Jump to content
Forum Cinema em Cena

O Esquadrão Suicida (Dir. James Gunn, 2021)


CACO/CAMPOS
 Share

Qual personagem você gostaria que estivesse no próximo filme?  

4 members have voted

  1. 1. Qual personagem você gostaria que estivesse no próximo filme?

    • Coringa
    • Amanda Walker
    • Rick Flag
    • Katana
      0
    • Crocodilo
      0
    • Pistoleiro
      0
    • Arlequina
    • Magia
      0
    • El Diablo
      0
    • Bumerangue
      0


Recommended Posts

Produtor de O Esquadrão Suicida “celebra” rivalidade entre Marvel e DC no cinema

Peter Safran afirma que James Gunn provou que não existe problema em trabalhar nos dois selos

Ao longo dos anos, grandes roteiristas e artistas da indústria dos quadrinhos passaram suas carreiras alternando entre Marvel e DC, incluindo Alan Moore, Jack Kirby, Brian Michael Bendis, G. Willow Wilson, George Pérez, Neil Gaiman e Kelly Sue DeConnick. Com a expansão de ambas as marcas no cinema, era uma questão de tempo para que cineastas fizessem o mesmo caminho. E foi com O Esquadrão Suicida que a troca aconteceu pela primeira vez, com James Gunn, responsável por Guardiões da Galáxia na Casa das Ideias, assumindo o comando da franquia iniciada em 2016. Peter Safran, produtor do longa, celebrou o trabalho do diretor pelos dois selos, dizendo que ele é “grande exemplo de que você pode ir e voltar entre as empresas”.

Em entrevista ao Deadline Podcast, Safran afirmou que Gunn mostra “você pode trabalhar para Marvel e para a DC e não é nenhum problema”. “Todos nós nesse mundo amamos quadrinhos, essas histórias, personagens e que o que une os fãs [de ambas as editoras] é muito maior do que os separa”.

 

O produtor também afirmou que o sucesso da Marvel inspira a DC a levar seus filmes a um novo patamar. “Eles continuam elevando a qualidade e nós precisamos igualar esse padrão”, disse Safran, que comentou ainda que entregar filmes de diferentes gêneros dependendo dos personagens faz com que as empresas “continuem aumentando as expectativas para o outro continuar atendendo-as”.

 

FONTE: OMELETE

Link to comment
Share on other sites

JOHN CENA FALA SOBRE POSSIBILIDADE DE ENFRENTAR DWAYNE JOHNSON NOS CINEMAS

image.png.77eb3087dbfa2766365847374be912f7.png

Com a participação de John Cena em Velozes e Furiosos 9 e O Esquadrão Suicida, ele e Dwayne Johnson agora estão em dois universos cinematográficos, uma vez que o ator de Hobbs e Shaw estará no Universo DC estrelando Adão Negro. Isso levou muitos fãs de ambos e do cenário de lutas profissionais a se empolgarem para ver os antigos rivais se enfrentando nos filmes, algo que o próprio Cena comentou em entrevista ao site ComicBook.
O ator demonstrou compartilhar da empolgação dos fãs para que isso aconteça, mas alertou que esse embate não é tão inevitável quanto parece. Se mostrando muito solícito caso a oportunidade surja, Cena comentou:
“Você me conhece. Pronto, disponível e capaz. E atendendo o telefone sempre que ele toca. Eu estou bem. Eu acho que a empolgação que está começando a crescer nos fãs, independente de você falar sobre Velozes ou você falar agora sobre o Universo DC. Eu não quero falar que estamos em uma rota de colisão e é inevitável. Eu quero, porque sou um fã. Mas vamos ver. Vamos ver o que acontece. Me conte o que ele disser.”
A dupla tem uma jornada semelhante, com ambos começando como lutadores profissionais e chegando ao topo da WWE antes de partirem para Hollywood. Estando em duas franquias juntos, muitos esperam vê-los na mesma produção, mas os dois não chegaram a aparecer juntos em nenhuma das duas séries. Johnson participou de quatro filmes de Velozes e Furiosos, deixando a série principal para estrelar o spin-off Hobbs & Shaw. Cena, no entanto, só se juntou à franquia no nono filme, do qual The Rock não faz parte.
Já em relação ao DCEU, os atores não estão em produções que já foram lançadas. Cena viverá o Pacificador em O Esquadrão Suicida, que chega aos cinemas no início de agosto. Ele retornará também em uma série do HBO Max, que tem previsão de estreia para o próximo ano. Johnson, por outro lado, interpretará o anti-herói Adão Negro, que ganhará seu próprio filme, com lançamento agendado para o ano que vem.
 

A treta deles no WWE foi uma chatice sem fim, rendeu uns confrontos divertidos entre os dois, mas no geral, foi só uma jogada pra encher a bola do The Rock.🙄

Link to comment
Share on other sites

On 7/28/2021 at 1:28 PM, Jorge Soto said:

Esquadrão

Sobre a porcentagem a partir dos críticos no Rotten Tomatoes, segue a lista:

1 :: O esquadrão suicida :: 96%
2 :: Mulher Maravilha :: 93%
3 :: Shazam! :: 90%
4 :: Aves de Rapina :: 79%
5 :: Zack League :: 71%
6 :: Aquaman :: 65%
7 :: WW 1984 :: 59%
8 :: O homem de aço :: 56%
9 :: Whedon League  :: 40%
10 :: Batman v Superman :: 28%
11 :: Esquadrão suicida :: 26%

Link to comment
Share on other sites

5 hours ago, primo said:

Sobre a porcentagem a partir dos críticos no Rotten Tomatoes, segue a lista:

1 :: O esquadrão suicida :: 96%
2 :: Mulher Maravilha :: 93%
3 :: Shazam! :: 90%
4 :: Aves de Rapina :: 79%
5 :: Zack League :: 71%
6 :: Aquaman :: 65%
7 :: WW 1984 :: 59%
8 :: O homem de aço :: 56%
9 :: Whedon League  :: 40%
10 :: Batman v Superman :: 28%
11 :: Esquadrão suicida :: 26%

Shazam e o filme da Arlequina superior a Man of Steel é de cagar no sapato 😢🤣

Link to comment
Share on other sites


Esquadrão Suicida é um bom filme que refaz o fraco filme do Ayer. Mas não se engane, não é toda essa cocada que tão falando mas ainda assim é superior ao de 2016, algo que não é muito difícil. A trama é manjada e o kitch dos trocentos personagens até funciona bem dentro do que o filme se propõe, se bem que meia dúzia já vai pro saco já logo no começo do filme dando espaço pro resto, atores "mais famosos" mostrarem um arco até razoável, alguns até emocionantes. A ação é frenética e funciona bem, fotografia e trilha sonora idem. Parece uma variante mais violenta dos Guardiões da Galaxia. E aqui o bichinho mais fofinho que rouba cenas é o Sebastian, o camundongo da Caça-Ratos. Foda só a longa duração do filme, dando protagonismo maior desnecessário á Arlequina (claro) só pra encher linguiça, e 15min a menos apenas beneficiariam o ritmo. E as duas cenas pós-créditos dao dicas de dois personagens que teoricamente morreram mas passam bem🤣! 8-10

VidaLatina - Vida Latina

 

Link to comment
Share on other sites

Muito bom!!!..com vilões de verdade....inevitável comporação. Como este filme é melhor que o Esquadrão do Ayer em todos os níveis..como é bom o estúdio dar liberdade e ter um cara bom dirigindo tudo. Menos comercial, mais violento, adorei o humor. E não é um Guardiões 2.1. É outra pegada. O filme já começa numa missão depois já entra nos flash backs pra cortar caminho. As apresentações e motivações ficaram muito bem feitas, principalmente do Bolinha (ele joga bolinha nas pessoas...kkkk). O Peacemaker é muito bom, a interação dele com o Bloodsport rende boas cenas e competição deles ao invadir uma vila é muito boa.

A história é bem amarrada e adiciona até uma rebeldia ao governo, pra não parecer pau mandado ou de direita. Falando nisso,  a Amada Waller é super motherfuker mas o destaque do filme é a Ratcatcher, ela é o coração do filme, além da história dela com o pai ser muito boa, os poderes dela com os ratos rendem ótimas cenas, icluindo o ratinho que fica no ombro dela. A Arlequina está na sua melhor participação na telona, a cena da fuga é muito boa, ainda sim parece que enfiaram ela em várias cenas para justificar a presença dela.

O Bolinha do qual eu não esperava muita coisa, é muito bom!!! O Gunn tirou leite de pedra aqui.  É um persoagem tão outsider e o Gun conseguiu fazer ele bem interessante, o poder, que parece uma doença, e as cenas com a mãe dele então pqp...hilário. A dublagem do Stallone no Tubarão Rei ficou excelente, casou direitinho com a proposta de um animal forte e limitado intelectualmente. 

 

A cena do TDK, aquele dos braços é muito boa...kkk..

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 Visto O ESQUADRÃO SUICIDA

 The Suicide Squad (2021) - IMDb

 

   Provavelmente existem poucas super equipes tão perfeitas para uma franquia cinematográfica que visa produzir filmes relativamente independentes quanto o Esquadrão Suicida. Nos quadrinhos, a equipe de supervilões reunida por Amanda Waller (Viola Davis) para realizar missões secretas para o governo americano possui uma rotatividade imensa de personagens, seja por que os vilões não estão sob custódia para serem recrutados, ou seja por que eles morreram em missão, pois como diz o nome da equipe, eles se envolvem em missões suicidas, e o fato dos membros da equipe serem vilões (em sua maioria do segundo escalão da DC, portanto dispensáveis) torna natural eventuais traições entre colegas de equipe. Assim sendo, é natural que a DC tenha apostado em uma sequência do horrível filme de 2016 comandado por David Ayer, que apesar de ter sido massacrado pela crítica e pelos fãs, teve uma bilheteria bem sucedida, além de transformar a Arlequina (Margot Robbie) em icone cultural. Isso por que a natureza "descartavel" do universo da equipe, permite que basicamente tudo o que desagradou no primeiro filme seja descartado e resetado, sem ter que apelar necessariamente para um reboot ou soft reboot oficial.

 James Gunn, na epoca demitido pela Marvel/Disney, foi rapidamente cooptado pela Warner/DC, que ofereceu-lhe diversos projetos da casa para comandar, incluindo ai projetos com o Superman e o Lanterna Verde. Mas Gunn optou pela sequência de ESQUADRÃO SUICIDA, vendo na equipe de vilões temas que sempre lhe interessaram, ou seja, personagens obscuros, que tem o status de rejeitados e renegados em suas histórias, politicamente incorretos, e que por isso mesmo, só podem contar consigo mesmos, ou seja, um perfil não tão diferente daquele explorado pelo diretor na franquia "Guardiões da Galaxia", na Marvel. A direrença, é que a DC deu ao diretor uma liberdade que ele nunca teria na casa do Mickey,  o que o permitiu entregar com O ESQUADRÃO SUICIDA uma obra carregada de violência anárquica que beira o Nonsense, mas que não esquece de dar coração aos seus personagens no meio de toda a loucura.

 A trama é fortemente inspirada na famosa fase de John Ostrander á frente da equipe nos anos 1980, famosa por satirizar os filmes de guerrilha setentista e a politica externa americana. Aqui, o Esquadrão é enviado para o fictício país sul americano de Corto Maltese para destruir um experimento que o novo governo anti americano vem conduzindo com uma criatura alienígena. Apesar dos comentários feitos durante a produção de que qualquer um dos personagens principais poderia morrer a qualquer momento, a coisa não é bem por ai, já que o filme é muito rápido ao estabelecer a equipe que de fato vai levar o filme pra frente, matando os dispensáveis antes mesmo do título do filme surgir, em uma cena de massacre que estabelece o tom de violência insana que a trama vai seguir. Assim, o filme trabalha na dinâmica que se estabelece na equipe liderada por Rick Flagg (Joel Kinerman, de volta do primeiro filme), e que ainda conta com Bloodsport (Idris Elba), o Pacificador (John Cena), a Caça Ratos (Daniela Melchior), o Homem Bolinha (David Dastmalchail, em mais uma produção de super herói), o Tubarão Rei (dublado por Silvester Stallone), e naturalmente a Arlequina.

  Diferente do que muitos vem alardeando por ai, não há nada de inovador na estrutura narrativa de O ESQUADRÃO SUICIDA. De fato, ela é relativamente semelhante ao filme de 2016. Ou seja, os vilões são enviados para uma missão por motivos egoistas ou forças das cirscunstâncias, eles estabelecem um laço, é revelado que o governo sabe mais do que diz, há um conflito moral, e a equipe resolve fazer a coisa certa apesar de suas naturezas vilanescas. A diferença é que Gunn percorre essa estrutura de forma muito mais competente, e é a forma como ele a percorre que dá um molho a mais para o filme.

  Gunn, por exemplo, utiliza-se muito melhor da natureza anárquica e vilanesca desses personagens, vide a sequência que conta com a participação da brasileira Alice Braga. Mesmo as tensões entre os personagens soam melhor construidas aqui. A relação entre os personagens são simples, mas funcionam em sua maioria, vide a relação paternal que se estabelece entre o Bloodsport e a Caça Ratos, a amizade da garota com o Tubarão Rei, ou a rivalidade entre o personagem de Idris Elba com o Pacificador. Gunn utiliza o humor pra realizar essa costura e acelerar a dinâmica das relações, o que funciona relativamente bem.

 Individualmente os personagens funcionam muito bem. Fica claro que a princípio, o Bloodsport está substituindo o papel inicialmente reservado ao Pistoleiro (que não retornou devido a conflitos de agenda de Will Smith). Mas o personagem de Elba acaba ganhando identidade própria, pela forma com que Elba e o roteiro de Gunn desconstrói a figura do herói de ação em alguns momentos. O Homem Bolinha é um personagem surpreendentemente cativante pela forma tragicômica com que os complexos do personagem são tratados, e a dupla formada pela Caça Ratos e o Tubarão Rei é bastante adorável. Kinerman tem também a chance de entregar um Rick Flagg muito mais interessante e divertido como o mais próximo de uma bussola moral que a equipe tem. Margot Robbie, por sua vez, está completamente apropriada da Arlequina, vestindo a personagem sem nenhum esforço, ainda que ironicamente, eu sinto que ela acabe sendo a personagem que menos funciona dentro da dinâmica do Esquadrão, já que por grande parte da projeção, Robbie praticamente protagoniza o seu próprio filme, e quando finalmente se junta a equipe, a costura não soa tão natural.

 Mas o que mais chama a atenção em O ESQUADRÃO SUICIDA é como Gunn abraça a linguagem dos quadrinhos de uma forma que há muito não era feita nas adaptações do subgênero. O uso de intertítulos postos de maneira criativa na tela para ilustrar elipses, flashbacks, e até nomes de capítulos da trama remetem diretamente a estética dos quadrinhos, com até algumas brincadeiras bem humoradas com tal linguagem. Da mesma forma, a escolha por inserir Starro o Conquistador, uma estrela do mar gigante alienígena (mais lembrado por ter sido o primeiro adversário da Liga da Justiça nos quadrinhos) mostra o destemor do cineasta em abraçar os conceitos coloridos e muitas vezes ridículos dos quadrinhos (reconhecendo-os como tal) sem fazer concessões estéticas, conseguindo tirar desse visual não só situações de humor, mas até algum terror, o que é um equilíbrio difícil de conseguir.

 No geral, O ESQUADRÃO SUÍCIDA é o filme que a equipe merecia ter tido em 2016. É o filme "definitivo" da equipe? Acho que ainda não, pois tem espaço pra melhorar, e a empreitada de Gunn na DC não é tão revolucionária como alguns críticos vem apontando (acho que não é nem o melhor de Gunn no gênero, apesar de ser o mais autoral), mas também não precisava ser. É uma diversão deliciosamente divertida, sem filtros e violentamente anárquica, e é isso que se espera de uma aventura do Esquadrão Suicida.

  

Link to comment
Share on other sites

Rick Flag precisa se benzer... alem de se dar mal no filme tem uma ex chantageando ele..🤣

JOEL KINNAMAN, DE O ESQUADRÃO SUICIDA, PEDE ORDEM DE RESTRIÇÃO CONTRA MULHER QUE O ACUSOU DE ABUSO SEXUAL

image.png.7f5c282ac15f71326bb79d8344e7df62.png

O Esquadrão Suicida é um dos maiores sucessos dos filmes da DC Comics, mas nem tudo são flores na vida de Joel Kinnaman, ator que interpreta Rick Flag no filme. Após ser acusado de abuso sexual pela modelo Bella Davis, Kinnaman pediu uma ordem de restrição contra ela.
Kinnaman alega que Davis ameaçou fisicamente e está tentando tirar dinheiro dele. O comunicado foi feito em suas redes sociais, através de um longo post no Instagram que detalhava como ele e sua família estariam recebendo ameaças de violência por parte de Davis.
Segundo a Variety, Davis afirma que Kinnaman abusou sexualmente dela em 2018, quando ela estava alcoolizada. O ator por sua vez rebate dizendo que teve um breve relacionamento romântico com a modelo e que, ainda em 2018, eles tiveram dois encontros sexuais que aconteceram de forma consensual.
O ator conta em seu post que Davis ameaçou mentir para a imprensa a não ser que ele aceite as exigências dela. Na publicação, ele diz ter entrado em contato com a modelo para resolver a situação, através de uma ligação de telefone, a acusando de ameaçá-lo com violência física.
“Mais cedo nesta manhã, eu preenchi uma ordem de restrição contra uma mulher que tem me ameaçado de violência física, assim como minha família e meus entes queridos, além de ter tentado extorquir meu dinheiro e outras coisas valiosas,” explica Kinnaman. “Embora seja mortificante e assustador falar sobre tudo isso, o que parece pior é suportar as crescentes ameaças diárias de danos físicos a mim e meus entes queridos e ameaças de ir para a imprensa com rumores falsos e maldosos, a menos que eu concorde com uma lista de demandas que incluem dinheiro, conexões de Hollywood, ajuda para garantir um visto de trabalho, a página verificada do Instagram, a página da Wikipedia, uma sessão de fotos com a Sports Illustrated, um adicional de US $ 400.000 por um apartamento e muito mais. E então, quero compartilhar os fatos com você, de forma honesta e direta.”
Ele finalizou a postagem dizendo que apoia todas as vítimas de abuso sexual:
“Eu quero ser MUITO claro para que não haja um mal-entendido: Eu apoio todas as vítimas de abuso sexual. Mas isso não é o que aconteceu aqui. Isso foi sexo consensual que agora se tornou uma tentativa de extorsão.” 
Davis respondeu as alegações do ator, mostrando uma troca de mensagens com Kinnaman e prints de uma conversa que teve com alguém que ela diz ser o advogado dele. O ator não se pronunciou sobre isso.
 

Pergunta honesta: Um filme como Garota Exemplar, sairia hoje em dia?🙄🤣

 

Link to comment
Share on other sites

"Idris Elba quer prequel de Sanguinário com Superman: 'Por que ele atirou?'"

Na entrevista, o ator afirmou ao ser questionado sobre o futuro do personagem nas telonas: "Não seria o próximo, seria o que veio antes [uma prequel]. Eu estaria realmente interessado em ver por que ele foi para a prisão, por que ele atirou no Superman? Adoraria ver essa narrativa ganhar vida."

"Eu não sabia que personagem estava interpretando, mas eu conhecia o tipo de personagem e sabia a posição que ele desempenhava dentro do enredo. Então, era tudo que eu precisava entender e me inscrevi. Mas, eu sabia que ele foi o primeiro cara a colocar o Superman no hospital porque atirou no Superman [risos], e é por isso que ele está na prisão. Isso foi muito intrigante e também se tornou um pouco motivador em algumas das minhas cenas e no desenvolvimento do meu personagem."

Link to comment
Share on other sites

EXTERMINADOR QUASE FOI ESCOLHIDO PARA LIDERAR A NOVA EQUIPE

Capa da Publicação

O Esquadrão Suicida, novo filme de James Gunn, trouxe uma formação completamente diferente do que conhecíamos no cinema. Mesmo com a reformulação, parece que um vilão ficou de fora da nova versão: o Exterminador.

Novas imagens dos bastidores surgiram no Twitter revelando artes conceituais de seus personagens presas na parede do que parece ser a sala dos roteiristas do longa. Nas artes, podemos ver as duas equipes que invadiriam a ilha de Corto Maltese: a primeira contendo Arlequina e Capitão Bumerangue, como vimos nos cinemas; e uma segunda liderada pelo Exterminador.

image.png.dede5fad110767fcfa90f9ae169e0f5f.png
Interessante notar que a formação desta segunda equipe continua similar ao que vimos no filme. Na arte, também é possível distinguir a silhueta do Tubarão-Rei, Caça Ratos 2, Pacificador e Bolinhas. Logo, tudo indica que o vilão substituiria completamente o Sanguinário, personagem interpretado por Idris Elba.

Nos cinemas, o Exterminador havia aparecido brevemente no final de ambas as versões da Liga da Justiça, interpretado por Joe Manganiello. Com toda a incerteza que cercava o lançamento da versão de Zack Snyder e as polêmicas envolvendo o trabalho de Joss Whedon, os produtores podem ter achado melhor deixar o Exterminador de lado por enquanto. Ainda assim, nada impede que o vilão retorne em uma sequência.

image.png.c4c0a0c62e7892989aedf2a72112ab5d.png
Vale lembrar que Manganiello fez campanha para uma série do Exterminador na HBO Max, então não seria estranho considerar uma participação do personagem já na série solo do Pacificador.

 

Se o Gunn puder dirigir um terceiro filme, dava pra ele ter o Exterminador como um vilão do Esquadrão Suicida, com o filme mostrando um duelo de mercenários entre o Esquadrão (esse grupo de vilões desconhecidos e subestimados) e o Slaaaaaaade (o maior mercenário do universo DC). Ou se no ES3 ao invés de o esquadrao ir atrás de alguém... O slade vai matando ex membros do esquadrao até que 5 ou 6 personagens tem que se juntar pra acabar com o slade? Daí, no final... Eles descobrem que a Amanda waller armou tudo como queima de arquivo pra se livrar de toda bosta que ela criou e sair limpa?🙄

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...