Jump to content
Forum Cinema em Cena

A Lenda de Beowulf


Recommended Posts

Apenas uma dica. Dica essa que eu já deveria ter dado há muito tempo.

 

 

 

Eu era internauta fiel do cinemaemcena, desde 99, e uma das seções que mais gostava eram suas críticas. Mas nos últimos anos tenho me desinteressado. A razão está no fato de incluir em suas críticas seu gosto pessoal. Você passou a condenar ou prestigiar filmes. Você adotou o papel de crítico e de 'leitor' ao mesmo tempo. Ao invés disso você deveria fazer puramente uma análise técnica, e deixar para o público decidir se o filmes é bom ou não. Não conheço você, mas acredito que você tenha estudado cinema. Caso tenha estudado, lembre-se que nem todos o fizeram. Não estudaram cinema. Não conhecem as técnicas ou os recursos empregados na produção de filmes.

 

 

 

Por favor, aceite esta crítica.

 

 

 

Se quiser responder, este é o meu endereço.

 

 

 

[email protected]

Link to comment
Share on other sites

Poxa Pablo! Tudo bem que não gostou muito do filme, mas desmerecer o poema épico de Beowulf em função da comparação com o Homero não é subjetividade? Foi isto que entendi? Lhe garanto Pablo que muitos estudiosos vão discordar em função da comparação cultural principalmente. A cultura germânica na epopéia não pode ser comparada à cultura greco-romana.

<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Concordo com você que a alteração cinematográfica do original poema foi uma boa distorção e que isto é até necessário. Mas o cinema é bem diferente da prosa.

 

No meu entendimento parece que você não deu muito crédito a anonimidade do poema? Ou estou enganado? Isto não deveria ser desprezado, muito pelo contrário, a ausência do autor não creditado na escrita é bem comum em várias epopéias medievais e contos. Logo seria prudente não levar em conta os diversos poemas dos trovadores? O ciclo arturiano é um deles, a Canção de Rolando, Tristão e Isolda.

 

Basta lembrar, que o poder supremo da época era a igreja e esta não era muito incentivadora destes contos fantásticos. Uma vez, que o seu conteúdo está fortemente agregado às crenças “pagãs”. Logo era perfeitamente normal o anonimato das obras. E não acredito que o valor da poesia de Beowulf na estória relatada nos versos e escrita seja “aborrecida”, ela tem um conteúdo tão fascinante do ponto de vista cultural, místico, até mesmo filosófico. Afinal o herói da saga é incorruptível hoje se espelha nos heróis imaginários e mesmo religiosos. Não que isto seja bom ou ruim, mas que mostra em termos de conteúdo informativo um ponto de vista diferente da sociedade de hoje que se voltou a apegar aos anti-heróis. Mas se o conto épico fosse tão aborrecido, Tolkien tomaria como base vários pontos em comum do poema e da Saga O Senhor dos Anéis? Mesmo nos filmes é fácil reconhecer partes similares de Beowulf, como até os nomes dos Palácios Dourados que se imitam. Tanto no poema dinamarquês como no filme o palácio do rei é por vezes chamado de Heorot (O Cervo Dourado ou simplesmente o Cervo). Aragorn é visto como um jovem salvador na corte do rei que caiu em desgraça com a invasão de monstros ou os Orcs, similar ao herói Beowulf. Em fim, acho difícil misturar uma crítica de cinema com uma crítica de um poema épico. Afinal, é notável que sejam coisas distintas. Pode ser que o poema seja aborrecidíssimo, mas pode ser que outros como eu ache Homero aborrecidíssimo. Tudo por conta do relato da Guerra de Tróia e a Odisséia envolverem os deuses no destino dos homens. Desmerecendo a humanidade em meu ver, como se eles não fossem capazes de serem fortes o bastante para tomar iniciativa e vencer por si só as adversidades.

 

Detalhe: Gosto de Homero, mas foi só um exemplo do que me incomoda de forma bem subjetiva. No entanto isto, não faz com que eu fique desgostoso de toda a obra em si.

Link to comment
Share on other sites

Eu li a crítica do Pablo e entendi que ele não gostou tanto de Beowulf por motivos técnicos e da própria narrativa e roteiro, mas acho que ele se apegou tb muito à adaptação do poema e, posso estar sendo incoerente, mas não sei se era o caso de se tratar como uma adaptação propriamente dita. Se é que fui claro ... 09

 

PS: Ainda não vi a animação. Sim, às vezes eu leio as críticas do Pablo antes de ver o filme (principalmente aqueles que não me empolgo muito em assistir, o que é o caso). Não, isso não afeta a minha análise qdo for ver o filme. Não, vc não precisa acreditar nisso ... 03
Link to comment
Share on other sites

Primeiramente, digo que gostei muito do comentário escrito por Plutão Orco.

Em segundo lugar, acrescento algo às informações do mesmo: O poema épico Beowulf, foi passado para o papel por um monge (ou bispo, padre...) cristão. E para que essa história não fosse condenada pela igreja (ou por que o monge quizesse usá-la como meio de propaganda para o cristianismo - acredito mais nesta hipótese), esse monge introduziu ideais cristãos na obra, que antes fora passada de boca em boca durante muito tempo.

Em terceiro:

Tenho opinião arriscada em afirmar que Neil Gaiman e Roger Avary se inspiraram no poema para criar, não uma adaptação, e sim outra obra (certamente que não intencionalmente - culto e honesto como sei Gaiman é, tenho certeza que ele jamais se aproveitaria de um obra já existente para produzir outra). Ainda pretendo ler o Beowulf original para concretizar meu argumento aqui posto, mas, enquanto isso, vou considerar o roteiro do filme (A Lenda de) Beowulf (quando nossos "tradutores" vão deixar de serem crianças ou de pensar que o público o é?!) uma criação mais original do que afirma. Isto não sendo algo ruim - de modo e/ou em tempo algum interpretem meu comentário como que dizendo que Gaiman a Avary descaracterizaram a epopéia dinamarquesa. Não estou desmerecendo nenhuma das duas obras. Creio que tanto o poema Beowulf, quanto o filme Beowulf, tem cada um suas características (boas e/ou ruins) próprias.
Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Só para esclarecer! Assisti o filme em uma sala 3D - Com óculos e tudo. é absurdo!!! Muito bom. Isso explica os planos deiferenciados e alguns movimentos de cameras que o Pablo criticou. Em 3d todos esses movimentos tem um objetivo e não é gratuíto. Fica na cara que o filme foi realizado para o 3D. Infelizmente, poucas salas no Brasil conseguem atingir essa tecnologia.

 

 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...

aqui no rio tem salas digitais e pude ver o filme em 3-d, só posso dizer uma coisa... que experiencia maravilhosa, nova forma de assistir a um filme, a sessão estava cheia e não teve um que não tenha aplaudido no final do filme, defeitos narrativos ou de direção a parte, é uma forma nova de encantar as pessoas e faze-las irem mais ao cinema, tb assisti a Familia do Futuro em 3-d e não tinha nada mais legal (até pq o filme naum é lá essas coisas), do que ver a reação da criançada, com os personagens, objetos e tudo mais saltando em cima da gente, mto bom....e não usem as pessimas experiencias que provavelmente tiveram com aqueles oculos de papel selofane horrendos, não tem nada a ver com aquilo, todas cores nitidas, e tudo mto real....tá aí um formato que devia ser mais incentivado, pq se daquelas sessões saiu pelo menos um moleke, apaixonado pelo cinema, já valeu ....

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...