Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2006


Sync
 Share

Recommended Posts

Eu acrescentaria Charlize Theron.

Charlize Theron Shines in North Country

And just like that, it becomes the year of the actresses. Not just any actresses, pretty young things - Reese Witherspoon, Gwyneth Paltrow, Keira Knightly, Rachel Weisz, and now Charlize Theron for North Country - here is what Variety's David Rooney had to say about her work:

In addition to Caro's graceful transition from a modestly scaled, locally made feature to larger-canvas work and to a highly specific American environment, the film represents a confident next step for lead Charlize Theron. The challenges of following a career-redefining Oscar role have stymied actresses, Theron segues from "Monster" to a performance in many ways more accomplished.

While the role again calls for the thesp to be deglamorized, it has none of the attention-getting physical assists of her transforming turn as Aileen Wuornos. Instead, Theron gives a measured, deeply felt characterization of a good woman scarred by injustices and inequalities, who wants simply to take charge of her life and provide for her children.

The strength of both the performance and character anchor the film firmly in the tradition of other dramas about working-class women leading the fight over industrial workplace issues, such as "Norma Rae" or "Silkwood."

 

saulomeri38608.7066782407
Link to comment
Share on other sites

E mais:

"Charleze Theron takes on the task of playing the lead character, Josie Aimes, in her first starring role since her Oscar win for her stunning performance in Monster.” The actress doesn’t hide her beauty as Josie but looks and acts the blue-collar role well enough. She is surrounded by a capable cast that, in part one of “North Country,” helps build up the tension as Josie and the other women in the company submit to the rampant male chauvinism."
 http://www.reelingreviews.com/northcountry.htm

 

< style="DISPLAY: none" name=GetFoto> >

13/09/2005 - 14h18
Charlize Theron e Gwyneth Paltrow mostram atuações dignas de Oscar em Toronto

reuters.gif

<>

makePhoto(document.GetFoto.GetInfo.value);

makeBox();

BBhide();

 

x.gif

Por Ka Yan Ng

TORONTO (Reuters) - As belas e glamourosas atrizes premiadas com o Oscar Charlize Theron e Gwyneth Paltrow surgiram no Festival Internacional de Cinema de Toronto na segunda-feira em papéis decididamente não glamourosos, promovendo o tipo de drama que tradicionalmente agrada aos eleitores do Oscar.

Theron está apostando em "North Country", filme dirigido pela neozelandesa Niki Caro, que em 2002 se destacou com o sucesso inesperado "Encantadora de Baleias". O filme é baseado na história do primeiro processo bem-sucedido por assédio sexual nos Estados Unidos. Além de Charlize Theron, tem no elenco as também premiadas com o Oscar Frances McDormand e Sissy Spacek, além de Woody Harrelson.

Theron, que conquistou seu Oscar em 2003 com "Monster", faz uma mãe solteira que reúne suas colegas operárias para combater o assédio sexual do qual são vítimas em uma mineradora local.

Em coletiva de imprensa concedida em Toronto, ela disse que Hollywood enfatiza demais a beleza física e que a aparência de sua personagem nunca chegou a ser discutida com a diretora.

"Depois de 'Monster', quando comecei a falar da história de 'North Country' com algumas pessoas, algumas me disseram 'quer dizer que você vai fazer outro filme em que será feia'," disse a atriz.

"O que discutimos com Caro foi apenas a verdade sobre essa mulher e a vida que ela leva", contou a atriz. "De repente, quando você tem a resposta para o lado emocional da personagem, os elementos físicos surgem naturalmente."

Ex-modelo, Charlize Theron engordou 15 quilos e usou maquiagem pesada para o papel da prostituta e serial killer que representou em "Monster".

PALTROW LEMBROU MORTE DO PAI EM "PROOF"

Em "Proof", drama baseado numa peça que valeu a David Auburn o Prêmio Pulitzer, Gwyneth Paltrow representa uma mulher que enfrenta a fronteira tênue que divide a genialidade da loucura.

No filme, a atriz, que também fez o papel principal de "Proof" no teatro, em Londres, voltou a trabalhar com o diretor John Madden, que a dirigiu em "Shakespeare Apaixonado". "Shakespeare" recebeu 13 indicações ao Oscar em 1999 e levou sete estatuetas, incluindo a de melhor atriz para Paltrow.

Em "Proof", que vem tendo boa repercussão, seu personagem enfrenta a possibilidade de que tenha herdado a insanidade de seu pai, matemático brilhante, mas mentalmente instável.

Paltrow disse a jornalistas não ter certeza de se a morte de seu pai, o diretor e produtor Bruce Paltrow, em 2002, influiu sobre sua atuação. Ele morreu entre o final da temporada de "Proof" no teatro e o início das filmagens da versão cinematográfica.

"Acho que influiu, sim, de certa maneira", disse ela. "Eu não peguei minhas emoções da vida real e as transplantei para meu trabalho. Mas, é claro, estava percorrendo um caminho muito paralelo ao de Catherine, naquele ponto. Não sei se isso modificou minha atuação."

<>makeFooter();

saulomeri38608.7162731482
Link to comment
Share on other sites

Richard Gere in Bee Season:

"This is one of Gere's best and most understated performances. As Saul, he is obviously concerned with his wife's behaviour, but his perfectionism can't allow him to know what it is that she's doing. But it's first time actress Cross who was most compelling as the hauntingly gifted Eliza. There's a maturity in her face that denies her youth and it's possible that she'll be around for a long time to come." http://www.aintitcool.com/display.cgi?id=21243

Link to comment
Share on other sites

Eu decidi nao me desesperar por Elizabethtown. O filme, segundo li, ainda está em fase de edição. Considerando-se que não era um trabalho completo, acho normal que a critica tenha reagido dessa forma... é um filme pra ser engracado e delicado, só isso. Os outros filmes dos festivais eram mais dramaticos, não tinham uma aura tão "teenager"  quanto tem Elizabethtown. O publico no geral gostou muito do que viu. Sinto que vou gostar tambem.

Dizem que a versao exibida em veneza e toronto tinha quase tres horas de duracao!!! Ninguem aguenta comedia romantica longa assim... é claro que vai passar por reformulacoes!smiley2.gif

Acabei de postar as fotos do encarte da trilha...o cd sai a venda hj nos EUA!smiley17.gif

Take a look sweeties!

 

Tópico fervendo sem novas mensagens

Administração Elizabethtown de Cameron Crowe
Paginas1 2 3

Scarlet Rose

43Scarlet Rose38608.7306481482
Link to comment
Share on other sites

Ainda acho que Witherspoon vai concorrer como coadjuvante (como fizeram com Jennifer Connelly por Uma Mente Brilhante).

Charlize Theron até que tem chances, mas vai depender de seu desempenho nos festivais e nas premiações (associações de críticos, inclusive). No outro post, eu afirmei que sobrariam duas vagas para atriz (com Dench, Paltrow e Huffman quase garantidas) e Charlize até seria uma boa opção, mas terá a concorrência de pesos-pesado como Julianne Moore, Annette Bening ou até mesmo Joan Allen (que ainda está sendo lembrada), entre outras.

E aposto em outra "quase" certeza: Peter Sarsgaard para ator coadjuvante, por Jarhead.

Link to comment
Share on other sites

Ainda acho que Witherspoon vai concorrer como coadjuvante (como fizeram com Jennifer Connelly por Uma Mente Brilhante).

Charlize Theron até que tem chances' date=' mas vai depender de seu desempenho nos festivais e nas premiações (associações de críticos, inclusive). No outro post, eu afirmei que sobrariam duas vagas para atriz (com Dench, Paltrow e Huffman quase garantidas) e Charlize até seria uma boa opção, mas terá a concorrência de pesos-pesado como Julianne Moore, Annette Bening ou até mesmo Joan Allen (que ainda está sendo lembrada), entre outras.

E aposto em outra "quase" certeza: Peter Sarsgaard para ator coadjuvante, por Jarhead.

[/quote']

Ainda são tantas as promessas para Melhor Atriz, que por a crítica ter ficado dividida com PROOF, não acredito que Paltrow irá se manter. Judi Dench e Felicity Huffman são quase certas...

Do mais, é provável que Witherspoon seja indicada como coadjuvante, mas o estúdio está promovendo-a a principal. Quem sabe visando o Globo de Ouro de atriz (com-mus)... Não sei!!!

Mas se for indicada como coadjuvante, suas chances não serão maiores. Mas pouco importa. Para uma atriz tão jovem, uma indicação digna já é muito a sua carreira!!!

Ronny38608.9502199074
Link to comment
Share on other sites

Ainda são tantas as promessas para Melhor Atriz' date=' que por a crítica ter ficado dividida com PROOF, não acredito que Paltrow irá se manter.

[/quote']

Realmente Proof dividiu os críticos... mas eles afirmaram que Paltrow é o ponto forte do filme, o que já é muita coisa.

Link to comment
Share on other sites

Hoje revi o trailer de BEE SEASON. O filme promete ser bem delicado, embora o roteiro tenha me parecido bem piegas. O que deve salvá-lo são a direção e os atores. Juliet Binoche parece fantástica e Richard Gere promete estar em seu melhor desempenho (que não se tome CHICAGO como referência, filme em que o galã está um total constrangimento).

Enfim, senti dignidade e verdade no trailer. Os atores mirins (adolescentes) também parecem ótimos.

O filme vem sendo elogiado em Toronto. Espero que seja bem emotivo!!

"O.bS": O ator que faz o filho mais velho do casal, Max Minghella, é filho do diretor Anthony Minghella (COLD MOUNTAIN). Quando o vi em cena, lembrei logo de sua fisionomia num programa que passou em homenagem a seu pai no telecine!

o rapaz parece ser competente!!!

 

Ronny38609.0165277778
Link to comment
Share on other sites

E a Fox Searchlight comprou, por u$ 7 milhões, o filme TRUST THE MAN, hoje em Toronto.

Na trama, a rotina de dois soldados em New York pós-11 de setembro de 2001 (David Duchoviny (?) e Billy Crudup).

Mas é o elenco feminino que chama a atenção: Julianne Moore, Maggie Gyllenhaal e Ellen Barkin...

Link to comment
Share on other sites

David Cronenberg mira a violência americana em "Marcas da Violência "

Por Cameron French<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

TORONTO (Reuters) - O cineasta David Cronenberg, famoso por seus filmes de arte assustadores como "A Mosca", "Gêmeos -- Mórbida Semelhança" e "Mistérios e Paixões", encara um tema mais convencional em seu trabalho mais recente, mergulhando no interior dos Estados Unidos em "Marcas da Violência " ("A History of Violence").

Mas o diretor nascido no Canadá, que acompanhou a estréia norte-americana de seu filme no Festival Internacional de Cinema de Toronto, não recebe bem a sugestão de que possa estar aderindo ao cinema comercial.

Para ele, os aspectos convencionais de "Marcas da Violência " não passam de uma tela conveniente para uma visão de perto da violência e da identidade. O objetivo é exercer sobre o público o mesmo impacto perturbador das cabeças que explodem, dos insetos gigantes que cospem ácido e dos viciados em sexo e batidas de automóveis de seus trabalhos anteriores.

Desta vez, em lugar de focalizar sangue e personagens bizarros, o diretor recorre à violência direta e ao timing dramático para subverter as expectativas do espectador.

"Não é um filme politicamente correto", disse Cronenberg. "Há humor na violência, humor no sexo, humor em momentos realmente chocantes", acrescentou o diretor de 62 anos, enquanto tomava uma xícara de chá para acalmar uma dor de garganta persistente.

"Marcas da Violência " vem sendo recebido com aplausos pela crítica e espanto e choque pelo público. O filme conta a história do dono de um restaurante numa cidade do interior que se vê forçado a tomar ações brutais para impedir uma tentativa de assalto.

Cronenberg contou com um orçamento de 32 milhões de dólares, o maior que já teve. Mas não chega a ser magnífico, em se tratando de uma indústria que regularmente produz filmes de 100 milhões de dólares ou mais.

O filme é estrelado por Viggo Mortensen -- visto mais recentemente como Aragorn na trilogia "O Senhor dos Anéis" -- no papel de Tom Stall, um marido e pai de família que se vê numa situação de ter que matar ou morrer.

Seus atos o transformam em herói em sua cidade. Ele atrai a atenção de um mafioso de Chicago (Ed Harris), que o acusa de ser outra pessoa: o bandido que furou seu olho.

"Para mim, não se trata de território novo. O que é diferente é que os personagens deste filme não são o tipo com o qual costumo trabalhar. Geralmente parto de personagens muito excêntricos, muito extremos, muito obcecados, pessoas marginalizadas da sociedade", comentou Cronenberg.

"Este filme é o inverso de tudo isso. Estamos partindo de personagens muito familiares. Eu levo você para dentro do filme e então o conduzo para um lugar estranho e escuro para onde você não imaginava ir."

Link to comment
Share on other sites

13/09/2005 - 14h18
Charlize Theron e Gwyneth Paltrow mostram atuações dignas de Oscar em Toronto

reuters.gif

<>

makePhoto(document.GetFoto.GetInfo.value);

makeBox();

BBhide();

 

x.gif

Por Ka Yan Ng

TORONTO (Reuters) - As belas e glamourosas atrizes premiadas com o Oscar Charlize Theron e Gwyneth Paltrow surgiram no Festival Internacional de Cinema de Toronto na segunda-feira em papéis decididamente não glamourosos, promovendo o tipo de drama que tradicionalmente agrada aos eleitores do Oscar.

Theron está apostando em "North Country", filme dirigido pela neozelandesa Niki Caro, que em 2002 se destacou com o sucesso inesperado "Encantadora de Baleias". O filme é baseado na história do primeiro processo bem-sucedido por assédio sexual nos Estados Unidos. Além de Charlize Theron, tem no elenco as também premiadas com o Oscar Frances McDormand e Sissy Spacek, além de Woody Harrelson.

Theron, que conquistou seu Oscar em 2003 com "Monster", faz uma mãe solteira que reúne suas colegas operárias para combater o assédio sexual do qual são vítimas em uma mineradora local.

Em coletiva de imprensa concedida em Toronto, ela disse que Hollywood enfatiza demais a beleza física e que a aparência de sua personagem nunca chegou a ser discutida com a diretora.

"Depois de 'Monster', quando comecei a falar da história de 'North Country' com algumas pessoas, algumas me disseram 'quer dizer que você vai fazer outro filme em que será feia'," disse a atriz.

"O que discutimos com Caro foi apenas a verdade sobre essa mulher e a vida que ela leva", contou a atriz. "De repente, quando você tem a resposta para o lado emocional da personagem, os elementos físicos surgem naturalmente."

Ex-modelo, Charlize Theron engordou 15 quilos e usou maquiagem pesada para o papel da prostituta e serial killer que representou em "Monster".

PALTROW LEMBROU MORTE DO PAI EM "PROOF"

Em "Proof", drama baseado numa peça que valeu a David Auburn o Prêmio Pulitzer, Gwyneth Paltrow representa uma mulher que enfrenta a fronteira tênue que divide a genialidade da loucura.

No filme, a atriz, que também fez o papel principal de "Proof" no teatro, em Londres, voltou a trabalhar com o diretor John Madden, que a dirigiu em "Shakespeare Apaixonado". "Shakespeare" recebeu 13 indicações ao Oscar em 1999 e levou sete estatuetas, incluindo a de melhor atriz para Paltrow.

Em "Proof", que vem tendo boa repercussão, seu personagem enfrenta a possibilidade de que tenha herdado a insanidade de seu pai, matemático brilhante, mas mentalmente instável.

Paltrow disse a jornalistas não ter certeza de se a morte de seu pai, o diretor e produtor Bruce Paltrow, em 2002, influiu sobre sua atuação. Ele morreu entre o final da temporada de "Proof" no teatro e o início das filmagens da versão cinematográfica.

"Acho que influiu, sim, de certa maneira", disse ela. "Eu não peguei minhas emoções da vida real e as transplantei para meu trabalho. Mas, é claro, estava percorrendo um caminho muito paralelo ao de Catherine, naquele ponto. Não sei se isso modificou minha atuação."

<>makeFooter();

Link to comment
Share on other sites

E está chegando a hora do ministério escolher!!!

->

Quanto a categoria de melhor ator' date=' a cada dia duvido mais numa indicação para o Phoenix. Mas se o filme se tornar uma febre em sua estréia...

[/quote']

Não duvide, o ator rcebeu louros pela crítica em Toronto, que apontam ele e Hoffman como os mais sérios candidatos ao Oscar! Wlk The Line foi muito bem recebido, e dizem que deixa a kilometros Ray!!!

FeCamargo38609.0230671296
Link to comment
Share on other sites

Noticia sobre filme que pode ser um dos candidatos ao Oscar de melhor filme estrangeiro

 

13/09/2005 - 15h08
Diretor bósnio encontra o inferno na intimidade familiar

reuters.gif

<>

makePhoto(document.GetFoto.GetInfo.value);

makeBox();

BBhide();

 

x.gif

TORONTO (Reuters) - O diretor bósnio premiado com o Oscar Danis Tanovic diz que não vai mais fazer filmes sobre guerra, mas isso não o impediu de pintar um retrato do inferno em seu trabalho mais recente. Afinal, de acordo com o filme, o inferno não está apenas na guerra -- existe também a vida familiar assombrada pelos fantasmas de tragédias passadas.

"L'Enfer" (Inferno), de Tanovic, fez sua estréia mundial no Festival Internacional de Cinema de Toronto na semana passada, marcando um novo passo numa carreira que começou no momento em que a guerra consumia a cidade de Sarajevo, na década de 1990.

Ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro em 2002 por "Terra de Ninguém", uma história que se passa na guerra da Bósnia, Tanovic desta vez fez um filme sobre três filhas e uma mãe cujas vidas foram devastadas por uma tragédia.

A origem do drama de Tanovic remete ao falecido cineasta polonês Krzysztof Kieslowski, cuja "Trilogia das Cores" examinou as questões da liberdade, igualdade e fraternidade, os valores da Revolução Francesa.

Kieslowski estava ligado ao chamado "cinema da ansiedade moral". Antes de morrer, em 1996, ele anunciou uma nova trilogia baseada no poemas de Dante Alighieri: "Heaven" (Paraíso), "Hell" (Inferno) e "Purgatory" (Purgatório).

Quando a idéia de completar o projeto de Kieslowski primeiro foi proposta a Tanovic, alguns anos atrás, o diretor bósnio não se interessou de imediato. "Desde que a idéia me foi apresentada, eu me casei, me tornei pai, e o tema começou a se mostrar para mim sob uma ótica diferente. Descobri novos centros de interesse", disse à Reuters o diretor bósnio, que hoje vive em Paris.

O roteiro foi escrito por Krzysztof Piesiewicz, colaborador de longa data de Kieslowski, alguém a quem Tanovic admirava quando era estudante.

"Heaven" foi filmado por outro diretor, e Tanovic diz que não quer fazer parte do último filme da trilogia, "Purgatory", sobre jornalistas que trabalham numa zona de guerra. O diretor bósnio diz que não quer mais fazer filmes de guerra.

Os personagens principais de "L'Enfer" são três irmãs que são representadas por Emmanuelle Beart, Karin Viard e Marie Gillain.

<>makeFooter();

Link to comment
Share on other sites

E a Fox Searchlight comprou' date=' por u$ 7 milhões, o filme TRUST THE MAN, hoje em Toronto.

Na trama, a rotina de dois soldados em New York pós-11 de setembro de 2001 (David Duchoviny (?) e Billy Crudup).

Mas é o elenco feminino que chama a atenção: Julianne Moore, Maggie Gyllenhaal e Ellen Barkin...

[/quote']

Parece promissor , pode ter chances na temporada .

Link to comment
Share on other sites

Segue a matéria da Reuters sobre a repercussão de Walk the Line em Toronto:

Joaquin Phoenix já brilhou em vários papéis coadjuvantes e foi indicado ao Oscar por seu trabalho em Gladiador. Em Walk The Line, finalmente assume o papel principal com uma atuação de alta categoria, digna de Oscar, na pele do legendário Johnny Cash.

O filme, que retrata o início da carreira do cantor country, estreou no Festival Internacional de Cinema de Toronto. "Eu não sabia muito sobre ele e não era grande fã da música country", disse Phoenix.

"Foi legal não ser cantor ou instrumentista e aos poucos descobrir como é tudo isso, em vez de já começar com uma idéia formada. Eu não sou do tipo de pessoa que canta no chuveiro, nem mesmo isso", disse Phoenix.

No entanto, ele conseguiu captar a voz profunda e os maneirismos de Johnny Cash, chegando a reproduzir sua risada rouca, além de cantar de maneira convincente clássicos como Ring of Fire e I Walk the Line.

Phoenix atribui a um professor de canto, que o ajudou a descobrir novos músculos em sua garganta, o fato de ter aprofundado sua voz, aproximando-a do célebre "rosnado" de Johnny Cash.

O filme, que vem sendo considerado o Ray deste ano, traz Reese Witherspoon no papel de June Carter, numa atuação espantosa, anos-luz de distância de suas performances mais conhecidas em papéis de loira sapeca.

O filme acompanha a trajetória de Johnny Cash desde sua juventude, filho de um lavrador meeiro no Arkansas, até as turnês com Elvis Presley e Jerry Lee Lewis e a queda na dependência de drogas. A direção e o roteiro são de James Mangold, que dirigiu Identidade e Garota, Interrompida.

Phoenix e Philip Seymour Hoffman - que se transformou no escritor Truman Capote no filme Capote - vêm sendo considerados prováveis candidatos a indicações ao Oscar.

Joaquin Phoenix conheceu Johnny Cash seis meses antes de o papel lhe ser proposto. Contou que assistir ao ícone musical e sua mulher cantando juntos em casa foi uma experiência memorável.

"Não foi uma apresentação - era apenas a família e eu. Dava para perceber que a ligação entre eles era uma coisa realmente poderosa", contou o ator.

A carreira de Johnny Cash abrangeu cinco décadas e inclui álbuns que viraram clássicos, como At Folsom Prison, de 1968. Ele morreu em 2003, pouco antes do início das filmagens de "Walk the Line" e quatro meses após a morte de sua mulher.

Link to comment
Share on other sites

Fe, como vc tem mais informações de buzz, queria q vc comentasse o buzz e as chances dos que eu vou mais torcer pra entrar:

Sandra Bullock, Kate (R & C) e Ed Haris (O Anjo da Morte) como coadjuvantes

Annette Bening Mrs. Harris como atriz

Johnny Depp Libertine ator

Casa de Areia filmes estrangeiro

Link to comment
Share on other sites

Repercussão das atuações de Paltrow e Theron em Toronto:

 

Charlize Theron e Gwyneth Paltrow mostram atuações dignas de Oscar em Toronto

reuters.gif

 

<>

makePhoto(document.GetFoto.GetInfo.value);

makeBox();

BBhide();

 

x.gif
Por Ka Yan Ng

TORONTO (Reuters) - As belas e glamourosas atrizes premiadas com o Oscar Charlize Theron e Gwyneth Paltrow surgiram no Festival Internacional de Cinema de Toronto na segunda-feira em papéis decididamente não glamourosos, promovendo o tipo de drama que tradicionalmente agrada aos eleitores do Oscar.

Theron está apostando em "North Country", filme dirigido pela neozelandesa Niki Caro, que em 2002 se destacou com o sucesso inesperado "Encantadora de Baleias". O filme é baseado na história do primeiro processo bem-sucedido por assédio sexual nos Estados Unidos. Além de Charlize Theron, tem no elenco as também premiadas com o Oscar Frances McDormand e Sissy Spacek, além de Woody Harrelson.

Theron, que conquistou seu Oscar em 2003 com "Monster", faz uma mãe solteira que reúne suas colegas operárias para combater o assédio sexual do qual são vítimas em uma mineradora local.

Em coletiva de imprensa concedida em Toronto, ela disse que Hollywood enfatiza demais a beleza física e que a aparência de sua personagem nunca chegou a ser discutida com a diretora.

"Depois de 'Monster', quando comecei a falar da história de 'North Country' com algumas pessoas, algumas me disseram 'quer dizer que você vai fazer outro filme em que será feia'," disse a atriz.

"O que discutimos com Caro foi apenas a verdade sobre essa mulher e a vida que ela leva", contou a atriz. "De repente, quando você tem a resposta para o lado emocional da personagem, os elementos físicos surgem naturalmente."

Ex-modelo, Charlize Theron engordou 15 quilos e usou maquiagem pesada para o papel da prostituta e serial killer que representou em "Monster".

PALTROW LEMBROU MORTE DO PAI EM "PROOF"

Em "Proof", drama baseado numa peça que valeu a David Auburn o Prêmio Pulitzer, Gwyneth Paltrow representa uma mulher que enfrenta a fronteira tênue que divide a genialidade da loucura.

No filme, a atriz, que também fez o papel principal de "Proof" no teatro, em Londres, voltou a trabalhar com o diretor John Madden, que a dirigiu em "Shakespeare Apaixonado". "Shakespeare" recebeu 13 indicações ao Oscar em 1999 e levou sete estatuetas, incluindo a de melhor atriz para Paltrow.

Em "Proof", que vem tendo boa repercussão, seu personagem enfrenta a possibilidade de que tenha herdado a insanidade de seu pai, matemático brilhante, mas mentalmente instável.

Paltrow disse a jornalistas não ter certeza de se a morte de seu pai, o diretor e produtor Bruce Paltrow, em 2002, influiu sobre sua atuação. Ele morreu entre o final da temporada de "Proof" no teatro e o início das filmagens da versão cinematográfica.

"Acho que influiu, sim, de certa maneira", disse ela. "Eu não peguei minhas emoções da vida real e as transplantei para meu trabalho. Mas, é claro, estava percorrendo um caminho muito paralelo ao de Catherine, naquele ponto. Não sei se isso modificou minha atuação."

<>makeFooter();

Link to comment
Share on other sites

Alguém acha q a Sandra pode ter chances?  Ou vai sofrer preconceito?

Olha que não parece impossível: Meryl Streep e Reese Witherspoon podem competir a Melhor Atriz. ELIZABETHTOWN e ROMANCE AND CIGARETTES não cumpriram o prometido (Susan Sarandon e Kate Winslet). CAPOTE e NORTH COUNTRY vieram a se confirmar como filme de um ator só (os protagonistas Phillip Seymour Hoffman e Charlize Theron).

Isso, aliado á força que o filme está retomando agora podem garantir indicação a Sandra.

Não perca suas esperanças, Guidon!!!

smiley36.gif

Ronny38609.0305092593
Link to comment
Share on other sites

13/09/2005 - 18h42

Filme biografia de Johnny Cash estréia em Toronto

reuters.gif

Por Amran Abocar

TORONTO (Reuters) - Joaquin Phoenix já brilhou em vários papéis coadjuvantes e foi indicado ao Oscar por seu trabalho em "Gladiador". Em "Walk The Line", finalmente assume o papel principal com uma atuação de alta categoria, digna de Oscar, na pele do legendário Johnny Cash. O filme, que retrata o início da carreira do cantor country, estreou no Festival Internacional de Cinema de Toronto.

"Eu não sabia muito sobre ele e não era grande fã da música country", disse Phoenix em entrevista concedida à Reuters na terça-feira. "Foi legal não ser cantor ou instrumentista e aos poucos descobrir como é tudo isso, em vez de já começar com uma idéia formada. Eu não sou do tipo de pessoa que canta no chuveiro, nem mesmo isso", disse Phoenix.

No entanto, ele conseguiu captar a voz profunda e os maneirismos de Johnny Cash, chegando a reproduzir sua risada rouca, além de cantar de maneira convincente clássicos como "Ring of Fire" e "I Walk the Line".

Phoenix atribui a um professor de canto, que o ajudou a descobrir novos músculos em sua garganta, o fato de ter aprofundado sua voz, aproximando-a do célebre "rosnado" de Johnny Cash.

O filme, que vem sendo considerado o "Ray" deste ano, traz Reese Witherspoon no papel de June Carter, numa atuação espantosa, anos-luz de distância de suas performances mais conhecidas em papéis de loira sapeca.

O filme acompanha a trajetória de Johnny Cash desde sua juventude, filho de um lavrador meeiro no Arkansas, até as turnês com Elvis Presley e Jerry Lee Lewis e a queda na dependência de drogas. A direção e o roteiro são de James Mangold, que dirigiu "Identidade" e "Garota, Interrompida".

Phoenix e Philip Seymour Hoffman -- que se transformou no escritor Truman Capote no filme "Capote" -- vêm sendo considerados prováveis candidatos a indicações ao Oscar.

Joaquin Phoenix conheceu Johnny Cash seis meses antes de o papel lhe ser proposto. Contou que assistir ao ícone musical e sua mulher cantando juntos em casa foi uma experiência memorável.

"Não foi uma apresentação -- era apenas a família e eu. Dava para perceber que a ligação entre eles era uma coisa realmente poderosa", contou o ator.

A carreira de Johnny Cash abrangeu cinco décadas e inclui álbuns que viraram clássicos, como "At Folsom Prison", de 1968. Ele morreu em 2003, pouco antes do início das filmagens de "Walk the Line" e quatro meses após a morte de sua mulher.

<>makeFooter();

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...