Jump to content
Forum Cinema em Cena

Premonição 5 (Final Destination 5, 2011)


Jailcante
 Share

Recommended Posts

Conheça o desastre que abrirá Premonição 5

Filme tem novo título nos EUA

Érico Borgo
30 de Junho de 2010

O quinto Premonição ganhou um novo título nos Estados Unidos. E parece piada... Final Destination virou 5nal Destination (lê-se "five-nal") por lá.

Obviamente' date=' as piadas já circulam a internet já que "anal destination" é a leitura mais comum.

Em outra notícia mais interessante sobre o filme, foi divulgado o desastre que abrirá o novo capítulo. Desta vez a trama começará com uma ponte suspensa caindo.

Steven Quale, que trabalhou como diretor de segunda unidade em Avatar e codirigiu o documentário submarino Aliens of the Deep com James Cameron, dirigirá Premonição 5. Será a estreia solo de Quale num longa. Eric Heisserer, escritor que trabalhou no prelúdio de O Enigma de Outro Mundo, cuida do roteiro.

As filmagens começam em setembro. O lançamento do filme, novamente em 3-D, acontece em 26 de agosto de 2011.

[/quote']

5nal Destination... Que título débil.09 Ainda bem que em português não dá pro pessoal bolar algo desse tipo então deve ficar Premonição 5 mesmo.

 

("Anal Destination": lol lol lol)
Jailcante2011-09-29 13:07:34
Link to comment
Share on other sites

  • 6 months later...

 

Premonição 6 e 7 podem ser rodados ao mesmo tempo

Tony Todd dá a notícia - e diz que seu papel foi ampliado

Marcelo Hessel
02 de Fevereiro de 2011

 

Se o quinto Premonição abrir em primeiro na bilheteria dos EUA' date=' The Final Destination 6 e 7 receberão sinal verde para ser filmados simultaneamente.

É o que diz Tony Todd em entrevista ao Dread Central. Todd está retornando à série em Premonição 5 pela primeira vez desde o segundo filme. "Eles aumentaram a minha participação, e o produtor me disse quando deixávamos Vancouver que os dois próximos serão rodados juntos se o quinto abrir em primeiro", contou o ator.

Na série, Todd faz William "Bill" Bludworth, um agente funerário que parece saber a fundo como a Morte opera. Nicholas D'Agosto, Ellen Wroe, Meghan Ory, Miles Fisher e Arlen Escarpeta puxam o elenco, que tem ainda David Koechner e P.J. Byrne.

Eric Heisserer, escritor que trabalhou no prelúdio de O Enigma de Outro Mundo, cuida do roteiro - cujo desastre tradicional de abertura será, desta vez, a queda de uma ponte suspensa.

Steven Quale, que trabalhou como diretor de segunda unidade em Avatar e codirigiu o documentário submarino Aliens of the Deep com James Cameron, dirige Final Destination 5. É a estreia solo de Quale num longa.

O lançamento do filme, novamente em 3-D, acontece em 19 de agosto

[/quote']
Link to comment
Share on other sites

  • 7 months later...

Mods, o filme já estreou nos cinemas daqui. Mudar o tópico de seção.

 

Vi ontem. Comentário:

Premonição 5 (Final Destination 5, Dir.: Steven Quale, 2011) 2/4

Final-Destination-5.jpg

 

O problema principal é aquele mesmo, a formula se repetiu a exaustão (já estamos no 5º filme), então não tem como se chocar muito, apesar das cenas de morte tentarem demais. Mas elas continuam bem tensas como sempre, com todo aquele joguinho que a morte faz até a hora H. E isso o filme faz muito bem. Só que considero esse o melhor da série depois do 1 e 2, porque acrescentou algo muito forte a mitologia da série (os sobreviventes para continuarem vivos tem que matar alguém para herdar o tempo de vida dessa pessoa) e pelo excelente final com ligação com o 1ª filme (muito bem sacado aquilo ali. Nossa!).

 

Minha ordem seria: 1>2>5>4>3

 

O 3 perde em relação ao 4 e 5, porque não acrescentou nada a trama, é só reedição do que foi o 2, mas ele goza do frescor que a série ainda tinha até ali. O 4 e 5 já não gozam desse frescor, mas conseguiram acrescentrar algo a mitologia da série (o 4 com aquela "premonição dentro da premonição" e o 5 com o fato dos sobreviventes terem que matar para sobreviver).
Link to comment
Share on other sites

01) Graças que o bom senso reinou e desistiram do "5nal Destination". O filme ficou com o título de "Final Destination 5".

 

02) By Omelete

Premonição 6 e 7 podem ser rodados ao mesmo tempo

Tony Todd dá a notícia - e diz que seu papel foi ampliado

 

02 de Fevereiro de 2011

 

Se o quinto Premonição abrir em primeiro na bilheteria dos EUA, The Final Destination 6 e 7 receberão sinal verde para ser filmados simultaneamente.

 

- - - - - - - - -

 

Nada contra um 6º filme, mas o 4 e 5 meio que fecharam a série (pra mim, pelo menos), se um 6 filme sair, espero um algo mais, senão sei lá, acho melhor parar por aqui (Mas esse 5ª filme não rendeu tanto, então talvez parem mesmo nele).
Jailcante2011-09-29 13:14:41
Link to comment
Share on other sites

Premonição 5: Você Pediu Sangue? Você Terá!

Por

Gabriel Paixao
23/09/2011

premonicao-5-2011-1-300x199.jpg

A primeira coisa que você deve estar se perguntando se está lendo este artigo e já assistiu as “premonições” anteriores é: Depois de quatro filmes e uma grande contagem de corpos, ainda há alguma história a ser contada? Ou este filme é só mais um amontoado de cenas de morte? Bem, caro infernauta, se esta é a sua dúvida já abro este artigo dizendo de antemão que, sim, Premonição 5 é mais um amontoado de mortes sangrentas e criativas, porém isto não impede os realizadores de pelo menos tentar algo diferente. Afinal, se a Warner Bros. quer fazer da franquia seu filão Jogos Mortais e lucrar, pelo menos nós, espectadores temos que fazer valer nosso rico dinheirinho, não acham?

Chegando as telas brasileiras em 23 de Setembro, pouco mais de 1 mês após seu Debut americano (aprendeu agora né, dona Playarte?), Premonição 5 foi novamente rodado em 3-D como seu antecessor, todavia na cadeira de diretor, uma novidade na franquia: David R.Ellis sai para a entrada do novato Steven Quale, diretor de segunda unidade de Titanic e Avatar, ambos de James Cameron.

premonicao-5-2011-15-300x124.jpgTudo o que você precisa saber sobre o roteiro é que na empresa de papel que convenientemente se chama Presage os empregados do escritório estão se preparando para um retiro de dois dias onde se integrarão para uma produtividade maior, os personagens principais são apresentados com uma extrema extereotipação com paralelo só em Todo Mundo em Pânico: O mocinho Sam (Nicholas D’Agosto) que sonha em ser um grande chef, mas encontra barreiras logísticas na namorada Molly (Emma Bell, The Walking Dead), o melhor amigão Peter (Miles Fisher, o Tom Cruise de Ciudad del Este) e a namorada meio-nerd Candice (Ellen Wroe), a gostosona Olivia (Jacqueline MacInnes Wood), o feioso metido a comedor Isaac (P.J. Byrne, Um Jantar para Idiotas), o supervisor negro Nathan (Arlen Escarpeta, Sexta-Feira 13 remake) e o chefe “filho-da-puta” Dennis (David Koechner, The Office).

premonicao-5-2011-14-300x123.jpgSão estes oito que saem do ônibus e escapam da morte certa devido a premonição tida por Sam referente a uma ponte suspensa em manutenção. E é uma cena grandiosa e bem realizada, incrível, altamente valorizada em profundidade pelo 3-D, de fato é a com maior duração de toda a franquia: São mais de 4 minutos entre destruição e sanguinolência.

Enfim, como é de praxe para quem já é acostumado, a polícia (na figura do agente Jim Block, interpretado por Courtney B. Vance) tenta encontrar uma explicação e não consegue, os sobreviventes ilesos da grande tragédia, chamados pela imprensa de “Lucky 8″ (os oito sortudos), são dizimados um a um por terem enganado a morte, até que descobrem um viés inédito na franquia: Que podem ter uma chance de equilibrar a balança se encontrarem outras pessoas para morrer em seus lugares.

premonicao-5-2011-13-300x124.jpgÉ visível que os efeitos digitais evoluíram muito quando comparados com o anterior, seja em qualidade quanto em quantidade, apesar do orçamento ter ficado na casa dos 40 milhões de dólares como o anterior. O 3-D faz grande diferença e é utilizado sabiamente em quase todas as tomadas em que lhe é exigido (talvez pela experiência do diretor com Avatar). Na primeira metade o filme é divertido e saborosamente sádico, rememorando os bons momentos do melhor filme da série (pelo menos, na minha opinião) Premonição 2. E a volta de Tony Todd a franquia numa participação mais substancial que nos dois primeiros filmes dá um destaque ainda mais nostálgico a fagulha de trama que intercala as cenas violentas.

premonicao-5-2011-10-300x125.jpgPorém dois fatores principais corroem a experiência que poderia torná-lo incrível de ponta a ponta: Na segunda metade, quando a guinada na trama acontece, a fuga da morte deixa de ser o fator primordial para o roteiro e cai na besteira de “aprofundar” o filme com o dilema moral de cometer homicídio para livrar a própria barra com a morte, isto toma muito tempo de cena e corta qualquer suspense, pois o bla-bla-bla incessante deixa as mortes posteriores súbitas, esquemáticas e pouco criativas, coisa que não acontecia na primeira metade. Dá vontade de gritar pro projecionista: “Aperta o FF aí que eu quero ver a próxima vitma!”.

premonicao-5-2011-6-300x154.jpgSegundo, o próprio roteiro em si com suas soluções fáceis… Se nos anteriores, os protagonistas descobem por si mesmos o que está acontecendo, neste eles tem praticamente uma aula com o legista interpretado por Tony Todd onde tudo “faz sentido” para eles e posteriormente num climax final, a drástica decisão de um dos personagens dentre tantas outras possibilidades que acaba apelando para a ignorância e para a inteligência de quem assiste. Para não falar das tentativas frustradas de se colocar um certo drama no casal protagonista. Agravado pelo o elenco fraco (a exceção de Tony), personagens com grande potencial que são muito mal desenvolvidos e os diálogos beirando o ridículo.

Para a quinta instalação de uma franquia chamada Premonição iniciada 11 anos atrás, pode ser que esteja querendo demais, mas já que estamos com 5 filmes na cinessérie e chegou a hora de ousar, não seria nada de mais colocar um pouco de foco sobre porque raios os protagonistas recebem esse “dom instantâneo” de reverter suas mortes e quem é, afinal, o misterioso legista que sempre está as voltas com as mortes que acontecem.

premonicao-5-2011-1-300x199.jpgNão posso negar, contudo, que o roteirista Eric Heisserer (do remake de A Hora do Pesadelo) não tenha se esforçado para colocar sangue novo em uma fórmula já batida, com direito até a “final surpresa” (entre aspas, pois quem assistiu aos filmes mais recentemente vai sacar com bastante antecedência) mas é nítido que nas cenas mais sangrentas quando a “morte” é mais sutil, quase como uma máquina de Rube Goldberg, os efeitos práticos no espectador são muito, muito mais aproveitados.

Enfim, entre mortos (e muito bem mortos!) e feridos, Premonição 5 serve de pedido de desculpas e consegue ofuscar a má impressão dos dois anteriores e diverte bastante, fechando a pentalogia com a cena mais empolgante do filme: Um imperdível recap das vítmas dos quatro primeiros filmes ao som de If You Want Blood (You’ve Got It) do AC/DC… Nada mais apropriado, afinal o público que pediu por sangue o terá até a última gota. E que venha o próximo destino do destino final!

Premonição 5: A Morte não gosta de ser enganada!

Por

Marcelo Milici
24/09/2011

A Morte

premonicao-5-2011-3-199x300.jpg

Representada como uma entidade invisível que conduz o Homem para o “outro lado“, a Morte sempre ocupou um lugar de destaque em várias culturas, principalmente no Cinema Fantástico. Nas cartas de Tarô, com o nome inglês “Grim Reaper” ou “Anjo da Morte“, ela aparece como uma figura esquelética que usa um manto e capuz negros, fazendo uso de uma foice. A Ceifadora (como é conhecida, fazendo associação ao milho, símbolo da vida) foi diversas vezes retratada nos quadrinhos: em The Sandman, na “Morte do Capitão Marvel” e até mesmo como personagem frequente da Turma da Mônica. Nos cinemas, é impossível não lembrar de sua presença nos clássicos “Vampyr” (1932) e, principalmente, em “O Sétimo Selo” (1957), de Ingmar Bergman, na partida de xadrez entre o Cavaleiro Medieval – interpretado por Max von Sydow – e a Morte (Bengt Ekerot); essa cena foi bem satirizada no longa “Bill e Ted – Dois Loucos no Tempo“. Apareceu de forma bem-humorada com um manto branco em “A Última Noite de Bóris Grushenko“, de 1975, de Woody Allen, em “Dogma“, “O Céu Pode Esperar“, “Os Fantasmas Contra-Atacam” (1988) e nas animações “Os Simpsons“, “The Family Guy“, “A Noiva Cadáver” e “O Estranho Mundo de Jack“, de Tim Burton…até mesmo atormentou Francesco Dellamorte em “Pelo Amor e Pela Morte” e William Parrish (Anthony Hopkins) em “Encontro Marcado” – neste último sem suas caracterizações assustadoras. Sem deixar de citar os seriados “Dead Like Me” e “Supernatural“…

Ainda que sua forma macabra produza arrepios, até mesmo quando não aparece ela consegue causar um desconforto naqueles que apenas sentem sua presença. Imagina o quanto pode ser terrível saber que existe uma figura invisível acompanhando seus passos e esperando o momento exato para levá-lo do plano físico! Será que a Morte possui mesmo planos e que todas as pessoas já têm seu destino traçado? Como explicar aquelas histórias envolvendo pessoas que sobreviveram a acidentes, mas foram vítimas de outras situações fatais? Talvez seja a Morte corrigindo alguma possível falha cometida…

“Homem sobrevive a acidente mas morre ao ser eletrocutado” (16/08/2011)

“Bancário sobrevive a acidente, mas morre atropelado” (04/10/2009)

“Italiana escapou do voo 447 mas morreu em acidente de carro na Áustria” (11/06/2009)

“Homem sobrevive a acidente automóvel mas morre picado por abelhas” (27/06/2006)

As primeiras premonições…

premonicao-5-2011-15-300x124.jpgEm 2000, quando a franquia Pânico já exibia seu terceiro capítulo e várias produções seguiam os seus moldes estabelecidos (assassino mascarado, jovens, final surpresa…), um longa surgia na contramão tentando mostrar algo novo para o estilo desgastado. A ideia básica ainda era a mesma: jovens sendo assassinados de forma criativa, seguindo a ordem de importância na produção! No entanto, PREMONIÇÃO (Final Destination) traria um assassino praticamente impossível de ser combatido por sua condição sobrenatural, sem controle. Com um orçamento estimado em 23 milhões, arrecadou mais de 53 e estimulou a realização de continuações que até mesmo a Morte seria capaz de duvidar.

premonicao-5-2011-14-300x123.jpgPara falar a verdade, o longa tinha tudo para ser mais uma cópia de “Pânico” até mesmo pela sua intenção inicial. Glen Morgan e James Wong chegaram a admitir na época de sua realização que PREMONIÇÃO teria, sim, um vilão com presença física, mas a ideia acabou sendo abandonada durante as filmagens. Tal possibilidade pode ser confirmada pela “presença” da Morte em várias cenas do filme, aparecendo como uma mancha negra que se aproxima de suas vítimas antes do “acidente proposital“.

premonicao-5-2011-11-300x199.jpgO projeto surgiu de um conceito duplo: relacionar aquelas notícias sobre pessoas que sobreviveram a acidentes e depois morreram de forma banal dias depois com o estilo que estava fazendo sucesso na época. A maioria das historias envolvendo sobreviventes está relacionada a acidentes aéreos, com pessoas que desistiram de viajar, trocaram de lugar ou simplesmente perderam o vôo. E é exatamente esse o argumento de PREMONIÇÃO: na trilha de John Denver (que morreu numa queda de avião), “Rocky Mountain High“, um grupo de estudantes se prepara para uma viagem à Paris com seus professores até serem retirados do avião depois que um deles (Devon Sawa, de “A Mão Assassina“, 1999, “Devil’s Den“, 2006, e “Creature of Darkness“, 2009) teve uma visão de um acidente fatal, com explosão e a morte de todos. A cena foi muito bem realizada, perdendo apenas para a queda do avião da série “Lost“, vendida primeiramente como um verdadeiro relato.

premonicao-5-2011-3-300x151.jpgDentre os destaques, pode-se apontar algumas mortes interessantes como a do rapaz (Chad Donella, de “Jogos Mortais – O Final“) estrangulado pela mangueira do chuveiro, a decapitação causada por um metal arremessado pelo trem, o atropelamento do ônibus e a morte da professora (Kristen Cloke, de “A Vingança de Willard“, 2003, e “Natal Negro“, 2006), envolvendo utensílios domésticos, culminando com uma explosão. Também foi boa ideia do roteiro trazer para o protagonista pistas sobre a morte de seus amigos, e fazendo os “acidentes” acontecerem na ordem em que as vítimas morreriam no avião, como se a própria Morte estivesse realmente se divertindo com as tragédias.

premonicao-5-2011-4-300x158.jpgTrês anos depois, em junho de 2003, seria lançado nos cinemas brasileiros PREMONIÇÃO 2. Foram gastos 26 milhões para uma arrecadação de apenas 46 nos Estados Unidos, o suficiente para se considerar um filme lucrativo. Desta vez, a Morte estaria na mente de uma jovem, Kimberly Corman (A.J. Cook, de “Dominados pelo Ódio“), que veria uma tragédia numa estrada e evitaria que vários desconhecidos fossem mortos num terrível engavetamento. Aliás, a cena é incrível, sendo elogiada até mesmo pelo cineasta Quentin Tarantino como uma retratação quase perfeita de um acidente.

premonicao-5-2011-21-300x178.jpgPartindo para o sarcasmo, o filme de David R. Ellis trouxe mortes bem elaboradas como a do rapaz que tem o olho varado pela escada-móvel do edifício em que morava, o cano atravessando o crânio de uma garota, a decapitação no elevador e o rapaz que é fatiado por uma cerca. Há neste o retorno do personagem de Ali Larter (da franquia “Resident Evil“) como forma de orientação para os acidentes futuros. Devon Sawa não pode retornar nesta continuação devido a problemas contratuais, então seu personagem teve um final, no mínimo, besta: segundo os jornais, morreu depois que um tijolo caiu sobre sua cabeça.

No novo jogo da Morte, as vítimas sofrem acidentes que seguem a ordem contrária da tragédia na estrada. E aqui, o único jeito de evitar o seu destino fatal é trocar por uma “vida nova“, interpretado primeiramente como evitando que a grávida morra. Diferente do primeiro, a heroína aqui tem várias premonições para ajudá-la a evitar as mortes e não apenas pistas. Assim, chega a cansar o exagero de repetições da cena do carro caindo no lago, e a enfermeira que pode estar envolvida com a morte da grávida.

premonicao-5-2011-9-300x125.jpgAssim como no primeiro, em que os sobrenomes dos personagens homegeavam cineastas de produções de terror em preto-e-branco – Schreck, Browning, Hitchcock, Chaney, etc -, na continuação, Kimberly Corman faz uma referência ao diretor e produtor Roger Corman. A brincadeira continuaria nos filmes seguintes, com homenagens a Herschell Gordon Lewis, George A. Romero, Benjamin Christensen, entre outros. Há inúmeras outras referências, seja para a produção anterior, seja para prever a morte de um personagem, como a letra que cai da geladeira e forma a palavra “Eye” antes de Evans ser empalado pela escada.

premonicao-5-2011-4-300x199.jpgLogo depois da estreia do segundo filme, já entrava em pré-produção um PREMONIÇÃO 3. No entanto, foi apenas em 2006, no dia 7 de julho, que o longa chegaria aos cinemas brasileiros. O orçamento aumentou ainda mais – 36 milhões – para uma arrecadação positiva de 54. Novamente sob a direção de James Wong, PREMONIÇÃO 3 teve o ponto de partida em um acidente ainda mais ousado: uma jovem, Wendy Christensen (Mary Elizabeth Winstead, de “Natal Negro“, 2006, “À Prova de Morte”, 2007, “Scott Pilgrim Contra o Mundo“, 2010, “Enigma de Outro Mundo“, 2011) consegue salvar seus amigos de uma montanha russa descontrolada.

Após a cena clássica do velório – que só não aparece no segundo filme -, um a um passa ser vítima da Morte, que apela para todos os lados: mata duas gatas numa sessão de bronzeamento, estoura a cabeça de outro na academia, empala um rapaz no parque, prega uma jovem numa fábrica…e tem uma sequência final eletrizante, que poderia ser o pontapé inicial para um quarto filme.

premonicao-5-2011-7-300x199.jpgPREMONIÇÃO 3 faz uma referência ao clássico A PROFECIA, ao trazer fotos que revelam como seus amigos irão morrer. Novamente, a Morte volta para buscar na ordem dos acontecimentos, fazendo com que o único meio de evitar seja salvando a própria pele. Curiosamente, o DVD do filme traz a divertida possibilidade de evitar que as vítimas morram, escolhendo o seu destino.

Considerado o mais fraco da franquia, PREMONIÇÃO 4, lançado em 2009, custou 43 milhões e arrecadou cerca de 66 – o valor alto se deve ao fato do filme ter sido lançado em formato 3D. Com direção de David R. Ellis, um rapaz, Nick O’Bannon (Bobby Campo, de “Seance“, 2011), vê uma tragédia numa corrida de carros e evita que um grupo de pessoas morra nas arquibancadas.

premonicao-5-2011-12-300x142.jpgEles enfrentam seu destino, desta vez em cenas pouco inspiradas. Há dois atropelamentos – repetição do primeiro filme -, uma explosão no cinema, um rapaz arrastado por um veículo, uma pedrada no olho, uma morte na piscina…há alguns bons momentos, como o pneu que atinge uma jovem e a cena no lava-rápido, mas não foram suficientes para evitar que o filme tivesse uma avaliação pouco favorável. Apesar disso, logo foi dado o pontapé para uma quinta parte, novamente em 3D. Pelo visto, a Morte não tem descanso…

PREMONIÇÃO 5

premonicao-5-2011-11-300x124.jpg

Sam Lawton (Nicholas D’Agosto, de “Heroes“) e um grupo de trabalhadores da empresa de papel PRESAGE (sim, “presságio“) estão num ônibus rumo a um retiro corporativo de dois dias. Com o rapaz, está a namorada Molly Harper (Emma Bell, de “The Walking Dead“), o amigo Peter Friedkin (Miles Fisher, de “Super-Herói: O Filme“) e a namorada Candice Hooper (Ellen Wroe), além dos colegas Olivia Castle (Jacqueline MacInnes Wood, de “Nightmare at the End of the Hall“), Isaac (P.J. Byrne, de “Quero Matar Meu Chefe“), Nathan (Arlen Escarpeta, de “Sexta-Feira 13“) e o chefe, Dennis (David Koechner, de “Piranha 3DD“). O passeio é interrompido numa ponte, em obras, quando uma série de eventos extraordinários fazem com que eles tenham que lutar pela vida: um forte vento abala as estruturas e lentamente a ponte começa a se desfazer, ocasionando mortes sangrentas e bem realizadas em quatro minutos de desespero. Numa sequência de tirar o fôlego, realizada com incríveis efeitos em 3D (antes só vistos adequadamente no gênero em “Dia dos Namorados Macabro“), o grupo tenta sobreviver, enquanto são vítimas das correntes de suspensão da ponte, da queda de veículos ou com o derramar de piche sobre o corpo.

premonicao-5-2011-10-300x125.jpgApós evitar uma tragédia maior, Sam é interrogado pelo Agente Jim Block (Courtney B. Vance) e tenta reiniciar sua relação com Molly, ao passo que os sobreviventes passam a se tornar vítimas da Morte em lugares inusitados como no treino de uma ginasta, numa sessão de massoterapia e até numa cirurgia a laser. A compreensão de que os novos acidentes não são coincidência acontece nas palavras do sinistro William Bludworth (Tony Todd), que traz as regras para sobreviver aos ataques: é preciso matar alguém para conseguir ficar com o resto de seus anos de vida.

premonicao-5-2011-8-300x126.jpgAliás, antes de prosseguir, cabem umas informações sobre Tony Todd. Nascido em dezembro de 1954, em Washington, o ator, que estreou nas telas em 1986, seria marcado no gênero com seu vilão Candyman na trilogia iniciada em 1991. Dono de uma voz gutural, em seu currículo cinematográfico podem ser encontrados filmes como o clássico da guerra, “Platoon” (1986), “As Cores da Violência” (1988), “A Noite dos Mortos-Vivos“, excelente remake de 1990, “O Mestre Dos Desejos” (1997) e “Shadowbuilder – O Senhor das Sombras“, de 1998. PREMONIÇÃO também marcaria a carreira do ator, tendo sua participação nos demais filmes, excluindo “Premonição 4“. Ele também faria “O Espantalho” e “Murder-Set-Pieces” (de 2004), “The Prophecy: Forsaken” (2005), “Terror no Pântano“, “Shadow: Dead Riot” e “Minotauro” (todos em 2006), “Dark Assassin” e “Shadow Puppets” (de 2007), “Dark Reel” (2008), “Are You Scared 2“, “Penance“, “Vampire in Vegas” e “The Graves” (2009), “Terror no Pântano 2” (2010) e muitas outras participações até mesmo em séries como “Angel” e “Masters of Horror“, mostrando o quanto o ator pode entrar facilmente para a galeria dos nomes do gênero fantástico moderno.

premonicao-5-2011-poster1-207x300.jpgAssim, enquanto tentam evitar seu destino trágico, surge um dilema moral para os sobreviventes da tragédia da ponte: por que você merece viver e não aquela pessoa? Não adianta tentar evitar a tragédia se você não souber cometer uma, tornando o quinto filme numa luta pela sobrevivência capaz de gerar assassinos e cenas de tensão. Um conceito interessante surgido na mente do roteirista Eric Heisserer (A Hora do Pesadelo, 2010, e Enigma de Outro Mundo, 2011), que ainda surpreende o espectador num belíssimo final-surpresa que encerra o quinto filme de maneira satisfatória.

Outro ponto positivo para a produção é o retorno do humor-negro, do sarcasmo, da “morte exageradamente divertida“, visto antes no segundo filme. Como o público tem consciência de que se trata de um filme de terror, com seus absurdos e momentos insanos, PREMONIÇÃO 5 veste a camisa que o designa como produção-pipoca, com momentos de puro entretenimento, cabíveis graças aos recursos dos efeitos tridimensionais e à direção eficiente do estreante Steven Quale, parceiro de longa data de James Cameron, tendo trabalhado como diretor de segunda unidade de Titanic (1997) e Avatar (2009), além de supervisor de efeitos em O Segredo do Abismo (1989), O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (1991) e True Lies (1994). Quale consegue a proeza de transportar o espectador para uma queda livre de uma ponte como se estivesse descendo uma montanha russa, e também realizar uma ótima sequência nos minutos finais.

premonicao-5-2011-2-300x232.jpgProvavelmente, os chatos irão dizer que o filme é apenas um amontoado de mortes sem sentido, clichês do estilo e cenas apelativas. Esses mesmos – que veneram Sexta-Feira 13, sem pensar que ele traz as mesmas peças – talvez não percebam que PREMONIÇÃO 5 não veio para disputar o Oscar ou encerrar a franquia O Poderoso Chefão; seu objetivo é entreter, fazer o público se divertir com mortes bem encenadas, ficar arrepiado com um parafuso ou tenso durante uma sessão de acupuntura. E esse objetivo é alcançado quando o espectador se vê saindo da sessão com um sorriso no rosto, principalmente depois do clipe que traz cenas das melhores mortes de todos os filmes da série em 3D.

Será que ainda restam argumentos para a Morte agir novamente? É bem provável, já que o ser humano é frágil, decompõe-se facilmente e está sempre tentando “enganar a Morte” mesmo que tenha que pisar sobre o outro. Na verdade, nada mais é do que apenas poeira ao vento…

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...