Jump to content
Forum Cinema em Cena

TV Digital - O Que Esperar?


wolvie
 Share

Recommended Posts

Olá a todos..

Estamos nessa novela ai de escolha pelo padrão da HDTV no Brasil e gostaria de saber opnião sobre o que teremos por vir e o que esperamos desta nova forma de vermos a recepção de sinal de TV ! Ah e claro o que vem junto com este sinal ki agorá será digital com info de dados e mais dados hihi :)

Afinal qual é o melhor padrão ?

Link to comment
Share on other sites

Americanos do ATSC não desistem do Brasil

Por Redação Home Theater

selo_10c2.gif Embora as últimas declarações do ministro das Comunicações, Hélio Costa neguem, muito se especula que, dos padrões existentes de TV digital, Europeu (DVB), Japonês (ISDB) e Americano (ATSC), este último é o que tem menor chance de ser escolhido. Mais recentemente, foi a vez de André Barbosa Filho, assessor de política pública da Casa Civil, revelar que a adoção do sistema americano está praticamente descartada.


Indiferente a tudo isso, Robert Graves, presidente do Forum ATSC, segue sua luta para tentar convencer o Governo a mudar de opinião. “Entendemos que nosso padrão continua sendo o mais vantajoso para o País e enquanto o Brasil não der seu parecer oficial, continuaremos mostrando a vantagem de adotar nosso sistema”, disse Graves. Essa semana ele esteve na sede da LG, uma das empresas que apóia o sistema ATSC, para demonstrar alguns recursos interativos específicos para o Brasil, desenvolvido por pesquisadores da FITec (Fundação para Inovações Tecnológicas), um dos mais prestigiados centros de pesquisa e desenvolvimento nacional.


Foram apresentados dois modelos de aplicação desenvolvidos pela equipe, um voltado para o entretenimento e outro mais específico para inclusão social, uma das bandeiras do governo Lula e principal argumento utilizado para definir qual o sistema deverá ser escolhido.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Padrão japonês é o mais caro; europeu custaria menos.

Por Redação Home Theater

De acordo com o relatório do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (CPqD), divulgado hoje pela Teletime, o padrão japonês de TV digital seria o mais caro para o consumidor, considerando o valor do aparelho conversor de sinais analógicos para o sistema digital (set-top box).

O balanço do CPqD revela que o set-top box poderá custar R$ 761,00 se o modelo japonês for adotado. O valor intermediário fica com o modelo dos Estados Unidos (R$ 715,00), seguido pelo europeu, com valor abaixo entre os concorrentes (R$ 662,00).

A informação de que o relatório havia vazado para a imprensa não agradou o ministro das Comunicações, Hélio Costa, principalmente porque os estudos apontam algumas desvantagens para o padrão japonês, que tem a simpatia de emissoras de TV e do próprio ministro. Em entrevista coletiva, antes da publicação do estudo, Costa disse que relatório "não foi feito para agradar ou desagradar ninguém", mas deixou claro que tem opiniões divergentes das conclusões da Fundação. "Ninguém vai mexer uma linha, mas podemos discordar", afirmou.

Costa disse, ainda, que o relatório do CPqD apresentava "incoerências" e "imprecisões". Ele citou o exemplo do conversor de sinais que estaria no relatório, segundo ele, a um preço de US$ 400, enquanto, existe a promessa de "uma empresa" de fazer esse conversor por US$ 43.

O relatório aponta ainda as prioridades do sistema brasileiro de TV digital. No que se refere à inclusão social, o baixo custo é o item de maior prioridade, com nota 9, seguido da robustez (garantia de que o sinal chegará ao televisor), com nota 6, e da interatividade, com nota 4.

A estimativa é de que o gasto do consumidor chegue a R$ 14 bilhões em 15 anos, considerando um valor médio de R$ 400 por conversor de sinais. A previsão do CPqD é de que, após 15 anos, 81% dos domicílios terão conversores, considerando um valor de R$ 200 por aparelho. O CPqD propõe que em seis anos toda a transmissão de TV seja digital.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

eu queria seber msm eh quanto vai custar uma tv digital.

não vai precisar disso.   ao não ser que vc queira comprar uma.    agora, não criam muita expectativa a respeito disso, pois o que irá melhorar mesmo é a imagem, que vai ficar mais nítida.    A qualidade da programação não vai mudar em nada, ao não ser que eles tomem uma decisão de não querer mais dinheiro e mudar radicalmente isto.    Se der para ver mais canais imagem só, mais porcaria virá, para não dizer outra palavra.

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

No fundo... fora a questão da imagem (essa sim vai ser algo sensacional)... pouquíssima coisa vai mudar. Vai ter o canal público de novidade, mas de resto os mesmos que dão as cartas continuarão mandando, coisa que seria diferente de que fosse adotado o padrão europeu, que abriria mais canais e mudaria a relação de poder, com as teles entrando na jogada.

 

Mas é realmente lamentável que não tenha se desenvolvido o padrão brasileiro. Eu vi o padrão Sorcer na PUCRS e cabia muito dentro das nossa realidade, mas nunca que a Rede Glo..., digo, o Ministro Hélio Costa permitiria um modelo que pulverizaria a produção de conteúdo.
Link to comment
Share on other sites

não vai precisar disso.   ao não ser que vc queira comprar uma.    agora' date=' não criam muita expectativa a respeito disso, pois o que irá melhorar mesmo é a imagem, que vai ficar mais nítida.    A qualidade da programação não vai mudar em nada, ao não ser que eles tomem uma decisão de não querer mais dinheiro e mudar radicalmente isto.    Se der para ver mais canais imagem só, mais porcaria virá, para não dizer outra palavra.[/quote']

 

A gravação de programas vai ser bloqueada. Não vai ser tão fácil piratear não.
Link to comment
Share on other sites

A TVs começam a fazer propagndas para ensinar a usar a nova tecnologia...

 

http://br.youtube.com/watch?v=3CwvKSTCxMM

 

 

TV digital chega em dezembro sem sinal móvel e interatividade

 

 

 

Da FolhaNews

 

 

 

 

 

 

03/10/2007

08h31-A

60 dias do início das transmissões de televisão com sinal digital, o

sistema brasileiro não está preparado para ser muito mais do que uma

imagem com qualidade de DVD. Os recursos que tornam o modelo brasileiro

o "melhor do mundo", segundo a indústria do setor, não vão chegar às

casas da Grande São Paulo no dia 2 de dezembro.

 

 

 

O padrão japonês foi escolhido, segundo o presidente da Eletros

(associação da indústria eletroeletrônica), Lourival Kiçula, por

permitir interatividade, mobilidade e portabilidade. O espectador pode

enviar informações, comprar pela TV ou assisti-la em carros ou pelo

celular, por exemplo.

 

 

 

Mas a plataforma que permitirá a interatividade -o software Ginga-

e as negociações com operadoras de telefonia para a conexão e a

transmissão móvel não foram concluídas nem têm data para começar.

 

 

 

"Isso [lançamento com tecnologia parcial] não é interessante para o

consumidor", diz Daniel Kawano, analista de produto da Panasonic. Para

ele, há mais chances de comprar um produto e logo ter de trocá-lo para

receber outros recursos.

 

 

 

A partir do dia 2 de dezembro, o espectador poderá, por exemplo,

ver a escalação dos jogos e informações sobre a programação -a chamada

interatividade remota-, por ser a base de informações enviadas pela

emissora. Já comprar pela TV está descartado porque depende de conexão.

 

 

 

"Se for realmente plena [a interatividade], será necessária a

presença das operadoras [de telefonia]", afirma o vice-coordenador do

módulo de mercado do Fórum Brasileiro de TV Digital, José Marcelo

Amaral. O grupo tem representantes da cadeia como fabricantes de

produtos e emissoras, e ajuda na implantação da TV digital.

 

 

 

Segundo ele, as teles não conseguiram dimensionar os resultados que

a TV móvel trará. Mas ele diz que as operadoras e os fabricantes de

celulares foram chamados para discutir, no fórum, o uso de mais

recursos na TV digital. Os bancos também devem ser, para viabilizar as

compras via TV digital.

 

Fonte: Correio Braziliense

 

 

Link to comment
Share on other sites

No fundo... fora a questão da imagem (essa sim vai ser algo sensacional)... pouquíssima coisa vai mudar. Vai ter o canal público de novidade' date=' mas de resto os mesmos que dão as cartas continuarão mandando, coisa que seria diferente de que fosse adotado o padrão europeu, que abriria mais canais e mudaria a relação de poder, com as teles entrando na jogada.  [/quote']

 

exato, quanto a imagem, certamente que será algo novo conforme assim espero, quanto ao conteúdo, voce frizou muito bem, "quem dão as cartas continuará mandando", ou seja, acho pouco provável que tenhamos alguma melhora quanto "ao conteúdo", será sim mais alguns canais da Record Globo Band passando mais do mesmo, enfim, tambem tenho minhas ressalvas quanto ao que virá por ai03
Link to comment
Share on other sites

09/10 - 13h02
Receptor digital de R$ 250,00 será limitado

De acordo com a coluna Outro Canal, o receptor de TV digital que custará cerca de R$ 250,00 poderá apenas ser utilizado em aparelhos de TV com telas de até 14 polegadas.

Para ver TV digital em telas maiores, o consumidor terá de desembolsar R$ 700,00 pelo outro receptor.131313

fonte: natelinha.uol.com.br

 

alguem tem alguma informação mais técnica sobre esse assunto? alguma nota da internet?13estou pasma13
Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

 

 

O sinal da TV digital ainda não será Full HD....os conversores custam a partir de R$499,00 segundo a Folha...mesmo assim, dizem que a qualidade do sinal digital poderá ser notado até pelas pessoas que possuem televisores analógicos.

28/11/2007

-

08h51

TV digital estréia apenas na Grande SP, sem interatividade e pedindo mais gastos

CAMILA RODRIGUES

 

da Folha de S.Paulo

 

 

 

Finalmente a TV digital chega ao Brasil. As transmissões oficiais das

emissoras abertas começam na noite do próximo domingo, apenas na Grande

São Paulo. A promessa é de imagens melhores que as da analógica: o

sinal pega ou não pega, sem o meio-termo de chuviscos e fantasmas.

 

 

Segundo normas do Fórum do SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital),

todas as emissoras abertas oferecerão sua programação, na íntegra, em

formato digital a partir do próximo dia 2.

 

 

A maior parte dos programas será exibida em SD, que significa

definição padrão, melhor que a atual, mas inferior à alta definição (HD

ou full HD).

 

 

O formato HD é melhor que o de DVD, e é possível perceber bastante

diferença em relação ao formato analógico até em televisões de tubo. O

full HD só poderá ser assistido em TVs de alta resolução, que custam

mais de R$ 3.000.

 

 

Para usufruir desse benefício, entretanto, será preciso ter uma

antena UHF e adquirir um conversor, que custará entre R$ 499 e R$

1.099; o governo esperava que eles fossem oferecidos por cerca de R$

250.

 

 

Grande parte dos assinantes de TV paga vai precisar de duas

caixinhas: a usada atualmente e o conversor para a TV digital aberta.

Até agora, só a Net tem conversor híbrido.

 

 

Vantagens alardeadas da TV digital também não estarão acessíveis por

enquanto. A escolha entre diversos programas simultâneos em um mesmo

canal ainda não é viável, e a interatividade ainda está longe de se

tornar realidade.

 

 

Como o sistema Ginga, responsável por essa funcionalidade, está

ainda em fase de testes, é bem provável que o conversor adquirido hoje

fique obsoleto em apenas um ano, quando o software que tirará a burrice

da caixinha deve ficar pronto.

 

 

As emissoras dizem que estão se preparando para oferecer programas

interativos, mas há ainda outra questão a solucionar: não foi definido

qual será o canal por onde o telespectador mandará suas respostas --se

a rede telefônica comum ou a banda larga.

 

 

É claro que essa tecnologia vai amadurecer; afinal, está apenas

começando o que deve ser a principal mudança da televisão desde o

lançamento, no Brasil, dos aparelhos coloridos na década de 1970. Por

isso, se você ainda não quiser ou puder se adaptar, pode ficar

tranqüilo: o sinal analógico estará disponível até julho de 2016.

 

 

Detalhe em negrito...06

 

 

 

E a folha ainda traz o seguinte titulo para a Tv Digital:

 

 

"Bonitinha... cara, burra e capenga".

 

Nada mais aproriado, o tal conversor interativa, o Ginga, só ficará pronto em meados de 2008, portanto quem comprar o conversor hoje, corre o risco de ter um equipemento obsoleto em menos de 1 ano, o conversor que será vendido agora só receberá o sinal digirtal, não será interetivo, ou seja, burrinho, burrinho.

 

 

Big One2007-11-28 16:33:42

Link to comment
Share on other sites

O receptor com interatividade que só será lançado daqui a pelo menos seis meses será tão burro, tão imbecil e tão idiota quanto o receptor sem interatividade.

Qual será a utilidade do receptor com interatividade? Votar nos paredões do Big Brother? Escolher o "melhor" participante do Se Vira nos Trinta do Faustão? Participar das enquetes do Fantástico?

 

Analisem bem e verifiquem se há necessidade de interagir das maneiras citadas acima.

 

Essa TV digital é nada mais, nada menos do que mais um engodo que vão empurrar garganta abaixo do povão analfabeto funcional.

 

Antes de cogitarem a melhoria da qualidade de imagem das transmissões, os responsáveis por essa tal de TV digital deveriam pensar seriamente em obrigar as emissoras a oferecerem um conteúdo de qualidade e não esses lixos televisivos que só agradam a pessoas retardadas.

 
Link to comment
Share on other sites

Vamos ter lixo em alta definição.

 

Big' date=' esta frase é uma das que mais tenho ouvido sobre a Tv Digital ultimamente06

 

O receptor com interatividade que só será lançado daqui a pelo menos seis meses será tão burro, tão imbecil e tão idiota quanto o receptor sem interatividade.

Qual será a utilidade do receptor com interatividade? Votar nos paredões do Big Brother? Escolher o "melhor" participante do Se Vira nos Trinta do Faustão? Participar das enquetes do Fantástico?

 

Analisem bem e verifiquem se há necessidade de interagir das maneiras citadas acima.

 

Essa TV digital é nada mais, nada menos do que mais um engodo que vão empurrar garganta abaixo do povão analfabeto funcional.

 

Antes de cogitarem a melhoria da qualidade de imagem das transmissões, os responsáveis por essa tal de TV digital deveriam pensar seriamente em obrigar as emissoras a oferecerem um conteúdo de qualidade e não esses lixos televisivos que só agradam a pessoas retardadas.

 

 

e é justamente essa propaganda enganosa que o governo federal embarcou e está enfiando na cabeça de todos, é como voce mesmo disse, trata-se de puro engodo0912
Link to comment
Share on other sites

O padrão japonês era o único que não aumentava o espectro de canais. Eles irão fazer um enjambro para entrar a nova tv pública, mas em suma é isso mesmo... continuam os mesmos canais dando as cartas, sem novas concorrências...

 

Se a Globo é terrível, quando ela se une com as outras emissoras fica pior ainda... praticamente um cartel...
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...