Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2006


Sync
 Share

Recommended Posts

Vou postar minhas previsões de Fim de Ano. Agora só em Janeiro!

MELHOR FILME:

O Segredo de Brokeback Mountain

Boa Noite e Boa Sorte

Walk The Line

Munique

Marcas da Violência

MELHOR DIRETOR:

Ang Lee - O Segredo de Brokeback Mountain

George Clooney - Boa Noite e Boa Sorte

Steven Spielberg - Munique

David Cronenberg - Marcas da Violência

Fernando Meirelles - O Jardineiro Fiel

MELHOR ATOR:

Heath Ledger - O Segredo de Brokeback Mountain

Philip Seymour Hoffman - Capote

Joaquin Phoenix - Walk The Line

Russell Crowe - Cinderella Man

David Starthairn - Boa Noite e Boa Sorte

MELHOR ATRIZ:

Reese Witherspoon - Walk The Line

Felicity Huffman - Transamerica

Judi Dench - Sra. Henderson Apresenta

Charlize Theron - Terra Fria

Joan Allen - A Outra Face da Raiva

MELHOR ATOR COADJUVANTE:

Paul Giamatti - Cinderella Man

Jake Gyllenhaal - O Segredo de Brokeback Mountain

George Clooney - Syriana

Matt Dillon - Crash

William Hurt - Marcas da Violência

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:

Rachel Weisz - O Jardineiro Fiel

Michelle Williams - O Segredo de Brokeback Mountain

Maria Bello - Marcas da Violência

Frances McDormand - Terra Fria

Catherine Keener - Capote

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL:

Boa Noite e Boa Sorte

Crash

A Lula e a Baleia

Match Point

Hustle and Flow

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO:

O Segredo de Brokeback Mountain

Capote

Munique

O Jardineiro Fiel

Marcas da Violência

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE:

Memorias de uma Geuixa

King Kong

Boa Noite e Boa Sorte

Cinderella Man

Orgulho e Preconceito

MELHOR FOTOGRAFIA:

O Segredo de Brokeback Mountain

Munique

Boa Noite e Boa Sorte

O Jardineiro Fiel

Memorias de uma Gueixa

MELHOR FIGURINO:

Memorias de uma Gueixa

Walk The Line

Orgulho e Preconceito

Sra. Henderson Apresenta

Cinderella Man

MELHOR MONTAGEM:

O Segredo de Brokeback Mountain

Munique

Boa Noite e Boa Sorte

King Kong

Walk The Line

MELHOR SOM:

King Kong

Walk The Line

Guerra dos Mundos

Munique

As Cronicas de Nárnia

MELHOR EFITOS SONOROS:

King Kong

Guerra dos Mundos

Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith

MELHOR EFEITOS ESPECIAIS:

Guerra dos Mundos

King Kong

Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith

MELHOR MAQUIAGEM:

Memorias de uma Gueixa

As Cronicas de Nárnia

King Kong

MELHOR TRILHA-SONORA:

Gustavo Santaollala (O Segredo de Brokeback Mountain)

John Williams (Memorias de Uma Gueixa)

Thomas Newman (Cinderella Man)

Alexander Desplat (Syriana)

John Williams (Munique)

MELHOR CANÇÃO:

Transamérica

Os Produtores

Crash

Hustle and Flow

A Noiva Cadáver

 

Link to comment
Share on other sites

Brokebackmoutain perde a liderança para Marcas da Violência, no ranking dos críticos.

Com 184 listas computando (é pouco ainda) veja como esta a lista:

 

R

TITLE

L

#1

01

A HISTORY OF VIOLENCE

98

21

02

BROKEBACK MOUNTAIN

76

14

03

THE SQUID AND THE WHALE

64

6

04

CAPOTE

62

5

05

GOOD NIGHT, AND GOOD LUCK.

60

2

06

GRIZZLY MAN

55

4

07

2046

50

12

08

CACHÉ

45

5

09

KING KONG

44

6

10

KINGS AND QUEEN

42

7

11

THE WORLD

36

6

12

TROPICAL MALADY

36

2

13

MUNICH

33

5

14

SYRIANA

31

2

15

THE CONSTANT GARDENER

31

-

16

THE HOLY GIRL

30

-

17

LAST DAYS

29

4

18

CRASH

29

3

19

HEAD-ON

28

3

20

MYSTERIOUS SKIN

27

3

21

NOBODY KNOWS

26

1

22

WALLACE & GROMIT: THE CURSE OF THE WERE-RABBIT

25

1

23

MATCH POINT

24

2

24

THE NEW WORLD

22

4

25

ME AND YOU AND EVERYONE WE KNOW

22

-
Link to comment
Share on other sites

Melhores filmes do ano , segundo a revista  Premiere   :<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

TOP 10 FILMS OF 2005 (in alphabetical order) by Glenn Kenny, Premiere :

- 2046
- Brokeback Mountain
- Broken Flowers
- Grizzly Man
- A History of Violence
- Howl's Moving Castle
- Me and You and Everyone We Know
- Mysterious Skin
- The Squid and the Whale
- Wallace & Gromit: The Curse of the Were-Rabbit

Fernando38712.97
Link to comment
Share on other sites

Melhores atuações do ano , segundo a mesma revista  :

<?:NAMESPACE PREFIX = O />

 

- JOAQUIN PHOENIX, Walk the Line
- GONG LI, Memoirs of a Geisha
- CLAIRE DANES, Shopgirl
- JAKE GYLLENHAAL, Brokeback Mountain
- CHARLIZE THERON, North Country
- ERIC BANA, Munich
- DIANE KEATON, The Family Stone
- DAVID STRATHAIRN, Good Night and Good Luck
- MARIA BELLO, A History of Violence
- PHILIP SEYMOUR HOFFMAN, Capote
- RACHEL WEISZ, The Constant Gardener
- GWYNETH PALTROW, Proof
- HEATH LEDGER, Brokeback Mountain
- GEORGE CLOONEY, Syriana
- REESE WITHERSPOON, Walk the Line
- VIGGO MORTENSEN, A History of Violence
- KEIRA KNIGHTLEY, Pride & Prejudice
- RALPH FIENNES, The Constant Gardener
- FELICITY HUFFMAN, Transamerica
- JOAN ALLEN, The Upside of Anger
- JEFF DANIELS, The Squid and the Whale
- TERRENCE HOWARD, Hustle & Flow
- CILLIAN MURPHY, Breakfast On Pluto
- JUDI DENCH, Mrs. Henderson Presents

Link to comment
Share on other sites

Só sei de uma coisa: o crescimento do buzz de Marcas da Violência é espantoso. Some-se a isso a campanha feita pelo estúdio e pelo próprio David Cronenberg, o que, para um diretor off como ele, é bem atípico. Concluo afirmando que o filme em questão já contou com um acontecimento pra lá de inesperado: a nominação para o Globo de Ouro. Esta premiação é tão comercial quanto o Oscar, o que já denota um prelúdio para o que virá. Críticos são igonorados, mas não suas unanimidades - Marcas e Brokeback.

Abração.

Link to comment
Share on other sites

Artigo sobre Macleine divulgado pela agência Reuters:

Shirley MacLaine volta ao estrelato aos 71 anos

 

Gerações de protagonistas ingênuas e atrizes peculiares vieram e se foram desde que Shirley MacLaine estreou no cinema aos 21 anos, em O Terceiro Tiro, de Alfred Hitchcock. Cinquenta anos depois, aos 71, MacLaine teve um daqueles anos de retorno aos holofotes em que tudo dá certo.

A ruivinha roubou a cena no Premiere Women in Hollywood, em setembro, ao lado de Reese Witherspoon, Charlize Theron e Rachel Weisz, quando elas insistiram em homenageá-la. Também roubou Em Seu Lugar, dirigido por Curtis Hanson e com Cameron Diaz e Toni Collette no elenco - em um papel que poderá lhe render seu segundo Oscar.

E brilha ainda em Rumour Has It, de Rob Reiner, com Jannifer Aniston e Kevin Costner.

Ela aproveita cada minuto disso. "Meryl (Streep) não pode envelhecer mais", disse a atriz, com um sorriso maroto. "Se ela decidir fazer 65 anos, eu não vou ser a primeira opção para os roteiros."

A volta à telona veio depois de um período de baixa para MacLaine. Ela tinha grandes esperanças para O Entardecer de uma Estrela (1996), a sequência de Laços de Ternura, mas o filme foi um fracasso, assim como o drama familiar Bruno, sua estréia na direção.

Depois de fazer uma série de filmes para a TV, seu retorno ao cinema começou com o pequeno papel de Endora em A Feiticeira, de Nora Ephron, contracenando com Nicole Kidman e Michael Caine. "Eu sonhava em interpretar Endora", contou.

Em 2006, ela estará num filme de Richard Attenborough, Closing the Ring, sobre uma "mulher que volta à Irlanda para descobrir o que aconteceu a seu antigo amor, perdido durante a Segunda Guerra". "Dickie queria fazer esse filme há um bom tempo e me procurou há três anos, muito antes disso tudo acontecer comigo."

MacLaine também se imagina voltando aos palcos da Broadway num show solo. "Tenho uma imagem na cabeça", afirmou.

Mas as exigências para isso seriam enormes. "Você não tem idéia do que é fazer isso oito vezes por semana", observou. "Você não tem outra vida. Tem de estar em ótima forma física, mental e psicológica."

Por enquanto, a autora de livros de não-ficção está terminando seu 12o. trabalho, Staging, Not Aging. Ela não faz ficção porque, como ela mesma diz "minha vida é ficção".
 

Reuters
Link to comment
Share on other sites

logo_nytimes.gif
25/12/2005
Caubóis apaixonados e ursos famintos sob o céu
Veja lista dos dez melhores filmes produzidos em 2005

Stephen Holden
Crítico de cinema do NYT


Ansiedade que se transforma em medo e medo que se transforma em paranóia; o passado esmurrando a porta do presente como um fantasma vingativo: enquanto profecias calamitosas vazavam para os filmes em 2005, às vezes parecia que os furacões que arrasaram a Costa do Golfo e a Flórida tivessem rasgado o telhado que separa o cinema da realidade, deixando entrar uma chuva ácida.

Uma parábola sobrecarregada sobre a era do roubo de identidades, "Marcas da Violência", perfurou o sonho americano da auto-reinvenção, sugerindo que um passado de vício inevitavelmente persegue o tranqüilo presente. Em "Caché", a história colonialista de uma cultura se ergue para assombrá-la como um pesadelo de culpa do qual é impossível despertar.

"Munique" enfoca a interminável cadeia de vingança no Oriente Médio. "Syriana" e "O Jardineiro Fiel" imaginam redes corruptas mundiais de conivência entre empresas e governos. "Boa Noite e Boa Sorte" e "Crash" examinam a paranóia política e racial na vida americana. Até histórias pessoais como "Brokeback Mountain" e "Junebug" são entremeadas de segredo, medo e xenofobia.

Abaixo estão meus dez melhores filmes de 2005 e dez segundos colocados (em ordem alfabética pelo título original).

"Brokeback Mountain"

A fiel adaptação por Ang Lee da história de Annie Proulx sobre dois peões de fazenda (Heath Ledger e Jake Gyllenhaal) que se apaixonam enquanto pastoreiam carneiros no verão nas altas planícies do Wyoming é um marco cinematográfico que expõe o subtexto homoerótico em diversos filmes de caubóis e de companheiros. Lindamente escrito (por Larry McMurtry e Diana Ossana), visualmente majestoso, discreto e comovente, ele evoca o mesmo frio solitário alojado na alma do vasto interior que inspirou o clássico "A Última Sessão de Cinema". O retrato feito por Ledger do taciturno e atormentado Ennis Del Mar, que se casa e tem duas filhas enquanto mantém um caso homossexual secreto, é o tipo de atuação devastadora que James Dean poderia ter oferecido se tivesse vivido o suficiente.

"Caché"

No drama gélido de Michael Haneke, com um suspense quase intolerável, o conforto privilegiado de um apresentador de televisão de Paris (Daniel Auteuil) e sua mulher (Juliette Binoche), uma editora de livros, é destruído quando o casal, que tem um filho de 12 anos, começa a receber fitas de vigilância anônimas de sua casa, seguidas de desenhos de uma criança ensangüentada. A tentativa desesperada do marido de localizar o algoz leva à revelação de um vergonhoso segredo de família ligado à guerra franco-argelina, décadas atrás. Haneke, um cineasta australiano que trabalha na França, é um cirurgião cultural impiedoso que gosta de operar sem anestesia enquanto descobre os temores mais obscuros de uma sociedade burguesa complacente.

"Nine Lives"

A série de vinhetas de Rodrigo Garcia gira em torno de nove mulheres com uma riqueza e uma sutileza dignas de Chekhov. Embora algumas das histórias sejam interligadas e outras não, coletivamente elas formam uma abrangente contemplação da vida moderna e sua complexidade. Amor, casamento, paternidade, doença, morte e memória são evocadas em contos que se desenrolam em tempo real, sem o fecho narrativo convencional. A atuação de um elenco que inclui Robin Wright Penn, Sissy Spacek, Holly Hunter, Glenn Close e Kathy Baker é extraordinária.

"Nine Lives - Fugindo do Passado", que entrou e saiu de cartaz sem chamar atenção, é uma obra-prima triste e silenciosa à espera de ser descoberta em DVD.

"Marcas da Violência"

O diretor canadense David Cronenberg tem uma compreensão assustadora de onde o terror se mistura ao desejo, a violência à catarse, e uma visão canadense dos EUA como um lugar onde a violência é uma infecção geneticamente semeada na cultura e passada de geração a geração. Aqui ele insere essa idéia em uma viagem cinematográfica emocionante que testa a cumplicidade do público.

Viggo Mortensen é o dono de um pequeno restaurante que vive com a família em uma cidade perfeita de Indiana, cuja placidez é perturbada quando bandidos ameaçadores da cidade grande, convencidos de que ele é um gângster da Filadélfia que os traiu anos antes, percorrem a cidade num grande carro preto. Ele foi em outra vida o assassino que eles afirmam reconhecer? Ou é um caso de identidade trocada?

"Grizzly Man"

O retrato documental feito por Werner Herzog de Timothy Treadwell, que passou 13 anos vivendo com ursos no Alasca, onde se tornou seu protetor, é uma visão dura da desconexão entre a vida humana e o mundo natural.

Treadwell, um ator fracassado, tornou-se cada vez mais messiânico enquanto vivia na natureza, onde deu aos animais nomes de mascotes e se imaginou seu amigo, até que ele e sua namorada foram atacados e comidos por um urso. A maior parte do filme consiste em filmes feitos pelo próprio Treadwell mostrando a si mesmo com as feras. O documentário é um antídoto prático para "A Marcha dos Pingüins", o documentário antropomórfico sentimental que se tornou o maior sucesso-surpresa da temporada.

"A Queda"

O épico de Oliver Hirschbiegel sobre os últimos dias de Hitler no bunker em Berlim onde ele se suicidou é um dos filmes de guerra mais poderosos já feitos. Baseado no livro de Joachim Fest e nas memórias da secretária de Hitler, Traudl Junge, o filme parece autêntico, desde as terríveis cenas de batalha (filmadas nas ruas de São Petersburgo, Rússia) até o retrato do ditador iludido e furioso.

O surpreendente retrato de Hitler feito por Bruno Ganz é grandioso, paranóico e abjeto, um monstro, mas reconhecidamente humano. A força de seu desempenho se equipara ao de Corinna Harfouch como Magda Goebbels, que envenena os próprios filhos para que não tenham de crescer num mundo sem nazismo.

"Look at Me"

O filme da diretora francesa Agnes Jaoui capta o mundo narcisista, carreirista e sicofanta da "intelligentsia" parisiense, embora pudesse igualmente ser os salões de Nova York. Jean-Pierre Bacri é um autor famoso, casado pela segunda vez, que é egocêntrico demais para se importar com sua filha de 20 anos, gorda e solitária, Lolita (Marilou Berry), que busca desesperadamente sua aprovação. Alternadamente pungente e ácida, a comédia de maneiras urbana e contemporânea é uma observação perfeita.

"Junebug"

Uma sofisticada comerciante de arte de Chicago (Embeth Davidtz), recém-casada com um garoto de ouro do sul (Alessandro Nivola) que fugiu das garras da família, volta com ele para visitar sua família de hábitos religiosos no interior da Carolina do Norte e tem uma recepção polida mas desconfiada.

A rivalidade entre irmãos, a possessividade materna e uma mentalidade de clã sufocante tornam tenso o confronto entre a América cosmopolita e a provinciana, em uma casa onde reinam os valores familiares. Amy Adams, como a cunhada infantil da marchande, faz um retrato incandescente do único membro da família com um coração realmente aberto.

"Saraband"

Na seqüência da obra-prima de Ingmar Bergman, "Cenas de um Casamento", o conflituoso casal Marianne (Liv Ullmann) e Johan (Erland Josephson) se encontra 30 anos depois quando ela impulsivamente visita a casa de verão dele no meio da floresta. Ali ela presencia uma brutal disputa de poder entre Johan e seu filho fracassado, Henrik, pelo controle da filha de Henrik, uma bela e talentosa violoncelista. Ullmann e Josephson estão magníficos como sempre. A visão freudiana de Bergman, de um frio nórdico e assustador, não mudou nada.

"A Lula e a Baleia"

O divórcio no estilo do Brooklyn dos anos 80 é o tema do filme de Noah Baumbach, uma observação aguda e semi-autobiográfica da explosão do casamento entre um escritor e professor egoísta (Jeff Daniels) e sua mulher (Laura Linney), uma escritora aspirante cuja carreira está florescendo. Presenciada por seu filho de 16 anos, inteligente e conturbado, o mais velho de dois meninos, a dinâmica emocional da família é tão agressiva que faz as brigas domésticas de Woody Allen parecerem brincadeira.

SEGUNDOS LUGARES:

"De Tanto Bater o Meu Coração Parou", "Capote", "O Jardineiro Fiel", "Crash", "Boa Noite e Boa Sorte", "The Intruder", "Munique", "Mistérios da Carne", "Syriana", "Los Tres Entierros de Melquiades Estrada". Fernando38713.7547106482
Link to comment
Share on other sites

achei um pouco de exagero qdo afirmam que Shirlei Maclaine pode levar seu segundo Oscar. Acredito que esta possibilidade é bem remota. Qual é a opinião de vcs?

As chances de McLaine são quase nulas, acho, e isso se ela for indicada. O Oscar de coadjuvante este ano está entre Michelle Williams e Rachel Weisz, com Maria Bello correndo por fora, se ela for classificada como coadjuvante. Sem falar de Katherine Keener, que fez tudo quanto é filme esse ano e deverá ser lembrada por Capote.

Quem fecha a lista? Podem me chamar de doido à vontade, mas  Thandie Newton (Crash) sempre me vem à mente... Frances McDormand está num filme que foi recebido com muita frieza, e o mesmo se aplica a Diane Keaton (The Family Stone). É Newton ou Scarlett Johansson, por Match Point.

Mas creio que fica mesmo entre Weisz e Williams, com uma ligeira vantagem pra primeira (tem muito mais tempo de cinema do que a segunda).

Link to comment
Share on other sites

Lista de Top 10 dos Críticos. Total de 206 críticos.

 

01

A HISTORY OF VIOLENCE

108

22

02

BROKEBACK MOUNTAIN

91

18

03

THE SQUID AND THE WHALE

74

7

04

CAPOTE

74

6

05

GOOD NIGHT, AND GOOD LUCK.

71

5

06

GRIZZLY MAN

59

4

07

2046

53

12

08

KING KONG

48

6

09

CACHÉ

47

5

10

KINGS AND QUEEN

43

7

11

MUNICH

43

6

12

THE CONSTANT GARDENER

39

-

13

CRASH

38

3

14

THE WORLD

36

6

15

TROPICAL MALADY

36

2

16

SYRIANA

33

2

17

LAST DAYS

32

4

18

MATCH POINT

30

2

19

THE HOLY GIRL

30

-

20

HEAD-ON

29

3
Link to comment
Share on other sites

"Memórias de Uma Gueixa"


Filme revela aos EUA um Oriente "higienizado"

SÉRGIO DÁVILA
ENVIADO ESPECIAL A NOVA YORK

"Memórias de uma Gueixa", o filme, é baseado em "Memórias de uma Gueixa", o best-seller, que sintetiza um dos aspectos mais perversos da hegemonia americana também na cultura: um escritor gringo "descobre" o universo fantástico e proibido que é o mundo das gueixas no Japão e resolve "revelá-lo" ao mundo. Sua "missão" é bem-sucedida: milhões de pares de olhos femininos se molham ao ler a versão japonesa da Cinderela.


Faltava chegar ao cinema. Não mais. Rob Marshall passou ainda um pouco mais de detergente na versão já "higienizada" de Arthur Golden, deixando a trama toda palatável para a família de gordinhos do Meio-Oeste poder comer pipoca à vontade e ainda sair da sala com o sentimento de que conheceu "o mundo". Não conheceu. Ou conheceu tanto quanto conhece os canais de Veneza ao visitar seu simulacro nos hotéis de Las Vegas.

Primeiro, pela escolha do elenco. Apesar de contar com um "dream team" do cinema chinês, Marshall não foi corajoso o suficiente para usar atrizes japonesas. Reuniu figuras já familiares do espectador médio dos EUA -Ziyi Zhang e Michelle Yeoh estrelaram o segundo filme em língua não-inglesa mais visto da história do país e o mais indicado ao Oscar, "O Tigre e o Dragão" (2000); Yeoh já foi "Bond Girl".


Chinesas (e uma malasiana que fez sua carreira em Hong Kong) interpretando gueixas são como argentinos no papel de brasileiros. Aos olhos do império, no entanto, somos todos "eles", divididos por grandes áreas compreensíveis: "Os Orientais"; "Os Latinos"... Segundo, pela falta de ousadia ao tratar de um tema polêmico, ausência já sentida no best-seller. Mas há três aspectos do filme que valem uma vista. A interpretação das atrizes, a cenografia e o figurino. Os dois últimos são impecáveis. Não se podia esperar menos de um diretor que, até agora, só mostrou qualidade na Broadway. (SD)

 

Memórias de uma Gueixa
Memoirs of a Gueisha 
Direção: Rob Marshall
Produção: EUA, 2005
Com: Ziyi Zhang , Michelle Yeoh , Gong Li 
Quando: estréia no Brasil em 3/2

Fernando38715.1073726852
Link to comment
Share on other sites

28/12/2005 - 17h43

<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

311 longas disputam uma vaga para o Oscar de melhor filme

<>

makePhoto(document.GetFoto.GetInfo.value);

makeBox();

BBhide();

 

 

<?:namespace prefix = v ns = "urn:schemas-microsoft-com:vml" />
LOS ANGELES, 28 dez (AFP) - Pelo menos 311 longas-metragens disputam uma indicação ao Oscar de melhor filme, prêmio que será entregue em cerimônia de gala a ser celebrada em março de 2006, anunciou nesta quarta-feira a Academia das Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

"É a primeira vez em 32 anos que mais de 300 filmes são indicados ao Oscar de Melhor Filme", destacou a Academia, em um comunicado.

O aumento é de 16,5% em relação ao ano passado e, segundo os organizadores, se deve fundamentalmente ao maior número de documentários que estrearam em 2005 (35 contra 15 em 2004).

Para poder concorrer ao Oscar de Melhor Filme, as fitas devem ter mais de 40 minutos de duração, ter formato de 35 ou 70 mm e terem sido exibidas pela primeira vez em Los Angeles entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2005, durante pelo menos sete dias seguidos.

As indicações ao Oscar, que reduzirão a lista de pretendentes ao Melhor Filme de 311 para cinco, serão anunciadas em 31 de janeiro. A cerimônia de entrega será celebrada em 5 de março no teatro Kodak de Hollywood, em Los Angeles.

Link to comment
Share on other sites

Putz , o pior é que isso não  deve estar longe de acontecer .... smiley36.gifNão com esses lixos óbvios , mas os estúdios tentam de tudo . Eu li uma vez que na campanha de 2002/2003 , as indicações dos estúdios tinham até Homem-Aranha e Casamento Grego para a categoria de melhor filme , assim como Tobey Maguire para melhor ator e Nia Vardalos para melhor atriz . Essa aí ainda conseguiu uma indicação para melhor roteiro original ...

 

Os estúdios tentam de tudo para promover os seus filmes , sem falar nos presentes oferecidos para os jornalistas estrangeiros do Globo de Ouro e os votantes de todas as categorias da AMPAS .<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Fernando38715.0426851852
Link to comment
Share on other sites

Crystal Says No to Ninth Oscars

 

 

12s.jpg

 

Eight-time Oscar host Billy Crystal

has turned down an offer to return as the presenter of the Academy

Awards in 2006. Crystal, an Oscars favorite, cited his busy work

schedule, which includes touring with his popular one-man show, 700 Sundays, for his decision. Chris Rock,

who hosted the show in March, has already announced he won't be

returning for the Kodak Theater event in 2006. The 78th Annual Academy

Awards are scheduled to take place on March 5. Other popular past hosts

in negotiations for the show include Whoopi Goldberg and Steve Martin.

 

Link to comment
Share on other sites

Melhor Filme:<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

O Segredo de Brokeback Mountain

Munique

Match Point

Johnny & June

Boa Noite e Boa Sorte

 

Melhor Direção:

O Segredo de Brokeback Mountain – Ang Lee

Munique – Steven Spielberg

Boa Noite e Boa Sorte – George Clonney

Match Point – Woody Allen

King Kong – Peter Jackson

 

Melhor Ator:

O Segredo de Brokeback Mountain – Heather Ledger

Johnny & June – Joaquin Phoenix

Capote – Philip Seymor Hoffman

A Luta Pela Esperança – Russel Crowe

Boa Noite e Boa Sorte – David Strartharin

 

Melhor Atriz:

Johnny & June – Resee Witherspoon

Transamérica – Felicity Huffman

Sra. Henderson Apresenta – Judi Dench

Mémorias de Uma Gueisha – Ziyi Zang

Terra Fria – Charlize Theron

 

Melhor Ator Coadjuvante:

Sra. Henderson Apresenta – Bob Hokins

A Luta Pela Esperança – Paul Giamatti

Syriana – George Clonney

Mémorias de Uma Gueisha – Ken Watanabe

O Segredo de Brokeback Mountain – Jake Gyllenhaal

 

Melhor Atriz Coadjuvante:

O Segredo de Brokeback Mountain – Michelle Willians

Mémorias de Uma Gueisha – Gong Li

Terra Fria – Frances McDormand

Macth Point – Scarlett Johansson

Tudo em Familia – Diane Keaton

 

Melhor Roteiro Original:

Crash – No Limite

Macth Point

Boa Noite e Boa Sorte

Tudo em Familia

Transamérica

 

Melhor Roteiro Adaptado:

O Segredo de Brokeback Mountain

Munique

Capote

Mémorias de Uma Gueisha

Johnny & June

 

Melhor Edição:

O Segredo de Brokeback Mountain

Munique

Match Point

Boa Noite e Boa Sorte

Jarhead

 

Melhor Fotografia:

King Kong

Jarhead

Boa Noite e Boa Sorte

O Segredo de Brokeback Mountain

Mémorias de Uma Gueisha

 

Melhor Som:

King Kong

Os Produtores

Johnny & June

As Cronicas de Narnia

Guerra dos Mundos

 

Melhor Direção de Arte:

Os Produtores

Mémorias de Uma Gueisha

As Cronicas de Narnia

King Kong

A Fantastica Fabrica de Chocolates

 

Melhor Figurino:

Mémorias de Uma Gueisha

Johnny & June

Sra. Henderson Apresenta

Orgulho e Preconceito

A Luta Pela Esperança

 

Melhor Maquiagem:

King Kong

Mémorias de Uma Gueisha

As Cronicas de Narnia

 

Melhor Efeitos Visuais:

King Kong

Star Wars 3

Guerra dos Mundos

 

Melhor Efeitos Sonoros:

King Kong

Star Wars 3

Guerra dos Mundos

 

Melhor Trilha Sonora:

As Cronicas de Narnia

O Segredo de Brokeback Mountain

Munique

A Luta Pela Esperança

Mémorias de Uma Gueisha

 

 

Link to comment
Share on other sites

Paris Hilton é cogitada para apresentar Oscar 2006

 

 

 

 

 

Depois

que Billy Crystal e Chris Rock decidiram não apresentar o Oscar 2006,

um dos cargos mais cobiçados e perigosos de Hollywood está a procura de

candidatos (as). Os apostadores se animaram com o mistério e há até

quem cogite o nome de Paris Hilton como anfitriã. Faltam pouco mais de

dois meses para que a Academia de Artes e Ciências de Hollywood vista

suas melhores roupas para a entrega, em 5 de março, da 78ª edição do

Oscar. Normalmente, a esta altura já se costuma saber quem será o

mestre de cerimônias.

 

 

 

O veterano produtor da festa, Gil Cates, diz que a procura vai

"realmente bem", mas continua sem divulgar um nome. O único fato são as

recusas de Crystal e Rock de repetir um dos trabalhos mais difíceis da

indústria cinematográfica.

 

 

 

Outros candidatos na lista são Whoopi Goldberg e Steve Martin, que

apresentaram a festa quatro e duas vezes, respectivamente. Robin

Williams, Jamie Foxx e Ellen Degeneres são outras sugestões, onde a

mais improvável de todas, para não dizer impossível, é Paris Hilton. A

possibilidade de que a neta do magnata do setor hoteleiro, conhecida

por sua escandalosa vida sexual e sua frenética atividade em todo tipo

de festa, apresente o Oscar pagará US$ 100 por cada dólar apostado caso

Paris seja escolhida.

 

 

A falta de um mestre de cerimônias também preocupa os meios de

comunicação. Na internet, cada blog aponta seu ator preferido, de Bette

Midler a Billy Bob Thorton, passando por Alan Rickman, William Shatner

ou um personagem gerado por computador.

 

 

Se Paris Hilton for a escolhida, podem anotar, colocaremos uma foto dela ao lado do logo do CCR por uma semana.

 

 

 

//fonte www.cinemacomrapadura.com.br

 

 

 

sem comentários!!!

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...