Jump to content
Forum Cinema em Cena

Recommended Posts

O Pablo não tá conseguindo dormir direito e tem resolvido escrever críticas mal-humoradas, só pode ser isso. Criticar a direção do Branagh é um absurdo e quando ele precisa dizer que uma câmera precisa estar em uma determinada posição para cumprir determinada função, só dá crédito para seus detratores. O Branagh consegue equilibrar a narrativa em todos os seus aspectos e níveis (mérito que merece ser dividido com ele e não apenas para a montagem), o diretor consegue explorar o potencial da história que quer contar e funciona e muito como filme de ação. E personagens complexos não são sinônimos de qualidade, da mesma forma que os personagens que são apresentados em "Thor" não deixam de ser interessantes por sabermos pouco sobre eles até porque o que se mostra é suficientemente coerente e eficiente dentro da proposta do filme. É o que basta, não se trata de ser mais ou menos exigente. E o filme tem muita personalidade própria já que funciona como filme, mas sabe muito bem explorar o universo dos Vingadores, algo que está sendo visto gradativamente, se o Pablo faz questão de lembrar.

 

PS: Pensar na possibilidade do "Homem de Ferro" ajudar a SHIELD em "Thor" é uma besteira sem tamanho. Mas quantos minutos se passam da aparição do robô até o seu fim? Ah tá... 
Thiago Lucio2011-05-07 13:56:11
Link to post
Share on other sites

É uma besteira mesmo, Thiago. Que colocação mais absurda...

 

 

 

Imagine que salada indigesta colocar Stark + Thor + Loki + Gigantes do gelo no mesmo filme....

 

A partir do momento em que sugere mudanças inalcançáveis, a crítica se torna tão rasa quanto, supostamente, é o roteiro do filme.

 

 

 

 

 

Quanto aos efeitos especiais, cenários e figurino, ai já acho que realmente é discutível. Não achei um primor. Asgard é exageradamente dourada e as armaduras parecem de plástico em alguns takes.

 

 

 

Se fosse um épico, comprometeria. Como Thor tem apenas a proposta de ser divertido e sim, preparar o público para Avengers,a coisa funciona muito bem.

 

 

 

O Pablo já escreveu textos muito bons, mas esta crítica me pareceu um texto apressado e que por falta de revisão acabou permeado de sucessivos argumentos frágeis.Scarlet Rose2011-05-07 15:04:33

Link to post
Share on other sites

Alguém mais achou estranho que o Pablo se mencione fimes como "Contato"

achado que Thor está procurando fazer alguma referência a outros filmes

quando a ponte entre os mundos "bifrost" claramente vem da própria mitologia da Marvel? Não cabe fazer essas comparações, Thor em nenhum momento quer remeter a idéia de contatos alienígenas.

 

E realmente o comentário final foi risível, antes de tudo o Homem de Ferro não é funcionário da SHIELD e também, como o Tiago Falou, o Destruidor era uma ameaça imediata e serviu para mostrar o altruismo e humildade de Thor. Eu não sei, a piadinha de injeção do Dr. Downey JR ficou muito sem graça, e um tanto esnobe.

 

Mas eu concordo em vários pontos, o romance realmente não funcionou, mas eu compro a idéia da Jane ficar caida pelo Thor simplesmente porque ele ficou muito carimático e charmoso no filme, muito bom mesmo. E a mudança brusca de personalidade, pois é, não colou também.

 

Mas bem que eu gostaria que o Pablo descesse a porrada na Kat Dennings.... ugh que personagem insuportável e inútil para a história, e a atriz parece que se esfroçou em ser extra repulsiva.... sério, a piadinha do ipod e a incapacidade dela falar Mjolnir são o ponto mais baixos do filme. Ainda bem que no terceiro ato do bagulho o diretor toma noção como a "Darcy" é um pé no saco e cala a boca dela.

 

 

Link to post
Share on other sites

Tony Stark não aparece Pablo porque ele tinha acabado de resolver os problemas de Homem de Ferro 2 na ExpoStark. E agora estava em uma certa cena final de O Incrivel Hulk, a cena do bar em que ele encontra com o General Ross se não me engano...

Quem não notou os acontecimentos de Homem de Ferro 2 é mais ou menos no mesmo tempo de O incrivel Hulk, Jackson (Nick Fury) os cita para Stark em uma das cenas da continuação do filme do ferroso, bem espero não estar louco...

E o incidente com o Destruidor foi repentino e rápido...

 

A Marvel não dá ponto sem nó, todos os filmes tem conexões, apesar de sutis e isso é genial...

 

E como nos quadrinhos tipo, o Homem Aranha, thor, homem de ferro, capitão saem no tapa com ameaças em todas as edições e nem por isso em todas as histórias eles contam com a ajuda um dos outros.

 

 

 

Link to post
Share on other sites
Alguém mais achou estranho que o Pablo se mencione fimes como "Contato" achado que Thor está procurando fazer alguma referência a outros filmes quando a ponte entre os mundos "bifrost" claramente vem da própria mitologia da Marvel? Não cabe fazer essas comparações' date=' Thor em nenhum momento quer remeter a idéia de contatos alienígenas.

E realmente o comentário final foi risível, antes de tudo o Homem de Ferro não é funcionário da SHIELD e também, como o Tiago Falou, o Destruidor era uma ameaça imediata e serviu para mostrar o altruismo e humildade de Thor. Eu não sei, a piadinha de injeção do Dr. Downey JR ficou muito sem graça, e um tanto esnobe.

Mas eu concordo em vários pontos, o romance realmente não funcionou, mas eu compro a idéia da Jane ficar caida pelo Thor simplesmente porque ele ficou muito carimático e charmoso no filme, muito bom mesmo. E a mudança brusca de personalidade, pois é, não colou também.

Mas bem que eu gostaria que o Pablo descesse a porrada na Kat Dennings.... ugh que personagem insuportável e inútil para a história, e a atriz parece que se esfroçou em ser extra repulsiva.... sério, a piadinha do ipod e a incapacidade dela falar Mjolnir são o ponto mais baixos do filme. Ainda bem que no terceiro ato do bagulho o diretor toma noção como a "Darcy" é um pé no saco e cala a boca dela.
[/quote']

 

Eu também achei a comparação com "Contato" um tanto quanto desnecessária até porque o filme do Zemeckis é sobre isto enquanto que em "Thor" isto é apenas mais um elemento narrativo.

 

Além de ser uma piadinha esnobe e desnecessária, existe o argumento nerdístico acima que dá uma explicação racional para o Pablo ver que ele se equivocou...

 

Com relação ao romance, acho que é até um argumento subjetivo, mas convenhamos que a Portman intepreta uma astrofísica desajeitada, desajustada e que praticamente não tinha vida social. Aí me vem o deus nórdico em pessoa e ela não ficaria balançada? E o Thor tem um jeitão galanteador, é claro que ele ficaria encantado por ela, inicialmente até por ser conquistador, mas depois porque reconheceu que ela se preocupava com ele. Sei lá, não se trata de uma relação romãntica ao estilo "Antes do Amanhecer/Antes do Pôr do Sol", a abordagem ainda está na superfície, mas o casal convenceu, o arco dramático dos dois foi eficiente.

 

A Kat Dennings não me incomodou tanto assim, honestamente. Gostei do fato dela ser uma estudante de Ciências Políticas que caiu de pará-quedas nessa parada de astrofísica... rs
Link to post
Share on other sites

Alguém leu acritica do filme Thor do Rubens Ewald Filho?

 

Eu tentei comentar no blog dele, mas como democracia não é a praia dele, não foi publicado. Vou publicar aqui

"

 

Perfeito o comentário do Régis, sua idade é ótimo. Assim

como é ótimo ele dizer que o ator de 28 anos tem uma "certa idade"

ahuuhauhauhahuauhauh

 

Meu deus um jovem ator de 28 anos, e ele me diz certa idade.

 

Vocês já repararam que o Rubens pensa em sua mente de velho

que todo mundo tem algum defeito físico. Freud explica!!!!!!! Estes dias lendo

a critica de água para elefantes cai na gargalhada quando ele chamou Resse

Witherspoon de Velha!!! huauhahuauhuhahuahuahu

 

Desculpa Rubens mas realmente vc precisa se aposentar

e deixar a bola para o PabloVillaça

 

 

Link to post
Share on other sites

 

 

Mas a Weta não cria do zero as armaduras e cenários de nenhum filme que ela trabalho... tudo isso é decisão dos departamentos de arte, figurinistas, etc, tudo com a aprovação do diretor e/ou produtores. O trabalho da Weta é fazer.

 
No fim das contas eu até gostei da concepção visual de Asgard... é brega... mas em um mundo de deuses cabe bem essa ostentação exagerada... a gente olha para as armaduras e já percebe a grandiloquência do negócio.
Link to post
Share on other sites

Gostei demais do filme. Gostei de tudo. cenário, ação, roupas, trama, diálogos. achei o humor no ponto certo, sem exageros. O cara é garotão mesmo, a Natalie Portman é uma gata. Eu com certeza não ia esquecer uma mulher daquela nunca. Apesar de ser meio sem lógica ele rapidamente mudar de personalidade eu digo que o diretor conseguiu fazer isso plausível. Porque ficou tão bem feito que eu nem notei que foi rápido demais. Devo dizer que a única coisa que achei estranho foi ver eles montando cavalos naquele cenário verdadeiramente opulento e dourado. Não consego pensar qual seria o meio de transporte adequado, mas sei que o cavalo me pareceu meio sem lógica. O Pablo só pode é ter raiva do Thor, crítica tudo meu amigo. Como é que pode?

Link to post
Share on other sites

 

 

 

Na verdade eles tem profissionais que cuidam de arte, figurino, cenografia... mas em grandes produções hollywoodianas eles só agem para complementar conceitos que vieram da equipe do filme. Mas de produção original, original mesmo... só em projetos internos da Weta...

Lucas2011-05-08 19:59:22

Link to post
Share on other sites

Sinceramente, estas posturas de Pablo me preocupam. De repente um crítico da nova geração começa a se portar como os dinossauros da 7ª arte: ranzinza, exacerbadamente comparativo e pretextuoso.

Querer que todos os romances sejam profundos é ridículo. Uns ama, outros apaixonam-se, outros apenas "ficam"...

 

Creio que ele está de olho na velha escola, e na ânsia de sentar numa cadeira das múmia de outrora, faz esforço para formatar um filme na cabeça e não admite que algo saia diferente do planejado.

 

Tá esquisisto este Pablo!!!
Link to post
Share on other sites

EU DESISTO! Simplesmente não leio mais as criticas do Pablo... Cara, nao sou cineasta, não sou produtor.. sou espectador.. e aos meus olhos o filme cumpriu o prometido q era divertir... filmes dramaticos q exigem uma trama complicada, é outra historia ... Não costumo falar isso, mas aqui eu falo.. "Ô Pablo.. vai la e faz melhor cara..." Na verdade nunca vi seu nome associado a nenhuma produção brasileira... se teve, diga ai qual q vou assistir com prazer... té mais

Link to post
Share on other sites

SPOILER<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Acho que o Pablo não consegue mais se divertir com o cinema, porque esse filme é pura diversão, mas claro que respeito a opinião.

No meu caso é de chorar ouvir o martelo girando, trovões, relâmpagos, Asgard, Odin, pai de todos, a Bifrost, enfim, foi uma experiência a muito sonhada.

O humor está no time certo, parece comédia de situação, tipo Senfeild, a cena do café da manhã que a Darcy dá aquela olhada pro Erik e sua ressaca é muito boa, a guria não é tão tança assim como dizem.

As atuações estão num bom nível, nada para Oscar claro, mas convenhamos quem se importa com isso quando funcionam a ponto de emocionar, cito 3 exemplos:

- Thor implorando a Loki para voltar pra casa, Chris está muito bem, e essa cena é chave pra entender a virada de personalidade do Thor.

- O dialogo final entre Odin e Thor, pai e filho num momento sublime.

- Tom H. fez um vilão complexo, nada como Hannibal, mas complexo a ponto de deixar uma pulga atrás da orelha: Ele tinha intenção de matar o pai ou não? Acho que não, ele realmente achava que estava fazendo a coisa certa. Loki tem o problema do filho que se sente inferiorizado e isso Tom mostrou muito bem, essas intrigas palacianas e o clima de família funcionou muito bem.

Asgard é a CIDADE DOURADA, portanto está perfeita, a concepção de um paraíso e se não estou enganado, tem muito de Jack Kirby ali, portanto ponto pra Marvel . A ponte do arco Iris, a tecnologia asgardiana, o conceito de buraco de minhoca, Heimdall, tudo está perfeito nesse filme, inclusive o fato do local de desembarque na Terra ser numa cidadezinha no meio do nada. Isso é típico da mentalidade americana, vejam aonde Superman caiu quando chegou na Terra, isso da uma sensação de realismo ao filme, asgardianos estão se lixando pra NY e o escambau, coisa que se fosse feito pela mentalidade brasileira, Thor iria cair no calçadão de Copacabana.

 

A virada de personalidade do Thor ficou no ponto, pois foi mostrada como um choque pra ele o que Odin fez. Pensem, você leva uma vida como o filhinho do papai mais poderoso do universo, vivendo aventuras sem muita responsabilidade (Odin não estava muito feliz em coroa-lo) e sempre rodeado pelos amigos e pela família, de repente, teu pai te tira o martelo (algo como se fosse um braço, uma perna, um orgão teu), você fica sabendo pelo irmão que o pai morreu, que a culpa é tua e que a tua mãe não quer te ver, PQP, isso é puro Rei Leão, ou Hamlet (eu acho), como queiram, é puro Kennedy Brannagh, como não mudar? Thor reconhece que fez a maior burrada da vida e agora está por conta, humano, frágil e abandonado com esses mortais que antes ele posava de deus. Isso tudo é muito sutil, parabéns ao diretor.

Esse filme nos apresenta o conceito de super-heroi não visto no cinema desde  Superman 1, o sacrifício do Thor está mais interessante, mais humano que o da Jean Grey em XM2, esse filme é histórico dentro desse universo de ação e ficção e está longe de ser apenas uma apresentação dos Vingadores. Os Vingadores na verdade mal são citados no filme, HF2 fez esse trabalho ingrato, tanto que pagou o preço.

Acompanho trilha sonora há algum tempo e a trilha está muito boa, não entendo o Pablo, não tem mais coração. A música é emocionante, tocante e forte. Cito o momento final, desde o fim do combate até o final do filme, ela é magnífica, do forte ao singelo, um piano maravilhoso.

Link to post
Share on other sites

A música foi só ele que reclamou mesmo.

 

No mais, não deixa de ser xarope o fato do filme ter se vendido o tempo todo como prequel de Vingadores. Isso realmente tira a personalidade da produção. O próximo passo dessa franquia deve estar completamente aquém dos outros heróis da Marvel. Todos os spots americanos puxavam Tony Stark e os outros heróis, como se Thor fosse insustentável sozinho. Foi bola fora isso e a crítica americana não perdoou.

Link to post
Share on other sites

Caramba, o Cesar Trek fez um relato perfeito.

 

Thor é isso. Cinema é isso.

 

 

 

Eu não sei como o humor tá fora do pique, se em todas as sessões que fui, todos riram. Oras... vão dizer (ah.. são uns bobocas). E alguém queria que só os intelectuais fossem ao cinema. Hollywood iria se sustentar com meia-dúzia de pseudo-intelectos superiores?

 

 

 

parabéns César Trek. Não vi ninguém reclamar, a não ser Pablo e um ou dois aqui. A todos a quem perguntei, elogios foram muitos. Então, sucesso da empreitada.

Link to post
Share on other sites

A crítica do Ebert tá muito do mal hahaha

 

 

 

"The director given this project, Kenneth Branagh, once obtained funding for a magnificent 70mm version of "Hamlet." Now he makes "Thor." I wonder with a dread fear if someone in Hollywood, stuck with a movie about a Norse god, said "Get Branagh. He deals with that Shakespeare shit."

 

 

 

http://blogs.suntimes.com/ebert/2011/05/_i_didnt_attend_the.html

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
×
×
  • Create New...