo e o quinto filme, por exemplo, tratam de certa forma do mesmo assunto: "terá Harry tendência para o mal?". Só que o segundo filme tenta tratar o assunto de um jeito mais singelo e com poucas cenas (pergunta de Harry ao Chapéu, fala de Dumbledore a Harry, etc), mas ainda assim trata a questão de forma eficaz. Já no quinto Harry tem vários chiliques, delírios, estralos de pescoço e etc, e no final retorna a solução simples "ó Voldie, tu nunca terás amigos, tenho pena de ti", o que soa decepcionante. Esse exemplo ilustra bem minha preferência pelos filmes do Columbus.

Ainda nesse sentido, de tentar ser grandioso ou estiloso, esses dois filmes (quarto e quinto) tem a chamada vergonha alheia que vou te contar, viu... Tem cenas que sinto vergonha de ter convidado alguém para assisti-las. Como a entrada dos alunos estrangeiros em Hogwarts, a linguinha de fora do Crouch Jr, Harry tendo chilique quando chega o Draco na estação, a explicação ridícula de Dumbledore para ter se afastado do Harry (sei lá se é a mesma do livro, mas no filme isso ficou tosco). O estilo pseudo-dramático da reunião na casa do Sirius no quinto filme "óó, ele é só uma criança, não conte a ele!" para algo que não era pra tanto... Ou "Sirius, se eu tender para o mal?!". Etc. Já os primeiros filmes todos comportamentos são coerentes dentro daquele universo infanto-juvenil, não soam exagerados ou falsamente grandiosos. <?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

O sexto filme tem os mesmos problemas do quarto e do quinto filme, mas de forma atenuada, pois sequer tenta explorar temas sombrios, os cortando totalmente (memórias sobre Voldemort, Príncipe Mestiço...) focando em namoricos e na vida escolar. Já o sétimo filme foi bem sucedido, a meu ver... de qualquer forma facilitou em muito o fato do livro parecer um grande roteiro e ser dividido em duas partes.

 

De qualquer forma, preferia em muito que Columbus tivesse feito toda a série. Teríamos algo menos hollywoodiano, com um tom mais leve e singelo - o que não é ruim - e mais uniforme. Agora temos não uma série, como temos De Volta para o Futuro, ou O Senhor dos Anéis, e sim grupos de filmes apenas, não há uma continuidade nos filmes. E talvez teríamos John Williams durante a série inteira, cuja música encaixava-se perfeitamente no estilo dos primeiros filmes.

Link to post
Share on other sites

Olá Haran,

 

 

 

Legal a tua avaliação. Concordo sobre o Williams, as trilhas sonoras que ele assinou são as melhores da série.

 

 

 

Eu gosto do trabalho do Columbus, tanto de forma geral quanto no caso de Harry Potter. Via de regra, é um cara que faz filmes bons de assistir, bem no estilo "família" mesmo. E acho que isso se encaixou muito bem nos dois primeiros filmes da série HP.

 

 

 

Acontece que a estória acompanha os personagens crescendo. Na adolescência as coisas são exageradas mesmo, pq adolescente não tem noção de proporção, então acho que esse tom casa com os filmes intermediários da mesma forma que o tom infantil do Columbus casa com os primeiros.

 

 

 

E o Columbus é hollywoodiano pra caramba: não é da vertente épica de Hollywood, é da vertente família, mas tem pedigree, hehehe.

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...
  • 10 months later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

Announcements


×
×
  • Create New...