Jump to content
Forum Cinema em Cena

Chiquinho

Members
  • Posts

    224
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Everything posted by Chiquinho

  1. TODOS (sem exceção) os filmes de hoje repetem a mesma fórmula, mas essa não era enfiada goela abaixo antes. Não existem mais filmes em que, como o NM disse naquela resenha dele (vejam o vídeo), homens não sejam mostrados como pau-moles inúteis. Quem acompanha cinema e não nasceu no século 21 percebe esse "vácuo" do entretenimento e deturpação não só de figuras masculinas como até mesmo afundamento de franquias que, curiosamente só ocorrem quando enfiam agenda da turminha "colorida" e querem pintar mulheres como perfeitas, quando qualquer idiota vê que já começam o "jogo" com GOD MODE e todo tipo de cheat habilitado. Não dá pra respeitar algo forçado, e que pra existir precisa diminuir o outro lado. Reescrever a história. Eu me acharia um zero a esquerda se tivesse de parasitar material alheio pra dizer que sou fodão. Mas é exatamente isso que quem eleva mulheres e outros grupos fazem com produtos masculinos. Hollywood virou algo tão tóxico dos anos 2010 pra cá que vc tem que ter estado em coma há pelo menos 20 anos pra ainda perder tempo vendo qq coisa que façam. Nada presta. Se até alguém do CeC fizer uma fanfilm de MATRIX eu pago pra ver, mas esses filmes eu não gasto nem a luz elétrica aqui de casa pra baixar o piratão mais. 😒 Além de lacrarem do começo ao fim ainda o resultado final é o mais desleixado possível. Não tem defesa pra esse filme sob nenhum aspecto, até Revolutions se a gente parar pra analisar tem coisas que dá pra vir discutir e achar interessante. Esse quarto foi feito assim de propósito, não tenho dúvida ALGUMA. E sobre ter ou não filosofia, já no segundo isso foi deixado de lado mas não estragou, pega por ex. a parte do trem no Revolutions, se souber inglês dá uma olhada nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=1M_OSx8TmZU Nem no próprio universo fictício de Matrix dá pra tirar algum proveito desse quarto. Engraçado que um filme de quase 20 anos gera discussão até hoje, mas WOKETRIX está sendo esquecido em coisa de semanas. Temos o que pra falar? Robôs saídos daquele filme da Turma da Mõnica? Gente se jogando do prédio pra atingir o Neo? Ninguém morrendo? Neo sequer pegando em armas? Um filme em que fica dúbio se o que tá rolando na tela é delírio ou não é Donnie Darko. Esse aí além disso ainda mistura uma história zuada, filosofia e até referência de cinema. É uma salada que também sobreviveu até agora, se tornando clássica, diferenciada de outros sobre viagens no tempo. Tenho várias ressalvas ao roteiro, mas não nego os vários méritos. Até a música escolhida ficou boa. O que vc extrai desse novo MATRIX? Que todo ator é puta paga que não está nem aí pra própria carreira? No minuto seguinte eles já esquecem os personagens. Quem fica punhetando tudo isso são os fãs. Pois os atores nem reveem o que fazem. Pior ainda são "críticos" nerds descolados que nem disfarçam que recebem cascalho da Warner pra passar pano. O protagonismo era dos 2 lados antigamente. Antigamente é que era tudo igual, hoje se vc fizer filme em que mulher não seja fodona, não é aprovado. Esse é meu ponto. 🙊 Um dos irmãos que fizeram a trilogia MATRIX já previa a droga que seria esse quarto, e caiu fora, e os 2 perderam os pais. Aí saiu esse arremedo em que os caras querem nos convencer que uma personagem que não passou 10 minutos nem nesse e nem na franquia se justificando a evolução... Era a última bolacha do pacote a ponto de do nada o roteirista tirar do olho DO FORÉVIS poderes que nunca teve. MATRIX não era em torno de A ou B, sempre foi maior que pessoinhas. Até o Neo falhou e mais de 1x antes de se consagrar no fim. É por isso que dou valor a personagem masculino e acho execrável todos os femininos FEITOS HOJE. As de antigamente eram boas, fato. 🤙 Eu se fosse mulher viraria trans também, mudaria de SEXO como fez a diretora, só de vergonha de ver tanto arrombado colocando muleta fictícia pra fingir que mulher é melhor que homem em tudo. Não é igual, é SUPERIOR em tudo. Igualdade era 50 anos atrás, ou em 1999. Hoje é só lacração. Pueril. Por isso ninguém curte. Quer fazer assim faça, mas não seja canalha a ponto de estragar o que já está estabelecido. 🙊 Quando começarem a pegar obras femininas ou estreladas por mulheres e trocar por homens e torná-las masculinas aí a situação de hoje estará equivalente. Mas pra estragar tem que ser Indiana Jones, não Lara Croft. Eu não tenho culpa se esse último é uma grandessíssima MERDA. Então deixem a franquia que deu certo em paz! E quanto a MATRIX 4, não botem esse Morpheus que se materializa na purpurina, Neo pra comer moranguinho ou estátua do Morpheus legítimo como se tivessem algum respeito pelo que veio antes. 🤣
  2. Chiquinho

    Matrix 4

    WOKETRIX = aberração. Outro título que viria a calhar seria "DOMINATRIX", já que tudo se concentra em torno de Trinity, e claro, ela tem que ser igual ou até melhor que o Neo em coisa de 10 minutos antes de terminar. Neo cornão, patetão e brochadão que não consegue voar, mas a Trinity do nada vira a NOVA ESCOLHIDA sem jornada alguma do herói, na boa, vá cagar vc que apoia essa trolha feminista lacradora, que evidentemente pinta mulheres como incapazes de MERDA que só são algo se o roteirista botar CHEAT CODE de todo tipo. Você tem que ser realmente um perfeito idiota pra não perceber o mau caratismo e a intenção de praticamente tudo que se cria nas últimas décadas. Vejam que no original o Cypher ficou pistola por inveja dela com o Neo. E ela que o ressuscitou no fim (a MATRIX dentro da MATRIX). Mas pelo menos a trama em si não era 100% em torno de mulheres e dela, não tornava todas Mary Sues e rebaixava de maneira proposital as figuras masculinas. Pelo menos em 1999 tudo era costuradinho, boas atuações, bons momentos de ação, efeitos especiais criativos... Um complementava o outro no MATRIX original (homem e mulher), havia até mesmo cena tipo aquela do Morpheus mostrando a mulher de vermelho e no segundo seguinte virando o agente Smith. Bem diferente de 2021 em que Neo com essa cara de cachorro que caiu da mudança é um corno com patinho amarelo na cabeça, aparece cagando, tem o CHAD... 🙄 Metalinguagem de KU é rola, ninguém achou graça de ver esse amontoado de cenas antigas e esses palhaços novos tentando emular o que os antigos um dia foram, especialmente o agente Smith. Se tivessem colocado tudo novo eu teria até respeitado mais. Matrix sempre foi uma franquia séria e não galhofa. Claro que já tivemos momentos tipo Monica Bellucci em Reloaded, mas pelamor de Deus, contrastem toda a proposta a la filme da Xuxa desse novo com por exemplo o terror daquela cena do interrogatório do original, com a incerteza e sentimento de angústia misturado com ação casca grossa, tudo isso foi pra vala nesse quarto. E só pra explicar e exemplificar mais ainda como banalizaram, vou comparar o primeiro com esse último... O nome dessa habilidade de NEO em MATRIX 4 é "telecinese", que é quando você movimenta, manipula, abala ou exerce força sobre as coisas só com a mente. Eu chamei de "hadouken" do Ryu de Street Fighter. Cara, isso é usado por ele umas 600 vezes, e a cada 5 minutos. Em 90% das cenas. Cagaram em cima do personagem, pois essa "habilidade" era algo "iluminado", que é justamente moldar e adaptar a "realidade" por meio do código da Matrix. Ou seja, não era algo que vc tirava do RABO a hora que quisesse, não era coelho da cartola, não era um pum soltado a qualquer momento. Virou algo similar ao "poder da força" de Star Wars, um negócio que parece ter saído de uma história em quadrinhos, uma muleta pra bater quando ele precisa de uma ajudinha. 🤣 Em MATRIX 1 e 2 ele parava balas quando não só pela força de vontade queria, mas se adaptava àquele contexto (como foi com o bullet time, mas até falhou quando a última o pegou de raspão), não como um paspalho que evoca uma "bolha de poder". Transcendia a Matrix, não algo similar a eu dar uma carga no meu celular quando quisesse. Antes: artes marciais com saltos pra lá e pra cá, porradaria criativa, cenas de ação empolgantes, até mesmo um roteiro que geraria discussões décadas a frente sobre o universo (tipo aquele mendigo derrotando Neo na parte do trem, no terceiro), hoje temos Neo apontando as mãos pra frente... Pra vocês terem uma ideia do quão ruim tudo ficou: Em 99 na primeira vez que ele parou balas ao final, foi incrível. O olhar dos AGENTES da Matrix, a curiosidade de Neo de segurar uma única bala que ele tirou do ar, olhar pra ela, examinar as outras, e todas caindo no chão em sincronia com a trilha sonora FODA (que virou essa música cantada de BOSTA). Foi excelente, pois se tratou de um momento culminante em que ele superou todos os obstáculos passados. E logo após isso ele deu uma de Shang Tsung de Mortal Kombat, em um AGENTE, literalmente explodindo ele por dentro e ao final dos créditos sai voando. 😉 Perfeito, isso é cinema, isso é algo que dá gosto de assistir, que alguns dizem até ter se inspirado em Superman, pois havia uma cabine telefônica logo antes de acabar. Eu diria até que foi similar ao Delorean voando no primeiro DE VOLTA PARA O FUTURO, e nessa época não planejavam o 2 e 3. 22 anos depois Neo virou isso aí. Um merdinha, cornão, brocha e a Trinity a nova JESUS, enquanto o próprio THE ONE foi rebaixado. Parabéns aos envolvidos. P.S. Eu tinha até esquecido: neste novo em momento algum há a sensação de que vc está dentro ou fora da MATRIX, não há tons verdes e nem algo além de CGI porco que te passe essa ideia.
  3. Trágico de ruim esse filme novo... enterraram de vez a franquia.
  4. Chiquinho

    Matrix 4

    Teve um comentário do Nando que eu nem mencionei, mas já diz tudo também. Alá: "De repente a véia avisa ao Neo que ele tem de falar com uma menina. Numa floresta bonita. Era a bosta da coadjuvante do segundo/terceiro Matrix. Aquela do metrô. Uma aí que falava umas coisas sem sentido e o diretor achou que teria importância (Sati?). Aí ela admite: sou uma menina muito canalha, muito (filha da) puta, pois deixei você e a Trinity pra sofrerem durante a eternidade, depois que destruiram a cidade dos robôs. A justificativa? Ahhhh, se vocês ficassem juntos iria dar falha na Matrix, aí tinham de ficar separados, pô E vc, Neo, fazer seu papel aí de corno manso, senão a Matrix não funcionava..." Pulta merda.. quando o mundo ainda era um lugar legal (e normal, sem doentões lacradores lixos) e nego perdia mais que 2 minutos pra entregar verdadeiras obras-primas, o papo era "bem-vindo ao deserto do real", tínhamos dois monstros da atuação fazendo Morpheus e agente Smith, esse último tão foda que até se destaca na comunicação não-verbal... Aí pulamos pra 2021 e o enredo é muito pior que novela mexicana. 🙄 Onde que tem filosofia nessa bosta? Esse é o cerne de tudo! O rebaixamento da profecia/escolhido/Jesus Neo e elevação da Maria Madalena acima dele... Robôs "belugas", agentes IXPERTINHOS, Morpheus 2.0 com roupa de cafetão dos anos 70... É essa a ideia dos caras de diversão? De algo minimamente bom? E pra que não digam que eu só critiquei MATRIX, essa semana resolvi olhar um troço aí chamado Resident Evil. Basta frisar (dentre tudo que pode ser dito) que a legenda me informa que foram proferidos 88 "fucks" (em português isso seria "porra") e 29 "shits". Olha o nível dos roteiristas de hoje... Qual o objetivo da historinha de MATRIX? Só a Trinity? É ela que importa e mais nada? Invadir onde ela está (uma fortaleza (segundo eles), que em 5 minutos os caras quebram toda a segurança)??? Outra resenha muito boa, daquele Alba/Expider. A melhor maneira de fazer um quarto teria sido beber do que MATRIX sempre foi (da essência da franquia), mas com uma história menos óbvia, diferenciada. Ideias não faltam, poderiam até inovar e fazer uma parada MGTOW, o inverso do que todo filme é hoje, talvez até botando a Trinity como vilã e Neo como herói. E não num escravo de xavasca. E não ficar martelando Morpheus, Celso Portioli, menininha do cabelo azul, mendigo francês e tudo mais. Não quer trazer os atores antigos? OK, bota gente nova. Mas outros personagens, evidente. Trazer Keanu Reeves e Carrie... de volta não deu certo? Façam algo novo. Eu pensaria numa mistura de Show de Truman + MGTOW + MGS 2 + qq porra tipo ELES VIVEM ou outro filme que apele pra questionamento da realidade, daria 2 bilhões de bilheteria fácil comigo no "volante". Tem todo um contexto que mudou muito de 1999 pra cá, na tecnologia e disseminação dela, mas é só tirar o ** da cadeira pra fazer algo ímpar. E ao mesmo tempo pensar em cenas de ação marcantes, pois é graças a elas que décadas adiante a gente volta e revê algum clipe de um filme. Eu teria feito uma salada tão interessante que dói até pensar como tudo foi desperdiçado. Agora já Elvis... Nessa resenha aí do Youtube, aos 5m44, um deles diz: "como irrita ver o Neo com cara de John Wick paspalhão". O Keanu Reeves já é fraco em atuação, mas nesse filme ficou brochante demais. Toda cena ele tava lá com cara de cachorro culpado. Quer dizer, além de corno, precisava de viagra. Principalmente pra saber voar. 😆 6m10 = quando é que ele vai virar o Neo herói e o filme chegar no melhor momento? Não teve isso porque a ideia desde o começo era rebaixar as figuras masculinas e elevar as femininas. Podem pegar aí qq filme, é regra descrever a realidade de maneira inversa, é só vcs lembrarem de como tornaram o personagem do Hulk bundão. Hollywood faz isso desde sempre, é só vcs verem que um filme como Titanic, de 1998, não foi sobre a tragédia da época, mas um romance paspalho... Mas pelo menos décadas atrás filmes como esse eram de fato BONS em tudo. Pelo menos se a gente voltasse 50 anos haveria um equilíbrio entre homem e mulher, e não delírios hebefrênicos e megalômanos desse pessoal tarja preta. Hoje o objetivo é apenas um: estragar todo o legado dos heróis e franquias (007, Doctor Who, Indiana Jones...), queimar as figuras masculinas, emascular, transformar toda mulher numa Mary Sue (pra quem não sabe é sempre aquela que tem hablidades irrealistas e surrealistas, é tipo aquela jovem que com 1 semana de treino (ou não) já consegue mover planetas com o "Poder da Força" de Star Wars). Isso aí se vcs pararem pra ver é o inverso do que dizem ser de boa intenção. É detrimental pras próprias mulheres, pois parece que todas são incapazes. Homem é diferente de mulher e fingir que são iguais na ficção não vai convencer ninguém fora eles mesmos. E nem é igualar, é pior que isso: é sempre superar. Por fim vejam que nesse vídeo os 2 críticos admitem que ficar colando cenas dos MATRIX antigos retira sua imersão desse novo. Essa foi de longe a ideia mais cagada, mais imbecil talvez da história do cinema. Porque por melhor que fosse esse quarto, só de vc ficar sendo estimulado a voltar pros véios já dilui o impacto dele. Como um usuário disse: "Mostrar cenas do primeiro filme no meio de um filme meia boca é como decorar a parede com fotos de churrasco enquanto se come arroz com ovo." E como eu falei, Neo soltando hadoukens direto, parando balas o tempo todo (habilidade banalizada, pois ele liga quando quer)... Ainda na parte da ação: ********** Esse novo matrix foi pobre, eu fui parando de assistir por diversas vezes, até que tomei coragem de terminar de ver. E por diversas vezes teve cenas em que vários personagens ficaram na reta de um monte de tiros e parados e não tomaram um tiro sequer. E que papo é esse da Trinity ser a outra escolhida, a outra metade do Neo e onde o Neo não pode fazer tais coisas e ela pode. É aquela lacração forçada da mulher tmbm pode, direitos iguais, mulher empoderada. Parecia que o Neo nem queria estar ali fazendo o filme. E um dos piores foi o Morpheus, parecia um piadista, comediante, totalmente contrário ao original. E essas magias do Neo a todo momento. Desgraça atrás de desgraça. kkkkkkkk ********** Quem ficou foi a tal Bugs, a de cabelinho azul. O Alba até deu desculpa de que "resetaram" a Matrix, mas acho que sabemos que em se tratando de mulheres, até as balas correm diante da extrema competência de todas. "Faltou muito MATRIX nesse MATRIX". O que não falta hoje em dia são franquias clássicas pra estragar. Matrix EMPODERATION (ou DECEPTION) foi só mais uma. Quando é que vão fazer um quarto DE VOLTA PRO FUTURO? Quero rir mais com essas resenhas... pelo menos uma alegria a gente tem relacionada a essas bombas. Mais uma ideia deixada nos comentários: ********* Acho que teria sido melhor se fizessem um novo escolhido, a sétima versão. Eu lembro que no terceiro filme, depois do acordo, a Oráculo pergunta ao Arquiteto até quando isso vai durar. Poderiam fazer o acordo acabando. Máquinas não tem sentimentos. Daí poderiam colocar novos personagens e um novo escolhido, novos atores, novo plot. Ia ficar muito melhor. ********* Qualquer coisa ficaria. Mas quem disse que essa era a preocupação? 😉
  5. No caso desse Matrix 4 não foi nem irmãos e nem "irmãs" Wachowski, porque um saiu antes mesmo do filme começar. Não esqueçam disso... outro ponto foi que viraram órfãos antes desse quarto ser feito. https://www.menshealth.com/entertainment/a38054404/lilly-wachowski-matrix-4-ressurections/ Inclusive (prestem atenção porque isso é importante) quem não participou (um deles) já previa que ia dar ruim. “[Lana] had come up with this idea for another Matrix movie, and we had this talk, and it was actually — we started talking about it in between [our] dad dying and [our] mom dying, which was like five weeks apart. And there was something about the idea of going backward and being a part of something that I had done before that was expressly unappealing. And, like, I didn't want to have gone through my transition and gone through this massive upheaval in my life, the sense of loss from my mom and dad, to want to go back to something that I had done before, and sort of [walk] over old paths that I had walked in, felt emotionally unfulfilling, and really the opposite — like I was going to go back and live in these old shoes, in a way. And I didn't want to do that." Logo conjecturar que a metalinguagem desse MATRIX 4 (as sacadas de "vamos ter de fazer mesmo uma sequência, o estúdio está mandando", tem essa exata cena no meio do filme, como se fosse uma zoeira) foi uma maneira do diretor dizer que não queria esse quarto mas que foi obrigado, sem contar lógico as inserções de clips dos antigos, as cenas repetidas tipo Morpheus 2.0 lutando com Neo, siga o coelho, etc. etc. (melhores momentos é uma coisa, mas vc repetir com outra roupagem/atores, fica tenebroso, é como se eu reunisse a galera e quisesse copiar as cenas clássicas pro meu canal do Youtube) já deixa bem claro pra mim que a intenção não foi fazer uma história única, expandir o universo, nada disso. Se quem tá no comando da parada tem problemas pessoais (os piores possíveis, óbvio), e o outro irmão acha que voltar ao material antigo seria ruim, o que isso diz pro espectador? Porra, no mínimo que escalasse qualquer outro pra dirigir e escrever. Não que usasse esse filme como muleta emocional. Concordam comigo? Eu esperava, como foi comentado neste tópico, que fosse mais do mesmo, porém um roteiro inteligente, criativo, sem lacração nojenta, e a respeito de Metal Gear Solid 2 (jogo de 2001) vejam esse resumo também sobre a inteligência artificial mostrada lá, e os temas que tentou abordar: https://gamerview.com.br/colunas/metal-gear-solid-2-fake-news-e-a-informacao-descentralizada Digitando "O Momento Mais Profundo na História dos Games" vocês vão cair no canal do Max Derrat, lá no Youtube, com ele narrando em inglês (mas tem legendas PT-BR, é só ligar). Essa seria uma abordagem que eu pensaria pra esse MATRIX 4. Enfim, trágico que transformaram num filme da Xuxa, com robôs aviadados e praticamente um Superman Returns (aquele FLOP ridículo que copiou o primeiro filme do Christopher Reeve) quando poderia ter uma história bem costurada e o mínimo de cuidado com o resto. Sobre meu ponto que é ginocêntrico, óbvio pra mim que hoje em dia além de se fazer tudo voltado pra mulheres (esse MATRIX é cheio delas, quase não tem homem, e os poucos que aparecem ou são IXPERTINHOS ou inúteis, desperdiçados), ainda a moral e qualidade da produção decaiu vergonhosamente, é tudo porco e inferior demais se comparado ao que se fazia décadas antes. Nada presta, nem mesmo a trilha sonora, que era outro ponto que chamava atenção nos clássicos. Parem de remexer em tudo que um dia já foi bom e estragar, e não façam reboots também, porque nem isso dá certo. Não dá, o único êxito dos grandes estúdios é em passar a frente agendas de esquerda e LACRAR de forma pueril e clara como a luz do Sol do meio-dia. É só isso que sabem fazer (com maestria). E mais vergonhoso que esse FLOP são "críticos" putas pagas como aquele Gay Nerd, esse aí supera até quem recebe cachês milionários pra queimar tudo de bom que fez antes. Falar que esse cara passou pano é pouco, até que ponto alguém pode descer pra defender o indefensável...
  6. Chiquinho

    Matrix 4

    Essa resenha do NM foi hilária. E ele até abordou vários pontos que eu percebi assistindo, mas nem me liguei de comentar, de tão bostas que foram. Robô Beluga foi ótimo... HAEuhaeuhAeuhae 🤣 Eu avisei que o filme foi aviadado, nunca que eu esperaria ver MATRIX com os humanos em aliança com "sintéticos" (adjetivo preferido agora), teve uma cena que o operador dá um "high five" num bonequinho do tamanho de um action figure... Olha o que virou... de hackerzões picas lutando contra máquinas... pra isso. E realmente não tinha parado pra pensar que o Neo virou o corno manso (até o nome Chad entrega tudo, quando ouvi pensei na hora nos MGTOWs, movimentos masculinistas e afins que usam ad nauseam termos como blue/redpilado...), e esse trecho abaixo resume 100% do que se faz na modernidade: - "No século 21 todos os homens nos filmes são obrigatoriamente representados como patetas, inúteis, imprestáveis de merda". Já tem mais de uma década que vi material sobre misandria/antimasculinismo na indústria do entretenimento... de como era/é presente em 99.9% do que vemos na TV/cinema, em toda parte, como um câncer que não se pode conter. De lá pra cá se intensificou 1 trilhão de vezes. Sobre artigos, vejam esse em particular: https://technoir106267938.wordpress.com/2019/10/10/a-bolha-misandrica/ Reparem que o cara escreveu isso em 2010... tem um trecho lá sobre "o vácuo masculino no entretenimento". Ao mesmo tempo que todo homem tem que ser representado como o inverso (tomado em conjunto), a mulher tem que ser a Mary Sue fodona (esqueçam defeitos de todo tipo, ou mesmo possibilidade de aprimoramentos durante o filme, não, elas tem que já nascer no nível ULTRA-HARD-MEGA-BLASTER, o que acaba no fim das contas sendo detrimental também pra própria figura feminina), com o roteirista botando artificialmente todo tipo de habilidade imaginável, que na vida real jamais terão (ou se vc encontra, é 0.01% delas, mas os filmes fazem parecer que em cada esquina tem tipo uma Chloe do antigo seriado 24 Horas). Seria como dizer que todo homem tem altura de jogador de basquete... ou então fingir que comparada a homem mulheres são sempre mais altas ou tem sempre a mesma altura. E os idiotas acham que a gente não percebe como são patéticos tentando reescrever a realidade. O nível de psicopatia dessa gente é doentio. Hoje a viadagem e ginocentrismo ( = fazer filme focado exclusivamente em agenda feminista, emascular, afeminar os homens e até os roteiros) é tanta que não só estão destruindo personagens que sempre foram masculinos pra botar outra coisa no lugar (ou a modinha de mudar a cor da pele), como pervertendo até os roteiros, pois se antigamente você sentava pra ver um 007 salvando o mundo de tipo uma ameaça nuclear, algo relacionado a ciência e política (que são se pararmos pra ver mais voltados pra homens, enquanto coisas mais banais, mundanas e pessoais são de mulheres, vide novelas e fofocas) hoje o foco da história é na "M" e o vilão é aquele gay de um dos últimos de 007, que quer se vingar dela. OBS: O "M" até voltou a ser homem, mas vejam no que transformaram os personagens secundários como Moneypenny e Q... Tudo ficou ordinário e banal, e no caso de Matrix baixaram o nível a tal ponto que virou OS TRAPALHÕES! Isso mesmo que vc tá lendo, se não sacou, não é sci-fi, drama ou qualquer outro gênero, é galhofa! Uma mistura de Superman Returns com Batman e Robin. E da pior espécie, porque ninguém vai rir em momento algum. A Trinity conseguindo voar e carregando o Neo, que não percebe que estava caindo (e o Neo antes já tinha dado uma brochada e não conseguido, tem uma cena exatamente mostrando esse FAIL), e pra coroar o final ridículo da Dominatr (ops, Trinity) dando porrada no Analista (enquanto o cornão ao fundo vibra), pelamor de Deus, foi só esgoto a céu aberto esse filme. Neo numa cena cagando, depois com patinho amarelo enquanto está na banheira... Tem quem diga que não queriam fazer esse quarto, e tudo que colocaram foi proposital pra sacanear a Warner, incluindo quebrar a quarta parede e falar pro espectador que teriam de fazer uma sequência caça-níquel assim mesmo. Agora faz sentido! Hehehehe. Espero que os milhões que o Keanu Reeves ganhou pra cuspir em cima do personagem e da franquia tenham valido a pena. Em se tratando dessa classe artística, são todos putas pagas, talvez o maior deles o Patrick Stewart (capitão Picard, de Star Trek). Olhem esse comentário: ************** O filme foi horroroso, acabou com a franquia. Ficou entre o repetitivo,o cansativo e o ridículo. De certa forma, me senti libertado da Matrix e de filmes americanos. Até os robôs ficaram horrendos, parecia filme infantil, sem falar nas lutas, que foram péssimas, cheias de movimentos falhos, mal filmadas. O Merovíngio ficou RIDÍCULO, acabaram com o personagem. O agente Smith salvando o Neo? Desastre!! E aquele monte de regressão e auto-referências, piadas completamente sem graça. Às vezes sentia que estava assisitindo um filme ruim da Xuxa ou dos Trapalhões. O final foi colossal em bagaceira, parecia filme da princesa Cinderela jogando pombinhos na bruxa má.Só tem uma palavra: brochante!!! Aliás, o NEO CAGANDO é o resumo do filme, o maior de todos os spoilers. ************** - Pra quê vc me acordou? - Pra ficar aí comendo morango. HAHUeuAHEUAHEUAHEUHAUHAE 🤣 Antigamente era "a colher não existe". Agora são moranguinhos... E falando em cagar, Mopheu Uno encontra Neo no banheiro com aquela roupa de cafetão... era melhor ter chamado o Lawrence Fishburne velhaço e obeso mesmo, ao menos não teria sido uma nulidade. "Um tico de nostalgia faz bem" (ele chega a dizer isso numa cena). Ah, pára! Ficar vendo a trilogia boa no meio dessa bosta só fez todo mundo achar "cringe". Não se coloca o diamante com o lixo juntos, pega mal pra um dos dois. Resumo da ópera: Coreografia de Lutas: bagunçado (Nando tem razão sobre a cena ser toda zuada, revejam essa parte que ele comenta. E pensar que Matrix foi referência nesse sentido...) Treilher: entrega todo o filme deixando-o sem surpresa. (bons tempos em que trailers deixavam vc na expectativa, e pôsteres/capas dos filmes eram geniais, como aqueles feitos pelo ilustrador Drew Struzan) Agente Smith: Celso Portioli de quinta (tenho de admitir que ficou mesmo um Garoto Ixpertinho... de novo: pra que botaram lá? E para de chamar o sr. Anderson de "Tom" o tempo todo, seja menos biba) Morpheu: Fanfarrão Neo: Patetão (e Cornão) Roteiro: By Ventania ("eu vi guinomo") Trinity: Carrianne Mos de Lacroix Direção: "Apertem os cintos que o DIRETOR sumiu" Cá pra nós, o futuro do cinema é esse, as resenhas são mais divertidas que esses espetáculos trilhardários que os "wokes" tarja pretas que foram bulinados quando crianças lançam ano após ano. Os caras não acertam uma. É o toque de Midas ao contrário. Por isso que sou favorável a nos libertarmos dessa indústria fracassada e falida, e nós mesmos (os fãs) criarmos nossas versões. Tal como foi a possibilidade de cada um fazer sua música sem depender de gravadoras ou mandar seu vídeo prum Youtube, alguns até produzidos, como aquela fanfilm de Star Trek, que ficou tão boa que até processaram. Como eu bem disse, se está bom pra eles, está ótimo, nenhum filme desses é feito pros fãs ou pra ser uma obra de arte. Se der zero de bilheteria e afundar a produtora junto, ainda assim continuarão fazendo. Nem boicote resolve pra turma do "lacre". Um usuário disse: "Eles perderam a oportunidade de explorar a teoria de que Zion era na verdade uma segunda camada da matrix, ou que Neo na verdade era parcialmente um programa criado pra manter a estabilidade do sistema." Tava muito na cara que o objetivo com esse filme não era pra ser nada além de palhaçada pra incutir essas agendas. Eu imaginava que ou iriam transformar Neo e Trinity em uma criatura transexual ou então iriam enfiar agenda anti-homem e pró-mulher... acertei. Relativizaram a pílula, dizendo que escolhas não são binárias (quem pensa assim, além da turminha trans?). E se eu for mais longe dá pra dizer até que a agressividade da Trinity em chutar bem rápido o Chad e os filhos imaginários também foi um "dane-se" pro conceito de família. Outro falou: ************* "Matrix Revolutions foi sensacional, a cena de guerra em Zion, o capitão Mifune e o novato, e a finalização do "messias" Salvando as pessoas dentro da Matrix e fora da dela e o corpo dele sendo levado, a trilha sonora e tudo mais. O problema de Ressurection é que o Neo não é mais o escolhido, simplesmente agora a Trinity se tornou, sem mais e sem menos, se tivessem dado uns 10 minutos de explicação que fizesse sentido teria resolvido esse problema que pra mim estragou o filme. Não tem problema a Trinity ter poderes, fica até mais dinâmico, mas o jeito que aconteceu na minha mente só veio uma coisa no cinema. Imagina que encontraram o corpo de Jesus vivo preso, pessoas salvam ele, e a pessoa que conheceu ele, era uma amiga dele, confiou nele e ele salvou ela e a geração dela, condena todo mundo que o salvou a se despedir do cargo.... no fim, as pessoas ainda acreditavam nele como o escolhido, mas ai imagina que Jesus descobre que Maria Madalena está viva e vai lá salvar ela... de repente sem explicação alguma ela ganha os mesmos "poderes/bençãos" que Jesus. Você ficaria como??? Toda aquela história de Jesus ser diferente, ser único, não passasse de apenas, mais um. Até eu que sou Ateu achei ofensivo." ************************** Hehehehehe Não se espantem se o próximo filme de Jesus colocar Cristo como um energúmeno e a prostituta que queriam apedrejar e ele aconselhou terminar elevada a santa (ou protagonista). É esse o objetivo dos doentões agora. Eu tenho pena de quem ainda vai prestigiar, gasta uma $$$$$$$$$ lascada e continua sendo tão enganado assim. Alguns nem tanto, afinal são patrocinado$$$$$ pra hypar. Nando aos 21m54: "e agora nós vamos fazer o seguinte: vamos zuar a Matrix. Colocar um céu cor-de-rosa (OBS meu: tem uma fala dessas nesse MATRIX, procurem), uns pirulitos e ursinhos, porque agora sabemos como é o esquema aí do código e a gente é que manda nessa porra aqui". E o Analista: "vocês são espertinhos, hein?" E aí acabou. UUEhAUheauheauheAUHEUHAeuHAe, é, acabou mesmo, amigos. Ou melhor, já tinha acabado. Em 2003, pra ser mais exato. 🤣 O último que sair apague a luz.
  7. Chiquinho

    Matrix 4

    A melhor resenha... 🤣 Meus pêsames pra quem gastou indo ao cinema... O máximo de "crítica" que MATRIX 4 teve aos tempos atuais foi aquela cena do elevador (com todos olhando pro smartphone) e o Merovingian falando groselha no meio da luta sobre Face-Zucker-Suck, "clima e wiki-shit" e ninguém se importando. Perderam uma chance de ouro de fazer algo mais pensado sobre o contexto de fake news, deepfake, redes sociais, e fizeram uma patacoada que ninguém vai se lembrar daqui a 2 meses. O contexto de hoje mudou radicalmente, mas daria pra nas mãos de alguém competente explorar de forma criativa. Só que esperar isso de quem virou woke, como foi o criador (ou "criadora") de Matrix, seria querer muito. Se até o conceito de pílula foi relativizado... Poderiam até ter colocado o Keanu Reeves como coadjuvante e escalado outro protagonista, contanto que ninguém soubesse o que esperar até mesmo pelo trailer (que já deixou claro que seria um "Superman Returns"). É como se tivessem contratado mendigos de rua como "paleontólogos" pra desenterrar sítios arqueológicos, mas sem nenhuma noção de como cuidar do material, e começassem a quebrar todos os ossos de dinossauros e estragar os vestígios de que havia algo lá. Até sobrou alguma coisa, mas no fim tudo ficou desconjuntado. Teria sido melhor esquecer o passado e fazer algo diferente. Como dizem por aí, parece que FLOPAR não importa pros produtores, acho que tudo que eles fazem é pra si próprios. Se pra eles mesmos ficou bom, é isso que interessa. Francamente, essas megaproduções de Hollywood só enganam os desavisados.
  8. Chiquinho

    Matrix 4

    Tudo que foi feito antes desse quarto, se formos comparar, foi bem melhor. Qualquer coisa que alguém cite será superior. Esse filme novo é FLOP do começo ao fim, só se vc se trancou numa MATRIX (bolha) particular pra não ver que a crítica e o pessoal estão massacrando 1000x mais que o Revolutions. Eu diria que Revolutions foi a sequência (desfecho) mais brochante da história do cinema. Esse quarto nem isso é, não vejo como continuação, mas os próprios criadores cuspindo em cima do passado (e nos tempos atuais é só isso que sabem fazer, as estátuas que o digam). Vejo como ofensivo. Nem os mais fanáticos por MATRIX acharam minimamente bom. Reloaded é até legalzinho, mas não dá pra negar que o primeiro já era perfeito sob todos os aspectos. O que fizeram depois foi só punheta. Como rolou com Star Wars, não precisavam de mais que os 3 (ou os 2) primeiros. Tudo que veio depois pode ser jogado no lixo. E MATRIX sempre foi reconhecido pela filosofia (que evidente ficou em total segundo plano nas sequências), essa historinha expandida desse universo não empolga. Pra mim é maçante. É por causa de bocós que os estúdios ficam lançando milésimas sequências e tentando tirar leite de pedra dessas franquias, mas fracassando miseravelmente. Porque só tem estelionatário em Hollywood, se vc tiver qualquer talento e respeito por algo, não vai longe. Eu já saquei que o objetivo é retirar da tumba todo o passado e estragar com nova roupagem. Só sabem deturpar e enfiar, lógico, agendas woke, e neste MATRIX 4 não foi diferente. Para perceber a má intenção você precisa ter algum apreço pelo passado e saber distinguir o que foi bom do que é feito de forma desleixada. Se fossem fazer um quarto MATRIX de forma satírica ou com uma história totalmente original, criativa, tipo um SPACEBALLS (que zoa Star Wars), ou então contassem uma trama com dois velhos fracassados, insatisfeitos com a vida medíocre (ou um deles, no caso o "Neo") e que encontraram escapismo no universo fictício de Matrix, e acham que são Neo e Trinity, vá lá, mas aqui o rumo que foi tomado foi o pior possível. Tiraram uma historinha qualquer do cu, replicaram elementos dos antigos (da pior maneira possível), injetaram cenas (parecia até um "melhores momentos", um documentário, não um filme), botaram uns zé ruelas como novos personagens, incluindo esse novo Morpheus que até parecia que ia ser relevante, mas se mostrou um cone. Enfim, EPIC FAIL. E por quê? É fácil de entender, e se não captaram o óbvio, vou explicar: Porque o impacto daquele simbolismo, daquele drama (que também tinha a Trinity de certa forma como foco, pois o Cypher tinha inveja dela com o Neo, e foi ela quem o salvou no final), da descoberta de tudo que o filme de 1999 trouxe, tipo Clube da Luta, já foi. Hoje esmoreceu. Não dá pra você fazer outro raio cair no mesmo lugar e o que se segue causar o mesmo "estrago". Não acho que um raio caia 2x em se tratando de filmes. Muito difícil. Naqueles anos 1990/2000, em que ainda não havia uma disseminação tão grande de tecnologias e computadores ainda eram vistos como algo mágico, inédito e até mesmo ameaçador (só ver os filmes de décadas passadas, sinistros ao mostrar o que podíamos esperar de tecnologias). E colocar no meio a alegoria da Caverna de Platão, com o apelo que sempre teve, funcionou. E sendo bem sincero, eu esperava algo parecido em 2021, mas com uma abordagem baseada nos tempos que vivemos. Como foi com aquela cena do jogo MGS 2, que vale frisar, é de 2001. Idem pras revoluções (daquele final dos anos 1990) na tecnologia, lutas, e tudo mais (como o bullet time, que foi mencionado de forma jocosa neste quarto). Que depois foram de forma nauseante usadas em outros filmes. Eu afirmo de forma categórica, porque lembro bem dessa época: ninguém queria um quarto filme. NINGUÉM MESMO. A sensação de 99.9% era de que podia ter acabado de vez ali. Todo aquele mistério, aquela proposta de sair da vida mundana e explorar algo a mais, ficou restrita ao primeiro MATRIX. MATRIX 4 está pros originais como SUPERMAN: RETURNS de 2006 está pra SUPERMAN: O FILME de 1978. Lembra que o Returns foi outro FLOP monstruoso, e que tentou copiar o original do Christopher Reeve? E é assim até mesmo nos games, como Resident Evil. Digo, não dá pra fazer algo foda repetidas vezes (RE só prestaram os 3 primeiros). Claro que o que veio depois não foi mais impactante pra ninguém. E divergiu totalmente da fonte primária. Assim como tem cantor aí que tem apenas 1 (ou algumas) músicas como carro-chefe. O resto ninguém liga. Pra exemplificar mais deficiências: Vamos pegar o trailer. Adiantem pra 1 minuto e 10. Entrar por meio de portais numa realidade alternativa, usar óculos escuros, roupas pretas/bacanas pra parecer cool e descolado... Nada disso chama mais atenção. Em 1999 era foda, todo mundo queria usar os óculos de MATRIX. Mas hoje vamos admitir que é tudo ridículo. Sem o mesmo impacto, virou algo banal. E em MATRIX 4 é apenas a maneira como se vestem. E não apenas isso, peguem esse elenco novo. A menina de cabelinho azul, a outra bonitinha, todos parecem típicos playboys burgueses (nada contra...) da Califórnia. Gente de plástico. Filhinhos de papai. Nenhum desses atores te passa a impressão de que comeram o pão que o diabo amassou em momento algum. Nenhum tem aquela 'vibe" de que são matadores de aluguel, treinados em algo assim. Pela atuação e pela própria aparência tá muito na cara que são ATORES. E sequer personagens que vc grave na memória. Com 1 minuto e 20 o trailer já ilustra outra deficiência patética de Hollywood... O Morpheus 2.0 (e não só ele) fica falando do estado mental de Neo, do que ele vai fazer, de como era... pelo amor de Deus. Um bom filme MOSTRARIA. Não ficaria explanando como se o telespectador fosse retardado. Na real o que o produtor do filme quis foi induzir como deveríamos pensar/sentir a respeito de Neo. Se vc faz um bom roteiro, é claro que não precisa dizer que A ou B são fodões. Peguem um filme de Chuck Norris qualquer, vc não vai achar um narrador dizendo que ele é "o cara". Vc vai constatar isso ao vê-lo chutando a televisão. Não precisamos de muletas pra chegarmos a conclusão alguma. E fazer uma exposição num filme é algo complicado pra um roteirista. Evidente que neste MATRIX tudo foi pro vinagre. A virtude ou precariedade de um personagem (tipo, se ele é fraco ou forte, ou se não bate bem da cabeça) é algo evidente. Ou de propósito duvidoso, como em Donnie Darko (de 2001). E se vc parar pra analisar, até videogames modernos são ruins nesse sentido, pois não deixam vc explorar nada, ficam indicando os caminhos, praticamente pegando na sua mãozinha e conduzindo pra que não falhe e se emputeça por ser incompetente, não existe real dificuldade neles. Hollywood hoje não sabe contar uma história. Porque ninguém ali é autêntico. Tudo é de isopor. Esqueceram como se faz, não existe sutileza, e por isso 1 ou 2 num universo de zilhões de filmes que são lançados ano após ano prestam. E na boa, até mesmo se tivessem dado outro rumo na trama, de que o Neo deste filme fosse um cara normal que fez esses jogos de MATRIX e se encontra psicótico, também não convenceria, pois qual batalha existencial que alguém com uma vida ganha, teria? Mas vá lá, se fosse essa a proposta, até eu teria respeitado. E isso que não falei da CGI, telas azuis (ou verdes?) de fundo, que neste vemos a cada 5 minutos. Antigamente tudo tinha peso, parecia real, construíam modelos complexos de máquinas, puxavam cabos pra lá e pra cá, hoje banalizaram a habilidade do Neo de parar balas, que ele usou de forma nauseante do começo ao fim (só isso aí já mostra como vilipendiaram tudo), todos os cenários são fake. Tudo computadorizado, e o máximo que Neo faz é soltar os Hadoukens, tipo Ryu de Street Fighter. 2 minutos do trailer: olhem o Keanu Reeves dando um pulinho com a explosão... até eu com 37 estaria velho pra essa porra. As inúmeras referências aos antigos na verdade retiram a sua imersão desse quarto, não funcionaram nem como piada (ohhhhh, como somos espertos, quebramos a "quarta parede" narrativa... ). O que tentaram foi construir a ilusão de que há uma nova história.
  9. Chiquinho

    Matrix 4

    ALERTA DE SPOILERS ABAIXO. A pergunta que abre este tópico foi minha: "Se um novo MATRIX fosse feito como vocês gostariam que ele fosse?". Lá pelos primórdios, nos anos 2000 (vejam que uns 3 anos após o fracasso de "Revolutions"). A resposta foi certeira: "invisível" (o que mudou de lá pra cá?). Em seguida o Jailcante com 15 anos de antecedência profetiza justamente o que acontece agora... Sobre MATRIX 4: conseguiu a proeza de ser muito pior que o 3... entediante do começo ao fim, desnecessário e obviamente feito pra sugar mais ainda a franquia e não acrescentar ABSOLUTAMENTE NADA de relevante (e cá pra nós, as sequências são desnecessárias, MATRIX tá mais pra um filme só). Sinceramente, não sei como ainda tem nego que aguenta ver um bando (observação não só pra Matrix!!!!!) de atores decrépitos, velhaços que de longe você vê que não dão mais conta de nenhuma cena de ação, não tem mais (o que é compreensível) o mesmo pique de décadas passadas, é isso e mais um elenco novo esquecível e com o carisma de um batente de porta. Não sei qual o apelo que esses produtores imbecis veem de sempre chamar esse bando de véio pra cagar em algo que fizeram de bom, eu respeitaria mais remakes e reboots com outros nomes. Mas vamos em frente... Primeiro, vale ressaltar que (e isso é especialmente válido pra seriado) quando resolvem colocar cenas pretéritas no meio (pra séries isso é tipo um "melhores momentos"), a gente já sabe que vem uma torrente de cocô pela frente, e o roteiro vai pro buraco. Sobre os personagens, essa Bugs já me causou repulsa por esse cabelo pintado de azul... tosco. Parece uma esquerdistazinha saída de uma dessas faculdades... Morpheus agora é um agente, que eventualmente toma consciência e decide encontrar o "The One"... Neo agora é um empregado de uma companhia de jogos, e os filmes originais foram uma série de games que ele fez 20 anos antes, e os chefões querem que ele faça uma sequência caça-níquel. Ahhhhhhhhh tá, como são fodões os produtores, querem zombar deles mesmos... Ah, para, ô! Neo agora é um homem rico, solitário (com um pato de plástico amarelo na cabeça... hehehe), e interessado numa mulher que passa por ali praticamente todo dia. Também pelo que entendi tem dificuldade de separar o imaginário do real, por isso toma as pílulas azuis (que o terapeuta prescreve). Chega uma hora que o Morpheus 2.0 e a menina de cabelinho azul convencem ele a tomar a vermelha, e de novo ele acorda na "banheira" da Matrix. Uma nave o resgata, ele revê a equipe, luta com Morpheus 2.0, tem Zion... REPLAY e mais REPLAY. Falando em Zion, botaram Niobe... como uma velhaça de uns 600 mil anos. Mas essa personagem ninguém se importava... 60 anos se passaram, os humanos presos na Matrix parece que se rebelaram contra a programação, e rolou uma crise energética e guerra civil entre as máquinas. O "Analista" achou uma solução que foi ressuscitar Neo e Trinity, plugá-los de volta na MATRIX e de alguma forma o laço amoroso entre ambos (quebrado) é que manteve o sistema funcionando. What????? Mais ou menos um troço desses que bolaram... Daí em diante o foco é na personagem da Trinity... até o agente Smith (que estava pra Matrix como Biff pra trilogia DE VOLTA PARA O FUTURO, ou seja, crucial na trama e com a melhor atuação disparado, isso não podemos negar) reaparece, como um carinha aí que nunca tinha ouvido falar (e não acrescenta NADA, nem faz falta, assim como o novo Morpheus). Engraçado que tem uma cena em que o ANALISTA apanha (mas como, se um programa administrativo é incapaz de sentir dor?). Outro vômito hollywoodiano: MATRIX "REGURGITAÇÃO" é um desastre ridículo, um arremedo todo cagado que consegue com certeza ser até pior que uma fanfic escrita por um gordão nerd de 2004, que tenha tirado uma historinha do cu nessa época, bolado porque os heróis haviam se estrepado no terceiro filme (e eu que achei que aquele FLOP do REVOLUTIONS seria insuperável... mas sabem como é, sempre há mais degraus a descer...). Se o objetivo era rebaixar o que veio antes, conseguiram. Neo preso na Matrix, precisa ser libertado pra ver o mundo como ele realmente é, a humanidade escravizada pelas máquinas, uma pequena turma de guerreiros é que conseguirá salvar tudo, e mais uma vez um personagem precisando descobrir o real poder dele, pra que alcance o próprio destino... Sempre a mesma palhaçada de jornada do herói... E neste caso não é apenas reciclagem dos mesmos conceitos e ideias filosóficas. É quase que uma nova roupagem pra mesmas cenas, diálogos e personagens, a tal ponto que enfiam até takes dos filmes passados (isso pra mim foi o que destruiu tudo). Não é como se o roteiro deste quarto prestasse homenagem aos antigos e de forma esperta enfiasse frases icônicas e personagens marcantes. Trata-se de uma cópia barata que pretendeu em dado momento zombar de sequências caça-níqueis, quando o filme inteiro é uma. Matrix já deu o que tinha de dar nos anos 2000. A narrativa de todo aquele universo já estava obviamente completa, sendo curto e grosso não dá pra extrair mais leite de pedra e injetar ideias novas. Se fossem fazer algo minimamente "matrixiano" na minha opinião teria de ser inteiramente diferente de tudo que já foi feito e talvez só levasse Matrix no nome. Talvez algo no estilo de "O Show de Truman". Filosoficamente falando além da ideia de um mundo falso/irreal como vista em TRUMAN (ou ELES VIVEM, do Carpenter) eu favoreceria colocar no meio diálogos tipo aqueles vistos no jogo "Metal Gear Solid 2" (sobre MGS 2, pesquisem no Youtube por "O Momento Mais Profundo na História dos Games"). Ou então que fizessem o inverso do que MATRIX foi, e usassem da popularidade dos movimentos MGTOW, conceito de redpill e tudo mais... Voltando ao roteiro: tem algumas observações sobre a cultura moderna obcecada em sentimentos no lugar de fatos, alguns diálogos desajeitados sobre pílula azul e vermelha, tipo de como a vida de uma pessoa é mais que uma escolha binária (hum, acho que entendi sua influência, "Lana"... hehehe), e do lado positivo que homem e mulher não alcançam o potencial sozinhos, de que uma união entre eles é benéfica pra sociedade se equilibrar... Mas tudo isso é rapidamente soterrado pelo espectador, porque este quarto MATRIX é uma repetição (só que de forma cínica) do que veio antes. Sobre o casal Neo e Trinity, é curioso como o amor entre os dois são o coração da história, mas nunca foram carne e unha/alma gêmea (como diria a canção) antes. As cenas amorosas deles na trilogia lembravam mais dois robôs com aparência humana tentando emular comportamento humano. O que não mudou muito em 20 anos. Não dão em MATRIX 4 a ideia de que estão lá muito investidos no que fazem (Keanu Reeves sempre foi robótico, mas aqui consegue ser 1000x mais). Carrie-Anne Moss parece embaraçada, desconfortável com um roteiro bobo que tenta torná-la "messiânica". Pera lá, mas "THE ONE" não era o "único"? O "Escolhido"? E não DOIS FODÕES. A personagem de Trinity era ótima sozinha, e não precisava de toda essa patacoada construída em volta dela. Acho que eu devia até agradecer que não deram o tratamento de Star Wars a Neo, nem tornaram os dois num só (num delírio trans), mas pra variar (como se hoje fizessem diferente em qualquer produção) decidiram tornar os dois tão poderosos/fortes e capazes quanto. Ou seja, agenda feminista... GO, GIRL! Como se todo mundo tivesse de ser absolutamente igual pra ser considerado igualmente importante. E como eu falei lá atrás, a ideia de trazer atores velhos (Keanu Reeves já tem 57) pra um filme conhecido por cenas de ação foi outra bola foríssima, pois é inegável que não dá pra ter a mesma velocidade, o mesmo "molejo" que fez as cenas antigas marcantes. Aqui ocorre justamente o inverso, as sequências são lentas, filmadas de maneira preguiçosa/porca, malfeitas, enquanto na trilogia clássica eram frenéticas, com uma técnica invejável, um kung fu casca grossa que até hoje dá pra você pagar pau. Se tiver 5 segundos que você pare pra olhar neste quarto, é muito. Fora o CGI tosco tipo pulinhos fakes de topos de prédios, que nem merecem comentários. MATRIX: REGURGITAÇÃO (ou seria "RETALIAÇÃO"?) falha de todas as formas imagináveis. Em honrar o passado, pois não o deixou pra trás de forma decente. Não conta uma história que possa compelir ninguém e nem adiciona novas ideias ao mundo já criado. Falha em estabelecer novos personagens ou abordar antigos indo pra outro caminho. E claro que é uma sombra se comparado na parte técnica, no espetáculo visual dos antigos. Não há um motivo que se possa colocar na mesa pra justificar a existência deste quarto. Não deveria nunca ter sido feito. Amanhã será 101% esquecido e o FLOP tanto da crítica como do público acabará (eu espero) com ele e o que mais possam querer inventar de uma vez. Por muitos anos MATRIX foi aquele caixão enterrado nas profundezas de um castelo tenebroso de um filme de terror, que nunca deveria ter sido perturbado. Em se tratando de Hollywood, lamentavelmente podemos esperar de tudo, até necrofilia. P.S. Um último adendo: como falei, o agente Smith foi totalmente desperdiçado (e pensar que ELE era um dos focos centrais dos filmes passados) e essa viadagem de chamar de "Tom" pra cá e pra lá nunca aconteceu, mais uma prova que escrotizaram e rebaixaram todos os personagens masculinos (como aquele patético francês que apareceu pra nada). Era sempre "Mr. Anderson", nada de "Tom". O agente Smith sempre teve falas peculiares e uma visceralidade e presença (no caso, do ator Hugo Weaving) que nenhum zé mané iria reproduzir. Teria sido mais honesto nem terem colocado, pois não teve importância alguma no roteiro. Só pra dizer que estava lá. Foi tão ruim que teve um pedaço de cena que até copiaram os socos múltiplos... entre 1002 outros copy-pastes horrorosos, esse foi mais um (e claro, nem de perto semelhante). Aliás, soube que "limaram" ele por não respeitar a agenda deste (ainda tem quem dê a desculpa de que estava tudo corrido e não poderiam tentar encaixar), porque Hugo Weaving queria SIM ter participado. https://collider.com/the-matrix-4-why-hugo-weaving-agent-smith-gone-explained/ Ainda bem que cagaram pra ele e não pôde voltar, nem com o mesmo algo de bom teria saído.
  10. Vi o filme hoje (já saiu até cópia OK, ainda me surpreendo com a rapidez dessa janela nos tempos atuais, porque antigamente era só filmagem tosca da sala de cinema e uma boa demora, esse arquivo que vi parece que de serviço de streaming) e acreditem, nada é aceitável sob qualquer possibilidade. Falhou miseravelmente do começo ao fim. O troço é tão, mas tão ruim, que nem saco pra escrever acho que vou ter, porque ficaria quilométrico falar das inúmeras deficiências. O que mais me espanta é alguém ainda achar um fio de cabelo que se salve dessa hecatombe. O mais engraçado (e se alguém comentou disso eu não achei) foram as F * bombs, putzgrilo, tinha cena que era um combo, uma atrás da outra. A melhor tradução pra "fuck" é "porra" no nosso português. O débil mental com "TOC" que escreveu o roteiro colocou tanto "porra" na boca dos personagens que eu fiz uma aposta comigo se passaria mais de 2 minutos sem ouvir uma interjeição. Inacreditavelmente (podem checar se estão duvidando) o filme não consegue se segurar nem por isso. Como muito raramente vejo produções recentes, não sei se essa baixaria virou norma em filmes e séries (esse último me fez lembrar de Star Trek: PICARD, que também era repleto disso). Você ser desbocado vez ou outra vá lá, mas a impressão que passam é que TODOS são assim o tempo todo. Eu acho que nem no boteco mais zuado, nem no bairro mais casca-grossa e baixo nível que possa existir, alguém tem esse refinamento. P.S. Só por curiosidade eu resolvi contar pela legenda quantos "fucks" foram ditos. Eu pensei que seriam uns 30, e esse número já seria bem alto. Foram 88. Isso dá quase um por minuto. Só aí já dá pra vocês terem noção... E pensar que rejeitaram lá atrás isso daqui: https://residentevil.com.br/noticias/por-que-o-roteiro-de-george-romero-nao-virou-um-filme-de-resident-evil/ Lamentável a CAPCOM se lixar pra franquia desde sempre. Mas não dá pra esperar nada de bom dessas adaptações baseadas em jogos. Exceção pra esses filmes do Sonic, mas só porque ouviram os fãs. P.S. 88 fucks e 29 shits... 🤣
  11. A distribuidora ARROW anunciou que o filme original de RoboCop (1987) sairá em UHD/4K, em Março: https://www.blu-ray.com/news/?id=29817 Frankenstein de Mary Shelley, de 1994, e: Um Lobisomem Americano em Londres (An American Werewolf in London), de 1981 Também vão sair no formato. E em 4K o Blu-ray.com publicou a resenha de THE RED SHOES, de 1948, pela Criterion: https://www.blu-ray.com/movies/The-Red-Shoes-4K-Blu-ray/297992/#Review Seguem também as resenhas de Karate KID 1, 2 e 3: Primeiro (edição de 2021, não confundir com a anterior): https://www.blu-ray.com/movies/The-Karate-Kid-4K-Blu-ray/302421/#Review Segundo: https://www.blu-ray.com/movies/The-Karate-Kid-Part-II-4K-Blu-ray/302187/#Review Terceiro filme: https://www.blu-ray.com/movies/The-Karate-Kid-Part-III-4K-Blu-ray/302186/#Review Dei uma conferida nos KK e vi que a exemplo de A FAMÍLIA ADDAMS a restauração valeu a pena, achei que o salto não seria significativo, mas esses discos provam que quando a distribuidora quer (ou a fonte original ajuda), ela faz muito bem feito.
  12. Postagem antiga do @Jailcante https://web.archive.org/web/20071011162253/http://cinemaemcena.com.br/forum/forum_posts.asp?TID=14587&PN=1 Tópico sobre filmes XXX com participação do @Jorge Soto 🤣 A Thammy ainda era lésbica nessa época 😝
  13. Por "meio extra-oficial" você não consegue acompanhar nada, a geração de imagens parece que é feita por quem tem mal de Parkinson e tomou choque de um milhão de volts, é um troço totalmente cagado. O review fica comprometido se vc não assiste na tela grande e nem consegue uma cópia minimamente decente. Pra "NO TIME TO DIE" (o último de 007) essa chegou pouco tempo depois que saiu nos cinemas, acho que porque a mídia física/streaming não leva mais tanto tempo pra sair. Meu ponto não é que o filme teria de ser estupendo, um novo épico de terror, um "2001" do gênero, ou seria uma droga. É que esse daí acabou se mostrando segundo TODOS os reviews inferior até que os lixos da Milla Jovovich. Era óbvio que seria mais do mesmo, pelo fato de ser a mesma produtora. A parte que o primeiro vídeo do Youtube fala que a Jill Valentine (personagem) é fodona e o Leon um paspalho, reflete os tempos atuais, em que só sabem impor uma agenda feminista, anti-masculina, que toda mulher tem que ser Mary Sue, não ter defeitos, e o homem o inverso, bostinhas incompetentes e desprovidos ou de caráter ou de quaisquer atributos positivos. Hollywood sempre foi assim, mas nas últimas décadas vem martelando isso em 100% dos filmes. Nenhum escapa mais (a não ser que seja feito por fãs). Engraçado que no jogo de 1996 era totalmente o inverso, e no RE 2 de 1998 o LEON totalmente diferente (aliás, até o Wesker foi deturpado, como adiantei nos posts anteriores) e a personagem da Rebecca, então, era mais frágil ainda que a Jill. Se havia uma personagem de fato "feminina" (não confundir com "machorra") no videogame, essa era a Jill. No jogo ela nunca foi nem de longe tipo uma Sarah Connor. Hoje na Hollywood "woke", não pode mais ser assim. O que se pararmos pra pensar acaba sendo não só misândrico como misógino também, pois o roteirista acaba ainda que não perceba dando a entender que vê todas as mulheres tão insignificantes que precisam ser elevadas (como se todas fossem perfeitas) e o homem reduzido, pra que só então cresçam. Antigamente os dois eram bem representados na tela. Tem até um artigo muito bom, chamado "A Bolha Misândrica", que fala sobre personagens masculinos sendo vilipendiados nas últimas décadas, pra atender essa agenda. De como não existem mais exemplos de homens de verdade, no cinema. Os filmes da Milla Jovovich inclusive provam essa minha argumentação, pois Resident Evil nunca foi uma franquia voltada a ressaltar um personagem específico, e acabou servindo de escada pra essa atriz. E vejam como não apenas esses vídeos em português criticam do mesmo jeito: até no IMDB pensaram igual: ************** It makes the Milla Jovovich films even better to me. This is an awfully executed, boringly disjointed, terribly miscast, soulless mix of two games and crushingly bad movie experience. On top of that: worst CGI I've seen in quite a bunch of years. The jump-scares are cheap and without the tension nor the build up like in the games and some of the previous movies. I don't know what is Kaya Scodelario doing here. The franchise (even being what it is), the actors and we as the audience deserve so much better than this. ************** Lembram que eu avisei que teria efeito especial porco? Olhem a parte do "sustos previsíveis e forçados" (ou "jump-scares"). Agora comparem a forçada de barra (do roteiro patético) em criar um clima de terror com os exemplos que eu pincei do game em que de forma eficiente (com ângulos de câmera, trilha, etc) os desenvolvedores aí sim conseguiram envolver o jogador e conseguir o que queriam. Olhem esse review (sobre o LEON): ********* My hate for this movie is immeasurable and my day is ruined COMPLETELY ATROCIOUS CAST Leon : They made him a LAUGHING STOCK , a comic relief, a stupid sidekick for Claire! In the game the president saw how competent Leon was during the Racoon case and decided to hire him..HOW ARE YOU GONNA EXPLAIN THIS LATER? Of course let's not dwelve more into how he looks EXACLTY LIKE CARLOS! At least shave his beard do the bare minimum! Also his acting was mediocre af Claire: A conspiracy theorist and a complete joke nothing like Claire and plus the actress look old for Claire Jill: This is not Jill , looks nothing like her ACTS nothing like her..also cringe For those of you who rated this more than 3 I wanna ask..HOW much did they paid you to do so? ********* Leon era um novato. Não um sidekick bobão. E nem parecido com Carlos de RE 3. Claire uma teórica de conspiração, e a atriz parecer velha para a personagem. A Kaya Scodelario já tem 29 anos. É verdade essa parte: no jogo a CLAIRE tem apenas 19. Chris tem 25, Jill tem 23. E Leon apenas 21. Essa foi a modelo pro RE 2 Remake, lançado em 2019: Era pra terem escalado uma novinha pra fazer a Claire. Alguém com esse perfil! 😆 E pra fechar a tampa do caixão: ********* Save your money. Two games in a one hour twenty minutes movie super rushed, bad acting, Leon is a comedy relief character, they spend 10 minutes in the mansion, OMG and the bad CGI ending with a joke pun. Sony waste the chance again, we will never have a decent RE movie lost all my faith now. ********* "Não perca tempo/gaste o ingresso pra ver. 2 jogos em 1 hora e 20 (OBS: o filme teve 1h47), super-apressado, com atuações horríveis/canastronas, o personagem do LEON é um alívio cômico, eles passam 10 minutos na mansão, final com CGI ruim e um trocadilho. A Sony perdeu a chance de novo, nunca teremos um filme baseado em RE que seja decente, perdi todas as esperanças agora". Mais um pra se juntar a inúmeras adaptações fracassadas de videogames, e um ótimo exemplo de como NÃO APROVEITAR todo o potencial de uma franquia. Enfim: RIP
  14. Trágico... e o Jorge ainda achou "razoável". Não quero nem saber o que ele acharia ruim.
  15. A respeito do primeiro A FAMÍLIA ADDAMS, filme de 1991: Como dá pra ver nesse vídeo acima, eles lançaram uma versão estendida (até agora disponível somente no UHD/4K, não existe nem Blu-ray 1080p e nem mesmo rip menor na internet), com cerca de 1 minuto a mais naquela cena com a dança, "Mamushka", a partir de 1h06m. Na versão de cinema esses trechos foram cortados, e na estendida removeram aquele diálogo curto de alguns segundos que fica no meio dela (tem na de cinema). Eu já tinha ouvido "Mamushka" do álbum/trilha sonora, e estranhado justamente porque Raul Julia cantava mais que no filme. Só agora é que há esse vídeo. Sobre extras, o 4K trouxe um de meio minuto do diretor explicando esse corte, outro de 7 minutos (Archival) de época, e mais um de 16, filmado em 2021 e com o diretor refletindo sobre a franquia. Espero que a sequência tenha a mesma sorte e não tenhamos de esperar até 2023 pra tanto. Engraçado é que esse 4K da Paramount levou a nota máxima: https://www.blu-ray.com/movies/The-Addams-Family-with-More-Mamushka-4K-Blu-ray/293203/#Review É uma lástima que diversos títulos dessa distribuidora ainda não tenham saído no formato. Eles investem pouco em mídia física. A propósito, saiu a resenha de Drácula (de 1995, com Leslie Nielsen): https://www.blu-ray.com/movies/Dracula-Dead-and-Loving-It-Blu-ray/47114/#Review Mais 4Ks: Reds, de 1981: https://www.blu-ray.com/movies/Reds-Blu-ray/300061/#Review Invasores de Corpos, de 1978: https://www.blu-ray.com/movies/Invasion-of-the-Body-Snatchers-4K-Blu-ray/295492/#Review Esse de Cidadão KANE (1941): https://www.blu-ray.com/movies/Citizen-Kane-4K-Blu-ray/297987/#Review Infelizmente o Blu-ray 1080p que veio com ele teve de passar por um recall, que é quando o disco tem problema técnico e trocam de todos os compradores.
  16. Resident Evil (ou Bio Hazard, como chamaram no Japão - RE é o título americano) não foi um jogo qualquer. Se fosse feita uma lista de jogos obrigatórios (assim como filmes obrigatórios de se ver antes de morrer), estaria no top 5. Guardadas as devidas proporções, Resident Evil está pra videogames como "2001: Uma Odisseia no Espaço" pro cinema. Ou um "O PODEROSO CHEFÃO". Hoje pode até ser que não, mas sempre foi consenso que só prestou de fato a história dos 3 primeiros jogos (e eles). O primeiro em 1996 (relançado naquele corte do diretor, em 1997, que é rigorosamente igual, mas com algumas coisinhas a mais, como novos ângulos), e em 1998 tivemos o equivalente a um "O PODEROSO CHEFÃO: PARTE 2" ou "O EXTERMINADOR DO FUTURO 2", pois conseguiram a façanha de melhorar algo que já era excelente, expandindo bem mais; me refiro a Resident Evil 2. Em 1999 veio o Resident Evil 3: Nemesis, em que o vilão superou todos os anteriores, e este era o maior atrativo, se eu tivesse que comparar a uma sequência do cinema em matéria de acerto, diria que foi como o terceiro A HORA DO PESADELO. Geralmente sequências são sempre inferiores e dão claros sinais de esgotamento, mas os 3 primeiros jogos foram isoladamente perfeitos. O que foi produzido depois pros videogames, começando por aquele RE: Code Veronica, passando pelo Remake de 2002 (que foi o RE original de 1996 com nova roupagem, mas nem de longe tão bom quanto), ou mesmo RE 4 (totalmente diferente), pra mim foi como aquela décima sequência de um Sexta-Feira 13, Halloween ou outra franquia aí explorada até a última gota da alma. Diversão passageira, nem de longe equiparável ao que veio antes. Veja que eu falei em PSICOSE (1960), ou O EXORCISTA (1973), ninguém diria que as sequências desses chegam nem perto dos originais. Você pode até elogiar títulos como O EXORCISTA 3, mas dizer que bebe na essência do primeiro e expande, aí nem pensar, não é como se um fosse uma maçã argentina e outro uma maçã verde. O que os fãs dos jogos pensam a respeito de TODOS os filmes da Milla Jovovich e agora esse "reboot" é que são nada mais, nada menos que explorações patéticas, destoando completamente da essência destes, de todo o material que tinham disponível pra usar. Primeiro que essa personagem da Milla jamais existiu, não é baseada em NADA retirado de jogo algum. Os filmes não são cópias dos jogos, simplesmente fizeram um arranjo todo cagado e pegaram emprestado nomes de personagens e conceitos, e fizeram esses arremedos que a gente conhece. Segundo que como te expliquei, RE no videogame é uma mistura de gêneros: - Terror; Horror; Drama; Suspense; Ação... tem alguns toques leves, mas não vai pro lado da galhofa tipo o que se vê num filme como UMA NOITE ALUCINANTE 3. Um pouco de romance? Também tem. Daria pra dizer que é um pouco de ficção científica? Também. Antes de mais nada, vale explicar a diferença entre "terror" e "horror". Terror é psicológico, ameaça de perigo, descamba pra suspense, enquanto que HORROR é sentimento de repulsa a algo grotesco, quando há uma coisa assustadora física, visual, geralmente envolvendo sangue, violência, canibalismo ou até mesmo cadáveres ou pedaços de corpos desmembrados. Em Drácula de Bram Stoker, durante praticamente todo o romance temos uma atmosfera sombria, em que um jovem vai a um castelo distante, onde mora um homem misterioso, e tudo parece um tanto assustador. Toda essa expectativa repleta de aflição que permeia o romance é terror. Quando eles descobrem a presença dos vampiros e temem ser atacados, também temos o elemento do terror. Porém, quando um personagem é transformado em vampiro e aparece mordendo crianças no cemitério, isso é horror, assim quando este é decapitado. Aí você me pergunta: tem os dois no videogame? Sim. E eu tô falando dos 3 primeiros jogos. Rola desde decapitação a vítimas desmembradas, enfim, teve nojeira suficiente pra que no mercado americano RESIDENT fosse censurado (pra você ter uma ideia a tesourada chegou a tal ponto que removeram até o Chris fumando num dos vídeos), o que não rolou no BIO HAZARD japonês. Acima: abertura de BH 1, primeiro vídeo que toca quando vc inicia o jogo - versão sem censura. O "gore" seria suficiente pra que no cinema o filme recebesse classificação pra 18 anos, sem dúvida nenhuma. Já começa daí, não teria como obter uma menor a esta, e aí a gente já sabe o que acontece: podam o bastante pra não perder público, quase tornam "family friendly". Mas isso não seria um problema, bastaria fazer duas versões, a "UNRATED" poderia ir justamente pra mídia física. 😉 Tivemos terror/horror até agora? Nem de longe, mas nem um priquito de barata do que poderiam ter colocado. E um ponto que queria ressaltar é que em filmes clássicos (como o citado EXORCISTA de 1973, ou peguem ainda A HORA DO ESPANTO, de 1985, entre vários outros marcos) o que mais chamava atenção era a maquiagem. Eram os bichos/monstros, em que não usavam CGI porco e fake, um JURASSIC PARK era uma mistura disso e efeitos práticos. O HUNTER de RE de 1996 seria quase que uma cópia do Velociraptor de JURASSIC. Deveria ter rolado todo um trabalho de deixar a mansão e proximidades realistas, de se pensar ângulos de câmera, ou até mesmo trilha sonora funesta, fúnebre e incômoda dos games... Drama: também teve? Menos ainda. O que seria dramático num filme realmente bom de Resident? Nos jogos algo que me lembro foram os diários deixados pelas vítimas dos experimentos, que lentamente se transformaram nos zumbis e demais monstros. Membros da equipe de resgate que eram encontrados ainda vivos durante o desenrolar do jogo. Um bom filme tentaria demonstrar que todos estavam comendo o pão que o diabo amassou. Não seria só dar tiro em zumbi, também haveria um esforço de humanização, de se criar empatia com os protagonistas, de envolver com a história. Que era algo desesperador, e isso teria que ser evidenciado por bons atores, expressivos, que estariam tentando gradualmente fazer o possível pra se livrar desse problema. E isso, claro, avançando em meio aos cenários sombrios (e aqui vai uma sugestão: a mansão ter armadilhas, passagens secretas, ficaria a dúvida de como o Wesker e a Jill ou Chris sumiram no começo, que terminaria não explicada), matando os bichos, teríamos também momentos épicos do jogo como Barry salvando a Jill do elevador, ou Chris/Jill sendo infectados e Rebecca ou Barry tendo que obter o soro pra salvá-los... Rolou 10% do que comentei? DE JEITO NENHUM. Nem o menor sinal de choro e ranger de dentes. 😐 Idem pra suspense, teria que haver algum mistério, de não se telegrafar o que viria a ocorrer, como personagens secundários que estão mais que evidentes que irão morrer 5 minutos depois. E como expliquei sou 100% contra de se concentrar em 2h de filme, só o primeiro jogo deveria ser dividido em 2 ou 3. Se fosse bem sucedido não haveria problema nenhum de quem foi ao cinema se interessar por uma sequência. Ação: todos os filmes feitos até agora de RE são totalmente escorados em entreter de forma superficial/rasa, então rola no máximo alguma treta/confronto, passando pra próxima parte do roteiro. Só que transformar RE em filme de ação é resumir de forma porca o que realmente é. O gênero de ação é provavelmente o que mais lança filmes todos os anos, existe um grande público que adora consumir os filmes do tipo, e a crítica especializada não leva a sério, justamente porque quem faz não está nem aí pra entregar bons filmes. A trama principal é apresentada de forma rápida e sem muito aprofundamento, e em pouco tempo toda a história já foi apresentada, nos levando para o início das cenas de ação que é quando começam as perseguições e brigas num ritmo frenético. No fim das contas, o herói vence algum medo, algum desafio, ou conclui sua vingança, e até pode haver uma tentativa de nos fazer sentir que realmente nos importamos com aquela pessoa, mas você percebe que logo que acaba se lembra apenas da barulhada que foi, ou sequer se lembra disso porque o filme desaparece pra sempre na sua cabeça. Foi totalmente esquecível. Alguns não dão muita atenção à história, mas nos entregam cenas de ação memoráveis que acabam sendo o único ponto alto do filme todo. Se você que está me lendo acredita que Resident no videogame se resume a tanto, está redondamente enganado. Mas no cinema virou isso. Lembra do Matrix original de 1999? Você diria que apenas os momentos singulares dele tipo bullet time, lutas com agentes, etc. são lembrados, ou a "filosofia"? Quanto ao resto, tipo momentos um pouco descontraídos, algum romance entre personagens, ou toques de ficção científica no enredo, tudo isso faria parte de um roteiro bem construído que pudesse ser de fato fiel aos jogos. Uma das coisas que teria de ser pensada muito bem são os puzzles, pois é óbvio que no filme não veríamos os personagens coletando itens pra avançar, isso seria bastante podado ou talvez até retirado quase que na totalidade. Um roteiro cinematográfico baseado num jogo ou outra mídia como LIVROS precisa ter liberdade pra adaptar aquele material de uma maneira que funcione na tela grande, mas não a ponto de cagar em cima do que foi feito de tal maneira que fique irreconhecível ou completamente subverta, deturpe o original. O que inclui mexer na aparência e personalidade, algo que claramente foi feito neste reboot mequetrefe. Tais alterações são, dependendo do que se propõe, aceitáveis e mais que esperadas, e quando bem feitas além de não corromper a essência ainda podemos até aplaudi-las pela criatividade. Só que hoje (eu diria sempre...) Hollywood não está preocupada em fazer "obras de arte". Um filme de fato baseado em RE levaria vários anos pra ser feito e teria de ter uma equipe ímpar pra tanto, assim como o JURASSIC PARK original levou pra sair do papel. A escolha desta, bem como do elenco, diretor, do cara que vai compor a trilha sonora e tudo mais, não poderia ser feita a toque de caixa. Mas o que só sabem entregar? O que se dispõem a fazer? Filme pra Sessão da Tarde, como o review da Variety disse, pra "geração Z", que são aqueles nascidos entre o fim da década de 1990 e 2010. Esse pessoal não faz a menor ideia do que seja um filme de terror/horror de verdade. Esse gênero (assim como outros tipo faroeste) foi completamente dizimado nas últimas décadas no cinema. Não tem a menor condição vc comparar tudo que foi feito recentemente com obras de 40, 50 anos atrás, com orçamentos infinitamente menores, mas em que havia todo um cuidado, um esforço de verdade em fazer algo memorável, marcante. O interesse de todos é fazer algo banal, corriqueiro como toda a patacoada que sai ano após ano. E sobre o jogo original de 1996, quem nunca conferiu, acho que fui o único na internet a gravar mostrando os caminhos que são possíveis dependendo do que você faça: https://www.youtube.com/playlist?list=PLCAm_SFVMXIK4GqnsybOwumGanZJkAgfd Reparem que gravei mais de 15 horas. E isso só dele. São os 4 primeiros dessa playlist. Existem outros "walkthroughs" (passo a passo, que antigamente a gente chamava de "detonados", mostrando a pessoa explorando do começo ao fim), mas são resumidos a algumas horas, sem mostrar todas as cenas. Esses 4 primeiros videos da playlist são o inverso, porque gravei baseado nesse FAQ: https://gamefaqs.gamespot.com/ps/198454-resident-evil/faqs/20010 E os facínoras tiveram a capacidade de juntar os 2 primeiros jogos num filme só.
  17. Não manja como? Nunca jogou nem os 3 originais? Nem viu nada deles? Apesar que nem precisaria se fosse explicado o quão essas adaptações destoam do material (da fonte) que elas bebem, que tipo de filme deveriam ao menos tentar tirar do papel. Veja que eu falei lá atrás de Psicose (1960), Os Pássaros (1963)... Tem outro review em inglês que saiu, descendo o sarrafo também: https://variety.com/2021/film/reviews/resident-evil-welcome-to-raccoon-city-review-1235115912/ Enfim, não tem nada mais broxante que constatar que quem tem a faca e o queijo na mão, a decisão do que vai ou não ser feito, só faz filme após filme as mesmas tranqueiras. O que é mais nojento é na cara de pau virem dar entrevista fingindo que o que fazem tem algo remotamente a ver com os jogos, que se prestam a qualquer coisa a não ser fazer uma graninha rápida e fácil, dos otários. Pelamor de Deus, até sob um ponto de vista de fazer dinheiro a decisão de combinar histórias é um tiro no pé de tanta burrice. Você socar em menos de 2 horas mistério, bichos, múltiplos personagens (RE original de 1996 inclusive tem 2 histórias simultâneas, uma pelo lado do Chris e outra pelo da Jill), boa elaboração deles, de modo a que o espectador se importe (é por isso que uma das coisas que defendo é dividir em mais filmes, vc tem que ser um gênio pra desenvolvê-los de forma decente e criar carisma tão rápido, até porque o tempo de tela não será só deles, e sim de tudo que o jogo tem, vai dos monstros aos cenários que deveriam ser destacados, a situações bem distintas). A propósito, com tantos monstros no jogo os caras foram colocar Lisa Trevor, daquele Remake de 2002. Uma listinha rápida do RE de 1996: https://residentevil.com.br/resident-evil-1/inimigos/ E do RE 2 de 1998: https://residentevil.com.br/resident-evil-2/inimigos/ É duro, viu...
  18. Digital-era home video releases of the trilogy have some different audio in places, compared to the original VHS/laserdiscs. One notable difference in the first movie is in Doc Brown's first on-screen line, "Marty, you made it!". It was shouted on those early versions, but is more subdued and calm on DVD and Blu-ray/4K. Essa eu ia morrer sem saber. No VHS/laserdisc parece que a primeira fala do Dr. Brown "Marty, você veio!" é com a voz do Chris Lloyd gritando, enquanto no DVD/Blu-ray/4K é ele falando de forma calma. Não sei se dublaram o grito pro VHS e se o DVD/mídias mais novas é que estão iguais a versão de cinema. Mas na minha opinião o "grito" do VHS parece falso, pois logo depois ele fala de forma calma. Seria interessante ver esses VHS/laserdiscs também para analisar o segundo filme, pois eu tenho quase certeza que só a partir do DVD mudaram o efeito sonoro daquela cena em que o Strickland começa a "meter chumbo" nos bandidos que metralham a casa dele (no 1985-A). Na dublagem o som parece mais realista. Mas áudio dublado não é prova de nada, claro. Já o que vou descrever abaixo eu acho que fui o único a notar e com certeza se trata de alteração. Mas só dá pra gente ver no disco em 4K (UHD) do segundo filme. Isso a gente nota até nesse vídeo abaixo, entre 2 minutos e 2m05s, publicado pela distribuidora. É o som do Delorean decolando rumo a 2015. Somente no 4K está diferente do que se ouvia nos lançamentos anteriores, Blu-ray 1080p e outras mídias.
  19. Olhem esse review, em inglês. Da IGN. Unfortunately the movie is disappointing. It's got some interesting ideas but between the cheesy writing that doesn't do its thinly sketch characters much justice and a rush third act, it'll be hard to rewatch this one as a fan of the series. Most of the scenes with Leon had him either being extremely incompetent or taking the brunt of the joke. I can appreciate the screenplay leaning into his inexperience, but the gag quickly grew tiresome. Traduzindo: "o filme decepciona, tem algumas ideias interessantes, mas roteiro bobo que não faz justiça aos personagens rasos, e o terceiro ato é apressado, será dureza rever se vc for fã da série. A maioria das cenas com Leon mostram ele como extremamente incompetente ou alvo de zoação, o roteiro se escora na inexperiência deste, mas rapidamente isso fica cansativo". A maior mancada (segundo a resenha) é que misturaram os 2 primeiros jogos num filme só, o que ficou apressado no pouco tempo disponível, teria sido melhor focar em pontos principais de 1 deles. Deram 6/10 e como diversão passageira. Os filmes da Milla Jovovich também traziam elementos do jogo. Mas ela própria já era a prova de que cagaram pra franquia. Fizeram vários e uma salada ridícula, botassem toda a grana gasta naquelas bombas na mão de fãs de verdade sairia um troço bem melhor. Eu acho que o maior erro em se tratando de Resident Evil no cinema é botar um terrorzinho misturado com ação. Resident (ao menos os primeiros) nunca foi exclusivamente isso. Pra mim era terror impactante (até a trilha sonora evidenciava) com suspense, drama, às vezes um toque de comédia... Toda vez que fazem um filme de RESIDENT EVIL (e isso a gente percebe de cara no trailer) botam uns zumbis, uns efeitos computadorizados que de longe vc diz que são fake (tem maneiras de tornar mais realista), uma galerinha dando tiro e só. Eu já perdi as esperanças de que saia algo melhor que chorume desse pessoal, então nem vou perder tempo conferindo.
  20. "Criado com amor ao jogo" "Adaptação fiel" É de cair o cu da bunda... Leon que parece o Carlos, Jill morena (e que atriz com cara de vilã, hein? Como diria o Mução, "ô povu feio" ), mansão tabajara com sérias restrições orçamentárias... olha o tamanho dos cenários, no jogo era tudo gigante, e a mansão sozinha já era a graça do original de 1996, efeitos especiais que de "especiais" não tem nada, Chris que parece um playboy (ninguém diz que esse do filme é casca grossa)... aliás, falando em personagem/ator nada a ver, olhem esse Wesker. Botaram um ator que nem por um milhão alguém diria estar relacionado a esse personagem. Nem óculos escuros (nesse trechinho dele entrando na mansão) usa. Até aquele que usaram nos filmes da Milla Jovovich seria melhor. Torcendo pelo FLOP e que a franquia seja enterrada de vez. Se esse pessoal quer fazer revisionismo e cagar, que fique a vontade, mas mentir descaradamente nessas entrevistas chapa-branca, só mostra como são bandidos/estelionatários.
  21. Drácula: Morto Mas Feliz (1995) com o Leslie Nielsen está saindo em 1080p pela primeira vez, lá fora, nos próximos dias: https://www.blu-ray.com/news/?id=29614 E a respeito dos filmes de Superman (1978-1987) fica abaixo um registro que fiz no fórum do Blu-ray.com: https://forum.blu-ray.com/showpost.php?p=19561423&postcount=4993 Especialmente no tocante as versões editadas pra TV, das sequências, que até hoje nunca saíram em mídia física (DVD em diante). O primeiro saiu na versão pra TV em 2017, pra 1080p. Eu cheguei até a ver esses rips dos filmes 2 e 3 (de TV), mas a qualidade é bem precária e o material adicional a exemplo do Blu-ray de 2017 de SUPERMAN: O FILME não acrescenta muito. De Super 3 as cenas extras da TV a gente já vê na forma de material extra, e o segundo não tem em disco algum. E ainda tem aquele pedaço a mais que o serviço de streaming "VUDU" transmitiu, o que pra mim prova que poderiam trabalhar em cima disso, pra restaurar. Pra quem não lembra, veja abaixo, a cena do Youtube não está dentro de SUPERMAN 2: THE RICHARD DONNER CUT, de 2006: Mas parece que "vazou" acidentalmente nesse serviço. Até então só existia em imagem 4:3 tipo VHS, do corte da TV exibido décadas atrás de Super 2. Outro ponto que ressaltei no fórum Blu-ray.com foi que poderiam arrumar a imagem dos 4 filmes em 1080p mesmo (a cor nos Blu-rays atuais está zoada), além de oferecer novos extras como trilha sonora isolada e outros que a gente acha pelo Youtube, como de locações. O quarto é um que embora muito fraco tem um ótimo score do Alexander Courage, que fez a trilha de JORNADA/STAR TREK original da década de 1960.
×
×
  • Create New...