Jump to content
Forum Cinema em Cena

...E o Vento Levou (Victor Fleming, 1939)


Dook
 Share

Recommended Posts

gonewiththewindx.jpg

 

 

Existem três tipos de filmes: a) os que não envelhecem e mantém o seu frescor; B) os que envelhecem e se tornam datados, tornando-se "impróprios para o consumo"; c) os que envelhecem, mas o fazem com tanta classe que é como se não tivessem envelhecido.

 

Penso que ...E o Vento Levou se encaixa na terceira categoria. Talvez a sua popularidade seja o fator principal para ter tornado o filme tão "velho" quanto à história que narra. Sim, pq o espetáculo todo é montado dando a impressão não de um filme de 1939 mas de um filme que parece ter sido feito em 1870, mas tal impressão vem da idéia nossa de que se trata de um filme "velho", não que isso possa ser visto de forma clara no próprio filme... Bem... mais ou menos. Costumo dizer que ...E o Vento Levou é a maior e melhor NOVELA da história do cinema. Melodramático no último, encontros e desencontros novelescos, tragédias à rodo, juras de amor impossível, trilha melosa e onipresente, enfim, todas as convenções que são tão comuns aos folhetins percorrem os 222 minutos incansáveis do longa (e que longa)...

 

Mas a boa é que tudo isso trabalha em prol do filme. E o Vento Levou é o ápice do que significa a palavra "espetáculo". Mesmo nas limitações do aspecto 1,37:1 o filme é grandioso do início ao fim. É literalmente o tirar o expectador deste nosso mundo e inserí-lo por quase 4 horas em outro mundo. Apesar de sugerir ser cansativo devido à longa duração, o filme engata a quinta marcha logo de cara e inúmeras situações vão se desenrolando no decorrer de mais de 10 anos em que o expectador acompanha a queda silenciosa, mas brutal de Scarlett O'Hara, a heroína-vilã que amamos odiar.

 

Aliás, por falar na protagonista, é de inteira justiça afirmar que o filme pode se resumir a duas palavras apenas: Vivien Leigh. No papel da garota mimada, arrogante e desejada por todos os homens exceto por aquele que ela mais ama, a atriz é a ALMA do filme. Ela o leva nas costas (e o expectador também) e sem ela, o filme jamais teria a força que tem inclusive para sobreviver 70 anos bem e belo, como tem sobrevivido.

 

Enfim, uma amostra de como Hollywood já produziu entretenimento saudável, sem ser apelativo, sem soar intelectual demais, sem ser imbecilizante.

 

5/5
Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...

 

Bela resenha, Dook. Eu acho o filme sensacional. Assisti sem achar cansativo e, de fato, Vivien Leigh carrega o filme, que atuação fantástica. Scarlett não existe sem Leigh, praticamente. Adoro como o filme usa o melodrama bem e mostra a menina mimada perdendo tudo depois.  E, apesar de ter pedido tudo, continuou com seu egoísmo e vaidade. E como era egoísta! Ela é uma verdadeira "luxo puro". E a cena final é sensacional, com uma das frases que entrou para a história de todo o sempre no Cinema: Frankly, my dear, I don't give a damn. E eu adorei, hahah.

Kate B.2010-06-16 16:09:17

Link to comment
Share on other sites

Bela resenha' date=' Dook. Eu acho o filme sensacional. Assisti sem achar cansativo e, de fato, Vivien Leigh carrega o filme, que atuação fantástica. Scarlett não existe sem Leigh, praticamente. Adoro como o filme usa o melodrama bem e mostra a menina mimada perdendo tudo depois.  E, apesar de ter pedido tudo, continuou com seu egoísmo e vaidade. E como era egoísta! Ela é uma verdadeira "luxo puro". E a cena final é sensacional, com uma das frases que entrou para a história de todo o sempre no Cinema: Frankly, my dear, I don't give a damn. E eu adorei, hahah.
[/quote']

Mais fantástica ainda que a fala final é a resolução da Scarlett: "amanhã eu penso nisso... agora estou sem cabeça..."

 

0606 
Dook2010-06-16 16:26:10
Link to comment
Share on other sites

 

Bela resenha' date=' Dook. Eu acho o filme sensacional. Assisti sem achar cansativo e, de fato, Vivien Leigh carrega o filme, que atuação fantástica. Scarlett não existe sem Leigh, praticamente. Adoro como o filme usa o melodrama bem e mostra a menina mimada perdendo tudo depois.  E, apesar de ter pedido tudo, continuou com seu egoísmo e vaidade. E como era egoísta! Ela é uma verdadeira "luxo puro". E a cena final é sensacional, com uma das frases que entrou para a história de todo o sempre no Cinema: Frankly, my dear, I don't give a damn. E eu adorei, hahah.

[/quote']

Mais fantástica ainda que a fala final é a resolução da Scarlett: "amanhã eu penso nisso... agora estou sem cabeça..."

 

0606 

 

Putz, verdade. A Scarlett é demais 06

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...