Jump to content
Forum Cinema em Cena
SergioB.

Tokyo2020: Previsões de Medalhas brasileiras

Recommended Posts

Pensei muito se iria incorporar algum nome nas minhas previsões, ou mesmo se iria retirar algum, mas mantive-a praticamente igual, só colocando a Pâmela Rosa, como alternativa à Letícia Bufoni, no Skate Street feminino. As duas irão às finais, isso é claro, e qualquer uma das duas pode vencer. A fase atual é da Pâmela, mas Letícia tem mais experiência. Acho que, como é um esporte de nota, as japonesas serão bastante beneficiadas no geral, por isso a Prata.

Hoje o Alison dos Santos, o "Piu", ganhou a Prata na Diamond League, com um tempo muito inferior ao feito no Pan. Mas não foi por isso que ainda o deixo fora da lista. É que esses 400m com Barreiras tem 3 nomes muito fortes correndo na casa dos 47. Alison ainda não conseguiu. Embora, a parte final de sua corrida de Ouro no Pan, quando deu uma nítida soltada, mostre que ele tem tudo para entrar para o clube. Vou esperar o Mundial. Também tive dúvidas em alçar Darlan Romani à Prata. Hoje ele tem a segunda melhor marca da temporada, então seria justo e natural. Mas tive um pequeno susto ao olhar o site da IAAF. Já são 7 atletas no ano acima dos 22m, no Arremesso do Peso. Ou seja, os jornalistas brasileiros começam a fazer um oba-oba em torno dele - aliás, seria meu voto de melhor atleta do ano até aqui -  contudo a competição será bastante dura. Novamente, vou esperar o Mundial.

Prata de Álison/Álvaro Filho na etapa de Moscou do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. É - salvo engano -  a quarta etapa seguida em que eles chegam às semifinais/finais, nessa semana, derrotando, pelo caminho, a dupla alemã que os derrotara no Mundial. Quem diria, heim?

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Resultado importante para o Brasil no Campeonato Mundial de Canoagem. Bronze de Erlon e Isaquias na prova do C2 1000m, garantindo também a vaga olímpica. A prova foi vencida por uma dupla chinesa (Hao Liu/ Hao Wang)  que era praticamente desconhecida até o ano passado, e a Prata ficou novamente, pelo terceiro campeonato seguido, para a forte dupla cubana (Torres Madrigal/ Jorge Enriquez), campeã do Pan. A dupla alemã, bicampeã mundial, ficou em quarto lugar, bem atrás da dupla brazuca. Lembrando que no Mundial passado, os brasileiros esconderam o jogo, e não disputaram essa prova.

Quem acompanha o Fórum sabe que no início do ano eu apontava a dupla brasileira com o Ouro, mas depois de maus resultados de Isaquias em duas Etapas da Copa do Mundo, mudei de entendimento, e desde junho sigo apontando-os com o Bronze. Foi o que aconteceu nessa manhã. É um resultado bom para o Brasil, claro, mas convém termos ciência que essa dupla alemã pode tranquilamente vir a ganhar uma medalha em Tóquio. Estão no jogo. Essas 4 duplas, ao que tudo indica, brigarão por três medalhas.

Isaquias está na final individual do C1 1000, a ser disputada amanhã. Chinês, alemão, Cubano, Tcheco, polonês...Muita gente na briga.

Veremos em Tóquio.

Erlon e Isaquias são bronze no C2 1000m e conquistam vagas para o Brasil nos Jogos de Tóquio 2020

(Foto: Helena Rebello)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acordar de manhãzinha e ver o Brasil ser Campeão Mundial de Canoagem não tem preço!

Ouro no C1 1000m, pela primeira vez. Isaquias Queiroz já havia sido três vezes Bronze nessa prova (2013, 2017, 2018 - em 2014 caiu; em 2015 não disputou), além, claro, da Prata olímpica em 2016.

Vendo a prova, gente, o Isaquias sobrou, a verdade é essa, foi um show. Soltou no final, e mesmo assim terminou com quase 2 segundos à frente do polonês. 

É impossível ser indiferente a essa medalha. Ainda mais do jeito que foi, em um Campeonato Mundial de ano pré-olímpico. Se devido aos resultados ruins de maio, eu o tirei das minhas previsões, agora ele volta com tudo. Estava computando apenas a medalha de Bronze da C2. É difícil prever os resultados da Canoagem pois os atletas em geral competem muito pouco. Ficamos boa parte do ano sem vê-los. Mas essa prova de hoje dá uma perspectiva de solidez. Ele ficou muito à frente dos principais rivais. Ninguém comentou: mas ele fez muito bem em não disputar o C1 500m, que não é prova olímpica.

Graças! Estávamos precisando!

Isaquias Queiroz festeja título mundial no pódio â Foto: Helena Rebello

(Foto: Helena Rebello)

Share this post


Link to post
Share on other sites

25/08/2019

Medalhas Brasil

Total: 22

18º  no Quadro de Medalhas.

 

Ouro: (5)

Pedro Barros - Skate modalidade Park 

Martine Grael e Kahena Kunze - Vela classe 49er FX

Isaquias Queiroz - Canoagem - C1 1000m

Gabriel Medina - Surf

Beatriz Ferreira - Boxe categoria -60kg

Prata: (5)

Letícia Bufoni ou Pâmela Rosa - Skate modalidade Street

Yndiara Asp - Skate Modalidade Park

Rafaela Silva - Judô categoria -57

Equipe de Vôlei Masculino - Vôlei

Bruno Fratus - Natação - 50m Livre

Bronze: (12)

Arthur Zanetti - Ginástica Artística - Argolas

Flávia Saraiva - Ginástica Artística - Solo

Revezamento 4x100m livre masculino - Natação 

Mayra Aguiar - Judô categoria -78kg

Maria Suellen Altheman - Judô categoria +78kg

Ana Sátila - Canoagem Slalom - C1 feminino

Darlan Romani - Atletismo - Arremesso do Peso

Nathalie Moellhausen - Esgrima - Espada feminina

Ícaro Soares - Taekwondo categoria 80kg

Kelvin Hoefler - Skate modalidade Street

Ágatha/Duda ou Ana Patrícia/Rebecca - Vôlei de Praia 

Isaquias Queiroz/Erlon Silva - Canoagem C2 1000m

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 2/3/2019 at 10:39 PM, SergioB. said:

03/02/2019:

Medalhas Brasil

Total: 25

16º colocação no Quadro de Medalhas.

 

Ouro: (7)

4x100m livre masculino - Natação 

Pedro Barros - Skate modalidade Park 

Martine Grael e Kahena Kunze - Vela classe 49er FX

Equipe de Vôlei Masculino - Vôlei

Ághata e Duda - Vôlei de Praia

Gabriel Medina - Surf

Isaquias Queiroz e Erlon Silva - Canoagem C2 1000m

 

Prata: (5)

Arthur Zanetti - Ginástica Artística - Argolas

Rebeca Andrade - Ginástica Artística - Salto

Letícia Bufoni - Skate modalidade Street

Vinicius Figueira - Caratê categoria -67k

Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino - Vela classe Nacra17

 

Bronze: (13)

Bruno Fratus -  Natação - 50m livre

4x200m livre masculino - Natação

Flávia Saraiva - Ginástica Artística -Solo

Rafaela Silva - Judô categoria -57kg

Mayra Aguiar - Judô categoria -78kg

Maria Suellen Altheman - Judô categoria +78kg

Isaquias Queiroz- Canoagem C1 1000m

Ana Sátila - Canoagem Slalom - C1 feminino

Alison e André Stein - Vôlei de Praia

Tatiana Weston-Webb - Surf Feminino

Almir Júnior - Atletismo -  Salto Triplo Masculino 

Kelvin Hoefler - Skate modalidade Street

Beatriz Ferreira - Boxe categoria -60kg

 

 

Ainda não entendo porque Jiu Jitsu e Muai Thai não são esportes olímpicos, temos excelentes atletas nessas modalidades.

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 hours ago, Kham said:

Ainda não entendo porque Jiu Jitsu e Muai Thai não são esportes olímpicos, temos excelentes atletas nessas modalidades.

É o Comitê Olímpico Internacional que decide. São muitos os candidatos a entrar. Em Paris 2024, haverá, por incrível que pareça, "Breaking Dance". Hoje se entende que deve haver uma aproximação do esporte com a chamada "cultura urbana", em Tókio2020, representada pelo Skate.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que ano da Rafaela Silva! 

Hoje, no Campeonato Mundial de Judô, conseguiu a primeira medalha do Brasil, um Bronze muito lutado e meritório, ao perder na semifinal, no Golden Score, para a japonesa Yoshida. O Ouro acabou ficando com a canadense que não foi ao Pan. De qualquer formas, essa pontuação obtida hoje fará da Rafaela cabeça de chave em Tókio2020. Isso é muito importante para ela ter um caminho tranquilo até o Pódio.

No início do ano, a apontava com o Bronze. Há coisa de 1 mês atrás, mudei para a Prata. Talvez a rebaixe para o Bronze, pois, a rigor, a rigor, a japonesa foi melhor hoje, mas, mais importante, o que eu quero dizer é que ela irá medalhar. A cor varia, é um detalhe. Fico feliz com todas, todas têm um significado. Ela já havia ganhado dessa japonesa que a derrotou, no passado, como também já ganhou e já perdeu dessa canadense. Esporte de alto nível é assim. 

O Time Brasil vai medalhando, à medida que os campeonatos mundiais acontecem, e muita gente ficará surpresa quando superarmos o número total de pódios em Tókio, coisa que só o Reino Unido conseguiu após sediar uns Jogos Olímpicos. Eu não.

Valeu, Rafa!

Rafaela Silva perde para japonesa em

(Foto: Roberto Castro)

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Saiu a segunda medalha do Brasil no Mundial de Judô 2019. É o Bronze de Mayra Aguiar, na categoria meio-pesado, - 78kg. Perdeu para a francesa, que se sagrou campeã, na semifinal.

Minha previsão desde o início do ano? Bronze. É muito difícil a categoria dela, mas sendo número 1 do Mundo (não sei se manterá) ela há de ter um caminho mais fácil em Tóquio.

Mesmo sendo excelente atleta desde juniores, excelente pessoa, inteligente, guerreira e tal, ela nunca conseguiu ir à final olímpica. Como disse, é uma categoria acirrada.

Valeu, Mayra!

Mayra Aguiar conquista o bronze no Japão e chega à sua sexta medalha em mundiais de judô

(Foto: Roberto Castro/rededeesportes.gov.br)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sábado muito ruim para o esporte olímpico brasileiro.

Começamos o dia com a atuação desastrosa dos Pesados do Judô brasileiro, perdendo 3 disputas de Bronze, e uma repescagem! Maria Suelen Altheman, a quem sempre creditei um Bronze, não fez absolutamente NADA na luta dela, e perdeu pela 17ª vez seguida para a cubana Ortiz,  certamente a maior freguesia do judô mundial. Bom para que eu retire essa medalha das previsões!. Não vai ser com esse espírito que alguém conseguirá medalhar em Tóquio. Por sua vez, os homens também não lutaram com inteligência. David Moura fazendo várias entradas bobas no oponente; Rafael Silva uma estátua, no seu feio antijudô. Enfim, eu nunca confiei no judô masculino pra esse ciclo, e continuo sem acreditar. Só Rafaela e Mayra que salvam. Sinceramente, essa técnica japonesa, que estrelou várias entrevistas pra tevê, não conseguiu melhorar em nada o nosso judô masculino, como prometido. Aliás, ele regrediu. A verdade é essa. Ela é simpática, fala português, é doce, e tal...mas resultado que é bom não trouxe nenhum.

Agora há pouco, doeu ver Henrique Avancini terminando apenas em 10º lugar no Campeonato Mundial XCO, Ciclismo Mountain Bike. Chegou a liderar a primeira volta, ficou em terceiro por um bom tempo, mas foi sendo ultrapassado....Apesar da frustração de hoje, ele segue entre os 5 melhores do mundo. Medalha? Torço muito, mas não a projeto.

Em contraposição, uma semana gloriosa para a França, com muitos títulos e medalhas, desde o Bronze no ciclismo, aos esperados Ouros do Judô.

(Semana fantástica para a Nova Zelândia também no Mundial de Remo, com nada menos do que 4 Ouros!)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dia de medalha brasileira em esporte olímpico: Bronze por Equipe Mista no Mundial de Judô, prova recém-incorporada no programa olímpico. O Brasil perdeu na semifinal para o Japão, e depois ganhou da Mongólia. Prata para a França. Chamo a atenção para a derrota da Rafaela Silva para a Japonesa, que foi vice-campeã individual, portanto, neste Mundial, Rafela perdeu para a francesa (no golden socre) e para a japonesa.

Encerramos o Mundial, portanto, com 3 Bronzes - o que espero do Judô, desde o começo do ano, era 3 Bronzes individuais - mas o que ficou claro é que o Brasil poderia ter se saído bem melhor, se os Pesados não tivessem vacilado muito ontem. Duas outras conclusões: a equipe feminina salva o país; e estamos dependentes das mesmas figuras do ciclo olímpico passado.

Vou ter que incluir essa medalha nas previsões, afinal, trata-se de um Mundial em ano pré-olímpico. E vou retirar o Bronze da Maria Suelen, embora, hoje, ela tenha lutado superbem.

Enfim, 3 medalhas num mesmo esporte. Continua sendo um dos carros-chefe do Time Brasil. Mas sem tanto brilho.

Brasil bate Mongólia, leva bronze por equipes e fecha Mundial de Judô em Tóquio com três pódios

(Foto: Issey Kato/Reuters)

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

1º/09/2019

Medalhas Brasil

Total: 22

19º  no Quadro de Medalhas.

 

Ouro: (5)

Pedro Barros - Skate modalidade Park 

Martine Grael e Kahena Kunze - Vela classe 49er FX

Isaquias Queiroz - Canoagem - C1 1000m

Gabriel Medina - Surf

Beatriz Ferreira - Boxe categoria -60kg

Prata: (4)

Letícia Bufoni ou Pâmela Rosa - Skate modalidade Street

Yndiara Asp - Skate Modalidade Park

Equipe de Vôlei Masculino - Vôlei

Bruno Fratus - Natação - 50m Livre

Bronze: (13)

Arthur Zanetti - Ginástica Artística - Argolas

Flávia Saraiva - Ginástica Artística - Solo

Revezamento 4x100m livre masculino - Natação 

Rafaela Silva - Judô categoria -57Kg

Mayra Aguiar - Judô categoria -78kg

Equipe Mista - Judô

Ana Sátila - Canoagem Slalom - C1 feminino

Darlan Romani - Atletismo - Arremesso do Peso

Nathalie Moellhausen - Esgrima - Espada feminina

Ícaro Soares - Taekwondo categoria 80kg

Kelvin Hoefler - Skate modalidade Street

Ágatha/Duda ou Ana Patrícia/Rebecca - Vôlei de Praia 

Isaquias Queiroz/Erlon Silva - Canoagem C2 1000m

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que jogaço espetacular Ágatha/Duda contra Ana Patrícia/Rebecca, nas semifinais da etapa final do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, em Roma, onde só foram os melhores do mundo.  No tie-breake, deu Ágatha-Duda. Mas as duas duplas foram maravilhosas. Renovou minhas esperanças.

Observerm que eu coloco um Bronze para uma das duplas brasileiras, seja uma ou seja a outra. Elas se equivalem. Ambas já estão praticamentes classificadas para Tókio2020.

No masculino, nenhuma dupla brasileira na semifinal. Evandro/Bruno perderam para Mol/Sorum. Nas semifinais: alemães, russos campeões mundiais, americanos e, claro, os noruegueses. Vai ficando tudo muito claro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Surf e Skate distribuiram, nos últimos dias, 12 medalhas em Mundiais. O Brasil faturou 5 delas.

Ouro, hoje, com Ítalo Ferreira, no Surf masculino. Prata para Silvana Lima, no Surf feminino; e Prata para Luiz Francisco "Luizinho", no Mundial de Park em São Paulo. Bronze para Gabriel Medina no Surf, e Bronze para Pedro Quintas, no Mundial de Skate Park, sediado em São Paulo. Pedro Barros, nosso principal skatista na modalidade, terminou em sexto (bateu a cabeça, na primeira volta). Yndiara Asp, infelizmente, não disputou. Filipe Toledo, do Surf, líder do Ranking mundial, sentiu uma pequena lesão nas costas, e se poupou, ainda nas semifinais. Ou seja, o Brasil está muito forte nesses esportes.

Há uma controvérsia se se computam essas medalhas do Surf, pois a competição foi organizada pela ISA, que rege desde sempre as competições amadoras do esporte, tanto que os melhores brasileiros disputam a Liga Profissional. Mas o torneio era evento-teste, valia vaga olímpica (para outros continentes, fora a América, já que estas foram distribuídas no Pan), foi sediada no local da competição de Tóquio portanto mesmas ondas, e, ademais, os melhores do planeta estavam lá. Não faltou ninguém, nem entre as mulheres, nem entre os homens. Isso não significa que eu ache que a Silvana Lima, 12ª do ranking, será Prata em Tóquio contra as americanas fodonas (que, sim, estavam no torneio). Eu analiso as previsões de maneira mais global. Nem mesmo é possível dizer que Ítalo Ferreira, Ouro hoje, será um dos nossos dois representantes, ao final do classificatório...

Mas as perspectivas são muito boas, sim. Particularmente, gostei muito de ver o Luizinho no Skate com a Prata, ele que é o 3º do ranking mundial. Sinal de que computar apenas 1 medalha no Park Masculino talvez seja pouco....

Vai ser a nossa melhor Olimpíada em termos de medalhas no total. Enquanto a imprensa relatava que depois do Rio 2016 seria um caos, que o investimento reduzido prejudicaria o Time Brasil, eu nunca acreditei nisso. Estamos caminhando para seguramente mais de 20 medalhas, feito que apenas uns 15 países conseguem. Com a Rebeca Andrade da ginástica em forma será ainda melhor.

BRA_Italo_Ferreira_Closing_Ceremony_Ben_Reed-7.jpg

(Foto: Divulgação/ISA)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meu esporte favorito trouxe boas alegrias neste fim de semana também. O Brasil foi pela 32ª vez campeão sul-americano no vôlei masculino, batendo a Argentina, de virada. E a seleção feminina de vôlei está jogando melhor, com a volta do mito Fabiana ao meio de rede.

Mas o que eu mais gostei de ver foi o Bronze da seleção sub-18 no Mundial da categoria. Não pela medalha (perdeu dos Estados Unidos, que foi campeão, na semifinal), mas é que o Brasil está com uma ponteira de 1.93m chamada Ana Cristina que é ...nossa...impressionante. Quem é do vôlei vai se lembrar da jogadora Calderón de Cuba . Pois os movimentos dela são muito parecidos, além da potência dos golpes. Em geral, esse time brasileiro é muito alto e forte. Tudo o que precisávamos revelar. Não adianta ganhar campeonato com jogadora de 1.70m, pois no nível adulto não perdura. É uma ilusão. Categoria de base é pra revelar quem possa servir no futuro à seleção principal. Melhor perder com gente alta do que ganhar com gente baixa.

A imprensa burra celebra os argentinos, ou os indianos, ou os iranianos, nas categorias de base, que, às vezes, conseguem bons resultados em categorias de base com jogadores baixos (o levantador da Argentina sub-23 é ótimo, mas tem 1.73m) ... Mas, aí, na fase adulta, não sabem por que perderam as medalhas pra Rússia, Polônia, Estados Unidos, Sérvia...

Resultado de imagem para ana cristina volei seleção sub 18

Share this post


Link to post
Share on other sites

Rolando o Mundial de Boxe masculino em Ecaterimburgo na Rússia, desde a semana passada. 

O Brasil ainda tem 3 representantes na competição. O melhor deles, Hebert Conceição, da categoria até 75kg, está nas quartas-de-finais, ou seja,  entre os 8 melhores, a uma luta de garantir pelo menos o Bronze. Venceu hoje, por 3x2, um atleta do Uzbequistão, e agora enfrentará um italiano muito forte.

Wanderson Oliveira e Keno Machado estão nas oitavas.

Ninguém na mídia dá bola.

Hebert-Concei%C3%A7%C3%A3o-Mundial-de-Boxe.jpg

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Outro boxeador nas quartas, no Mundial de Boxe masculino!!

É Wanderson de Oliveira, da categoria até 63kg, que venceu  japonês nessa manhã por 3x2. Vai enfrentar um atleta indiano. É o segundo brasileiro a se posicionar entre os 8 melhores, a uma luta de garantir pelo menos o Bronze.

Pelo menos apagamos a terrível campanha do Mundial passado, quando ninguém chegou até às quartas.

Resultado de imagem para wanderson de oliveira boxer

Share this post


Link to post
Share on other sites

16ª Medalha do Brasil em provas olímpicas de Mundiais neste ano!!!

Hebert Conceição venceu italiano, vice-europeu, por 4x1, nesta manhã, e chegou às semifinais, garantindo assim, pelo menos o Bronze. Enfrenta um atleta russo.

Wanderson de Oliveira, infelizmente, perdeu para indiano, por unanimidade, e está fora.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E ficamos com o Bronze mesmo.

Hebert Conceição perdeu nesta manhã para o boxeador russo na semifinal do Mundial de Boxe masculino. É a décima sexta medalha do Brasil em Mundiais.

Nas semifinais, me chama a atenção haver chegado apenas 3 atletas de Cuba. Rússia 4; Uzbequistão 5; Cazaquistão 6; India, 2 - o que confirma o ótimo desempenho que o país terá. Do nada os indianos vão passar de 4 medalhas (sem Ouro) no Rio 2016 para mais de 10 medalhas em Tóquio.

Valeu, Hebert!

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depois da horrível notícia de doping da nossa campeã Olímpica Rafaela Silva - com sua possível suspensão dos Jogos de Tóquio - o domingo trouxe as esperadas boas notícias do Skate Street feminino. Pâmela Rosa, Ouro; Rayssa Leal, Prata, no Campeonato Mundial disputado em São Paulo. Letícia Buffoni, lesionada, não participou. No Masculino, por muito pouco Kelvin Hoefler não conquistou o Bronze, ficando assim em quarto lugar.

Modalidade chega forte.

.Dobradinha! Pamela conquista título mundial de skate street em SP com Rayssa em segundo

(Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Friso sempre que discuto aqui as chances de medalha, não chances de top-10, ou semifinais, mas, nos últimos dias, foram tantos campeonatos mundiais, com participações brasileiras em tantas provas olímpicas, que vale a pena apontar algumas coisas:

Fernando Reis, 8º lugar, no Campeonato Mundial de Levantamento de Peso. A China arrebentou e conseguiu 10 Ouros. Jaqueline Ferreira, conseguiu um honroso 6º lugar, mas bem distante da zona de medalhas. Enfim, os dois merecem os méritos, mas se havia alguma ilusão de que nosso gigante, tricampeão Pan-Americano, pudesse ser medalhista, ela se esvaiu. Nunca vi chance, a bem da verdade.

Ana Sátila acaba de ficar na 9ª posição no K1 da Canoagem Slalom, no Campeonato Mundial. Perdeu uma porta na descida. Muito decepcionante. Amanhã tem o C1.

Mundial de Vela, da classe RSX. Patrícia Freitas assegura vaga olímpica ao ficar em 15º lugar. Vai para a sua terceira olímpíada. Parabéns! Mas a verdade é que nunca progride.

Rolando o Mundial de Atletismo agora... Paulo André, 12º lugar geral nos 100m masculino, com 10s14, a 0.02 da final. Muito decepcionante. Os outros brasileiros do 4x100m também correram mal. Frustrante.

Pé no chão. O mundo é grande. Ser medalhista é muito difícil.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não foi um bom fim de semana olímpico para o Brasil. Faltou sorte e faltou mérito.

Tivemos algumas vagas olímpicas confirmadas, mas obtidas por meio de resultados triviais  (Vela), ou decepcionantes (Canoagem Slalom), ou não esperançosos (4x400m misto, do Atletismo).

Ana Sátila depois de fazer um ano de muitas medalhas ou bons resultados acabou em décimo na prova do C1, perdendo 4 portas! Pepê Gonçalves, com seu 24º lugar, nem final pegou no K1 masculino. É um esporte muito difícil de prever, muito instável, pode dar qualquer coisa, sempre. Os campeões, uma alemã e um theco, nem cotados para medalhas estavam. Jéssica Fox, a melhor, a mais regular dos atletas, pegou Prata nas duas provas olímpicas. Vou ter que repensar muito esse Bronze no C1 que projeto para a Ana desde o início do ano. Sei lá...O que eu não aguento mais é o furor da mídia em torno dos dois, para poucos resultados na hora que de fato importa. Gosto de decepção.

No Mundial de Atletismo, o resultado mais cruel, o que mais me dói: um quarto lugar. É de Érica Sena da Marcha 20km feminino, atrás de 3 chinesas! Ah, não aguento! E na Olimpíada, cada país pode ter 3 representantes também. Ela repete o quarto lugar do Mundial de 2017. Mas...eu odeio quarto lugar....Por 19 segundos...Dói!!

Almir Jr, por sua vez,  terminou num 12º lugar no Salto Triplo, queimando duas tentativas e saltando para 15 metros no último. Depois do fracasso do Pan emendou esse fracasso no Mundial. A prova teve a briga lá em cima, com Ouro na casa dos 17.90m, e Prata acima dos 17.70m...E de pensar que eu o colocava com um Bronze...Um ano de 2019 para o matogrossensse esquecer.

Paulo André e Aldemir Júnior não conseguiram classificação para as semifinais dos 200m. E nosso quarteto, na prova mista dos 400m, terminou em oitavo lugar, piorando o tempo das sefiminais. Mas, pelo menos, rolou a vaga olímpica.

O atletismo brasileiro deu uma melhorada boa nos últimos anos. Mas continua ruim.

Amanhã, pelo menos, tem o "Piu" lutando por medalha nos 400m com Barreiras.

Brasil confirma vaga olímpica no revezamento em noite de tetra de Shelly-Ann Fraser-Pryce em Doha

(Wagner do Carmo/CBat)

Share this post


Link to post
Share on other sites

O nosso país não faz um grande Mundial de Atletismo. Fato. Fiquei estarrecido com as performances de Gabriel Constantino e Eduardo de Deus nos 110m com Barreiras, num ano em que os dois brilharam. Foi vergonhoso, chegaram em último de suas baterias, derrubando 8 de 10 barreiras, ou tocando a mão na barreira...Pareciam atletas do Nepal!

As meninas velocistas fizeram tempos lamentáveis também...muito aquém do que podem.

Hoje, o sétimo lugar de Alison dos Santos nos 400m com Barreiras, se logicamente não resultou em pódio, pelo menos deu um enorme alento. Aos 19 anos, ele melhorou pela sétima vez no ano o seu melhor tempo. Toda vez que correu, correu melhor. Em 19/04, ele tinha 49.48, e fez 48.28 hoje. Grande! O que esperar dele no ano que vem? A mesma melhora?

Amanhã, final dos nossos representantes instáveis do Salto com Vara. Veremos!

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A tarde deste sábado será importantíssima para o esporte brasileiro.

Mundial de Atletismo, Mundial de Ginástica...

A seleção feminina de ginástica decide a vaga olímpica, sem sua melhor ginasta, e os outros países foram muito bem no classificatório. Ficou difícil.

No atletismo, tem Darlan na final do Peso, e o revezamento masculino 4x100m.

Ainda não posso acreditar que o revezamento feminino foi desqualificado por uma pisada na linha na primeira "perna". É de matar! Quatros anos jogados fora!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um pesadelo!!!

Nem em meu maior pessimismo eu poderia imaginar um sábado como esse.

Darlan Romani, então com a Prata no peito, termina em quarto lugar (como digo sempre, o resultado mais cruel, o que mais odeio) na prova do Arremesso do Peso mais disputada da história, decidida por apenas 1 cm. Americanos e neozelandês brilharam intensamente nos dois últimos arremessos fazendo acima de 21.90m

Depois, novamente, quarto lugar para a equipe do Revezamento 4x100m masculino, quebrando o recorde sul-americano de Sidney, mas...bem atrás de USA, Grã-Bretanha, e Japão.

O Brasil, mais uma vez, termina um Mundial de Atletismo sem medalhas. Equador, Colômbia, Venezuela, Cuba, nossos vizinhos medalharam...

MAS NADA PODERIA SER PIOR DO QUE O QUE HOUVE NA GINÁSTICA. Nada.

Jade se machuca, e o Brasil fica sem nota de descartes, com uma atleta que chegou de última hora...Resultado: O BRASIL ESTÁ FORA DE TÓQUIO POR EQUIPES NA GINÁSTICA FEMININA!!! Termina em 14º lugar. Desde 2000, estávamos sempre presentes com o time.

Há alguns meses, seríamos Prata, com Rebeca no time.

Pelo que eu entendi das regras, o Brasil ainda tem chance de classificar individualmente 2 atletas. Não mais que duas. Flávia já está pelo Individual Geral, conquistado hoje, vaga nominal; e a Rebeca poderá obter vaga pelo pan-americano da modalidade do ano que vem.

Os fãs da ginástica estão inconsoláveis. Isso que dá depender excessivamente de atletas veteranas, ou de atletas que não sabem fazer muitos aparelhos.

Socorro!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

×
×
  • Create New...