Jump to content
Forum Cinema em Cena

O Casamento de Rachel, Jonathan Demme (20


CACO/CAMPOS
 Share

Recommended Posts

 

Anne Hathaway interpreta ex-modelo em comédia de humor negro - 16/07/2007 17:52

annehathaway_02.jpgEm entrevista concedida ao site Blackfilm, a atriz Anne Hathaway (O Diabo Veste Prada - foto) revelou que seu próximo projeto será a comédia de humor negro Dancing With Sheba.

 

“Eu interpreto uma ex-modelo que está em reabilitação há dez anos. Depois de muito tempo se tratando, ela volta para casa para ir ao casamento da irmã”, comentou a atriz.

 

A direção ficará aos cuidados de Jonathan Demme (Sob o Domínio do Mal). A atriz Debra Winger (Meu Nome é Rádio) também participa do elenco. As filmagens começam no final do ano.

 

Novos detalhes sobre a comédia dirigida por Jonathan Demme - 10/08/2007 12:23

 

Anne Hathaway está confirmada no elenco, que também contará com Bill Irwin (A Dama na Água), Anna Deavere Smith (Rent – Os Boêmios) e Debra Winger (Meu Nome é Radio).

As filmagens começam em meados de setembro, com locações em Connecticut, nos Estados Unidos. O roteiro foi escrito pela atriz Jenny Lumet, filha do veterano diretor Sidney Lumet. A distribuição será da Sony Classics.

Trailer do drama com Anne Hathaway - 04/08/2008 11:05

rachelgettingmarried_trailer.jpgO drama Rachel Getting Married, dirigido por Jonathan Demme, teve seu trailer liberado pela Sony. O longa é protagonizado por Anne Hathaway que vive uma jovem com problemas com a família.

Clique na figura para assistir à prévia no site Yahoo!

Foto

 

Hathaway e mesmo uma gracinha e exemplo de renovação no artigo atrizes  tem feitos bons filmes(Diabo Veste Prada/Blockbeck Moutain) e parece que vai ter a sua chanche de brilhar neste longa do outraora famoso Jonathan Demme que está tentando voltar ao batente.

 

Achei bem legal o trailer mostar a chegada de Kim(Hathaway) nos preparitivos no casamento da irmã e tumultando alguns momentos familiares, se não me engano a Debra Winger(Laços de Ternura) parece ser sua mãe.

_12094433035745.jpg

 
ironsunder2008-10-17 18:36:43
Link to comment
Share on other sites

Anne Hathaway desembarca em Veneza

Estrela de "O diabo veste Prada" participa do 65º Festival de Veneza.
Hathaway está no filme "Rachel getting married", que disputa Leão de Ouro

Foto:%20AFP/AFP

Anne Hathaway, que ganhou fama com sua atuação em "O diabo veste Prada", chega a Veneza para participar da 65ª edição do festival; a atriz protagoniza o longa-metragem "Rachel getting married", de Jonathan Demme, que disputa o Leão de Ouro com outras 20 produções lançadas na mostra italiana 
Link to comment
Share on other sites

Drama familiar de Jonathan Demme agrada em Veneza

 

Uma sala lotada mostrou que os americanos ainda têm a força. A primeira exibição de "Rachel Getting Married", de Jonathan Demme, na manhã desta quarta-feira 3, na competição do 65o Festival de Veneza, foi bastante aplaudida. A mesma coisa aconteceu na coletiva de imprensa, logo na seqüência.

O diretor de "O Silêncio dos Inocentes", que nos últimos anos tem se dedicado mais aos documentários, filma à maneira documental este drama familiar. A câmera se aproxima dos personagens, que aparecem fortes e complexos. Mas "Rachel Getting Married" não conta uma história nova.

Anne Hathaway deixa de lado os papéis de princesa e meninas boazinhas para fazer Kym, uma garota que tem entrado e saído de clínicas de reabilitação por dez anos. Ela volta para casa nas vésperas do casamento da irmã Rachel (Rosemarie DeWitt), trazendo à tona ressentimentos e acusações.

"Todos me perguntam sobre Kym, uma personagem torturada, consumida pela escuridão. Mas nunca pensei nela nesses termos. Para mim, ela sempre foi uma garota lutando para viver sua vida e que é extremamente honesta, é honesta até de forma mal-educada. Foi divertido interpretar alguém que é o combustível das cenas", disse a atriz Anne Hathaway.

Jonathan Demme comentou sobre o fato de gente de várias raças aparecer nesse casamento. "Este é o tipo de grupo de pessoas com quem convivo. Esta é a América com a qual me sinto conectado. Alguém me disse que o filme é sobre um casamento inter-racial (Rachel casa-se com o afro-americano Sidney, interpretado por Tinde Adebimpe). E eu disse: não, não é", afirmou o diretor, revelando que o ator foi o sétimo a ser convidado para o papel - o primeiro foi o cineasta Paul Thomas Anderson, que é branco. "Mas esta é a América de que gosto e que está mais forte ainda com a indicação de Barack Obama."

Um jornalista perguntou à roteirista Jenny Lumet se essa família tentar se reunir é uma metáfora para o momento atual dos Estados Unidos, um país buscando se unir novamente. "Isso não tinha me ocorrido, mas talvez seja o que estejamos fazendo. Tenho dois filhos e é uma luta para que eles não fiquem separados. A família do filme luta para ficar junta e acho que é isso o que estamos fazendo agora", afirmou.

 

fonte: uol ,  Mariane Morisawa


<>

#uolcelwidgets { margin:2em 0;height:80px; }

#uolcelwidgets h3 { background:#efefef;color:#000;font:bold 10px verdana;padding:3px;height:12px;display:block;margin:0;padding-left:10px; }

#uolcelwidgets .borda span { margin-top:3px;color:#666;margin-bottom:40px; }

#uolcelwidgets .borda span a { color:#666; }

#uolcelwidgets a { text-decoration:none;color:000; }

#uolcelwidgets a:hover { text-decoration:underline; }

#uolcelwidgets #uolcelular { float:left;margin-right:10px;width:212px }

#uolcelwidgets #uolcelular .borda { height:50px;_height:57px;border:1px solid #efefef;color:000;font:normal 10px verdana;background:url(http://img.uol.com.br/wap-ico.gif) 13px 12px no-repeat;padding:0;padding-top:9px; }

#uolcelwidgets #uolcelular .margem { padding-left:40px; }

#uolcelwidgets #widgets { float:left;width:213px }

#uolcelwidgets #widgets .borda { height:50px;_height:57px;border:1px solid #efefef;color:000;font:normal 10px verdana;background:url(http://img.uol.com.br/widgets-ico-menor.gif) 7px 7px no-repeat;padding:0;padding-top:9px; }

#uolcelwidgets #widgets .margem { padding-left:50px; }

 

Link to comment
Share on other sites

Em Veneza, Anne Hathaway lança filme em que interpreta viciada em drogas

Atriz está no drama 'Rachel getting married', que disputa o Leão de Ouro.
Hathaway diz que é o papel "mais importante" de sua carreira.

Anne Hathaway tirou férias das comédias românticas que a tornaram famosa para mergulhar no papel de Kym, uma garota viciada em drogas que retorna para casa para o casamento da irmã, em "Rachel getting married", de Jonathan Demme, filme em competição no 65º Festival Internacional de Cinema de Veneza.

 

Foto:%20Denis%20Balibouse/Reuters

O diretor Jonathan Demme posa com Anne Hathaway no Festival de Veneza

 

 longa-metragem mostra os preparativos do casamento de Rachel com um rapaz negro e a trama se desenvolve em um contexto trágico. Kym considera-se culpada pela morte do irmão, que faleceu em um acidente de carro enquanto ela estava sob efeito das drogas e, após se internar em uma clínica de reabilitação, a garota procura voltar ao seio familiar.

"Kym é o papel mais importante da minha carreira, a personagem mais complexa. Uma garota torturada psicologicamente, cheia de dificuldades. Mas eu não a vejo assim. Para mim, Kym é uma garota que procurava viver com honestidade a sua dor. Admiro a sua luta para encontrar um espaço na família, para confirmar a própria identidade. Nunca me importei com a opinião do público sobre ela. Tinha certeza de que a havia compreendido", ponderou Hathaway, conhecida por filmes como "O diário da princesa" e "O diabo veste Prada".

 

Foto

A atriz dá uma pausa nas comédias

 

  Sem ensaios

Segundo Demme, ele logo pensou na atriz quando recebeu o roteiro de Jenny Lumet. "Eu a tinha visto em uma cerimônia do Globo de Ouro há cinco anos e ela estava radiante. Já queria trabalhar com ela. Então, falei para ela escolher: Kym ou Rachel", contou o ganhador do Oscar por "O silêncio dos inocentes".

Demme rodou o filme pensando na linguagem do movimento Dogma 95, criado pelos dinamarqueses Thomas Vinterberg e Lars Von Trier. "Queria rodar sem ensaios e com atores dispostos a improvisar e renunciar o primeiro plano. Acredito que com esse método e a minha experiência nos documentários consegui rejuvenescer o filme", refletiu

  Engajada

Hathaway, atualmente filmando a comédia romântica "Bride wars" com Kate Hudson, também revelou que na semana passada foi a Denver para acompanhar a Convenção do Partido Democrata, que anunciou oficialmente a candidatura de Barack Obama.

"Os atores que falam de política não são bem vistos, mas eu o apóio e defendo. Olhando para as pessoas que participaram da convenção, finalmente vi aquilo que os Estados Unidos podem se tornar: o país da esperança de um mundo melhor", disse a atriz.

O cineasta e a protagonista vêem em "Rachel getting married" - com um casamento inter-racial e a vontade de resolver problemas -- uma afinidade com o mundo promovido por Obama. "Nós filmamos antes (da candidatura), mas eu fico feliz que o filme possa ser uma inspiração, ser considerado um filme de Obama", declarou Hathaway.

Boas notícias e bom ver Demme voltando a ativa e em forma e espero que a Hathaway atenda as espectativas da sua perfomace03
Link to comment
Share on other sites

Papel de Anne Hathaway atrai especulação antecipada de Oscar

Atriz interpreta viciada em drogas em "Rachel getting married".
Filme estreou esta semana no Festival de Cinema de Veneza.

 papel sombrio representado por Anne Hathaway em "Rachel getting married", que fez sua estréia esta semana no Festival de Veneza, está gerando especulações antecipadas quanto a um possível Oscar. Vários críticos elogiaram sua atuação, que difere de seus personagens anteriores, cômicos ou de contos de fadas.

No drama familiar dirigido por Jonathan Demme, Hathaway é Kym, uma dependente de drogas em processo de recuperação que deixa um centro de reabilitação para assistir ao casamento de sua irmã.


Sua necessidade de atenção e suas observações cáusticas fazem as tensões familiares reprimidas vir à tona, obrigando-a a confrontar seu senso de culpa pela morte de seu irmão menor.

 'Magnífica'

"Anne Hathaway, em atuação merecedora de prêmios, confere um foco central claro à história", escreveu o "Hollywood Reporter", enquanto a publicação especializada rival "Variety" a descreveu como "frágil, irada, magnífica".


Conhecida sobretudo por seus papéis de garota comum em "Diários da princesa" e "O diabo veste Prada", ela disse à Reuters nesta quinta-feira (4) que ainda é cedo para pensar em prêmios.

Foto

 

"Anne Hathaway, em atuação merecedora de prêmios, confere um foco central claro à história", escreveu o "Hollywood Reporter", enquanto a publicação especializada rival "Variety" a descreveu como "frágil, irada, magnífica".


Conhecida sobretudo por seus papéis de garota comum em "Diários da princesa" e "O diabo veste Prada", ela disse à Reuters nesta quinta-feira (4) que ainda é cedo para pensar em prêmios.


"Estamos no início de setembro. Se eu começasse a pensar nisso agora, não conseguiria passar pelo Natal", disse Hathaway em entrevista.


"Estou felicíssima com este filme, independentemente de o que acontecer com ele. Mesmo que seja fracasso de bilheteria ou que nunca ganhe um prêmio, para mim é um sucesso", acrescentou a atriz de 25 anos.


Hathaway disse que Kym é o papel mais complexo que ela já representou.

 

Coadjuvante

Os críticos também elogiaram a performance breve, mas intensa de Debra Winger no filme, no papel da mãe distante da família problemática. De acordo com a "Screen Daily", Winger, três vezes indicada ao Oscar, tornou memorável seu pequeno papel coadjuvante.


"'Rachel getting married' com certeza será candidato a prêmios nas principais categorias", escreveu a revista.


A maioria dos críticos disse que o filme ajudou a elevar o nível da programação um tanto quanto fraca de Veneza este ano, e o aparecimento de Anne Hathaway no tapete vermelho acrescentou um toque de glamour de Hollywood.


Os filmes anteriores de Jonathan Demme incluem "O silêncio dos inocentes", de 1991, premiado com cinco Oscar, e o drama "Filadélfia", de 1993, sobre Aids.


 
Link to comment
Share on other sites

Festival de Toronto não ajuda a prever indicados ao Oscar

No passado, evento canadense serviu de termômetro para a Academia.
Única candidata que surgiu foi Anne Hathaway, por 'Rachel getting married'.

Foto

Anne Hathaway na estréia de "Rachel getting married" no Festival de Toronto.

Neste ano, o festival de Toronto não serviu como prévia para o Oscar. Desde que o calendário dos prêmios da Academia foi encurtado, em 2003, o festival canadense serve somente para separar os competidores dos pretendentes.

No passado, o Festival de Toronto alimentou as chances de Forrest Whitaker ganhar o Oscar por "O último rei da Escócia", além de chamar atenção para futuros indicados ao Oscar de melhor filme, como "Desejo e reparação" e o vencedor "Onde os fracos não têm vez". Toronto também jogou um balde de água fria nas esperanças de filmes como "A grande ilusão".

Mas, neste ano, poucos filmes chamaram a atenção. "Nunca vi um festival de Toronto tão sem cara de Oscar", disse um executivo. "Já passamos da metade do festival e ainda não fazemos idéia de quais serão os favoritos ao Oscar."

Em vez de premiar filmes, Toronto está servindo para incrementar as perspectivas comerciais de blockbusters como "Nick and Norah's infinte playlist", "Queime depois de ler" e "Zack and Miri make a porno".

Estratégias

A redução do número de filmes é uma das razões pelas quais tão poucos filmes se destacaram na temporada de premiações.

Outro fator: muitos estúdios seguraram os filmes por questões estratégicas ou porque simplesmente não estavam prontos. Alguns vencedores em potencial (como "Milk", "The curious case of Benjamin Button", "A troca" e "Austrália") não estão participando.

Fora isso, filmes como "The duchess" e "The burning plain", embora tenham moderados elogios, não conseguiram chamar muita atenção.

Já títulos que dominaram o festival de Cannes em maio --como "Che", "Ensaio sobre a cegueira" e "Synecdoche, N.Y"-- fizeram pouco para repetir o feito em Toronto.

Mas o Festival de Toronto pode ter ajudado em pelo menos uma categoria: a de melhor atriz. Entre as que se destacam, Anne Hathaway, em "Rachel getting married"; Sally Hawkins, em "Happy-go-lucky"; e a jovem Dakota Fanning, em "The secret life of bees".

 
Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Crítica: 'O casamento de Rachel' traz Anne Hathaway digna de Oscar

Longa-metragem está na programação do Festival do Rio.
Atriz interpreta uma viciada em drogas que retorna à família.

Carla Meneghini

Em cartaz no Festival do Rio, o filme "O casamento de Rachel" (Rachel getting married) foi muito comentado no Festival de Veneza, levantando até mesmo especulações sobre um possível Oscar de melhor atriz para sua protagonista, Anne Hathaway.

 

Foto:%20Divulgação/Divulgação

Em "O casamento de Rachel", Anne Hathaway vive uma drogada (Foto: Divulgação)

Mas será que Hathaway, conhecida por papéis, digamos, bobinhos, em comédias como "O diabo veste Prada" e "O diário da princesa", virou tudo isso? A resposta é sim. Em "O casamento de Rachel", a atriz revela uma atuação visceral, verdadeira e, ao mesmo tempo, delicada. Ela está irretocável.

 Na trama, Hathaway encarna Kym, uma viciada em drogas que volta à casa da família depois de dois anos em uma clínica de reabilitação. O motivo do retorno é o casamento de sua irmã, a Rachel do título (Rosemary DeWitt).

 Nos dias que antecedem a grande cerimônia, a casa é tomada pelos preparativos, mas também por conflitos familiares, uma vez que todos estão com os sentimentos à flor da pele.

 %20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20Mãe%20e%20filhas se%20reencontram%20em%20cena%20do drama %28Foto:%20Divulgação%29 %20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20

Mãe e filhas se reencontram em cena do drama 

Nesse contexto, Kym experimenta a sensação de ser uma estrangeira em sua própria casa, em sua própria família.

 A menina que ela foi, já não existe mais. As pessoas que ela deixou, mudaram muito e agora já são outras. Mas as feridas ainda estão abertas, nada apaga os traumas do passado, que aos poucos vêm à tona.

 A direção do veterano Jonathan Demme (de "O silêncio dos inocentes" e "Filadélfia") dá um tom elegante à lavagem de roupa suja, sem descambar para o dramalhão nem dispersar a tensão. Com a câmera 90% do tempo na mão, Demme opta por uma direção ultranaturalista, que parece penetrar a alma dos personagens.

 "O casamento de Rachel" é uma daqueles filmes que fica na cabeça por dias a fio e marca a memória, um filme sobre como seguir em frente depois de uma tragédia, sobre a dificuldade de amar e ser amado.  

 

 

 
Link to comment
Share on other sites

Bom, é apenas minha opinião, apesar de Nicole ter feito vários filmes aclamados e ter ganho um Oscar, acho que foi mais por força de transformá-la numa grande estrela símbolo do glamour hollywoodiano, do que por ela ser realmente uma grande atriz. Com os diretores com quem ela trabalhou, qualquer atriz mediana se superaria. O mesmo ocorre com outras grandes estrelas.

 

É o famoso "star system".

 

Apesar de haver uma movimentação para que isso ocorra com a Anne Hathaway também (transformá-la numa estrela), acho que além disso ela tem um talento genuíno.

 

03
Link to comment
Share on other sites

vc confunfiu as atrizes, pois kidman é justamente o maior exemplo de atriz "comercial" envolvida com projetos mais independentes, e com transformaçoes, sao tantos; "margot", "fur", "as horas", "to die for", "dogville", "a isca perfeita", "the human stain", "retrato de uma dama". ;D

 

tb adoro anne. acho q o diretor ajuda sim, mas ninguem se segura com tanta atuaçao boa só pelo diretor depois de anos. a anne é nova, claro, mas com certeza tem o estigma ainda de fazer só comedia/comercial, enfim. fico com a kidman. claro, ela é linda e excelente atriz, icone da moda, era inevitavel o status de diva.
pantalaimon2008-10-02 06:46:02
Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...

Com um vestido ‘dois em um’ Anne Hathaway recebe prêmio

Atriz ganhou a categoria de Melhor Atriz no Critics’ Choice Awards

Do EGO, no Rio

Sempre elegante, a atriz Anne Hathaway, de 26 anos, não desapontou os fãs ao atravessar o tapete vermelho do Critics’ Choice Awards nesta quinta-feira, 8, na Califórnia. Vestida de Gianfranco Ferre, ela contou ao jornal “USA Today” que adorou o vestido “por ser dois em um”. Ela ganhou o prêmio de Melhor Atriz por seu papel em “Rachel Getting Married”. Quem também chamou atenção no evento foi Angelina Jolie. Ao lado de Brad Pitt, ela estava com um vestido com fendas poderosas.

 

Reprodução//Reprodução

Anne Hathaway no Critics’ Choice Awards na Califórnia

 

Reprodução//Reprodução

 Anne dá autógrafos aos fãs na porta da cerimônia

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

 

 

 

var articleheadline = "Anne Hathaway: Fame, scandal and the road to the Oscars";

 

 

 

Anne Hathaway: Fame, scandal and the road to the Oscars

 

 

Just months after her

private life was touched by scandal, Anne Hathaway finds herself

nominated for a Golden Globe – and a serious contender for this year's

Oscars. James Mottram talks to the actress about the ups and downs of

fame

 

http://www.independent.co.uk/arts-entertainment/films/features/anne-hathaway-fame-scandal-and-the-road-to-the-oscars-1231428.html

 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...