Jump to content
Forum Cinema em Cena

Alice Braga


Administrator
 Share

Recommended Posts

camilla belle não é brasileira

 

Também discordo quando você diz que a carreira de Rodrigo Santoro está "decolando",na minha opinião a carreira dele tá afundando, e bem gostoso.

 

Acho que a única brasileira que realmente está bem lá fora é a Alice, na real quando tinha visto ela em cidade de deus já tinha achado a atuação dela bem natural e fiquei encucado pra saber quem era aquela maluca...o tempo passou até que fui assistir  Eu sou a lenda novamente achei a atuação da "moça" bem diferente por ser tão natural mais nem me toquei que era a Alice depois acabei sabendo porquê vi uma máteria do Vilaça sobre brasileiros em hollywood.

 

Dei uma olhada no imdb e vi que a garota já fez um monte de participações em hollywood em filmes com grandes elencos e com razoavél sucesso de critica ,apesar de não ter assistido muitos filmes com ela, uma coisa posso concluir a menina tá com a  moral....

 

E acho muito ridiculo o fato da rede globo dedicar um bloco do fantástico ao filme Eu sou lenda e nem citar Alice na matéria ,é ridículo...  

 
Nacka2008-03-19 22:59:00
Link to comment
Share on other sites

Gosto bastante da Camilla Belle em The Quiet e em A Balada de Jack e Rose, só gostaria que ela escolhesse melhor os filmes em que participa, cada coisa...

 

E pra quem nunca viu, duas entrevistas com ela falando em Português, uma pro Fantástico e outra pro Omelete;

 

 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...

Bom já faz um tempinho que quero postar algo sobre a atriz brasileira mais e em evidências nestes ultimos anos lá no exterior e encontrei este tópico perdido que tem o seu nome e de Camilla Belle a srta. ALICE BRAGA e talves outras brasileiras mas por enquento eu só quero falar  de:  SIMPLISLMENTE ALICE                                                        

AFP

 

 

Nome Completo: Alice Braga

Natural de: São Paulo, São Paulo, Brasil

Nascimento: 15 de Abril de 1983

Desde cedo passou a frequentar sets de filmagem, quando ela e a irmã, Rita, acompanhavam a mãe Ana Braga (atriz e publicitária) em seus trabalhos. Notando a falta de timidez da menina, colegas passaram a chamá-la para fazer comerciais. Sendo lembrada pelo diretor Fernado Meirelles, acabou fazendo seu primeiro longa-metragem, o aclamado internacionalmente, Cidade de Deus em que viveu Angélica, marcando o início de sua carreira.

Quatorze anos após sua primeira viagem a Nova Iorque, em 2003, voltaria a cidade, na qual passou três temporadas, em fevereiro passeando, hóspede da tia, em maio indo participar do lançamento de Cidade de Deus, em agosto mudando-se para lá, tendo passado seis meses, para estudar e praticar o inglês. Indicou para os leitores na revista TPM lugares que fogem do convencional de turismo do lugar em texto escrito por ela mesma na sessão Viagem.

cidade-de-deus-poster02.jpg

 

O papel da stripper Karinna, que vive um triângulo amoroso com os amigos de infância Deco (Lazaro Ramos) e Naldinho (Wagner Moura) entre a zona portuária de Salvador, do filme Cidade Baixa, lhe deu projeção e rendeu diversos prêmios. Personagem esta que já estava garantida para a atriz Fernanda Freitas, porém o diretor Sérgio Machado decidiu pensar melhor, e resolveu trocar sua atriz principal, chamou-a, no que acabou sendo a hora e a vez de Alice, que recebeu o convite quando ainda cursava ComunicaçãoArtes do Corpo na Puc de  São Paulo.

 

cidade-baixa-poster01.jpg

Com um currículo marcado por produções internacionais, sendo fluente em português, inglês e espanhol, como Solo Dios Sabe, Journey to the end of the night, I Am Legend, Redbelt, Blindness, Crossing Over, Repossession Mambo, era de se esperar que mudasse sua postura, mas além de não deixar de marcar presença em produções brasileiras, não adotou o método de muitas celebridades hollywoodianas que chegam ao estrelato, não dando importância para o tamanho das produções, alternando filmes de grande, médio ou pequeno porte, ou protagonistas e coadjuvantes, preocupando-se apenas com o trabalho e o resultado.

Contracenou com o ator e diretor Marco Ricca em A Via Lácte de Lima Chamie, sendo chamada pelo mesmo para fazer parte do elenco do filme Cabeça a Prêmio, filme dirigido por ele e baseado no livro homônimo do escritor Marçal Aquino. Teve um pequeno papel em O Cheiro do Ralo fazendo a garçonete dois.

cheiro-do-ralo-poster01.jpg12-horas-ate-o-amanhecer-poster01.jpg

 

Sua única aparição na tv foi em Canrandiru, Outras Histórias série de dez capítulos exibidos às sextas com histórias envolvendo personagens do filme Canrandiru de Hector Babenco, em que fez Vânia, mulher estuprada pelo cunhado do personagem Ezequiel (Lázaro Ramos) no episódio "Ezequiel, o azarado" , no dia 17/06/2005. Não tendo podido cogitar fazer novelas devido aos sucessivos filmes com que se envolvia, nem tendo conhecido os palcos.

Fez dois curtas, um bem no começo da carreira, Trampolim, e o outro após o turbilhão que tomou conta de sua vida profissional, Rummikub (curta), ambos produzidos pela Casa de Cinema de Porto Alegre.

Participou de um projeto da banda 3namassa, em que atrizes e cantoras soltam a voz em participações especiais para o cd temático  Na confraria das sedutoras, cantando a música de quarenta minutos que encerra o cd, Tarde Demais, de Rodrigo Carneiro, Dengue, Rica Amabis e Pupillo; e do clipe "Judas" do escritor e rapper Ferrez.

Estampou a capa dobrável de três partes, da revista Vanity Fair da edição especial, de março, "Hollywood issue", fotografada por Annie Leibovitz, ao lado de dez atrizes apontadas como promessas em 2008, com o título "Fresh faces". Aparecendo na segunda parte junto com Ellen Page (Juno), e Zoë Saldana (Vantage point). A foto, feita durante um ensaio no estúdio Pier 59, em Nova York, e todas as atrizes vestiam criações de John Galliano para a Dior, especialmente para o ensaio.

Com residência fixa em São Paulo, tendo alternado os locais onde morou, ocasionalmente, sempre devido ao trabalho, que desde o início levou-a além das fronteiras, dos estados brasileiros, ou dos países, mundo afora.

Sua irmã Rita Moraes, três anos mais velha, também seguiu a trilha da família pelo entretenimento, tornando-se produtora de cinema, que conta com a tia, a famosa atriz, Sônia Braga, tendo ainda uma variedade de primos e tios no meio artístico.

Foto:%20Vanity%20Fair

 

 

Foto

Alice Braga e Will Smith e dividindo a cena em Eu Sou A Lenda.

 

Cinturão vermelho’ marca encontro de Santoro e Alice Braga em Hollywood.

Estréia desta sexta (20), filme de David Mamet traz atores juntos pela primeira vez.

Foto

Rodrigo Santoro e Alice Braga têm caminhos parecidos: começaram com papeis modestos por aqui e hoje são os atores brasileiros mais bem-sucedidos em Hollywood. Mas, mesmo com tanto em comum, os dois nunca tinham trabalhado juntos. Até que foram escalados para o longa-metragem “Cinturão vermelho”, que entra em cartaz nesta sexta-feira (20).

“Nunca tínhamos nos visto pessoalmente; a gente só se conheceu durante a produção e acabamos fazendo até aulas de jiu-jitsu juntos”, conta Alice Braga, que interpreta Sondra, irmã de Bruno (Santoro) em “Cinturão vermelho”. “Nos encontramos muitas vezes para conversar sobre os personagens e construir essa ligação”, diz o ator, em entrevista ao G1.

 

Foto

Alice Braga posa com o diretor e roteirista do filme de ação "Redbelt", David Mamet, durante première em Hollywood, na segunda-feira (7). Mamet é conhecido como escritor de "Os intocáveis" e "Hannibal"
Na trama, Sondra é casada com o protagonista Mike Terry, vivido por Chiwetel Ejiofor, um professor de jiu-jitsu e dono de academia de artes marciais. Apesar do talento para a luta, Mike se recusa a participar de competições por achar que o dinheiro envolvido vai contra a filosofia da atividade. Mike é firme em seu código de ética, até que um incidente aparentemente insignificante acaba abalando seu equilíbrio psicológico.

O universo do jiu-jitsu está presente em toda a história, o que exigiu que os atores conhecessem a fundo essa arte marcial. “A experiência foi demais, eu queria ter continuado, mas a Alice hoje já está faixa preta”, brinca Santoro. “Fiz aulas porque queria entender o efeito dessa luta no corpo e na mente; acabei gostando tanto que continuei a treinar depois do filme”, diz Alice.

Alice Braga contracena com Harrison Ford em novo filme

Atriz brasileira está em "Crossing over", estrelado pelo astro de "Indiana Jones".
Veja as primeiras imagens do longa-metragem, que estréia nos EUA em agosto.

Foto:%20Divulgação/Divulgação

blindness_08.jpg

Alice trabalhando novamente com Fernando Meirelles no aguardado Ensaio Sobre a Cegueira.

 

E sem dúvida uma das grandes promessas do cinema nacional e que tem sem entregado a papéis variavéis e enfrentando o difícil mercado estrangeiro e trabalhados com grandes atros internacionais em pariticipações pequenas, mas que se fazem necessária a sua simples presença.

E levando o orgulho de ser brasileira, Alice tem um belo caminho pela frente pois e humilde e guerreira e não ficou se apegando no parantesco com sua famosa tia Sônia Braga.

Vai continuar trabalhado e supreendendo muita gente, desde já torça por está querida paulistana.

 

 

AFP

E isso aí Braga 03

To de olho em você com está tua simpatia tupiniquim.

 

 

 

 

 

 
Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Com foco na política, Festival de Curtas abraça produção mundial

Evento acontece de 22 a 29 de agosto, em dez salas de cinema de São Paulo.
Na programação, destaques do cinema brasileiro e vencedores de festivais internacionais

Acontece a partir desta sexta-feira (22) a 19ª edição do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, que tem como principal objetivo reunir o que de mais criativo e inovador foi realizado na produção mundial de curtas-metragens. Na programação deste ano, 381 filmes vindos de 54 países. Nesta quinta-feira, ocorre a abertura do evento para convidados

Foto

Alice Braga em ''Rummikub'', curta-metragem dirigido por Jorge Furtado

No dia 27, a partir das 19h, o Cine Olido sediará uma sessão do “Cachaça Cinema Clube” -“um brinde à perda do autocontrole que manteve viva a criatividade e a leveza nos anos de chumbo”-, e exibe os documentários “Rio, capital mundial do cinema”, de Arnaldo Jabor, “Xarabovalha”, de Heloísa Buarque de Holanda, “A miss e o dinossauro”, de Helena Ignez e “Raimundo Fagner”, de Sérgio Santos.

Entre os destaques da programação do evento está “Rummikub”, com Alice Braga, dirigido por Jorge Furtado, ícone maior da produção de curtas brasileiros com “Ilha das flores” (1989). Vale citar também “Dossiê Rê Bordosa”, de César Cabral, sobre os reais motivos que levaram o cartunista Angeli a matar Rê Bordosa, sua mais famosa criação. E “Blackout”, com Wagner Moura, o segundo curta dirigido por Daniel Rezende, montador de filmes como “Ensaio sobre a cegueira”, “Tropa de elite” e indicado ao Oscar pela edição de “Cidade de Deus”.

Na mostra “Panorama paulista” estão “Relicário”, dirigido por Rafael Gomes (um dos diretores de “Tapa na pantera”); “La Dolorosa”, que traz Débora Falabella no elenco e “Ópera do Mallandro”, de André Moraes, uma homenagem ao lado trash dos anos 80, com Lázaro Ramos, Luciano Szafir e Wagner Moura. Vale lembrar também da animação “Batalha, a guerra do vinil”, animação que tem participação do rapper Thaíde como dublador.

No quesito internacional, foram selecionados os vencedores dos principais festivais do mundo. “Megatron”, de Marian Crisan (Romênia), foi o ganhador da Palma de Ouro de Cannes e conta a história de um garoto que faz de tudo para encontrar seu pai em Bucareste. Já o vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim 2008 foi “Um bom dia para nadar”, do também romeno Bogdan Mustata. O filme acompanha uma jornada violenta de adolescentes delinqüentes fugitivos de um reformatório.

O festival também exibe o grande prêmio da competição internacional de Clermont-Ferrand (o mais importante evento internacional de curtas), “Na linha” de Reto Caffi, (Alemanha/Suíça).

 

Braga e Furtado juntos e promissor mesmo sendo um curta03


Link to comment
Share on other sites

Alice Braga posa para campanha publicitária pela primeira vez

A atriz brasileira é clicada por Bob Wolfenson e doa seu cachê

 

digulgação/Divulgação

Alice Braga esbanjou simpatia na sessão de fotos

A atriz brasileira Alice Braga foi clicada por Bob Wolfenson para a campanha de primavera da Hering. Esta é a primeira vez que a atriz participa de uma campanha publicitária e o motivo foi nobre: ela doou seu cachê para o IBCC (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer).


“Eu fico muito feliz em participar, as pessoas precisam ter consciência de que a doença não acontece só com os outros”, disse Alice.


Alice Braga chegou ao estúdio de ótimo humor. A morena garantiu momentos de diversão para todos que acompanhavam o ensaio e quem ouviu seu celular tocar, com um toque que imita o coaxar de um sapo, também caiu na gargalhada.


Durante as fotos, a atriz revelou que será a protagonista do filme “Cabeça à Prêmio”, o primeiro de Marco Ricca como diretor. Em setembro, ela parte para o Mato Grosso Do Sul, onde acontecem as gravações. O roteiro é baseado no livro de mesmo nome de Marçal Aquino e retrata a decadência de uma família de fazendeiros que migram para o tráfico de drogas.


Aos 25 anos, Alice acaba de atuar em cinco filmes internacionais. Dois já estrearam por aqui: “Cinturão Vermelho”, que protagoniza ao lado de Rodrigo Santoro, e “Eu Sou a Lenda”, em que contracena com Will Smith. “Adorei filmar com os dois. E o Will é um cara engraçadíssimo”, brinca.

 “Ensaio Sobre a Cegueira”, “Crossing Over” e “Repossession Mambo” são os próximos trabalhos internacionais da atriz, todos já gravados.

Link to comment
Share on other sites

Direto do Lido: Alice Braga em ritmo de jurada de festival

 

AFP/AFP

 

 A  atriz brasileira Alice Braga está numa correria danada. Integrante do júri do prêmio Luigi de Laurentiis, para o melhor filme de estreante, ela tem visto de três a quatro candidatos por dia. Sempre acompanhada da irmã, Rita Moraes, ela disse que está cansada, mas curtindo a experiência. Depois de Veneza, volta ao Brasil para rodar a estréia de Marco Ricca na direção, "Cabeça a Prêmio".
Link to comment
Share on other sites

Alice Braga conta como é sua vida de estrela de cinema em Hollywood

Em entrevista à 'Marie Claire', atriz fala sobre os grandes astros com quem contracenou, como Will Smith e Harrison Ford

Jairo%20Goldflus/Marie%20Claire

 

Harrison Ford, Will Smith, Jude Law, Julianne Moore, Rodrigo Santoro. Esse é um trecho da lista de grandes nomes do cinema mundial com que a brasileira Alice Braga já contracenou desde que começou a trilhar seu caminho em Hollywood. Alice integra o elenco de "Ensaio sobre a cegueira", que estréia este mês nos cinemas brasileiros.

 Em uma de suas vindas ao Brasil, a paulistana de 25 anos abriu espaço na agenda para uma entrevista à revista "Marie Claire" que chega às bancas agora em setembro. No bate-papo, a atriz conta como o filme "Cidade de Deus" lhe abriu portas e relembra como foi contracenar com astros como Will Smith, em "Eu sou a lenda". Na entrevista Alice também fala pela primeira vez, publicamente, sobre o namoro com o mexicano Diego Luna, de "E sua mãe também".

 WILL SMITH

"Ele é tudo o que parece. Um cara que trabalha duro demais para ser quem é. Ele vem de família muito pobre, né? O pai consertava ar condicionado, uma família trabalhadora da Filadélfia. E ele não esquece isso, ajuda todo mundo, os amigos de infância são hoje assessores, sabe? É um cara admirável, gentil, doce, generoso, que olha nos olhos das pessoas."

 

 

Alice com Rodrigo Santoro: eles foram apontados como namorados

 HARRISON FORD

"Esse é uma figura. Ele faz cinema há tanto tempo que virou um cara que olha tudo, repara nos fios, nas roupas, nas camareiras, tudo ele sabe, tudo ele vê. No primeiro dia de filmagem ele me disse: 'Tá com medo?'. E eu: 'Humhum'. E ele: 'É bom ter mesmo'. Um brincalhão, gente boa mesmo."

 DIEGO LUNA

"Namoramos, mas a gente nunca abriu o romance, tô falando isso pela primeira vez agora. Não chegávamos a negar ou esconder, mas evitávamos nos expor. Não vou esconder nada, mas quero entender meu limite nisso, o limite da invasão, da opinião pública."

 NAMORADOS

"Para a imprensa, eu tô supernamorando o Gael (García Bernal) hoje. E há um mês eu estava namorando o (Rodrigo) Santoro. Minha vida, segundo a imprensa, é muito boa (risos). Encontrei o Rodrigo no dia seguinte da fofoca e falei: 'Cara, você viu? A gente tá namorando'. E ele: 'Meu amor!'."

A TIA, SÔNIA BRAGA

"Adoro falar dela. Ela é um ícone do cinema nacional, mas foi uma pioneira latina no cinema norte-americano, uma heroína, uma desbravadora. Então, me dá orgulho falar dela não só por ser minha tia. Hoje, o mercado já não é tão tipificado como na época dela. Por exemplo, para esse filme que fiz com o Jude Law eles queriam alguém muito diferente de mim. Só tinha americanas e inglesas fazendo o teste e eu ganhei. O mercado tá mudando. ganhei. O mercado tá mudando." 
  

REJEIÇÃO

"Tem sempre tanta gente tentando um mesmo papel que o normal é ser rejeitado. A rejeição existe em qualquer tipo de trabalho, mas no nosso é muito fácil levar para o lado pessoal. Mas o desafio é entender por que você não foi bem e como pode melhorar."

Link to comment
Share on other sites

" Festival de cinema e uma coisa prazeroza", diz Alice Braga

Divulgação/Divulgação

 

Desta vez, Alice Braga está encarando um papel diferente num festival de cinema. Acostumada a representar filmes como "Ensaio sobre a Cegueira", apresentado neste ano em Cannes, ela está em Veneza como parte do júri do prêmio Luigi de Laurentiis, que escolhe o melhor longa-metragem de diretor estreante. A rotina tem sido puxada, com até cinco sessões num único dia. Alice falou ao UOL.

O que está achando de ser parte de um júri?
Estou achando ótimo, estou vendo filmes do mundo inteiro. Tentei não ficar lendo muito sobre nenhum, para ver cada um sem preconceitos. E é bem bacana poder discutir os filmes.

A experiência é bem diferente de quando você apresenta um filme, não?
É outro desfrutar. Mas sempre vejo festival de cinema como uma coisa prazerosa. A diferença é que aqui não tenho nenhum estresse, não estou preocupada com a recepção do filme.

O cinema brasileiro participou de todos os grandes festivais neste ano. O que pensa sobre isso?
Foi realmente um ano especial. E aqui tem a Gullane Filmes com três produções, sendo duas co-produções internacionais. Acho super importante ter essa porta aberta.

Ao mesmo tempo, o cinema brasileiro não está encontrando muito público no Brasil...
Eu acho que o valor do ingresso complica. Um ingresso custar 20 reais é muito.

E daqui você vai para o Mato Grosso do Sul, para filmar a estréia do ator Marco Ricca na direção?
Sim, as filmagens começam no dia 17. Já fizemos algumas leituras, mas agora vamos ter ensaios e definir cabelo, maquiagem. Agora vamos afinar. Quis muito fazer esse filme porque tenho uma conexão muito forte com o Marco Ricca e quero muito aprender com ele, acho um grande ator.

E como é sua personagem?
É uma menina de 20 e poucos anos, muito cheia de vida, e ela tem uma jornada interessante. É bem diferente do que eu já fiz. O filme, "Cabeça a Prêmio", é baseado no romance do Marçal Aquino.

Sua mãe vai interpretar sua mãe no filme?
Isso. Minha mãe é atriz, mas não atua há 20 anos. Ela sempre me deu dicas, conselhos, sempre foi uma referência para mim, me inspirou. Estou bem animada.

E depois de "Cabeça a Prêmio", vai descansar?
Não! Se não tiver nenhum filme, vou inventar um curso, vou viajar.

Tem algum projeto engatilhado no Exterior?
Tanto "Crossing Over" quanto "Blindness" estréiam agora no segundo semestre. Fora isso, estou atenta, mas ainda não tenho nada.

Recebe muitos roteiros?
Não tenho recebido, até porque a greve afetou isso e agora eles estão preocupados com uma possível greve dos atores. Estão receosos de investir em filmes que podem ser prejudicados se houver uma greve. Mas estou de ouvidos abertos.

<>

#uolcelwidgets { margin:2em 0;height:80px; }

#uolcelwidgets h3 { background:#efefef;color:#000;font:bold 10px verdana;padding:3px;height:12px;display:block;margin:0;padding-left:10px; }

#uolcelwidgets .borda span { margin-top:3px;color:#666;margin-bottom:40px; }

#uolcelwidgets .borda span a { color:#666; }

#uolcelwidgets a { text-decoration:none;color:000; }

#uolcelwidgets a:hover { text-decoration:underline; }

#uolcelwidgets #uolcelular { float:left;margin-right:10px;width:212px }

#uolcelwidgets #uolcelular .borda { height:50px;_height:57px;border:1px solid #efefef;color:000;font:normal 10px verdana;background:url(http://img.uol.com.br/wap-ico.gif) 13px 12px no-repeat;padding:0;padding-top:9px; }

#uolcelwidgets #uolcelular .margem { padding-left:40px; }

#uolcelwidgets #widgets { float:left;width:213px }

#uolcelwidgets #widgets .borda { height:50px;_height:57px;border:1px solid #efefef;color:000;font:normal 10px verdana;background:url(http://img.uol.com.br/widgets-ico-menor.gif) 7px 7px no-repeat;padding:0;padding-top:9px; }

#uolcelwidgets #widgets .margem { padding-left:50px; }

 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

A PRIMEIRA NOTÍCIA COM A CAMILLA BELLE06

 

Bruce Willis estréia como diretor em drama com Camilla Belle - 24/09/2008 08:37

Bruce Willis (Duro de Matar 4.0) está planejando fazer sua estréia como diretor. O ator espera comandar o drama psicológico Three Stories About Joan, estrelado por Camilla Belle (10.000 a.C) e Kieran Culkin (A Estranha Família de Igby).

Além de dirigir, o Willis fará parte do elenco da produção. Ele vai interpretar o pai da personagem de Belle, uma jovem que, depois de passar por três complicados momentos de sua vida e testemunhar tragédias na família, começa a perder a noção da realidade.

O roteiro foi escrito pelos estreantes Sam Applebaum e Christopher Alexander. As filmagens estão programadas para o princípio do próximo mês, segundo a Variety.

Belle participa do drama À Deriva, comandado por Heitor Dhalia.

 

brucewillis_02.jpgcamillabelle_03.jpgkieranculkin_01.jpg
Bruce Willis, Camilla Belle, Kieran Culkin
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Alice Braga está pronta para fazer novelas

Atriz apresentou prêmio no VMB e diz estar de 'ouvido ligado'

 

Iwi%20Onodera/Globo.com

Alice Braga no VMB 2008

Em cartaz nos cinemas brasileiros na pele da rapariga de óculos escuros do filme "Ensaio Sobre a Cegueira", de Fernando Meirelles, a atriz Alice Braga chamou a atenção pela simpatia no VMB 2008.

Ela, que apresentou um prêmio ao lado do cantor Rogério Flausino, disse que apesar do sucesso nos cinemas, ainda não recebeu convite para fazer novela. "Mas, estou de ouvido ligado", comentou ela, mostrando estar aberta a propostas.

Para o cinema, ela já tem outra estréia na manga: o filme "Cabeça a prêmio", dirigido pelo também ator Marco Ricca, com quem ela já atuou em outro longa, "Via Láctea".

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...