Jump to content
Forum Cinema em Cena

Marcou Minha Vida, Mas Não é Obra-prima


Thiago Araujo
 Share

Recommended Posts

Vc muda de conceitos com a mesma facilidade que troca de roupa... Ora o clássico é aquilo que sobrevive ao tempo' date=' ora o clássico são as obras greco romanas, etc.

Então, pelo seu 'novo' conceito, 2001 não seria clássico já que não é uma obra greco-romana; não é do classicismo; não é do renascimento...

[/quote']

Olha só, eu disse que o clássico sobrevive ao tempo PORQUE FOI UMA OBRA-PRIMA, senão não teria sobrevivido.
Eu digo as vezes que tal filme é classico pela força do habito, o que pode ter acontecido com 2001, mas, no sentido REAL da palavra, 2001 não é um classico.

Decida-se kid... se clássico é aquilo que sobrevive ao tempo' date=' Sexta-Feira 13 e os filmes de Ed Wood são clássicos, assim como 2001, Metropolis, Encouraçado Pontemkin, etc.

[/quote']

O que estou querendo dizer é que o classico sobrevive ao tempo porque é uma obra-prima, isso não faz de uma obra-prima um clássico.

Obras sobrevivem por diversos motivos... Faça um cursinho qualquer de cinema e eles citarão O Nascimento de Uma Nação do Griffith' date=' aquele que te citei há alguns posts e q vc NÃO assistiu... Eles te falarão da influência do filme, das técnicas empregadas mas e daí? É um filme racista, nojento, pavoroso do ponto de vista do CONTEÚDO (elemento elencado por vc aqui neste tópico como sendo vital para um filme). O filme sobreviveu ao tempo. Ele é bom? Eu acho que não.  

[/quote']

Não assisti esse filme, então não tenho como opinar. Mas, já que VOCÊ diz que o filme teve grande influencia, e daí que é um filme racista, pavoroso, nojento? Na época em que o filme foi feito essa mentalidade devia ser comum.
É a mesma coisa que você dizer que Iracema de José de Alencar não é obra-prima só porque é racista, é a mesma coisa você odiar Rastros de Ódio só porque o filme é racista. Fazer o que, infelizmente, existiram épocas em que essa nojenta mentalidade era comum.

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 431
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Olha só' date=' eu disse que o clássico sobrevive ao tempo PORQUE FOI UMA OBRA-PRIMA, senão não teria sobrevivido.
Eu digo as vezes que tal filme é classico pela força do habito, o que pode ter acontecido com 2001, mas, no sentido REAL da palavra, 2001 não é um classico.[/quote']

Conveniência, conveniência...

O que estou querendo dizer é que o classico sobrevive ao tempo porque é uma obra-prima' date=' isso não faz de uma obra-prima um clássico.[/quote']

Ora, ora... e o que é isso então?

Whatever' date=' clássico, obra-prima, não importa. O que é classico é obra-prima.[/quote']

Força do hábito também? smiley36.gif

Não assisti esse filme' date=' então não tenho como opinar. Mas, já que VOCÊ diz que o filme teve grande influencia, e daí que é um filme racista, pavoroso, nojento? Na época em que o filme foi feito essa mentalidade devia ser comum.
É a mesma coisa que você dizer que Iracema de José de Alencar não é obra-prima só porque é racista, é a mesma coisa você odiar Rastros de Ódio só porque o filme é racista. Fazer o que, infelizmente, existiram épocas em que essa nojenta mentalidade era comum.[/quote']

Ué... mas foi vc quem disse que o que vale é o conteúdo da obra...

Link to comment
Share on other sites


PS: Rubysun' date=' você está confundindo o conceito de clássico. Picasso NÃO é clássico, a maior parte de sua vida ele foi cubista, são escolas diferentes o classicismo e o cubismo. Beethoven também não é clássico, ele é da escola do Romantismo, inclusive foi o precurssor desta, apesar de nós generalizarmos e dizermos que Beethoven faz musica clássica.[/quote']

"clássico" deriva de "classe", cujo sentido primitivo é o de "sala de aula": é clássico o que se ensina em classe. Como o que se ensina deve ser emxemplar, as obras clássicas são consideradas modelos de excelência, daí o sentido derivado de "obra clássica" como "obra de alto nível". Nesse sentido muito amplo, mesmo autores de acentuada vocação dionísica (romântica, como você bem sabe) podem ser chamados de "clássicos", ou seja, autores cujas obras são modelos de excelência artística, que orientam a educação nas salas de aula.

Link to comment
Share on other sites

Travis' date=' pergunta interessante: quem define quais filmes são obras-primas? Qual o papel da crítica especializada nesse processo?

 

[/quote']

Nice question.
Ninguém pode definir quais filmes são obras-primas (o que nao faz disso uma questão subjetiva), a arte cinematográfica é relativamente nova, então são poucos os filmes que podemos olhar pra trás e dizer que que o filme sobreviveu. Podemos sim observar os filmes de hoje e projetarmos se esse filme será ou não lembrado ou se será esquecido. Tendo em mente o filme que estavamos discutindo "Curtindo a vida...", é facil: quem se interessará pela juventude da classe média de 1980? Ninguem, mas tudo bem, se o filme tivesse inovado em termos tecnicos, a historia poderia ser outra. Infelizmente nao inovou.
Agora pegando outro filme que estava em pauta: "Metropolis". Quem se interessará em saber as consequencias da modernização no nosso mundo? O filme ainda se mantém atual, a cidade do filme (da decada de 20) é parecidissima com as metropolis de hoje. Isso é genialidade, isso é visão.
O mesmo ocorre com 2001, cuja tematica universal servirá para qualquer época, e a infinidade de interpretações por si só já lhe da um ar de OP. Esse filme poderá ser esquecido? Sim... mas é menos provavel que "Curtindo a Vida".
Quanto ao papel da critica, eu acho que é muito importante termos alguem para avaliar o nosso trabalho, independente do que for, mas, a critica pode errar, assim como eu, assim como você. Em outras palavras, a critica não muda o fato de um filme ser ou não obra-prima, aposto que em 1926 muita gente criticou Metropolis, e o filme está ai, até hoje.

Link to comment
Share on other sites

O que estou querendo dizer é que o classico sobrevive ao tempo porque é uma obra-prima' date=' isso não faz de uma obra-prima um clássico.[/quote']

Ora, ora... e o que é isso então?

Whatever' date=' clássico, obra-prima, não importa. O que é classico é obra-prima.[/quote']

Força do hábito também? smiley36.gif

Aff, Dook, você é um garotinho esperto, sabe a diferenca disso.
Let me explain:

Um clássico, por ter sobrevivido ao tempo e por ser estudado, tem que ser uma obra-prima, senão nao teria sobrevivido.
Já uma obra-prima pode não ser um clássico.
Obra prima pode ser classico.
Classico é obra-prima.
Sacou?

 

Travis Bickle2006-7-12 11:44:4
Link to comment
Share on other sites

Nice question.
Ninguém pode definir quais filmes são obras-primas (o que nao faz disso uma questão subjetiva)' date=' a arte cinematográfica é relativamente nova, então são poucos os filmes que podemos olhar pra trás e dizer que que o filme sobreviveu. Podemos sim observar os filmes de hoje e projetarmos se esse filme será ou não lembrado ou se será esquecido. Tendo em mente o filme que estavamos discutindo "Curtindo a vida...", é facil: quem se interessará pela juventude da classe média de 1980? Ninguem, mas tudo bem, se o filme tivesse inovado em termos tecnicos, a historia poderia ser outra. Infelizmente nao inovou.
Agora pegando outro filme que estava em pauta: "Metropolis". Quem se interessará em saber as consequencias da modernização no nosso mundo? O filme ainda se mantém atual, a cidade do filme (da decada de 20) é parecidissima com as metropolis de hoje. Isso é genialidade, isso é visão.
O mesmo ocorre com 2001, cuja tematica universal servirá para qualquer época, e a infinidade de interpretações por si só já lhe da um ar de OP. Esse filme poderá ser esquecido? Sim... mas é menos provavel que "Curtindo a Vida".
Quanto ao papel da critica, eu acho que é muito importante termos alguem para avaliar o nosso trabalho, independente do que for, mas, a critica pode errar, assim como eu, assim como você. Em outras palavras, a critica não muda o fato de um filme ser ou não obra-prima, aposto que em 1926 muita gente criticou Metropolis, e o filme está ai, até hoje.[/quote']

Falou, falou e não falou nada... smiley36.gif Soltou muitas palavras, mas ficaram vazias diante de 2 perguntas objetivas e claras.

Link to comment
Share on other sites


PS: Rubysun' date=' você está confundindo o conceito de clássico. Picasso NÃO é clássico, a maior parte de sua vida ele foi cubista, são escolas diferentes o classicismo e o cubismo. Beethoven também não é clássico, ele é da escola do Romantismo, inclusive foi o precurssor desta, apesar de nós generalizarmos e dizermos que Beethoven faz musica clássica.[/quote']

"clássico" deriva de "classe", cujo sentido primitivo é o de "sala de aula": é clássico o que se ensina em classe. Como o que se ensina deve ser emxemplar, as obras clássicas são consideradas modelos de excelência, daí o sentido derivado de "obra clássica" como "obra de alto nível". Nesse sentido muito amplo, mesmo autores de acentuada vocação dionísica (romântica, como você bem sabe) podem ser chamados de "clássicos", ou seja, autores cujas obras são modelos de excelência artística, que orientam a educação nas salas de aula.

Logo, o que é classico é obra-prima.

Link to comment
Share on other sites

O que estou querendo dizer é que o classico sobrevive ao tempo porque é uma obra-prima' date=' isso não faz de uma obra-prima um clássico.[/quote']

Ora, ora... e o que é isso então?

Whatever' date=' clássico, obra-prima, não importa. O que é classico é obra-prima.[/quote']

Força do hábito também? smiley36.gif

Aff, Dook, você é um garotinho esperto, sabe a diferenca disso.
Let me explain:

Um clássico, por ter sobrevivido ao tempo e por ser estudado, tem que ser uma obra-prima, senão nao teria sobrevivido.
Já uma obra-prima pode não ser um clássico.
Obra prima pode ser classico.
Classico é obra-prima.
Sacou?

 

travis, leia com atenção:

plano 9 do espaço sideral é considerado por muitos um clássico.
plano 9 do espaço sideral é considerado por muitos o pior filme de todos os tempos.
logo, clássico não é necessariamente uma obra-prima.

Link to comment
Share on other sites

O que estou querendo dizer é que o classico sobrevive ao tempo porque é uma obra-prima' date=' isso não faz de uma obra-prima um clássico.[/quote']

Ora, ora... e o que é isso então?

Whatever' date=' clássico, obra-prima, não importa. O que é classico é obra-prima.[/quote']

Força do hábito também? smiley36.gif

Aff, Dook, você é um garotinho esperto, sabe a diferenca disso.
Let me explain:

Um clássico, por ter sobrevivido ao tempo e por ser estudado, tem que ser uma obra-prima, senão nao teria sobrevivido.
Já uma obra-prima pode não ser um clássico.
Obra prima pode ser classico.
Classico é obra-prima.
Sacou?

Mais joguinhos de palavras utilizadas para esconder furos na própria argumentação...

smiley36.gif

Link to comment
Share on other sites

Nice question.
Ninguém pode definir quais filmes são obras-primas (o que nao faz disso uma questão subjetiva)' date=' a arte cinematográfica é relativamente nova, então são poucos os filmes que podemos olhar pra trás e dizer que que o filme sobreviveu. Podemos sim observar os filmes de hoje e projetarmos se esse filme será ou não lembrado ou se será esquecido. Tendo em mente o filme que estavamos discutindo "Curtindo a vida...", é facil: quem se interessará pela juventude da classe média de 1980? Ninguem, mas tudo bem, se o filme tivesse inovado em termos tecnicos, a historia poderia ser outra. Infelizmente nao inovou.
Agora pegando outro filme que estava em pauta: "Metropolis". Quem se interessará em saber as consequencias da modernização no nosso mundo? O filme ainda se mantém atual, a cidade do filme (da decada de 20) é parecidissima com as metropolis de hoje. Isso é genialidade, isso é visão.
O mesmo ocorre com 2001, cuja tematica universal servirá para qualquer época, e a infinidade de interpretações por si só já lhe da um ar de OP. Esse filme poderá ser esquecido? Sim... mas é menos provavel que "Curtindo a Vida".
Quanto ao papel da critica, eu acho que é muito importante termos alguem para avaliar o nosso trabalho, independente do que for, mas, a critica pode errar, assim como eu, assim como você. Em outras palavras, a critica não muda o fato de um filme ser ou não obra-prima, aposto que em 1926 muita gente criticou Metropolis, e o filme está ai, até hoje.[/quote']

Falou, falou e não falou nada... smiley36.gif Soltou muitas palavras, mas ficaram vazias diante de 2 perguntas objetivas e claras.

Voce perguntou quem define o que são obras-primas, eu respondi. Você perguntou qual o papel da critica nisso, eu respondi.

Link to comment
Share on other sites


PS: Rubysun' date=' você está confundindo o conceito de clássico. Picasso NÃO é clássico, a maior parte de sua vida ele foi cubista, são escolas diferentes o classicismo e o cubismo. Beethoven também não é clássico, ele é da escola do Romantismo, inclusive foi o precurssor desta, apesar de nós generalizarmos e dizermos que Beethoven faz musica clássica.[/quote']

"clássico" deriva de "classe", cujo sentido primitivo é o de "sala de aula": é clássico o que se ensina em classe. Como o que se ensina deve ser emxemplar, as obras clássicas são consideradas modelos de excelência, daí o sentido derivado de "obra clássica" como "obra de alto nível". Nesse sentido muito amplo, mesmo autores de acentuada vocação dionísica (romântica, como você bem sabe) podem ser chamados de "clássicos", ou seja, autores cujas obras são modelos de excelência artística, que orientam a educação nas salas de aula.

Logo, o que é classico é obra-prima.

eu escrevi apenas para ilustrar como você faz o seu raciocínio. o que não quer dizer que eu concorde.

Link to comment
Share on other sites

Não assisti esse filme' date=' então não tenho como opinar. Mas, já que VOCÊ diz que o filme teve grande influencia, e daí que é um filme racista, pavoroso, nojento? Na época em que o filme foi feito essa mentalidade devia ser comum.
É a mesma coisa que você dizer que Iracema de José de Alencar não é obra-prima só porque é racista, é a mesma coisa você odiar Rastros de Ódio só porque o filme é racista. Fazer o que, infelizmente, existiram épocas em que essa nojenta mentalidade era comum.[/quote']

Ué... mas foi vc quem disse que o que vale é o conteúdo da obra...

Mais colocações não treplicadas...

Link to comment
Share on other sites

O que estou querendo dizer é que o classico sobrevive ao tempo porque é uma obra-prima' date=' isso não faz de uma obra-prima um clássico.[/quote']

Ora, ora... e o que é isso então?

Whatever' date=' clássico, obra-prima, não importa. O que é classico é obra-prima.[/quote']

Força do hábito também? smiley36.gif

Aff, Dook, você é um garotinho esperto, sabe a diferenca disso.
Let me explain:

Um clássico, por ter sobrevivido ao tempo e por ser estudado, tem que ser uma obra-prima, senão nao teria sobrevivido.
Já uma obra-prima pode não ser um clássico.
Obra prima pode ser classico.
Classico é obra-prima.
Sacou?

 

travis, leia com atenção:

plano 9 do espaço sideral é considerado por muitos um clássico.
plano 9 do espaço sideral é considerado por muitos o pior filme de todos os tempos.
logo, clássico não é necessariamente uma obra-prima.

Carioca, segundo você, "Clássico é aquilo que é estudado" right?
A técnica de "Plan 9 from Outer Space", o roteiro, a direção, a fotografia, ou seila o que, algo disso é estudado em universidades de cinema?
Podem até passar para os alunos como diversão, mas acho dificil algum professor passar como referencia.

Link to comment
Share on other sites

Nice question.
Ninguém pode definir quais filmes são obras-primas (o que nao faz disso uma questão subjetiva)' date=' a arte cinematográfica é relativamente nova, então são poucos os filmes que podemos olhar pra trás e dizer que que o filme sobreviveu. Podemos sim observar os filmes de hoje e projetarmos se esse filme será ou não lembrado ou se será esquecido. Tendo em mente o filme que estavamos discutindo "Curtindo a vida...", é facil: quem se interessará pela juventude da classe média de 1980? Ninguem, mas tudo bem, se o filme tivesse inovado em termos tecnicos, a historia poderia ser outra. Infelizmente nao inovou.
Agora pegando outro filme que estava em pauta: "Metropolis". Quem se interessará em saber as consequencias da modernização no nosso mundo? O filme ainda se mantém atual, a cidade do filme (da decada de 20) é parecidissima com as metropolis de hoje. Isso é genialidade, isso é visão.
O mesmo ocorre com 2001, cuja tematica universal servirá para qualquer época, e a infinidade de interpretações por si só já lhe da um ar de OP. Esse filme poderá ser esquecido? Sim... mas é menos provavel que "Curtindo a Vida".
Quanto ao papel da critica, eu acho que é muito importante termos alguem para avaliar o nosso trabalho, independente do que for, mas, a critica pode errar, assim como eu, assim como você. Em outras palavras, a critica não muda o fato de um filme ser ou não obra-prima, aposto que em 1926 muita gente criticou Metropolis, e o filme está ai, até hoje.[/quote']

Falou, falou e não falou nada... smiley36.gif Soltou muitas palavras, mas ficaram vazias diante de 2 perguntas objetivas e claras.

Voce perguntou quem define o que são obras-primas, eu respondi. Você perguntou qual o papel da critica nisso, eu respondi.

Eu perguntei QUEM define quais filmes são obras primas e não SE EXISTE ALGUÉM QUE define obras primas...

Link to comment
Share on other sites

Não assisti esse filme' date=' então não tenho como opinar. Mas, já que VOCÊ diz que o filme teve grande influencia, e daí que é um filme racista, pavoroso, nojento? Na época em que o filme foi feito essa mentalidade devia ser comum.
É a mesma coisa que você dizer que Iracema de José de Alencar não é obra-prima só porque é racista, é a mesma coisa você odiar Rastros de Ódio só porque o filme é racista. Fazer o que, infelizmente, existiram épocas em que essa nojenta mentalidade era comum.[/quote']

Ué... mas foi vc quem disse que o que vale é o conteúdo da obra...

Mais colocações não treplicadas...

Hehehe desculpe. São muitas coisas que tenho que quotar, acabo me esquecendo de algumas.
Mas vamos lá: O conteúdo da obra vale sim, mas, como eu disse algumas paginas atrás, a originalidade, a criatividade e a inovação tambem contam.
Esse filme do Griffith que voce estava comentando, nunca assisti, mas, como voce disse que ele inovou, quer dizer que sem esse filme, alguma(s) tecnicas utilizadas em filmes posteriores nao existiriam, logo, algumas obras posteriores a esse filme não existiriam, e, só por isso, sendo racista ou não, ja faz esse filme ter uma qualidade artistica notável. Só a inovação, independente de outros fatores negativos, ja faz uma obra ser importante.

 

Link to comment
Share on other sites

Nice question.
Ninguém pode definir quais filmes são obras-primas (o que nao faz disso uma questão subjetiva)' date=' a arte cinematográfica é relativamente nova, então são poucos os filmes que podemos olhar pra trás e dizer que que o filme sobreviveu. Podemos sim observar os filmes de hoje e projetarmos se esse filme será ou não lembrado ou se será esquecido. Tendo em mente o filme que estavamos discutindo "Curtindo a vida...", é facil: quem se interessará pela juventude da classe média de 1980? Ninguem, mas tudo bem, se o filme tivesse inovado em termos tecnicos, a historia poderia ser outra. Infelizmente nao inovou.
Agora pegando outro filme que estava em pauta: "Metropolis". Quem se interessará em saber as consequencias da modernização no nosso mundo? O filme ainda se mantém atual, a cidade do filme (da decada de 20) é parecidissima com as metropolis de hoje. Isso é genialidade, isso é visão.
O mesmo ocorre com 2001, cuja tematica universal servirá para qualquer época, e a infinidade de interpretações por si só já lhe da um ar de OP. Esse filme poderá ser esquecido? Sim... mas é menos provavel que "Curtindo a Vida".
Quanto ao papel da critica, eu acho que é muito importante termos alguem para avaliar o nosso trabalho, independente do que for, mas, a critica pode errar, assim como eu, assim como você. Em outras palavras, a critica não muda o fato de um filme ser ou não obra-prima, aposto que em 1926 muita gente criticou Metropolis, e o filme está ai, até hoje.[/quote']

Falou, falou e não falou nada... smiley36.gif Soltou muitas palavras, mas ficaram vazias diante de 2 perguntas objetivas e claras.

Voce perguntou quem define o que são obras-primas, eu respondi. Você perguntou qual o papel da critica nisso, eu respondi.

Eu perguntei QUEM define quais filmes são obras primas e não SE EXISTE ALGUÉM QUE define obras primas...

Todos podemos definir, mas todos podemos errar, simples assim. Se existissem um grupo de pessoas ou uma pessoa que definisse isso eu estaria agora perguntando a eles. A critica nem sempre está certa. Mais claramente, ja que voce quer algo objetivo: O TEMPO DEFINE. Mas pelo bom-senso você pode imaginar o que tem qualidade e o que nao tem.

Travis Bickle2006-7-12 12:6:39
Link to comment
Share on other sites

Agora

Todos podemos definir

Antes

Ninguém pode definir quais filmes são obras-primas

Tsc' date=' tsc, tsc, tsc...

[/quote']

Que oportunismo, Dook, se for quotar, quote tudo:

Todos podemos definir' date=' mas todos podemos errar, simples assim. Se existissem um grupo de pessoas ou uma pessoa que definisse isso eu estaria agora perguntando a eles.

[/quote']

Tirar uma frase do contexto em que foi colocado muda totalmente seu sentido.

Voce entendeu o que eu quis dizer. Podemos imaginar quais filmes são OP, mas não podemos ter certeza disso. Citei alguns filmes que acredito que sejam obras-primas, mas para isso usei do bom-senso, pois o que inova é obra-prima. Um filme comum, sem inovação, sem conteudo, sempre vai ser isso, e nunca vai ser obra-prima. 

Travis Bickle2006-7-12 12:28:15
Link to comment
Share on other sites

Superman 1' date=' 2 e 3 marcaram minha vida. O Superman 1 é OP, os outros não.

P.S.: Não queria comentar mas considero o Curtindo OP...

[/quote']

Por que vc não citou Superman - Em busca da paz ?????? Não foi marcante????smiley36.gif

Não "cutuca", agora q eles sossegaram....smiley36.gif

Foi, mas não positivamente...smiley36.gif

Sobre isso... Vou reformular o que disse:  Superman 1 e Curtindo a Vida Adoidado são clássicos, na minha modestíssima opinião. Agora, se são OP ou não, não sei... Não vou entrar no mérito da questão.

Tendo em mente o filme que estavamos discutindo "Curtindo a vida..."' date=' é facil: quem se interessará pela juventude da classe média de 1980? Ninguem, mas tudo bem, se o filme tivesse inovado em termos tecnicos, a historia poderia ser outra. Infelizmente nao inovou.
[/quote']

My opinion:

Curtindo... tem 20 anos nas costas, mas continua atual. Pega o filme e mostra pra um adolescente qualquer hoje e ele vai se identificar com o filme, depois mostre o filme pra um outro adolescentes daqui há 10 anos e ele vai se identificar também, ou pra um adolescente da década de 90, ou outro daqui há 20 anos. Muitos adolescentes se identificam com o filme, e acho que vão continuar se identificando. Porque não vejo o filme só sobre a "classe média". O filme é mais que isso. É sobre a adolescência de um modo geral, sobre juventude.

Sobre inovação... Curtindo a Vida Adoidado é mais-que-referência no gênero. E mais, ele nunca foi copiado. Porquê? Porque simplesmente não tem como copiar, é um filme único. Nem continuação ganhou, seria rejeitada.

Se o filme é OP ou não, não ligo a mínima. Pra mim, ele clássico. Fim.

Jailcante2006-7-12 14:53:47
Link to comment
Share on other sites

Segundo vocês o conceito de obra-prima é relativo. O que é para mim pode não ser para você. Então me expliquem:

No filme Amadeus, que voces ja devem ter assistido, existe o Salieri, que era um cara talentoso, porem nao era genial, e o Mozart, que apesar de imaturo, era genial.

A obra de Mozart sobreviveu, a obra de Salieri não, isso é até mostrado no filme. Não há algo de errado aí? Apesar de obras de arte, apesar de opiniões diferentes na época, quem sobreviveu foi Mozart, não Salieri.

E, estou me referindo a musica por ser esta uma arte mais antiga que o cinema, entao posso exemplificar melhor, mas o conceito é relativo a ambos.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...