Jump to content
Forum Cinema em Cena

Sport Club Internacional


Minduim
 Share

Recommended Posts

Chora Tensor, mas chora na cama que é um lugar mais quentinho !06

 

A propósito, você já participou da avalanche ?!?06060606

Imagem:Avalanche.jpg

 

Quanto aos sãopaulinos bambis:

 

São Paulo - S.P.F.C - Elas estão descontroladas!

 

Jogador símbolo do São Paulo:

" target="_blank">

 

0606060606
Minduim2008-04-29 17:39:09
Link to comment
Share on other sites

  • Replies 533
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

 

 

 

Pois é' date=' essa aí já virou clássica. 06

 

Balança gaúcha desequilibra, e Inter curte superioridade sobre Grêmio

 

No duelo Gre-Nal, quase centenário, quando um está por cima, o outro por baixo, mas raras vezes diferença foi tão acentuada

 

PORTO ALEGRE - No futebol gaúcho, Grêmio e Internacional mantêm uma rivalidade ímpar que em 2009 completará 100 anos. E nesse período todo, tornou-se rotina tricolores e colorados falarem numa virtual balança sempre em desequilíbrio, mantendo um por cima do outro. Mas poucas vezes a diferença esteve tão acentuada como nestas últimas temporadas. O primeiro semestre do ano apenas reforça uma tendência que vem incomodando o lado azul.

 

Na semana passada, ao ser confirmado um amistoso do Grêmio contra um time amador da serra gaúcha, devido às eliminações precoces nas competições que disputava - ao mesmo tempo em que o Inter avançava na Copa do Brasil e se preparava para a primeira partida da decisão do Campeonato Gaúcho - o técnico Celso Roth, do Tricolor, disse que o fato fazia parte do "momento de humilhação" pelo qual passa o clube.

 

Fosse apenas o desempenho nesta temporada a incomodar, não seria nada muito grave. O problema é que ele se soma a uma série de fatores que vêm inferiorizando o clube nesta histórica rivalidade. O Grêmio vive uma crise financeira muito séria, de tal forma que seu hábil vice-presidente de finanças, Túlio Macedo, teve de montar o que denominou de "condomínio de credores", para conseguir administrar o amontoado de ações trabalhistas impostas por ex-atletas.

 

Mais do que isso: em conseqüência de más administrações passadas a atual diretoria, em sua segunda gestão, não consegue manter um grupo básico e a cada temporada um novo elenco precisa ser montado. Dezenas de profissionais chegam emprestados, dezenas vão embora. "Não temos dinheiro para grandes contratações", diz, com responsabilidade, o presidente Paulo Odone.

 

O Inter, ao contrário, vive fase de planos grandiosos e a campanha para chegar a dezembro com 100 mil sócios segue à pleno, já tenho ultrapassado os 63 mil. Nesta semana, no embalo do sucesso do filme sobre a conquista do Mundial de Clubes da FIFA de 2006 - que chegou ate aos cinemas -, o clube lança oficialmente o DVD que conta como conseguiu ganhar a Dubai Cup em janeiro deste ano, nos Emirados Árabes, superando a Internazionale de Milão na final, com direito a um gol de bicicleta do atacante Nilmar.

 

Os ídolos nos quais as crianças atualmente se espelham no Ri Grande parecem estar todos no lado vermelho. Além de Nilmar, podem ser destacados Fernandão, Alex, Iarley, Guiñazu, Magrão, todos atletas bem identificados com o clube, com contratos longos e que, caso saiam do Beira-Rio, renderão bom dinheiro, pois os direitos federativos e financeiros são do Inter.

 

No Grêmio, o capitão do time e jogador mais identificado com o clube, o volante Eduardo Costa, está indo embora porque o empréstimo feito pelo Espanyol acaba em julho e a diretoria já avisou que não há como pagar os 3,5 milhões de euros solicitados para ficar com o atleta em definitivo.

 

Como o fato há um século ocorre, os gremistas torcem para que a balança outra vez se inverta, mas até lá os colorados seguem curtindo o bom momento. Estão na final do Gauchão, nas quartas-de-final da Copa do Brasil e o grupo é considerado favorito no Brasileirão que vem aí, segundo aposta a revista especial da Placar sobre a competição. Já o Grêmio, no momento fazendo amistosos contra times pouco qualificados para manter o time em atividade, poucos apostam.

 

gremio.gif A GANGORRA GRE-NAL internacional.gif

 

Eliminado pelo Atlético-GO na 2ª fase

Na Copa do Brasil

Disputa as quartas-de-final contra Palmeiras ou Sport

 

Eliminado pelo Juventude nas quartas-de-final

No Gauchão

Decide o título contra o Juventude domingo (4/5)

 

Amistosos com Ypiranga de Erechim (1/5) e Avaí (3/5)

Compromissos antes da estréia no Brasileirão

Final do Gauchão e quartas da Copa do Brasil

 

Série B (2005)

Bi Gaúcho (2006/2007)

Últimos títulos

Gaúcho (2005)

Libertadores (2006)

Mundial (2006)

Recopa (2007)

Dubai Cup (2008)

 

Totalmente injusto e sem sentido essa comparação. Comparar a melhor época da história de um clube, contra a pior de outro... é no minimo sem sentido. O Grêmio em 2005 teve seu pior ano, e até que pra quem sofreu aquele turbilhão, juntos os cacos legal. Teve essa derrapada de inicio de temporada, mas mesmo assim conseguiu em 2006 ficar em terceiro no brasileiro e 2007 ser vice na Libertadores, fora os dois estaduais desses anos. Mas é a mesma coisa que comparar Grêmio e Inter de 95 a 2000, fica ridicula a comparação também, só dava Grêmio: Libertadores, Brasileiro, Copa do Brasil, estaduais...

 

E o inicio de ano do Inter, em 2007, não foi muito diferente não, nem se classificou pra fase eliminatoria do Gaúcho, e nem da Libertadores... O que salvou foi que tinha a recopa no intervalo disso. Mas ano passado, enquanto o Grêmio disputava a final do Gaúcho e da Libertadores, o Inter não fazia nada, só pensava no brasileirinho, igual ao Grêmio hoje.

 

E isso aí, de colocar Grêmio e Inter lado a lado nesses ultimos 3 anos, não é só o Grêmio que sairia perdendo, mas quase todos os times do Brasil, com exceção do São Paulo. Coloca Palmeiras (aliás, esse não, já faz mais de 10 anos que não ganha nada, nesse caso aí fica feio demais), Cruzeiro, Atlético, Flamengo, Botafogo, Fluminense, Vasco, Santos... Enfim, quem tu quiser, que o Inter teria uma vantagem absurda em relação a qualquer um desses. Claro, essa é a melhor época da história do Inter

    O povo tem problemas com números, não sei se vc sabe, Tensor, mas o Palmeiras não ganha um título nacional da série A a 7 anos e meio, o último foi a Copa dos Campeões em agosto de 2000, que dava vaga p a Libertadores. Sinceramente eu não entendo qual a moral de um torcedor do Grêmio vir falar da fila do Palmeiras, pq tirando o campeonato gaúcho, q é ridiculo, que vcs só jogam contra o Inter verdadeiramente, o resto tá só p fazer número, vcs mesmo disseram q o Juventude tá aí sem ao menos saber o pq, qual foi o último titulo NACIONAL do Grêmio? Juro q eu não me lembro! Ah, fui pesquisar, o último titulo do vulgo imortal, apelido que o Atlético-GO derrubou facilmente, foi a Copa do Brasil em 2001...pois é, amigo, parece q não estamos tão longe assim não, vcs tb estão a 10 anos sem um titulo decente, usando a sua conta lógica, junte-se a fila 03

Jack_Bauer2008-04-29 20:04:35

Link to comment
Share on other sites

 

Todos os times estão, tirando São Paulo, Santos e agora o próprio Inter. Aliás, o Inter não, se for considerar títulos nacionais, o que ta salvando eles é a Libertadores e Mundial. A resposta foi para o Minduim, que acha que com essa noticia atinge só os torcedores do Grêmio, e que é muito pelo contrário, atinge uns 90% dos times da série A, poderiam muito bem até substituir o Inter pelo São Paulo e o Grêmio pelo Palmeiras que a diferença seria maior ainda, por exemplo. O único time que pode ser comparado com o Inter por conquistas relevantes recentes, é o São Paulo, seguido pelo Santos, só. Teve o Cruzeiro que teve um ano bom, levando um nacional e copa do Brasil, e depois nenhum time se destacou mais tirando esses aí.

 

E esse papinho aí, de Gaúcho não valer nada e etc, nem vou discutir mais. Nem acho que vale mesmo, pra mim é muito mais importante o Inter não ganhar do que o Grêmio ganhar. É aquela história, pior que vencer, é deixar o outro ganhar. Concordo contigo nisso. A única coisa que não concordamos é quanto o peso do teu querido paulista, que apesar de ter uma dificuldade um pouco maior, vale NADA também. Campeonatinho de merda, mas uma merda menos fedorenta do que a dos outros estados. Guaratinguetá, noroeste etc... são surpresas que acontecem em quase todos os campeonatos, inclusive no Sul, Rio, Minas (deve lembrar do poderoso Ipatinga, não?) e etc.

 

Tensor2008-04-29 20:14:44

Link to comment
Share on other sites

Inter, supersticioso, deve usar camisa branca na final do Gauchão

 

A superstição sempre esteve intimamente ligada com o futebol, e no Internacional essa relação está sendo reforçada nesta semana. Dirigentes e jogadores do clube, acreditando que a camiseta branca, considerada uniforme nº 2, tem dado sorte à equipe nos momentos decisivos, estão pedindo sua utilização na partida de domingo, contra o Juventude, que define o campeão gaúcho de 2008.

No último final de semana, na abertura da decisão, o Colorado foi para o jogo no estádio Alfredo Jaconi com o seu tradicional fardamento de camisetas vermelhas, e acabou perdendo do Juventude por 1 a 0. Já naquela tarde, alguns murmúrios no vestiário apostavam que no jogo de volta, com a camisa branca, "tudo será diferente" - como disse um integrante do departamento de futebol.

Com o fardamento da sorte o Internacional foi campeão do mundo, em Yokohama, em dezembro de 20906, na decisão contra o Barcelona. Neste 2008, no melhor momento do time, em janeiro, na Dubai Cup nos Emirados Árabes, foi outra vez vestindo branco que o Inter superou a Internazionale de Milão, na final, e foi campeão outra vez.

Acreditando no poder de utilizar essa cor, na última quarta-feira os colorados decidiram encarar o Paraná com o uniforme B, confronto no qual precisavam vencer por três gols de diferença, já que no primeiro duelo a fase de oitavas-de-final haviam perdido por 2 a 0. A superstição acabou reforçada, pois o time ganhou por 5 a 1.
Minduim2008-05-02 09:12:10
Link to comment
Share on other sites

Inter fica satisfeito em não pegar o Palmeiras na Copa do Brasil

 

Deu o que o Inter queria. Na noite desta quarta-feira o Sport eliminou o Palmeiras na Copa do Brasil, e agora o clube pernambucano será o adversário nas quartas-de-final. O diretor de futebol, Giovanni Luigi, contente com o resultado, afirma que é melhor não enfrentar as equipes do centro do País que possuem mais força política.

 

Com a vitória de 4 a 1 na Ilha do Retiro, o rubro-negro do nordeste - que havia empatado em 0 a 0 no Parque Antártica - garantiu a vaga no torneio nacional. "Quando vi que o (volante) Sandro Goiano estava fora achei que ia ser difícil para eles não sofrerem gol, mas mostraram qualidade e conseguiram se classificar", comentou o dirigente colorado.

No clube gaúcho, a eliminação do alviverde foi bem vista. "O Palmeiras tem recebido um belo investimento, com poder financeiro o (técnico) Vanderlei Luxemburgo montou uma equipe boa que está com uma mão na taça paulista". Além da qualidade do time dentro de campo, há também a questão política.

"Em São Paulo os clubes têm mais força no meio futebolístico. Nós do Sul encontramos mais problemas de convívio com a CBF por não estarmos no centro do País", considerou Luigi.

O Inter receberá o Sport no Beira-Rio, e a definição de quem passa para as semifinais será no Recife. Os jogos não têm datas confirmadas, mas ocorrem entre 7 e 14 de maio.
Link to comment
Share on other sites

Pois é, 8x1, esse é o campeão do mundo 1602

Na verdade foram 9 gols feitos pelo Inter, porque até o gol do Juventude foi feito pelo Índio, quero dizer, foi contra 06

 

Gostei de ver o golzinho do Clemer, adoro ele 16

 

E o mais importante: fomos mais vezes campeõs estaduais do que o Grêmio o/
Link to comment
Share on other sites

Inter massacra o Juventude por 8 a 1 e é campeão gaúcho

Numa atuação impecável, o Inter goleou o Juventude por 8 a 1 na chuvosa tarde deste domingo, no Beira-Rio, reverteu a vantagem na final e ficou com o título do Campeonato Gaúcho. O capitão Fernandão, que foi o vilão no primeiro confronto, se redimiu fazendo três gols. Os outros foram marcados por Danny Morais, Alex, Nilmar, Índio e Clemer.

A equipe do técnico Abel Braga chegou à decisão com a melhor campanha da competição, mas sofrera três derrotas frente ao alviverde da serra, sem ter conseguido marcar nenhum gol no adversário. Na primeira partida da final, levou 1 a 0 em Caxias do Sul, mas embalado pela torcida, fez o sonoro resultado e levantou a 38ª taça Estadual da história do clube.

Nos primeiros momentos da decisão o Juventude mostrava certo nervosismo, usando força exagerada e cometendo muitas faltas, principalmente em cima de Guiñazu. O jogo era bem movimentado, com as duas equipes buscando o gol. Depois dos 15min, o Inter passou a dominar a partida, mas insistia demais na bola aérea. Os donos da casa pressionavam, e numa cobrança de falta aos 25 Danny Morais aproveitou cruzamento de Alex e acertou um belo testaço para abrir o placar.

O gol desorientou o Juventude, e aos 29 Nilmar cruzou na medida para Fernandão fazer de cabeça: 2 a 0. A torcida ainda comemorava quando o Inter, aos 31, aumentou a vantagem. Marcão escorou um lançamento e Fernandão, mais uma vez, estava na pequena área para completar. O time colorado massacrava, e Alex, aos 37, cobrou falta com perfeição, fez 4 a 0, e empatou com Mendes na artilharia da competição.

"Encaixamos bem o ataque e a bola aérea entrou. Se a gente quiser, o jogo está acabado. Basta furar a bola e não fazer graça", sintetizou o técnico Abel Braga após o intervalo.

Sem perder o ritmo, o Inter fez 5 a 0 logo aos 4 da etapa final. Bustos cobrou falta da direita e Fernandão, o nome do jogo, cabeceou no canto direito. Nilmar, que não havia marcado em jogos oficiais em 2008, aproveitou cruzamento de Bustos e escorou para as redes: 6 a 0.

Num rápido contra-ataque aos 11, o Juventude descontou quando Ivo cruzou, a bola bateu em Índio e enganou Clemer. Com o título nas mãos, a equipe colorada parecia despreocupada, e por vezes sofria contra ataques perigosos. Como havia feito gol contra, Índio foi para o ataque num escanteio aos 32 e, de cabeça, marcou o sétimo. Aos 45 Andrezinho sofreu pênalti, Clemer cobrou e fechou a goleada: 8 a 1.

Inter
Clemer; Bustos (Jonas), Índio, Orozco e Marcão; Danny Morais, Guiñazu, Magrão e Alex (Andrezinho); Fernandão (Iarley) e Nilmar
Técnico: Abel Braga

Juventude
Michel Alves; Élvis (Leandro Cruz), Nunes, Laerte e Márcio Goiano (Zezinho); Hércules (Maycon), Juan Perez, Lauro e Hélder; Ivo e Mendes
Técnico: Zetti

Data: 4/5/2008 (domingo)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Árbitro: Carlos Simon
Auxiliares: Altemir Hausmann e José Carlos Oliveira
Cartões amarelos: Danny Morais, Orozco (Inter); Juan Perez, Nunes, Élvis, Mendes (Juventude)
Gols: Danny Morais (aos 25min), Fernandão (aos 29min e aos 31min), Alex (aos 37min do primeiro tempo); Fernandão (aos 4min), Nilmar (aos 8min), Índio/contra (aos 11min), Índio (aos 32min), Clemer (aos 45min do segundo tempo)

Link to comment
Share on other sites

Há sete temporadas Inter ganha, no mínimo, um título por ano

 

O título do Campeonato Gaúcho conquistado pelo Inter na tarde deste domingo, graças a histórica goleada por 8 a 1 sobre o Juventude, no Beira-Rio lotado apesar da chuva e do frio em Porto Alegre, mantém uma agradável rotina que já dura sete anos. Desde 2002 o clube não decepciona o torcedor e levanta, ao menos, uma taça.

 

Na primeira década deste século, o clube se firmou como uma da melhores administrações do país, e o reflexo se vê dentro de campo. A última temporada em que a equipe colorada não foi campeã foi a de 2001. De lá para cá, foram vencidos cinco estaduais, uma Libertadores da América (2006), um Mundial de Clubes da Fifa (2006) e uma Recopa Sul-Americana (2007).

Em 2008, além do Gauchão, o time também ganhou a Dubai Cup, torneio não-oficial realizado nos Emirados Árabes em janeiro, cujos participantes foram o Ajax, da Holanda, o Stuttgart, da Alemanha, e a Internazionale, da Itália.

Vale lembrar, também, que em 2005 e 2006 o Inter foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro. A grande fase aumenta a paixão da torcida, que neste domingo ultrapassou a marca de 70 mil vinculados, sendo maior quadro social do Brasil.

 

OS 38 ESTADUAIS DO INTER

1927, 1934, 1940, 1941, 1942, 1943, 1944, 1945, 1947, 1948, 1950, 1951, 1952, 1953, 1955, 1961, 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978, 1981, 1982, 1983, 1984, 1991, 1992, 1994, 1997, 2002, 2003, 2004, 2005 e 2008
Link to comment
Share on other sites

Inter, em fase mágica, chega a 70 mil sócios, um dos dez mais do mundo

 

"Clube do Povo" vive momento histórico e dá início a uma era na qual não-sócios ficam sem espaço.

 

PORTO ALEGRE - O Internacional, campeão gaúcho 2008, título alcançado com uma incrível goleada por 8 a 1 sobre o Juventude neste domingo, vive uma fase que impressiona. Além dos títulos que vem acumulando nas últimas temporadas, está se destacando como um dos clubes com maior número de sócios no planeta, apontando um caminho que parece ser, acima de tudo, uma solução para problemas financeiros das agremiações do futebol brasileiro.

 

A decisão deste domingo contou com 42.486 torcedores no estádio, sendo que os vermelhos - 41 mil deles - todos sócios. O chamado "Clube do Povo", denominação histórica devido ao fato de que na primeira metade do século passado foi o primeiro a aceitar torcedores de todas as raças em seus quadros, ganhando popularidade rápida e crescente, dá início a uma nova era, na qual torcedores comuns ficam sem espaço.

Pesquisa divulgada pelo jornal francês L'Equipe em março deste ano apontou os dez clubes do mundo com maior número de associados. Na 10ª posição aparecia a Juventus, da Itália, com 68.900 mil. Como nesta semana que antecedeu a decisão do Gauchão o Sport Club Internacional alcançou à casa dos 70 mil, o número significa ter desbancado a "Juve". "A informação mais recente que tenho, é de que chegamos a 70.073 sócios", revelou na noite deste domingo o vice-presidente de futebol Giovanni Luigi.

 

"Nos desagrada ver torcedores com a nossa camisa querendo ingressos e não ter acesso a eles, mas temos de ser fiéis aos sócios", declarou Décio Hartmann, vice-presidente de administração do Inter, dando explicações num momento em que colorados esbravejavam por não terem acesso ao estádio na partida decisiva do Estadual.

"Como poderemos deixar de ser fiéis com aqueles que, mesmo em meses como dezembro e janeiro, quando não há jogos para ver, seguem pagando a mensalidade ao clube?", pergunta Hartmann, de forma convincente.

O Inter vem adquirindo uma média de 350 sócios por dia nas últimas semanas e a previsão é de que serão 80 mil no começo do Campeonato Brasileiro. A meta proposta no começo desta temporada, de chegar aos 100 mil em 2009, ano do centenário, será atingida se o ritmo for mantido.

As adesões se dão no próprio estádio, na Central de Atendimento aos Sócios; também pela Internet; e através de uma empresa de telemarketing parceira do clube. Pelo interior do Estado, em todas as localidades, se espalha o projeto denominado "Rio Grande Vermelho", tendo como objetivo fazer com que 1% de cada município se associe.

O Internacional está, definitivamente, inaugurando uma nova relação com os torcedores. A receita social será suficiente para manter a folha de pagamento dos atletas, as incômodas filas por ingressos serão extintas e apenas será preciso definir como fazer para contentar os torcedores eventuais. Há que se pensar na situação deles.
Link to comment
Share on other sites

Inter vence Sport por 1 a 0 e larga em vantagem na Copa do Brasil

 

No Beira-Rio, o Inter venceu o Sport por 1 a 0 na noite desta quarta-feira e saiu em vantagem no duelo pelas quartas-de-final da Copa do Brasil. Num confronto de poucas chances de gol, os donos da casa alcançaram o resultado só no segundo tempo, mais uma vez através do meia Alex, melhor jogador do time gaúcho na atualidade.

 

O segundo confronto, que confirma quem vai para as semifinais, ocorre na próxima quarta-feira (14/5), na Ilha do Retiro. Para os colorados, basta um empate, e o rubro-negro precisa ganhar por dois gols de diferença. O adversário na fase seguinte deve ser o Vasco, que goleou o Corinthians-AL por 5 a 1 no primeiro embate.

Com mais posse de bola, o Inter começou melhor, marcando sob pressão, e insistia em investidas pelo lado esquerdo. Fechado atrás, o Sport tinha dificuldade, mas conseguia encaixar contra-ataques. O jogo era truncado, e a defesa colorada, desorganizada, parava o adversário com faltas fortes.

Os pernambucanos valorizavam a posse de bola, trocavam passes pelo meio e, apesar de não darem trabalho ao goleiro Clemer, equilibravam o jogo. Nilmar criava boas chances, mas o Inter exagerava nos cruzamentos e perdia oportunidades. Sem nenhum lance claro de gol, o primeiro tempo acabou num justo 0 a 0.

"A gente sabia que seria assim. A marcação é forte, mas temos que seguir agredindo. Com cuidado o nosso gol vai sair", avaliou Fernandão, capitão colorado, no intervalo.

Mais preocupados em não levar gol, as equipes mostravam cautela na etapa complementar. E quando o Sport parecia melhor em campo, o Inter abriu o placar. Aos 8min Gil cruzou de longe, Nilmar cabeceou para o meio da área e Alex completou para o gol: 1 a 0. Com o gol, a equipe gaúcha ganhou motivação e parecia perto de ampliar a vantagem.

Atrás no placar, a equipe rubro-negra saiu da retranca, abrindo espaços atrás. As triangulações entre Romerito, Carlinhos Bala e Enílton não aconteciam com a mesma eficiência. Aos 38 Índio quase fez o segundo gol do Inter numa cabeçada, mas Magrão salvou. Marcão foi expulso aos 42, mas mesmo com um a menos em campo os donos da casa seguraram a vitória até o final.

Inter
Clemer; Bustos, Índio, Orozco e Marcão; Danny Morais, Guiñazu, Andrezinho (Gil) e Alex (Jonas); Fernandão e Nilmar (Iarley)
Técnico: Abel Braga

Sport
Magrão; Luisinho Neto, Igor, Durval e Dutra; Daniel Paulista, Sandro Goiano (Júnior Maranhão), César Lucena e Romerito; Carlinhos Bala (Kássio) e Enílton
Técnico: Nelsinho Baptista

Data: 7/5/2008 (quarta-feira)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa/SP)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa/PR) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP)
Cartões amarelos: Daniel Paulista, Sandro Goiano, César Lucena, Romerito, Luisinho Neto (Sport); Índio, Marcão, Guiñazu, Orozco (Inter)
Cartão vermelho: Marcão (Inter)
Gol: Alex (aos 8min do segundo tempo)
Link to comment
Share on other sites

Sorondo, depois de seis meses, deve voltar ao time do Internacional

 

A última vez que o zagueiro Sorondo entrou em campo foi dia 4 de novembro, quando o Inter venceu o Vasco por 2 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. Na ocasião, ele sofreu grave lesão no joelho e ficou seis meses em tratamento. A chance de reassumir um lugar na equipe aparece justamente contra o mesmo adversário, na mesma competição.

 

Em novembro do ano passado o uruguaio realizou cirurgia para curar a ruptura no ligamento cruzado do joelho esquerdo. "Ele vem trabalhando normalmente há 40 dias e está à disposição. Pode sentir a readaptação devido ao longo tempo parado, mas tem condições de jogo", avisou o coordenador de preparação física, Élio Carravetta.

Neste domingo o Colorado recebe o Vasco no Beira-Rio na estréia do Brasileirão, e Abel Braga deve poupar titulares visando as quartas-de-final da Copa do Brasil, contra o Sport, na próxima quarta-feira. "O Sorondo pode atuar no domingo, aí poderei observá-lo", admitiu o técnico.

Já na decisão em Pernambuco, o uruguaio tem poucas chances de seguir no time. "É decisão, e não posso colocar ele na fogueira", frisou Abel, mesmo lembrando que os zagueiros Índio e Marcão estão suspensos. Só três estrangeiros podem ser utilizados em cada partida (de acordo com regulamento da CBF), e no momento os colombianos Orozco, Bustos, e o argentino Guiñazu, são titulares.
Link to comment
Share on other sites

Inter bate o Vasco por 1 a 0 na largada do Brasileirão

 

Na base da superação, o Inter venceu o Vasco por 1 a 0 neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, e conquistou os primeiros três pontos. Sem nenhum titular, a equipe gaúcha saiu na frente logo aos 2min, e com muita marcação, segurou o adversário com competência. O resultado acabou com a sina colorada, que não triunfava na estréia da competição desde 1998.

 

Confuso no setor defensivo, o time do técnico Antônio Lopes, que não contou com o atacante Edmundo, poupado, lutou muito até o fim, pressionou, mas vai embora de Porto Alegre com derrota na rodada inicial.

Agora, os times focam suas atenções para as quartas-de-final da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira. O alvirrubro enfrentará o Sport na Ilha do Retiro, enquanto os cariocas, em Alagoas, tentam confirmar classificação sobre o Corinthians-AL.

Na primeira bola parada da partida o Inter abriu o placar. Andrezinho cobrou escanteio aos 2min, e Sidnei cabeceou com categoria no canto esquerdo: 1 a 0. Com muita disposição, os jogadores colorados dominavam o confronto. O Vasco não conseguia escapar da marcação e, salvo algumas investidas individuais, mostrava dificuldade para criar jogadas de ataque.

Depois da pressão inicial dos donos da casa, a partida ficou equilibrada, com a equipe cruzmaltina tendo mais posse de bola, mas sem oferecer perigo a Renan. Entretanto, a defesa mostrava muita preocupação com os velozes contra-golpes e por vezes se atrapalhava, assustando o goleiro Tiago. Rodrigo Antônio, num chute de virada aos 47, quase empatou, mas Renan defendeu e garantiu a vantagem até o intervalo.

"Estamos sentindo a falta de entrosamento, mas compensamos com força de vontade", resumiu o meia Andrezinho, um dos principais nomes no time reserva do Inter.

Na etapa complementar a paridade se mantinha, com os times duelando muito no meio-de-campo. O Vasco mostrava mais empenho em busca do gol, mas o Colorado se postava bem atrás e aproveitava os espaços no contra-ataque.

Satisfeito com o 1 a 0, o Inter ficava na retranca, permitindo o avanço do adversário, e tentava fazer o tempo passar quando tinha a bola no pé. Renan fez milagre numa cabeçada de Leandro Amaral aos 42. Villa Nueva perdeu um gol livre aos 46. Apesar da insistência, o Vasco não conseguiu empatar, e a vitória gaúcha se confirmou.

INTER
Renan; Jonas, Sidnei, Sorondo e Titi; Pessanha (Marcão), Derley, Ji-Paraná e Andrezinho (Ricardo Lopes); Adriano e Iarley (Walter)
Técnico: Abel Braga

VASCO
Tiago, Wagner Diniz, Jorge Luiz, Eduardo Luiz (Villa Nueva) e Madson (Pablo); Jonílson, Rodrigo Antônio, Leandro Bomfim e Morais (Alex Teixeira); Alan Kardec e Leandro Amaral
Técnico: Antônio Lopes

Data: 11/5/2008 (domingo)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (Fifa/SP)
Auxiliares: Nilson de Souza Monção (SP) e Evandro Luís Silveira (SP)
Cartões amarelos: Leandro Bomfim, Morais, Jorge Luiz (Vasco); Ji-Paraná, Pessanha, Titi, Derley, Adriano (Inter)
Gol: Sidnei (aos 2min do primeiro tempo)
Link to comment
Share on other sites

Abel Braga pode sair do Inter e se transferir para a Espanha

 

Assim como aconteceu em 2007, o técnico do Inter, Abel Braga, pode estar se encaminhando para trabalhar na Europa. O Real Betis, da Espanha, estaria interessado em contratá-lo, e sua transferência pode ocorrer em agosto.

 

De acordo com o jornal Correio do Povo Abel, que já tinha chamado atenção do clube de Sevilha há dois anos, quando venceu a Libertadores da América e o Mundial da Fifa, reapareceu nos planos do Betis para a disputa da temporada 2008/2009. A diretoria colorada não comenta o assunto.

Sem negar as sondagens, o treinador evita revelar detalhes para não passar pelo constrangimento de 2007, quando saiu do Inter porque estava acertado com o Mônaco, da França, mas o contrato não foi confirmado e ele retornou ao Beira-Rio, no lugar de Alexandre Gallo.

Bastante identificado com o clube gaúcho, Abel admite que deseja voltar a trabalhar na Europa (onde já treinou o Olympique de Marselha, da França). Ao ser campeão estadual, no início de maio, o técnico lembrou que "já ganhei tudo aqui".

Falta, no entanto um título nacional, que pode ser alcançado na Copa do Brasil, o que garantiria o Inter na Libertadores de 2009, principal objetivo para o ano do centenário. Se isso acontecer, as chances da transferência aumentariam.
Link to comment
Share on other sites

Inter, em vantagem, encara o Sport por uma vaga nas semifinais

 

O Inter está em vantagem, mas o Sport conta com a ajuda do torcedor na Ilha do Retiro na partida que define uma vaga às semifinais da Copa do Brasil, às 21h50 desta quarta-feira. Para a equipe gaúcha, basta não sofrer gol para se classificar, mas os pernambucanos, invictos em casa nesta temporada, esperam confirmar a força em seus domínios para reverter a situação.

 

Em Porto Alegre o Colorado fez 1 a 0, e agora joga pelo empate ou até mesmo derrota por um gol de diferença, a partir de 2 a 1. Mesmo assim o técnico Abel Braga afirma que a equipe vai ser ofensiva. "Temos que tomar a iniciativa e não deixar o Sport gostar do jogo. Eles vão começar com intensidade, como sempre fazem aqui, e não dá para ficar atrás", alertou.

Três atletas suspensos desfalcam o Inter nesta quarta-feira: os zagueiros Índio e Marcão e o volante Magrão. Na defesa entram Sidnei e Titi, respectivamente, enquanto Andrezinho, Jonas e Ji-Paraná são os candidatos à última vaga. O técnico Abel Braga faz mistério em respeito ao adversário, já que nas oitavas-de-final, o rubro-negro aplicou 4 a 1 no favorito Palmeiras e tem confiança em poder repetir a façanha. Seu retrospecto é altamente favorável: em 14 jogos na Ilha do Retiro este ano, os donos da casa venceram 12 e empataram dois.

"É um momento que vale muito pra gente, e temos qualidade para superar qualquer um aqui. Uma vitória simples já leva para os pênaltis. Vamos correr atrás da classificação para dar essa alegria ao torcedor", salientou o volante Sandro Goiano, que conhece bem o Colorado, já que até o ano passado era atleta do Grêmio.

O treinador Nelsinho Baptista não poderá contar com jogadores importantes, entre eles sua principal figura, o meia Romerito, suspenso pelo terceiro cartão amarelo recebido no primeiro confronto diante do Inter, na semana passada. O substituto deve ser Luciano Henrique. Já outro meio-campista, Everton, foi julgado e suspenso no STJD nesta terça-feira, véspera da partida, e sem ele o técnico pode mandar a campo um time mais ofensivo, com três avantes, Roger, Leandro Machado e Carlinhos Bala. Uma estratégia que, se for confirmada no momento em que o time entrar em campo, poderá ser arriscada, mas garantirá um confronto de times ambiciosos e de muitas emoções.

Sport
Magrão; Luisinho Neto, Igor, Durval e Dutra; Sandro Goiano, Kássio e Luciano Henrique; Roger, Carlinhos Bala e Leandro Machado
Técnico: Nelsinho Baptista

Inter
Clemer; Sidnei, Orozco e Titi; Bustos, Danny Morais, Guiñazu, Andrezinho (Jonas) e Alex; Fernandão e Nilmar
Técnico: Abel Braga

Data: 14/5/2008 (quarta-feira)
Horário: 21h50
Local: Estádio da Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa/PR) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE)
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...