Jump to content
Forum Cinema em Cena

Zhang Yimou


Questão
 Share

Recommended Posts

 

 Acho que tava faltando um tópico desse cara por aqui. Cineasta chinês bem talentoso na minha opinião, que circula bem entre os gêneros, mas sempre explorando o drama pessoal de seus personagens.

 

 Dele eu ví três. A HISTORIA DE QIU JU é uma tragicomédia bem interessante, mostrando as inutilidades que estão presentes na burocracia. OPERAÇÃO XANGAI é o mais fraco que eu ví do cara,mas ainda sim é uma historia bem interessante a respeito da Guerra Do Ópio, e tem seus bons momentos. Por fim, A MALDIÇÃO DA FLOR DOURADA é um drama Shakeasperiano lindamente filmado, com direito a combates de samurais e tudo mais. Todos estes filmes tem a presença da diva oriental Gong Li.
Questão2011-09-16 22:12:55
Link to comment
Share on other sites

Vi quatro dele: visualmente o Heroi é belíssimo, primoroso mesmo mas é o que menos gosto. O Caminho Para Casa é lindo e comovente, embora algumas cenas sejam muito melosas e o ritmo decaia um pouco mas também adoro. O Clã é maravilhoso, até porque eu sou completamente apaixonado pela Zhang Ziyi.

 

Mas o meu preferido dele é o Nenhum a Menos. Me lembro de ter visto de madrugada na Globo e me encantei com o filme desde o começo. É perfeito sob todos os aspectos e é otimista, aposta na vida contra todas as adversidades. Incrível!!! Um baita diretor. Preciso ver os outros dele.
Link to comment
Share on other sites

Um dos meus diretores preferidos.

 

O melhor dele é Lanternas Vermelhas. Um filme muito triste, que incomoda bastante e no qual a gente vê o tédio claramente, sem ficar entediado.

 

Em segundo lugar A Maldição da Flor Dourada, com sua história melodramática. Mas o melhor não é a história, e sim a forma como os personagens vivem, o meio que os cerca, como a solidão crônica e as imposições da hierarquia.

 

Os outros dele que eu assisti são Herói (que é visualmente uma das obras mais impressionantes já produzidas pelo cinema), O Clã das Adagas Voadoras, Operação Xangai (que merece ler lembrado quando se fala sobre melhores filmes de máfia), O Caminho para Casa e Ju Dou.

 

Huozhe eu tentei e não consegui terminar de assistir.

 

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...
  • 1 year later...

Visto O CAMINHO PARA CASA

 

2747.jpg

 

 

Um Belo trabalho de Zhang Yimou, que aqui conta a historia de um filho descobrindo a comovente historia de amor de seus pais após a morte do patriarca. A trama é bem simples, mas bastante singela e comovente, graças a competentissima direção de Yimou. Zhang Ziyl em seu trabalho de estréia consegue encantar o publico só com seu olhar e sorriso. A personagem mal fala durante o filme, mas ainda sim, a jovem atriz nos faz acreditar naquele amor inocente e ainda sim poderoso, que ela nutre pelo jovem professor que chega a vila.

 

A fotografia é um show a parte. Fazendo uma interessante inversão ao retratar o passado em cores e o presente em preto e branco, o diretor cria planos belissimos dos campos do interior da china, seja no amarelado do verão, ou no branco da neve do inverno. A arrebatadora trilha sonora de San Bao completa o pacote, evocando o melhor da melodia oriental. Enfim, vale a pena conferir O CAMINHO PARA CASA. Uma bela e singela historia de amor lindamente filmada por Zhang Yimou.

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

 Visto O CLÃ DAS ADAGAS VOADORAS

 

 O-Cl%C3%A3-das-Adagas-Voadoras-poster.jp

 

 

   Na trama, Jin (Takeshi Kaneshiro) é incumbido pelo Capitão Leo (Andy Lau) a guiar e seduzir uma bela guerreira cega, Mei (Zhang Ziyl) que pode levar o exército ao líder do Clã Das Adagas Voadoras, uma organização que tem feito oposição ao governo do imperador. Mas o que Jin não esperava, é que durante sua arriscada viagem com Mei onde são perseguidos por soldados assassinos do império, ele fosse se apaixonar pela moça.

 

  Zhang Yimou é o cara. O CLÃ DAS ADAGAS VOADORAS é mais um belo trabalho do cineasta chinês, de uma sensibilidade visual impar, e que casa perfeitamente com o trágico romance que faz a narrativa girar, e com as lutas embasbacantes que permeiam toda a história.

 

  Com certeza as sequências de luta são o ponto alto do filme, já que primam pela plasticidade  precisão das coreografias. As sequências onde o casal protagonista enfrentam um grupo de assassinos primeiro em um campo de flores, e mais tarde em um bambuzal são de babar. Mas não é só de lutas que o filme de Yimou sobrevive. Zhang Ziyl, colaboradora habitual do diretor, nos encanta com sua misteriosa guerreira, que por trás da aparência pura de flor de lótus, esconde uma habilidosa guerreira.

 

 Enfim, filme mais do que recomendado. Especialmente para os fãs de filmes de arte marcial, e por que não, um bom romance dramático,

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

 Visto HERÓI

 

 Capa+-+Ying+Xiong+(+Her%C3%B3i+2002+).jp

 

 

   Na trama, o Rei da província de Qin (Daoming Cheng) recebe a visita de um Guerreiro Sem Nome (Jet Li), que alega ter matado três dos mais mortais e habilidosos assassinos da China, Céu (Donnie Yen), Espada Quebrada (Tony Chiu Wai Leung) e Neve (Maggie Cheung), assim ganhando o direito de tomar chá com o rei a apenas dez passos deste. Mas a medida que a conversa avança, o Rei passa a desconfiar que a história contada por Sem Nome pode não ser verdadeira, assim como suas intenções ali.

 

  Belíssimo drama histórico de ação comandado por Zhang Yimou, HERÓI se destaca principalmente por seu visual acachapante, sendo esteticamente talvez o filme mais apurado do diretor. Tudo é cuidadosamente bem pensado para causar o máximo de impacto visual possível, desde a belíssima fotografia, que usa com sabedoria todos os ambientes que usa (destacando aqui um confronto passado em meio a folhas secas) até o figurino, destacando aqui o esvoaçante traje usado por Neve, que choca nossos olhos durante a sequência de luta com o Sem Nome.

 

  O filme mistura drama, cenas de lutas marciais que desafiam a gravidade, uma complicada história de amor e questões políticas, fórmula que o diretor voltaria a aplicar em filmes posteriores como O CLÃ DAS ADAGAS VOADORAS e A MALDIÇÃO DA FLOR DOURADA. Além disso, parece prestar homenagem ao clássico RASHOMON de Kurosawa, ao contar várias versões de uma mesma história até chegar a verdadeira.

 

  No geral, um baita filme. Não achei o melhor já dirigido pelo diretor no conjunto da obra, mas puta que pariu, que visual incrível!

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

 Visto HAPPY TIMES

 

 

HappyTimesUSOnesheet.jpg

  

  Na trama, Zhao (Benshan Zhao) é um aposentado, que desesperado para se casar, deixa-se enganar por uma mulher (Lifan Dong) que pede uma certa quantia em dinheiro para realizar o casamento. Ao mesmo tempo, o falido Zhao mente ser proprietário de um hotel chamado Happy Times. A situação se complica quando a noiva de Zhao o convence a abrigar e dar um emprego para sua enteada cega, a jovem Wu (Jie Dong) que é constantemente maltratada pela madrasta. Agora, com a ajuda de um grupo de amigos, Zhao tenta elaborar uma farsa para convencer Wu que de fato ele possui um hotel.

 

  Comédia dramática dirigida por Zhang Yimou no começo dos anos 2000, HAPPY TIMES acaba sendo o trabalho mais fraco que assisti do diretor. A trama até tem certo potencial, ao mostrar os esforços do protagonista para convencer a esperta Zhao de que ela realmente está trabalhando como massagista em um hotel. O divertido grupo de amigos de Zhao é um dos trunfos do filme. Mas chega um ponto em que a piada cansa devido a repetição. Fora o fato de que por mais que Zhao comece a desenvolver sentimentos paternais genuínos em relação a Wu, fica impossível simpatizar com o personagem, já que em tese, ele passa o filme todo tentando enganar uma garota cega.

 

  Entretanto, a atuação sensível de Jie Dong é que dá a HAPPY TIMES os seus melhores momentos. A atriz, apoiada pela direção segura de Zhang Yimou consegue afastar Wu do coitadismo (armadilha fácil de cair) sem com isso deixar de nos emocionar nos momentos mais dramáticos da garota, ou nos contagiar com seu otimismo e esperança nos momentos mais descontraídos.

 

 Enfim, não é o filme que eu recomendo pra quem quer conhecer a obra do Zhang Yimou. Não chega a ser ruim, mas não deve se perpetuar na memória como outros projetos do diretor.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...