Jump to content
Forum Cinema em Cena

Leaderboard

Popular Content

Showing content with the highest reputation since 06/29/22 in all areas

  1. O contexto é esse mesmo. Falaram que os atlantes são decendentes dos antigos astecas (ou maias). Claro, contexto é uma coisa, ficar bom é outra. Mas vai que em movimento fica bom?
    3 points
  2. Ok, você não viu. Eu vi. Dei minha opinião. Simples. E uma coisa não anula a outra, mesmo se no filme sair tudo lindo, não muda ao fato de nessa demonstração tá ruim (na minha opinião). Posso até falar que "no filme ficou ótimo, mas naqueles desenhos lá, vale-me Deus! que coisa ruim." Por isso me ponho na posição de criticar agora também. No futuro, se tiver que elogiar, eu elogio. **E já disse que espero ser surpreendido. No caso, a figurinista do filme deve ser a mesma do primeiro que foi indicada ao Oscar, pelo que me lembro, e fez mesmo um trabalho ótimo no primeiro filme. Então, ela deve saber o que tá fazendo, sei lá.
    2 points
  3. Não vi nada de errado nas imagens, e pelas referências, achei até mesmo interessante. Mas para saber mesmo, só vendo na tela com os efeitos e toda pós produção, mínima em caso de trailers ao menos.
    2 points
  4. 1. Puro Fan Service. Aposto que em produções futuras um Logan, Dr. Doom, Coisa ou Deadpool vai aparecer em um contexto não muito explicado também e isso atrai hype. Eu não acho que queimaram um valioso cartucho com tiro, não. 2. Na série, a vilania dela é circunstancial do que dolosa, tampouco por iteração com o Darkhold. Controlar o livro pela última cena do Wandavision é justamente em parte deixar para trás o traço Wanda e assumir de vez o perfil Feiticeira Escarlate: na cena, as duas são vistas na cabana e esse plot é que motiva o filme. Eu não acho que repetiram totalmente o argumento da série e sim encerraram arco dela iniciado na série. 3. Confesso que gostei mais do primeiro nesse quesito. 4. Eu acho que ele já está carregando. Apresentou a América Chavez, a interação dele com os illuminatti mostrou sua importância e auxiliou o desfecho no último filme do Aranha. NO Atual MCU não vejo como Thor, Hulk (por onde anda?) e Pantera Negra(quem?) vão assumir essa importância depois que o Tony Stark morreu. Steve Strange sim tem tido esse protagonismo.
    2 points
  5. Jailcante

    The Boys

    Legal que ensinaram a palavra e o significado certo dela pra ele:
    1 point
  6. The Black Phone é a boa incursao da dupla do bacanudo Sinister com um pezinho em It e Quarto de Jack no plot central, um filme de amadurecimento de forma mórbida. A producao ta impecável, com destaque pra linda fotografia. As criancas do filme mandam bem, mas quem carrega facil o filme nas costas é o Ethan Hawke no papel do The Grabber, que aqui entra pra galeria dos grandes viloes do cinema fácil, fácil. O cara impressiona apenas com gestos e sua mera presenca, pois ta entupido de máscaras que mal dá pra ver seu rosto. Bem narrado, sua única deficiência é que o filme pega mais pro fantástico que pro terror, mas ainda assim vale muito a bizoiada. 8.5-10 Crimes of the Future é a nova incursao do Cronenberg num terreno que lhe é bem familiar, o body horror. O resultado só deve agradar quem ja conhece bem a obra do diretor. É um filme futurista bem bizonho, com boas atuacoes, bem produzido, boa maquiagem prostética artesanal mas com alguma falha no roteiro pois ele nao emociona como, por exemplo, Existenz e Videodrome, filmes dos quais bebe muito em autoreferências. Tem personagens mal aproveitados, tipo a nerd da crepusculete Kristen Stewart, pois o filme foca mais nas viagens filosofais do Viggo e Lea Seydoux, que aqui desfila seu corpinho como veio ao mundo😍... A marca do diretor é constante e sua metafora a atual sociedade é meio que óbvia. Filme de dura digestao, ja aviso. 8-10
    1 point
  7. Mas o contexto já não falaram? É algo baseado nos Maias e Astecas e ect? Se tá bom pra vocês, ok. Não curti. E critiquei o conceito da coisa. Povo que mora embaixo d'água com essa roupa cheia de pena? Não consigo imaginar como funciona isso... Mas enfim, espero ser surpreendido então.
    1 point
  8. e poe fugir do tema... parece que é uma cidade azteca que foi inundada e dai seus habitantes viraram peixes... 😂
    1 point
  9. pois é... depois de Venom e Morbius...afff
    1 point
  10. Gust84

    Mulher Maravilha 1984

    Só discordo do "piores filmes da dc". Tiraria o DC. Um dos piores filmes big budget já feito.
    1 point
  11. Finalmente assisti e posso dizer que: gostei! E pelo que ando lendo nesse mesmo tópico até é o que meio já disse no tópico do Thor - Amor e Trovão. Parece que acabou a paciência do "povo". Se não tiver um "Vingadores" ou megaevento a cada filme o povo fica nessa de achar que foi mal aproveitado o conceito de Multiverso, "tanto Hype para isso?!" e etc. Achei um filme bem legal de assistir, podia ter aproveitado melhor algumas coisas mas no geral fiquei com a impressão de um saldo positivo. Não entendi o prq de acharem que WandaVision ficar "irrelevante" ou algo do tipo, como se ao final da série ela tivesse de fato controlado o Darkhold sem que este causasse qualquer impacto nela. Para mim ficou claro, no decorrer do filme e ao seu final, de que embora ela estivesse realmente arrependida de tudo o que fez e aconteceu em WandaVision, o Darkhold (dedos pretos) contaminou ela fazendo com que se achasse "razoável" no direito de ir para um mundo onde pudesse ficar com seus filhos e não medindo esforços para isso. Seria até caricato e mastigado demais se isso fosse enfatizado através de uma eventual voz para o "Darkhold", mas parece que tem gente que só faltou isso para entender o contexto. Dito isso, gostei muito e continuo na expectativa pelos próximos filmes do MCU. Adorei a aparição do Bruce Campbell, principalmente a cena pós crédito, bem ao estilo "Evil Dead". Só faltou citar o Necromicon, rs Achei que ficou meio estranho o lance ao final do filme e depois a primeira cena pós crédito, sei lá. Pareceu desconexa uma coisa com a outra.
    1 point
  12. MElhor esperar para ver isso em cena, como foto ficou um visual extremamente pitoresco. Sem querer ser preconceituoso, mas ficou exagerado. Talvez uma escolha mais simples teria sido mais apropriada.
    1 point
  13. Namor versão 'Pantera Negra - Wakanda Forever' e Namor versão 'Desfile da Grande Rio - Carnaval Globeleza 2023'.
    1 point
  14. Questão

    Capitão América 4

    Não acho não. A série era sobre o Sam Wilson deixando de ser o Falcão pra se tornar o novo Capitão America. O filme agora vai mostrar a jornada dele propriamente dita como o herói, que só aparece mesmo no ultimo episódio da minissérie que estrelou com o Bucky. Acho que não tem nada a ver com isso. O Anthony Mackie parece ter sido muito bem aceito como o novo Capitão America. Perguntam pro Chris Evans quando ele vai voltar da mesma forma que perguntam pro Christian Bale quando ele vai voltar a ser o Batman, ou pro Tobey Maguire quando ele vai voltar a ser o Homem Aranha. O que não significa que Robert Pattinson ou Tom Holland são rejeitados como o personagem. Os personagens tem o mesmo "título", mas são bem diferentes. A Viúva Negra da Florence Pugh tem só as habilidades iguais as da Natasha da Scarlett, pois em termos de personalidade, são completamente diferentes. O mesmo vale para o Capitão América do Sam Wilson, que também é bem diferente do Steve Roger do Evans. Tem nada de personagem sósia não, pelo que vejo.
    1 point
  15. Questão

    19 Dias de Horror

    Visto SINCRÔNICO Na trama, Steve (Anthony Mackie) e Dennis (Jamie Dornan) são dois paramédicos de Nova Orleans que percebem em suas rondas uma serie de mortes macabras aparentemente ligada a uma nova droga nas ruas conhecida como Sincrônico. Quando a filha de Dennis, Brianna (Ally Loannides) desaparece em circunstâncias misteriosas após usar a droga,os dois descobrem que estão lidando com algo que desafia a realidade. Dirigido por Aaron Moorhead e Justin Benson (dupla responsável por filmes como O CULTO, SPRING e a recente minissérie CAVALEIRO DA LUA) a partir de um roteiro escrito por Benson, SINCRÔNICO é uma ficção cientifica com toque horroríficos, que parece saida de um episódio de ALÉM DA IMAGINAÇÃO. O filme de Moorhead e Benson constrói o seu universo com cuidado, ao dedicar o seu primeiro ato ao estabelecer o universo dos protagonistas com um pé bem fincado na realidade, mostrando as agruras e bizarrices que paramédicos de uma grande cidade encontram em suas noites de trabalho, até os problemas pessoais de Steve e Dennis, vide uma doença enfrentado pelo primeiro, e a crise no casamento que o segundo mergulha após o desaparecimento da filha. A partir do segundo terço, quando Steve descobre que o Sincrônico não apenas provoca alucinações, mas de fato é capaz de fazer o usuário viajar no tempo, os diretores fazem o seu estilo ser mais sentido, e quem já viu os filmes da dupla, ou mesmo a sua passagem pela Marvel Studios vai reconhecer como ambos põe experiências extraordinárias como fonte tanto de terror como de comédia. O filme também é um grande veículo para Anthony Mackie desfilar o seu carisma, entregando com Steve um personagem que transita com naturalidade entre os aspectos dramáticos e cômicos do filme. Enfim, uma boa ficção científica, que vale a conferida. Visto MACABRO Na trama, situada nos anos 90, Teo (Renato Goés) é um sargento do BOPE que caido em desgraça após matar um inocente por engano, é enviado para a sua cidade natal na serra fluminense para investigar assassinatos seguido de necrofilia cometidos por dois irmãos. Á medida em que a investigação avança, e novos crimes brutais continuam a acontecer, Teo passa a perceber que o racismo e corrupção da cidade criaram os monstros que agora aterrorizam o local. Dirigido por Marcos Prado, a partir de um roteiro escrito a quatro mãos por Rita Gloria Curvo e Lucas Paraizo, MACABRO baseia-se no caso real do caso dos Irmãos Necrófilos ocorrido nos anos 90 (ainda que não seja uma ficcionalização direta do caso) para construir a sua narrativa como um típico thriller policial de horror com claras tintas sociais. O texto concede uma ambiguidade interessante para o antagonista, ao explorar como este foi explorado de diferentes formas pela cidade, ao mesmo tempo em que mantém distância do mesmo, preservando assim o seu ar de ameaça. Da mesma forma, o protagonista, muito bem defendido pelo ótimo Renato Goés, ganha a mesma ambiguidade, ao se mostrar muitas vezes chocado com o comportamento da comunidade onde cresceu, ao mesmo tempo que carrega traços desse mesmo racismo, vide a situação que colocou a sua carreira na polícia em xeque no começo do filme. O diretor Marcos Prado domina bem os clichês do gênero com que está trabalhando, conseguindo lidar bem tanto com a construção do suspense quanto com os momentos de maior choque, conseguindo lidar com o Gore e até com a violência sexual de forma a não soar apelativa, mas ainda assim possuir o impacto desejado. No fim das contas, MACABRO é uma boa incursão do cinema brasileiro no terreno do terror, respeitando a crônica policial que utiliza de inspiração, mas conseguindo traçar o seu próprio caminho. Visto FASE IV: DESTRUIÇÃO Na trama, Ernest D. Hubbs (Nigel Davenport) e James R. Lesko (Michael Murphy) são dois cientistas enviados para o Arizona para investigar o estranho comportamento das formigas da região, que após um fenômeno cósmico, exterminaram todos os seus predadores. Logo, os cientistas descobrem que as formigas se tornaram extremamente inteligentes, a ponto de ameaçar a própria raça humana. Dirigido por Saul Bass em seu único longa metragem (Devido ao fracasso financeiro do projeto), a partir de um roteiro escrito por Mayo Simon, FASE IV: DESTRUIÇÃO, é uma ficção científica de terror setentista, com fortes toques apocalípticos. Ainda que seja basicamente uma trama sobre formigas assassinas (prestando até tributo ao clássico OS PASSAROS, outro clássico eco horror), o filme de Bass adota uma abordagem muito mais clínica, onde a investigação científica é tao ou mais importante que o risco que os personagens estão correndo, lembrando nesse sentido o Cult O ENIGMA DE ANDRÔMEDA de Robert Wise. Ainda assim. a decupagem do diretor é eficiente em provocar no público uma constante sensação de desconforto e claustrofobia, vide a forma como filma diversos planos detalhe dos insetos mostrando os seus rostos, ou a quantidade de ovos botados, ou a forma como mais de uma vez, utiliza a profundidade de campo para reforçar a vulnerabilidade de seus personagens, mesmo diante do tamanho diminuto de seus inimigos. Não chega a ser imperdível, especialmente pelo seu corrido 3º ato, que parece picotado, mas é um filme no mínimo curioso, que escapa da obviedade que a premissa "formigas assassinas" poderia ter.
    1 point
  16. Visu do rival do Namor, Attuma
    1 point
  17. Ou pelo jeito sao duas Barbies mesmo..😂
    1 point
  18. É o Ghostbustersverse. hehehe Espero que a série animada tenha qualidade similar ao desenho dos anos 80, que era ótimo.
    1 point
  19. E olha, tem muitos projetos saindo: jogo, série em quadrinhos, série animada com a Netflix, um longa de Animação e o filme!
    1 point
  20. Afff... De novo isso... Cena pós-créditos desses filmes poderia ser essa aqui com o Ferris Bueller falando: "Está aqui ainda? Vai embora! Não tem Superman, não. Some daqui! Xô!"
    1 point
  21. tô falando..... se liga no gritinho afetado do 🌈Ken..🤣
    1 point
  22. Que bom que ele sabe... Eu mesmo não tinha nem mais a remota lembrança da existência desse filme. hehehe
    1 point
  23. eu to achando que vao comecar a socar um monte de Mulher-Aranha e criar um Aranhaverso com todas elas..Acho que ta bem óbvio que vai tentar fazer um multiverso com várias Mulheres Aranhas. O que pode até ser interessante se tiver um bom roteiro, mas no fim, geralmente eles pensam só em uma coisa. Possivelmente irão adaptar a Ordem da Teia. Nas HQs, a Madame Teia é o codinome de Cassandra Webb, uma idosa cega com a saúde bastante debilitada, dotada de fortes dons psíquicos e premonitórios. Apesar dos seus poderes, ela nunca foi conhecida por ser muito ativa no combate ao crime, agindo mais como uma ajudante ou guia para os Aranha do Aranhaverso. Por conta disso, a principal teoria entre os fãs é que o filme live-action adapte Julia Carpenter, uma jovem que recebe os dons de Cassandra, agindo como Arachne. Bem mais ativa na luta contra os vilões, ela chegou a formar a Ordem da Teia que reuniu diversas Mulheres-Aranha da editora, além de outros personagens aracnídeos.
    1 point
  24. Isso bate com um roteiro ou script do filme que li em algum lugar, e realmente a Madame não apareceria no filme. O filme mostraria outras personagens lidando com a falta dela, com seu legado.
    1 point
  25. Filme estreia 20/12/2023. Jason Reitman continua na direção e filme volta pra Nova York.
    1 point
  26. Finalmente vi e pude entrar nesse tópico! Como filme sozinho, eu gostei! Como filme do mcu eu achei mé. 1-Não é possível que queimaram os iluminati desse jeito. 2-a Wanda no final do WV não disse que ia controlar o darkhold? Tudo indicava que ela não seria vilã, até porque já tinha sido na série né, e tava arrependida. De repente deram essa guinada e ela teve o mesmo arco da sua série nesse filme. 3 - filme muito bonito né, muitas cenas legais pra caramba. 4- ainda assim o Strange não tem força pra carregar o MCU. Ainda que não tenha sido, eu terminei com a sensação de filme bem periférico.
    1 point
  27. Filme fez mais de 20 milão nos fds de estreia. Pela primeira vez, desde de 2018, 4 filmes fazem mais de 20 milão nas bilheterias simultaneamente: Elvis, Top Gun Maverick, Jurassic Park Dominio e O Telefone Preto.
    1 point
  28. Sugestão de título. "Ao Infinito e além" 🤣
    1 point
  29. Jorge Soto

    Flashpoint (202?)

    Ezra Miller, o Flash, teria brigado com ator cotado para ser o Arqueiro Verde do DCEU em um bar de Tóquio Segundo página, Ezra Miller, o Flash, brigou com o ator Austin Butler, cotado para ser o Arqueiro Verde, em um bar de Tóquio. O astro Ezra Miller, o Flash, aparentemente se envolveu em mais uma confusão. Só que dessa vez foi em Tóquio e teria envolvido um outro ator, que por coincidência está sendo cotado para ser o Arqueiro Verde do DCEU. A conhecida página Pop Crave compartilhou um testemunho de um usuário do Twitter que supostamente viu a briga entre Ezra Miller e o ator Austin Butler em um pub na capitão do Japão, na última terça (28). Confira o relato traduzido: “Eu não tenho nenhuma prova disso (meu telefone morreu), mas eu vi Austin Butler e Ezra Miller brigando em um pub aqui em Tóquio. Austin estava com sua namorada e amigos. Então eu vi Ezra ir para Austin e começou a conversar com ele. Depois de um tempo Ezra começou a gritar… não sei o que eles estavam discutindo, o bar estava muito barulhento. Ezra então disse algo que Austin ficou visivelmente descontente. Ele deu um soco em Ezra, o que fez com que Ezra ficasse com raiva. Seus dois amigos imediatamente seguraram Ezra. A segurança então escoltou Miller e amigos para fora das instalações. A polícia não foi chamada. Butler e seu grupo ficaram por mais algumas horas sem problemas e depois foram embora. Experiência bem estranha. No mínimo, agora tenho o direito de me gabar de dizer que testemunhei uma explosão de Ezra Miller na vida real.”, disse Thomas Stephen. A tal briga também foi relatada por uma fonte do insider Deuxmoi, mas a informante não citou o nome de Austin Butler. Em vez disso, ela disse que Ezra brigou com “outro ator”, que está estrelando no momento um grande filme (Elvis?). Será que essa história é verdadeira? Vamos ficar de olhos nos próximos capítulos dessa história. De acordo com recentes rumores, a Warner Bros. Discovery quer que Austin Butler seja o Arqueiro Verde do filme Canário Negro e do DCEU. Caso ele seja escalado, ele poderá ser companheiro de Liga da Justiça do Flash de Ezra Miller. Porém, é pouco provável que Ezra permaneça no DCEU depois de tantas polêmicas. The Flash, que estreia em 23 de junho de 2023, deverá ser o último filme do ator como Flash.
    0 points
×
×
  • Create New...