Jump to content
Forum Cinema em Cena

SergioB.

Members
  • Content Count

    4354
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    95

Everything posted by SergioB.

  1. É,ele fez cara de nojo. Se fosse imediatamente ao anúncio, eu até não iria me importar. Emoção não filtrada somente. Mas passaram-se muitos segundos depois...Pegou muito mal. Não entendi direito a estatueta de 2001, do cartaz, nem a do ano de Crash.
  2. Pera aí, auto lá, eu vou ter que readequar parcialmente o que eu escrevi. Só agora eu vi o vídeo completo da premiação de Atriz. Passaram-se bastantes bons segundos até a câmera focar na dupla "prateada". A cara de O`Russel foi sim de desdém. Pensei que a imagem fosse do momento imediato ao anúncio. Não foi, já dera tempo para ser cortês.
  3. Vamos colocar as coisas no lugar. Não é porque Riva está excepcional em "Amour" que Lawrence passou a ficar ruim em "Silver Linings Playbook". As reações de O`Russell e dela são absolutamente, humanamente, naturais. Nunca vi alguém ficar feliz na derrota, ainda mais quando havia a expectativa da vitória. Eticamente condenável seria se eles declarassem que a premiação da concorrente foi injusta, ou descabida. Não foi ocaso.
  4. E "Argo" vai levar apenas duas estatuetas?
  5. Mr. Scofield, isso se dá contigo em todos os musicais? Porque um dos melhores tem até sapateado no teto. Acho que tem de haver, como você falou bem, uma suspensão da descrença, para apreciar musicais.
  6. "Lincoln" é que nem a seleção brasileira. No papel, é excelente. Em campo, perde da Inglaterra, da França, do México, da Holanda... Já tá lá atrás no meu ranking de filmes do ano. Igual o Brasil no ranking da Fifa.
  7. O que é "Argo" perto de "Django"? Pó. O que é "Argo" perto de "Amour"? 1/3 do pó. E olha que eu não vi "Zerto Dark Thirty". É revoltante! Se "Argo" sobrepujar um gênio como Tony Kushner , em Roteiro Adaptado, será, como bem observou Nathaniel Rogers, por causa de um meme: "Argo Fuck yourself", uma fórmula que amarra tudo. E de pensar que o cinema já teve frases-símbolos como "Jamais sentirei fome novamente"...Para, Mundo, que eu quero descer!!!!
  8. Filme da noite: "Searching for Sugar man". MA-RA-VI-LHO-SO!!!! Não leiam nenhum release sobre esse documentário antes de vê-lo! Qualquer informação pode tirar a surpresa, o choque, a revelação. Construído como se fosse ficção, esse documentário mostra o quanto a arte vive dentro da gente. Emocionante!
  9. Continuando minha jornada para preencher o atraso cinematográfico, acabo de ver "Les Misérables" . Fico muito feliz de ver a Anne Hathaway ser reconhecida esse ano. Que cena fantástica! Ela já teria levado meu voto por "Rachel Getting Married", e agora, no mundo real, pelo voto real, vai levar um Oscar incontestável, coroando uma carreira de grandes sucessos comerciais e filmes arriscados. É a estrela que Hollywood precisa e sempre precisou. Gosto muito do Daniel Day-Lewis, mas, gente, pera lá, o Hugh Jackman faz tudo nesse filme: batiza, crisma, casa e encomenda! Justíssima indicação. Que bom
  10. O que dizer de "Beasts of the Southern Wild"? Menos que "Já vimos isso antes", né? Muito original, com frescor, diferente, estranho... Mas fiquei feliz de ver algo incomum, num cenário incomum, com um tema incomum, com um tratamento incomum. Gente criativa como esse diretor Benh Zeitlin não tem apego ao padrão, enquanto conservadores são intolerantes ao erro. Por ser "fora da caixa", eu gostei. Agora, convenhamos, "nem tanto ao mar, nem tanto à terra". Não me emocionei como prometiam desde Sundance, nem consigo defender com unhas e dentes nenhuma indicação das 4 que o filme levou. O que eu m
  11. Stradivarius, "Into the Wild" é meu filme favorito (não é o melhor que já vi, é pelo o que o filme evoca em mim)! Acho que ele foi roubado em muitas categorias naquele ano, notadamente Trilha Sonora, ridiculamente inelegível. A frase virou uma síntese do filme e talvez seja mais bonita em inglês. Eu a uso como assinatura porque há anos eu me recusava a participar de redes de relacionamento e ultimamente venho tentando me expor, tentando compartilhar ideias na rede, e tal (ainda que não tenha chegado ao Facebook). Não sei se você sabe mas o Cris da vida real passou 122 dias no Alasca, sozinho
  12. Visto "The Impossible". Como registro de uma tragédia histórica, é válido. Os efeitos são, inegavelmente, ótimos. O roteiro segue a história real de uma família, mas os diálogos não necessariamente precisavam ser tão pobres, tão cotidianos, tão realísticos no sentido desprezível do termo. Mas o maior problema do filme é , de fato, o etnocentrismo. Quando li essa palavra na crítica americana eu achei que fosse exagero, mas não é. Os tailandeses - e asiáticos , de uma maneira geral - fazem uma pequena "participação especial' no filme. Parece uma tragédia europeia. Só mostra a dor de suecos, it
  13. Eminisopu, obrigado pela correção! Acho esse caso de benfeito ou bem feito muito difícil de usar. Reconheço. Porque, por exemplo, eu usei o "bem" como adjetivo, e não como advérbio. Mas se você resolveu estrear neste espaço, neste seu primeiro post, em sua primeiríssima frase, corrigindo o português dos outros, você deve estar certo. É o tipo de detalhe linguístico que gente chata costuma ser especialista. Bem-vindo! Sobre o DGA, será a pal de cal? Acho que "Argo" infelizmente leva Melhor Filme. Não devemos ficar agarrados à obrigação monótona do passado. Do tipo, só porque algo costuma
  14. Peço desculpas pelo post duplo. Acabo de ver "Anna Karenina". TInha lido o livro no início de janeiro, então, toda a história estava bem fresca em minha memória. E o que posso dizer é que a adaptação de Tom Stoppard é muito benfeita (odeio esse acordo ortográfico), ágil, e ela conservou bem a história. O grande problema para quem leu o livro é que, curiosamente, o grande personagem dele não é a personagem-título, e sim, um homem!, o fazendeiro idealista, Liêvin. Esse é um dos grandes truques de Tolstói. Achamos que vamos ler apenas uma novela amorosa ( a histórica foi primeiramente destina
  15. Alguém comentou num foro americano que é legal ver a Jacki Weaver indicada, porque realmente é um papel coadjuvante. Não é um caso de fraude, nem é um caso de uma estrela da tv ou do cinema roubando cenas. Trata-se de chamar as coisas pelo seu nome.
  16. Acho "The Hurt Locker" soberbo, e "Avatar" dono de um roteiro infantil (já vimos aquela história com nomes diferentes: O último Samurai, Dança com Lobos,Mulan etc). A única coisa que eu acho bonita no filme do Cameron são as cenas dos personagens abrindo os olhos ( o despertar da consciência ambiental? Enfim, algo mais sutil). Mas só. A diretora de "Avenida Brasil", Amora Mautner, deve ficar satisfeita quando assistir a "Silver Linings Playbook", porque mostra mais uma família em que todos os integrantes estão em cena e falando muito, cortando, atravessando, uns aos outros. Não tem a marca
  17. Eu revi "Argo" e gostei ainda menos. A reboladinha da Jennifer Lawrence é inesquecível.
  18. Roteiros ainda estão bem nebulosos...
  19. João Pereira Coutinho lavou minha alma. Terminei de ler um livro da crítica americana Susan Sontag chamado "Diante da Dor dos outros". É seu último ensaio, de 2003, e nele há um dado impressionante: nos USA não existe um único museu da escravidão! Aliás, há poucos filmes sobre o tema também. Tarantino fez um trabalho brilhante. Expôs ao ridículo o pensamento americano liberal, por exemplo, gente que teve o trabalho de contar quantos "nigger" havia no filme (109). Queriam que os vilões os chamassem de "afrodescendentes", "afro-americanos"?? Poupem-me! Bigelow - cujo filme eu estou sal
  20. "Porra"; "Fudeu", "Gente", posts anteriores de vocês, fizeram parte da nuvem de palavras que me passou pela cabeça ontem à noite. "Argo" agora irá de "Grande Hotel" a "Conduzindo Miss Daisy", na cepa de vencedores. Como já disse, eu o acho melhor do que "Lincoln", seu rival mais visível, mas realmente não é o que eu esperava depois de um ano considerado promissor. Quando Robert DeNiro subiu ao palco, eu já sabia que a Lawrence venceria. Uma atuação cheia de vida, e ela está linda, linda, linda. Eu adoro o SAG! Desde o comecinho com a fórmula "Meu nome é ....Eu sou um ator" (o que m
  21. Meu ranking até agora: 1) Amour 2) Django e Life of Pi 3) Argo 4) Silver Linings Playbook ( Diálogos excelentes! Me animou a ler o livro - baratíssimo, por sinal) 5) Lincoln E acredito que ZDT vá lá pras cabeças....
  22. Põe o dedo aqui ^ quem também achou Argo melhor do que Lincoln...
  23. Quem vai definir, então, é o Sindicato dos Montadores, e não o dos Diretores? DGA vai pro Spilberg.
  24. Vou ter que ir pra balada sem saber quem ganhou o PGA! Entre um shot e outro, vou conferir as atualizações por aqui. Como diria Humphrey Bogart (3 indicações/ 1 Oscar): "A humanidade está três drinks atrasada".
×
×
  • Create New...