Jump to content
Forum Cinema em Cena

Central de Notícias


Tannenbaum
 Share

Recommended Posts

Quem disse que não existe pena de morte no nosso patético país?

 

Polícia prende suspeito de matar idosa durante assalto a lotérica

 

A polícia prendeu na noite de ontem (3) um dos suspeitos de participar do assalto de uma lotérica no centro de São Bernardo do Campo, na Grande SP. O caso ocorreu na tarde do último sábado (1) e uma idosa de 62 anos foi assassinada pela dupla de assaltantes.

Policiais do 1º DP de São Bernardo do Campo não divulgaram a identidade do criminoso nem os detalhes de como ocorreu a prisão.

Maria do Carmo da Silva Batista, segundo familiares, estava na lotérica para pagar uma conta e foi rendida pelos assaltantes. Os criminosos atiraram porque, segundo a polícia, não conseguiram arrombar a porta da lotérica. Eles fugiram sem levar nada.

O outro criminoso ainda não foi preso pela polícia. As câmeras de segurança da lotérica ajudaram a polícia a identificar o assaltante.

As imagens, divulgadas pela Band News, mostram o momento que a vítima é mantida sob a mira de um revólver e um dos criminosos dando chutes para tentar abrir a porta da lotérica.

 

lotérica.

 

 

 

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1289428-policia-prende-suspeito-de-matar-idosa-durante-assalto-a-loterica.shtml

Link to comment
Share on other sites

esse MD é o cara..

 

lobo_alzheimer.jpg

 

# O que os cachorros entendem sobre pessoas doentes? Por que se aproximam delas para dar carinho e atenção?

Antes de buscar respostas praticas ou espirituais, leia essa história impressionante que aconteceu na Georgia.
Casey, um daqueles cachorros bagunceiros e fujões, é da raça malamute do Alasca, parece um lobo grandalhão.
Sua dona Carol Baird, vivia recebendo reclamações dos vizinhos porque a cadela entrava nas casas e roubava comida de outros animais e revirava o lixo.
Até o dia em que a família, que vive no bairro de Dalton, na Geórgia, recebeu uma visita diferente de um vizinho.
Um homem bateu na porta de Carol, disse que morava a três quarteirões de distância e, em seguida, perguntou o nome do seu cão.
Carol disse: O que Casey fez desta vez?
O vizinho explicou que todos os dias, das últimas semanas, o cachorro foi até a casa dele, sem ser convidado.
Quando Carol ia pedir desculpas, o vizinho emendou:
"Não, você não entende! Eu vim para te agradecer."
Ele explicou que seu pai, que tinha Alzheimer, raramente saía de sua poltrona em frente à TV, na sala de estar.
"E então, um dia, seu cão apareceu."
Casey entrou na casa pela porta de vidro e foi direto até o pai do homem.
"O cachorro se sentou ao lado dele, como se viesse visitá-lo há tempos", disse o vizinho.
Então ele viu o pai voltar-se para Casey e começar a acariciá-la. Ele acariciou, acariciou e caiu dormindo tranquilamente, duas horas completas, disse o vizinho.
"Foi o maior alívio que tivemos nos últimos anos."
Casey voltou no outro dia, e todos os outros dias seguintes, como se ela tivesse um compromisso a cumprir.
E sempre era igual.
Ela chegava e sentava-se ao seu lado o velho homem, deixando-o acariciá-la até que ele dormisse.
"Para mim e minha esposa", o vizinho disse: "Casey foi um presente do céu. É por isso que eu vim para vê-la hoje. Casey está aqui? "
"Sim, está", disse Carol. "Casey!”, chamou.
Ela veio e se aproximou do vizinho.
Ele deu um tapinha e disse: "Você já sabia, não é? É por isso que só parou de ir em casa."
"Sabia o quê?", Perguntou Carol.
"Meu pai morreu dormindo, a noite, após a última visita de Casey. Ela sabia que seu trabalho tinha terminado ".
Com informações do GuidePosts.

 

que coisa né?!  :mellow:  

Link to comment
Share on other sites

Filha de Michael Jackson tenta suicídio

 

parisjackson-size-598.jpg?1339115161

 

Paris Jackson, 15, foi hospitalizada em Los Angeles com cortes no pulso

 

Paris Jackson, filha de Michael Jackson, foi levada às pressas para o hospital de Los Angeles por volta das duas da manhã desta quarta-feira devido a uma tentativa de suicídio. As informações são do site americano TMZ, que se tornou conhecido por ser o primeiro a dar a notícia da morte do pai de Paris, em junho de 2009.

 

O 911, serviço de emergência nos Estados Unidos, foi acionado à 1h27 com a informação de que a garota de 15 anos teria sido vítima de uma overdose. No entanto, uma fonte ligada ao hospital disse ao TMZ que a causa da internação foram os inúmeros cortes feitos por ela mesma em um dos pulsos.

 

Uma outra fonte próxima à filha do cantor contou ao site americano que ela já havia tentado suicídio antes, mas que “desta vez o caso foi bem mais sério, afinal, não era um mero pedido de ajuda”.

Na noite da última terça-feira, Paris publicou em seu Twitter algumas mensagens de tom depressivo: “Eu me pergunto por que lágrimas são salgadas?”, escreveu a garota. Em seguida, ela postou um trecho da música Yesterday, dos Beatles, em que Paul McCartney diz que "ontem" seus problemas pareciam tão distantes, mas agora eles parecem estar aqui para ficar.

Segundo o site TMZ, Paris Jackson passa bem.

 

Embora os detalhes oficiais sobre o incidente ainda não terem sido revelados, fontes próximas à família Jackson disseram à Entertainment Tonight que a tentativa de suicídio ocorreu pouco depois de Paris ter sido proibida pela mãe de ir ao show de MANSON que acontece amanhã (06/06) no Gibson Amphitheater.

Link to comment
Share on other sites

Nojo e ódio mortal desses ruralistas ou a aristocracia rural secular. Eles são genocidas e seus defensores igualmente monstruosos. Para mim isto não é novidade. Veja os últimos acontecimentos onde as vítimas indígenas (miseráveis) são postos como culpados e criminosos. A velha inversão de valores e os ruralistas (milionários) visto como pobres coitados. E olha que a notícia é de 2011, mas é bem atual com os problemas na mesma que só crescem. Alias a subjugação de povos nativos veio é desde 1500.

 

 

Crescimento econômico ameaça índios no Brasil, diz Anistia Internacional

 

Maurício Moraes

 

Da BBC Brasil em São Paulo

Atualizado em  5 de agosto, 2011 - 06:55 (Brasília) 09:55 GMT

 

Relatório divulgado nesta sexta-feira pela organização Anistia Internacional afirma que o crescimento econômico traz perigo de violação dos direitos dos povos indígenas do Brasil.

"O crescimento rápido do Brasil, a expansão do agronegócio e a construção de grandes obras, como a barragem de Belo Monte (no Pará), aumenta o risco para os indígenas", diz o responsável pela pesquisa no país, Patrick Wilcken.

 

 

"A ameaça não vem só do projeto em si, mas dos efeitos coleterais. Muitas pessoas migram para a região e aumentam as invasões a territórios indígenas por madeireiros e garimpeiros", disse.

 

"Além da Amazônia, vemos isso no centro-oeste, como no Mato Grosso do Sul, onde há expansão do setor sucro-alcooleiro."

Para o pesquisador, as condições de vida dos povos indígenas melhoraram bastante os direitos adquiridos na Constituição de 1988. A expansão da economia brasileira, nos últimos cinco anos, no entanto, coloca os povos nativos em situação de maior perigo hoje do que há uma década, diz.

 

Para Wilcken, "a Funai (Fundação Nacional de Assistência ao Índio) não tem recursos suficientes para cumprir o seu papel". Ele disse ainda que no caso dos indígenas que vivem em fronteiras agrícolas, como no centro-oeste, é muito grande a pressão e a influência dos ruralistas sobre os governos locais.

 

Procurada pela BBC Brasil, a Funai negou que o atendimento seja "precário". A fundação afirma que seu quadro de servidores foi ampliado para 3 mil e que o orçamento de 2010, de R$ 423 milhões, foi o maior de sua história.

 

Belo Monte

 

O documento da Anistia Internacional critica a "consulta ineficaz", por parte do governo brasileiro, das populações que serão deslocadas para a construção da usina hidroelétrica de Belo Monte, no Pará.

 

Segundo o pesquisador, o governo chegou com "tudo pronto às audiências públicas e só comunicou os indígenas sobre o que iria ser feito, sem engajá-los na decisão".

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) não quis responder às críticas, dizendo que o relacionamento com os indígenas é função da Funai.

Em abril deste ano, o diretor de Licenciamento do Ibama, Pedro Bignelli, disse, no entanto, “que as comunidades que forem diretamente afetadas serão transferidas para locais onde possam manter condições similares de vida”. Ele também negou que elas "serão diretamente atingidas" pelas obras da barragem.

 

O relatório diz ainda que os "povos indígenas que lutam pelo direito constitucional às terras tradicionais (pela demarcação) continuam a sofrer discriminação, ameaças e violência".

Segundo o documento, "a situação é particularmente grave no Estado do Mato Grosso do Sul, onde comunidades Guaraní-Kaiowá enfrentam perseguição constante de capangas contratados por fazendeiros locais".

110804230105_in304.jpg

Segundo Anistia, índios da Colômbia são vítimas de conflitos entre Exército, guerrilha e paramilitares

 

Em resposta, a Funai diz enfrentar "ações populares, ações diretas de inconstitucionalidade, mandados de segurança, pedidos de liminares e inúmeros recursos" para "o trabalho de identificação e demarcação das terras indígenas do povo Guarani no MS".

 

Para Wilcken, muitos índios brasileiros, assim como os de outros países, enfrentam "situação de pobreza extrema, vivem em reservas superlotadas, com carência em saúde, educação, além de terem problemas com alcoolismo e desnutrição".

 

Américas

 

O relatório, intitulado "Sacrificando Direitos em Nome do Progresso", mapeia a situação dos índios em 12 países das Américas.

Os problemas relativos aos povos indígenas, segundo o documento, são parecidos entre si. A maior parte das questões envolvendo os índios, de acordo com a Anistia, é referente ao embate resultante entre a expansão econômica e a manutenção das populações indígenas em seu território de origem.

 

O documento afirma ainda que povos indígenas sofrem discriminação no Canadá, onde as mulheres indígenas sofrem até cinco vezes mais chances de morrer vítimas da violência. Nos Estados Unidos, segundo o estudo, uma em cada três mulheres indígena é estuprada ao longo da vida, sendo que 86% dos responsáveis não são membros das comunidades.

 

Na Colômbia, de acordo com o relatório, os indígenas são uma das maiores vítimas do confronto entre o Exército, as guerrilhas e as forças paramilitares. Já no Chile, a ONG destaca o uso de uma lei antiterror para processar líderes indígenas que organizaram manifestações contra o governo.

 

Link.: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/08/110804_indios_anistia_internacional_mm.shtml

Link to comment
Share on other sites

País da piada pronta:

 

 

Homem pode ser indiciado por atropelar ladrão

O advogado que foi assaltado na noite desta quarta-feira quando saia para jantar com sua namorada pode ser indiciado por lesão corporal grave por ter atropelado o assaltante, segundo afirma o advogado criminalista Antônio Gonçalves. 

 

O crime aconteceu na região dos Jardins, centro da capital paulista. O casal foi abordado por um menor de idade que roubou celular, relógio e dinheiro. Entretanto, quando o adolescente passou em frente ao carro do advogado para fugir, o motorista acelerou e o atropelou.


De acordo com Gonçalves, o fato de o advogado ter sido vítima de um crime não o livra de um possível indiciamento. “A ação se deu depois dele ter sido roubado. Isso caracteriza claramente o dolo, ou seja, a intenção do motorista em cometer o atropelamento”, explicou.

O criminalista salientou ainda que ele só poderia usar o argumento de legítima defesa caso tivesse reagido no momento em que era assaltado. “Não foi para se defender. Ele praticou o excesso. Fica difícil alegar que foi um momento em que estava de cabeça quente”, disse.

A pena para o crime de lesão corporal pode variar e depende do exame criminalístico no qual o menor será submetido. No entanto, Gonçalves não acredita que o advogado possa ser preso. “Se for considerado culpado, deve no máximo receber uma pena em regime aberto. Ser denunciado não significa que ele será necessariamente preso”, completou.

Ele também não acredita que possa ser utilizada uma alegação de tentativa de homicídio contra o advogado. Já o menor deve receber uma medida sócio-educativa.

 

Se acontecer, tinha que por o promotor junto com o menor.

Link to comment
Share on other sites

Veja outro lado da história, quem sabota quem nessas manifestações SP  RJ o povo ou as autoridades?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Minha indignação. Somos escravos dos estados nacionais e pátrias que não representam o espírito humano. Não decidimos nada por conta nossa, eles que decidem por nós quando e onde agir normalmente em uma urna. E ai de quem desobedecer.

Quando a população não protesta ela é omissa, mas quando questiona ela é baderneira? Decidam. Qual a diferença das populações da Turquia, Tunísia, A Praça Tahrir no Egito e o abuso de autoridade aqui? Sempre beiramos a um estado totalitário, qualquer exigência de melhoria na qualidade de vida é vista como baderna reprimida com toda truculência policial. Todo direito de reunião em si é negado em grandes manifestações na esmagadora maioria no Mundo e aqui não é diferente. Especialmente no Brasil. Dizemos que não são legitimas ou democráticas? População em milhares ou peso em massa nas ruas não é próprio povo? Queriam o que bilhões? Espere e verão os bilhões com tochas e forcados.

E aqueles que criticam o direito de ir e vir por causa dos protestos esquecem que com o aumento dos transportes o direito de ir e vir fica em cheque. Afinal nem todos podem usar um transporte no dia a dia. Isto tudo não são pressões sociais legitimas como em qualquer outro lugar no mundo? Por favor, quer enganar quem?

Tão criminosos é quem forja crimes. Usa isto para ter a desculpa de não legitimar os protestos. Nem todos são baderneiros, vândalos, porém o estado ou os líderes engravatados o são por forjar crimes, continuar a não ouvir, não negociar, ignorar a população que já paga um significativo aumento de preço na qualidade de vida. DESCASO com os transportes do povo. Em nações onde a qualidade de vida é insuportável tivemos relações semelhantes nas revoluções. Aqui beira uma por uma mesma omissão de ouvir seu povo. “Vão comer brioches dizem as Marias Antonietas do mundo”.

E como disseram não é só por causa dos transportes, mas vai muito além. Temos ai insatisfação da corrupção, descaso que gera violência tanto de policiais como de bandidos, péssimo transportes, saúde precária etc. Tudo isto por décadas e esperam que isto não exploda na cara deles? Toda população tem o seu limite de tolerância contra os abusos do poder. Quebra esse limite e nem forças do estado como policiais exército ou o próprio Deus segura a multidão raivosa.

 

 

 

Uma virada na cobertura

Por Luciano Martins Costa em 14/06/2013 na edição 750

Comentário para o programa radiofônico do
Observatório
, 14/6/2013

 

De repente, não mais que de repente, o noticiário sobre as manifestações que paralisam grandes cidades brasileiras há uma semana sofre uma reviravolta: agora os jornais começam a enxergar os excessos da polícia e mostrar que no meio da tropa há agentes provocadores e grupos predispostos à violência.

 

Um dos relatos mais esclarecedores sobre o momento em que a passeata realizada na capital paulista na quinta-feira (13/06) deixou de ser pacífica é feito pelo colunista Elio Gaspari, na
Folha de S.Paulo
e no
Globo
(ver "
"). Ele descreve como uma equipe da tropa de choque se posicionou e agiu deliberadamente para provocar o tumulto.

Há também, na rede social digital, um vídeo mostrando um PM, aparentemente por orientação de um oficial, quebrando o vidro da viatura. A imagem, cuja autenticidade só pode ser confirmada pela própria Polícia Militar,
.

 

No Facebook, registro para a legenda colocada sob cenas dos conflitos, no noticiário da GloboNews durantea noite: “Polícia fecha a Avenida Paulista para evitar que manifestantes fechem a Avenida Paulista”. Nessa linha de raciocínio, pode-se imaginar também a seguinte manchete: “Polícia usa violência para evitar violência de manifestantes”.

 

Truculência e irresponsabilidade

 

Foi preciso mais do que evidências para a imprensa cair na real: os repórteres testemunharam dezenas de ações abusivas de policiais, como a retirada e o espancamento de um casal que tomava cerveja num bar, alheio à passeata, ou o lançamento de granadas de gás em meio aos carros travados nos congestionamentos.

 

Claramente, não se trata de bolsões descontrolados, mas de uma ação organizada dentro da corporação policial, o que mostra o esgarçamento da disciplina e do controle na Polícia Militar. A única possibilidade de desmentir tal observação é a ação imediata do comando, identificando e afastando das ruas os oficiais responsáveis por esses grupos.

 

A violência gratuita e excessiva ficou registrada nas páginas dos jornais, entre outras razões, porque desta vez houve mais jornalistas entre as vítimas de agressões. Sete deles são repórteres da
Folha de S. Paulo
. Isso talvez explique a mudança de tom nas reportagens, mas o relato da violência não esgota o assunto, apenas instala algum equilíbrio na visão dos fatos por parte da imprensa.

 

Para ampliar sua compreensão do que realmente se passa nas ruas da cidade por estes dias, o leitor tem que se valer de outras fontes além dos jornais e do noticiário da TV. Por exemplo, o vereador Ricardo Young, que acompanhou o indiciamento de alguns manifestantes detidos, registrou no Facebook um fato preocupante: policiais fizeram a revista de mochilas e bolsas longe de testemunhas, trocando conteúdos e inserindo em algumas delas materiais estranhos, como pedras e pacotes com maconha. Assessores do vereador denunciam que houve tentativa de “plantar” provas contra alguns dos manifestantes detidos.

 

É notória a má vontade da polícia, como instituição, contra jovens em geral, talvez ainda um resquício da ideologia de segurança pública que se consolidou durante a ditadura militar e que ainda orienta a formação nas academias. Os indicadores de agressões cometidas por agentes públicos contra homens jovens são um dos aspectos mais evidentes nos estudos sobre a violência nas grandes cidades brasileiras. O encontro dessa mentalidade com a irresponsabilidade de grupos de manifestantes que se julgam autores de uma revolução política pode resultar em tragédia.

 

Ações ilegais

 

Se algum fato mais grave vier a ocorrer em futuras manifestações, pode-se contar como grande a probabilidade de haver alguns desses policiais envolvidos. Portanto, a responsabilidade pelo que virá a partir de segunda-feira (17/6), quando nova manifestação está marcada para o Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, tem um peso maior na Secretaria de Segurança Pública.

 

Isso não quer dizer que a prefeitura e os líderes do Movimento Passe Livre, bem como os dirigentes dos partidos cujas bandeiras são agitadas por alguns ativistas, estejam isentos de arcar com sua parte na tarefa de prevenir o desastre.

 

A imprensa, que finalmente despertou para o fato de que há vândalos em ambos os lados do conflito, pode ajudar a identificar os comandantes dessas ações ilegais, assim como tem sabido apontar os autores de depredações durante os protestos.

 

Foi preciso que alguns jornalistas sofressem a violência no próprio corpo para que os jornais se dessem conta de que nem tudo é o que parece.

 

Leia também

 

– L.M.C.

 

– L.M.C.

 

 – L.M.C.

 

Link.:

 

Link to comment
Share on other sites

Que vá pro quinto dos infernos...

O ladrão' date=' obviamente.

[/quote']

Mas nem é pelos direitos do ladrão que digo isso. Falo de, além do ladrão te espoliar ainda te transformar num assassino.

 

Lá fora às vezes é matar ou ser morto. Ação dele foi em legítima defesa dentro das leis de sobrevivência da natureza acima das leis patéticas divinas e humanas, o criminoso sabia dos riscos de morrer em seu ato. Eu também passava por cima e volta até o cara virar uma paçoca na rua.

 

Acho que não foi legitima defesa não, pq o ladrão estava fugindo qd ele o atropelou.

Eu acho que eled everia é dizer que entrou em pânico e pisou no acelerador  ou algo assim... e quem ía dizer que não ?!

Link to comment
Share on other sites

Morte de jovem anoréxica que recusou tratamento causa polêmica na Argentina

foto-anorexica.jpg

Antonella Mirabelli morreu no domingo por anorexia LA NACIÓN / GDA

BUENOS AIRES - Antonella Mirabelli tinha 19 anos e pesava 35 quilos. A jovem se recusava a receber ajuda médica, apesar de o pai, divorciado de sua mãe, ter recorrido à Justiça várias vezes para que fosse internada involuntariamente. Sua mãe e sua avó eram contra o tratamento. Estavam convencidas de que Deus era tudo que a garota precisava. No domingo, Antonella foi achada morta, em sua cama, na casa da família, na cidade de Rosario del Tala. O caso gerou polêmica na Argentina e, agora, o pai pede a guarda das outras filhas.

Christian Mirabelli acusou a Justiça de não ter impedido a morte da jovem e exige que suas outras seis filhas, entre seis e 17 anos, permanecem sob sua custódia e tenham acesso a cuidados médicos garantido quando necessário. Os pais de Antonella se separaram há seis anos, quando, segundo familiares, a mãe se juntou a um grupo religioso fundamentalista que prega que Deus é o único que atende a todas as necessidades, físicas e espirituais do ser humano.

De acordo com informações do jornal “El Tiempo”, o grupo reúne apenas 30 pessoas em Rosario del Tala, não tem nome, é liderado por Cielo Roca, avó de Antonella, e não responde a nenhuma religião. Eles não são Testemunhas de Jeová, nem católicos e evangélicos. Segundo a família, a avó recebia visões e revelações divinas e transmitia a seus seguidores.

Após a notícia da morte de Antonella, sua mãe, Veronica Rodriguez Roca, postou em sua página no Facebook uma carta na qual ele agradeceu o promotor do caso, Samuel Elvio Rojkin, e a juíza Elina Corral por não autorizar o pedido do pai.

“Obrigada por permitir exercer a lei com toda a liberdade dos direitos individuais das pessoas, permitindo que minha filha fizesse a vontade dela, já que ela permaneceu firme em sua fé até o momento da sua partida”, escreveu.

Natalia Mirabelli, tia de Antonella, contou que em setembro passado o pai da menina, que é enfermeiro, apresentou uma queixa à Defensoria de Pobres e Menores da Argentina para advertir sobre a deterioração da saúde de sua filha mais velha. A Justiça decidiu respeitar a decisão de Antonella, que, no entanto, concordou em comparecer a uma consulta terapêutica.

- No mesmo dia em que ela estava indo à primeira consulta psicológica, a avó e as tias maternas foram ao hospital e a tiraram de lá. Elas se opõem a qualquer tipo de assistência que não seja de Deus - disse Natalia.

O promotor Rojkin, que interveio no caso, argumentou que foi feito de tudo para salvar a Antonella, mas que o Estado não podia internar à força em um centro médico uma mulher maior de idade e “no uso de suas faculdades mentais”. Segundo a tia, porém, a Justiça havia recebido um relatório do hospital psiquiátrico da província da jovem no qual se identificou a necessidade de uma internação em caráter de urgência.


 

Link to comment
Share on other sites

Indignado de como as pessoas são cegas demais com a religião a ponto de acreditar que uma filha irá se salvar, o pior que morre e a mãe acredita que está agora em boas mãos, perderam uma filha por um grupo de mulheres que seguem Deus e não respondem a nenhuma religião, consequentemente uma bela lavagem cerebral a uma filha e o pai que ainda queria salvá-la era impedido disso, provavelmente pela raiva em que seus pais sentiam um com o outro que levaram a uma separação, tipo aquele que acha certo e o outro errado e a filha ficava no meio e absorvia tudo de uma forma negativa, levando assim ao falecimento...

Link to comment
Share on other sites

Mas acho que houve um tempo em que  algumas mulheres para se sentirem puras, ou algo assim, faziam jejum direto.

Li em algum lugar que são Franscisco misturava cinza a comida p/ perder a votnade de coemr.

Mas acho que a anorexia de hoje nem tem tanto a ver com religião.

 

Além de sofre de um disturbio a moça ainda teve a má sorte de cair numa família  fanática.

Link to comment
Share on other sites

Fundador e pastores da Igreja Maranata são presos no ES Pastor Gedelti Gueiros e outros membros foram levados para CDP de Viana.

Segundo a polícia, 10 mandados de prisão foram expedidos.

 

 

gedeltipreso_620.jpg
Pastor Gedelti é detido em sua residência, na Praia da Costa (Foto: Leandro Nossa / G1 ES)
 

O ex-presidente e fundador da Igreja Cristã Maranata (ICM), pastor Gedelti Gueiros, foi preso na residência dele, no bairro Praia da Costa, em Vila Velha, por policiais do Grupo de Operações Táticas (GOT), na manhã desta segunda-feira (24). De acordo com a polícia, 10 mandados de prisão foram expedidos contra membros da Igreja Maranata, sendo oito cumpridos pelo GOT na manhã desta segunda. Outros dois integrantes da igreja se apresentaram ao Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória e foram presos. Segundo o delegado Eduardo Chaddour, uma das prisões será domiciliar. Todos os detidos nesta manhã foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Viana, na Grande Vitória. O interventor da instituição, Júlio Cezar Costa, foi destituído. A sede do presbitério da Maranata, em Vila Velha, foi interditada pela polícia.

Além de Gedelti, Antônio Angelo Pereira dos Santos, Antonio Carlos Rodrigues de Oliveira, Antonio Carlos Peixoto, Amadeu Loureiro Lopes, Carlos Itamar Coelho Pimenta e Jarbas Duarte Filho foram levados para o DPJ, passaram por exames no Departamento Médico Legal (DML) e foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisõria (CDP) de Viana. O pastor Arlínio de Oliveira Rocha teve prisão domiciliar decretada. Wallace Rozetti e Leonardo Meirelles de Alvarenga se apresentaram diretamente na delegacia, pela manhã.

Após a prisão, Gedelti foi sucinto em suas palavras. "Falar o que? Não tem muito o que falar, não sei o que está acontecendo, não sei por que estou sendo preso", disse o fundador da ICM ao G1

Um dos presos, Carlos Itamar Coelho, disse se sentir 'destruído'. "Me sinto destruído, pela nossa imagem, fico constrangido. Mas, vamos acreditar na justiça", falou.

Não sei por que estou sendo preso"
Gedelti Gueiros, fundador da Maranata

No DML de Vitória, onde foram submetidos a exame, os membros da Maranata ficaram sentados lado a lado enquanto esperavam pelo atendimento. Do lado de fora do prédio uma fiel da Maranata demonstrou apoio ao pastor Gedelti.

Júlio Cezar Costa, que havia sido nomeado interventor da ICM, disse que foi comunicado de sua destituição por ordem judicial. Ele informou que não sabe o motivo, mas agradeceu o período em que administrou a igreja de forma ética e profissional. O novo interventor será Antônio Barroso Ribeiro.

O advogado Gustavo Varella, que defende a Igreja Maranata, acompanha a ocorrência, mas informou que ainda não recebeu a denúncia e não tem detalhes sobre o caso. Ele vai se pronunciar durante o decorrer do dia, assim que tiver mais informações.

Em maio, dezenove membros da Igreja Cristã Maranata, incluindo pastores, foramdenunciados à Justiça pelo Ministério Público Estadual (MPES) pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha e duplicata simulada. Eles teriam praticado desvio de dízimo da igreja, envolvendo uma movimentação financeira de R$ 24,8 milhões, segundo o próprio MPES. Antes, em março, Gedelti e outros três membros da ICM haviam sido presos por coagir testemunhas do inquérito que investiga a igreja.

Maranata

A Igreja Cristã Maranata foi criada há 44 anos no estado e  já possui mais de 5,5 mil templos no Brasil e em outros países.

presbiterio_620.jpgPresbitério da Igreja Cristã Maranata foi interditado judicialmente, diz polícia (Foto: Leandro Nossa / G1 ES)

 

Link to comment
Share on other sites

Desde os primórdios da humanidade, o ser humano tem se aperfeiçoado em roubo, a igreja e seus pastores é a mais esperta e a pior de todas, pegam o sofrimento geral para transformar em verdinhas.

 

Pior é o conto das pastorzinhas que as vezes surgem por ai, usam a imagem de crianças para ganharem mais ainda, os fieis se entregam a pureza e que na verdade é uma grande arma para dobrar as verdinhas.

Link to comment
Share on other sites

Deputada é acusada de usar verba pública em carro particular

 

112_2413-myrian.jpg

< Um gasto de R$ 386,12 com combustível num só dia - dinheiro suficiente para abastecer dois tanques e meio de um Bora - e o relato de um ex-motorista da deputada do Rio Myrian Rios (PSD) podem comprovar a suspeita levantada pelo GLOBO: recursos do cartão-combustível da Alerj são facilmente desviados. Anderson Souza da Silva, de 35 anos, que por cerca de um ano e meio dirigiu o carro da parlamentar, diz que ela usou verba pública para abastecer o carro particular dela e até o da irmã, Maria Helena. A deputada não quis comentar as acusações.

Anderson Silva conta que o cartão ficava com a própria deputada ou com Maria Helena, irmã dela, que não é funcionária do gabinete. Com isso, todo o abastecimento era feito com permissão de uma das duas.

- O chefe de gabinete dizia para ela não usar o cartão no carro particular, mas ela falava que era benefício dela. Lembro que, por duas vezes, usaram o cartão até para abastecer o carro da Maria Helena, que era um Vectra na época.

O total é de R$ 386,12. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, o preço médio do litro da gasolina naquele período era de R$ 2,82. Portanto, pela média, seria possível comprar somente naquele dia 137 litros, o que equivale a dois tanques e meio de um Bora.

 

 

até tu brutus??!!

Link to comment
Share on other sites

Americano celebra nova vida após se recuperar de transplante de face

*O americano Richard Norris, comemora sua recuperação e sua nova vida pouco mais de um ano após a cirurgia. O homem, que recebeu uma nova mandíbula, dentes e língua em março de 2012, voltou a estudar e trabalha em um livro que conta a história de sua vida.

 

face-transplant-patie_fran.jpg

Fotos mostram Richard antes do acidente, após atirar contra si mesmo e a evolução depois de passar pelo transplante de face.

 

Richard atirou acidentalmente contra seu rosto com uma arma de fogo em 1997, e até a cirurgia vivia recluso. Durante o período, ele enfrentou a crueldade de estranhos, lutou contra o vício em remédios e até pensou em suicídio. Agora, depois da cirurgia e com uma recuperação considerada exemplar pelos médicos, ele diz que, se pudesse voltar no tempo, talvez não apagaria o episódio de sua vida.
Aos 38 anos, ele começou a fazer aulas pela internet em busca de um diploma em sistema da informação e quer criar uma fundação para ajudar futuros pacientes de transplante de rosto a bancar os gastos durante o tratamento. Ele também tem trabalhado com um fotojornalista em um livro sobre sua vida que foi recentemente finalizado, com o título “As duas faces de Richard”.
Ele espera que sua história envie uma mensagem de esperança para pessoas em situações semelhantes
Depois do acidente, Richard ficou sem dentes, nariz e partes de sua língua. Ele podia falar e identificar sabores, mas perdeu o olfato. Quando saía em público, normalmente à noite, se escondia com uma máscara.
Ele passou por dezenas de cirurgias para tentar recuperar sua face, mas eventualmente seu corpo chegou a um limite. Foi quando um de seus médicos sugeriu um transplante de rosto.
A cirurgia de 36 horas sofrida por Richard ainda é considerada a mais extensa já conduzida na área de transplante de face porque incluiu o transplante de dentes, mandíbula, parte a língua e todo o tecido desde o couro cabeludo até a base do pescoço.
Richard terá que tomar remédios contra a rejeição dos tecidos pelo resto da vida. O médico que fez a cirurgia disse esperar que o transplante possa ter duração de 20 a 30 anos.
Enquanto isso, o americano que precisou reaprender a falar, comer e andar novamente, vai ajustando a vida aos poucos. Ele continua frequentando a terapia e viaja frequentemente para consultas médicas.

parece até coisa de filme..::
 
Link to comment
Share on other sites

Criação de igreja é negociada até em anúncio de classificados

  • ‘Não tem limite. É muita grana. Dois milhões. Dez milhões’, diz o autor da proposta

 

 

BRASÍLIA - Se abrir uma empresa é sonho de consumo de todo empreendedor, montar sua própria igreja virou sinônimo de um bom negócio. No último fim de semana, a seção de classificados de um jornal de Brasília tornou público o desejo de um certo Francisco. "Procuro 2 pessoas p/ juntos abrirmos uma igreja", diz a curta mensagem na área destinada a recados, logo abaixo de outros outros anúncios em que homens e mulheres procuram parceiros para relacionamentos sinceros.

A mensagem de Francisco vem acompanhada do número do celular para contato. Quem se atreve a ligar para o telefone indicado, rapidamente esclarece qualquer dúvida sobre o motivo do negócio. Na segunda-feira, o autor do anúncio, que se apresenta como Francisco, foi direto ao ponto:

- Eu não sei qual é o seu objetivo. O meu eu sei. É espiritual e financeiro. Sou bastante objetivo nos meus negócios - avisa.

Ele diz que prefere ser franco porque não quer perder tempo com discussões sobre ortodoxia religiosa. Sem contestação do outro lado da linha, Francisco se sente à vontade para expor seus planos. Ele quer fundar uma igreja pentecostal como muitas outras que existem por aí e ganhar muito, muito dinheiro. Basta usar técnicas de hipnose coletiva, simular milagres e recolher dízimo.

- Não tem limite. É muita grana. Dois milhões. Dez milhões. Ou até mais. O negócio é um rio correndo para o mar - profetiza.

Francisco tem como espelho pastores de outras igrejas que surgiram no nada e, de repente, se tornaram um império. Ele diz que não quer exatamente ser uma estrela de TV. Não é um grande orador e nem faz questão de demonstrar conhecimento profundo de textos sagrados. Para o mais novo candidato a pastor, basta uma sala num barraco qualquer, de preferência numa área bem pobre e algumas cadeiras de plástico.

- As igrejas não estão procurando pastores. Eles querem um sujeito que tenha noção de hipnose. Que é uma coisa muito mais rápida. Você vai chegar numa sessão, vai hipnotizar o povo. A pessoa vai ficar hipnotizada. Vai te dar 10% hoje. Amanhã da mais 10% e conta o milagre para os outros - explica.

Segundo ele, as pessoas mais simples querem milagres e estão dispostas acreditar em qualquer situação que pareça extraordinária. O futuro pastor diz ainda que os riscos do negócio são mínimos. O aluguel de uma sala num bairro pobre fica em torno de R$ 500. As cadeiras de plástico podem ser compradas a medida em que o número de fiéis for aumentando. Ele até sugere um lugar para começar:a Vila Estrutural, uma das favelas mais pobres do Distrito Federal. Não importa se outras igrejas chegaram primeiro.

- Quanto mais, melhor - diz.

Em seguida convida o interlocutor para uma conversa particular para acertar os detalhes do negócio. No primeiro contato não pediu investimento inicial dos sócios, nem disse como o negócio será rateado.

A fé pode render muito. Exemplos não faltam. E, então, ele começa a citar nomes de outros aventureiros que se tornaram ricos, muito ricos, vendendo ilusões. Francisco é de uma sinceridade quase religiosa.

 

Video em: http://oglobo.globo.com/pais/criacao-de-igreja-negociada-ate-em-anuncio-de-classificados-8883673

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...