Jump to content
Forum Cinema em Cena

" HIT & MISS "


jujuba
 Share

Recommended Posts

HIT & MISS

 

BafoniqueSeriGay.jpg

 

2r2nqlz.jpg

 

Sinopse:

Mia é uma transsexual competente.

Ao receber uma carta de Wendy, uma namorada do passado, em estado terminal que diz ter engravidado há 11 anos.

Ao procurar o filho descobre que Wendy teve mais três filhos de outros relacionamentos. Assume as crianças aprendendo a ser mãe e a conciliar seu trabalho como assassina profissional.

 

Elenco:

Jonas Armstrong, Vincent Regan,Erin Shanagher, Jordan Hill, Ethan Griffin, Steve Money, Ben Crompton, Peter Wight, Karla Crome, Reece Noi, e Roma Christensen.

 

Criador: Paul Abbot

Roteirista: Sena Conway

Trilha: Dickon Hinchliffe

Promo:

 

 

 

Sevigny é a atriz perfita p/ o papel, ela tem esse jeitão meio andrógino.

O único senão é que ser uma trans num vilarejo, “mãe” de uma criança, cheia de perguntas de respostas compliadas, namorando um hetero, uma família disfuncional...aff! Recheio suficiente. Ela ser uma assassina profissional... sei lá... pode ser um pouco demais.

 

Anyway, há muitas cenas explícitas e corajosíssimas de nudez e sexo na série.

Alguns poderão até achar que as vezes eles errem a mão, exageram e tals.

 

 

Supervale pelo menos uma checada no piloto!

Link to comment
Share on other sites

Vi os 2 primeiros ep, a Ju me encheu tanto para assistir q acabei vendo.. hehehe

 

É uma boa série de drama, tem uma narração completamente diferente das americanas, ela é extremamente arrastada e demora para acontecer algo, e quando algo de importante acontece, ele é narrado rapidamente para não tirar o foco do conflito familiar de Mia... o foco é no conflito de Mia em ser aceita pela sua nova família, o que dá um pouco de profundidade emocional a personagem... sempre em conflito com sua sexualidade das quais os demais personagens fazem questão de jogar em sua cara constantemente...

 

E não achei as cenas chocantes não, não irei fazer uma analise profunda sobre as cenas, mas elas ajudam a compor a personalidade de Mia, ora tendo nojo de seu órgão sexual, ora espancando ele... porem ao saber q ele é falso, e a atriz é na verdade uma mulher, tira um pouco o impacto da cena, pois da para se perceber a artificialidade...

Link to comment
Share on other sites

Me deu um medão de que tu fosse mais explicitos na descrição das cenas ... afff!

...tira um pouco o impacto da cena, pois dá para se perceber a artificialidade...

Num diz não que tu apertou o rew do controle várias vezes p/ checar...

 

E pára de chorar que a série (ou seria minissérie ?), tem apenas 6 eppys, ow!

 

E, as cenas mais fortes estão po vir.

 

 

Eu acho a série quase perfeita, algo que me incomoda, e que acho que nos impede de "comprar" a história totalmente, é o fato de como uma pessoa pode ser boa a ponto de abandonar sua vida, sacrificar seu sonho máximo (leia-se mudar de sexo) consegue matar com tanta eficiência...

 

Os 5º e 6º eppys são bem fortes tanto qto as cenas de sexo qto a de violência homofôbica.

É, os ingleses costumam pesar a mão, as vezes!

Link to comment
Share on other sites

Foi difícil ver esse piloto. Ele é monótono, sua lentidão e excesso de 'silêncio' entre os diálogos não são reflexivos nem nos possibilitam algum tipo de aprofundamento na cena.

Pelo menos pra mim, foi entediante.

 

Há várias coisas muito interessantes nele, mas que não funcionaram plenamente.

 

 

Bem, primeiro temos a Mia logo no início mostrando-nos qual é a sua profissão. Uma assassina de aluguel. Eu pessoalmente achei desnecessário ela matar o cara com tantos tiros bem de perto, sendo que ela poderia dar mais um na cabeça dele e sair (seria até mais frio e silencioso), mas parece que tentaram retratá-la como "cruel" de certa forma. Acho que gostei mais foi do batom vermelho depois do "serviço" feito. Tipíco clichê de mulher fatal que ficou bom.

 

Sobre o nu da Mia, achei normal. O interessante é que com aquele nu do banho eles conseguiram nos passar a idéia de que ela era uma transex. E discordo do que o Sith falou de soar artificial a atriz ter um P*. Seria como saber que a Julianna Margulies não é advogada e achar que TGW não funciona. A questão não é saber isso, mas sim o personagem conseguir te envolver.

 

No quesito à sexualidade da Mia, achei que até aqui (2 ep assistidos) é superficial. Temos algumas cenas que remetem ao conflito, mas nada demais. A Mia ser transex é só um tempero pro drama que relamente parece ser o conflito familiar, e a questão da morte da mãe dos babyssauros lá.

 

A Riley é uma idiota e nem dá pra dizer que seu comportamento é assim por conta do falecimento da mãe porque o romance dela com o John parece ter algum tempo.

 

Pode parecer um tanto estranho, mas achei legal o filho dela fazer a cena lá tanto do sutiã quanto do vestido porque eles não colocaram isso necessariamente como uma busca por sua sexualidade como pareceu à primeira vista, mas sim a busca por uma conexão com o pai que agora é uma mulher. Ou melhor dizendo, sempre foi, afinal transex são pessoas que não nasceram com o gênero sexual com o qual se identificam e isso não quer dizer que seja estranho ela namorar um homem hétero (como a Ju expôs) uma vez que a Mia, na verdade é uma mulher. Só que ainda não conseguiu mudar completamente de gênero.

 

 

De qualquer forma, vou ver os outros ep's pra ter uma idéia melhor de tudo, mesmo sabendo que, salvo engano, a série foi cancelada.

Link to comment
Share on other sites

Eu tb senti essa flata de fluidez de diálogos, de conexão entre os personagens, como se estivessem só preocupados em dizer suas falas sem aquela conexão que rola numa cena emocionalmente conflitante como a deles, masss isso melhora nos próximos eppys.

 

Estranho tu comentar essa cena do menino pq ela me chocou exatamente pq me bateu uma certa rejeição por uam criança estar filmando algo assim.

A vi mais como curiosidade de Ryan

 

De qualquer forma, vou ver os outros ep's pra ter uma idéia melhor de tudo, mesmo sabendo que, salvo engano, a série foi cancelada.

 

Eu não tenho certeza mas acho que foi mais uma minissérie que poderia vir a ser uma série se vingasse.

Os ingleses fazem muito isso, tipo "Accused", "Luther" (ambas muito boas, mesmo!) Daí a maioria ter apenas 6 eppys na primeira temporada.

Link to comment
Share on other sites

Eu gostei do pilot ;)

Mas achei que tem qualquer coisa que não engrena... Talvez, seja a falta de um foco na história...

Não sei ao certo.

 

Foi o que disse, o piloto tem muitas coisas interessantes, mas que pra mim não funcionaram. Por exemplo, os "silêncios" deveriam funcionar como um desconforto que um personagem sente diante do outro. Principalmente por Mia ser transex e toda a situação do drama.

 

 

Estranho tu comentar essa cena do menino pq ela me chocou exatamente pq me bateu uma certa rejeição por uam criança estar filmando algo assim.

A vi mais como curiosidade de Ryan

 

 

Jujuba, como falei. À primeira vista parece sim uma curiosidade, principalmente porque ele questiona Mia sobre quando ela descobriu que era uma menina etc. Mas depois, ao menos pra mim, soou mais como uma busca por conexão. Levando em conta principalmente o diálogo dele com a Mia depois da cena do vestido, onde ele afirma que gostaria de se parecer com ela etc,etc,etc e ela diz que já são semelhantes, depois ele encerra dizendo: "então eu não sou uma garota?" e ela afirma que não.

Pra mim foi isso, porque é a visão de uma criança, igual à Lee cortando o cabelo da Barbie e chamando- a de mãe, ou até a parte de colocar uma camisinha na boneca. São a exteriorização dos transtornos pelos quais estão passando e acho que até por isso as crianças parecem ser os personagens mais profundos da série. -_-

 

Ps.: Por que sentiu 'rejeição' por uma criança estar filmando algo assim?

Link to comment
Share on other sites

Ep 3 visto e posso afirmar que é o melhor até agora. Então pra quem se arrastou nos 2 primeiros, recomendo ver esse pra dar uma animada.

 

Acho que praticamente tudo nele funcionou de certa forma e os babyssauros continuam sendo os melhores personagens na série, todo o meu amor pro Ryan no final do ep lá com os sapos.

 

Uma coisa que vale repetir é que a questão da sexualidade da Mia realmente não é o foco da série mesmo.

 

Ps.: Quero um corselet igual ao que ela usou! :rolleyes:

Link to comment
Share on other sites

As roupas dela se aprecem emsmo com a de alguém que se esforça em feminina.

 

Acho que o foco é nessa família disfuncional pq cada um dos mebros dela tem problemas emocionais graves.

Anyway, prefiro que o foco recaia sobre uma Mia trans que numa Mia assassina.

Link to comment
Share on other sites

Essa atriz Chloë Sevigny teve a coragem de fazer uma cena de um verdadeiro sexo oral num filme que vi por ai uma vez, foi meio chocante porque o filme foi feito por atores "normais" e não porque era um filme adequado para maiores para isso, me lembrou um filme francês chamado romance da decada de 90.

 

Acho que tenho algo de admiração por essa atriz, mais pela coragem que ela mostra em se expor dessa forma num mundo cruel de hollywood.

 

Mas não assistiria essa série, respeito as pessoas desse mundo, mas não gosto do tema, capaz de ir pro limbo essa série, tem muita gente preconceituosa por ai ainda e que não tem agrado pelo tema.

Link to comment
Share on other sites

A série é boa tal, melhora mto no terceiro em diante com a conclusão do caso de John e da Riley... não gostei do tio deficiente, ele ficou mto WTF na história e não serviu praticamente para porra nenhuma... o garotinho e a Lee tb estão lá apenas para figuração... e o relacionamento da Mia com o Ben achei q foi bem explorado... e gostgei da forma q o Baby Dragon conseguiu envolver a família da Mia...

 

Apenas um porém... Não sei se amo ou odeio a Jujubinha... ela me encheu para ver essa série, ok, até gostei... mas porra, ficarei agora sem ver a merda do final pq ela foi cancelada... :/

 

PS. Tica, sobre a artificialidade q falei, não foi sobre a atriz q não conseguiu me envolver... e sim como a forma q é o negocio quicava, não é daquele jeito, me deu vontade de rir.. A Ju riu mto quando expliquei para ela... :P

Link to comment
Share on other sites

O filme, pela descrição deve ser "Brown Bunny".

E ela tme bastante filmes polêmicos na carreira. Acho o mais pesadinho "Kids"

 

Eu tb acho que nem vingue, mas nem é pelo preconceito, não.

Ter uns 092848747354 arcos meio que diluiu tudo na série. Ela só se achou, ficou mais coesa, lá pelos 3 últimos eppys.

Muitos devem ter desistido dela antes.

Link to comment
Share on other sites

Ela já foi cancelada... o ep6 foi o Serie Finale...

 

Eu já tinha visto isso no TVRage. :mellow:

 

As roupas dela se aprecem emsmo com a de alguém que se esforça em feminina.

 

Acho que o foco é nessa família disfuncional pq cada um dos mebros dela tem problemas emocionais graves.

Anyway, prefiro que o foco recaia sobre uma Mia trans que numa Mia assassina.

 

Apesar desse 3º ep ser melhor, eles não se interessam muito em se aprofundar na Mia. Acho que nem na parte assassina.

 

A questão é que eles venderam a idéia de falar de uma transex que acaba se encontrando numa situação em que se depara com uma família 'disfuncional',como citou. Porém, acabam falando de uma família disfuncional que tem uma transex. Acho que por isso que as pessoas desistiram da série.

 

Além do mais, o piloto é fraco. Logo o piloto que deve ser algo que nos empolgue a acompanhar a série. Fora que a Mia não é uma protagonista fodona e não acho que isso seja culpa da atriz em si, mas de todo o conjunto da obra.

 

Enfim, eu prometi pra Jujuba que veria tudo e vou ver, ainda mais que parece que melhora um pouco por agora.

Link to comment
Share on other sites

A série é boa tal, melhora mto no terceiro em diante com a conclusão do caso de John e da Riley... não gostei do tio deficiente, ele ficou mto WTF na história e não serviu praticamente para porra nenhuma... o garotinho e a Lee tb estão lá apenas para figuração... e o relacionamento da Mia com o Ben achei q foi bem explorado... e gostgei da forma q o Baby Dragon conseguiu envolver a família da Mia...

 

Apenas um porém... Não sei se amo ou odeio a Jujubinha... ela me encheu para ver essa série, ok, até gostei... mas porra, ficarei agora sem ver a merda do final pq ela foi cancelada... :/

 

PS. Tica, sobre a artificialidade q falei, não foi sobre a atriz q não conseguiu me envolver... e sim como a forma q é o negocio quicava, não é daquele jeito, me deu vontade de rir.. A Ju riu mto quando expliquei para ela... :P

 

Eu já acho o oposto sobre os babyssauros, mas não sei se nos episódios que se seguem isso muda. Porque como estamos falando de uma família que está passando por um período conturbado, acho que eles são a melhor representação disso.

 

Ah tá, sobre o negócio, Sith. Acho que não tinha como ficar idêntico nesse sentido (sendo assim, sim). Sei lá, nem imagino como seria ela excitada! hehehe ^_^

Link to comment
Share on other sites

Calma, Ju. Não falei por maldade.

 

Você mesma estava criticando a série dizendo que ela era "quase perfeita" e que "não sentiu fuidez no diálogos" além de achar que "nem vingaria mesmo" porque só melhora nos últimos ep's.

 

Eu só disse que veria até o final :)

Link to comment
Share on other sites

Não é isso, não.

É que sei que tu tem pouco tempo, muitas séries p/ ver e seria injusto tu deixar de ver uma que tu curte p/ ver uma que não.

 

Já fiz isso com "Boardwalk Empire", que é ótima, masss que é do tipo de série densa, que vai te prender lá pelo 6 eppy. Vi 4.

Foi assim tb com "Fringe" que achei até interessante massss que até agora não me fisgou de tudo.

 

São ótimas séries...

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...