UA-130521384-1 Jump to content
Forum Cinema em Cena
Jorge Soto

Vingadores

Recommended Posts

avengers.jpg

O desafio de se fazer um filme sobre super-heróis é o mesmo de se fazer um filme sobre contos de fadas ou mitologia de qualquer espécie: tem-se duas opções básicas, e nenhuma das duas é muito fácil. Na opcão 1 leva-se a história absolutamente a sério; na opção 2 pisca-se o olho para a plateia, o tempo tempo, dividindo conosco o absurdo da situação.

Nenhuma opção é melhor do que a outra _ mas ambas são igualmente difíceis, cada qual apresentando um conjunto diferente de problemas. Levar muito a sério arrisca tornar tudo muito chato ou muito ridículo. Não levar a sério arrisca tornar tudo extemamente irritante.

Raro – e muito bom – é o filme que, levando a sério a premissa de gente que voa, atravessa tempo e espaço e é indestrutível, abre espaço para um humor cúmplice com a plateia.

Os Vingadores é um filme assim. A premissa , arriscadíssima, de juntar não um nem dois mas quatro super heróis é parte essencial de um projeto de longa duração da Marvel, iniciada com os filmes individuais de cada um. As permutações das aventuras de Thor, Homem de Ferro, Capitão América e Hulk, individualmente ou como Vingadores, foi cuidadosamente calibrada pelo time liderado pelo chefão da Marvel Studios, Kevin Feige para gerar o que o estúdio define como “uma franquia auto alimentada, em perpetuidade”.

O grande risco é o que se viu nos títulos individuais: o Homem de Ferro ganhou inteligentes interpretações assinadas por Jon Favreau mas os demais…. “irregular” seria um adjetivo cauteloso.

Felizmente os Vingadores ganharam um realizador que, como Favreau, sabe caminhar no arriscado gume entre seriedade e ironia. E por isso o filme é um delicioso exercício escapista, uma bem calibrada fantasia-pipoca que consegue, ao mesmo tempo, abraçar o cânon dos super-heróis, suas super-personalidades, seus super-antagonistas e super-aliados e rir com ela do absurdo de toda a situação.

Fanboys e girls conhecem bem os fundamentos da história: Loki, o irmão-problema de Thor (vivido com arrogância rockstar por Tom Hiddleston) roubou o Cubo Cósmico só para trazer seus amigos alienígenas monstruosos para a Terra e, com isso, dominar os humanos (em um de seus momentos mais geniais, Loki prega a submissão como modo de liberação e dá alfinetas especiais nos alemães, cuja imaginação mítica criou a Asgard de onde ele vem).

À frente de seu serviço ultra secreto, o Shield, Nick Fury (Samuel L.Jackson, sempre a pessoa certa) reune, em regime de urgência, uma tropa de super elite: Thor (Chris Hemsworth), Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Capitão América (Chris Evans) e Hulk (Mark Ruffalo), com o apoio da mega agente Natasha Romanoff/Viúva Negra (Scarlett Johansson) e seu parceiro Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) para deter a invasão.

Hulk.jpg

As grandes cenas de ação são convincentes e empolgantes, mas fiquei especialmente bem impressionada com o modo como Whedon soube tratar os super-heróis como personagens de verdade, com personalidades, problemas e desejos, que obviamente se chocam, em proporções épicas, uns com os outros.

Tony Stark/Homem de Ferro ganha as melhores falas (“o que é isso? Shakespeare no parque?”, ele diz quando encontra Thor pela primeira vez). mas gostei muito do modo como Whedon resolveu um dos personagens mais complicados do universo Marvel: Bruce Banner/ Hulk. Escolher Mark Ruffalo para o papel foi o primeiro acerto- Ruffalo tem a delicadeza e a complexidade necessárias para compor o perfil de um homem inteligente e sensível que carrega, literalmente dentro de si, uma arma de destruição em massa. Utilizar mocap para concretizar essa transformação foi o segundo acerto _ monstro e homem estão ligados entre si, completa e profundamente, e seu poder é, ao mesmo tempo, imenso e trágico.

Não tenho a menor dúvida de que Os Vingadores vai ser um enorme sucesso _ e, desta vez, mais que merecido.

Ana Maria Bahiana.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ué... nada mais justo. O cara vinha de incursões no cinema como Alien Ressurrection e Serenity e querem que seja recebido aos aplausos quando é anunciado que vai dirigir um projeto desses? Que bom que ele, ao que parece, fez um gol de placa. 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Podem voltar nas páginas onde ele foi anúnciado como diretor, fui o único q gostou da indicação e tinha plena confiança no trabalho dele... o cara me fez Buffy, firefly e toy story... não tinha q fazer merda... o/

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Ué... nada mais justo. O cara vinha de incursões no cinema como Alien Ressurrection e Serenity e querem que seja recebido aos aplausos quando é anunciado que vai dirigir um projeto desses? Que bom que ele' date=' ao que parece, fez um gol de placa. 

 

[/quote']

 

Não vi o filme, então não posso falar sobre méritos, mas Serenity parece ter tido uma aceitação bastante boa do público e da crítica. E em Alien Ressurrection, o Whedon nem era diretor, apenas roteirista. Antes de Os Vingadores, vejo ele muito mais como uma incógnita do que necessariamente como um diretor de quem se deve desconfiar.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Independente de quem fosse o diretor tinha uns que iriam criticar de qualquer forma. O argumento era o mesmo: não funciona vários heróis juntos em um mesmo filme. Pensamento que eu achava bem simplista, já que também nunca antes na história do cinema um filme foi tão incansavelmente planejado pra esse momento.

 

 

 

Mas como foi o Wheadon isso só se agravou. O outro argumento recorrente é que ele era principalmente diretor de séries. E aí inicia um preconceito contra séries em si. Dirigir séries e dirigir cinema são diferentes? Sim, SE a série tiver um foco diferente do próprio cinema. Um cara que dirige, por exemplo, Breaking Bad daquela forma, com aqueles planos, com aquele senso de ironia através de símbolos, com pleno domínio da semiótica, está muito capacitado sim a dirigir qualquer filme. E o Wheadon pelo que sei era espetacular quando se tratava de narrativa, do entretenimento incessante (o que, olha só, é o que parece fazer a diferença aí). Claro que se fosse considerado o diretor de Friends as desconfianças seriam mais justas, já que aí o formato é rigorosamente diferente. Aí seria sim o caso que ele pode ser bom em um tipo e não saber o que fazer em outro. O que não foi o caso aqui.

 

 

 

Choveu de comentários negativos por um bom tempo, e a grande maioria deles eram por preconceito puro e se negar a enxergar por uma perspectiva mais ampla. Era aquele pensamento engessado: "Filmes com vários heróis não funcionam, dirigir filmes é uma coisa, dirigir séries é outra". Então não, não acho justo as criticas antecipadas por motivos tão bobos e superficiais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Entrei no site do Midway Mall, shopping monstro daqui de Natal, e olha só a ficha do filme Vingadores como se encontra:

 

OS VINGADORES

Cartaz

Sinopse:

Quando

um inimigo inesperado surge ameaçando a segurança global, Nick Fury,

diretor da agência internacional de paz conhecido como SHIELD, recruta

uma equipe para livrar o mundo de uma possível destruição: Homem de

Ferro, Capitão América, Thor, Hulk, Gavião Arqueiro e Viúva Negra.

Duração: 136'

 

Censura: 12 anos

 

Gênero:Ação

 

Diretor: David Bowers

 

 

Elenco: Zachary Gordon, Devon Bostick, Steve Zahn, Rachel Harris, Peyton Lost

 

 

Pelo menos acertaram na sinopse.

E quem diabos é David Bowers? smiley36

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se bem que agência internacional de paz me fez imaginar Nick Fury com um black-power, correntão, boca de sino, fumando maconha e cantarolando Give Peace a Chance...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Serenity é ótimo.[/quote']

Exato, tanto a série como o filme, por isso achava que o cara tinha potencial.
 

 

eu fiquei com pé atras na convocacao dele... Serenity e Buffy eram projetos pequenos se comparado ao naipe do mega projeto ambicioso dos Vingadores, mas felizmente o cara fez um filme digno, de nerd pra nerd...smiley17 eu assumo q disse paginatras q se o cara fizesse uma especie de Quarteto Fantastico bem produzido ja tavano lucro..06

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, gurizada, como só assisto amanhã e vou passar o dia todo fora depois, então só volto aqui amanhã a noite. E pra não correr o risco de ler nada que me arrependa, estou deslogando do fórum até esse período. PQP, essa espera ta me matando.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Entrei no site do Midway Mall' date=' shopping monstro daqui de Natal, e olha só a ficha do filme Vingadores como se encontra:

 

OS VINGADORES

Cartaz

Sinopse:

Quando

um inimigo inesperado surge ameaçando a segurança global, Nick Fury,

diretor da agência internacional de paz conhecido como SHIELD, recruta

uma equipe para livrar o mundo de uma possível destruição: Homem de

Ferro, Capitão América, Thor, Hulk, Gavião Arqueiro e Viúva Negra.

Duração: 136'

 

Censura: 12 anos

 

Gênero:Ação

 

Diretor: David Bowers

 

 

Elenco: Zachary Gordon, Devon Bostick, Steve Zahn, Rachel Harris, Peyton Lost

 

 

Pelo menos acertaram na sinopse.

E quem diabos é David Bowers? smiley36

[/quote']

 

06 Pelo elenco e diretor, parece que confundiram Os Vingadores com Diário de Um Banana.

06

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tensor disse: Independente de quem fosse o diretor tinha uns que iriam criticar de qualquer forma. O argumento era o mesmo: não funciona vários heróis juntos em um mesmo filme. Pensamento que eu achava bem simplista, já que também nunca antes na história do cinema um filme foi tão incansavelmente planejado pra esse momento.

 

 

Ok, mas seria interessante lembrarmos de uma coisa fundamental e que fez a diferença aqui: Os personagens e seus respectivos universos já haviam sido todos introduzidos, fato que deixou o diretor liberado para tocar o terror sem medo de ser feliz. Todo diretor de filme de estreia de alguma franquia derivada de HQ diz que o primeiro filme é sempre um problema justamente por já trazer uma espécie de cláusula que o deixa, de certo modo, amarrado: a origem do herói em questão. Em Vingadores, Joss Whedon assumiu a batata já amassada, teve apenas de mexer o purê.

 

Imagine se Whedon tivesse de desenvolver cada personagem...



 
Rei do cuco2012-04-26 22:54:51

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas tu vai de encontro ao que eu disse, esse é um caso especial e deveria ser tratado assim. Filmes com muitos heróis não tinham dado certo até então (entre aspas, pq gosto muito de Watchmen, mas é uma pegada bem diferente), pq não foram planejados da forma que esse foi.

Share this post


Link to post
Share on other sites

   Watchman é bem diferente. Trata-se de uma Graphic Novel, possui início, meio e fim muito bem definidos, além de todos os personagens partilharem o mesmo universo.

 

   Mas, creio que vc tenha apontado a chave do negócio: planejamento. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×