Jump to content
Forum Cinema em Cena

A Menina que Matou os Pais / O Menino que Matou Meus Pais ( Filmes sobre o caso Von Richthofen)


Recommended Posts

O filme A Menina Que Matou os Pais, baseado no chocante caso de Suzane von Richthofen, ganhou as suas primeiras fotos. Confira mais abaixo.

 

As imagens trazem Carla Diaz como a criminosa do título – e a semelhança física impressiona – além do ator Leonardo Bitencourt como Daniel Cravinhos, cúmplice de Richthofen no assassinato dos pais. A produção também ganhou novos detalhes.
 

O caso ganhará dois filmes. A Menina Que Matou os Pais será contado a partir da perspectiva da criminosa. Enquanto isso, O Menino Que Matou Meus Pais seguirá o crime através da visão de Daniel Cravinhos.

Os dois filmes serão lançados no mesmo dia. A data de estreia ainda não foi divulgada.

O chocante caso real

Manfred e Marísia von Richthofen foram assassinados pelo casal em outubro de 2002. O crime ainda contou com a participação do irmão de Daniel, Christian. A narrativa do filme deve começar desde o primeiro encontro dos criminosos, ainda em 1999.

A Menina Que Matou os Pais é definido como um drama psicológico e suspense. O roteiro é de Ilana Casoy, a maior especialista de serial killers do país, e Raphael Montes, conhecido por escrever obras voltadas para a literatura policial.

A direção dos longas é de Maurício Eça.

Vale notar que os condenados pelos assassinatos não estão ganhando dinheiro com o filme, como inúmeras fake news espalham nas redes sociais.

A Menina que Matou os Pais e, agora, O Menino que Matou Meus Pais chegam em 2020 nos cinemas brasileiros.

Veja as fotos

a-menina-que-matou-os-pais.jpg
design-sem-nome-25.png
design-sem-nome-26.png
 
 
FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA
Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

 

 Breve entrevista dos roteiristas para o site Metropoles

 

O caso Richthofen vai ganhar dois filmes espelhados, sob perspectivas de Suzane e Daniel. Dessa maneira, vocês esperam trazer uma abordagem distinta da que foi vista em noticiários, algo mais voltado para as questões psicológicas por trás dos crimes?
O que foi visto nos noticiários? Apenas fatos, e ainda assim muita coisa não foi “ouvida” ou divulgada. Todos nós já tínhamos uma história pronta na cabeça, jornalistas e público. Ao pesquisar tantos anos depois, claramente as histórias de Suzane e Daniel já estavam lá, mas eram bem conflitantes.

O que nos interessou foi contar a dinâmica desse relacionamento vista por cada um em separado, para tentar vislumbrar como dois jovens tão comuns, que separadamente eram inofensivos, foram letais juntos e cometeram um crime tão brutal.

A cultura pop norte-americana tem uma obsessão permanente com assassinos em série e histórias de true crime, tanto na esfera documental quanto ficcional. É mais difícil explorar esse tipo de história no Brasil, especialmente quando envolve casos reais? E como é narrar algo verídico sem soar meramente folhetinesco, mas ao mesmo tempo envolver o público?
Pensamos que o caminho é ater-se ao processo com seriedade, sem distorcer a realidade. As histórias reais são muito ricas, mas há que se ter cuidado, porque algumas são folhetinescas de verdade e muitas vezes não são críveis.

Nossa realidade é única e precisa ganhar o mundo, ficar conhecida, mesmo entre os nossos. Nos entristece ver escritores e roteiristas brasileiros usando maneirismos e costumes estrangeiros para enriquecer suas histórias ou criar seus personagens. Nós, brasileiros, somos ricos de pessoas que têm seu jeito particular de conduzir suas próprias vidas.

Nossa parceria parece um bom caminho para achar a intersecção entre a arte e a realidade. A ficção imita a vida ou a vida imita a ficção? No nosso trabalho, isso não importa. Queremos mesmo é contar uma boa história.

 

FONTE: METROPOLES

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...
On 2/4/2020 at 12:16 PM, Jorge Soto said:

trailer "dublado" 🤣

 

a-menina-que-matou-os-pais-1068x601.jpg

 

 

 Em primeira instância, não me convenceu. 

Em tempo

 

Carla Diaz fala da importância de discutir casos como o de Suzane Von Richthofen

Por
 Sergio Scarpa
 -
13 de fevereiro de 2020 - 23:00
carla-diaz-como-suzane-von-richthofen-no Carla Diaz como Suzane Von Richthofen em A Menina Que Matou os Pais (Foto: Divulgação)

Em Abril chegará aos cinemas os filmes A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou os Pais. Cada longa metragem contará a história da morte do casal Von Richthofen de um ponto de vista diferente, um pelo ponto de vista de Suzane Von Richthofen e outro do ponto de vista dos irmãos Cravinhos. Quem interpreta Suzane no filme é Carla Diaz, e a atriz de uma entrevista para a Quem onde falou um pouco de seu trabalho no filme e importância de se abordar assuntos com esse crime que abalou o Brasil.

Carla Diaz falou: “O caso da Suzane foi super divulgado porque ela estava fora dos padrões. Isso chamou a atenção do nosso país. Mas no mesmo dia que aconteceu o caso dela, aconteceram mais três parricídios em São Paulo. Infelizmente é uma história muito triste que vem se repetindo. E por que não ser contada?”.

A atriz acrescentou: “É um caso que chocou o Brasil, me chocou também como mulher, como filha, como ser humano. É inimaginável um caso desses, me pergunto até hoje por quê. Por que ninguém entende porque alguém faz isso. Mas acho que a reflexão é exatamente essa: tentar saber o que passa na cabeça do ser humano, o que leva um ser humano a fazer isso e o que nós, como sociedade, podemos fazer para mudar, porque parricídios (ato de uma pessoa matar seu próprio pai) acontecem todos os dias, só que nem sempre a imprensa divulga”.

 

FONTE: SPIN OFF

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...
  • 2 months later...

CINEMA

Suzana Von Richthofen processa produtora de “A Menina Que Matou os Pais”

 

A produtora Santa Rita que é responsável pelos filmes “O Menino Que Matou Meus Pais” e “A Menina Que Matou os Pais”, sobre o assassinato cometido por Suzana Von Richthofen, estão sendo processados pela criminosa.

No processo a criminosa alega que não foi informada sobre as produções e que eles não tem a autorização para contar a sua história. O processo está correndo em Comarca de Angatuba, São Paulo.

Anteriormente, Suzana havia feito o mesmo com o livro, “Suzane – Assassina e Manipuladora”, de Ulisses Campbell, onde venceu em duas instâncias. Porém o Supremo Tribunal Federal liberou a obra.

 

FONTE: PREMIERELINE

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

Carla Diaz fala de filme sobre Suzane von Richthofen: "O maior desafio foi ter aceito"

Com as estreias de ‘A menina que matou os pais’ e ‘O menino que matou meus pais’ adiadas, atriz, famosa desde a infância, cita referência na carreira: “Gloria Pires é minha paixãozinha desde a infância”

  • BEATRIZ BOURROUL (@BIABOURROUL)
24 JUN 2020 - 06H05 ATUALIZADO EM 24 JUN 2020 - 07H56
 
+
 
Carla Diaz fala sobre desafios e referências profissionais (Foto: Reprodução/Instagram)

Carla Diaz fala sobre desafios e referências profissionais (Foto: Reprodução/Instagram)

 
Carla Diaz teve os planos para 2020 modificados com a pandemia do coronavírus. A atriz, de 29 anos de idade, estava prestes a estrear os filmes A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais quando as medidas de isolamento social foram decretadas no país. Ainda sem data de lançamento definida, ela fala sobre como foi interpretar Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais em 2002.

“O maior desafio foi ter aceito. Tive que me distanciar do julgamento pessoal. Todos ficaram estarrecidos com esse crime de grande repercussão. Faz parte do cinema contar histórias de todos os tipo. Deixei meu julgamento de fora para dar maior veracidade à atuação”, diz Carla, afirmando que o crime a marcou quando adolescente. “O caso Richthofen aconteceu quando eu tinha 12 anos e havia ficado na minha cabeça. Um ano antes [de ser confirmada no elenco], soube que o teste estava sendo feito. A vontade de estar no projeto já existia”, diz.

 

De acordo com Carla, a ideia de fazer dois filmes sobre o mesmo assunto deu um sabor especial ao desafio profissional. “Foi fascinante. Em 33 dias, foram rodados dois filmes e eles ficaram bem diferentes. Foi um desafio para todos nós que participamos. Houve muito cuidado e pesquisa.”

 

FONTE: REVISTA QUEM

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

Batemos um papo com o diretor Maurício Eça sobre os filmes do caso Von Richthofen

A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais são estrelados por Carla Diaz e Leonardo Bittencourt

17/08/2020 19h30

 

Por Thamires Viana

Cena de A Menina que Matou os Pais

 

"Eu já tinha vontade de fazer esses filmes, tinha conversado há muitos anos com a Ilana Casoy [co-roteirista] e essa sementinha ficou plantada ali", disse Maurício Eça, diretor de A Menina Que Matou Os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais, logo no início de um papo exclusivo com o Cineclick sobre os longas que trarão duas perspectivas diferentes sobre o famoso caso Von Ritchthofen.

Na live que aconteceu no último dia 13 de agosto, Maurício contou detalhes sobre as duas produções e pontuou o lado inovador do projeto. "A ideia inicial era fazer um filme só, porém o Gabriel Gurman [produtor] teve a sacada de fazer dois filmes. Embarcamos nessa loucura, porque é uma coisa inovadora lançar dois longas simultaneamente no cinema", afirmou.

Os filmes têm roteiros assinados por Ilana Casoy, criminóloga, escritora e maior especialista em serial killers do Brasil, e Raphael Montes, escritor brasileiro de literatura policial sucesso de público e de crítica, e mostrarão os pontos de vista opostos dos assassinos nas telonas.

Na trama, é a atriz Carla Diaz quem viverá Suzane Von Richthofen, filha de Manfred e Marísia, casal assassinado pelos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, vividos por Leonardo Bittencourt e Allan Souza, respectivamente. "São atores jovens que estavam com muita vontade de fazer isso e propor para as suas carreiras algo realmente desafiador e novo. Eles entraram de corpo e alma. Foi maravilhoso", comemorou Maurício sobre a parceria do trio.

O diretor também falou sobre a dinâmica da apresentação dos dois filmes para o público e afirmou que conferir A Menina Que Matou Os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais juntos será uma experiência única. "Você pode ver um filme só, porque ele tem começo, meio e fim, mas a experiência de ver os dois filmes é muito mais forte, porque você vai ver a versão de um e de outro e tirar a sua conclusão", completou.

Confira a entrevista completa: 

Dirigidos por Mauricio EçaA Menina Que Matou Os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais chegariam aos cinemas em abril, mas por conta da pandemia de coronavírus as estreias foram adiadas e seguem sem uma nova data de lançamento.

O elenco traz Carla Diaz (Suzane von Richthofen), Leonardo Bittencourt (Daniel Cravinhos), Kauan Ceglio (Andreas von Richthofen), Leonardo Medeiros (Manfred von Richthofen), Vera Zimmermann (Marísia von Richthofen), Debora Duboc (Nadja Cravinhos) e Augusto Madeira (Astrogildo Cravinhos).

 

FONTE: CINECLICK

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
×
×
  • Create New...