Jump to content
Forum Cinema em Cena

Duna (⊃∪∩⪽ dir. Denis Villeneuve) - 22/10/2021


Jailcante
 Share

Recommended Posts

  • 2 weeks later...

Duna: Denis Villeneuve ficou 'meio satisfeito' com filme original de David Lynch; entenda

Com Zendaya e Timothée Chalamet, Denis Villeneuve lançará remake de Duna em 14 de outubro de 2021

REDAÇÃO PUBLICADO EM 25/08/2021, ÀS 14H00

 
None Denis Villeneuve (Foto: John Sciulli / Getty Images)

Apesar de ser fã de David Lynch, Denis Villeneuve ficou 'meio satisfeito' com a adaptação Duna, de 1984. Em entrevista ao Empire, o cineasta explicou que o incômodo com algumas abordagens do longa-metragem o inspirou a idealizar a própria versão da obra de Frank Herbert. (Via CinemaBlend)

"Sou um grande fã de David Lynch, ele é o mestre. Quando eu vi Duna [de Lynch], lembro de estar animado, mas a aposta dele... há partes que amo e outros elementos com os quais me sinto menos confortável," disse o cineasta.

 

Villeneuve continuou: "Então é tipo, eu me lembro de estar meio satisfeito. É por isso que eu estava pensando comigo mesmo: 'Ainda há um filme que precisa ser feito sobre esse livro, apenas com uma sensibilidade diferente'."

Durante a entrevista, Villeneuve também confessou não ser fácil dar vida aos antigos sonhos artísticos em frente de uma câmera. "Eu era realmente um grande sonhador quando era adolescente. Eu tinha que tentar agradar aquele cara. É toda a pressão para não decepcionar o sonho.”

 

FONTE: ROLLING STONES

Link to comment
Share on other sites

Lembrando que Duna tem sua premiere e primeiras críticas do festival de Veneza nessa sexta (dia 3/9). E ainda estreia na EUROPA e MÉXICO dia 15/9, um mês antes dos EUA e Brasil.

E lembrando que a outra grande saga de ficção , Fundação, estreia dia 24 de setembro deste ano no Apple tv. Os2 primeiros episódios serão lançados em 24/9 e os outros 8 semanalmente.

Vamos Aguardar.

Link to comment
Share on other sites

On 8/31/2021 at 9:17 PM, Big One said:

Sim, na sexta vamos saber se a jiripoca vai piar. Kkk 

Quanto a Fundação, apesar de não conhecer a obra original, estou na espectativa. 

 A estreia no festival de Veneza é amanhã e o horário de exibição foi revelado; Será às 18;45 em Veneza (13;45 no horário de Brasília) .As críticas ainda devem sair no mesmo dia.
 

Link to comment
Share on other sites

Segura, Coração:

Dune – First Reactions:

James Mottram: As absorbing as Dune’s plot is, it’s the world-building that will leave your mind blown. The costumes, the production design and the visual effects are all elite-level, perfectly harnessed to bring Villeneuve’s vision of Herbert thrillingly alive.

Peter Howell: Desert power! Frank Herbert’s “unfilmable” sci-fi classic becomes transporting cinema in Denis Villeneuve’s capable hands. The film connects on visual and subconscious levels, demanding the biggest screen possible but also rewarding close study.

David Ehrlich: DUNE is a *massive* disappointment. The cinematic equivalent of getting a novelty-sized check for six dollars. Hype is the mind-killer.

Steven Weintraub: I know you’re used to people raving about a movie on social media after it premieres. But trust me when I say Denis Villeneuve’s Dune  is a masterpiece not just of science-fiction but of cinema. Haven’t felt transported like that in a movie theater in a long time.

Rafael Motamayor: DUNE feels like the pop culture event we were waiting for. The next Star Wars, the next Lord of the Rings or the next Game of Thrones. It’s here. It’s epic, but it is also just giddy FUN! Don’t let anyone tell you this is “Star Wars for adults,” as anyone can enjoy this story.

Owen Gleiberman: Denis Villeneuve’s adaptation has a majestic vastness, and most of it actually makes sense, but it’s an act of world-building that runs out of storytelling steam. Dune is out to wow us, and sometimes succeeds, but it also wants to get under your skin like a hypnotically toxic mosquito. It does…until it doesn’t.

Joel Meares: Dune  is incredible. Sci-fi that feels as epic as anything we’ve seen, visually ambitious (and weird as f–k), and yet completely lived-in, visceral, and gritty. Set pieces that gave me I’m-a-kid-again chills. Top-tier performances and rich characters. Bring on Part 2.

Steph Green: DUNE is eyeball-rattling, seat-shaking, sheer virtuosic spectacle, with a Zimmer score for the ages. Some heavy-handed dialogue & talky scenes felt flat, but that action? That cinematography? Ooh, baby!

Ryan Weston: sweeping sci-fi spectacle of epic proportions. Its thunderous soundtrack, stellar performances and spectacular set pieces come together to create something truly special. And this is only the beginning.

Clayton Davis: Dune is a visual spectacle. A new world is born for people like me, with no knowledge of the source material, and an achievement by Denis Villeneuve. Suspect Oscar noms in every tech category, director, picture. It opens with title card DUNE PART ONE. We better get PART TWO.

Adam Solomons: Dune is fantastic and thrilling and provocative and strangely timely, too. Got my political brain working and my sci-fi bone going too. Really enjoyed it and I’m praying they’re able to finish the story with a sequel.

Jazz Tangcay: Dune is spectacular. Denis Villeneuve has crafted a visual masterpiece. Greig Fraser’s cinematography is a sight to be seen,simply gorgeous. You can’t take your eyes off the screen. Timothée Chalamet is outstanding. Don’t be surprised by a crafts sweep

Link to comment
Share on other sites

48 minutes ago, SergioB. said:

James Mottram: As absorbing as Dune’s plot is, it’s the world-building that will leave your mind blown. The costumes, the production design and the visual effects are all elite-level, perfectly harnessed to bring Villeneuve’s vision of Herbert thrillingly alive.

Peter Howell: Desert power! Frank Herbert’s “unfilmable” sci-fi classic becomes transporting cinema in Denis Villeneuve’s capable hands. The film connects on visual and subconscious levels, demanding the biggest screen possible but also rewarding close study.

David Ehrlich: DUNE is a *massive* disappointment. The cinematic equivalent of getting a novelty-sized check for six dollars. Hype is the mind-killer.

Steven Weintraub: I know you’re used to people raving about a movie on social media after it premieres. But trust me when I say Denis Villeneuve’s Dune  is a masterpiece not just of science-fiction but of cinema. Haven’t felt transported like that in a movie theater in a long time.

Rafael Motamayor: DUNE feels like the pop culture event we were waiting for. The next Star Wars, the next Lord of the Rings or the next Game of Thrones. It’s here. It’s epic, but it is also just giddy FUN! Don’t let anyone tell you this is “Star Wars for adults,” as anyone can enjoy this story.

Owen Gleiberman: Denis Villeneuve’s adaptation has a majestic vastness, and most of it actually makes sense, but it’s an act of world-building that runs out of storytelling steam. Dune is out to wow us, and sometimes succeeds, but it also wants to get under your skin like a hypnotically toxic mosquito. It does…until it doesn’t.

Joel Meares: Dune  is incredible. Sci-fi that feels as epic as anything we’ve seen, visually ambitious (and weird as f–k), and yet completely lived-in, visceral, and gritty. Set pieces that gave me I’m-a-kid-again chills. Top-tier performances and rich characters. Bring on Part 2.

Steph Green: DUNE is eyeball-rattling, seat-shaking, sheer virtuosic spectacle, with a Zimmer score for the ages. Some heavy-handed dialogue & talky scenes felt flat, but that action? That cinematography? Ooh, baby!

Ryan Weston: sweeping sci-fi spectacle of epic proportions. Its thunderous soundtrack, stellar performances and spectacular set pieces come together to create something truly special. And this is only the beginning.

Clayton Davis: Dune is a visual spectacle. A new world is born for people like me, with no knowledge of the source material, and an achievement by Denis Villeneuve. Suspect Oscar noms in every tech category, director, picture. It opens with title card DUNE PART ONE. We better get PART TWO.

Adam Solomons: Dune is fantastic and thrilling and provocative and strangely timely, too. Got my political brain working and my sci-fi bone going too. Really enjoyed it and I’m praying they’re able to finish the story with a sequel.

Jazz Tangcay: Dune is spectacular. Denis Villeneuve has crafted a visual masterpiece. Greig Fraser’s cinematography is a sight to be seen,simply gorgeous. You can’t take your eyes off the screen. Timothée Chalamet is outstanding. Don’t be surprised by a crafts sweep

quando é que essa obra prima chega aos cinemas brasileiros mesmo? hahaha

Agora fiquei ansioso

Link to comment
Share on other sites

Sei lá, não tô com todo esse hype por esse filme não. Nunca li os livros e o filme de 84 achei bem nhééé, nada demais.. Quem sabe quando eu assista provavelmente curta justo por estar sem expectativa alguma. Mas aí que tá, sabe-se lá quando eu vá assistir porque esse filme não ta nas minhas prioridades e muito menos urgências de produções mais esperadas...😂

 

image.png.21b180faf2d91073e4b59bce9030fa80.png

 

“Duna nos lembra o que um blockbuster de Hollywood pode ser”, afirma o crítico de The Guardian. “Implicitamente, com sua mensagem escrita repetidamente na areia, o épico de fantasia de Denis Villeneuve nos diz que espetáculos de grande orçamento não precisam ser burros ou hiperativos, que é possível permitir uma passagem silenciosa e estranha em meio às explosões.”

Os críticos do Showbiz 411 acreditam que o público merece assistir Duna em meio uma época tão difícil:

“O novo Duna deve ser um sucesso estrondoso. É um grande épico como os de antigamente, do tipo de que precisamos agora, para nos livrar de vírus, furacões e guerras na vida real. Coloque uma máscara, pegue um balde de pipoca e relaxe. Precisamos de uma pausa.”

O portal NME apoia que as pessoas vão ao cinema para conferir Duna:

“Villeneuve deixou muito claro que prefere que seu filme seja visto na tela grande. E ele está certo. A escala é de cair o queixo. A única coisa tão impressionante quanto a grandiosidade é o elenco de Duna, que deve ter custado mais do que a receita anual de especiarias de Arrakis.”

O crítico do The Hollywood Reporter não gostou do que viu. Ele achou Duna um filme entediante, e que a melhor parte da história ficou para a sequência em desenvolvimento:

“O maior problema de Duna é que esta é apenas a primeira parte, com o segundo filme em pré-produção. Isso significa que muito do que estamos assistindo parece uma configuração enrolada para um filme, com sorte, mais envolvente – é o dever de casa entediante antes que as coisas divertidas comecem a acontecer.”

O Gizmodo é só elogios! O crítico ficou realmente empolgado com Duna, sugerindo que os fãs não se decepcionarão:

“Seria uma pena se nunca chegássemos a ver a segunda parte desta história, mas a Parte Um tem segmentos narrativos satisfatórios com um final de jogo lógico que deixa você querendo mais. Os cenários, embora esporádicos, são empolgantes e o filme apresenta um mundo de ficção científica tão fantástico e robusto que você poderia assisti-lo um milhão de vezes e descobrir algo novo a cada exibição […] Duna é incrível em todos os sentidos da palavra, e será um filme que os fãs apreciarão por muitos anos.”

O IndieWire foi bem ácido ao falar sobre o filme. Segundo eles, Duna é um filme grandioso até demais, muito longo e autoindulgente:

“No final, Denis Villeneuve estava realmente certo: sua televisão não é grande o suficiente para o escopo de Duna. Mas isso é apenas porque esta space opera sem vida é contada em uma escala tão comicamente maciça que uma tela de qualquer tamanho teria dificuldade para contê-la. Da mesma forma, nenhuma história – muito menos a primeira metade deformada de uma – poderia esperar sustentar a grandiosidade do que Villeneuve tenta construir ao longo desses intermináveis 155 minutos (alguém menciona que o tempo é medido de forma diferente em Arrakis), ou o simples peso do presságio autoindulgente que ele acerta em cada plano.”

O pessoal do JoBlo, por sua vez, adorou o filme, chegando até a comparar à cultuada trilogia O Senhor dos Anéis de Peter Jackson:

“Duna é o que há de melhor na ficção científica. Denis Villeneuve criou um dos melhores filmes de fantasia desde a jornada de Peter Jackson na Terra Média. As atuações são inspiradas, com Chalamet, Ferguson, Bautista, Skarsgard, Isaac e principalmente Jason Momoa como destaques. O casamento entre um roteiro fantástico e imagens visualmente suntuosas ajuda a dar a este primeiro de duas partes uma riqueza que você raramente vê em um grande lançamento de verão. Quando os efeitos são tão detalhados e impressionantes, é fácil perder de vista todo o resto.”
 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...