Jump to content
Forum Cinema em Cena

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 10/12/19 in all areas

  1. 3 points
    tem spoiler Fui assistir ao filme na última sexta e fiquei muito satisfeito, apesar das ressalvas! Como boa parte de tudo já foi dita aqui, vou citar aspectos mais particulares da experiência. Por isso, pode soar estranho. Nova York é paixão antiga, e a atmosfera vendida em “Taxi driver” povoa minhas principais referências. Gosto muito mesmo. Mas tenho junto o desejo pela manutenção daquela originalidade que Gotham e Metropolis alcançaram nessas tantas décadas de suor dos artistas. Ver as torres gêmeas no cartaz do Reeve é quase uma dor. Por isso, foi infeliz nostalgia ver o trio de funcionários receber o carimbo “Wall Street” no texto. Porém, relembro: isso é coisa minha. O filme é muito bom. A patroa teve que escutar de mim um sussurrante “a vizinha e ele nunca estiveram juntos, então...” interrompido pela frustração de ver o diretor desenhar isso depois. Esse é um exemplo das ressalvas. Há momentos em que o Todd Philips escorrega na casca pisada pelo Nolan, mas o visual e o clima cinemão podem maquiar o tombo. É aquela banana da confusão entre a boa didática e o didatismo. Quando isso veio na primeira sequência, bateu a má vontade, mas, passou. Refiro-me ao líder dos garotos dizendo “Ele é fraco” enquanto chuta o protagonista e a outros momentos da primeira metade. Talvez eu estivesse cobrando demais? Não sei. Em outro ponto, um mascarado na TV vem me dizer que o alvo da revolta é o sistema. Sério? O problema do didatismo é que tira o foco da construção real de uma “explicação”. Sim, é preciso contextualizar em um filme assim. Na minha opinião, mesmo que o foco seja o Fleck, faltou mais cuidado (um pouco) nos fatos que geraram a revolta popular. Um exemplo bom seria a mídia citar a autodefesa no trem. O espectador sabia, mas achei que faltou vender para o cidadão (e a gente assistir vender) a postura escrota de três caras ricos. Na falta disso, essa escalada teve pitadas leves de roteirismo facilmente evitáveis. Coringa é um filme que me conduziu. Foi forte pra mim. Fleck entrou ao vivo na TV, e meu coração disparou lembrando "Tróia" e o temor pelo inevitável destino de Hulk Bana contra o Brad Pitt. A comédia é muito bem executada. Destaque para o beijo na convidada e o anão tentando abrir a porta. Alguém citou que o anão está nos quadrinhos, inclusive. O que não vi citarem foi a relação entre a escada e o Ledger. A cena mais emblemática do ator antes do Coringa é descendo os degraus da arquibancada enquanto canta e dança “Can't take my eyes off you” após deslizar pelo poste (o pequeno Bruce é quem desliza agora, bela homenagem ao antigo Batman). Durante o trailer, pensei: imagina se o diretor coloca o Coringa para ser perseguido por policiais exatamente ao descer as escadas, a exemplo do que ocorre no estádio em “Dez coisas que eu odeio em você”... E ele fez! Coincidência? Talvez. Outros dois paralelos: ele consegue escapar malandramente escorregadio, e temos exatamente dois policiais o perseguindo, um gordo e um magro. Por falar em “não conseguir tirar os olhos de você”, Ledger e Phoenix conseguem tirar um dos olhos de seu desafeto com itens de escritório (um lápis lá, e uma tesoura aqui). A primeira bala no De Niro gera também um reflexo interessante com o atirador. Enquanto vemos de longe a mancha vermelha no olho atingido, um losango, a câmera mostra na exata sequência apenas um dos olhos do Coringa, manchado em mesmo formato pela maquiagem azul. Afinal, temos no Phoenix o espelho do que De Niro foi em “O rei da comédia”. Também não vi citarem que os seguidores do Coringa o retiram desacordado da viatura com trejeitos de médicos em um parto. Essa foi mais óbvia, mas achei bem legal.
  2. 3 points
    Pra muitos a polarização bizarra do Brasil que estamos vivendo hoje que se torna impossível debater de forma relevante, se deu início nas passeatas pela tarifa de ônibus de 2013. Pra mim foi com o tropa de elite 1. A mensagem do Padilha de mostrar que o mundo era uma merda e achou que ia chocar o Brasil com aquela realidade, só fez o pessoal passar pano pra tortura de policial, e não enxergar o tamanho dessa cagada, o obrigando a desenhar na sua sequência e mesmo assim grande parte da sociedade não entendeu. Se existe de fato um paralelo entre coringa é tropa de elite, esse paralelo é perigoso se colocarmos no senso geral. Tipo a galera se cagando de rir na cena pós assassinato, do anão na porta.
  3. 2 points
    conan

    Knives Out, Dir: Rian Jonhson

    Culpa dos fãnzoides abobalhados que desceram o pau no episódio VIII. O cara manda muito bem, mas a galera é cheio de mimimi. Não querem ver um filme bom, mas fan fiction com mais do mesmo
  4. 1 point
    Tensor

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Tive o prazer de assistir esse aí no Capitólio (um cinema tradicional de rua aqui em Porto Alegre) com a presença do Marcelo Gomes. Uma das melhores experiências que tive no ano. Maravilhoso.
  5. 1 point
    mais fotenhas de bastidores
  6. 1 point
    frossit

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Acho impressionante como De Palma não precisa de um roteiro ou diálogos propriamente bons para fazer filmes marcantes. Esse Vestida para Matar tem algumas cenas verdadeiramente antológicas, fora o uso da música que também é um show à parte. Visto no Telecine Play. Cotação: Muito bom. Esse filme é lindo...lindamente fotografado, dirigido....os figurinos então. Só peca um pouquinho, porque alguns personagens são meio "esquecidos" pela trama que tem a ambição de retratar os USA do início do século passado. No entanto dá para entender, ao mirar o foco nas tensões raciais, o filme ganha em dramaticidade. Assistido no Amazon Prime. Cotação: Ótimo.
  7. 1 point
    Lillo

    Oscar 2020: Previsões

    Nathaniel já colocou Renee como "locked " para indicação , a única em atuação .
  8. 1 point
    Isso rolou de verdade? Vish!!! hahahahaha
  9. 1 point
    Gust84

    Ad Astra (Brad Pit, 19/09/2019)

    Brad pitt muito bem. Cenas lindas. Trilha bonita. Tommy Lee Jones surpreendente . Mas o filme é muito chato, meu deus. Devagar quase parando, tem tanta narração que me lembrou filmes do Malick .
  10. 1 point
    Questão

    Mulher Maravilha 1984

    Verdade, PRIMO. É só perceber que a Marvel conseguiu esconder o Thor viking gordo até a estréia de ULTIMATO.
  11. 1 point
    Jailcante

    The Batman (Matt Reeves - 25/06/2021)

    Querer receber mais que o Batman e não ser o Jack Nicholson foi o que complicou as negociações com Jonah Hill, dizem especialistas. hehe
  12. 1 point
    e pensar que a exatos 30 anos atrás o Joaquim Phoenix começou carreira interpretando...Superboy! PS: só agora que me toquei que ele é beeem mais novo que eu..😊 Tem problemas com bullying?.... manda o Palhaço!😂🤡 😂
  13. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Acho. Porque geralmente trabalham o mal como metáfora.
  14. 1 point
  15. 1 point
    Jailcante

    Mulher Maravilha 1984

    O que imagino no ano que vem pra DC: Mulher-Maravilha 1984 / Harlequina de Rapina
  16. 1 point
    Cobrar 1 bilhão de bilheteria de Coringa = Cobrar Oscar de filme para Vingadores Ultimato Meio sem noção por parte dos haters de ambos lados.
  17. 1 point
    Jorge Soto

    Mulher Maravilha 1984

    nessas horas impossivel nao vir a imagem da Taylor Swift em Cats😹🙀
  18. 1 point
    Jorge Soto

    19 Dias de Horror

    é legalzinho, principalmente pelo inicio e desenvolvimento, mas no final te deixa com a pulga atras da orelha com nada explicado, um vazio sem sentido. Quiçá pra deixar o espectador interpretar o que viu ou por que não soube finalizar mesmo😂 Little Monsters é uma divertida comédia com gore onde a evolução do personagem principal em assumir responsabilidade da vida adulta é muito bem narrada. Repleto de gags hilárias, a surpresa foi ver a Lupita Nyong’o se dar muito bem neste tipo de produção, cuja premissa já é bizonha: o apocalipse zumbi numa fazendinha de pets, onde rola uma excursão infantil(!?). Resumindo, o filme não inventa a roda como Shaun of Dead mas é diversão acima da média feito Zumbilândia por carregar mensagem sentimental bem fofuchis, sem soar piegas. Ponto pra carismática molecada do longa. 8,5-10 Luz é um curioso filme alemão sobre possessão demoníaca com forte estilo arthouse. Nada convencional e de difícil digestão, esta produção prima por cenas bizarras e queima bem devagar beirando o insuportável, pra só no final mostrar sua cara. Com estética bacana noventista, este horror nada convencional tem boas atuações e de longe a melhor cena é a sessão de hipnose e do interrogatório. Surreal, aqui ou você se encanta ou dorme todo filme. 7,5-10 The Fanatic é um thriller bacana de stalker de ídolo, do naipe do noventista Estranha Obsessão (com Snipes e De Niro), mas com poderosa critica ao sonho americano. Travolta está irreconhecível (e muito bem) na pele duma espécie de Forest-Gump-geek-do-mal obcecado pelo seu ator preferido; o resto do elenco ta bem fraquinho. Tem muitos furos mas não desmerece como todo a produção indie e bem eficiente. Atente pras várias referências a clássicos do terror. 8,5-10 Prey é um fraco terror que mistura vários gêneros sem conseguir ser original. Começa como drama, passeia pelo survival de Naufrago, flerta com romancezinho feito Lagoa Azul e finalmente tem um monstro tipo Predador. Na boa, so curti mesmo o thriller de sobrevivência pois o resto deixa muito a desejar, até o gore e o próprio monstro, meia boca. Pra completar, atuações ruins e um desfecho previsível coroam esta produção da Blumhouse que desponta pro anonimato. E olha que o diretor é o mesmo do ótimo remake de Maniac. 6-10 Scary Stories to Tell in the Dark é um terrorzinho juvenil até divertido. É um Goosebumps feito pelo Del Toro, com um plot macabro meio História sem Fim mas com estrutura de mortes tipo Premonição. A ambientação sessentista e o design das criaturas é o ponto positivo, além das atuações e tal. O ruim é que pela faixa etária do público faltou um gore mais nervoso e, claro, ser meio previsível. Mas o resultado é bom passatempo apesar dos apesares.. Pra quem curtiu It, Stranger Things, etc.. 8-10 In the Tall Grass é uma razoável adaptação de conto do Stephen King que logo de cara te enfia num labirinto bem claustrofóbico, mas logo surgem os mistérios temporais do naipe Triangulo do Medo que fundem a cuca do espectador e não se sabe o que ta rolando. É interessante, bem atuado e tem tensão com cenas bizonhas, mas deixa a desejar no quesito explicações porque se deixar pra subjetividade do espectador pode ser qualquer coisa. Pra mim o filme funcionou mais como thriller de sobrevivência do que terror psicológico. 8-10 The Standoff at Sparrow Creek é um tenso e claustrofóbico thriller dark que te prende mesmo rolando tudo num único cenário, onde um grupo de milicanos tem que descobrir qual deles promoveu um massacre. O forte deste índie são os diálogos, roteiro e as atuações, onde ninguém é o que parece ser, do naipe de Cães de Aluguel. De baixissimo orçamento, a película é uma navalha com uma boa reviravolta final, com uma forte crítica ao governo Trump e á industria armamentista (e do entretenimento atual). É daqueles filmes que você pode discordar pelo viés político que carrega, mas que isso não faz dele menos sensacional. 9-10 Harpoon é um eficiente thriller negro indie que tinha tudo pra dar errado - feito num único ambiente e apenas 3 personagens - mas não. Diálogos afiados e interpretações competentes fazem desta comédia negra algo do naipe do Tarantino, Guy Ritchie ou Coen. Lembra do noventista Dead Calm? É algo parecido mas tocado de forma bem dinâmica com uma pitada de survival. Não bastasse, esta bacana narrativa de desconstrução da amizade e amor se vale dum conto de Edgar Allan Poe e, pasme, Da Vida de Pi. Pequeno grande filme. 9-10
  19. 1 point
    Questão

    Knives Out, Dir: Rian Jonhson

    Entre Facas e Segredos alcança resultado incrível no Rotten Tomatoes Entre Facas e Segredos (Divulgação) Depois de toda a polêmica envolvendo sua participação na franquia Star Wars com ‘Os Últimos Jedi’, o diretor Rian Johnson precisava de um novo projeto para ‘limpar o paladar’ e com certeza Entre Facas e Segredos foi a escolha certa. O filme, com um dos elencos mais estrelados do ano, acaba de atingir um resultado impressionante no site Rotten Tomatoes. Usando suas redes sociais, Rian repostou a notícia de que o longa foi certificado com 99% de aprovação no RT com um total até o momento de 84 reviews, o que é impressionante, já que muitos poucos títulos conseguem agradar um grupo tão vasto da crítica internacional. O sucesso vem seguindo uma tendência que começou com a sua primeira exibição durante Festival de Cinema de Toronto, no Canadá. ‘Entre Facas e Segredos’ é uma versão moderna dos clássicos suspenses nos quais o público – e o detetive da vez – precisam desvendar o mistério de quem cometeu o crime ou assassinato a partir de várias pistas e diferentes suspeitos, cada um com as suas próprias motivações. O diretor afirmou ter se baseado nos volumes da celebrada autora Agatha Christie. FONTE: SPINOFF
  20. 1 point
    Jailcante

    Zumbilândia 2

    Falar que é do diretor de Venom, acaba sendo uma anti-propaganda do filme (pra mim, pelo menos hehehe)
  21. 1 point
    Questão

    The Batman (Matt Reeves - 25/06/2021)

    E isso é super importante. Eu gostei da Mulher Gato do Nolan, mas a química entre a Hathaway e o Bale era zero, o que prejudicou muito a dinâmica dos personagens. Assim, o Reeves já ganha pontos por ter feito os testes já com o Pattinson. Se tiver metade da química que Keaton e Pfeifer tinham, ja será um avanço.
  22. 1 point
    Ainda não assisti o filme pois to esperando sair online, esse não animo ver na telona não... mas praticamente ja sei de cor, cena por cena, por conta dos comentários dos colegas daqui..🤣
  23. 1 point
    Gostei Muito dos paralelos que você colocou, e também havia reparado. O tal didatismo também pesa a mão em alguns momentos. Confesso que fiquei com vergonha de parecer chato sobre o "movimento" se formar tão facilmente também e por isso não levantei a bola, mas concordo em número gênero e grau. Ainda assim tem muito mais acertos que erros.
  24. 1 point
    Jailcante

    19 Dias de Horror

    Fiquei de ver esse do Campo do Medo (e o El Camino) nesse fds, mas tinha um box de filmes policiais que tinha que assistir e acabei ficando só neles (eram 4 filmes). Vou ver se vejo esses durante essa semana.
  25. 1 point
    Questão

    19 Dias de Horror

    Visto CAMPO DO MEDO Na trama, os irmãos Becky e Cal DeMuth (Laysla de Oliveira e Avery Whitted) viajam de carro até a cidade de Orlando, onde a moça pretende ter o bebê que está esperando. Ao fazerem uma parada em uma estrada deserta, eles passam a ouvir os pedidos de socorro de um menino, que alega estar perdido no matagal ao lado da estrada. Mas ao entrar para resgatar a criança, os irmãos descobrem que o matagal é um lugar que não respeita a física, pois eles não mais conseguem achar a saída, e o matagal parece ser infinito. Agora, Becky e Cal precisam encontrar uma maneira de sair do lugar e resgatar a criança, pois uma força maligna habita o matagal. Baseado em uma noveleta escrita por Stephen King e seu filho Joe Hill, CAMPO DO MEDO é a terceira adaptação produzida pela Netflix da obra de King, depois do excelente JOGO PERIGOSO, e do fraco 1922. Escrito e dirigido por Vincenzo Natali, este filme guarda muitas semelhanças com o trabalho mais famoso do diretor, CUBO, que assim como esta adaptação de King, trazia um grupo de personagens preso em um cenário que espacialmente não faz sentido algum. E talvez justamente por isso, em um primeiro momento, o filme consegue explorar a contento a premissa absurda criada por King e Hill sobre um simples matagal que se revela muito maior por dentro do que por fora, transformando assim uma paisagem aparentemente inofensiva em um ambiente aterrador. A coisa torna-se ainda mais interessante quando percebemos que o lugar não apenas desafia a lógica de espaço, mas também a lógica de tempo, lembrando um pouco nesse sentido filmes como TRIÂNGULO DO MEDO. Mas a medida em que novos personagens são adicionados na história, como a família Humboldt, que conta com Patrick Wilson como seu patriarca, e o ex namorado de Becky e pai da criança que ela carrega, Travis (Harrison Gilbertson), a trama vai perdendo o seu ar de estranheza, tornando-se um terror mais convencional, que mesmo que competente, parece desperdiçar um pouco o potencial apresentado na metade inicial da obra. CAMPO DO MEDO decididamente não vai entrar em nenhuma lista das grandes (e nem das otimas) adaptações de Stephen King, mas é um filme que ao meu ver, consegue cumprir com competência aquilo que se propõe a fazer, apresentando uma premissa interessante, e conseguindo encerrar a narrativa de forma decente. Visto O TERCEIRO OLHO Na trama, o jovem conde Mino Alberti (Franco Nero) está prestes a se casar com Laura (Erika Blank), para o desgosto de sua mãe dominadora (Olga Solbelli). Mas quando o Conde Alberti perde a mãe e a noiva no mesmo dia, com ambas as mortes tendo sido secretamente provocadas pela calculista empregada Marta (Gioia Pascal), o rapaz passa a entrar em um espiral de loucura alimentado por Marta, que o torna cada vez mais perigoso. Enquanto as mortes começam a se acumular, a situação piora quando o Conde recebe a visita de Daniela (Também Blank) irmã gémea de sua falecida noiva. Dirigido por Mino Guerrini, e escrito por quatro roteiristas, O TERCEIRO OLHO é um thriller de terror italiano de 1966, que surge como mais um Rip-off do clássico PSICOSE, de Alfred Hitchcock, como tantos produzidos na época, e que traz a estreia de Franco Nero no cinema (que no mesmo ano, ganharia o seu papel mais famoso ao interpretar Django no Western Spaghetti homónimo). O filme de Guerrini copia na cara dura vários dos elementos do clássico de Hitchcock, como o jovem rapaz fascinado por taxidermia, que pratica o seu ofício em pássaros, e que após perder alguém querido, passa a praticar em algo mais, a figura da mãe dominadora, e a natureza voyeuristica ao trazer um buraco na parede pelo qual a mãe de Gino o observa junto com a sua noiva. Além disso, a segunda metade também traz ecos de UM CORPO QUE CAI, outro clássico de Hitchcock, ao trazer o Conde vivido por Nero tentando "ressuscitar" a sua noiva através da figura de sua irmã gémea. Não que buscar inspiração, e mesmo derivar elementos da obra de Hitchcock seja necessariamente um problema. Nas décadas de 70 e 80 Brian de Palma dirigiu uma série de filmes que também reciclava diversos elementos narrativos tornados célebres pelo mestre do suspense, mas conseguia a dar a tais elementos a sua própria voz, o que não ocorre nesta produção italiana. Além disso, Nero está terrivelmente canastrão como o Conde Mino Alberti, enquanto Erika Blank tem a emoção de um manequim de loja em seu papel duplo. É somene o trabalho de Gioia Pascal que eleva um pouco o projeto, fazendo de Marta uma vilã com algumas camadas interessantes, e que em sua frieza, surge muito mais assustadora que o delirante Mino. Enfim, não chega a ser um filme ofensivo, mas existiram produções muito melhores na Itália produzida no mesmo período, inclusive produções que emularam Hitchcock com muito mais propriedade e identidade. Visto PARI Na trama, Arnab (Parambrata Chattopaddhyay) é um homem que após conhecer a sua provável esposa, acaba atropelando uma mulher, que se joga em frente a seu carro. Ao tentar descobrir juntamente com a polícia quem era a mulher, eles encontram a filha da vítima, Rukhansa (Anushka Sharma) uma moça que era mantida acorrentada. Quando Rukhansa passa a ser perseguida por uma misteriosa seita liderada pelo enigmático Professor (Rajat Kapoor), ela se abriga na casa de Arnab. Os dois logo passam a se sentir atraídos um pelo outro, mas a mulher esconde um segredo macabro e profano. Bem curioso este terror indiano, que em muitos aspectos lembra uma versão com adultos do sueco DEIXE ELA ENTRAR. O roteiro escrito a quatro mãos se desenvolve em grande parte encima da tensão sexual existente entre o casal protagonista. Há um contraste bastante interessante entre a inocência e ingenuidade que Rukhansa aparentemente demonstra, com aspectos mais macabros de sua natureza, vide as desconfortáveis cenas em que ela corta compulsivamente as unhas das mãos e pés, que continuamente aproximam-se de garra, e suas eventuais saídas noturnas, onde ela explicitamente demonstra a sua natureza inumana. O suspense proposto pela obra e a sensação de desconforto não está em saber se a moça é uma criatura sobrenatural ou não, pois é óbvio que é, o suspense está em saber se ela é realmente uma criatura maligna que está manipulando Arnab para seus próprios fins, ou se seu afeto por ele é verdadeiramente genuíno. Infelizmente, o filme sabota essas dúvidas mais de uma vez, através de desnecessárias sequências de Jump Scare, onde a protagonista é assombrada por sua versão monstruosa, em uma tentativa de reforçar a dualidade da personagem, mas que acaba tendo justamente o efeito oposto. Embora se alongue um pouco mais do que deveria, PARI ainda é um filme bastante atmosférico, e relativamente bem atuado, com destaque especial para Anushka Sharma como a protagonista, que consegue articular bem o deslumbramento e inocência de sua personagem, com uma persona mais brutal e sedutora, e para Rajat Kapoor, que faz do Professor um vilão ameaçador, mas paradoxalmente simpático. É um bom esforço do terror indiano, que como muitos clássicos do terror, levanta a questão sobre o que é de fato a monstruosidade, mas que tem problemas em sustentar a dubiedade proposta.
  26. 1 point
    Big One

    Os Vingadores 4: End Game

    Eu ia comentar no outro post...mas o assunto morreu...mas o Scorsese pôs de volta de novo. Eu acho que o Scorsese está ciente que o filme comercial blockbuster existe desde sempre. Eu comparo com a música, vejam bem, muitos músicos, principaemte os de Jazz, podem dizer que a música "Que Tiro foi Esse?" da Jojo não é música ou que as músicas encomendadas, como por exemplo os caras que ficam enfiados num estúdio tentando produzir o próximo hit, pegando todos os elementos que fazem sucesso e tentando emplacar outro sucesso e ganhar muita grana com isso. Teve uma reportagem no Fantástico sobre isso. Músicas chicletes que grudam na cabeça. Esses são caras estudaram música e tentam produzir um novo hit. Poderíamos classificar como música? https://globoplay.globo.com/v/7521631/ Sim, podemos, mas música enlatada com o intuito de fazer dinheiro, essas músicas dominam as mídias assim como os blockbusters dominam os cinemas. No filme Whiplash tem uma cena onde aparece o cartaz que me chamou a tenção que diz o seguinte: "Se você não tem habilidade, vai tocar rock". Eu fiquei ofendido, curto rock para caramba...como assim?..como falar isso, Page, Plant, Yes, Pink Floyd e até de Ramones que na sua simplicidade fizeram músicas incríveis com apenas 3 acordes? Mas são músicos de Jazz, é outra pegada, pode soar elitista e é. Mas não posso negar a qualidade e o virtuosismo do Jazz. Os filmes blcokbusters são a mesma coisa, são feitos pensados em fazer dinheiro, cenas e material promocional destinados a atingir os mais diversos públicos etnias e gêneros. Tem valor comercial alto e artístico as vezes nem tanto, mesmo sendo raso como um pires e divertidos na suas simplicidades. Blockbusters é enfim, a porta de entrada dos cinéfilos ao mundo cinema, muita gente aqui cresceu vendo StarWars e De Volta para o Futuro e hoje, continua vendo esses mesmo filmes mas também, filmes de arte. PS...Qto ao Roberto Downey Jr, eu acho que ele poderia continuar nos seus Blockbusters mas usar seu prestigio tb fomentar o cinema independente.
  27. 1 point
    eu concordo com o Questão, tambem acredito que essa galhofa visual seja deliberada, ainda mais vinda do Gunn... lembrar que o grupo se chama Esquadrão Suicida e não duvido que metade daquela galera das fotos vá pro saco já logo no início, justificando o nome, pra só depois entrar os personagens mais gabaritados pelo elenco estelar. Ou será que alguem lembra do deus Amarra, do filme anterior?😂
  28. 1 point
    Disney Dark... não vai rolar filme realista, uma que eh a Disney e outra que eles muito bem obrigado com os filmes família.... DC família....já deu passou nesse sentido, com Aquaman e Shazan...e pelo jeito o próximo Esquadrão.....
  29. 1 point
    Tem que ver a proposta do Gunn. Se a proposta aqui é mostrar o quão ridícula é essa galera, e que eles servem mais pra serem explodidos, então pode funcionar. Acho interessante quando, dentro do bom senso, diretores tem a coragem de assumir o colorido e cartunesco dos quadrinhos. Só espero que o Gunn não tente transformar o Esquadrão em super heróis incomprendidos, que foi um (dos muitos) erros do Ayer. Pessoalmente, eu não aprovo essa dicotomia de Marvel faz "filmes família" e "DC faz filme "sombrio e realista". Acho que a Marvel deve sim fazer alguns filmes mais sombrios, e talvez até com censura alta, assim como a DC tem que fazer filme família sim. Só por que o CORINGA deu certo, eu vou querer uma Mulher Maravilha sombria e realista? Não que eu tenha problema com isso, mas não vejo como uma única opção de qualidade (como se ser sombrio e ter censura alta garantisse qualidade). . Pessoalmente, eu acho que 2019 foi um bom ano pra DC no cinema, por apresentar experiências cinematográficas tão diferentes entre si como SHAZAM e CORINGA.
  30. 1 point
    Jorge Soto

    Superman - O Homem de Aço 2 (20??)

    Eu tambem espero que haja pelo menos referencias ou easter eggs a essas séries e filmes também. Porque sei que não vai colocar mais um super no crossover pois a saga só tem 3 e as vagas já estão bem preenchidas.😁
  31. 1 point
    Richard Jewell: Novo filme de Clint Eastwood será lançado ainda neste ano Por Ygor Palopoli — 27/09/2019 às 20:45 Depois de uma dobradinha de filmes mal recebidos pela crítica e público no ano passado — A Mula e 15h17: Trem Para Paris — o astro Clint Eastwood está preparado para tentar dar a volta por cima, comandando o aguardado Richard Jewell. Anteriormente, a 20th Century Fox já havia mostrado interesse em assumir a produção, mas, após a compra da Disney, que prerefiu abandonar o projeto, o longa acabou ficando nas mãos da Warner. Agora, mostrando que possui real interesse em entrar na corrida pelo Oscar, o estúdio adiou a estreia do filme o máximo possível. Anteriormente com lançamento programado para metade de 2020, agora o filme chegará aos cinemas norte-americanos no dia 13 de dezembro de 2019, tornando-se elegível para a cobiçada premiação. O longa é baseado na história real de Richard Jewell, um segurança que foi preso injustamente e apontado como autor do bombardeio feito nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996. Criando um verdadeiro cerco dentro da mídia internacional, Richard na verdade havia sido responsável por isolar uma das bombas e ajudar na evacuação dos inocentes do local. O culpado só foi preso em 2003. http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-150999/
  32. 1 point
    Questão

    Superman - O Homem de Aço 2 (20??)

    Olha só, o Abutre casou com a Vespa Hehehehehe Mas falando sério, tem que se tirar o chapéu para o que a CW está fazendo aqui, mesmo que as séries não sejam uma Brastemp. Tão indo desde os filmes, passando pelas séries famosas como SMALLVILLE, o Batman de 66 e a Mulher Maravilha de 75, passando pelas animações (me pergunto se o Batman do Kevin Conroy pode ser uma versão do Animated Series, ou mesmo da Série Arkham, já que ele dublou os personagens lá) chegando até mesmo a pegar séries que ninguém lembrava que existiu como as Aves de Rapina de 2001. Parece que no mínimo vai ser uma bela homenagem a toda a história da DC no audiovisual. Me pergunto se vão ter referências ao Batman do Nolan, ou ao Superman da série "Lois e Clark" (que foi meu primeiro contato com o azulão). Até to surpreso de não ter aparecido nada ainda, já que tanto o Dean Cain quanto a Teri Hatcher que foram o Super e a Lois na série fizeram aparições no Arrowverse.
  33. 1 point
    Jorge Soto

    Aquaman 2 (16/12/2022)

    😂
  34. 1 point
    Jorge Soto

    Superman - O Homem de Aço 2 (20??)

    Por mais que a qualidade das séries da CW não seja das melhores, falo com convicção que esse crossover vai ser épico, já que eles estão criando uma conexão entre praticamente tudo que a DC já realizou na TV ou no cinema, um melhor exemplo é essa: tem uma referencia num easter egg de bastidores do crossover olha o robin do seriado! e confirmado o Lucifer do Tom Ellis tambem...caraca...
  35. 1 point
    Achei esse Scary Stories melhor que IT2.
  36. 1 point
    Jailcante

    Tom & Jerry (16/04/2021)

    Por "filmes antigos" queria pensar que fosse "Um Cilada pra Roger Rabbit", mas os Scooby-Doo estão velhos já, então ela deve tá se referindo a eles...
  37. 1 point
    Puxa, como queria que esse filme funcione pra mim a nível O Iluminado
  38. 1 point
    Jailcante

    The Batman (Matt Reeves - 25/06/2021)

    Quero imaginar que sim. Só um negócio que pensei aqui: Estão querendo um Mulher Gato negra, e olhando o Coringa, ele tinha aquela vizinha, e ela tinha uma filha, não seria Selina ali? Ela teria a mesma idade do Bruce...
  39. 1 point
    Big One

    1917 (Sam Mendes)

    Que poster!
  40. 0 points

Announcements

×
×
  • Create New...