Jump to content
Forum Cinema em Cena

Serviço Militar


rubysun
 Share

Qual a melhor alternativa pro sistema de alistamento?  

16 members have voted

  1. 1. Qual a melhor alternativa pro sistema de alistamento?

    • Obrigatório para homens e mulheres
      0
    • Homens, obrigatório; mulheres, facultativo
      4
    • Mulheres, obrigatório; homens, facultativo
      8
    • Facultativo para homens e mulheres
      37


Recommended Posts

Estava passando por uma avenida às nove horas da manhã e me deparei com uma cena em que eu não sabia se ria ou se sentia pena: um monte de marmanjos de dezoito anos, com cara de criança quando come brócolis e couve de bruxelas, com uma cueca com abas mínimas que dizem que é calção, correndo e berrando "um dois três quatro, quatro três dois um".

Quem merece uma coisa dessas? Por que o jovem do sexo masculino é chantageado pra servir a uma instituição, que numa impossível sociedade ideal nem deveria existir? Afinal, ninguém quer guerras, e se não tem guerra, pra que exército?

Não é uma coisa muito legal ficar sem o certificado de serviço militar. Vc é literalmente chantageado, pq sem prestar o serviço, adeus passaporte, universidade, concurso, etcétera etcétera...

Além do mais, mesmo que não seja tradição, é horrível ver as mulheres saindo livres dessa. No geral é menos mal, porque menos gente é obrigada a prestar, mas é muito menos democrático.

Dizem que se não for por isso, o EB esvazia. Ora ora, o exército dos EUA é o mais poderoso do mundo qualitativa E quantitativamente e o serviço é facultativo. Eles são significativamente mais patriotas que nós, mas a quantidade de pobres e pessoas que veriam no exército uma oportunidade de emprego boa no Brasil é absurdamente maior.

E não é todo mundo que gosta de ficar seis meses sob ordens de um sargento, acordando as 5 da manhã, ser patriota, ir para a guerra caso tenha uma, correr feito um condenado, ser humilhado, limpar quartel e outras merdas pra dar satisfação a algo riscoso e perigoso como o exército. O exército é necessário, mas e o serviço obrigatório?

Pode ter soado meio falso-pacifista, mas não encontrei outro jeito de expressar...

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 112
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Olha... eu servi ao Exército no ano passado, porém, de uma forma um tanto quanto diferente: por viver no meio do mato, eu servi em um Tiro de Guerra. Lá, o Serviço Militar é menos pesado, sendo somente duas horas de serviço por dia. Porém, uma vez lá dentro, você deve conciliar essa nova obrigação à sua vida pessoal, estudo e trabalho. Eu estive exatamente nesse caso e, sinceramente, fiquei muito puto. Eu acordava às quatro e meia da manhã, ficava no TG até às sete e meia, depois ia trabalhar, ia para a faculdade (em outra cidade) às cinco da tarde e chegava em casa por volta de uma da manhã, completamente esgotado. Algumas vezes, até mesmo, ficava umas horas a mais acordado fazendo trabalhos para a faculdade. Aguentei 6 meses nesse ritmo... depois não deu mais. Eu dormia por volta de 3 a 4 horas por dia e, detalhe, por não estar em um quartel de verdade, eu sequer recebia salário. Para poder aguentar o tranco, precisei trancar a faculdade. Até poderia ter voltado esse ano, mas, como eu era bolsista, perdi a bolsa de estudos. Até conversei com o sargento, mas ele me disse que ele mesmo não sabia o que fazer no meu caso, se eu poderia recorrer ao Exército para manter minha bolsa ou não. Acabou que perdi minha bolsa e continuei servindo mais o resto daquele ano para absolutamente NADA. E digo mais: se hoje estourasse uma guerra e eu precisasse combater, certamente, eu e meus companheiros de TG seríamos os primeiros a ir para o caixão! Treinamos tiro real somente DUAS VEZES no ano todo.

 

Portanto, na minha situação ao menos, digo que o Exército, numa manobra porca de "economizar uma graninha" criou esses Tiros de Guerra apenas para não precisar ter o trabalho de dar alimentação e alojamento aos soldados de cidades interioranas. Realmente degradante...

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Estava passando por uma avenida às nove horas da manhã e me deparei com uma cena em que eu não sabia se ria ou se sentia pena: um monte de marmanjos de dezoito anos' date=' com cara de criança quando come brócolis e couve de bruxelas, com uma cueca com abas mínimas que dizem que é calção, correndo e berrando "um dois três quatro, quatro três dois um".

Quem merece uma coisa dessas? Por que o jovem do sexo masculino é chantageado pra servir a uma instituição, que numa impossível sociedade ideal nem deveria existir? Afinal, ninguém quer guerras, e se não tem guerra, pra que exército?

Não é uma coisa muito legal ficar sem o certificado de serviço militar. Vc é literalmente chantageado, pq sem prestar o serviço, adeus passaporte, universidade, concurso, etcétera etcétera...

Além do mais, mesmo que não seja tradição, é horrível ver as mulheres saindo livres dessa. No geral é menos mal, porque menos gente é obrigada a prestar, mas é muito menos democrático.

Dizem que se não for por isso, o EB esvazia. Ora ora, o exército dos EUA é o mais poderoso do mundo qualitativa E quantitativamente e o serviço é facultativo. Eles são significativamente mais patriotas que nós, mas a quantidade de pobres e pessoas que veriam no exército uma oportunidade de emprego boa no Brasil é absurdamente maior.

E não é todo mundo que gosta de ficar seis meses sob ordens de um sargento, acordando as 5 da manhã, ser patriota, ir para a guerra caso tenha uma, correr feito um condenado, ser humilhado, limpar quartel e outras merdas pra dar satisfação a algo riscoso e perigoso como o exército. O exército é necessário, mas e o serviço obrigatório?

Pode ter soado meio falso-pacifista, mas não encontrei outro jeito de expressar...

[/quote']Algumasconsiderações.

 

O serviço militar não deveria ser obrigatório,porque,não é,como prega o espírito do Exército,o fato da gente seguir ordens que nos faz cidadãos de bem,corretos e úteis em Sociedade.Não sei quantos aqui do forum já serviram o Exército,mas quando eu servi,só lia muita ladainha no livrinho oficial do Exército de nosso país...

 

Foi legal pelos amigos que ganhei,mas por outro lado,não vi um benefício significativo em minha vida,ter servido.Vai de cada um.Alguns até seguem a profissão por causa da estabilidade financeira,mas,falta sentido para o nosso Exército.Para se manter a ordem,é preciso de corpos armados e preparados para eventuais distúrbios,mas acho mesmo que deveriam mesmo criar lei que faça com que seja optativo o serviço militar.

 

Falando um pouco sobre a época em que servi:

 

Eu acordava às 4 da manhã em ponto,chegava no Quartel e não se chegava a lugar algum a não ser ficar correndo 30 minutos de aquecimento antes de alguns exercícios,depois a gente tinha treinamento com armas(aliás,quem leva à sério um Mosquetão ou um Fal,que são os padrões do Exército??????).Tinhamos que montar e desmontar ,lubrificar,etc..e quase sempre o sargento estava lá,com seu cronometro fazendo pressão!smiley36.gif

 

Os castigos que o subordinado recebe não servem pra nada,nem pra corrigir o cara nem para outra coisa qualquer.Era sempre os mesmos que se ferravam e iam pra faxina quando faziam besteiras....

 

Tinha a questão da barba e coturno: TODO SANTO DIA tinhamos que passar a gilete sem deixar um fiapo de barba,e com relação ao coturno,se a ponta do mesmo não brilhasse até cegar os olhos do Sargento,quase sempre levavam esporros e duras "correções"(que,na minha opinião,são inúteis).

 

Fora os exercícios físicos,manuseio e aprendizagem sobre equipamentos de guerra,havia aqueles discursos padrão em todo Exército de que,se nós estamos ali,era porque eramos aptos e que estaríamos ali para aprender a ser cidadãos corretos.pfff.......

 

Meu serviço durou 1 ano...desde a seleção(tinhamos que ficar só de cueca para sermos avaliados por médicos...smiley36.gif...todo mundo num círculo e todos com vergonha é claro..hahaha) até o fim,com o desfile no dia  1  de Setembro..quando eramos treinados por mais de 1 mês pra isso...

 

No final,no Exército não se ganha senso de responsabilidade,patriotismo,educação,auto-estima(havia um gay assumido que era humilhado sem dó....) e nem idéia de que o Brasil está preparado para entrar num combate,a não ser contra pequenas milícias de um Haiti da vida.

 

Eu tive conhecimento da precariedade da tecnologia do nosso Exército,da falta de Verba,enfim..notei que somos meio que uns guerrilheiros maltrapilhos...poderíamos somente defender nosso país como os Vietnamistas,por exemplo,porque não temos capacidade tecnológica nem armamentos de ponta;além da infra-estrutura estar decante(não há nem sequer dinheiro para reformas em quarteis que existem há mais de 50 anos,com raras exceções.)

 

Outra coisa,vejo que o espírito do Exército é velho...poderiam abrir as portas para as mulheres tb.Algumas delas reivindicam o seu direito,porque se querem,por que não?

 

Mas não é um pesadelo como todo mundo que não serviu ou ainda vai servir,pensa.É apenas frustrante saber que as condições de infra-estrutura são a a cara de um país atrasado em muita coisa.E que eles vêem com discursos que às vezes alimentam o ódio gratuito...

 

Quando se fala na importância,nem questiono.O Brasil sempre foi pacífico,pensando num contexto maio;e o modo do brasileiro é o da cordialidade e da diplomacia.Só acho pura lavagem cerebral o modo como eles falam da pátria,como devemos morrer por ela e blablabla..

 

 

 

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Exército é necessário em qualquer país. Não é porque um país é pacífico

que significa que não precisa ter exército. Exército não é necessário

só para possíveis guerras, mas para assuntos internos também. E não há

porque ficar nervoso com alistamento, a possibilidade de alguém

integrar o exército hoje é muito pequeno.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Exército é necessário em qualquer país. Não é porque um país é pacífico que significa que não precisa ter exército. Exército não é necessário só para possíveis guerras' date=' mas para assuntos internos também. E não há porque ficar nervoso com alistamento, a possibilidade de alguém integrar o exército hoje é muito pequeno.
[/quote']

Bom, até aí, os EUA se metem na primeira guerra que eles arranjam, o exército deles é o mais poderoso do mundo, e é facultativo. Se a possibilidade de alistamento é pequena, porque não deixar isso restrito aos que realmente querem se alistar e poupar os outros de fazer o nobre serviço?

Link to comment
Share on other sites

 

Exército é necessário em qualquer país. Não é porque um país é pacífico que significa que não precisa ter exército.

Na Suiça não tem exército' date=' a própria população (civil) defende o país, lá qualquer um pode ter uma bazuca em casa.

[/quote']

 

 

holy shit

não vou mais pros eua nem pro japão daqui 5 anos, eu vou pra suiça! nao mudo mais de ideia... q paraiso!!!!

 

Link to comment
Share on other sites

Exército é necessário em qualquer país. Não é porque um país é pacífico que significa que não precisa ter exército. Exército não é necessário só para possíveis guerras' date=' mas para assuntos internos também. E não há porque ficar nervoso com alistamento, a possibilidade de alguém integrar o exército hoje é muito pequeno.
[/quote']

Depende. Aqui em Erechim tem vezes que sobra, e tem vezes que falta gente. Teve até uma segunda chamada pra aqueles que foram dispensados no ano passado. Isso faz um mês, acho.

Link to comment
Share on other sites

Em tempos de paz ninguém é obrigado a prestar serviço militar. Basta alegar objeção de consciência:

 

 

 

Art. 143. 0 serviço militar é obrigatório nos termos da lei. § 1° À"

Forças Armadas compete, na forma da lei, atribuir serviço alternativo

aos que, em tempo de paz, após alistados, alegarem imperativos de

consciência, entendendo-se como tal o decorrente de crença religiosa e

de convicção filosófica ou política, para se eximirem de atividades de

caráter essencialmente militar".[/Quote]

 

Link to comment
Share on other sites

Em tempos de paz ninguém é obrigado a prestar serviço militar. Basta alegar objeção de consciência:

 

 

 

Art. 143. 0 serviço militar é obrigatório nos termos da lei. § 1° À"

 

Forças Armadas compete' date=' na forma da lei, atribuir serviço alternativo

 

aos que, em tempo de paz, após alistados, alegarem imperativos de

 

consciência, entendendo-se como tal o decorrente de crença religiosa e

 

de convicção filosófica ou política, para se eximirem de atividades de

 

caráter essencialmente militar".[/Quote']

 

 

Vc já experimentou isso em algum posto de alistamento pra ouvir o que eles vão te responder?

Link to comment
Share on other sites

Engraçado, eu vejo as mães eufóricas... doidas pros filhos passarem nos tais testes. Uma amiga da minha mãe estava super chateada porque o filho dela "não pegou o exército". Segundo ela, além do uniforme ser lindo (smiley5.gif), a estabilidade financeira é muito boa...

Além do mais, mesmo que não seja tradição, é horrível ver as mulheres saindo livres dessa. No geral é menos mal, porque menos gente é obrigada a prestar, mas é muito menos democrático.

Vai falar isso para aquelas feministas que acreditam que mulheres e homens são iguais.

Link to comment
Share on other sites

Olha... eu servi ao Exército no ano passado' date=' porém, de uma forma um tanto quanto diferente: por viver no meio do mato, eu servi em um Tiro de Guerra. Lá, o Serviço Militar é menos pesado, sendo somente duas horas de serviço por dia. Porém, uma vez lá dentro, você deve conciliar essa nova obrigação à sua vida pessoal, estudo e trabalho. Eu estive exatamente nesse caso e, sinceramente, fiquei muito puto. Eu acordava às quatro e meia da manhã, ficava no TG até às sete e meia, depois ia trabalhar, ia para a faculdade (em outra cidade) às cinco da tarde e chegava em casa por volta de uma da manhã, completamente esgotado. Algumas vezes, até mesmo, ficava umas horas a mais acordado fazendo trabalhos para a faculdade. Aguentei 6 meses nesse ritmo... depois não deu mais. Eu dormia por volta de 3 a 4 horas por dia e, detalhe, por não estar em um quartel de verdade, eu sequer recebia salário. Para poder aguentar o tranco, precisei trancar a faculdade. Até poderia ter voltado esse ano, mas, como eu era bolsista, perdi a bolsa de estudos. Até conversei com o sargento, mas ele me disse que ele mesmo não sabia o que fazer no meu caso, se eu poderia recorrer ao Exército para manter minha bolsa ou não. Acabou que perdi minha bolsa e continuei servindo mais o resto daquele ano para absolutamente NADA. E digo mais: se hoje estourasse uma guerra e eu precisasse combater, certamente, eu e meus companheiros de TG seríamos os primeiros a ir para o caixão! Treinamos tiro real somente DUAS VEZES no ano todo.

Portanto, na minha situação ao menos, digo que o Exército, numa manobra porca de "economizar uma graninha" criou esses Tiros de Guerra apenas para não precisar ter o trabalho de dar alimentação e alojamento aos soldados de cidades interioranas. Realmente degradante...
[/quote']

Então é você mesmo, no avatar?smiley36.gif

Link to comment
Share on other sites

 

Olha... eu servi ao Exército no ano passado' date=' porém, de uma forma um tanto quanto diferente: por viver no meio do mato, eu servi em um Tiro de Guerra. Lá, o Serviço Militar é menos pesado, sendo somente duas horas de serviço por dia. Porém, uma vez lá dentro, você deve conciliar essa nova obrigação à sua vida pessoal, estudo e trabalho. Eu estive exatamente nesse caso e, sinceramente, fiquei muito puto. Eu acordava às quatro e meia da manhã, ficava no TG até às sete e meia, depois ia trabalhar, ia para a faculdade (em outra cidade) às cinco da tarde e chegava em casa por volta de uma da manhã, completamente esgotado. Algumas vezes, até mesmo, ficava umas horas a mais acordado fazendo trabalhos para a faculdade. Aguentei 6 meses nesse ritmo... depois não deu mais. Eu dormia por volta de 3 a 4 horas por dia e, detalhe, por não estar em um quartel de verdade, eu sequer recebia salário. Para poder aguentar o tranco, precisei trancar a faculdade. Até poderia ter voltado esse ano, mas, como eu era bolsista, perdi a bolsa de estudos. Até conversei com o sargento, mas ele me disse que ele mesmo não sabia o que fazer no meu caso, se eu poderia recorrer ao Exército para manter minha bolsa ou não. Acabou que perdi minha bolsa e continuei servindo mais o resto daquele ano para absolutamente NADA. E digo mais: se hoje estourasse uma guerra e eu precisasse combater, certamente, eu e meus companheiros de TG seríamos os primeiros a ir para o caixão! Treinamos tiro real somente DUAS VEZES no ano todo.

 

Portanto, na minha situação ao menos, digo que o Exército, numa manobra porca de "economizar uma graninha" criou esses Tiros de Guerra apenas para não precisar ter o trabalho de dar alimentação e alojamento aos soldados de cidades interioranas. Realmente degradante...

[/quote']

Então é você mesmo, no avatar?smiley36.gif

 

Não porra smiley36.gifsmiley36.gifsmiley36.gifsmiley36.gif Outro ponto do Tiro de Guerra é que eles não te orbigam a raspar a cabeça... basta ter o cabelo curto... como eu já uso cabelo curto por natureza, não tive problemas smiley36.gifsmiley36.gif

 

(quando acabar O Cinéfilo, vou trocar esse avatar smiley36.gif)

 

Link to comment
Share on other sites

Exército é necessário em qualquer país. Não é porque um país é pacífico que significa que não precisa ter exército.

Na Suiça não tem exército' date=' a própria população (civil) defende o país, lá qualquer um pode ter uma bazuca em casa.

[/quote']

claro que a suiça tem exército . e muito bem treinado por sinal .

 

Link to comment
Share on other sites

Exército é necessário em qualquer país. Não é porque um país é pacífico que significa que não precisa ter exército.

Na Suiça não tem exército' date=' a própria população (civil) defende o país, lá qualquer um pode ter uma bazuca em casa.

[/quote']

claro que a suiça tem exército . e muito bem treinado por sinal .

 

Não, não tem. É formado por guardas privadas. Exército público, até onde eu saiba, não tem. Tanto que os serviços particulares de segurança da Suíça são os mais procurados. A Guarda Suíça serve ao Vaticano a mais de 400 anos. Mas sim, são extremamente bem treinados.

Link to comment
Share on other sites

Além do mais' date=' mesmo que não seja tradição, é horrível ver as mulheres saindo livres dessa. No geral é menos mal, porque menos gente é obrigada a prestar, mas é muito menos democrático.[/quote']

Vai falar isso para aquelas feministas que acreditam que mulheres e homens são iguais.

Se elas realmente acreditassem que homens e mulheres são iguais, qual opção defenderiam?

Link to comment
Share on other sites

 

Exército é necessário em qualquer país. Não é porque um país é pacífico que significa que não precisa ter exército.

Na Suiça não tem exército' date=' a própria população (civil) defende o país, lá qualquer um pode ter uma bazuca em casa.

[/quote']

claro que a suiça tem exército . e muito bem treinado por sinal .

 

Não, não tem. É formado por guardas privadas. Exército público, até onde eu saiba, não tem. Tanto que os serviços particulares de segurança da Suíça são os mais procurados. A Guarda Suíça serve ao Vaticano a mais de 400 anos. Mas sim, são extremamente bem treinados.

 

Se não me engano, a COsta Rica segue os mesmos moldes "militares" da Suíça... eles têm apenas uma guarda civil... nada mais...

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...