Jump to content
Forum Cinema em Cena

Noite do Terror (Black Christmas - Novo Remake)


Jailcante
 Share

Recommended Posts

Blumhouse anuncia remake de Noite do Terror

POR
 BRUNO TOMÉ
 -
 13/06/2019
 
 

O clássico Noite do Terror, de 1974, que tem o título original de Black Christmas, ganhará um novo remake. O anúncio foi feito nesta quinta, 13.

A produção fica por conta da Blumhouse, principal produtora do gênero no momento. A estrela do filme será Imogen Poots, de Sala Verde.

O elenco também contará com Aleyse Shannon, Brittany O’Grady, Lily Donoghue e Caleb Eberhardt.

 

O filme já ganhou um remake em 2006, que no Brasil teve o título de Natal Negro. A trama original acompanha um grupo de universitárias que são stalkeadas por um estranho na noite de Natal. Noite do Terror é considerado o primeiro filme slasher da história.

A direção da nova versão é de Sophia Takal. O roteiro é de April Wolfe.

A nova versão de Noite do Terror tem previsão de lançamento para 13 de dezembro. O primeiro pôster do filme pode ser visto abaixo.

black-christmas.png

 

https://observatoriodocinema.bol.uol.com.br/filmes/2019/06/blumhouse-anuncia-remake-de-noite-do-terror

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

 

Eu adoto o NATAL NEGRO original (e acho o remake de 2006 desastroso). Em primeira instância eu acho um filme muito difícil de encontrar uma forma de reinvenção, por que não tem nenhum personagem icônico ou mitologia forte. Basicamente é uma história toda construída em torno da velha lenda urbana do maníaco que telefona pra vítima de dentro da casa, que já foi explorado a exaustão no gênero. Mas vamos ver o que sai.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...
  • 1 month later...
On 6/13/2019 at 5:32 PM, Jailcante said:

#Nãomudemofinal dessa vez, por favor.

Qual parte do final exatamente, Jail?

 

On 9/5/2019 at 12:27 PM, Jailcante said:

Trailer:

 

É, pelo jeito não vai que nem o original mais uma vez. Acho que no final assassino vai ser mostrado e deve ser alguém do elenco que não foi pro saco.

 Tem uma fotografia interessante. Mas acho que esse trailer mostrou demais. Pelo que deu pra entender, vai ser uma espécie de seita liderada pelo Cary Elwes com vários assassinos. Podiam ter dado um jeito de esconder isso.

 E esse novo remake parece que pegou só a premissa bem básica do original de garotas de uma irmandade são atacadas por assassino no natal, pois de resto tá bem diferente (o que eu meio tava esperando já).

Link to comment
Share on other sites

18 hours ago, Questão said:

Qual parte do final exatamente, Jail?

Talvez na parte que não identificam o assassino (e aí ele ainda estava na casa quando deixaram a sobrevivente lá sozinha), mas talvez pro público de hoje não sei se seria interessante.

No remake, inventaram que era um pessoal selvagem (que parece que saíram do 'Massacre da Serra Elétrica') que estavam escondidos na casa.

Link to comment
Share on other sites

On 9/11/2019 at 12:35 PM, Jailcante said:

Talvez na parte que não identificam o assassino (e aí ele ainda estava na casa quando deixaram a sobrevivente lá sozinha), mas talvez pro público de hoje não sei se seria interessante.

 Pois é. Era um final bem arrepiante, mas não sei se funcionaria tão bem com o público de hoje. De fato, quando eu vi achei estranho. Tudo bem acharem que não tinha mais perigo por que a protagonista supostamente tinha matado o assassino (na real, o namorado dela que não tinha nada com a história), mas sendo que já tinham achado uns dois corpos na casa, não pensaram em dar uma busca na casa toda (pelo que lembro, junto com o assassino de verdade no sotão, tinha mais uns corpos)?. Não ia colar muito bem não com o publico de hoje exigindo mais verosimilhança.

 

On 9/11/2019 at 12:35 PM, Jailcante said:

 

No remake, inventaram que era um pessoal selvagem (que parece que saíram do 'Massacre da Serra Elétrica') que estavam escondidos na casa.

No remake de 2006, eram dois assassinos, pelo que eu lembro. Um louco que foge do hospício, e outro escondido no sotão (que viveu escondido lá por anos), diferente do original, onde o assassino foge do hospício e só dai se esconde no sotão. Mudaram o final, mas a história do remake (que era um filme bem ruim) era mais parecida com o original, apesar de serem dois assassinos ao invés de um. Esse novo remake da Blumhouse já parece que vai usar só o plot básico.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

‘Natal Sagrento’: Remake da Blumhouse será a primeira versão com baixa classificação indicativa

Por Nefferson Taveira
Publicado em 13/11/2019 às 22:20

De acordo com o Exhibitor Relations, o remake ‘Natal Sangrento‘ (Black Christmas) terá baixa classificação etária (PG-13), o que indica que o terror terá pouquíssimo sangue nas telonas.

A baixa classificação indicativa se deve a “violência, terror, conteúdo temático envolvendo assédio sexual, linguagem, material sexual e bebida.”

É a primeira versão a ter baixa classificação, sendo que os anteriores eram para maiores de idade.

Dirigido por Sophia Takal, o longa é baseado no filme homônimo lançado em 1974. Vale lembrar que a produção original já havia recebido um remake em 2006, intitulado ‘Natal Negro‘.

 

FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA

Link to comment
Share on other sites

  • 4 weeks later...

‘Natal Sagrento’: Remake tem estreia CANCELADA nos cinemas nacionais

Por Nefferson Taveira
Publicado em 29/11/2019 às 13:28
Universal Pictures revelou ao CinePOP que o remake ‘Natal Sangrento‘ (Black Christmas) teve sua estreia cancelada nos cinemas nacionais. Inicialmente previsto para estrear nas telonas no dia 12 de dezembro, o longa agora será lançado direto em vídeo.
 

Ainda não foi divulgado quando o terror será lançado oficialmente no Brasil.

 

FONTE: CINEPOP

 

Estranho. As produções da Blumhouse geralmente são lançadas no cinema por aqui

Link to comment
Share on other sites

'Natal Sangrento': Diretora fala sobre o nível de violência do remake

Por Nefferson Taveira
Publicado em 13/12/2019 às 16:00
 

Em entrevista ao Bloody Disgusting, Sophia Takal, diretora do remake 'Natal Sangrento', defendeu a baixa classificação etária do terror, revelando que estava disposta a fazer um filme para maiores caso tivesse que censurar algo importante.

"A ideia sempre foi fazer um filme com baixa classificação etária, pois nós queríamos que as pessoas jovens fossem assistir o filme. Elas são animadas e receptivas ao gênero terror. Mas nós estávamos preparados para fazer um filme para maiores, caso recebêssemos uma alta classificação etária. No entanto, nós conseguimos uma baixa classificação, mesmo com todas as cenas envolvendo abuso sexual e eu não queria suavizar isso."

Ela completa,"O que mais me surpreendeu foi a reação [negativa] das pessoas sobre o filme ser para menores, pois o longa original não é particularmente violento. O que faz o filme assustador é o fato de você não ver o que está acontecendo, depende apenas da sua imaginação. Sua imaginação sempre vai ser mais visceral do que qualquer efeito prático na tela."

Infelizmente, o remake conquistou apenas 43% de aprovação no Rotten Tomatoes. Recebendo duras críticas por sua abordagem, o terror parece não ser assustador o bastante para entreter a audiência, chegando a ser comum demais.

 

FONTE: CINEPOP

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

‘Natal Sangrento’: Diretora do terror critica ‘Natal Negro’, remake de 2006

Por Nefferson Taveira
Publicado em 16/12/2019 às 15:10
 

Em entrevista ao Bloody Disgusting, a diretora do remake ‘Natal Sangrento‘, Sophia Takal, falou sobre o primeiro remake de ‘Noite do Terror‘, lançado em 2006 e intitulado ‘Natal Negro‘, revelando o que diferencia sua visão da releitura anterior.

“Eu sinto que o tom do meu filme é diferente. Até mesmo a trama é diferente. Tem muito mais em comum com o filme original do que a versão de 2006. Apesar de ser divertido, o remake de 2006 não investe em suas personagens como o filme original. A violência no filme de 2006 faz parecer que os corpos das mulheres são descartáveis. As personagens não parecem pessoas reais. Elas parecem mais com esteriótipos de universitárias que vemos nos filmes e o relacionamento entre elas é muito superficial.

Ela completa, “Nós queríamos fazer algo inovador [com esse novo remake].”

Vale lembrar que o novo remake fracassou nas bilheterias! Com um resultado muito abaixo das projeções, o longa arrecadou apenas US$ 4.4 milhões nos EUA.

 

FONTE: CINEPOP

Link to comment
Share on other sites

  • 4 months later...

Visto NATAL SANGRENTO

 

Natal Sangrento - Filme 2019 - AdoroCinema

 

  Na trama, a universidade Hawthorne está em polvorosa devido a uma petição que pede a demissão do Professor Gelson (Cary Elwes), um dos mais tradicionais educadores da instituição, acusado de assumir uma postura machista e racista em aula. Enquanto isso, Riley Stone (Imogen Poots) uma aluna que integra uma irmandade do campus enfrenta o trauma de rever um ex aluno que a estuprou dois anos antes (Ryan McIntyre), de volta ao campus, impune, após ninguém ter acreditado nela. A situação piora quando na noite de natal, uma figura misteriosa começa a rondar a sede da irmandade, pondo em risco a vida de Riley e suas amigas.

 Embora se anuncie como uma nova versão de NATAL NEGRO, clássico slasher de 1974, que já havia ganhado um remake (desastroso) em 2006, o filme dirigido por Sophia Takai guarda pouquíssimas semelhanças com o longa metragem dirigido por Bob Clark nos anos 1970. Os filmes dividem o fato de vermos um psicopata perseguindo alunas de uma irmandade universitária na noite de natal e era isso; o resto é easter egg. O roteiro escrito pela própria diretora em parceria com a estreante April Wolfe não é só uma historia de superação de abuso, mas um grande manifesto feminista pregando a sororidade; condenando a masculinidade tóxica e levantando bandeiras contra o machismo estrutural e a cultura do estupro. Em resumo, é um filme que vai fazer revirar o estômago de qualquer um que ache que maior representatividade feminina ou discussão sobre o machismo é uma bobagem, pois se algum filme pode ser acusado de querer "lacrar" (por mais problemático que esse termo seja) é esse, pois ele não se preocupa nem um pouco em ser sutil em suas mensagens.

  Além da própria situação traumática enfrentada pelo protagonista, que além do trauma em si, sofre o processo de culpabilização da vítima, já que ela "teria provocado", o filme apresenta a figura de Kris (Aleyse Shannon), uma ativista feminista responsável por textualizar muitas das intenções do filme e responsável por rebater alguma das críticas comuns ao feminismo. O roteiro até apresenta algumas sacadas mais sútis bem interessantes, como um elemento apresentado durante o 3º ato, que sugere que o machismo existe em algum nível dentro de cada homem (o que não discordo), mas aborda outras questões como a reação cultural violenta ao crescimento do feminismo e a existência do machismo de forma terrivelmente caricata, como se berrasse sem elegância alguma a sua mensagem no nosso ouvido. Entretanto, é importante frisar, que muitas das figuras apresentadas durante o 3º ato com todos os seus exageros, que chegam a tornar a obra inverossímil (provando que o que é real nem sempre é verossimil), de fato existem, e acreditam que nós homens estamos tendo o nosso Status Quo "concedido pela natureza" e também conquistado, atacado pela "ameaça feminista" .

  A abordagem feminista também se percebe na direção de Takai. A diretora trata o corpo feminino com uma delicadeza quase excessiva, ao ponto de muitas das mortes ocorrerem fora de tela. Quando os cadáveres das garotas aparecem, elas aparecem no chão de olhos fechados, e quando o estrago parece grande demais, vemos apenas as reações das personagens aos corpos. A direção de Takai, portanto, se mostra coerente com a abordagem do texto, que não combinaria com o padrão de corpos mutilados e objetificados comuns do slasher. O problema é que a direção de Takai não investe em um suspense ou mesmo uma elegância maior para suprir este recato com a violência, excetuando talvez a sequência inicial, onde o primeiro crime se transforma em uma macabra versão do anjo das neves. Enfim, NATAL SANGRENTO é um filme que tem muito o que falar, mas que parece tão ansioso para isso que acaba se atropelando. Não curti.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...