Jump to content
Forum Cinema em Cena
Jailcante

Star Wars Ep. IX - A Ascensão Skywalker

Recommended Posts

6 hours ago, Big One said:

 

Todo mundo dando pitaco no filme e o estúdio/produtores querendo agradar todo mundo, isso não daria certo mesmo.

 

Fugi de todos spoilers, mas fiquei sabendo que começo do Ep. 9 desfaz o que o Ep. 8 colocou, e depois apostou em muito fan service. E como o Ep. 8 já tinha meio que passado por cima do Ep. 7, então temos uma trilogia de 3 filmes disputando entre si, e não trabalhando juntos pra fazer uma história coesa.

Olhando assim, faltou um "George Lucas" ali, alguém que já tivesse em mente o que a trilogia ia ser, e como cada filme iria se comportar nesse meio. Pelo jeito, só foram contratando diretores, e eles é que iria se virar em cada filme. Aí, o JJ fez seu "remake" dos filmes originais no 7, o Rian desfez o que JJ fez no 8, e depois o JJ volta desfazendo o que o Rian colocou. Meio bagunçado demais... 

Share this post


Link to post
Share on other sites

FÃS SAEM NO SOCO NA PRÉ-ESTREIA DE STAR WARS: A ASCENSÃO SKYWALKER EM SOROCABA
Uma briga foi registrada em uma sessão de pré-estreia de "Star Wars: A Ascensão Skywalker", na madrugada desta quinta-feira (19), em Sorocaba (SP). A sessão, que a reportagem do G1 acompanhou, transcorria dentro da normalidade até que começou um tumulto do lado esquerdo da sala, quando a exibição se aproximava das duas horas. Alguns espectadores se levantaram falando alto e, em seguida, começaram a se agredir mutuamente. A briga foi para a frente da sala e durou alguns segundos, até ser apartada. Um dos envolvidos deixou a sala, enquanto os outros voltaram para seus lugares.Pessoas que estavam próximas de onde a briga começou disseram que a confusão foi causada por conta de um rapaz que não parava de falar durante todo o filme. Apesar da confusão, a exibição não precisou ser interrompida e ninguém ficou ferido.

(veja o vídeo abaixo)

https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2019/12/19/fas-trocam-socos-durante-exibicao-de-star-wars-a-ascensao-skywalker-em-sorocaba.ghtml?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=g1

 

Raiva, medo, ódio...o Lado Negro foi dominante nessa sessão...kkkkkkkkkkk🤣 Vader aprova!

Thumbnail

E o filme perigoso era o Coringa hein kkkkkkkkk

Thumbnail

🤣

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, óculos, noite e close-up

Share this post


Link to post
Share on other sites

Deu ruim! Críticas podem alterar drasticamente bilheteria de estreia de Star Wars 9
Infelizmente, as respostas a Star Wars: A Ascensão Skywalker não foram o que a Disney estava procurando. Os críticos estão muito divididos quanto aos méritos do filme, que tem uma nota de apenas 58% no Rotten.Enquanto alguns acreditam que o filme ainda é divertido, apesar de suas falhas, há quem o classifique como um dos piores de toda a franquia. Como resultado disso, as perspectivas de bilheteria do filme estão sendo afetadas.De acordo com o Box Office Pro, o o filme agora está projetado para ganhar aproximadamente US $ 160-190 milhões nos EUA nos primeiros três dias. Essa é uma queda considerável em relação aos US$ 247,9 milhões de O Despertar da Força e os US$ 220 milhões de Os Últimos Jedi.Vale lembrar que o Episódio VII faturou US$ 2.068 bilhões ao total, enquanto o Episódio VIII alcançou US$ 1.33 bilhões. As previsões, se confirmadas, podem acabar transformando o Episódio IX, no fim das contas, na pior bilheteria da nova trilogia.
Surpreendentemente, o limite inferior das previsões do A Ascensão Skywalker está apenas ligeiramente acima dos US$ 155 milhões de Rogue One, que é apenas um derivado da franquia.Mesmo que muitos filmes gostariam de ter uma abertura de até US$ 190 milhões, realmente não há um positivismo nisso quando se trata de Star Wars. Esses números são decepcionantes e ilustram que a aclamada saga teve uma queda de popularidade nos dias de hoje.Star Wars: A Ascensão Skywalker já está em exibição nos cinemas brasileiros.

 

kkkk...esse Luke tava no Dark Side faz tempo...😂

Luke Skywalker é preso nos EUA por posse de drogas
A situação para Luke Skywalker não está fácil. Se muitos fãs têm acusado a nova trilogia de Star Wars de não honrar o legado do personagem, a vida real também não está fazendo esse papel. Um jovem de 19 anos, que carrega o mesmo nome do grande protagonista da franquia cinematográfica, foi preso por posse de drogas em Garden Ridge, cidade que fica no estado do Texas. Segundo o canal News 4 San Antonio, Luke foi abordado porque seu carro não tinha placa na parte da frente. Enquanto investigavam o veículo, os policiais encontraram um saquinho com maconha, que o garoto confirmou ser sua. Luke Aaron Skywalker foi detido em flagrante, mas acabou sendo solto e responderá ao seu processo por liberdade após pagar uma fiança de US$ 2 mil. Star Wars: A Ascensão Skywalker já está em exibição nos cinemas brasileiros.

captura_de_tela_2019-12-20_as_08.05.51.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

😂

Muitos fãs que já viram o filme não gostaram nem um pouco desse romance forcado entre Kylo e Rey (apelidado de Reylo), e estão fazendo duras críticas à trama em seus Twitters.

Imagem relacionada

“Então Kylo matou seu próprio pai na frente de Rey, a torturou, tentou matar sua mãe, matou os alunos de Luke, matou naves cheias de amigos de Rey e eles acabaram se beijando? Eles acabam transferindo vida um para o outro? Para quem diabos isso foi escrito? Crepúsculo de Star Wars?”

“Dizem que a @Disney vai dizer a crianças e jovens adultos em todo o mundo que relacionamentos abusivos são uma coisa boa. A Disney está promovendo Reylo em A Ascensão Skywalker, um relacionamento em que o homem abusa e tortura a mulher repetidamente, e então eles se beijam.”

“As pessoas continuam dizendo ‘nós vencemos, mas a que custo?’ Nós não ganhamos nada, literalmente colocaram essa cena ali e nos deram esperança por um segundo e depois a tiraram de nós. Eu preferiria que Ben Solo estivesse vivo do que Reylo, e essa cena não provou nada, já que sabíamos que eles se amavam.”

“Vocês sabem como é prejudicial ver Reylo se tornar cânone? Quão prejudicial é ver uma personagem feminina forte ser abusada? Como alguém em uma casa abusiva, é tão prejudicial ver isso e ver as pessoas apoiá-lo. É horrível pra caralh*. Vocês são nojentos.”

“Honestamente, Kylo Ren mereceu morrer por matar pessoas inocentes, mas estou mais chateado com o fato de Reylo, um relacionamento abusivo se tornar cânone.”

“Com o retorno do Imperador Palpatine, todos voltam a temer seu poder e, com isso, a Resistência toma a frente da batalha que ditará os rumos da galáxia. Treinando para ser uma completa Jedi, Rey ainda se encontra em conflito com seu passado e futuro, mas teme pelas respostas que pode conseguir a partir de sua complexa ligação com Kylo Ren, que também se encontra em conflito pela Força”, diz a sinopse.

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 minutes ago, Jorge Soto said:

😂

Muitos fãs que já viram o filme não gostaram nem um pouco desse romance forcado entre Kylo e Rey (apelidado de Reylo), e estão fazendo duras críticas à trama em seus Twitters.

 

Este trecho foi difícil viu. Fechei os olhos... mas depois deu para dar uma boa gargalhada.

Acabaram de se beijar de boas, e do nada o Kylo morre. Faltou o Didi narrando "e morreu..."

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 hours ago, conan said:

Este trecho foi difícil viu. Fechei os olhos... mas depois deu para dar uma boa gargalhada.

Acabaram de se beijar de boas, e do nada o Kylo morre. Faltou o Didi narrando "e morreu..."

Um  amigo proximo parece ter resumido bem.. ""É o filme mais covarde da franquia, talvez seja um dos piores filmes da franquia. Na pressa por desfazer os incômodos criados pelo último filme, a Disney e J.J. Abrams criaram uma obra rasa, sem qualquer sentimento e que apela excessivamente para a nostalgia e para o fan service só para agradar uma parcela de fãs birrentos. O filme tinha um dever monumental nas costas, encerrando não apenas a nova trilogia de filmes, como também toda a saga da Família Skywalker. No entanto, com um roteiro apressado, muitos clichês e furos narrativos e um descaso total aos seus personagens e até na edicão, o longa está longe de ser a obra-prima que muitos esperavam..."

Thumbnail

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pablito não curtiu...deu só duas estrelas!😮

Star Wars: Episódio IX - A Ascensão Skywalker
(Os spoilers só são mencionados no terço final do texto e antecipados por um aviso em negrito.)

Star Wars: A Ascensão Skywalker é o que acontece quando um artista cede sua voz aos discursos pré-aprovados de uma corporação, que, tentando não ofender nenhum espectador (“consumidor” seria uma palavra mais apropriada), insiste numa história criada por comitê e que busca dizer apenas aquilo que seus clientes querem ouvir. Neste sentido, J.J. Abrams é o sonho de todo executivo, uma aposta segura, já que é um realizador mais interessado em recriar do que em conceber algo próprio. Competente de um ponto de vista técnico (que é o que, no final, o diferencia de um Chris Columbus), o cineasta se mostra sempre mais confortável quando emulando estilos estabelecidos por outros (como em Super 8 e Cloverfield) ou continuando narrativas já estabelecidas (Missão: Impossível 3, Star Trek, O Despertar da Força) – e, não à toa, o melhor que consegue imaginar em um momento-chave de A Ascensão Skywalker é praticamente uma citação visual de Os Caçadores da Arca Perdida.

Esta sua disposição de repintar desenhos feitos por artistas mais imaginativos é, claro, ideal para reboots – e, por mais eficiente que seja O Despertar da Força (e gosto muito do filme), é indiscutível que se trata mais de refilmagem do que de uma continuação, já que todas as batidas da história, arquétipos e elementos estilísticos vinham diretamente de Uma Nova Esperança. Comparar seu trabalho ao de um artista realmente inventivo como Rian Johnson, que possui voz própria e buscou usá-la em Os Últimos Jedi para descobrir novos ângulos de uma história recontada mil vezes, é um exercício de análise revelador – e não há, em toda a filmografia de Abrams, uma passagem que se equipare à da batalha na sala vermelha do trono de Snoke ou um plano como aquele em que a mão de Rey surge subitamente em quadro para segurar o sabre de luz que voa em direção à câmera. Por outro lado, por mais que tenha alcançado sucesso de crítica e bilheteria, o Episódio VIII desagradou uma parcela do fandom (palavra maldita) de Star Wars – ou por sua ambição temática e subtexto político-social ou por “não ser Star Wars de verdade”. Em outras palavras: fãs que queriam apenas uma nova dose da receita de sempre.

Não deixa de ser apropriado, portanto, que as primeiras palavras do letreiro de abertura de A Ascensão Skywalker sejam “Os mortos falam!”, já que, no meio de seu pânico corporativo, a Disney, dona da franquia, basicamente decidiu ignorar a maior parte das brilhantes contribuições de Johnson e apostar no que considerava seguro, chegando ao ponto de reviver o vilão mais poderoso da saga (não é spoiler; está no trailer), o Senador Palpatine (McDiarmid) – mesmo que isto signifique, em retrospecto, diminuir o efeito do sacrifício feito por Anakin Skywalker/Darth Vader ao fim de O Retorno de Jedi. Do mesmo modo, como os “fãs” reprovaram a jovem Rose Tico, que fez par com Finn (Boyega) no capítulo passado, aqui Abrams e seus patrões recompensam a toxicidade e os abusos que obrigaram a atriz Kelly Marie Tran a abandonar as redes sociais e rapidamente a rebaixam a uma quase figuração através de uma desculpa mal formulada (“Não posso ir com vocês; a General Leia quer que eu...” blá-blá-blá) – o que, considerando a proximidade entre os dois personagens ao final de O Despertar da Força, representa um tropeço gigantesco de um ponto de vista narrativo.

Complicando sem necessidade uma história que poderia ser sintetizada em uma frase curta (“Rey busca uma ‘bússola Sith’ que a leve até Palpatine enquanto é tentada por Kylo Ren a passar para o lado sombrio da Força”), o roteiro escrito por Abrams e Chris Terrio (Batman vs Superman, Liga da Justiça – pois é) envia a protagonista (Ridley) e seus parceiros Finn e Poe (Isaac) para vários cantos da galáxia ao mesmo tempo que se esforça para costurar cenas com Carrie Fisher, morta precocemente em 2016, a partir de cenas descartadas de O Despertar da Força – o que resulta em trocas de diálogos desconjuntadas em que há praticamente um corte a cada fala, deixando o artifício ainda mais óbvio (e a julgar pela qualidade dos diálogos – “Nunca tenha medo de ser quem é” -, é fácil entender por que haviam sido eliminados originalmente). Enquanto isso, o retorno de Billy Dee Williams como Lando Calrissian pode ser eficiente como gatilho nostálgico, mas não como elemento narrativo, sendo difícil também justificar sua alegria e empolgação no meio de uma batalha supostamente tão importante e violenta, o que indica uma falta de controle alarmante de Abrams sobre o tom das performances, já que aquele júbilo diz respeito mais ao ator do que ao personagem.

Esta, contudo, não é a única falha grave do cineasta, que também peca ao lado dos montadores Stefan Grube e Maryann Brandon na construção de um ritmo que não compreende a importância de pausas dramáticas, respiros e distâncias apropriadas entre motifs e pistas/recompensas: já no primeiro ato, Rey entrega a Leia o sabre de luz de Luke (Hamill) apenas para recebê-lo de volta alguns minutos depois, enquanto a frase “Nunca subestime um dróide” é repetida num espaço curtíssimo de tempo, como se os realizadores temessem que o espectador esquecesse a referência de uma cena para outra. Da mesma maneira, A Ascensão Skywalker jamais permite que o público registre o impacto mesmo dos acontecimentos supostamente mais dramáticos, já que cada um deles é seguido por uma piadinha ou por uma mudança brusca de cena – e a pressa em saltar constantemente de um lugar a outro é sempre um forte indício de um roteiro remendado e sem coesão interna. Aliás, o caos da montagem é tão grande que, em certo ponto, tive quase a impressão de ver dois Pryde (Grant) conversando com um subalterno.

Outro reflexo desta abordagem trôpega pode ser constatado nas sequências de batalha, sejam estas com naves espaciais ou sabres de luz: coreografadas de modo entediante, elas usam a confusão como mise-en-scène, desperdiçando o bom trabalho de direção de arte que, como de hábito, cria espaços visualmente interessantes e com personalidades distintas (o que não inclui o “coliseu” – não sei bem como descrever aquilo - visto no ato final e cuja escuridão serve principalmente para ocultar a natureza misteriosa, jamais esclarecida, da multidão presente).

Mas o grande problema de A Ascensão Skywalker reside mesmo em seu péssimo roteiro – o que me força, a partir deste ponto, a discutir elementos específicos da trama (portanto: spoilers a seguir): deixando bastante claro que jamais houve um planejamento cuidadoso dos arcos que deveriam ser traçados ao longo da nova trilogia, o roteiro de Abrams e Terrio (escrito a partir de argumento concebido por quatro pessoas) introduz vários personagens novos sem qualquer função (como o dróide D-O) ou que parecem ter sido criados para substituir outros menos “populares” (como a Jannah de Naomi Ackie, que assume o lugar de Rose ao lado de Poe), além de resgatar Lando Calrissian sem a preocupação de lhe dar algo relevante para fazer além de explorar a nostalgia do público. Para piorar, personagens antes importante, como o General Hux (Gleeson) são despachados casualmente ao mesmo tempo em que o filme realiza a proeza de utilizar um recurso típico de novela mexicana – matar alguém apenas para trazê-lo de volta, explorando o impacto da morte sem ter que lidar com suas consequências – nada menos do que seis vezes ao longo dos 141 minutos de projeção. (Sim, seis: Chewbacca, Kylo Ren – duas vezes! -, Rey, Zoril e, de certa forma, C-3PO, que sacrifica a memória apenas para resgatá-la posteriormente.) Já as mortes “permanentes” não têm a força que deveriam, já que o longa nunca separa o tempo necessário para que possamos senti-las, saltando para a cena seguintes sem qualquer preocupação com o peso do que havia acabado de ocorrer.

Isto, claro, não impede Abrams de empregar um truque vergonhoso para gerar lágrimas fáceis, trazendo Harrison Ford numa breve conversa que perde qualquer relevância ou força quando nos damos conta de que estamos basicamente vendo Kylo Ren conversar consigo mesmo. Como se não bastasse, a necessidade do cineasta (e do estúdio) de agradar os fãs revoltadinhos é tão grande que até a gag que trazia Luke atirando seu antigo sabre de luz sobre os ombros gera uma espécie de pedido de desculpas neste novo episódio ao trazer o espectro do mestre Jedi interferindo quando Rey tenta repetir seu gesto. (E por falar em sabres, introduzir um elemento tão importante quanto o sabre de Leia no nono filme e esperar que tenha relevância dramática é algo que beira o amadorismo.)

Os problemas, porém, vão além, já que outro conceito supostamente essencial – o da “díade” – é atirado na trama de modo abrupto, ao passo que o retorno de Palpatine não só enfraquece o Episódio VI como simplifica a mitologia daquele universo de modo extremo até mesmo para os padrões de uma fábula originalmente concebida para atrair espectadores infanto-juvenis, já que converte o Imperador na origem de todo o mal visto ao longo das trilogias, já que este assume ter sido a “voz” por trás de todos os vilões da série. Ao mesmo tempo, se a ideia de estabelecer Rey como uma “ninguém” enriquecia tematicamente a saga, a revelação de sua verdadeira ascendência não só trai o que havia sido dito em Os Últimos Jedi (o fandom tóxico ganha novamente) como ainda transforma toda a luta contra o Império em uma disputa entre famílias.

Cínico ao tentar posar como inclusivo ao incluir um rapidíssimo beijo lésbico visto à distância ao mesmo tempo em que falha em compreender o racismo implícito em introduzir uma mulher negra apenas para servir de possível interesse romântico para o único outro personagem negro da história (aproveitando para desfazer qualquer impressão de interesse sexual entre Finn e Poe, que também ganha um romance artificial), A Ascensão Skywalker parece, na maior parte do tempo, mais um filme da Marvel do que do universo Star Wars (algo que meu filho apontou corretamente assim que a sessão chegou ao fim) – e até mesmo o desfecho de Vingadores: Ultimato é repetido de maneira quase idêntica ao fim deste capítulo, com direito ao herói disposto a se sacrificar que, no último momento, ouve uma voz pelo fone de ouvido e é surpreendido pela aparição súbita de centenas de apoiadores.

Digam o que quiserem sobre George Lucas e suas prequels - ao menos, o realizador tinha personalidade o suficiente para ignorar o fandom e fazer os filmes que desejava, mesmo que estes girassem em torno de taxações de rotas comerciais. E é uma imensa decepção que, tendo a oportunidade de encerrar a terceira de três trilogias, J.J. Abrams e os executivos da Disney tenham optado pelo caminho comercialmente mais seguro e, não por coincidência, artisticamente menos instigante.

O que certamente agradará esta parte tóxica do fandom, que diz amar a família Skywalker sem perceber que adota a postura de alguém que já abraçou há muito o lado sombrio da Força.

19 de Dezembro de 2019

Share this post


Link to post
Share on other sites

até um ator de Mandalorian detonou o filme...kkkk

Jake Cannavale, que interpretou Toro Calican no quinto episódio da série, fez críticas ao novo filme, deixando claro seu descontentamento com a trama. Nos seus stories do instagram (via ComicBook), o ator disse que Star Wars: A Ascensão Skywalker é “de longe o pior filme de Star Wars já feito. Uma falha absoluta”.  Logo após, ele foi perguntado sobre como se sentiria se tivesse participado do filme. Ele respondeu: “Pessoalmente, sou um fã de Star Wars desde que era uma criança e me sinto bem decepcionado com a preguiça dessa nova trilogia e também um pouco irritado com eles se acharem no direito de tomar controle de toda a franquia ao, basicamente, dizer ‘Nah, não gostamos do final que todo mundo aceitou por décadas, vamos mudar!’. Eu pessoalmente me sentiria bem triste se eu estivesse no novo filme de Star Wars (isso se eu fosse um protagonista. Se eu fosse um cara usando um boneco alien ou algo do tipo eu ficaria feliz pra c*****… Mas ainda assim)”. 

Not holding back: He called Rise Of Skywalker 'hands down the worst Star Wars movie'

Resultado de imagem para toro calican mandalorian

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Ascensão Skywalker criou vários furos em Star Wars; veja todos
Infelizmente, Star Wars: A Ascensão Skywalker se provou como um filme contraditório e incongruente dentro da saga.O longa de J.J. Abrams torna a trilogia um tanto quanto inútil no esquema geral da saga, e trazemos aqui os grandes furos e fatos que o Episódio IX acabou jogando fora.


A profecia do Escolhido 
O maior pecado de A Ascensão Skywalker, e por consequência toda a trilogia, é invalidar anos de mitologia da saga. Agora, a profecia do Escolhido que traz equilíbrio à Força já não faz mais sentido: Palpatine está vivo e é destruído por Rey; isso significa que agora ela é a Escolhida? Ou a profecia nunca aconteceu?


O sacrifício de Darth Vader
Por falar em desfazer grandes feitos, o belíssimo momento em que Darth Vader trai o Imperador par salvar Luke em O Retorno de Jedi agora não vale mais. Palpatine sobreviveu de qualquer forma em A Ascensão Skywalker, invalidando o sacrifício de Anakin no Episódio VI.

Máscara de Kylo Ren
Gente, acompanhem comigo. Vocês viram, eu vi também. Kylo Ren literalmente esmurrou seu capacete em Os Últimos Jedi, e ainda deixou os cacos em um destróier que foi praticamente destruído. Ainda assim, o vilão juntou os cacos e refez seu capacete. Não custava fazer um novo?

O sabre de Luke
J.J. Abrams realmente não quer se desprender dos brinquedos que Rian Johnson quebrou em Os Últimos Jedi. O sabre de luz de Luke havia se partido em dois durante uma batalha entre Rey e Kylo, simbolizando perfeitamente o “fim do passado”. No Episódio IX, a arma Jedi está inexplicavelmente consertada e colada de volta. 

Os pais da Rey
Durante o Episódio VIII, Kylo Ren afirma que os pais de Rey eram “ninguém, bêbados que a trocaram por dinheiro de bebida”. Quando chegamos em A Ascensão Skywalker, Abrams faz um retcon descarado e os transforma no casal que foge de Palpatine, já que Rey é revelada como neta do finado Imperador.

É tudo uma briga familiar
Em Os Últimos Jedi, Rey era revelada como uma “ninguém”, algo que realmente agradou parcela dos fãs: qualquer pessoa, de qualquer lugar, poderia ser um herói no universo Star Wars. Agora que Rey é uma Palpatine, o conflito se resume a uma briga entre a família Skywalker e a de Palpatine.

Filhos do Palpatine
Outro fator que a revelação de Palpatine ser avô de Rey é o de um buraco geracional. Quem diabos são os pais de Rey? O filho de Sheev Palpatine? E, claro, a pergunta que não quer calar: quem se envolveria sexualmente com o decrépito Imperador Palpatine?

As ações de Snoke
Os fãs se decepcionaram quando o Líder Supremo Snoke foi subitamente destruído por Kylo Ren em Os Últimos Jedi. Logo na primeira cena do filme, Palpatine revela que foi responsável por criar Snoke, em uma forma de manipular o jovem Solo. Isso não faz o menor sentido com as ações do vilão de Andy Serkis, principalmente no que diz respeito ao fato de ele já possuir uma Armada Sith.

Sabre de luz de Leia
Quando Rey retorna para Ach-To onde encontra o fantasma de Luke, ele lhe entrega o sabre de luz de sua irmã, Leia. É um fator que nunca foi explorado nos dois filmes anteriores, quase como se a arma Jedi aparecesse magicamente.

A profecia de Leia
Há uma cena de flashback muito bizarra no Episódio IX, onde vemos versões CGI tenebrosas de Luke e Leia treinando nas artes Jedi. Nessa cena, Luke revela que Leia sempre soube que seu filho, Ben, cairia para o Lado Sombrio, e ela aposentaria seu sabre de luz. O que isso significa? Faz algum sentido em torno do que viria a acontecer com Kylo Ren?

Como Palpatine sobreviveu?
Tudo bem que não queremos tudo mastigadinho e explicado, mas as circunstâncias de como Palpatine sobreviveu mereciam alguma justificativa. O vilão foi arremessado no fosso da Estrela da Morte, que então foi explodida pela Aliança Rebelde. A Ascensão Skywalker não faz nada para explicar como Palpatine retorna.

A Armada Sith
O grande trunfo de Palpatine para tentar seduzir Kylo Ren na primeira cena do filme é a revelação de que o vilão tem uma armada Sith. Milhares de destróieres e naves imperiais escondidas em Exegol, e que simplesmente foram “conjuradas”. Eu sei que a nova trilogia quer evitar qualquer tipo de discussão política, mas quem diabos financia essas pessoas? Como podem aparecer do nada?

Por que Palpatine demorou anos pra agir?
A ideia de trazer o Imperador Palpatine de volta à nova trilogia é danosa justamente por esse tipo de inconsistência. Se o vilão Sith realmente sobreviveu à traição de Darth Vader, e tinha uma armada Sith gigantesca sendo planejada em Exegol, por que demorar tanto para agir? Por que usar Snoke para manipular Kylo, ao invés de ele mesmo?

Han Solo fantasma?
Uma cena bem controversa, com toda certeza. Em uma “memória” ou alucinação de Kylo Ren, ele reencontra seu pai, Han Solo, para um momento de redenção. A cena, assim como seus diálogos, são um espelho do confronto dos dois em O Despertar da Força, mas nunca temos a explicação sobre o que estamos vendo: fantasma? Alucinação? Vai entender.

A busca de Luke
Ficou bem claro em Os Últimos Jedi que Luke Skywalker havia desistido da Ordem Jedi, exilando-se em Ach-To após Ben Solo ser corrompido pelo Lado Sombrio da Força. No Episódio IX, Rey descobre anotações nos textos sagrados Jedi (salvados da árvore de Ach-To) que revelam uma busca de Luke em busca de Exegol, o mundo Sith. Não faz sentido que ele tenha um diário de jornada em livros que só encontraria posteriormente – assim como o mestre Jedi abandonar essa busca repentinamente.

Destroços da Estrela da Morte
Isso é algo que intriga os fãs desde o primeiro teaser trailer de A Ascensão Skywalker. Como é possível que existam destroços físicos da Estrela da Morte se a estação bélica foi explodida no espaço em O Retorno de Jedi? Não apenas um mero pedaço, mas níveis, capacetes de stormtroopers e até naves imperiais estão nos vestígios em Endor. Belo revestimento.

O fator de cura
Essa é uma das decisões mais polêmicas de A Ascensão Skywalker. A Força agora pode curar e até ressuscitar feridos na galáxia, algo que deve ter aparecido no Universo Expandido, mas que é usado de forma bem defeituosa no filme – Rey, em especial, tem domínio dessa habilidade. Não chega a ser um furo, mas pensem como essa habilidade, que aparece subitamente no Episódio IX, seria útil nos 8 episódios anteriores…

E o menino da vassoura?
A cena final de Os Últimos Jedi mostra um jovem em Canto Bight que, discretamente, usa a Força para pegar uma vassoura. A Ascensão Skywalker esquece completamente desse elemento, que poderia ser explorado como uma nova Ordem Jedi ou de apoio para a Resistência.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olha , eu vi o filme e considerei PA-VO-RO-SO. Abaixo listo 10 furos problematico do filme, que quem viu por favor pode me explicar porque não pretendo ver de novo :

 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX-ATENÇÃO SPOILER-XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

1- A volta de palpatine : eles reaparecem com o personagem sem explicar como isto ocorreu, seria como se no “coringa 2” os 3 caras mortos no metrô pelo coringa reaparecessem do nada, sem explicação, para atacar o coringa...O personagem é mais um fã service satírico do que um retorno, agora a Disney tem o poder de voltar com qualquer personagem sem explicar nada, virou zona, filme da Disney virou esquete de comédia onde pode tudo. 

2-Rey é neta do palpatine : mas quem são os pais da Rey ? Pra vc ter um neto vc precisa primeiro ter um filho ou filha que vai gerar seu neto mas aqui nada disto ocorreu, simplesmente é o primeiro caso de neto sem pais que só a Disney é capaz de fazer. Um furo enorme para criar uma conexão importante para a Rey e remendar TLJ que tinha estabelecido que Rey era filha de sucateiros que a trocaram por uma dívida(o que faz algum sentido por ela ter sido sido largada no deserto). Palpatine não pode ser avô da Rey pois ele é virgem e broxa.

3-Snoke é um clone criado por palpatine: outro furo bizarro, pra vc ter um clone, vc precisa clonar algo mas quem é original que gerou o snoke ? não fala.E porque palpatine então não clonou ele mesmo ! ? E como conseguiram criar um clone poderosíssimo na força ? e porque não criaram(desde o início) um exercito de 10 mil snokes que os faria vencer facilmente ?...ora , claramente é mais um remendo à "morte de snoke" em TLJ. Snoke nunca foi um clone e sim um personagem poderoso e manipulador na força(e mostrado mais poderoso que o próprio palpatine) onde a própria Rey nada pôde contra ele. Repare que snoke tinha uma cicatriz na testa (o que mostra que foi atacado no passado) e em “o despertar da força” ele revela precaução em colocar kylo ren próximo a ele como se tivesse sido traído no passado por algum discípulo. Tudo isto foi ignorado e inventaram que era um clone.

4- Poe dameron como novo hans solo : furo e remendo de TLJ. Poe era um cara que estava evoluindo para ser o líder da resistência/rebeldes mas agora foi tudo abandonado e é revelado que ele era um “contrabandista” e agora trabalha com chewbacca...sendo o novo hans solo. Remake, refilmagem e copia. chewbacca ganhar uma medalha para fazer o fan service pois sempre pediram uma medalha para o chewbacca.

5- General Hux como espião : um dos mais bizarros furos da história do cinema. Hux revela ser um espião..mas de quem? Pois a resistência já estava acabada e não faz sentido ele ser espião de meia duzia de morto de fome..furo enorme. Claramente mais um remendo a TLJ pois como colocaram Hux como alívio comico em TLJ , terminaram aqui como se fosse uma espécie de piada.

6 - Rey rouba o sobrenome skywalker : é furo do furo e falsidade ideológica. O filme estabelece o furo de que “rey é neta de palpatine mas sem pais no meio...” ok...vamos fingir que é isto então mas vem o filme no final e Rey rouba o sobrenome da família skywalker sendo neta do palpatine ! o que não faz o menor sentido de nada, é uma zona. Claramente, Rey seria colocada como uma skywalker ou o retorno do escolhido e , em ambas situações, faria sentido ela assumir o sobrenome da família porém criaram uma nova origem pra ela e mantiveram cenas gravadas. Detalhe o título do filme é isto...

7- Momento Reylo : é pior que o momento marta e mais um furo pois beijo não tem poder de ressuscitar ninguém ,nem em star wars. É um momento marta 2.0 criado novamente pelo vilão Criss Terrio, para criar uma comoção no final do filme mas não funciona. Então porque não beijou mas pessoas antes para ressuscita-las também ?

 8- Erros de montagem Me lembro de uma cena onde a Rey tinha de fazer alguma coisa e o Finn diz a ela que "vc me disse para não ir com vc mas eu vou". Porém, ela nunca falou isto pra ele em quaisquer cena anterior do filme ! claramente, gravaram uma cena com ela falando isto mas que não entrou no corte final do filme.

9- Anulação da saga clássica: o filme anula todo a saga de luke skywalker na trilogia clássica e estabelece que a neta de palpatine é o verdadeiro escolhido, anulando toda saga de anakin/ darth vader, é o fim de star wars ou tem como remendar isto ?

10- O mal venceu = se vc parar e pensar , o mal venceu no final pois "os palpatine" venceram onde os skywalker e os jedis estão todos mortos e ainda por cima "os palpatine" roubaram o sobrenome da família heroica ! bizarro.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meu único problema com o filme e que derruba ele muito é o ritmo mesmo. JJ definitivamente socou coisas demais e aí não conseguiu dar um ritmo bom pro filme que ficou corrido demais. Tem muita coisa que poderia ter ficado bem melhor, mas na pressa, corrido, tudo parece que não tem importância, porque tudo surge rápido demais e é resolvido rápido demais também.

Enfim, não achei ruim em si, mas ficou fraco. Não falo decepcionante porque estava sem hype, esperando nada, então... Enfim, acabou.

Share this post


Link to post
Share on other sites

comecaram as desculpas...😂 Culpar a Disney por não querer fazer um romance mal feito? Essa lacração tá foda.🤣

OSCAR ISAAC CULPA DISNEY POR NÃO EXPLORAR ROMANCE ENTRE FINN E POE EM STAR WARS

Capa da Publicação

Star Wars: A Ascensão Skywalker está em cartaz nos cinemas, trazendo aos fãs da trilogia original muitos fanservices e easter-eggs. Apesar disso, o filme não está agradando todo mundo, e conta com a bilheteria mais baixa da nova trilogia de filmes. Para uma parcela dos fãs, o longa é ainda mais decepcionante por jogar um balde de água fria no que poderia ter sido o romance entre Finn e Poe Dameron. 
Em uma entrevista ao IGN, o astro Oscar Isaac falou sobre como a ideia de um romance entre os dois personagens teria sido muito interessante de ser abordada, mas culpou os “barões da Disney“, que segundo ele, não estão prontos para trazer esse tipo de trama aos cinemas:
“Eu acho que teria sido um romance muito interessante e à frente do seu tempo – na verdade, não à frente de seu tempo, apenas tipo, deste tempo mesmo. E seria algo que ainda não foi explorado, particularmente a dinâmica entre esses dois homens no meio da guerra que se apaixonaram um pelo outro. Eu tentei levar um pouco nessa direção, mas os barões da Disney não estão prontos para fazer isso.”
Já não é a primeira vez que Isaac fala a favor do relacionamento de Poe e Finn. Desde O Despertar da Força, o astro deu diversas entrevistas falando sobre como tentou imprimir alguns sentimentos em sua atuação como Poe Dameron, tentando trazer o romance para os cinemas.
Infelizmente, ainda falta muito para que os estúdios consigam trazer uma boa representação LGBTQ+ para os cinemas – especialmente a Disney, que tem se mostrado muito resistente a mudanças e às críticas, especialmente por parte dos fãs de Star Wars.

 


 

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 12/19/2019 at 10:42 AM, Jorge Soto said:

vi não, meu caro... mas acho que nem preciso porque há um consenso da ruindade que é... vou esperar sair torrent mesmo, como fiz com Ultimo Jedi.. eu sou fã de SW, mas não a ponto de gastar 50 conto numa m...😂😡

EU também vou esperar o torrent.

Não vi, mas tirando a média de todos os comentários, esse filme é mais um repeteco de filmecos que usam a marca pra tentar se vender. 

eu não vi, então da onde tirei isso? das criticas positivas ao filme, de QUEM GOSTOU dos filmes, ou melhor, DOS MOTIVOS QUE AS PESSOAS QUE COMENTARAM O FILME APONTARAM.

É enfadonho perceber a mongolice desse filme até mesmo na defesa deles por parte de quem gostou dele, fica claro que não gostou do filme,  e sim do fetiche que a marca sw já possui. 

Sinceramente, vou ver em casa só pra ficar curtindo sabres de luz se chocando. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
42 minutes ago, Gustavo Adler said:

EU também vou esperar o torrent.

Não vi, mas tirando a média de todos os comentários, esse filme é mais um repeteco de filmecos que usam a marca pra tentar se vender. 

eu não vi, então da onde tirei isso? das criticas positivas ao filme, de QUEM GOSTOU dos filmes, ou melhor, DOS MOTIVOS QUE AS PESSOAS QUE COMENTARAM O FILME APONTARAM.

É enfadonho perceber a mongolice desse filme até mesmo na defesa deles por parte de quem gostou dele, fica claro que não gostou do filme,  e sim do fetiche que a marca sw já possui. 

Sinceramente, vou ver em casa só pra ficar curtindo sabres de luz se chocando. 

eu só conheco UMA pessoa que gostou e essa pessoa é um amigo critico de cinema desses blog nerd... na verdade acho que nem ele gostou, mas como ja deixou o parecer online e vendo todo mundo detonar já não tem como voltar atrás, tenta defender o indefensável.. mas como bem você disse, ele mais parece defender a marca não o filme..😂

Share this post


Link to post
Share on other sites

o diretor do anterior agradece o apoio dos fãs, uma vez que o novo filme parece apagar tud que ele estabeleceu


“Infinitamente impressionado com sua paixão, criatividade, raiva, alegria, positividade, empolgação, engajamento e amor. Vocês desafiam continuamente todas as narrativas cínicas. Vocês são os melhores. #obrigadofãsdeStarWars”

image.png.da30ad27a86957ab17aad0c013a4f931.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

É o comentário anual mais difícil de fazer. Tomo muito cuidado antes de tecer qualquer comentário sobre a série "Star Wars", pois eu nunca fui fã, e todos os meus melhores amigos são loucos pelos filmes. É uma posição delicada."

Sempre começo assim, pois eu realmente nunca curti. Vamos lá.

Há  uma frase em "The Last Jedi" , dita pelo Kylo Ren, que eu destaquei na minha resenha de Oscar daquele ano: "Deixe o velho ruir!" . E então eu escrevera: "A coragem do novo roteiro de queimar seus ídolos, e assim reviver o cânone, deu vida nova à saga. "Temos tudo o necessário", disse, por último, a eterna  princesa".

Eis que para satisfazer os fãs xiitas, J.J. Abrams e a Disney promovem o retorno do velho em todas as suas formas nesse "Star Wars: A Rise of Skywalker"! Não só as velhas cenas de ação bobas, sem consequências, no seu carnaval repetido de explosões, das quais eu sempre odiei desde criança, mas o pior é o retorno do velho na própria mitologia. Gente, que isso, não dá pra entender. Se levarmos ao limite a conclusão genética da história ( Atenção: Spoiler): a família Skywalker se fodeu e a família Palpatine prevaleceu! É um absurdo dramático!

Não é só nas grandes arquiteturas que a história é fraca. Também nas menores coisas. O artifício fraco de "falsa morte" de um personagem, e seu retorno acontecem mil vezes nesse filme. ( Fui ler agora a crítica do Pablo e ele contou 6 vezes! ). Roteiro do  Abrams e do Oscarizado por "Argo" - aquela bobagem - Chris Terrio. É - como dizem - de matar! E aquele (atenção: spoiler), e aquele, e aquele beijo? Senhor! É Síndrome de Estocolmo? Vou ser obrigado a concordar com essas neofeministas que tomaram a pauta pública. Socorro! A maioria dos personagens secundários também ficou perdida. Só Ren e Rey tiveram importância. O resto não conseguiu nem beijo na boca ( Finn e Rose Tico, no que gerou, com razão, muitas tretas) redentor, ou se conseguiu  já foi cortado por precoceito lá em Singapura...ou então por puro oportunismo.

Em matéria de Oscar, já aprendi que John Williams sempre entra (foi nomeado pelos dois últimos), mesmo quando sua trilha não é nada de mais, como acontece aqui. Um nada também. Seria sua 52ª indicação.

Já em Edição de Som, Matthew Wood tem 4 indicações, 2 delas pelos últimos capítulos, e nunca ganhou. Quem sabe o congratulam? Mixagem também parece provável.

Efeitos Visuais? Vou torcer muito para não ser indicado. Não vi nada de mais. 

Um passo atrás total da saga.

Para mim, uma volta há décadas, quando eu, criança, simplesmente mudava de canal assim que os filmes começavam...

Anthony Daniels, Carrie Fisher, Billy Dee Williams, Keri Russell, Oscar Isaac, Jimmy Vee, Adam Driver, John Boyega, Kelly Marie Tran, Daisy Ridley, and Naomi Ackie in Star Wars: Episode IX - The Rise of Skywalker (2019)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

×
×
  • Create New...