Jump to content
Forum Cinema em Cena

Possessão


Gustavo Oliveira
 Share

Recommended Posts

Este filme estreou em: 02 de Novembro de 2012

 

Sinopse: Uma jovem compra uma caixa antiga em um estaleiro, sem saber que dentro dela vive um espírito malicioso antigo. Os pais da menina se unem para lutar contra a maldição que a domina.

 

 

FICHA TÉCNICA

Diretor: Ole Bornedal

Elenco: Jeffrey Dean Morgan, Kyra Sedgwick, Madison Davenport, Natasha Calis, Agam Darshi, Grant Show, Matisyahy, Quinn Lord, Amanda Dyar, Rob LaBelle, John Cassini

Produção: Sam Raimi, Robert G. Tapert, J. R. Young

Roteiro: Juliet Snowden, Stiles White

Fotografia: Dan Laustsen

Trilha Sonora: Anton Sanko

Duração: 92 min.

Ano: 2012

País: EUA

Gênero: Terror

Cor: Colorido

Distribuidora: Paris Filmes

Estúdio: Ghost House Pictures / North Box Productions

Classificação: 14 anos

 

 

Diga o que achou sobre o terror! :)

Link to comment
Share on other sites

Para mim,

 

Será mesmo que os publicitários encarregados de divulgar “Possessão” (o título, por si só, já é o clichê dos clichês) acreditaram em algum momento que alguém levaria a sério o slogan que estampa a capa cujos dizeres enunciam “Baseado em Fatos Reais”? Bom, a partir daí já dá para ter uma noção clara das simples pretensões deste novo terror, que reformula à vontade clichês dos filmes do mesmo tema (exorcismo), imprimi um regular clima de tensão e convence razoavelmente.

 

Na trama, uma jovem (Em/ Natasha Calis) compra uma caixa antiga em um estaleiro, sem saber que dentro dela vive um espírito (judaico) malicioso antigo. Os pais da menina (recém-separados – subtrama totalmente desnecessária, por sinal) se unem para lutar contra a maldição que a domina.

 

Ao mesmo tempo em que as boas atuações contribuem muito para o filme (principalmente de Natasha Calis e Jeffrey Dean Morgan), a trilha sonora compromete o clima de tensão, pois os fortes acordes e os precipitados cortes diminuem o ritmo da narrativa, comprometendo, assim, o clima de tensão mediano apesar de os sustos serem inexistentes. Entretanto a direção, no geral, é competente, em especial nos momentos em que Ole Bornedal (diretor) faz uso de ágeis travellings e closes sempre na medida certa. A montagem das principais cenas também é extremamente habilidosa, e é a partir daí que sentimos a participação de Sam Raimi na produção, retornando ao gênero que o trouxe para o estrelato.

 

Abrindo com letreiros que dizem a mesma coisa do slogan (baseado em fatos...), “Possessão” aposta em uma narrativa simples, sem delongas e direta. Bom, e não poderia ser diferente, pois o roteiro de Juliet Snowden e Stiles White é o mais simplório possível. Nada que impeça, porém, que o terror possua bons momentos gerados principalmente – repito! – pelas ótimas atuações aliadas a uma eficaz maquiagem e efeitos visuais totalmente convincentes.

 

Todavia, é, no mínimo, decepcionante percebermos o caminho que o terror vai, aos poucos, tomando à medida que a narrativa se desenvolve. Afinal, quem não se lembra de um filme de exorcismo onde o pai da garota, desesperado, procura rapidamente ajuda e, surpreendentemente ou não, encontra padres-exorcistas sabichões dispostos a ajudar? E é curioso também que os artifícios usados no clímax dos filmes do tipo são sempre os mesmos (como, por exemplo, luzes apagando, olhos virando e tudo mais. E não que não seja “legal”, porém o problema é que já vimos tudo muitas vezes antes) [...].

 

O terceiro ato é enfadonho e insatisfatório (se preocupando mais em deixar portas abertas para uma possível e, decerto, catastrófica continuação do que encerrar de maneira minimamente convincente), destruindo o clima razoável do longa até então. Enfim, nada inovador e muito menos especial, “Possessão” resulta num mediano terror fácil de assistir e mais fácil ainda de esquecer, porém deixa claro que o gênero carece urgentemente de novidades.

 

OBS*: Fica difícil escolher o melhor entre os últimos e principais filmes de terror lançados em 2012. “A Entidade”, “Atividade Paranormal 4” ou “Possessão”? Bom, eu fico com este ultimo justamente por não ser tão ruim, embora seja igualmente esquecível e sem quaisquer pretensões além de faturar seus milhões.

 

Nota: 5 de 10.

 

 

Quem viu comenta ai também! ;)

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...