Jump to content
Forum Cinema em Cena

Indiana Jones

Members
  • Content Count

    1462
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Indiana Jones

  1. Tenho uma certa birra do Episódio II. O primeiro funciona com vários problemas, mas funciona. O segundo demora muito a engrenar, e os diálogos chegam ao nível do ofensivo. Ainda assim, funciona por ser Star Wars.
  2. Top 10 atualizado. Como faz tempo que não vejo a série, vou topear os que considero os melhores da série, de acordo com minha memória, sem ordem de preferência. 007 Contra o Satânico Dr. No Moscou Contra 007 007 Contra Goldfinger 007 - A Serviço Secreto de Sua Majestade 007 - O Espião Que Me Amava 007 - Somente para Seus Olhos 007 - O Amanhã Nunca Morre 007 - Cassino Royale 007 - Quantum of Solace 007 - Operação Skyfall Com o tempo, alguns caíram no meu conceito, como Com 007 Só Se Vive Duas Vezes e até mesmo 007 Contra Goldfinger, em menor grau, enquanto outros que eu detestava passei a admirar, como 007 Contra a Chantagem Atômica, 007 - Marcado para a Morte e 007 - O Mundo Não É o Bastante. Gosto bastante também de Com 007 Viva e Deixe Morrer e 007 Contra GoldenEye. Revejo cenas da série com frequência, para matar a saudades, mas preciso arranjar tempo de ver um filme da série do começo ao fim.
  3. Beleza Americana = 9,5 007 - Operação Skyfall = 9,5 Estrada para Perdição = 9,0 Foi Apenas um Sonho = 8,0 Os três primeiros são sensacionais. Ainda acho duro acreditar que tem gente que acha Estrada para Perdição um filme fraco, mas vá lá, tem gosto para tudo.
  4. Vi pouca coisa, infelizmente. Uma Aventura na Martinica = 9,0 Onde Começa o Inferno = 8,5 Scarface = 8,0 Os Homens Preferem as Loiras = 7,0
  5. Exato Questão, valeu pelo lembrete!
  6. Correção, é em You Only Live Twice, capítulo 21, no obituário de Bond (título no Brasil: A Morte no Japão...): "James Bond nasceu de pai escocês, Andrew Bond, de Glencoe, e mãe suíça, Monique Delacroix, do Cantão de Vaud. Sendo seu pai representante da firma de armamentos Vickers no estrangeiro, a primeira educação de James, que lhe valeu um domínio perfeito das línguas francesa e alemã, passou-se inteiramente fora do país."
  7. Bom, considerando que tem gente que acha a tortura de Cassino Royale um indício de homoerotismo entre Bond e Le Chiffre... Nesse caso, é a revelação de Bond. Todo o sarcasmo controlado, a ironia e a tranquilidade vão por água abaixo. Ele está sendo praticamente castrado. Sua virilidade e masculinidade estão lhe sendo retirados da pior forma possível. Bond vira um disco riscado, explodindo em um humor sado masoquista, que nada lembra as tiradas refinadas de antes. Le Chiffre diz que é um desperdício torturar Bond, já que ele cuidou tão bem de seu corpo, para em seguida começar uma dolorosa castração. Isso é gay? Gay reprimido? Seria gay se Le Chiffre sodomizasse Bond como forma de tortura, isso sim. Um momento excelente daquele filme, que alguns imbecis ainda insistem em ver como um subtexto gay.
  8. Quando vazou esse spoiler da cena gay do filme eu fiquei puto. No entanto, vendo o filme, a conotação é completamente diferente. Bond é famoso por sempre tirar sarro da situação, sempre ficar tranquilo e concentrado durante os momentos difíceis, jamais ficando com raiva. Bond está sendo acariciado pelo vilão, que tem o intuito de deixar o personagem desconfortável, isso é claro. Bond tira sarro dizendo que não é sua primeira vez. Bardem fica puto: percebe que Bond é imune a torturas psicológicas. Vi como a única saída possível, apesar de ser uma decisão arriscada dos produtores, sendo que seria óbvio que a maioria veria a cena em seu sentido literal. Vale lembrar que Silva sugere uma tortura iminente, com Bond amarrado à cadeira, de forma que me remeteu imediatamente a Cassino Royale. Achei a conexão tão clara que não vi razão para ficar procurando um subtexto gay na série, já que Bond é e sempre foi estritamente heterosexual. Caramba, Silva queria que Bond quebrasse psicológicamente com a possibilidade de ser molestado, mas percebe que ele está tirando sarro da situação. É simples demais, e a cena é bem engraçada. Ou vocês acham que esse momento de humor seria usado para revelar o lado gay reprimido de Bond? Please bitch... Em Moscou Contra 007 Bond ironiza o plano de Grant no trem, perguntando de qual hospício ele foi tirado, e o vilão fica puto. É a mesma coisa aqui, e que foi repetida inúmeras vezes na série. A diferença é que hoje em dia não temos mais tantos pudores quanto à homossexualidade (Pablo é defensor ferrenho dos direitos dos gays, o que parece justificar sua óbvia e rasteira interpretação da cena). Tem também o tal trauma de infância de Bond, que poderia envolver algum abuso homossexual, mas acho que já seria muita viagem.
  9. Lembrete: não recomendado para fãs de Transformers!
  10. Salvo engano, Fleming incluiu uma referência ao passado escocês de Bond em A Serviço Secreto de Sua Majestade, em homenagem justamente a Sean Connery!
  11. Tá errado, pelo jeito. O que conta é o Diário Oficial. Ruim para os cinemas, que lucram menos.
  12. 14 anos, como os demais protagonizados por Craig. http://www.jusbrasil.com.br/diarios/41839169/dou-secao-1-29-10-2012-pg-45
  13. Por mim podem manter Craig até os 50 anos, o que daria mais uns três filmes com ele, na média de um filme a cada dois anos (ou um por ano, se filmarem o 24 e o 25 juntos). Mendes também já mostrou interesse em continuar na franquia, graças a Deus. O roteiro de Logan também foi perfeito para Skyfall, mesmo não ousando em todos os sentidos. O filme é até bem seguro, no sentido de preparar o terreno para a "fase Connery", e ainda ser um legítimo Bond à moda antiga. Mas temos algumas sementes plantadas discretamente, para serem exploradas no futuro, sugerindo que teremos muita coisa boa pela frente, talvez até melhores do que Skyfall, que já é estupendo.
  14. 007 - Operação Skyfall Mesmo já sabendo a estrutura do filme só de ver o trailer, fiquei abismado com a qualidade da obra. Nada é gratuito, tudo é preciso: de precisão cirúrgica, mas sem deixar o filme engessado. Tudo flui perfeitamente, mesmo com o ritmo lento. Alguns nerds vão reclamar que algumas coisas não são perfeitamente explicadas, mas não é nada que prejudique a obra. Pelo contrário: se Mendes e Logan gastassem tempo explicando tintim por tintim os detalhes do plano de Silva, por exemplo, perderíamos o ritmo maravilhoso da obra. Está tudo lá. O necessário, pelo menos. Não há monólogos gratuitos de exposição dos motivos do vilão. Sua relação com M e Bond é sutil, sem nenhuma revelação brutal, se forma operística. Há mais no subtexto da obra do que no que é explicitamente exibido. Caso você reclame que não há tempo para respirar, temos uns minutinhos de sossego no início do terceiro ato, mesmo com a tensão permanente. Não tenho o que falar sobre o filme de forma específica. É o mesmo Sam Mendes de Beleza Americana, que te dá uma experiência única, que não pode ser expressada em palavras. Palavras que, por sinal, diminuiriam qualquer um dos filmes citados; defendo que a maioria esmagadora dos bons filmes não é para ser discutida, mas para ser sentida por cada um. Na verdade, tenho ânsia quando leio análises que esmiúçam cada frame de um filme, acabando com o misticismo da obra. 9,5
  15. Quanto ao Imax, não sou muito fã do formato para filmes que não tem tanta resolução. Vi A Origem no Pompeia, em SP, e me distraía de vez em quando com alguns detalhes menos definidos, já que a obra não foi filmada em Imax. Talvez nem tanto pelo tamanho, mas pela proximidade excessiva da poltrona com a tela. Se for assim, a resolução tem que ser no padrão Imax mesmo. PS: Só deixando claro que não tenho nada contra um 007 negro, só acho o Elba muito envelhecido para o papel, apesar de ter apenas 40 anos.
  16. Potz, sério mesmo que estão considerando o tiozão Idris Elba para substituir Craig já no próximo filme? Acho que sou o único que considera Craig um dos melhores. Torço para que ele continue por no mínimo mais dois filmes. Em time que está ganhando não se mexe, como diria a sabedoria popular.
  17. Na nota veio com o valor de 19 reais, mas indica que houve um desconto de 40.
  18. Quando eu cofrei estava com uma mensagem com previsão de entrega de 15 dias. Chegou um pouco antes. E a "versão" de 60 reais está disponível, sendo que é o mesmo produto. Ah, e a capa é uma vermelha, não aquela com a carona do Brando.
  19. BD nacional do Apocalypse Now por vintão na Saraiva. Acho que foi bug do site, mas já enviaram, então... aproveitem criançada. Só para confirmar, só tem essa edição simples no Brasil, confere?
  20. Box do Hitch, Spielberg, Prometheus, Sunset Blvd., Os Duelistas... hora de ficar pobre. Sobre esse do Senhor dos Anéis separado, alguém sabe se vem as versões de cinema tambem?
  21. Vish... tem cheiro de furada. Nolan é conhecido por não cortar muito de seus filmes. Algumas minutinhos no máximo, nada de relevante. Esse tanto de cenas cortadas sugere que o cara se perdeu na pré-produção do filme? Acho que sim...
  22. Arqueologia é uma ciência mística? Parei por aqui. Para mim ciência mística são as chamadas pseudo-ciências, e arqueologia certamente não se encaixa nessa definição. Sobre De Volta para o Futuro, a série levanta questões científicas, filosóficas e de lógica, mesmo que isso não esteja no primeiro plano. A questão não é criar uma série realista sobre viagens no tempo (algo cientificamente hipotético, mas que pode ser explorado de forma satisfatória no campo da ficção), mas desenvolver as possibilidades que isso geraria. E os realizadores fazem isso muito bem. Não é um filme profundo sobre a natureza da ciência, da vida, do universo e tudo mais, mas uma ficção divertida e com cérebro. Um mínimo de inteligência, que seja, já basta para elevar um filme "nerd" a outro patamar. Para efeito de comparação, é o que vejo no caso da briga entre Os Vingadores e Ressurge, pelos motivos que já explicitei anteriormente. Não dá ideia, caramba.
  23. Não tem como negar: o tópico de Rises gerou discussões mais profundas que o de Os Vingadores.
  24. Calma lá. Eu vi De Volta para o Futuro nos anos 2000 e gostei dos filmes, sem nenhuma nostalgia. Tem uma diferença brutal entre gostar de uma obra com culto nerd, mas por seus méritos artísticos, e gostar só por causa das nerdices. É o que ocorre com aqueles fãs imbecis de Star Wars e Star Trek que se vestem como os personagens e só assistem a esses filmes. Se eu gosto de algum filme "nerd" é devido à sua qualidade como Cinema. Duvido que esses fãs que já viram Star Wars umas 500 vezes (e poucos filmes além desses) tenham reparado em técnicas de montagem e fotografia dos filmes, por exemplo. Filmes "nerds", como Jurassic Park, sobreviveram à minha maturidade por terem qualidade enquanto Cinema, não por serem meramente cool/nerd. Eu gostava de bobagens do naipe de Independence Day quando era pré-adolescente. Hoje eu posso até ver filmes como esse como diversão imbecil, sem maiores pretensões. Posso até gostar de ver o filme, mas dizer que ele tem qualidade é outra história. E é esse o problema dos ditos "nerds" e seus tops de melhores filmes incluindo Transformers, TDKR e The Avengers. Só uma dica aos nerds: vejam mais filmes antes de escreverem asneiras. Ou parem de se masturbar tanto, sei lá (sair à noite ajuda também pô... ).
×
×
  • Create New...