Jump to content
Forum Cinema em Cena

Filmes de Janeiro


Recommended Posts

Filmes que vi ou revi em janeiro:

 

Os Estados Unidos Contra John Lennon (The U.S. vs. John Lennon, EUA, 2006. Dir: David Leaf e John Scheinfeld.) - Um belíssimo documentário que nos faz lembrar de que, por ter existido, John Lennon fez deste um mundo melhor. (5 estrelas em 5)

Dr. Morte (Mr. Death: The Rise and Fall of Fred A. Leuchter Jr., EUA/Inglaterra, 1999. Dir: Errol Morris.) - Morris, com sua habilidade narrativa habitual, conta a interessante mas incômoda história de um homem destruído pela própria ignorância. (4 estrelas em 5)

Going to Pieces: The Rise and Fall of the Slasher Film (Idem, EUA, 2006. Baseado no livro de Adam Rockoff.) - Como antologia dos grandes momentos do gênero até funciona, mas sua análise sobre as questões temáticas e sociais é pedestre, a montagem falha em sua cronologia e – o maior pecado – ignora filmes seminais como Dementia 13. (3 estrelas em 5)

Uma Sombra Passou por Aqui (The Illustrated Man, EUA, 1969. Dir: Jack Smight. Com: Rod Steiger, Claire Bloom, Robert Drivas, Don Dubbins, Jason Evers, Tim Weldon, Christine Matchett.) - Uma antologia mal disfarçada de unidade narrativa, o filme é terrivelmente datado e conta com um ritmo irregular, desperdiçando o material original de Bradbury. (2 estrelas em 5)

Night Skies (Night Skies, EUA, 2006. Dir: Roy Knyrim. Com: Jason Connery, A.J. Cook, George Stults, Ashley Peldon, Joseph Sikora, Michael Dorn, Gwendoline Yeo.) - Se como técnico em efeitos visuais e maquiagem o diretor Knyrim nunca conseguiu trabalhar numa produção minimamente interessante, como “cineasta” sua função parece ser também a de acabar de destruir os projetos nos quais se envolve. (1 estrela em 5)

Cubo 2 - Hipercubo (Cube 2: Hypercube, Canadá, 2002. Dir: Andrzej Sekula. Com: Kari Matchett, Geraint Wyn Davies, Grace Lynn Kung, Matthew Ferguson, Neil Crone, Barbara Gordon, Lindsey Connell, Greer Kent.) - O mais fraco da série, este filme praticamente ignora a maior parte dos conceitos que tornaram o original tão interessante (como as armadilhas) e ainda conta com um elenco homogeneamente ruim. (2 estrelas em 5)

O Juiz (Judge Dredd, EUA, 1995. Dir: Danny Cannon. Com: Sylvester Stallone, Diane Lane, Rob Schneider, Armand Assante, Joan Chen, Jürgen Prochnow, Joanna Miles, Balthazar Getty, Max von Sydow.) - Um personagem sem carisma em uma história sem sentido. (2 estrelas em 5)

Room (Idem, EUA, 2005. Dir: Kyle Henry. Com: Cyndi Williams, Kenneth Wayne Bradley, Alexandra Kiester, Hannah Nicolas, Gretchen Krich, J. Shanon Weaver, Jessica Hedrick, Suzanne Savoy, Carlos Trevino.) - A performance de Williams é corajosa e intensa, mas o diretor-roteirista Kyle Henry cria um drama existencialista pós-11 de Setembro bobo sobre o constante estado de medo do norte-americano médio e sua busca desesperada por algum tipo de válvula de escape. (2 estrelas em 5)

The Secret (Idem, Austrália/EUA, 2006. Dir: Drew Heriot.) - Apesar de se passar por documentário, o filme nada mais é do que um manual de auto-ajuda tão científico, plausível e embasado quanto o ridículo Quem Somos Nós?. (1 estrela em 5)

Kwaidan – As Quatro Faces do Medo (Kwaidan, Japão, 1964. Dir: Masaki Kobayashi. Com: Rentaro Mikuni, Michiyo Aratama, Misako Watanabe, Tatsuya Nakadai, Keiko Kishi, Katsuo Nakamura, Osamu Takizawa.) - Magnífico do ponto de vista estético, conta com uma direção de arte brilhante e quadros compostos com inspiração absoluta, além de ter um inventivo design de som. Mas a montagem adota um ritmo excessivamente arrastado que torna a narrativa entediante. (3 estrelas em 5)

Bugsy (Idem, EUA, 1991. Dir: Barry Levinson. Com: Warren Beatty, Annette Bening, Harvey Keitel, Joe Mantegna, Ben Kingsley, Elliott Gould, Richard C. Sarafian, Bebe Neuwirth, Wendy Phillips, James Toback, Bill Graham, Wendie Malick.) - Levinson não consegue retratar a violência da Máfia como Scorsese ou Coppola; Morricone exagera na auto-referência à trilha de Os Intocáveis; e o filme insiste em tratar Siegel, um psicopata, como um empreendedor sonhador. Ainda assim, a história é interessante. (3 estrelas em 5)

The Ron Clark Story (Idem, EUA, 2006. Dir: Randa Haines. Com: Matthew Perry, Ernie Hudson, Hannah Hodson, Melissa De Sousa, Micah Williams, Brandon Smith, Isabelle Deluce, Bren Eastcott, Patti Kim.) - Clichês? Muitos. Direção? Sem inspiração. Fotografia? Sem personalidade, típica de uma produção para a tevê. Ainda assim, graças às atuações sinceras (especialmente de Perry e da jovem Hodson), o filme consegue comover. (4 estrelas em 5)

Ninho de Cobras (There Was a Crooked Man…, EUA, 1970. Dir: Joseph L. Mankiewicz. Com: Kirk Douglas, Henry Fonda, Warren Oates, Burgess Meredith, Hume Cronyn, Arthur O’Connell, John Randolph, Michael Blodgett, C.K. Yang, Alan Hale Jr., Lee Grant.) - O senso de humor do filme desarma de maneira brilhante o espectador, pegando-o completamente de surpresa com o cinismo de seu terceiro ato. (4 estrelas em 5)

Tóquio Violenta (Tôkyô nagaremono ou Tokyo Drifter, Japão, 1966. Dir: Seijun Suzuki. Com: Tetsuya Watari, Chieko Matsubara, Hideaki Nitani, Ryuji Kita, Tsuyoshi Yoshida, Hideaki Esumi, Tamio Kawaji, Eiji Go.) - A falta de coesão narrativa é mais do que compensada pelo visual marcante concebido por Suzuki, que cria uma fantasia psicodélica através da direção de arte estilizada, da fotografia com cores marcantes e da música-tema repetida continuamente. (3 estrelas em 5)

Unknown (Idem, EUA, 2006. Dir: Simon Brand. Com: Jim Caviezel, Greg Kinnear, Barry Pepper, Joe Pantoliano, Jeremy Sisto, Peter Stormare, Bridget Moynahan, Chris Mulkey, Clayne Crawford, Mark Boone Junior.) - A premissa é instigante, mas, infelizmente, quanto mais descobrimos sobre a trama, menos interessante o filme se torna. (3 estrelas em 5)

Ping Pong (Idem, Japão, 2002. Dir: Fumihiko Sori. Com: Yôsuke Kubozuka, Arata, Sam Lee, Shido Nakamura, Koji Ookura, Naoto Takenaka, Mari Natsuki.) - Previsível como a maior parte dos filmes de esporte, mas acaba conquistando por desenvolver muito bem seus personagens, levando o espectador a se importar com todos eles. (4 estrelas em 5)

This Film Is Not Yet Rated (Idem, EUA, 2006. Dir: Kirby Dick. Com: Atom Egoyan, Maria Bello, Wayne Kramer, Darren Aronofsky, Mary Harron, Stephen Farber, David Ansen, John Waters, Matt Stone, Kimberly Peirce, Kevin Smith.) - Um protesto importante e ocasionalmente revelador, mas que se enfraquece por não oferecer alternativas viáveis ao sistema de classificação da MPAA e pela auto-inclusão desnecessária do diretor na discussão. (3 estrelas em 5)

Em Busca do Prazer (The Oh in Ohio, EUA, 2006. Dir: Billy Kent. Com: Parker Posey, Paul Rudd, Danny DeVito, Mischa Barton, Miranda Bailey, Keith David, Heather Graham, Liza Minnelli.) - O elenco é charmoso, mas o roteiro parece um primeiro tratamento em que as idéias ainda estão sem foco e o tom da narrativa, indefinido. (3 estrelas em 5)

A Mesa do Diabo (The Cincinnati Kid, EUA, 1965. Dir: Norman Jewison. Com: Steve McQueen, Edward G. Robinson, Karl Malden, Rip Torn, Ann-Margret, Tuesday Weld, Jack Weston, Cab Calloway, Joan Blondell.) - Falta-lhe a complexidade moral e psicológica de Desafio à Corrupção, mas, ainda assim, é um filme com personagens suficientemente interessantes para prender nossa atenção. (4 estrelas em 5)

Cubo Zero (Cube Zero, Canadá, 2004. Dir: Ernie Barbarash. Com: Zachary Bennett, Stephanie Moore, Michael Riley, Martin Roach, David Huband, Mike Nahrgang, Richard McMillan, Joshua Peace.) - Explora com certa eficiência a premissa da série, expandindo-a de forma interessante e incluindo, como bônus, um desfecho que amarra a trilogia com elegância. (3 estrelas em 5)

Nowhere to Hide (Injeong sajeong bol geot eobtda, Coréia do Sul, 1999. Dir: Lee Myung-se. Com: Park Joong-Hoon, Ahn Sung-kee, Jang Dong-Kun, Choi Ji-Woo, Lee Hae-eun.) - Myung-se usa o seu fiapo de roteiro para nos lembrar da velha máxima de que Cinema é, de fato, Imagem; e o resultado é um filme que contrasta os personagens falhos e incompetentes a um incrível virtuosismo visual e à trilha surpreendente. (4 estrelas em 5)

Piggy Banks (Idem, EUA, 2006. Dir: Morgan J. Freeman. Com: Jake Muxworthy, Gabriel Mann, Lauren German, Kelli Garner, Toni Wynne, Drew Osborne, Dylan Sprouse, Tom Sizemore.) - O roteiro parece considerar seus personagens mais interessantes do que são na realidade e, assim, somos torturados com quase 90 minutos de conversas e incidentes enfadonhos. (1 estrela em 5)

O Cão e a Raposa 2 (The Fox and the Hound 2, EUA, 2006. Dir: Jim Kammerud. Com as vozes de Jonah Bobo, Harrison Fahn, Jeff Foxworthy, Reba McEntire, Patrick Swayze, Rob Paulsen, Stephen Root.) - Ainda que tecnicamente bem realizada e beneficiada pelo charme dos dois personagens-título, esta é uma continuação desnecessária que abandona as mensagens do original e investe numa historinha boba que renda ao estúdio um dinheiro fácil. (2 estrelas em 5)
Pablo Villaça2007-02-01 02:44:00
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...