Jump to content
Forum Cinema em Cena

Liga da Justiça (HBO MAX, 25/03/2021)


Recommended Posts

3 hours ago, Questão said:

 Eu acho que o Whedon pensou algo que muita gente (eu incluso) pensou que ia acontecer. Se o filme ficasse bom, todo mundo ia dizer "Whedon salvador, o cara que nos entregou OS VINGADORES conseguiu de novo". Já se desse errado "pois é, o Whedon se esforçou, mas o Snyder, o cara que fez BATMAN VS SUPERMAN já tinha feito muita besteira". Só que quando o filme deu errado, não foi isso que rolou, e toda a culpa do filme ter ficado ruim foi pro Whedon mesmo, ainda mais quando vazou a história que o suicídio da filha do Snyder foi só o pretexto final pra Warner chutar o cara de vez do projeto.

É que o filme deu muito errado, mais a história do suicídio e mais as denúncias de abuso no set de gravação.....

Link to post
Share on other sites
  • Replies 4.2k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Assistido em IMAX. Eu geralmente quando tento "analisar" um filme, tento tirar da conta minhas expectativas, e seu contexto pra formar minha opinião. Coisa que pra esse filme ficou impossível. Eu

Pessoal chorem!   Finalmente ouvimos que realmente será criado, FINALMENTE!   Em outubro de 2005 foi criado o primeiro topico do filme da Liga neste forum historico e unico, 10 anos atrás porra!

Posted Images

ZACK SNYDER EXPLICA PORQUE LIGA DA JUSTIÇA NÃO FOI LANÇADO COMO SÉRIE

Capa da Publicação

O público pediu e a Warner atendeu: a Liga da Justiça de Zack Snyder está entre nós. O filme é dividido em seis capítulos, o que levantou questionamentos sobre o motivo do projeto não ter lançado como uma minissérie. O diretor resolveu se pronunciar.
 

Questões legais
Em entrevista ao Deadline, Snyder admitiu que considerou bastante alterar a natureza do projeto para o formato seriado, mas existiam entraves legais que fez com que reconsiderasse.
Quando o projeto foi encomendado, os contratos foram assinados para a produção de um longa metragem e entregar uma série dividida em vários episódios poderia deixar um precedente perigoso para a indústria.
“Francamente, começamos a discutir sobre dividir o filme em quatro partes, e se isso implica em uma série de TV, e portanto anularia todos os contratos. E eu fiquei tipo: ‘Caras, eu não quero me tornar…  isso tá parecendo que vai dar mais problema do que solução, e pode virar um desastre, então não vamos transformar esse filme em um precedente legal. Prefiro ficar com minha obra de quatro horas mesmo’.”

Questões estilísticas
Mesmo que o lançamento em formato seriado estivesse fora de questão, Snyder decidiu manter a divisão em capítulos para tornar uma experiência mais palatável de assistir de uma única vez.
A ideia original do diretor sempre incluiu eventualmente relançar Liga da Justiça nos cinemas e essa foi a solução para não cansar o público com uma história muito longa.
“Essa foi a maneira que eu fui criando o filme na minha cabeça do jeito mais fácil de se digerir. Tem tanta coisa rolando e eu simplesmente senti que apresentar capítulos conforme [a história] avança era a melhor maneira de absorver tudo isso.”
Mesmo com uma experiência linear em mente, Snyder concluiu que — devido ao lançamento direto no HBO Max — dividir o filme em capítulos menores traria diversas vantagens para o público.
“O plano sempre foi concluir como um grande filme, mas depois eu pensei ‘Ah, pode ser divertido dividi-lo [em partes].’ Mas as coisas foram complicando e todo mundo ficou nervoso com as implicações contratuais e tal. Eu disse ‘Quer saber? Tá legal. Deixa quatro horas, é um jeito incrível de assistir esse filme, e é tranquilo de pausar pra ir ao banheiro ou pegar pipoca ou o que quer que você tenha que fazer, porque você sabe em que capítulo voltar.”
Por fim, os seis capítulos acabam auxiliando o público a identificar os temas abordados e foi mais uma decisão acertada do diretor que pode impactar positivamente o resto da indústria.
 

?

http://uploads.disquscdn.com/images/53f9587ece047b0c354e3de507609a0a24f2f64c1837241eb52624bc078adbb9.jpg

 

?

O Plot do cara para todos esses Ganchos é a LOIS LANE Grávida, até ai tudo bem, só que o filho é do BRUCE FUCKING WAYNER E O FLASH DESGRAÇADO IRIA VOLTAR PRO PASSADO SÓ PARA AVISAR O SUPERMAN QUE ELE É CORNOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

https://rollingstone.uol.com.br/noticia/como-seriam-continuacoes-do-snyder-cut/

 

Link to post
Share on other sites
On 3/19/2021 at 10:20 AM, Jailcante said:

Eu até que gostei muito. Pelo menos dessa vez parece um trabalho de uma pessoa só, não algo bagunçado que muita gente meteu a mão. Claro, que tá cheio de Snidices, muita câmera lenta, filtro escuro pra todo lado, mas enfim. É um filme coeso agora. E melhor que o BvS, porque não vi nada muito constrangedor aqui como 'Martha!' (já o filme de 2017 nem dá pra considerar mais agora).

Mas problema maior é mesmo o começo muito arrastado, com coisa demais que o Snyder socou ali, sem filtrar muito o que é ou não importante mostrar, assim o começo do filme ficou 'cheio' com detalhes demais, e o final, nem tanto, ficou mais enxuto, Snyder não encheu tanto assim (as batalhas apesar de mudar muito em relação ao filme de 2017, não pareceu mais longas, devem ter o mesmo tempo de duração de antes). Minha impressão disso: O Snyder na época filmou tudo que queria filmar do começo do filme (e aqui foi socando tudo), já o final, talvez não, ele filmou o principal ali e acabou saindo antes de filmar mais coisas (daí não tinha muito mais coisas pra socar aqui, e assim as batalhas parecem mais enxutas).

Mas ok, no geral, tá bem bom. Provavelmente, devo assistir de novo (tenho 2 dias pra isso antes do aluguel expirar).

P.S.: E o filme pede uma sequel. Não no sentido de terminar com final aberto (porque não tem), mas Snyder não perdeu a chance em mostrar o que seria o próximo passo da história: O tal 'nightmare' (mostra tanto isso aqui que acho que nem precisa de um filme próprio, com o que tem aqui já dá pra imaginar o que rola). Com certeza, fãs vão chorar por essa sequel, mas não creio que dessa vez vão ter o que querem (mas sei lá também, vá que WB resolva fazer).

 

Spoiler: Única falta que sinto em relação ao filme de 2017, é que lá o Batman é quem resolve ressuscitar o Superman. Em parte, porque ele queria reparar o que ele fez no filme anterior contra o Superman, e assim achei legal uns diálogos que Batman tem com a Mulher Maravilha sobre isso. Aqui tudo é limado e é uma decisão do grupo fazer isso, todo mundo chega na mesma conclusão que Superman é importante na batalha (falam até que as caixas maternas temem o Superman, por isso era bom ele estar vivo). Senti falta desses diálogos.

 

Spoiler:

.

.

.

A cena do pesadelo e o dialogo do Cacador de Marte com o Bruce são totalmente novas (percebam como o Ben ta super magro, parece que teve recaída do alcoolismo mas mesmo assim foi gravar), o que quer dizer que o Snyder quis deixar esse gancho do J'onn propositalmente. 
 

Link to post
Share on other sites

 

 Filme Visto.

 A versão de Zack Snyder de LIGA DA JUSTIÇA, ou como ficou carinhosamente conhecida, o SNYDERCUT é um filme melhor que a versão lançada em 2017; um frankenstein que usava alguma das cenas filmadas por Snyder com os Reshoots comandados por Joss Whedon, em um trabalho que praticamente destruiu a carreira do segundo. Mas embora seja um exercício interessante comparar as duas versões, acho que ele acaba sendo contraproducente para avaliar este Snydercut por si só, sendo muito mais válido olhar tal filme em comparação com as duas incursões anteriores de Snyder no mundo dos grandes heróis da DC, o interessante O HOMEM DE AÇO, e o divisivo BATMAN VS SUPERMAN.

  Claro, o Snydercut é um animal diferente, pois tendo sido pensado para o consumo em Streaming (e quase lançado em forma de minisserie, o que não faria sentido nenhum), ele não teve as preocupações que uma produção para o cinema normalmente teria (mesmo que em 2017 o diretor tivesse tido a liberdade que teve para fazer BVS, não é essa LIGA DA JUSTIÇA que teríamos visto na tela grande). É curioso então observar o crescendo de identidade do diretor para o bem e para o mal que ocorreu nestes três filmes. Lembramos que Snyder foi convidado por Christopher Nolan e David Goyer para comandar O HOMEM DE AÇO a partir de um argumento escrito pelos dois, que mostrava um Snyder muito mais contido, E uma Warner que tentava replicar com o Superman a atmosfera soturna e realista da trilogia "O Cavaleiro das Trevas" (ainda que parte da visão de Snyder para os super heróis já se apresentasse, vide a decisão de Superman de executar Zod ao fim do filme, algo que inicialmente não estava no argumento de Nolan e Goyer). Então veio BATMAN VS SUPERMAN, um filme onde Snyder teve muito mais liberdade para explorar as suas assinaturas estéticas, e a visão dos super heróis como figuras divinas, eventualmente violentas, e com noções cinzentas de moralidade. O filme também surgia como a resposta da DC/Warner ao sucesso inegável do MCU da Marvel/Disney, mas dentro de seus próprios termos; com uma pressa maior para construir o seu mundo de super heróis, e uma visão mais sombria e ao mesmo tempo estilizada, que se afastava tanto das aventuras predominantemente leves dos Vingadores quanto da sobriedade visual da trilogia do Batman de Nolan e de certa forma, do próprio HOMEM DE AÇO.

Este longo prólogo finalmente nos traz ao Snydercut, onde devido as circunstâncias especiais, Snyder pôde fazer um filme do jeito que quis, com a duração que quis, e que deixa mais claro do que nunca tanto o seu estilo audiovisual bastante particular quanto a sua visão dos heróis. Se eu tivesse que definir o grande tema deste LIGA DA JUSTIÇA, eu diria que este é um filme sobre mitologia e fé nos mitos. Em suas apresentações, os heróis da DC são mostrados como essas figuras divinas e caridosas, que ajudam as pessoas sem realmente se relacionarem ou se identificarem com elas. Aquaman mal olha na cara dos pescadores que ajuda, mas tem as suas próprias musas, que cantam cantigos quando ele volta para o mar. O Flash salva Iris West, e tem tempo de apreciar a beleza da moça antes de desaparecer. A Mulher Maravilha sorri de maneira condescendente para uma menina após derrotar terroristas em um museu. Mesmo a pequena (e gratuita) participação do Caçador de Marte (ou Ajax se você cresceu nos anos 80 e 90) evoca essa indulgência divina dos heróis. Estes heróis se importam com as pessoas, mas salvo raras exceções, não parecem realmente desenvolver qualquer tipo de conexão pessoal.

E esse é um grande problema de LIGA DA JUSTIÇA. Apesar de possuir quatro horas de duração (desnecessárias sim, mas não tão cansativas quanto achei que seriam. O mais curto MULHER MARAVILHA 1984 foi um filme que achei bem mais enrolado), o filme de Zack Snyder trabalha a dinâmica de seus personagens principais de forma bastante pobre. Não vemos os heróis crescendo como uma equipe; não vemos contrastes entre seus métodos de ação e personalidade; eles simplesmente são uma equipe pronta; o que mata grande parte dos conflitos e pontos de interesse que uma trama de super-equipe trazem, roubando justamente a humanidade desses personagens. Snyder  e o roteirista Chris Terrio tiveram problemas em BATMAN VS SUPERMAN para tornar crível a rivalidade dos heróis que movia aquele filme, e voltam a demonstrar essa mesma dificuldade para tornar crível a união e entrosamento da Liga da Justiça aqui.

 O desenvolvimento individual dos principais personagens também é muito prejudicado pela quantidade de elementos com que a história tem que trabalhar. Batman tem um ensaio de aro dramático envolvendo a culpa por ter contribuído para a morte do Superman, mas é um arco extremamente mal desenhado. Flash e Aquaman estão lá mais para serem apresentados do que para ter realmente qualquer jornada dramática, enquanto a Mulher Maravilha surge como o clichê pedestre da personagem feminina forte , disparando frases prontas de feministas de quarta série como "eu não pertenço á ninguém" e "você pode ser o que você quiser". Superman, é apenas um Deux Ex Machina, passando a maior parte de seu tempo de tela com cara de paisagem, nunca nos fazendo entender por que ele é o símbolo de esperança que dizem que ele é. Apenas o Ciborgue realmente tem uma jornada dramática realmente eficiente, que explora a sua relação com o pai; a descoberta de seus poderes e a aceitação de sua nova condição, e após assistir o filme, compreendo completamente a fúria de Ray Fisher diante do que foi feito com o seu personagem na versão de Whedon.

 O Lobo da Estepe, tem uma motivação simples, mas que funciona, e conversa com o tema de mitos e fé nos mitos trabalhados pelo filme, devido a sua devoção a Darkseid. Alias, devo confessar que ver finalmente Darkseid em tela apelou para o meu lado fã, e reconheço a força que o momento em que o senhor de Apokolips e a Liga se encaram através do tubo de explosão possui. Diferente do que houve em BATMAN VS SUPERMAN, onde a aparição dos outros heróis da Liga (Mulher Maravilha inclusive) era absolutamente gratuíta, aqui o surgimento de Darkseid e sua trupe já parecem melhor encaixados na história, ainda que ainda sejam um Fan Service e promessa de sequência, mas a coisa é bem feita. Já a participação do Caçador de Marte é absolutamente gratuíta e completamente aleatória; mostrando que tal como houve em BATMAN VS SUPERMAN, Snyder perde o foco da história que ele está contando pra falar da que ele gostaria de contar no futuro.

 

 As cenas de ação são muito bem dirigidas, algo que Snyder sempre foi muito bom, convenhamos, mesmo com todas as suas fírulas visuais e slow motion a dar com rodo. Alguns dos efeitos especiais melhoraram muito, vide o visual do Lobo Da Estepe, que surge muito mais inventivo. E ainda que as cenas de Apokolips com a aparição de Darkseid soem saídas de um videogame, elas acabam se encaixando na estética que o diretor cria para o planeta. Já as poucas aparições do Caçador de Marte são totalmente vergonha alheia, com o marciano sendo criado em um CGI feio e mal aplicado, me fazendo questionar novamente por que o personagem foi incluído no filme.

Tal como BATMAN VS SUPERMAN, o SNYDERCUT não é um filme ruim, mas mostra um diretor mais interessado nos seus protagonistas como mitos do que como personagens de fato. A ação é grandiosa e a estética enche os olhos, mas como se importar com personagens tão frios e distantes? Além disso, os exageros de Snyder se fazem presente, com câmera lenta onde não precisa, e inserções de canções que arrancam o público do filme. Por fim, embora este seja um elemento bem pessoal, não curto muito a visão do diretor para os super heróis, tão divinos e distantes que tornam impossível qualquer identificação, além de parecerem ter saído diretamente das distopias dos quadrinhos oitentista/noventista pós Frank Miller/Alan Moore; como umma Mulher Maravilha não vê problema nenhum em vaporizar um terrorista desarmado, ou um Superman que participa alegremente da execução do Lobo da Estepe. Mas isso sou eu, e Snyder não pode ser acusado de não ser coerente com a sua visão vinda desde O HOMEM DE AÇO.

No fim das contas, este com certeza é o filme que os fãs de Zack Snyder queriam, e que devido a sua história pessoal, o próprio merecia fazer. Mas acho que ainda ficou bem longe do filme que a Liga da Justiça pode e merece render.

Link to post
Share on other sites

ZACK SNYDER EXPLICA A APARIÇÃO DE HERÓI NO FILME

Imagem de capa do item

Zack Snyder respondeu algumas questões importantes por trás do seu corte de Liga da Justiça, lançado nesta semana. Apesar de ter sido revelado pelo próprio Snyder em entrevistas anteriores, o Caçador de Marte foi uma das aparições que mais provocou furor entre os fãs.
No filme, J’onn J’onzz (Harry Lennix), que já havia aparecido como o general Swanwick em O Homem de Aço, ajuda Lois Lane (Amy Adams) a lidar com o luto após a perda do Superman (Henry Cavill).
Ao IGN, Snyder falou sobre a presença do Caçador de Marte e trouxe mais detalhes sobre o personagem, que segundo ele, habitava o DCEU há muito tempo:
“Acho que ele está na Terra, conversamos muito sobre isso, ele está na Terra há um bom tempo, há muito tempo mesmo. Acreditamos que ele assumiu diferentes formas ao longo da história, ele viveu meio que por aí, sempre nas sombras. A linha do tempo é complicada, na melhor das hipóteses. Isso é o que nós sentimos, embora dê para mergulhar muito mais fundo com ele. O cara é inteligente e pode ler mentes. Está presente dentro da hierarquia do governo. Não seria tão difícil, por exemplo, ele se tornar presidente do país se quisesse.”
Nos quadrinhos, Caçador de Marte é um telepata nativo do Planeta Vermelho que vive disfarçado entre os homens na Terra e é um dos fundadores da Liga da Justiça.
O Snyder Cut está disponível para aluguel em diversas plataformas digitais, incluindo Google Play, Looke, Apple TV, Claro, Microsoft, Playstation, Sky, Uol Play, Vivo e WatchBr.

 

A revelação de que o general é o Caçador de Marte só me faz lembrar daquela cena de Homem de Aço quando falam pra ele sobre a nave alienígena vindo pra terra e ele ficando surpreso com isso. Agora vendo essa cena eu só consigo pensar: "FINGIDOOO DEMAIS". E existe outro detalhe muito interessante em Homem de aço sobre o caçador de marte, qnd o superman é levado preso e esta conversando com a lois na sala enquanto o general e outros estão atrás do vidro escuro, então o superman quebra as algemas e se aproxima do vidro, todo mundo lá recua com medo, menos o general, pelo contrário ele até faz uma postura de enfrentamento.?

Miniatura

 

Miniatura

 

Link to post
Share on other sites

ZACK SNYDER FALA A RAZÃO PELA QUAL O FILME É TÃO VIOLENTO E SANGRENTO

Capa da Publicação

Quem assistiu a nova versão de Liga da Justiça notou que o filme possui uma quantidade impressionante de sangue e violência. De acordo com Zack Snyder, esse aspecto adulto é resultado da liberdade criativa que ele teve no projeto.
Em uma entrevista à Variety, Snyder disse que adicionar decapitações e cabeças esmagadas ao filme é um “puro exercício de liberdade criativa”. O cineasta conta que isso o levou a examinar como personagens semelhantes a deuses lutariam e agiriam no calor de uma batalha.
“Fizemos da mesma forma que faríamos se não houvesse um quadro de classificação indicativa. Não usamos metáforas. Fizemos da maneira que achamos mais legal. Essa foi a abordagem filosófica”, disse Snyder. “Eu sempre acho que a consequência é importante, que há riscos reais. Ainda é um pouco abstrato, claro. São deuses guerreiros. O que também é parte da questão. Nós não podemos realmente lutar contra eles. Humanos não podem lutar contra eles.”
Snyder concluiu dizendo que não tinha a intenção de amenizar qualquer imagem de violência do filme pois ele estava comprometido em mostrar a realidade da situação:
“Se você não trata a violência real como violência, para mim, você está reduzindo a gravidade em todos os níveis. Se o super-herói bate o carro, e todo o carro explode, e você vê o cara meio que rastejando para fora dos destroços, e você fica tipo, tudo bem, ainda é um filme para jovens, o fato de você não mostrar o sangue é um detalhe. A violência ainda está lá. Eu quero uma representação verdadeira da violência. Eu não quero amenizar isso.”
O Snyder Cut está disponível para aluguel em diversas plataformas digitais, incluindo Google Play, Looke, Apple TV, Claro, Microsoft, Playstation, Sky, Uol Play, Vivo e WatchBr.

 

Achei ate exagero a classificação +18. Tem bem pouco sangue e só lembro de um "fucking"... Acho que +14 já seria o suficiente. Tem sangue sim, mas não no nível de um Logan, por exemplo.?
 

 

Link to post
Share on other sites

 Isabela Boscov acabou com o Snyder ? 

"O primeiro filme é ruim, o segundo filme é ruim e dura muito mais"

"O Snyder é como aquela criança, simpática, boazinha e criativa quando tem apenas uma vassoura pra brincar. Mas quando esta criança tem acesso a caixa de brinquedos, vira um reizinho insuportável."

"Ele não saiu da publicidade, seus filmes são uma seção interminável de comerciais de 30 segundos. Seus filmes não evoluem do começo para o fim"

"O Michael Bay tem mais visão artística, mais personalidade, por mais desagradável que seja, transparecendo no filmes dele, que o Snyder. "

 

 

Link to post
Share on other sites
5 hours ago, Jorge Soto said:

outro detalhe muito interessante em Homem de aço (...) superman quebra as algemas e se aproxima do vidro, todo mundo lá recua com medo, menos o general, pelo contrário ele até faz uma postura de enfrentamento

Massa !

Link to post
Share on other sites
4 hours ago, Big One said:

 Isabela Boscov acabou com o Snyder ? 

 

"O Michael Bay tem mais visão artística, mais personalidade, por mais desagradável que seja, transparecendo no filmes dele, que o Snyder. "

 

Qualquer cineasta ser inferiorizado na comparação com Michael Bay é digno de pena, se ela quiser acabar mesmo com Snyder devia ter aproveitado e dito que ele tem menos qualidade que o Uwe Boll.

 

Brincadeiras a parte, ele tem sim talento , é meio egocêntrico , mas a persistência dele por esse projeto é salutar para qualquer trabalho que pensamos e acreditamos.

Link to post
Share on other sites

 

 Embora o Snydercut seja um filme melhor, tem algumas coisas que ficaram melhores pra mim no corte do cinema. Acho que toda a questão do luto pelo Superman foi melhor trabalhado no corte do cinema. Acho que o Whedon ao menos tenta criar alguma tensão e dinâmica mais viva entre os membros da Liga, além do desenvolvimento deles como equipe; algo que o Snyder decididamente não se preocupa em fazer. E pessoalmente prefiro a visão mais heróica que o Whedon lança sobre os personagens do que a de "deuses benevolentes mas distantes" que o Snyder emprega aqui.

Link to post
Share on other sites
13 minutes ago, Questão said:

 

 Embora o Snydercut seja um filme melhor, tem algumas coisas que ficaram melhores pra mim no corte do cinema. Acho que toda a questão do luto pelo Superman foi melhor trabalhado no corte do cinema. Acho que o Whedon ao menos tenta criar alguma tensão e dinâmica mais viva entre os membros da Liga, além do desenvolvimento deles como equipe; algo que o Snyder decididamente não se preocupa em fazer. E pessoalmente prefiro a visão mais heróica que o Whedon lança sobre os personagens do que a de "deuses benevolentes mas distantes" que o Snyder emprega aqui.

ISso sempre foi um fetiche do Snyder , colocar os herois da Liga como deuses entre nós...

Link to post
Share on other sites

O enredo da trilogia 

(com spoiler do snydercut)

Snyder revelou em entrevista à Esquire que o segundo filme se passaria no futuro alternativo visto no epílogo do Snyder Cut. De acordo com o cineasta, a trama giraria em torno de mandar o Flash de volta no tempo para avisar o Batman que é preciso para salvar Lois Lane:

“Nesse mundo, o filme basicamente seria sobre um grupo do que restou da Liga da Justiça em uma missão maluca para roubar a Caixa Materna dessa catedral meio destruída em Gotham e levá-la para a Batcaverna para poderem usá-la para energizar a esteira cósmica para levar o Flash de volta no tempo.”

Essa jornada levaria a equipe, formada por heróis e vilões, a uma trégua que daria a chance de apresentar partes do passado desses personagens:

“Então na noite antes da grande missão, eles teriam um acerto de contas em um estilo Última Ceia, em que contariam suas histórias. Uma delas seria o Coringa contando a morte do Robin. E o Superman, aliás, mataria todo mundo menos o Flash, que passaria por ele e pularia através do tempo para escapar”.

Segundo o cineasta, as mortes de personagens como Aquaman e Arlequina não seriam contadas através de diálogos. “Não, nós iríamos filmar essas [cenas]. E elas teriam elementos do que o Ciborgue vê”, afirmou.

Liga da Justiça 3 e a jornada do Superman

Zack Snyder não parou por aí e apresentou também seus planos para o terceiro filme da Liga, que, em suas palavras, teria início “quando eles resgatam ou mandam o Flash de volta no tempo”. Com foco na batalha entre Darkseid e os heróis da Terra, o longa mostraria o sacrifício de Batman e a ascensão do Superman:

“O último filme seria muito sobre o Superman. Como capítulo final, teria uma larga porcentagem de Superman para amarrar a coisa toda. Porque se o Batman morresse, provavelmente cairia no Superman o cargo de líder. Aliás, nesse ponto a Mulher-Maravilha teria se tornado a rainha de Themyscira e estaria liderando as guerreiras da ilha na batalha contra o Darkseid. E Arthur estaria liderando os exércitos de Atlantis. Então Superman seria o chefe da Liga da Justiça e do exército dos homens, e poderia ir desse modo ‘berserker’ para um mais benevolente”.

Para Snyder, encerrar a trilogia da Liga com foco no Superman seria uma forma de dar uma jornada diferente para o herói:

“Superman tem o maior arco de todos porque ele vai de principal vilão para o grande herói. E me impressiona como seria uma trajetória legal, divertida e interessante para ele. Porque acho que tradicionalmente, Superman é um desses personagens que as pessoas não veem mudar muito. Sabe o que quero dizer? Ele é como uma rocha que todo mundo luta contra e pensei que seria realmente legal fazer nosso Superman um personagem que passa pela jornada mais incrível”.

Link to post
Share on other sites
On 3/20/2021 at 10:48 AM, Jorge Soto said:

 

Spoiler:

.

.

.

A cena do pesadelo e o dialogo do Cacador de Marte com o Bruce são totalmente novas (percebam como o Ben ta super magro, parece que teve recaída do alcoolismo mas mesmo assim foi gravar), o que quer dizer que o Snyder quis deixar esse gancho do J'onn propositalmente. 
 

Notei que o Ben tava meio diferente ali mesmo. hehe E Snyder disse que ali seria o Lanterna Verde na cena, mas WB vetou falando que tinha outros planos pro Lanterna.

 

** E Snyder deu uma forçada ali pra sequel, não economizou pra falar que ela existe na mente dele, agora fãs vão ficar querendo a sequel, mas essa sequel já existe:

 

Injustice_Gods_Among_Us_capa.jpg

Superman do mal depois da morte da Lois, Batman líder do rebeldes, faz parceria com vilão (Lex no jogo, Snyder mudou pro Coringa), Batman usa multiverso pra alterar o mundo, no filme, Snyder usaria viagens no tempo, e etc

Até o Ed Boon criador do jogo fez piada no twitter pra falar da semelhança.

Link to post
Share on other sites
4 hours ago, Jailcante said:

Notei que o Ben tava meio diferente ali mesmo. hehe E Snyder disse que ali seria o Lanterna Verde na cena, mas WB vetou falando que tinha outros planos pro Lanterna.

 

** E Snyder deu uma forçada ali pra sequel, não economizou pra falar que ela existe na mente dele, agora fãs vão ficar querendo a sequel, mas essa sequel já existe:

 

Injustice_Gods_Among_Us_capa.jpg

Superman do mal depois da morte da Lois, Batman líder do rebeldes, faz parceria com vilão (Lex no jogo, Snyder mudou pro Coringa), Batman usa multiverso pra alterar o mundo, no filme, Snyder usaria viagens no tempo, e etc

Até o Ed Boon criador do jogo fez piada no twitter pra falar da semelhança.

Exato..a cena do pesadelo é totalmente Injustice.. com pequenas variações 

Link to post
Share on other sites

ZACK SNYDER FALA SOBRE O INFAME BIGODE DE HENRY CAVILL

Capa da Publicação

Liga da Justiça de Zack Snyder está entre nós, com suas monumentais quatro horas de duração e muitas novas cenas. Agora, temos muito mais desenvolvimento para os heróis que integram a equipe, bem como histórias e tramas alternativas para o que já havíamos visto na versão de 2017. Uma das mudanças mais bem-vindas foi o Superman de Henry Cavill, que finalmente perdeu a boca bizarra reconstruída com CGI.
Em uma entrevista ao MTV News, Snyder explicou que ficou feliz em ter lançado sua versão do filme, de modo que pôde “limpar” um pouco a imagem do Superman e deixar de escanteio a imagem que as pessoas tinham de Henry Cavill com sua face desfigurada pelos efeitos digitais, já que na versão de 2017 o ator teve que gravar cenas extras com um bigode que só foi retirado na pós-produção:
“Eu só vi os memes. Foi engraçado porque parte de mim está feliz por não deixar que aquilo se tornasse o legado total do trabalho duro que fizemos nos últimos dez anos, sabia? É triste pensar que essa poderia ser a última imagem que as pessoas teriam do Superman, com aquele troço, seja lá o que for aquilo.”
Para quem não se lembra, Cavill estava gravando Missão Impossível: Efeito Fallout durante as refilmagens de Liga da Justiça. Ele estava contratualmente obrigado a ficar com um bigode até o fim das gravações, e portanto teve que fazer cenas adicionais para Liga da Justiça com o bigode. A Warner então gastou milhões de dólares para apagar digitalmente o bigode do rosto do ator, mas a versão final ainda teve vários problemas de renderização.
Liga da Justiça de Zack Snyder deixa de lado todas as cenas extras filmadas por Joss Whedon. Em vez disso, o filme segue à risca os planos originais de Zack Snyder. Inclusive, a única grande mudança feita no Superman é seu traje preto, já que as cenas haviam sido gravadas com o traje colorido mas Snyder decidiu lançar sua versão do filme com o visual mais sombrio, preto e com o símbolo da Casa de El prata.
 

MELHOR COISA do filme de 2017, rendeu várias piadocas?

Miniatura

Miniatura

Miniatura

Miniatura

Miniatura

 

pior que tem deepfake que fica trocentas vezes melhor que isso ai

 

Link to post
Share on other sites

Acho que foi irresponsabilidade do Cavill  aceitar um papel em MI com essa cláusula contratual e desrespeito com o personagem que o levou a ser conhecido - Superman.

 

Atores para aceitarem papeis assim, sabem que refilmagens podem ser necessárias e mudanças drásticas no físico apenas em papeis de certa exclusividade de tempo e dedicação,coisa que ele não tinha.

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

Announcements


×
×
  • Create New...