Jump to content
Forum Cinema em Cena
Sign in to follow this  
CACO/CAMPOS

Al Pacino

Qual e o melhor filme ou interpretação do Pacino ?  

25 members have voted

  1. 1. Qual e o melhor filme ou interpretação do Pacino ?

    • Poderoso Chefão (Trilogia)
      12
    • Um dia de cão
      1
    • Justiça para todos
      0
    • Fogo contra fogo
      0
    • Scarface
      2
    • Pagamento final
      3
    • Perfume de mulher
      4
    • O advogado do diabo
      3
    • Angels in América
      0
    • Donnie Brasco
      0
    • Dick Tracy
      1
    • O informante
      0


Recommended Posts

Com certeza o Pacino é um dos meus 10 atores preferidos! Fodão é pouco!

 

Ninguém lembra muito de sua maravilhosa atuação em O Informante!

 

Mas é sacanagem lembrar de 1 atuação marcante apenas. Ele, Jack Nicholson e  Robert De Niro são os únicos atores em atividade que estão no topo! Pelo menos, no que se refere a atores experientes.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Al Pacino perto de estrelar biografia do Dr. Morte


Por Gustavo Afonso
27/05/2009


O ator Al Pacino está em negociações para estrelar a biografia do médico Jack Kevorkian. Kevorkian, também é conhecido como Dr. Morte, por ter assistido mais de 150 casos de suicídio. O médico desenvolveu também um método de eutanásia com o intuito de tornar o suicídio menos doloroso e sacrificante. Ele foi condenado por assassinato de segundo grau em 1999 e cumpre pena em uma prisão de segurança máxima, em Michigan. Barry Levinson está definido para dirigir o filme, a partir do script desenvolvido por Adam Mazer, baseado no livro "Between the Dying and the Dead", de Neal Nicol.


090527-202010-1-2.jpg

 

Pacino e excelente, mesmo quando ele desliza e com classe, bem pelo para mim

Share this post


Link to post
Share on other sites

Al Pacino e Barry Levinson preparam adaptação - 16/12/2009 12:04

alpacino_03.jpgbarrylevinson_01.jpg

O mais recente romance de Philip Roth será adaptado para os cinemas. Segundo o The New York Times, Al Pacino (à esquerda) comprou os direitos de The Humbling.

O livro centra-se na história de um homem mais velho que encontra a esperança da renovação por meio de uma mulher mais jovem.

Pacino, que deverá fazer o papel principal, será dirigido por Barry Levinson (produtor da série Oz e diretor de Pânico em Hollywood - à direita). O roteiro está por conta de Buck Henry (Agente 86).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Al Pacino substitui De Niro no thriller - 17/02/2010 16:48

alpacino_01.jpgAl Pacino (As Duas Faces da Lei) irá substituir o seu colega de longa data Robert de Niro no elenco do thriller policial Son of No One, do diretor e roteirista Dito Montiel (Vale Tudo), informou o The Hollywood Reporter

Na trama, jovem é designado para rondar as ruas do bairro humilde onde cresceu. No entanto, a revelação de um perigoso segredo pode colocá-lo em risco, bem como a sua família. 

Katie Holmes e Ray Liotta podem fazer parte do elenco, enquanto Channing Tatum já está confirmado. Montiel planeja iniciar as filmagens em março.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda não citaram "Um dia de cão", filme em que acho q ele tem uma de suas melhores atuações. A 2 parcerias entre Pacino e o diretor Sidney Lumet foram excelentes: Serpico e Um dia de cão.

 

Também falam muito que Pacino decaiu nos últimos anos, pode até ser verdade, mas não podemos esquecer q ele entregou duas brilhantes atuações nestes anos: Mercador de Veneza e, principalmente, Angels in America.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

05/05/2010

Na TV, cada vez melhor, a redenção de Al Pacino

 

 

Jack.jpg 

 

Se alguém (será???) ainda tem dúvidas de que a TV é, hoje, a saída para uma produção de qualidade que não encontra mais espaço disponível na tela grande, basta notar o seguinte: Al Pacino, que há tempos está devendo a todos  (e a si mesmo) um grande desempenho, redime-se este mes numa espetacular peformance num filme feito para TV, dirigido por outro nome do primeiro time: Barry Levinson - You Don’t Know Jack, a biografia de um dos personagens mais controvertidos da história recente dos Estados Unidos, o Dr. Jack Kevorkian. Filho de sobreviventes do genocídio armênio, Kevorkian escolheu como missão na vida criar e implementar, nos anos 1990, um método indolor e seguro de eutanásia auto-induzida em pacientes terminais.  Com impressionante teimosia, Kevorkian desafiou o sistema legal até o limite – suicídio assistido é crime na maioria dos estados norte-americanos – e cumpriu oito anos de pena por sua “cruzada de compaixão” (como ele a denominava).

Com grande delicadeza e perspicácia , Levinson costura entrevistas e depoimentos do verdadeiro Kevorkian com sua recriação dramática  - notáveis são as entrevistas que o próprio doutor gravava com seus candidatos a eutanásia, documentos poderosíssimos. É uma reflexão profunda sobre o significado da condição humana e sobre as bases de escolhas morais graves – e o trabalho de Pacino, complexo e sutil, revela tudo isso. É sua melhor interpretação em anos e, junto com a de Claire Danes em Temple Grandin, minhas pole positions na categoria TV, este ano.

Mas a supremacia da TV como veículo de bons projetos não termina aí. Vejam os nomes que estão migrando para a não-tão-pequena telinha:

 

Neil La Bute juntou-se a Samuel L. Jackson para produzir uma série sobre uma familia de supremacistas arianos que vive numa comunidade do Noroeste norte –americano. O argumento é de Jackson e o roteiro será de LaBute, com produção de ambos (Jackson e LaBute são chapas desde Lakeview Terrace, em 2008)

Ridley e Tony Scott estão produzindo Pompeii, minissérie baseada no romance histórico de Robert Harris (que Roman Polanski quase transformou em filme, três anos atrás). O última produção dos irmãos para TV, a minissérie épico-medieval The Pillars of the Earth, estréia mes que vem nos EUA.

Michael Tolkin, o roteirista de O Jogador e Nine, está desenvolvendo parta a TV a adaptação de  I’m Still Holding, o último livro da sua “trilogia do celular” sobre Los Angeles. Além disso, ele escreve a “bíblia” de uma nova série, ainda sem título, sobre o cotidiano numa sociedade pós-apocalíptica. 

 

Acho que agora só faltava David Lynch anunciar sua volta à TV…. Além dele, quem vocês gostariam de ver atacando uma série, minissérie ou filme para TV? Eu teria curiosidade em saber como Steve Soderbergh, Richard  Kelly, Paul Thomas Anderson, Quentin Tarantino, Nicolas Windig Refn, Joon-ho Bong e Wes Anderson se sairiam

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Putz!!!! 13 13 

 

 O que a maquiagem (ou a falta dela) não fazem na aparência de uma pessoa, heim??!! 

 

 Bom saber que ele tem se redimido... Há anos não vejo uma boa interpretação do Al.  

Share this post


Link to post
Share on other sites

Al Pacino volta ao palco

Ator volta ao papel de Shylock na montagem de O Mercador de Veneza na Broadway

mercador%20de%20veneza

O título de ingresso mais valioso da temporada teatral em Nova York ganhou um competidor importante. A montagem de O Mercador de Veneza com Al Pacino anunciou sua estreia para o dia 7 de novembro. A peça vem de uma temporada de sucesso no projeto Shakespeare in the Park, que anualmente apresenta peças do autor britânico no Central Park durante o verão.

A montagem com Pacino como Shylock inclui uma piscina montada no palco para a cena em que o personagem judeu é obrigado a se converter ao cristianismo. A violência da cena, que Pacino vai repetir em 78 apresentações, tem sido elogiada pela crítica. Pacino já fez Shylock no cinema em 2004.

Shylock marcou também a carreira de Patrick Stewart, que interpretou o personagem na Inglaterra e criou o monólogo Shylock: Shakespeare's Alien nos anos 1980.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Al Pacino vai estrelar o thriller financeiro Arbitrage

Eva Green and Susan Sarandon também estão no elenco

Al%20Pacino

Al Pacino definiu Arbitrage como seu próximo projeto, segundo a Variety. O filme tem roteiro e direção de Nicholas Jarecki, roteirista de The Informers - Geração Perdida. Eva Green (007 - Cassino Royale, Os Sonhadores) e Susan Sarandon (Um Olhar do Paraíso) também estão no elenco.

Descrito como um thriller financeiro, Arbitrage conta a história de um magnata (Pacino) desesperado para vender sua empresa de investimentos para um grande banco, antes que suas fraudes sejam reveladas. No entanto, um erro inesperado faz com que ele busque ajuda na fonte mais improvável.

As filmagens começam em Nova York entre março e maio de 2011. É o novo Wall Street fazendo escola...

Share this post


Link to post
Share on other sites

gaelgarciabernal_01.jpgalpacino_02.jpg

Mais atores se preparam para entrar no ringue. Depois de muita repercussão positiva sobre The Fighter, longa considerado forte candidato a uma indicação ao Oscar, o The Wrap anuncia que outro longa sobre boxe está a caminho.

Gael Garcia Bernal (Ensaio Sobre a Cegueira, Babel) viverá Roberto Durán, lendário boxeador nascido no Panamá, tido como um dos melhores de todos os tempos, no longa Hands of Stone. Já Al Pacino parece estar interessado no papel do treinador Ray Arcel.

A cinebiografia será focada no campeão e tratará da lendária luta com seu maior rival, o também grande boxeador Sugar Ray Leonard, que aconteceu em 1980. Depois de ver Leonard superá-lo durante oito rounds, luta foi encerrada quando Durán virou as costas e disse "No Más". Os dois se enfrentaram em três ocasiões no total, tendo Durán vencido uma disputa e perdido para Leonard novamente em 1989 em 12 rounds.

"Roberto Durán não é apenas o melhor peso leve de todos os tempos, ele é também uma inspiração para todas as pessoas oprimidas ao redor do mundo, um herói para quem acredita que a cultura de um povo pode ser honrada dentro do ringue", disse Jonathan Jakubowicz, venezuelano responsável por roteiro, direção e produção do longa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Imagine | Al Pacino será roqueiro decadente na comédia dramática

al%20pacino

Steve Carell produz o filme que marcará a estreia de Dan Fogelman como diretor

Steve Carell e o roteirista Dan Fogelman (Bolt, Carros) conseguiram um nome interessante para estrelar Imagine, comédia dramática que marcará a estreia de Fogelman como diretor: Al Pacino.

Segundo a Variety, o ator já negocia seu contrato. O filme contará a história de um roqueiro de 60 anos (Pacino) que descobre uma antiga carta fechada, endereçada a ele e escrita por John Lennon. Ao ler a carta, ele descobre que tem um filho adulto.

Carell interpretaria o filho, mas teve que deixar o filme por conflito de agenda. Ele, que já trabalhou com Fogelman no inédito Crazy. Stupid. Love., permanece como produtor de Imagine.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Al Pacino encarna produtor musical Phil Spector em filme da HBO

O%20ator%20Al%20Pacino%20caracterizado%20como%20o%20produtor%20musical%20Phil%20Spector%20para%20o%20telefilme%20da%20HBO;%20à%20dir.,%20Phil%20Spector%20em%20foto%20de%201998

O ator Al Pacino caracterizado como o produtor musical Phil Spector para o telefilme da HBO; à dir., Phil Spector em foto de 1998

O ator Al Pacino foi fotografado em Nova York nesta segunda-feira (11), caracterizado como Phil Spector.

Pacino está filmando uma produção para a TV da HBO, que retrata a vida do produtor musical que ajudou a alavancar o R&B e lançou nomes como Ike e Tina Turner, The Ronettes e Ramones. Spector também é conhecido por  ter salvo o álbum “Let it Be” quando os Beatles se separaram. Atualmente, ele cumpre pena de 19 anos de prisão pela morte da atriz Lana Clarkson, em 2003.

O filme, que ainda não tem título, tem roteiro e direção de David Mamet (“Cinturão Vermelho”).

Pacino reiventando a carreira na televisão.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Al Pacino rebate "reputação ruim" da velhice com novos filmes em Toronto.

 

al-pacino-em-cena-do-filme-manglehorn-14

presentando um dos dois filmes de Al Pacino no Festival de Toronto, o diretor artístico Cameron Baily observou que talvez seja o caso de o evento criar um "Al Pacino Day", assim como foi feito para Bill Murray.

Aos 74 anos, Pacino estreou seus trabalhos mais recentes no festival, dois filmes em que explora os arrependimentos, ambições e marcas da velhice. Em "Manglehorn", de David Gordon Green, ele interpreta um solitário chaveiro texano, em luto por um romance do passado, apesar do interesse de uma simpática caixa de banco (Holly Hunter). Já em "The Humbling", dirigido por Barry Levinson e adaptado do romance "A Humihação", de Philip Roth, Pacino interpreta um ator de teatro envelhecido, que não se interessa mais por atuar.

"O envelhecimento parece ter ficado com uma reputação um pouco ruim", disse Pacino em uma entrevista. "Tipo, o que você faz agora? Alguém pergunta quantos anos você tem, isso é como dizer quanto tempo me resta. Não posso responder a essa pergunta."

Pacino se manteve particularmente ocupado nos últimos anos, mostrando com personagens mais idosos a mesma curiosidade que levou a papéis mais jovens ou de meia-idade ao longo de sua carreira na tela e no palco.

"Nós crescemos em um monte de maneiras diferentes, e se você ouvir seus ciclos ou senti-los, isso te guia", diz Pacino. "Muitas vezes eu não fiz isso, mas estou começando. Essas coisas que estou fazendo são expressões disso. Estou tentando ser consciente. Acho que posso entrar nesse mundo. Há coisas que eu não faria agora que eu teria feito há 20 anos. Eu não as sinto. Não estou lá."

"Manglehorn" ainda não tem uma distribuidora, mas já rendeu a Pacino críticas elogiosas. O jornal The Guardian chamou o filme de "a melhor interpretação de Pacino nos últimos anos." Longe do tipo de filme que a maioria dos septuagenários escolheria, ele evidencia o interesse permanente do ator pela experimentação. Ele não está consolidando um legado, mas continua a expandir os horizontes.

O filme foi feito de forma rápida, entre as filmagens de "The Humbling" (previsto para 21 de novembro nos EUA), projeto que Pacino começou ele mesmo, comprando os direitos do romance.

"Tivemos essa janela de tempo para fazê-lo, e eu sabia que se nós deixássemos para depois, David não iria fazer o filme", diz Pacino. "O qual, antes de tudo, eu amo. Porque ele escreveu para mim."

Green, diretor difícil de definir, que assinou "George Washington" e "Segurando as Pontas", começou a pensar em um filme com Pacino após uma reunião com o ator para tratar de outros assuntos. Ele viu algo no ator que anteriormente não havia sido capturado em seus filmes, e pediu a seu amigo Paul Logan para escrever um roteiro.

"Foi o jeito como ele ouve quando outras pessoas estão falando, e uma verdadeira intensidade nisso, e uma sintonia absoluta", diz Green. "Algo sobre o sorriso estreito, o sulco da sobrancelha."

[media] Poucos atores são mais conhecidos por sua grandeza operística do que Pacino. Mas em "Manglehorn" ele é taciturno e hermético, com toques de Síndrome de Asperger. E está com o coração partido: "Eu não tenho nada além de frustração e decepção", ele pondera em uma das cartas para seu amor perdido.

"Manglehorn" é uma espécie de conto de fadas surreal, que costura cenas absurdas (há um acidente com um caminhão de melancias inspirado em livros infantis de Richard Scarry) para construir misteriosamente uma graça bela e louca. Devagar e sem jeito, o Angelo Manglehorn de Pacino abre as fechaduras para si mesmo.

"Você vê um monte de grandes interpretações de Al que realmente podem te pegar pelo pescoço, ter a ousadia, e te levar a grandes momentos emocionais", diz Green. "Eu queria que este fosse um momento emocional íntimo."

Muito ao contrário de seu personagem em "The Humbling", a paixão de Pacino pela atuação continua firme, assim como a sua vontade de acreditar em um cineasta. Será que Pacino - lenda do cinema americano - sente alguma hesitação quando, em um dos muitos momentos inexplicáveis do filme, Green o colocou no alto de um galho de árvore com um gato?

"Já desisti há muito tempo", diz Pacino. "David faz o que faz e ele tem suas razões para fazê-lo. É nisso que você tem que confiar, e eu confio nele completamente. Você não questiona. É a maneira dele de pintar".

 

Pra mim e sempre muito gratificante ver Pacino em ação ainda mais na fase da terceira idade onde comprova que o talento natural não tem idade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mulher-Maravilha | Al Pacino elogia Gal Gadot: “ela conseguiu”

Ator falou sobre personalidades de Hollywood que chamam a sua atenção
 
- Divulgação
 

Em entrevista ao podcast Maltin on Movies (via Comic Book), Al Pacino elogiou Gal Gadot em Mulher-Maravilha:

“Sim, há algumas pessoas”, afirmou Pacino sobre atores e diretores que chamam a sua atenção atualmente. “Quero dizer, os mais óbvios são nomes como Leonardo DiCaprio e James Franco, e esse garoto novo, [Timothée] Chalamet, ele é um belo ator. Meu Deus, ele realmente fará coisas boas. E as garotas também, em todos os lugares. Você não consegue acreditar o quão boas elas são. Você vê aquela garota em Mulher-Maravilha, ela conseguiu. Às vezes estou em casa e eu vejo – você sabe, nós conseguimos esses filmes – e tem Mulher-Maravilha no meio. Eu não ligo, assisto por uns cinco minutos só pra ver o que ela faz. Ela é boa, ela conseguiu”.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...