Jump to content
Forum Cinema em Cena

Leleo

Members
  • Content Count

    124
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Leleo

  1. Agora que percebi... Fassy não foi indicado a melhor ator, tadinho.
  2. A lista do Oscar saiu... Best Picture “The Artist” Thomas Langmann, Producer “The Descendants” Jim Burke, Alexander Payne and Jim Taylor, Producers “Extremely Loud & Incredibly Close” Scott Rudin, Producer “The Help” Brunson Green, Chris Columbus and Michael Barnathan, Producers “Hugo” Graham King and Martin Scorsese, Producers “Midnight in Paris” Letty Aronson and Stephen Tenenbaum, Producers “Moneyball” Michael De Luca, Rachael Horovitz and Brad Pitt, Producers “The Tree of Life” Nominees to be determined “War Horse“ Steven Spielberg an
  3. O seriado da Dern é muito bom e a atuação dela é uma delícia. O texto da série é meio um auto-ajuda, mas super interessante.
  4. Eu também não tenho a regalia da tecla SAP. Na verdade estou num albergue no meio do nada no sul da França. Vou tentar ver por um daqueles sites de televisão. Se alguém souber de um link bonito como aquele do Critics Choice ficarei agradecido purdemais.
  5. Alguém sabe de outro canal além da TNT que vai transmitir o Globo de Ouro? A tradução simultânea deles é péssima, queria fugir dela este ano.
  6. Gostei mais da atuação da Viola no discurso que no The Help (não que não goste lá). Será que foi improvisado? Clooney ganha pelo charme.
  7. Viola Davis acaba de ganhar o Oscar não pela atuação em si mas por esse discurso!
  8. Que saudades do fórum e de vcs! Mudança de endereço, várias premiações e já 180 páginas ! O negócio está quente este ano. Um pitaco sobre o Rubens, já que muita gente deu. Meu primeiro livro de cinema foi dele, a primeira crítica que li tb foi dele, então nutro um certo afeto por esse velhinho de cabelos e barbas pintadas. Mas não o considero um crítico de cinema (pelo menos com Cs maiúsculos). Ele pode ser uma enciclopédia ambulante do cinema(principalmente dos filmes antigos), mas sua visão é cheia de preconceitos e de julgamentos de valores que não tem a ver com o cinem
  9. Ah tá! É porque fiquei sem saber se o pessoal estava traduzindo por conta própria ou se já havia sido decidido. Fico curioso, inclusive, pois quero saber se a mudança do artigo afeta em algo no título. Em Persa, o título seria "A separação de Nader e Simin". O mais coerente portanto seria que o artigo fosse definido.
  10. (Sei que é off topic, mas pra quem gosta de teatro e da Huppert pode interessar...) A montagem de Krzyztof Warlikowski (não me perguntem como pronuncia isso) faz uso de muitos "efeitos especiais", de captação da imagem em tempo real e projeção, cenário que se movimenta continuamente, enfim bem modernosa mesmo. E a trilha sonora é dominada pelo rock. A intenção dele era retratar o universo psicológico de Blanche. O ideia é super interessante. O texto da peça está quase todo lá, apesar dele ter incluído trechos de outros textos consagrados. No início eu tava esperando o jazz do Alex No
  11. Ronny, compartilho a mesma opinião que vc sobre Ryan (e sobre muitas coisas)... e vc a justifica muitíssimo bem. Só acho isto muito desnecessário: "Na boa? Voce é uma piada aqui e é uma piada no fórum do awardsdaily, onde frequentemente é ridicularizado por opinioes cretinas e gostos patéticos. Se acalma um pouco, mede um tantinho o que posta, porque ignorantes da tua estirpe só sonham, mas nao podem de fato alçar maiores vôos. Conversados? Passar bem." Só eu que achei isso pesado? É uma tamanha falta de respeito e de sensibilidade com o outro. Estamos n
  12. Albert Nobbs visto. Queria muito gostar. Mas não rolou. Não consegui me conectar com a história. Tudo me pareceu muito insípido, sem vida, por mais que o(a) protagonista seja fascinante. A fotografia, a direção de arte, o figurino são perfeitos. O elenco é muito bom, o filme não é só Glenn Close. Janet McTeer é muito oscarizável. Mia Wasikowska está tb excelente. Uma atriz, no entanto, me chamou muito a atenção e, ao que parece, não é mencionada por ninguém: Pauline Collins, que interpreta a dona da pensão onde trabalha Nobbs. Excelentíssima performance. Não conhecia a atriz, fui pesquisar
  13. Sou super gay por Fassy e Ryan Gosling (não tenho apelido para ele... ainda), sem qualquer constrangimento! Alíás gostar de Oscar, sempre foi uma tradição bem gay para começar! rs Viva la diversité! --------------------------- A Separação é um dos melhores filmes do ano! Que roteiro, que direção e que elenco!!! Fahardi tem um olhar tão sensível sobre as relações humanas, sobre o egoísmo, a falta de comunicação... Ao mesmo tempo é um filme tão violento quanto Tropa de Elite. Uma jóia do cinema iraniano. O filme deveria entrar em várias categorias se o mundo fosse justo. rs Melhor Filme E
  14. Dark, o filme é definitivamente pesado em muitos aspectos. Não é nem a questão do sexo ou das cenas mais ousadas, pq isso a gente vê em vários filmes... é uma violência psicológica, do "eu" aprisionado em sua compulsão... e o filme vai ficando gradualmente tenso. mas ao mesmo tempo há a elegância e a frieza do Steve McQueen que faz com que filme seja ao mesmo tempo melancólico e profundamente triste. As mulheres simplesmente amam Fassy. Elas e muitos homens também estavam em polvorosa por causa dele. Falam da voz, do corpo... enfim, por aqui ele é o ator do momento. Na sessão, no ent
  15. Dark, Super 8 fodassa? Não vimos o mesmo filme, com certeza... Ele traz uma boa aura de nostalgia sim, tem a fofíssima Elle Fanning, mas o filme é um pastiche meia boca dos filmes do Spielberg e das aventuras dos anos 80. O filme começa bem, depois se perde completamente e tem momentos constrangedores, como o final. ----------------- Shame visto. Não tive muito tempo de processar o filme. Tem algo no estilo do Steve McQueen que ao mesmo tempo me fascina e me distancia. Assim como em Hunger a gente percebe uma certa frieza, um apego aos detalhes, ao silêncio, um tom melancólico...
  16. Essa comparação entre Glenn Close e Meryl Streep é complicada. A meu ver, a primeira é subestimada, a segunda é superestimada. A primeira teve anos sem sequer um trabalho que chamasse a atenção no cinema. A segunda lança pelo menos um filme a cada ano, e quase sempre é indicada a alguma coisa por ele. É bom ver Close de novo em um bom projeto pq talento ali é que não falta, como seria bom ver outras atrizes mais velhas como Jane Fonda, Jessica Lange, Faye Dunaway voltarem com tudo. Meryl Streep ganhou um espaço e visibilidade insuperável na indústria americana, ela
  17. Caraca. Deve ser uma experiencia e tanto. smileys/16.gif" align="middle" /> Queria estar no seu lugar... Pois eh... estou em êxtase... porque eu amo a peça e o filme de 1951 com Vivien Leigh (cheguei a fazer vários trabalhos sobre ele) e adoro Isabelle Huppert desde que a vi pela primeira vez em "Professora de Piano" (deveria no mínimo ter concorrido ao Oscar, diga-se de passagem)! Vou também estar na pré-estreia de Shame aqui em Paris, dia 22, com a presença de Michael Fassbender e Steve McQueen. Beale, podexá que compartilharei as minhas im
  18. As aventuras de Tintim visto em sessão 3D em Paris! Grande filme de aventura! À la Indiana Jones. Direção primorosa de Spielberg... Ótimas sequências de ação, ótimas "performances" de Serkis e Craig e a trilha sonora de Williams também arrasa. Acho que é o favorito a Melhor animação... Também vi The Ides of March, do Cloney. O elenco talvez seja a melhor coisa do longa, apesar de as personagens de Marisa Tomei e Evan Rachel Wood serem super ingratas... Não me agradou o filme. Apesar de o assunto ser sempre relevante, o filme se revela o oposto. é um retrocesso para Clooney em comparaç
  19. Acabei de ver Drive! Filmaço. Para mim, tem chance de indicação em direção e, um pouco menos, em filme. Se a Academia ignorou Gosling por Lars... e por Blue Valentine, não deve ser por esse que eles vão indicá-lo. Mas ele está excelente para variar. Mulligan também não tem chances por esse, talvez por Shame. Do elenco, Albert Brooks é o que mais tem chance de indicação. Ótimas cenas. A trilha do filme é uma das melhores que ouço faz tempo. Uma delícia de escutar.
  20. Ou "como jogar pela janela uma estatueta certíssima". Se Viola era passível de coadjuvantismo (e todos dizem que era)' date=' bola fora da Sra. Disney. [/quote'] Viola Davis e Octavia Spencer (igualmente fantásticas) deveriam concorrer como coadjuvantes, ambas tem a mesma importância, aproximadamente o mesmo tempo de tela e nenhuma das duas é a protagonista da história. Talvez eles queiram evitar a concorrência direta entre as duas para a mesma categoria, mas acredito que elas poderiam entrar facilmente. A divisão de votos poderia ocorrer na hora de premiar uma delas e acabar nenhuma
  21. Se não me engano, Gordon-Levitt foi revelado na série Third rock from the sun, devia ter 10 ou 12 anos, nos anos 90. Esse prêmio de revelação é absurdo. Adorava a série (via a reprise na tv a cabo) e ele já era muito bom e tinha cenas bem difíceis de comédia com o fantástico John Lithgow. Gosto muito dele! Leleo2011-09-29 15:26:28
  22. Max Von Sidow ganhar o Oscar seria uma experência extra-corpórea p mim... É bom nem criar expectativas p não sofrer. E o impressionante é que já o achava velhinho em Pelle, o conquistador e ele continua mais ou menos igual décadas depois. Outra que amaria ver ganhando é Liv Ullman, mas nem sei se ela atua ainda.
×
×
  • Create New...